NAS PEGADAS DO MESTRE JESUS
Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Abril 2017
SegTerQuaQuiSexSabDom
     12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Calendário Calendário

Quem está conectado
67 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 67 Visitantes :: 2 Motores de busca

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 473 em 30th Agosto 2014, 11:05 pm
Social bookmarking

Social bookmarking Digg  Social bookmarking Delicious  Social bookmarking Reddit  Social bookmarking Stumbleupon  Social bookmarking Slashdot  Social bookmarking Yahoo  Social bookmarking Google  Social bookmarking Blinklist  Social bookmarking Blogmarks  Social bookmarking Technorati  

Conservar e compartilhar o endereço de <a href="http://oulorivallan.forumeiros.com/">nas pegadas do mestre JESUS</a> em seu site de social bookmarking

Conservar e compartilhar o endereço de NAS PEGADAS DO MESTRE JESUS em seu site de social bookmarking

Conectar-se

Esqueci minha senha

Flux RSS


Yahoo! 
MSN 
AOL 
Netvibes 
Bloglines 


Votação
Estatísticas
Temos 4124 usuários registrados
O último usuário registrado atende pelo nome de Vicente Silva

Os nossos membros postaram um total de 29501 mensagens em 12454 assuntos

O Estado Após a Morte — O que acontece com a alma do cristão depois de sua morte física?

Novo Tópico   Responder ao tópico

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

O Estado Após a Morte — O que acontece com a alma do cristão depois de sua morte física?

Mensagem por Lourival soldado cristão em 3rd Janeiro 2015, 3:46 pm

[size=36]O Estado Após a Morte — O que acontece com a alma do cristão depois de sua morte física?[/size]
mai 26, 2011 by Marcio S. da Rocha

Por Marcio S. da Rocha.
“Porquanto, para mim, o viver é Cristo, e o morrer é lucro. Entretanto se o viver na carne traz fruto para o meu trabalho, já não sei o que hei de escolher. Ora, de um e outro lado, estou constrangido, tendo o desejo de partir e estar com Cristo, o que é incomparavelmente melhor.” (Fil. 1.21-23)
A experiência da morte é uma realidade para todos. Os cristãos, mesmo depois de terem sido justificados pela graça de Deus ao receberem o Senhor Jesus pela fé, e assim terem garantida a sua salvação, não são poupados da morte física, conseqüência do pecado original. Os filhos adotivos de Deus (os crentes) certamente passam pela morte, muito embora os que estiverem vivos quando o Senhor Jesus voltar  fisicamente a Terra não morrerão, mas serão transformados (1 Cor. 15.51-52 ). Apenas dois homens na história humana foram poupados da morte, tendo sido transformados em corpos glorificados e elevados (arrebatados) ao céu; e isto aconteceu antes mesmo da primeira vinda de Cristo. Esses foram Enoque (Gen. 5.24) e o profeta Elias (2 Rs. 2.11). Podemos entendê-los como exceções à regra, casos especiais.
Nós, os demais, assim como os filhos de Deus que já se foram desde o começo da história, inclusive os primeiros apóstolos e os mártires, iremos com certeza ressuscitar, “em carne e osso” no dia do retorno do nosso Senhor. Mas, o que acontece com nossa alma, depois da morte, no período entre a morte até a ressurreição?
Quando o cristão morre, sua alma fica num estado de sonolência ou vai direto para Deus?
A morte é a interrupção temporária da vida no corpo e a separação da alma do corpo. Quando o cristão morre, embora o corpo permaneça na terra e seja sepultado, no momento da morte, a alma (ou espírito) vai imediatamente para a presença de Deus, cheia de alegria. Quando o apóstolo Paulo pensava em sua morte, ele afirmou: “Preferindo deixar o corpo, e habitar com o Senhor” (2 Co 5.Cool. Deixar o corpo é estar com o Senhor, no lar. Ele também diz que seu desejo é “partir e estar com Cristo” (Fp. 1.23). Jesus também disse ao ladrão que estava morrendo ao lado dele na cruz: “Hoje estarás comigo no paraíso[url=http://www.doutrinasessenciais.com/Users/MARCIO/Documents/Marcio/ESPIRITUAL/COMUNIDADE de DISC%C3%8DPULOS/Estudos B%C3%ADblicos/Doutrinas Essenciais do Cristianismo_curso CDD/21. O Estado Ap%C3%B3s a Morte.doc#_ftn1][1][/url]” (Lc 23.46).
A Bíblia não ensina a doutrina do “sono da alma”. O fato de que a alma dos cristãos vai imediatamente para a presença de Deus também significa que a doutrina do sono da alma é um erro. Essa doutrina ensina que quando os cristãos morrem, eles entram em um estado de existência inconsciente e que voltarão à consciência somente quando Cristo voltar e ressuscitá-los para a vida eterna. Essa doutrina tem sido ensinada eventualmente por alguns na história da igreja, inclusive alguns anabatistas da época da Reforma e alguns seguidores de Edward Irving na Inglaterra no século XIX. Um dos primeiros escritos de João Calvino foi um folheto contra tal doutrina, a qual nunca teve ampla aceitação na igreja. Hoje em dia, os Adventistas do Sétimo Dia são praticamente os únicos a adotarem esta doutrina.  O certo é que quando Cristo ou Paulo dizia que um morto “dormia” estava usando uma metáfora, uma figura de linguagem, referindo-se ao sono do corpo, que irá ressuscitar e, portanto, quando morto, fica como se estivesse dormindo.
A Bíblia (os livros verdadeiramente inspirados – os canônicos) também não ensina a existência de um purgatório. O fato de que a alma do cristão vai imediatamente para a presença de Deus nos leva indubitavelmente a concluir que não existe algo como o purgatório. Na doutrina católica romana, o purgatório é o lugar onde a alma do cristão é purificada do pecado até que esteja pronta para ser aceita no céu. De acordo com esse pensamento, os sofrimentos do purgatório são dados a Deus como substitutos do castigo pelos pecados que os cristãos mereciam ter recebido, e não receberam. Paulo, o apóstolo, mesmo reconhecendo-se “o maior dos pecadores” (1 Tim. 1.15) sabia e escreveu, por inspiração divina, que ao partir, estaria com Cristo (Fil. 1.23); não passaria por nenhum “purgatório”. Este ensino do purgatório entra em choque com a certeza de Paulo e encontra fundamento apenas nos livros apócrifos, incorporados ao Velho Testamento da Igreja Católica Romana em 1546, e já estudamos e sabemos porque eles não fazem parte da revelação de Deus (ver a série “A Revelação de Deus” neste site).
Se não existe o “sono da alma”, para onde vai imediatamente a alma de um incrédulo, depois que morre?
A Bíblia nunca nos incentiva a pensar que haverá segunda chance de aceitar a Cristo depois da morte. Na verdade, o quadro é exatamente o oposto. A parábola do rico e de Lázaro nos ensina que o rico foi imediatamente para o Hades (Sheol em Hebraico), para o lugar de tormentos, e não dá esperanças de que seja possível passar de lá para o paraíso depois da morte, apesar de ter o rico clamado no Hades: “Pai Abraão, tem misericórdia de mim! E manda a Lázaro que molhe em água a ponta do dedo e me refresque a língua, porque estou atormentado nesta chama”. Abraão, entretanto, respondeu: “Há um grande abismo entre nós e vós, de forma que os que desejam passar do nosso lado para o seu, ou do seu lado para o nosso, não conseguem.” (Lc. 16.26b NVI). Lamentavelmente, a alma dos descrentes vai imediatamente para o lugar de tormentos e lá aguardará até o juízo final, quando será lançada no fogo eterno (inferno). Não há segunda chance. A chance de receber o Senhor Jesus é aqui na terra.
——————————————————————————————-
Questões para reflexão e aprofundamento

  1. Uma vez que sabemos que a alma não fica em uma espécie de “sono”, mas que iremos (os que já recebemos o Senhor Jesus) imediatamente para junto dele no céu, qual deve ser a nossa atitude para com a nossa própria morte?

  2. Se o cristão sabe que a alma do crente vai imediatamente para junto do Senhor depois de sua morte, por que se entristece quando um crente morre?

  3. De acordo com o ensinamento da parábola do rico e de Lázaro (Lucas 16), bem como de Hebreus 9.27 e  Filip. 1.22-23, existe uma segunda chance para uma pessoa ser salva depois da morte?

  4. Se uma pessoa pudesse pagar pelos seus próprios pecados num “purgatório” ou mesmo por sofrer nesta vida, a morte de Jesus Cristo teria sido ineficaz, pois ele morreu para salvar a todo aquele que nele crê (João 3.16; 5.24). Você concorda com isto? Comente.





[url=http://www.doutrinasessenciais.com/Users/MARCIO/Documents/Marcio/ESPIRITUAL/COMUNIDADE de DISC%C3%8DPULOS/Estudos B%C3%ADblicos/Doutrinas Essenciais do Cristianismo_curso CDD/21. O Estado Ap%C3%B3s a Morte.doc#_ftnref1][1][/url] O paraíso ou “Seio de Abraão” (Lucas 16:19; 23.43) é um lugar intermediário de felicidade, onde as almas dos salvos aguardam conscientes (Lucas 16:26) até o dia da ressurreição, quando, então, os seus corpos ressuscitarão para reinar com o Senhor na Terra. A palavra Grega Hades no Novo Testamento tem conotação semelhante à palavra Hebraica Sheol usada no Antigo Testamento, e significam o mundo dos mortos — um estado intermediário, que possui dois lados; um, de tormentos, para onde vão os ímpios; o outro — o “Seio de Abraão”, ou o paraíso, para onde vão os salvos, assim que morrem. Esses dois estados ou lugares (o paraíso e o lugar de tormentos) são separados entre si por um abismo intransponível. Os filhos de Deus (crentes em Jesus Cristo), quando morrem, vão diretamente para o paraíso “Estar com Cristo” (Filip. 1.23; 2 Cor. 5.8, Lc. 23.43). Os os não-salvos, assim que morrem, vão para o lugar de tormentos, para lá aguardarem o Grande Trono Branco (juízo final), que acontecerá depois do Milênio, quando, então, irão de lá para o inferno (lago de fogo), juntamente com Satanás e seus anjos (Apoc. 20.5; 20;11-15). Quando Cristo morreu, e enquanto não havia ressuscitado, Pedro afirma que ele foi ao Hades, ao mundo dos mortos (Atos 2.27, 31 e 1 Pe. 3.18-20). O texto de Atos dá a entender que Hades ali significa morte ou sepultura, pois Pedro cita o Salmo 16: “Pois não deixarás a minha alma no Hades (ou Sheol), nem permitirás que o teu santo veja a corrupção.” Percebe-se que Pedro afirma, em Atos, que o corpo de Jesus não ficou morto, mas ressuscitou. Já a passagem de 1 Pe. 3.18-20 é de difícil interpretação. O texto parece afirmar que Jesus, antes de ressuscitar, foi ao lugar de tormentos do Hades, e pregou aos espíritos em prisão. Não sabemos ao certo o que Pedro queria dizer com “espíritos em prisão”. Esta expressão pode significar espíritos de pessoas que haviam morrido durante o dilúvio, nos dias de Noé, ou anjos caídos, que se revoltaram contra o Senhor, nos dias de Noé. O teor dessa pregação de Cristo aos “espíritos em prisão” também não nos é claro, porém, considerando os ensinamentos do próprio Jesus, de Paulo, e dos demais apóstolos sobre a salvação, esta pregação de Jesus no Hades deve ter sido uma proclamação de vitória, e não uma “segunda chance” de salvação, pois está escrito que isto não existe.http://www.doutrinasessenciais.com/2011/05/26/o-estado-apos-a-morte-o-que-acontece-com-a-alma-do-cristao-depois-de-sua-morte-fisica/

_________________
http://igrejacristaavivada.org/

avatar
Lourival soldado cristão

Mensagens : 11134
Pontos : 24554
Data de inscrição : 23/12/2009
Idade : 59
Localização : Sao paulo

http://ccbsemcensurasnaspeg.forumeiros.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você pode responder aos tópicos neste fórum