NAS PEGADAS DO MESTRE JESUS
Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Dezembro 2017
SegTerQuaQuiSexSabDom
    123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Calendário Calendário

Quem está conectado
82 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 82 Visitantes :: 1 Motor de busca

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 473 em 30th Agosto 2014, 11:05 pm
Social bookmarking

Social bookmarking digg  Social bookmarking delicious  Social bookmarking reddit  Social bookmarking stumbleupon  Social bookmarking slashdot  Social bookmarking yahoo  Social bookmarking google  Social bookmarking blogmarks  Social bookmarking live      

Conservar e compartilhar o endereço de <a href="http://oulorivallan.forumeiros.com/">nas pegadas do mestre JESUS</a> em seu site de social bookmarking

Conservar e compartilhar o endereço de NAS PEGADAS DO MESTRE JESUS em seu site de social bookmarking

Conectar-se

Esqueci minha senha

Flux RSS


Yahoo! 
MSN 
AOL 
Netvibes 
Bloglines 


Votação
Estatísticas
Temos 4293 usuários registrados
O último usuário registrado atende pelo nome de João Celso

Os nossos membros postaram um total de 30108 mensagens em 13032 assuntos

Posso profetizar vitória?

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Posso profetizar vitória?

Mensagem por Lourival soldado cristão em 3rd Setembro 2015, 6:11 pm

Posso profetizar vitória?


Como as minhas origens se acham no pentecostalismo moderno, já ouvi de tudo sobre o poder da palavra. “Palavra positiva”, “confissão positiva”, “profetizar vitória” e por aí vai. Até no facebook recebi um recado outro dia. A pessoa me disse que iria profetizar a minha cura (eu estava gripado). A impressão que tenho é que temos atribuído às nossas palavras poderes invocatórios de toda sorte. Mas, até onde isso tem fundamento bíblico?
No mundo isso já existe no folclore e no imaginário coletivo. Existe uma crença de que não devo dizer o nome de Satanás senão ele vai aparecer. Há filmes de horror baseados nessa superstição. Lembro-me de um filme chamado “Candyman” em que, se alguém olhasse para o espelho e dissesse esse nome três vezes, o tal Candyman apareceria e mataria o infeliz. A mesma história apareceu na Idade Média com a figura de “Maria Sangrenta” (Bloody Mary). Até hoje conheço pessoas que não gostam de cantar o hino de Lutero “Castelo Forte”, porque numa das estrofes há o nome de Satanás. “Cruz credo”, dizem. “Valei-me, Senhor”.
Com a mensagem positiva da cura divina, muitos acham que basta orar e tudo vai mudar. Isso vem de uma longa tradição avivamentista. Creio que a Igreja esteja precisando de um avivamento, mas nos moldes bíblicos e históricos: um mover do Espírito Santo que leve as pessoas ao arrependimento dos seus pecados, vivificando a Igreja e, consequentemente, mudando a própria sociedade ao seu redor, como já aconteceu nos avivamentos da nossa História eclesiástica (como no País de Gales, nos Estados Unidos e na Inglaterra).
Mas avivamentismo é outra coisa. É por definição um desequilíbrio e ignora o pleno testemunho das Escrituras Sagradas. A sua mensagem afirma que todo o poder da era vindoura pode ser empregada hoje, se tão somente tivermos fé o suficiente para tanto. “Todos serão curados”, “todos alcançarão a vitória”, “todos….” e por aí vai. Qual é o segredo para que todos alcancem estes benefícios? Fé, é claro.
E essa fé se expressa verbalmente. Segue então que a nossa vitória reside no bom uso das nossas palavras. Não podemos confessar tristeza, isso seria uma “confissão negativa”. Não podemos sequer dizer que estamos doentes – novamente “confissão negativa”. Tenho que declarar que tudo vai bem, que irá bem, que sempre ficará bem. Tenho que invocar a benção, afirmar a vitória, profetizar a cura e tomar posse da minha herança.
Afirmamos que a nossa palavra tem poder. Se direcionarmos a palavra para o mal, invocaremos o mal. Se direcionarmos a palavra para o bem, invocaremos o bem. Há até uma música que cantamos, “… sobre tua vida vou profetizar, nenhuma maldição te alcançará.”
Isso está na Bíblia? Bem, existe o caso de Ezequiel. Deus o manda profetizar sobre o vale de ossos secos. Qual foi a profecia? Foi a mensagem do que Deus faria, mas segundo a própria palavra que Deus lhe mandou proclamar. Podemos simplesmente pinçar essa história do Antigo Testamento e aplicá-la hoje?
A resposta é não.
No Novo Testamento somos instruídos a proclamar outras coisas. Mas, assim como Moisés bateu na rocha, Abraão pisou o chão da Palestina, Davi lançou a pedrinha que derrubou Golias, Elias chamou fogo do céu e Ezequiel profetizou para ossos secos, nós também temos que ser fiéis ao que Deus nos manda fazer, nada mais e nada menos. Eu não bato em pedras, não lanço pedrinhas, não piso em terra que quero possuir nem tampouco posso chamar fogo do céu. Cada um desses casos aconteceu apenas uma vez na Bíblia. Nunca se repetiu.
Lembremos que os discípulos nunca repetiram o ato de cuspir na lama e aplicá-la aos olhos de cegos. Jesus o fez e não nos ensinou a imitá-lo. Segue que não posso simplesmente pegar a “lição bíblica” e aplicá-la à minha situação. Isso representa uma violência às Escrituras. Elas não existem para ser “usadas”, mas para ser uma autoridade sobre nós. A Bíblia não é uma ferramenta. A Palavra de Deus é uma luz e uma espada que separa o que é de Deus daquilo que é da carne.
No Novo Testamento, somos instruídos a orar, pedindo ao Senhor da seara que mande obreiros. Somos instruídos a pregar as boas-novas do Evangelho. Somos instruídos a orar pelos enfermos (orar, não declarar o que seja). Somos instruídos a trazer os enfermos perante os líderes da igreja para receber a oração da fé. Somos instruídos: “Pregue a palavra, esteja preparado a tempo e fora de tempo, repreenda, corrija, exorte com toda a paciência e doutrina” (2 Tm 4.2). Somos instruídos a pedir que Deus mande o seu Reino e faça a sua vontade (a oração do Pai Nosso). Mas em nenhum momento somos assegurados de que podemos invocar o Reino, construí-lo ou implementá-lo. Em nenhum momento somos instruídos a comandar doenças que saiam. Podemos expulsar demônios pela autoridade do nome de Jesus – o único exemplo bíblico do uso da palavra de comando.
Claro que temos de ter cuidado com o que falamos, até porque seremos julgados por palavras. As palavras podem nos enredar. Mas o poder está na palavra de Deus e não na nossa. De fato, se nós pregarmos a Palavra, pessoas conhecerão a verdade (Rm 10.17).
O que passa disso é uma espécie de “feitiçaria pentecostal”. Não somos profetas que podem simplesmente invocar. Hoje, achamos que a nossa língua é uma espécie de metralhadora, que, apontada em qualquer direção, terá um efeito “tiro e queda”, literalmente. Isso é uma aberração do pentecostalismo moderno. É fruto da união de conceitos bíblicos, superstições medievais e crenças de religiões heréticas da Nova Era. O pior não é que estejamos nos tornando esquisitos (se bem que estamos). O pior é que estamos desviando pessoas da verdadeira fé cristã. Transformamos a igreja num jogo de poder.
Amados irmãos, há muitas pessoas precisando de Cristo. Precisam de salvação. Estão carentes, machucadas, doentes, frustradas e precisando ser pastoreadas pela Verdade. Deus tenha misericórdia de nós e nos perdoe por termos transformado a Igreja num palco de absurdas superstições e truques para fazer com que todos se sintam “poderosos”. É uma calamidade.
Para fechar este post, recomendo um livro importantíssimo para entender os limites dos conceitos que abordei aqui: “A Verdadeira Vitória do Cristão” do autor Maurício Zágari (www.editoraannodomini.com.br). Para quem está viciado (ou possivelmente frustrado) por esses conceitos supostamente pentecostais (que de pentecostais de fato não têm nada), recomendo a sua leitura, e com urgência. Sim, pois aqui fica apenas uma alerta. Não será num blog que poderei adentrar o assunto com a profundidade bíblica ou histórica necessária que esse livro aborda.
Na paz,
avatar
Lourival soldado cristão

Mensagens : 11165
Pontos : 24633
Data de inscrição : 23/12/2009
Idade : 60
Localização : Sao paulo

http://ccbsemcensurasnaspeg.forumeiros.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum