NAS PEGADAS DO MESTRE JESUS
Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Dezembro 2017
SegTerQuaQuiSexSabDom
    123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Calendário Calendário

Quem está conectado
64 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 64 Visitantes :: 2 Motores de busca

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 473 em 30th Agosto 2014, 11:05 pm
Social bookmarking

Social bookmarking digg  Social bookmarking delicious  Social bookmarking reddit  Social bookmarking stumbleupon  Social bookmarking slashdot  Social bookmarking yahoo  Social bookmarking google  Social bookmarking blogmarks  Social bookmarking live      

Conservar e compartilhar o endereço de <a href="http://oulorivallan.forumeiros.com/">nas pegadas do mestre JESUS</a> em seu site de social bookmarking

Conservar e compartilhar o endereço de NAS PEGADAS DO MESTRE JESUS em seu site de social bookmarking

Conectar-se

Esqueci minha senha

Flux RSS


Yahoo! 
MSN 
AOL 
Netvibes 
Bloglines 


Votação
Estatísticas
Temos 4293 usuários registrados
O último usuário registrado atende pelo nome de João Celso

Os nossos membros postaram um total de 30108 mensagens em 13032 assuntos

Cristo não me enviou pata batizar

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Cristo não me enviou pata batizar

Mensagem por Ricardo Mendes em 28th Fevereiro 2016, 1:56 pm




Thiago Hermann - Defensor do Evangelho
Curtir Página

21 de dezembro de 2015 · 

Cristo Não Me Enviou Para Batizar - John Piper (16 de novembro de 1980)



É surpreendente para mim que Paulo tenha dito: “Porque Cristo enviou-me, não para batizar” 1 Coríntios 1.17, quando, na verdade, uma das últimas coisas que Jesus disse aos Seus discípulos foi: “Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo” Mateus 28.19. A fim de entender o que Paulo quis dizer ao negar que ele foi enviado para batizar, é preciso responder a quatro perguntas: 


1. Paulo se opôs ao Batismo ou tentou dissuadir os convertidos de serem batizados? 
2. Por que Paulo não tornou uma prática batizar todos os seus novos convertidos? 
3. Qual era o objetivo da missão de Paulo? 
4. O que tudo isto implica sobre a nossa visão sobre o Batismo?


Paulo Se Opôs ou Desencorajou o Batismo?


1) Em primeiro lugar, então, Paulo se opôs ao Batismo ou tentou dissuadir os convertidos de serem batizados? A partir de outras Cartas de Paulo, bem como a partir do que podemos ver no livro de Atos, a resposta é: Não. Ao contrário, Paulo assumiu que todos os crentes para quem ele escreveu eram batizados, e ele baseou partes importantes de seu ensinamento nesta experiência comum de todos os crentes. Por exemplo, em Romanos 6.3-4 Paulo diz: “Ou não sabeis que todos quantos fomos batizados em Jesus Cristo fomos batizados na sua morte? De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos, pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida”. 
Aqui, Paulo assume que todos os crentes experimentaram o Batismo e que eles foram instruídos sobre o seu significado. Outro exemplo é a carta de Paulo aos Colossenses, Capítulo 2, verso 12, quando ele diz a todos os Cristãos: “Sepultados com ele no batismo, nele também ressuscitastes pela fé no poder de Deus, que o ressuscitou dentre os mortos”. Aqui, novamente, Paulo não trata o Batismo como uma opção que alguns crentes escolhem e outros não. Ele assume que este foi o ato pelo qual as pessoas expressaram a sua fé e entraram em salvação. (Devo mencionar nesta passagem que o termo “pela fé” em Colossenses 2.12 é uma das principais razões pelas quais eu pratico o Batismo de crentes e não o batismo infantil). Parece, portanto, a partir das Cartas de Paulo que ele não se opunha, mas aprovava o Batismo e baseou nisso alguns dos seus ensinamentos. 
A mesma coisa evidencia-se no livro de Atos, que registra a obra missionária de Paulo. Primeiramente, o próprio Paulo foi batizado depois de sua conversão. Atos 9.18 diz: “E logo lhe caíram dos olhos como que umas escamas, e recuperou a vista; e, levantando-se, foi batizado”. Os vários incidentes das viagens missionárias de Paulo mostram que Paulo não desanimou seus convertidos quanto a serem batizados, mas, pelo contrário os encorajou. Em Atos 16 Paulo prega em Filipos, e os versos 14 e 15 descrevem o que aconteceu com uma mulher chamada Lídia: “...o Senhor lhe abriu o coração para que estivesse atenta ao que Paulo dizia. E, depois que foi batizada...”. 
O mesmo Capítulo registra como Paulo logo foi lançado na prisão em Filipos e como houve um terremoto que abriu as portas e deu a Paulo e Silas a ocasião de conduzir o carcereiro a Cristo, ali mesmo no meio da noite. Escute como isso aconteceu (versos 30-33): “...Senhores, que é necessário que eu faça para me salvar? (Disse o carcereiro). E eles disseram: Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa. E lhe pregavam a palavra do Senhor, e a todos os que estavam em sua casa. E, tomando-os ele consigo naquela mesma hora da noite, lavou-lhes os vergões; e logo foi batizado, ele e todos os seus”. Este evento demonstra que Paulo cria mui fortemente na consideração de que os seus convertidos deveriam ser batizados, e isso rapidamente, também. 
Mas, pode ser que a igreja que Paulo começou em Corinto fosse diferente, e é por isso que Paulo escreveu-lhes e disse: “porque a nenhum de vós batizei”? Em Atos 18:11, aprendemos que Paulo trabalhou em Corinto cerca de um ano e meio, e no verso 8 diz: “...e muitos dos coríntios, ouvindo-o, creram e foram batizados”. Então Corinto não era diferente de todos os outros lugares por onde Paulo passou: seus convertidos sempre foram batizados. 
Mas o que é interessante em Atos é que nunca lemos que o próprio Paulo batizou. Isso se encaixa com o que ele nos diz em 1 Coríntios 1:14, ou seja, que ele batizou apenas poucos de seus muitos convertidos. Ele é grato que ele não teve uma prática de batizar seus convertidos.
Por Que Paulo Não Batizou os Seus Novos Convertidos?


2) Isso nos leva à segunda questão: Porque Paulo não tornou uma prática batizar todos os seus novos convertidos? Por que ele, evidentemente, deixou Timóteo, ou Silas, ou Lucas realizarem a real imersão em água? A resposta que Paulo dá em 1 Coríntios 1.15 é esta: eu mesmo evito batizar, para que nenhum dos meus convertidos diga que foi batizado em meu nome. O que está por trás dessa preocupação? 
Paulo tinha uma tremenda autoridade na igreja primitiva. Ele tinha visto o Cristo ressuscitado e tinha sido comissionado por Ele para ensinar as igrejas. Havia um risco, portanto, que ele fosse idolatrado e que as pessoas se tornassem orgulhosas de serem convertidos de Paulo. E, aparentemente, esse orgulho desmedido tinha começado a se espalhar na igreja de Corinto, e facções haviam se formado: “Eu sou de Paulo”, ou “Eu sou de Apolo”, ou “Eu sou de Cefas”. O corpo de Cristo em Corinto estava sendo dilacerado pela glória de diferentes facções e seus mestres favoritos. 
Paulo deseja parar esta jactância e as divisões que isso estava causando. Assim, ele diz em 3.5-7: “Pois, quem é Paulo, e quem é Apolo, senão ministros pelos quais crestes, e conforme o que o Senhor deu a cada um? Eu plantei, Apolo regou; mas Deus deu o crescimento. Por isso, nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento”. Então, em 3.21-23 ele extrai a inferência. “Portanto, ninguém se glorie nos homens; porque tudo é vosso; seja Paulo, seja Apolo, seja Cefas, seja o mundo, seja a vida, seja a morte, seja o presente, seja o futuro; tudo é vosso, e vós de Cristo, e Cristo de Deus”. Em outras palavras, como ele diz em 1.31: “Aquele que se gloria glorie-se no Senhor”. 
Paulo se esforçou para não fazer nada que pudesse desviar a atenção do Senhor Jesus Cristo e do poder da Sua cruz (1.17). E pode ser que ele tenha descoberto no início de seu ministério que, quando ele batizou seus próprios convertidos, eles foram tentados a se vangloriar nisso. Então, ele deixou quase todo o Batismo para que os seus cooperadores realizassem, a fim de desviar a atenção dele mesmo para Cristo.
Qual Era o Objetivo da Missão de Paulo?


3) E isso nos leva à nossa terceira questão: Qual era o objetivo da missão de Paulo? Ele disse: “Porque Cristo enviou-me, não para batizar, mas para evangelizar; não em sabedoria de palavras, para que a cruz de Cristo se não faça vã” [1 Coríntios 1.17]. O Batismo, Paulo poderia entregar a um cooperador, mas não a pregação do Evangelho. O Evangelho é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; o Batismo é uma expressão simbólica dessa crença. O Evangelho é a boa notícia de que qualquer um que recebe a Cristo como Salvador e Senhor será salvo. O Batismo é um apelo a Deus em relação a esta salvação. Portanto, a pregação do Evangelho é primária, e a obra de Cristo na cruz é muito mais importante do que a obra de qualquer homem no Batismo. O que importa não é quem batiza você, mas em Quem você é batizado. 
A missão de Paulo era magnificar a Cristo e salvar os homens pela pregação do Evangelho. E ele estava disposto a desistir de qualquer coisa que impedisse esta missão.
Qual Deve Ser a Nossa Visão Sobre o Batismo?


4) Portanto, em conclusão, o que tudo isso implica sobre a nossa visão do Batismo? O Batismo é um ato de obediência à ordem de Jesus (Mateus 28.19-20). E por isso mesmo ele nunca deve desviar nossa atenção de Cristo para um homem. O Batismo deve expressar o nosso desejo de depender somente Cristo para a salvação e nos gloriarmos somente nEle. O centro da nossa atenção neste ato não deve ser o método, ou o lugar, ou a pessoa que batiza, mas, sim, Jesus Cristo, a Sua morte por nossos pecados e a Sua ressurreição gloriosa. Que esse seja o foco hoje para o Seu louvor e glória. “Aquele que se gloria gloriese no Senhor”.



_________________
Ricardo Mendes

Ricardo Mendes

Mensagens : 230
Pontos : 572
Data de inscrição : 23/11/2014
Idade : 54
Localização : rj

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum