NAS PEGADAS DO MESTRE JESUS
Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Dezembro 2017
SegTerQuaQuiSexSabDom
    123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Calendário Calendário

Quem está conectado
57 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 57 Visitantes :: 2 Motores de busca

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 473 em 30th Agosto 2014, 11:05 pm
Social bookmarking

Social bookmarking digg  Social bookmarking delicious  Social bookmarking reddit  Social bookmarking stumbleupon  Social bookmarking slashdot  Social bookmarking yahoo  Social bookmarking google  Social bookmarking blogmarks  Social bookmarking live      

Conservar e compartilhar o endereço de <a href="http://oulorivallan.forumeiros.com/">nas pegadas do mestre JESUS</a> em seu site de social bookmarking

Conservar e compartilhar o endereço de NAS PEGADAS DO MESTRE JESUS em seu site de social bookmarking

Conectar-se

Esqueci minha senha

Flux RSS


Yahoo! 
MSN 
AOL 
Netvibes 
Bloglines 


Votação
Estatísticas
Temos 4294 usuários registrados
O último usuário registrado atende pelo nome de oliveiraconvertida98

Os nossos membros postaram um total de 30108 mensagens em 13032 assuntos

Um Evangelho que Machuca o Coração

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Um Evangelho que Machuca o Coração

Mensagem por Ricardo Mendes em 25th Outubro 2016, 11:44 am

[size=48]Um Evangelho que Machuca o Coração[/size]

Published by Clodoaldo Machado on 05/10/2016

Um dos aspectos esquecidos da mensagem do Evangelho é a capacidade que ele possui de machucar o coração. Quando falamos de coração somos facilmente enganados. Pensamos em nosso coração como algo que deve ser preservado. Usamos nosso coração como uma espécie de termômetro a fim de sabermos se estamos bem ou não. Já estamos acostumados a ouvir frases como “estou bem comigo mesmo”, “sinto uma paz interior”, “estou com minha auto estima elevada”. Estas frases nada mais são do que análise do coração. Quem usa frases assim está querendo dizer que o coração está bem.
Muitos desejam se sentir bem em seu coração. Podemos arriscar a dizer que as pessoas têm como grande objetivo de suas vidas obter um sentimento de paz no coração. Seus planos, suas decisões, suas atitudes têm como alvo fazer com que o coração sinta-se bem.
Este desejo exerce influência direta na forma como pregamos o Evangelho. Sabemos o que as pessoas querem e não queremos desagradá-las nisso. Não queremos frustrar as pessoas negando-lhes aquilo que tanto almejam. Pregamos o Evangelho prometendo às pessoas que se aceitarem a Jesus elas se sentirão bem consigo mesmas, afirmamos que a paz que elas tanto procuram está em Jesus. Acreditamos que já existe algo no coração das pessoas capaz de levá-las a Cristo, este algo é o desejo que elas têm por paz, assim apelamos para esse desejo a fim de que aceitem o Evangelho.
Devemos, entretanto pensar um pouco a respeito disso. Devemos questionar se temos apoio da Bíblia para prometermos às pessoas que se aceitarem o Evangelho terão bons sentimentos em seus corações. Precisamos nos conscientizar sobre o que a Bíblia fala a respeito de nosso coração.
Quando a Bíblia fala de nosso coração, o chama de enganoso e desesperadamente corrupto (Jr.17.9). É claro para nós que a Palavra de Deus não está falando do órgão físico que bate em nosso peito. Ela está falando de nossa parte imaterial que engloba nossos pensamentos, nossos sentimentos e nossas conclusões a respeito de nossa vida. A Bíblia está dizendo que nosso coração está redondamente enganado a respeito do que pensa. Deus está graciosamente dizendo que nosso coração não é uma fonte segura para basearmos nele nossas decisões. Isto nos leva a concluir que se sentir bem no coração não é necessariamente uma boa coisa e não significa que estamos sem problemas.
A Bíblia mostra outra atitude com relação ao nosso coração. Ao invés de fazê-lo se sentir bem, a Palavra de Deus fala contra o coração, desfazendo todo seu engano. Vejamos por exemplo a primeira mensagem pregada na história do cristianismo.
Tão logo o Espírito Santo formou a Igreja, Ele levantou o apóstolo Pedro para pregar. Lemos isso em Atos 2.14-36. Observamos que o apóstolo não estava preocupado em fazer com que seus ouvintes se sentissem bem consigo mesmos. Pedro disse aos seus ouvintes que eles haviam matado a Jesus crucificando-o por mãos de iníquos (v.23). Pedro ousadamente afirmou: “Esteja absolutamente certa, pois, toda casa de Israel de que a este Jesus que vós crucificastes, Deus o fez Senhor e Cristo” (v.36, ênfase acrescentada). Dizer às pessoas que elas são responsáveis pela morte de Jesus certamente não agrada seus corações. Pedro, como nós, sabia que aquelas pessoas desejavam se sentir bem. Ele também sabia como poderia fazer isso. O apóstolo poderia dizer a elas que eram a nação escolhida de Deus, Pedro poderia dizer a elas que Jesus desejava que se sentissem em paz, bastava que recebessem a Ele. Não foi isso, porém, que o apóstolo fez. Ele afirmou que aquelas pessoas eram as responsáveis por matar o Filho de Deus que foi enviado a este mundo.
Qual foi o resultado daquela pregação? O que aquelas pessoas começaram a pensar? O que elas sentiram? A Bíblia nos fala como ficou o coração daquelas pessoas. “Ouvindo elas estas cousas, compungiu-se-lhes o coração e perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos: Que faremos irmãos?” O verbo compungir é tradução de uma palavra grega que era usada para se referir à perfuração de alguma parte do corpo. Referia-se a perfurar com uma faca ou objeto pontiagudo. Era como ser atingido por algo de forma inesperada e que causava muita dor. Naquele momento aquelas pessoas não estavam em paz consigo mesmas, seus corações estavam profundamente incomodados, seus sentimentos eram amargos. O Evangelho não encontrou algo naqueles corações sobre o qual pudesse edificar a salvação. O Evangelho na verdade destruiu as convicções enganosas daqueles corações. O Evangelho ofendeu aqueles corações mostrando claramente que estavam enganados e corrompidos.
Fazer as pessoas se sentirem bem em seus corações não é o objetivo do Evangelho. O Evangelho anuncia a verdadeira paz. Ele deseja estabelecer a paz entre o homem e Deus, mas não entre o homem e seu coração enganoso. Estar em paz com o próprio coração não é um sintoma de salvação. O verdadeiro Evangelho machuca o coração. Não nos esqueçamos disso!
Pr. Clodoaldo Machado

_________________
Ricardo Mendes

Ricardo Mendes

Mensagens : 230
Pontos : 572
Data de inscrição : 23/11/2014
Idade : 54
Localização : rj

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum