NAS PEGADAS DO MESTRE JESUS
Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Dezembro 2017
SegTerQuaQuiSexSabDom
    123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Calendário Calendário

Quem está conectado
58 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 58 Visitantes :: 2 Motores de busca

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 473 em 30th Agosto 2014, 11:05 pm
Social bookmarking

Social bookmarking digg  Social bookmarking delicious  Social bookmarking reddit  Social bookmarking stumbleupon  Social bookmarking slashdot  Social bookmarking yahoo  Social bookmarking google  Social bookmarking blogmarks  Social bookmarking live      

Conservar e compartilhar o endereço de <a href="http://oulorivallan.forumeiros.com/">nas pegadas do mestre JESUS</a> em seu site de social bookmarking

Conservar e compartilhar o endereço de NAS PEGADAS DO MESTRE JESUS em seu site de social bookmarking

Conectar-se

Esqueci minha senha

Flux RSS


Yahoo! 
MSN 
AOL 
Netvibes 
Bloglines 


Votação
Estatísticas
Temos 4293 usuários registrados
O último usuário registrado atende pelo nome de João Celso

Os nossos membros postaram um total de 30108 mensagens em 13032 assuntos

Pérolas dos Provérbios Ouvir Os Dois Lados da História

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Pérolas dos Provérbios Ouvir Os Dois Lados da História

Mensagem por Lourival soldado cristão em 21st Março 2017, 12:32 pm

Pérolas dos Provérbios
Ouvir Os Dois Lados da História
"O que começa o pleito parece justo, até que vem o outro e o examina" (Provérbios 18:17).
"Mãe, meu irmão me bateu!" Incontáveis vezes, na vida de mães no mundo inteiro, a cena começa assim. Uma criança chega correndo, acusando outra de algum crime digno de castigo severo. E toda mãe sábia reage com prudência, primeiro apanhando os fatos e depois decidindo como corrigir o problema. Às vezes, ela descobre fatos interessantes da boca da outra criança: "Bati nela, sim. Mas é porque ela agarrou o meu pescoço e estava me sufocando. Eu tive que bater nela para poder respirar." E para provar a sua alegação, este menino mostra as marcas dos dedos da irmã no seu pescoço. E assim continua o desafio de ser juíza dos próprios filhos. A mãe sempre faz questão de investigar os fatos, ouvir os dois lados da história, e só depois toma uma atitude em relação ao culpado ou culpados.
O sistema de justiça do nosso governo se baseia neste mesmo princípio. Qualquer um pode levantar acusação contra outro, mas o acusado tem direito de responder e se defender. É essencial ouvir os dois lados para aplicar a justiça.
Mas, nem todos refletem a mesma sabedoria e prudência. Muitas pessoas chegam às suas conclusões sem ouvir os dois lados. Um amigo chega reclamando da maldade feita por uma outra pessoa e o ouvinte se ira contra o malfeitor. Espere aí. Já ouviu o outro lado? Vai condenar a pessoa sem ouvir o resto da história?
"O que começa o pleito parece justo, até que vem o outro e o examina" (Provérbios 18:17). Não podemos avaliar diferenças com justiça sem ouvir os dois lados. Mesmo quando envolve amigos ou parentes que correm para nos falar sobre a maldade dos outros, precisamos ser justos e ouvir a outra parte.
Quando não conseguimos resolver o problema conversando com ambas as partes, podemos achar necessário chamar testemunhas para esclarecer os fatos. A importância de testemunhas é destacada no Velho e no Novo Testamentos. "Uma só testemunha não se levantará contra alguém por qualquer iniqüidade ou por qualquer pecado, seja qual for que cometer; pelo depoimento de duas ou três testemunhas, se estabelecerá o fato" (Deuteronômio 19:15). "...pelo depoimento de duas ou três testemunhas, toda palavra se estabeleça" (Mateus 18:16). "Não aceites denúncia contra presbítero, senão exclusivamente sob o depoimento de duas ou três testemunhas" (1 Timóteo 5:19). E cada testemunha tem obrigação de falar a verdade. "Não dirás falso testemunho contra o teu próximo" (Êxodo 20:16). "A falsa testemunha não fica impune, e o que profere mentiras perece" (Provérbios 19:9). "Por isso, deixando a mentira, fale cada um a verdade com o seu próximo..." (Efésios 4:25).
A justiça é uma das qualidades fundamentais do caráter do Santo Deus que nos criou. Nós que procuramos participar da natureza divina (2 Pedro 1:4), imitando o perfeito exemplo de Deus (Efésios 5:1; 1 Coríntios 11:1), devemos demonstrar a justiça quando procuramos entender as diferenças que surgem entre pessoas (Provérbios 21:3).
É especialmente difícil ser justos quando os problemas envolvem certas pessoas. Precisamos de cautela dobrada quando um dos lados é:
Parente. A tendência é de defender a nossa própria família, concluindo que os outros estão errados. Pais tendem a defender os filhos. Irmãos tendem a defender um ao outro (exceto quando o conflito seja entre irmãos!). Mas, às vezes, nossos próprios filhos, irmãos ou pais podem errar. Devemos ouvir o outro lado antes de chegar à conclusão.
Uma pessoa que já errou. Quando alguém já ganhou a reputação de ser briguento ou encrenqueiro, é muito fácil aceitar acusações contra esta pessoa. Por esse motivo, devemos fazer tudo para manter o nosso caráter e, conseqüentemente, a nossa reputação (Provérbios 20:7,11; 22:1). Mas não devemos aceitar acusações não provadas, mesmo quando a pessoa já errou diversas vezes no passado. Pessoas podem mudar. Outras pessoas, na sua astúcia, podem usar a má reputação do outro para ganhar vantagem: "Se todos já acreditam que fulano é mal, então por que não jogar a culpa nele?".
Uma pessoa rica ou "importante". Todos enfrentam uma tentação de ser parciais quando há contenda entre pessoas de "classes" diferentes. A pessoa interesseira pode favorecer o rico, esperando algum favor no futuro. Mas Deus diz: "Não roubes ao pobre, porque é pobre, nem oprimas em juízo ao aflito, porque o Senhor defenderá a causa deles e tirará a vida aos que os despojam" (Provérbios 22:22-23). Nem devemos imaginar que o pobre está sempre certo. O julgamento justo é imparcial: "Parcialidade no julgar não é bom. O que disser ao perverso: Tu és justo; pelo povo será maldito e detestado pelas nações. Mas os que o repreenderem se acharão bem, e sobre eles virão grandes bênçãos" (Provérbios 24:23-25).
Diferenças e contendas surgirão entre pessoas. Algumas delas chegarão a nós defendendo a sua postura e condenando a conduta do outro. Cabe a nós ser justos e ouvir os dois lados da história antes de chegar à conclusão. "Deus não faz acepção de pessoas" (Atos 10:34). Devemos seguir o exemplo dele!
avatar
Lourival soldado cristão

Mensagens : 11165
Pontos : 24633
Data de inscrição : 23/12/2009
Idade : 60
Localização : Sao paulo

http://ccbsemcensurasnaspeg.forumeiros.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum