NAS PEGADAS DO MESTRE JESUS
Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Últimos assuntos
Março 2017
SegTerQuaQuiSexSabDom
  12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Calendário Calendário

Quem está conectado
72 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 72 Visitantes :: 2 Motores de busca

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 473 em 30th Agosto 2014, 11:05 pm
Social bookmarking

Social bookmarking Digg  Social bookmarking Delicious  Social bookmarking Reddit  Social bookmarking Stumbleupon  Social bookmarking Slashdot  Social bookmarking Yahoo  Social bookmarking Google  Social bookmarking Blinklist  Social bookmarking Blogmarks  Social bookmarking Technorati  

Conservar e compartilhar o endereço de <a href="http://oulorivallan.forumeiros.com/">nas pegadas do mestre JESUS</a> em seu site de social bookmarking

Conservar e compartilhar o endereço de NAS PEGADAS DO MESTRE JESUS em seu site de social bookmarking

Conectar-se

Esqueci minha senha

Flux RSS


Yahoo! 
MSN 
AOL 
Netvibes 
Bloglines 


Votação
Estatísticas
Temos 4104 usuários registrados
O último usuário registrado atende pelo nome de CharityL

Os nossos membros postaram um total de 29438 mensagens em 12398 assuntos

Todos os tópicos de ensinamentos da CCB 1961em diante Até 2010

Novo Tópico   Responder ao tópico

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Todos os tópicos de ensinamentos da CCB 1961em diante Até 2010

Mensagem por Admin em 25th Julho 2010, 3:56 pm

TÓPICOS - ASSEMBLÉIA DE 28 A 31 DE MARÇO E 1° DE ABRIL DE 1961

PREGAÇÕES:

1ª Palavra: Atos, 20, 17 (Por um dos servos presentes):

...Nas Sagradas Escrituras vem dito, que quem não é mudo fala, porém existem palavras que em vez de edificar derrubam, não trazendo a edificação da igreja porém a sua destruição.

....A palavra quando vem a igreja liberta o tentado pelo demônio. A Palavra de Deus é escora para aqueles que necessitam de amparo, de uma libertação e nada acontecerá àquele que se encontra amparado por Ela.

...Temos que ter a certeza que é o Espírito Santo que nos move fazendo saber a seus servos que a Palavra de Cristo enviada muitas vezes, o Senhor conhecendo a situação de uma alma que está sedenta dela, vem então para liberta-la de tudo. Essa alma encontra assim, graça para se ver livre da tentação; encontrando graça na Palavra que veio na Congregação. Porém, se vae a Congregação e em vez da Palavra da graça encontra a Palavra do bastão, é derrubado e aniquilado... - ...Examinemo-nos para ver si a palavra que está em nossa boca traz consolação, dá força ao cansado, refrigera a alma do atribulado e do aflito. Se o servo de Deus se faz guiar da parte de Deus o Senhor nunca deixa a igreja sem a Palavra; sem a Palavra de Deus a vida nossa acaba, pois Cristo sendo a nossa Rocha, dela mana a água viva que nunca Deus deixou de mandar a Sua igreja.... - Mas se assim o fizermos, veremos que nunca a igreja minguará, ... - ... A Palavra que bate no povo não é a palavra da graça e quem assim faz não está servindo a Deus, pois essa pancada derruba, pois não vem da parte de Deus. ... - ...A palavra que não vem da parte de Deus não consola, não conforta, não traz alegaria, pois o povo de Deus vem a casa de Deus para ficar cheio das coisas de Deus. Esperamos que os servos de Deus, sempre tenham a graça de poder edificar as almas que Deus por misericórdia traz a sua igreja para serem pastoreadas.

2ª Palavra: I Timóteo, cap. V, verso l (Pregada por outro servo presente):

....Muitas vezes vemos dentro de uma casa onde existe um filho ou uma filha mais dedicada, mais amorosa, tomando um lugar superior, um lugar de pae ou de mãe. Não se vae asperamente sobre um irmão mais velho quando o tivermos que repreender; Timóteo era moço, todavia fazia as vezes de pae, mãe e de tudo para a todos servir. Deus nos pôz à frente de uma família, essa família não é nossa, porém de Deus, assim sendo, temos sempre que ser de acordo com o que se encontra no filho de Deus. ... - ... Temos que ter cuidado não indo asperamente sobre o que faltou; não abusando, porém sendo de exemplo, pois o que se tem de mais estima depois da graça de nosso Senhor Jesus cristo é a nossa família pelo laço de sangue..... - ... O Senhor permite que se erre para podermos conhecer o erro; o bem e o mal para nos desviarmos deste último. Enfim caros irmãos todos nós devemos ser conhecedores de nossa profissão espiritual.

= TÓPICOS DE ENSINAMENTOS - 1961:

- BATISMOS E SANTAS CEIAS

Como Deus vae preparando novos servos, irmãos anciães, nem todos receberam o primitivo ensinamento este é para os novos, assim como para aos velhos. Os servos de Deus são os anjos da Igreja e que o Senhor já isso tem confirmado pelo primeiro ancião que ordenou aqui em São Paulo. O povo de Deus tem um crédito ilimitado nos servos, acatando-os como anjos de Deus, assim nunca se pode perder esta moral espiritual. Que dirá o povo em caso de uma transferência de data de batismo ou santa ceia?....- ....Essa parte é muito importante para que tenhamos o crédito não só com os de fora assim como os de dentro; se se sae fora perde-se um tanto por cento do crédito. É necessário trabalhar 100% para que ninguém possa nos condenar; ... - .... A nossa palavra é uma palavra de respeito, se não se cumprir é uma falsidade. Em todos os pontos de vista a palavra do servo deve ser boa; devemos ser então sempre por cabeça dando testemunho em toda nossa palavra com firmeza.....

- DOUTRINA DO BATISMO

Quando se vae batisar, sendo o servo de Deus um mandado do Senhor, para cumprir o mandamento deve usar as palavras “Em Nome do Senhor Jesus te batiso Em Nome do Pae, do Filho e do Espírito Santo” tudo conforme se encontra em S. Mateus XXVIII, vs. 19 e Atos II, vs. 38. Pois o sacramento que está cumprindo é um mandamento do Senhor Jesus. Sempre temos considerado que todos sejam batisados segundo o Senhor nos tem feito claro desde o princípio desta Obra. O Senhor nos guiou em que só sejam considerados nossos irmãos aqueles que se batisam entre nós. Na obra de Deus não temos parentes nem amigos, todos somos iguaes e quem não está na doutrina não é considerado como irmão nem tem liberdade nos cultos.

Sempre se recomenda que não se batisem quem vive amasiado, porém só casado pela lei, já que essa é uma instituição de Deus. Um amasiado estando selado com o Espírito Santo, com evidência de linguagem tem o ancião liberdade em batisa-lo. Tem vindo as vezes criaturas já idosas amasiadas que tem constituído família possuindo filhos, genros, noras, netos e as vezes bisnetos, nesse caso tem sido batisados.

Quem quer se salvar deve orar a Deus que tem todo poder; quem quer salvar sua alma sente a responsabilidade, clama a Deus que tudo pode preparar; os casos as vezes dependem da lei e de bem a conhecer. Um irmão ancião é sempre livre de consciência para batisar um amasiado caso o Senhor aprove, ainda mais si naquela criatura o Senhor mostra a Sua Obra. Existem muitos casos preparados por Deus, haja visto o da meretriz em Jericó que foi perdoada junto aos seus de família; assim o que sempre vale é a consciência diante de Deus.

- AINDA DOUTRINA

O amasiado é uma parte finíssima na Obra de Deus, não se tem tido uma liberdade em poder atende-los cada semana, pois tantos são os casos apresentados. O plano de Deus só Ele é quem os conhece; onde há o Espírito Santo há liberdade. As vezes um casal amasiado vivendo no erro, ao receberem o Espírito Santo é iluminado e sente o que deve fazer pois entrou no conhecimento da doutrina. É uma parte delicada essa questão; e uma parte delicada é aquela dos que ainda não chegaram a altura madura para poder dar o necessário esclarecimento, convindo nesse caso deixar parado até que Deus venha com sua luz esclarecer o que ainda na lhe foi dado compreender.

- SANTA CEIA

No cumprimento desse sacramento, o pão deve vir inteiro para a mesa; para ser usado não deve ser cortado com faca. Não deve ser pão doce, porém pão comum; a bandeja pode ser apropriada, assim como pode ser um simples prato. Deve ser usado um cálice e não copo e nem cálice pequenino de aperitivo; os irmãos de fora podem pedir um modelo ou comprar o cálice aqui em São Paulo.... - ...O vinho deve ser tinto, feito de uva “o fruto da vide, como diz o Evangelho”. Não há bebida alguma ou qualquer refrigerante ou refresco que possa substituir o vinho na Santa Ceia; se não há vinho é impossível realisa-la. ..... - Lembremo-nos que o povo de Deus muitas vezes não tendo cultura é sábio e nota tudo o que está fora da palavra. A santa ceia deve ser feita a tarde ou a noite e nunca pela manhã.

- CARTA DO SERVO DE DEUS IRMÃO LOUIS FRANCESCON

Por ocasião destas reuniões gerais foi lida que bastante confortou a quanto ouviram a seguinte carta desse servo de Deus:

Fevereiro 20, 1961.

“L. Francescon aos meus caros irmãos anciães, cooperadores, diáconos e administradores presentes a reunião anual que tendes em 29 de Março a 1º de Abril próximo na cidade de São Paulo. A Paz de Deus seja multiplicada. Com a ajuda de Deus vos posso enviar também neste ano estas poucas linhas, no geral, baseadas nas Sagradas Escrituras, afim de que vosso progresso em tudo cresça num templo santo ao Senhor.......”

- INSTRUMENTOS MUSICAIS

Existem instrumentos para músicas sacras e instrumentos para músicas profanas. Esses últimos são para moverem com a carne porém os de músicas sacras para moverem com o espírito. Na Obra de Deus nossa carne está sacrificada com Cristo e vivemos em espírito; o som dos últimos instrumentos em referência, preenchem o efeito das palavras do espírito. Assim não se adotam em nossos conjuntos musicais, violões, banjos, bumbos, cavaquinhos, bandolins, e alguns outros instrumentos desse gênero. Todavia não e proibido tocar esses instrumentos em casa; não se pode dar mandamento nessa parte, proibindo-se somente nas casas de orações. Existem irmãs que estudam harmônicas, porém convém deixar claro a todos que nas congregações só é permitido a irmãs tocarem órgãos. Outros instrumentos podem estudar e são livres, porém só para tocarem em suas casas. Sabe-se que uma irmã diz haver tido uma revelação para tocar harmônica nos cultos, está errado, pois os irmãos anciães se sentiram há tantos anos em os tirar. Estará ela então certa e os irmãos anciães errados?

O Senhor tem esclarecido aos irmãos anciães de as excluírem dos conjuntos musicais, a não ser no órgão, ficando assim impedida toda e qualquer oportunidade para o inimigo causar dano à Obra de Deus.

- PREGADORES EXTRANHOS A NOSSA FÉ

Em hipótese alguma jamais devemos convidar ou permitir que pregadores de outras denominações ou de seitas se levantem perante o povo de Deus para pregarem a Palavra em nossas casas de orações. Se porventura se levantassem e lançassem entre a irmandade uma doutrina extranha, o único responsável seria o servo de Deus que, deszmazeladamente cedeu o seu lugar a quem não devia. Os servos de Deus são suficientes para explicar as coisas de Deus, não obstante algumas vezes a astúcia do adversário. Veio a nosso conhecimento que Americanos de seitas dizem que precisam estudar um meio de se infiltrar na Obra de Deus no Brasil; todavia as suas manobras são conhecidas e que já ocorreu quando um, tentou assim fazer na casa de oração do Brás, quando o Senhor guiou um seu servo para impedi-lo. Isso é importante para os irmãos anciães que tem grande responsabilidade pelo rebanho e pela Obra de Deus. Não se pode dar entrada em nosso meio de pessoas extranhas a fé, quer de seitas, quer políticos. Nessa última parte em especial o povo de Deus é livre, no entretanto nunca devem apoiar àqueles que negam a existência de Deus. Não se respeita a qualidade da pessoa, não se dando liberdade a quem quer que seja extranho a fé e a doutrina da Congregação. Nada temamos pois Aquele que está conosco é superior a todos e o Senhor nos tem posto como atalaias. Ele nos guarda dos destruidores, especialmente daqueles que arruinaram a Obra de Deus na Itália, na Argentina e na América do Norte. Esses grupos de Americanos, afirmam que não saíram dos fundamentos no entretanto sabe-se que, em tudo se afastaram do que o Senhor deu por revelação a seu servo ensinar. Vemos como é diferente o nosso espírito e o que os domina: nós oramos constantemente para que Deus os abençoe e os ilumine e em contra-posição eles estudam meios afim de destruírem a Obra de Deus.

- AJUDANTES PARA TRABALHAR NA OBRA DE DEUS

Os servos de Deus não necessitam de ajudantes ou auxiliares não colocados por Deus; existem casos de servos que inadvertidamente solicitaram a irmãos que se exoneraram de seus cargos de cooperadores, ou procuradores em outras localidades, para ficarem colaborando com eles, para ajudarem a Obra de Deus a progredir. Mais tarde muitos se arrependeram, pois tais irmãos não tendo sido colocados por Deus, porém pelo homem, vieram a dar muito trabalho. Houve até um caso em que por fim o Senhor teve que recolher deste mundo a um desses perturbadores, cumprindo-se assim o que vem dito na Palavra de Deus: “Maldito o homem que confia em outro homem”

- QUADRO REVELAÇÃO DO IRMÃO LOUIS FRANCESCON

O Senhor preparando não há mal algum em se ter no saguão de uma casa de oração a inscrição em um quadro da revelação que o Senhor deu ao irmão ancião Louis Francescon e que se encontra no preâmbulo do Estatuto da Congregação. No entretanto convém que seja uma coisa em ordem e em proporção em tamanho, com o local onde venha a ser colocado. Não há mal algum nisto como não há lei sobre o caso.

- QUADRO EXTERNO COM HORÁRIO DOS CULTOS

Pode ser usado nas grandes cidades com especialidade, uma pedra geralmente de mármore ou granito que será colocada em um canteiro na parte externa da casa de oração quando própria, onde poderá ser gravado horários dos dias de cultos.

- REUNIÃO PARA COOPERADORES E AUXILIARES DOS CULTOS DE JOVENS E MENORES

Fica abolida essa reunião que era costume ser feita no último sábado de janeiro de cada não. Não deram bons resultados, trazendo até determinada confusão entre irmãos cooperadores de cultos de adultos com os de menores. Esses últimos vinham a essas reuniões, faziam perguntas e as vezes não interpretando as respostas que Deus dava oportunidade em serem dadas, entravam em choque com os cooperadores e mesmo anciães da comum congregação de sua localidade; essas reuniões assim, em vez de proveito, traziam transtornos causando as vezes sérios aborrecimentos. De agora em diante quando os cooperadores das reuniões de Jovens e Menores desejarem saber alguma cousa, que busquem o ancião local ou aqueles que atendem a sua cidade. Esses anciães devem se esforçar para assistir uma ou outra vez a reunião de Jovens e Menores, tendo oportunidade então em ver si tudo corre em ordem.

- CULTOS DE JOVENS E MENORES

É importante que se doutrinem os filhos enquanto estão sob o domínio dos paes. A semente da palavra de Deus semeada em seus corações na infância frutificará quando forem adultos; e assim, se alguém se desviar indo para as coisas mundanas as palavras que então ouviram na infância estarão tinindo em seus ouvidos chamando-os a razão para voltarem ao caminho da Verdade. Os anciães devem prestar toda a colaboração a esse trabalho da Obra de Deus, dando o exemplo ao enviar seus filhos às reuniões. Alguns irmãos relegam esse serviço a um plano inferior, porem si se ensina a doutrina e a Palavra da Verdade aos pecadores e a todos os homens, como não as ensinar aos nossos próprios filhos? Nossos filhos bem doutrinados e firmes nas coisas de Deus não são úteis somente em seus lares e na Igreja, são de utilidade até para a Nação e para a sociedade. Nossos filhos são guiados a fugir do erro e da corrupção do presente século.

- OBRAS DA PIEDADE

Esta parte não é mandamento nem lei que devemos estabelecer; sempre houve na Obra de Deus, a piedade atendida por diáconos e algumas irmãs cada qual em sua comum congregação. Hoje nesta Capital, a Obra cresceu grandemente e Deus permitiu que há alguns anos passados se iniciasse em comum o ser atendido a piedade, instituindo um grupo formado por diáconos e irmãs de quasi todas as congregações dos arredores de São Paulo. Reúnam-se aqui no Brás por ser uma congregação central, .... - ....Ocasionalmente surgem casos de necessidade que se nota a mão de Deus estar sobre eles, castigando-os por desobediência; esses casos costumam então deixar para o fim das reuniões quando novamente oram especialmente para eles. Se o Senhor nada responde, ficam em paz, no entretanto si responde, atendem prontamente sem colocar objeções. Os irmãos e as irmãs põem em prática o que aconselhou o servo de Deus irmão Louis Francescon: Deus castiga mas não abandona, faz a ferida porem a enfaixa..., Todavia se fazendo guiar pelo Espírito Santo que nos é enviado para nos guiar em toda a Verdade. É solicitado aos irmãos cooperadores a incentivar a irmandade a colaborar nessa parte e também para viagens de servos de Deus.

- FREQUENTAR SEITAS

Tem existido no meio da irmandade irmãos que não se satisfazendo, aliás, acham talvez, que o que o Senhor envia pelo Espírito Santo nas congregações não é suficiente para saciar suas almas buscando assim ser alimentados pela sabedoria humana, freqüentando seitas onde predomina o saber e a ambição do homem. Até no espiritismo tem ido irmãos nossos; aquele que iluminado pelo Espírito Santo deve saber discernir a moeda falsa da verdadeira. Sabemos por quem somos guiados e quem opera em nosso meio; todavia, não é possível ser admitido que nossos irmãos freqüentando seitas e denominações extranhas a nossa fé possam ser considerados nascidos da água e do espírito como um fiel que tem aceito o Senhor nosso Jesus Cristo como o seu único e Pessoal Salvador. Assim devem taes irmãos serem exortados com veemência e, si porventura não renunciarem a taes habitos, não serão mais considerados como irmãos e impedidos assim da comunhão da Igreja. Existem irmãos que tem em si o desejo de ser pregadores, não possuindo para tal o Dom de Deus, em casos taes alguns tem ido para seitas onde lhe dão a liberdade desejada. Devemos nos guardar desses espíritos de ambição e inveja pois mais tarde ou mais cedo o Senhor esclarece o que se encontra no coração daquela pessoa.

- CIRCULARES FEITAS FORA DA CAPITAL

A não ser no Estado do Paraná onde a Obra de Deus vem tendo grande surto e os irmãos anciães deliberam tudo em conselho, não pode ser admissível que se faça circular espelhando-se no meio da irmandade, especialmente pedindo auxílio para qualquer caso particular da comum congregação, o que já tem ocorrido. Isso está completamente fora dos ensinamentos que até então temos recebido. Qualquer circular que se fizer convém passar pelos irmãos anciãos em São Paulo que, com mais experiência deliberarão o caso e se for necessário também a assinarão.

- NOVOS ESTATUTOS

Na reunião do ano passado falou-se que este ano seriam submetidos a apreciação da irmandade os novos estatutos; todavia, devido a constantes viagens de alguns irmãos anciães ainda não houve tempo. O assunto foi levado ao servo de Deus irmão ancião Louis Francescon, por alguns irmãos anciães que ali estiveram em missão em Chicago, juntos em oração foram concluídas as alterações necessárias, guiados e orientados pelo Senhor.

- MUDANÇA DE ANCIÃES E COOPERADORES

Geralmente a mudança de um irmão ancião para uma localidade onde já existe a Obra e um cooperador a frente dela, ocasiona perturbação e muitas vezes provoca até divisão e partidos. Se existe um cooperador é natural que ele fique enciumado com a vinda e mudança de um ancião para a sua cidade. Quem recebeu a graça de Deus sendo instável nas coisas desta vida também o será nas coisas espirituais. Deixar o lugar onde o Senhor o colocou faz parar a prosperidade do ancião se bem que ele não tenha fronteiras para atender a Obra de Deus. Entretanto existem casos que são necessários serem meditados; não se pode imputar como desobediência a mudança de um irmão de uma localidade onde não possa mais subsistir materialmente. Deus vê a necessidade e sabe que não é por inconstância ou falta de zelo pela Obra mas por motivo de força maior; entre nós existem casos de irmãos que foram forçados a assim agir e o Senhor continuou abençoa-los na nova localidade para onde se destinaram. No entretanto existem casos de irmãos que receberam forças para resistir a miséria e a fome e o Senhor ao fim lhes deu a vitória e libertação. Que cada qual se faça guiar da parte de Deus procurando obedece-lo; temos visto famílias que se moveram sem ordem da parte do Senhor e sofreram duros castigos tendo que voltar para o lugar de onde tinham saído.

- COMPARECIMENTO A ESTAS REUNIÕES

Não se devem trazer irmãos que não estão investidos de ministério; tanto se tem falado sobre esse assunto e os irmãos já deveriam ter atendido. Se ouvissem os conselhos evitar-se-iam aborrecimentos. Nesta reunião se tem visto que até esposas acompanharam seus maridos servos de Deus, contrariando os ensinamentos já dados.

- LOTERIAS, RIFAS E CESTAS DE NATAL

É determinação da Palavra de Deus que um resgatado no sangue do concerto eterno não se envolva em jogos de qualquer espécie, muito menos sendo tentado a comprar loterias, rifas, cesta de natal ou outra qualquer espécie de jogos. Ocorreu em uma cidade do interior do Estado de São Paulo que um irmão foi sorteado na loteria com determinada importância, imediatamente a irmandade ficou alarmada. Como o irmão pertencia ao conjunto musical, foi deliberado então que fosse afastado, e tirado toda a liberdade nos cultos. Quem joga, compra bilhetes de loteria ou rifa perde a liberdade não estando mais em comunhão na igreja; todavia, poderá continuar a se congregar até que Deus mostre novamente os frutos desta alma. Com referência a cesta de natal é a mesma coisa pois a pessoa compra comestíveis que vem nessas cestas que valem por suposição dois mil cruzeiros e pagam o dobro. A intenção está no prêmio que corre pela loteria. Todos também são exortados a se abster da idolatria não só aquele que se refere a ídolos e imagens assim como em qualquer aspecto que se apresentar. Os servos de Deus devem advertir o povo, os anciães e cooperadores são atalaias e só Deus é o Senhor.

- MISSÕES NA OBRA DE DEUS

Foi dada oportunidade ao irmão ancião Miguel Spina em relatar a viagem em missão que preparado por Deus fez a Chicago, América do Norte, Portugal e Espanha, no primeiro país, juntamente com os irmãos anciães Rizzieri Lavander e Vitório Angare. Acompanhou-o também o irmão Francisco Gonzáles Garcia, que foi até Portugal e Espanha. Nesse país o servo de Deus esteve preso juntamente com os irmãos que o acompanharam por haver realisado um batismo determinado por Deus; todavia tudo foi para testemunho da Obra de Deus. Trouxeram todos os servos de Deus saudações de toda a irmandade onde o Senhor preparou visitassem, assim como os servos de Deus, irmão ancião Louis Francescon, a quantos hoje se encontram aqui reunidos e que também fossem portadores a irmandade das respectivas localidades. Na viagem a Espanha foram acompanhados por dois irmãos de Portugal, sendo um o irmão ancião José Batista do Nascimento. Levantaram-se também em testemunho os irmãos: ancião Samuel Grecco e diácono Luciano Leo, da igreja de Chicago, os quaes expressaram sua alegria por se acharem em visita a Obra de Deus aqui no Brasil, aproveitando a oportunidade para tomarem parte nesta reunião. Transmitiram saudações de toda a irmandade daquela cidade, assim como também do irmão ancião Louis Francescon. Foi ouvido a testemunhança do irmão ancião José Batista do Nascimento, do Porto, Portugal que o Senhor preparou se encontrasse presente que se confessa maravilhado com tudo o que Deus está lhe dando oportunidade em contemplar nesta visita a Sua Obra no Brasil. Trouxe as saudações dos servos de Deus de Portugal, de toda a irmandade e especialmente do irmão ancião Domingos de Sá. Dizendo mais que a Obra de Deus em Portugal demorou em florescer porém hoje os seus olhos choram de alegria ao ver as casas de oração repletas. O Senhor tem tudo aplainado pela Sua Palavra vem sendo recebida a vitamina para o espírito não só em Portugal assim como nas províncias ultramarinas e agora também na Espanha. Ainda o Senhor preparou que se encontrasse em nosso meio o irmão Manoel Lourenço Tubia da Espanha, para cujos familiares foi feito o batismo nessa nação.

DIRETORIA ADMINISTRATIVA - Terminaram estas reuniões de ensinamentos com a assembléia geral realisada no dia 1º de abril quando foi reeleita para o lustro 1961/1966, a seguinte administração:

Presidente: Antonio Marques

Secretario Geral: Reynaldo Ribeiro

Vice-Secretário: Gregório Ros Soto Filho

Tesourreiro Geral: Paschoalino Danielo

Vice-Tesoureiro: José Baltazar Affonso

Conselho Fiscal para o ano de 1961: Antono Di Pompo

Rufino Lopes da Silva

Miguel D’Angelo

Suplentes: Arnaldo Herbet; Jeremias Guido e Ângelo Lavander

= TÓPICOS - ASSEMBLÉIA DE 17 A 20 DE ABRIL DE 1962

= PREGAÇÃO:

- Palavra: S. Tiago, cap. 1, v. 16/18 (Por um dos servos presentes):

....Ai de nós, si Deus mudasse o que está escrito; passará o céu e a terra, mas a Sua Palavra não passará. Muitos outros exemplos, Deus nos deixou mostrando que a Igreja precisa ser alimentada e nutrida com o que vem do Alto. Os dons perfeitos que Deus derramou é que edificam a Igreja. Esses dons não são dados para que sejamos engrandecidos, glorificados e honrados, porém para edificar a Igreja, até que seus componentes cheguem à medida de varão perfeito.

....Na igreja às vezes existem dons que não vem do Alto; muitos falam linguagem mas sua vida é um horror. Se falassem pelo Espírito Santo, Este dirigiria suas vidas pelo caminho do bem; pode existir também o caso de algum pregador que prega bonito, mas sua vida é de pecado. Acaso Cristo é ministro do pecado? Permite Ele que a pessoa permaneça no pecado e ensine a Igreja? Qualquer um está sujeito ao erro, mas o que não é admissível é permanecer no erro. Examina a tua vida, se tu pregas bem, mas se tua vida é vida de horror, olha que Cristo não está contigo. Todo dom perfeito vem do Alto; como pode o que sai de uma boca aperfeiçoar os outros e não a ti próprio? .....

....Quem é guiado por Deus cumpre o seu ministério e nada lhe acontece mas, o que se aventura sozinho, fica embaraçado, vem sobre ele as trevas e com elas também o demônio. Ele é o príncípe das trevas, rei da confusão. Se tu pregas a Palavra sem ser pelo Esírito Santo, olha que vem as trevas sobre ti;.....

....Quem permanece no erro não ama sua alma e nem a Obra de Deus; lembra-te que todo dom perfeito vem do Alto não vem da tua escrivaninha, nem da tua biblioteca, nem dos teus livros. .....


Última edição por Admin em 25th Julho 2010, 4:49 pm, editado 1 vez(es)

Admin
Admin

Mensagens : 1049
Pontos : 2451
Data de inscrição : 24/05/2009

http://oulorivallan.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Todos os tópicos de ensinamentos da CCB 1961em diante Até 2010

Mensagem por Admin em 25th Julho 2010, 4:01 pm

= TÓPICOS DE ENSINAMENTOS - 1962:

- ASSUNTOS EM PAUTA PARA ENSINAMENTOS

Antes de serem feitas as explanações sobre os assuntos em pauta o servo de Deus que presidia o serviço lembrou a todos que, Deus permite que erremos para então vir o ensinamento necessário. Porisso estamos sujeitos a errar, errar é humano, o que não podemos é permanecer no erro. Se tropeçamos em algum ponto, procuremos para o futuro não cair nesse mesmo ponto, antes devemos conservar essa experiência. Sendo a Palavra, luz aos nossos olhos e lâmpada aos nosso pés, só cae quem quer. Pela “Mensagem”, Deus nos diz que quer provar o Seu povo, pois a viagem é longa; é como um exército onde os soldados são adestrados. É por essa razão que o Senhor tem preparado estas reuniões, para termos os ensinamentos, vermo-nos face a face e conservarmo-nos unidos na fé que uma vez foi dada ao santos.

- SANTA CEIA

Foi apresentado o caso de um irmão cooperador do Ofício ministerial que recusou perdoar a uma irmã nas proximidades da santa ceia, só porque conhecia a vida dessa irmã e julgava que ela não merecia ser perdoada e participar do corpo e do cálice do Senhor. Chegando o caso ao conhecimento dos servos de Deus, aquele cooperador após muitos conselhos entendeu e chegou a uma compreensão e perdoou a nossa irmã. Não devemos nos carregar dos pecados alheios, antes como nos ensinou o Senhor Jesus, devemos perdoar a quem faltou contra nós até setenta vezes sete ao dia. Se a pessoa se arrepende com sinceridade, Deus a abençoa; porém si é com fingimento ela terá que prestar contas a Deus. De nossa parte, cumpre-nos perdoar e permitir que a pessoa tome a santa ceia; Cristo não negou a santa ceia nem a Judas Iscariotes.

- CASAIS AMASIADOS

No Brasil não existindo a Lei do Divórcio, casais em tais condições, quando em impedimento legal, não podem casar-se; no entretanto sempre se apresentam pedindo batismo. A Palavra de Deus é universal; lei alguma pode impedir a sua execução. Não há lei que não tenha sido posta por Deus; porém os homens procuram desvirtuar o que na Palavra de Deus é determinado. Nós aceitamos a Palavra de Deus em toda a sua plenitude. O servo de Deus nosso irmão ancião Louis Francescon aconselhou-nos, quando não fosse possível resolver o problema de um casal em tais condições, que se levasse diante do Senhor, realisando após aquilo que Ele fizer saber. Orando-se, o Senhor que tem todos os corações em suas mãos, faz compreender Sua vontade no caso. Ignorando-se o motivo da separação, sempre se apresenta ao Senhor. Não sendo por motivo de infidelidade matrimonial, que é o único caso que o Senhor permite divórcio, apresentando-se um casal, não se pode impedi-lo pois tudo o que cometeram, foi no tempo do pecado e tudo o que foi feito nesse tempo, o Sangue de Cristo lava de todo o pecado. No entretanto sempre se ora em casos tais. Sendo a pessoa selada com o Espírito Santo não se pode impedir a obediência ao sacramento do batismo. Si alguém perguntar ao servo de Deus que tem conhecimento de casal amasiado que batisou-se, ele responderá que o Senhor foi Quem determinou fazer o batismo, pois se são almas predestinadas a vida eterna, mais cedo ou mais tarde o Senhor operará. Em um casal amasiado, ambos sendo solteiros, não podem ser considerados como irmãos si não se casarem; este assunto não é para ser pregado na Igreja.

- PASSES LIVRES NAS ESTRADAS DE FERRO

Não havia ensinamento sobre esse assunto; não somos impedidos em recebe-lo, no entretanto a Congregação não deve agradecer porque em regra geral tais ofertas, tem sempre um fundo político. Todavia sendo o caso movido pelos diretores de estradas é de se agradecer pessoalmente; embora não sejamos políticos devemos cumprir os nossos deveres de educação e de cidadãos, embora não se traga para a Congregação, facções partidárias de qualquer espécie.

- DOUTRINA - MINISTÉRIO DE ANCIÃO - DIÁCONOS - COOPERADORES DO OFICIO MINISTERIAL

O ministério do diácono é muito importante na Obra de Deus, é o ministério da piedade, é um complemento distinto da Palavra de Deus. O ancião e cooperador têm um ministério e o diácono tem outro completamente distinto. Deus se usou de Felipe para batisar ao Eunuco porque Felipe era também evangelista. Quando ficou constituída a Igreja Apostólica e havia tudo em comum os apóstolos sentiram-se da parte de Deus em constituir diáconos para atender as mesas, ou seja as necessidades materiais do povo de Deus e foram ordenados diáconos, sete varões de bom testemunho, cheios do Espírito Santo. Vindo por essa ocasião da perseguição, dispersaram-se os discípulos e, por onde passavam anunciavam o evangelho e batisavam; assim Felipe não batisou porque era diácono porém porque era evangelista também. Não se pode por uma barreira ou u’a medida para o Espírito Santo que se usa de cada um como o Senhor determina. O ministério do diácono é excelente e fino, nele se manifestam grandemente as virtudes da paciência e da humildade. Os anciães e cooperadores no ministério da Palavra, e também esses Deus os tem constituídos para substituírem os anciães, menos em batismos e santa ceia. Deus tem se usado de irmãos grandemente abençoados e cheios do Espírito Santo neste ofício de cooperadores.

Numa Congregação onde existe ancião, cooperador e diácono, na falta do ancião o cooperador deve presidir o culto. Quanto a ler a Palavra não podemos pôr limite; se o diácono se sente de ler, tem liberdade. Alguns diáconos tem o dom da Palavra e outros não o tem; não é necessário que o diácono tenha o dom da Palavra, seu ministério é diferente. Mas na ausência do ancião e do cooperador, compete ao diácono presidir ao serviço e também fazer unções sobre enfermos. Si ele não tem o dom da Palavra, pode dar oportunidade a quem Deus levantar. O modo como o Senhor opera para constituir um cooperador é diferente do modo que são ordenados os anciães ou diáconos.

Tantas e tantas vezes um irmão sente-se de levar o testemunho a uma determinada localidade; quando então passam a se reunir em uma sala. Começa assim a obra, vae aumentando, são feitos os batismos, o irmão vae lendo a Palavra e Deus vae desenvolvendo nele o dom. Posteriormente surge uma congregação ficando esse irmão atendendo a essa Obra. Outros cooperadores são constituídos para atender obra já existente, mas de ambas as maneiras é diferente da ordenação do ancião e diácono. Esses são ordenados com imposição das mãos do presbitério e só são ordenados si tem a Promessa do Espírito Santo. Os cooperadores tem o mesmo trabalho dos anciães; só não efetuam batismos e não presidem os serviços de santa ceias. Embora nem todos tenham ainda o dom do Espírito Santo com evidência de novas línguas, tem entretanto em si o dom de Deus pelo qual Este dispensa Sua Palavra ao povo. São estas as funções diferentes umas das outras destes três ministérios. Cabe a Igreja orar a Deus para que Ele levante mais obreiros também nessa parte de Sua Obra.

- SOCIEDADE BÍBLICA DO BRASIL - NOVAS BÍBLIAS

Foi relatado os resultados de u’a missão junto a Sociedade Bíblica do Brasil sobre o caso das Bíblias novas editadas por essa Sociedade. Estas Bíblias são da edição originada de uma versão e revisão das Bíblias do padre João Ferreira de Almeida e Grega. A comissão que trabalha nesta versão empregou termos atualizados populares da língua portuguesa do Brasil, entretanto essa adaptação prejudicou um pouco o sentido e principalmente alterou a forma com a qual nossa irmandade está habituada. Sentiram-se os servos de Deus em oração de enviarem alguns irmãos ao Rio de Janeiro em Junho do ano passado. Lá foram muito bem recebidos pela diretoria da Sociedade Bíblica e Deus preparou de serem atendidos no que foram solicitar. Bíblias impressas pela versão antiga de Almeida. Sendo assim em Maio do corrente ano esperemos ter essas Bíblias na nossa disposição conforme prometeram. Oremos para essas pessoas para que Deus as abençoe nesse serviço de distribuição das Escrituras, já que nesta contingência as evidências e maneira gloriosa pela qual Deus guiou aos seus servos, há alguns anos atráz ao lhes fazer sentir que deveria a Congregação contribuir para auxiliar a Sociedade Bíblica. Assim sendo a Congregação a maior contribuinte e a maior consumidora de Bíblias, tivemos força moral para expormos nossa opinião sobre o caso das Bíblias novas e Deus nos deu plena vitória.

- CASA DE ORAÇÃO QUE FOI DE SEITA

Em determinada localidade uma pessoa que ainda não obedeceu ao sacramento do batismo, quis ofertar-nos o prédio onde atualmente se realisam cultos de determinada denominação religiosa. Não aceitamos essa oferta, pois poderia parecer uma provocação; o que não queremos para nós não devemos fazer para os outros.

- FALECIMENTO DOS IRMÃOS FRANCISCO ROMANO GUILHERME E JANUÁRIO TETTI

Foi notificado a todos os presentes o falecimento daqueles dois servos de Deus. O irmão Romano a 3 de fevereiro e o irmão Januário a 26 de março, ambos no corrente ano. Foram obreiros que muito trabalharam na Obra de Deus,

- MANDAMENTOS

O povo de Deus aumenta; muitos sem entendimento ainda das determinações da Palavra de Deus trazem para o meio da irmandade certos costumes e moda perniciosa e de má aparência. Não podemos entretanto determinar às irmãs se vestirem como freiras no entretanto podemos exorta-las porém, não obriga-las a se vestir com vestidos até aos pés e fechados até ao pescoço e mangas até nas mãos. Todavia não podemos deixa-las em modas livres e decompostas acompanhando o modernismo, fazendo-lhes ver que não se devem vestir escandalosamente pois tal não é a porte de uma serva de Deus. Tudo o que é para o bem da Obra de Deus traz ordem e testemunho devendo ser feito com entendimento e em conjunto. Pessoas que não estão decentemente trajadas, nem deveriam vir à frente testemunhar, pois assim estão mostrando que a Palavra de Deus não operou em seus corações. Todavia não se deve ser exigente demais, fazendo tudo com oração e com entendimento para que as irmãs mesmas aprendam como entrar na casa de Deus. Que se peça a Deus que envie a Sua Palavra pois vindo Ela pelo Espírito de Deus acomoda a situação e assim todos igualmente procedamos no amor de Deus e no entendimento mútuo.

Si surge uma desobediência, convém dar o conselho e deixar nas mãos de Deus. Tem os servos de Deus que pedir para o Senhor mandar a Sua Palavra que é como um trator; arranca as coisas existentes no coração do crente. Pois o povo é de Deus; assim temos que esperar que Deus faça a Sua obra nos corações; um conselho é bom, porem o Senhor mandando a Palavra é melhor ainda, pois os servos de Deus querendo falar acabam por dar um mandamento. Existe servo de Deus que ensina com exagero, com zelo demasiado na Obra de Deus; ninguém pode se constituir como autoridade sobre a herança de Deus. A Palavra de Deus é que remodela e remove as dificuldades. Não podemos impôr mandamentos; não podemos ter domínio. O que é vaidade o Senhor é Quem tira com Sua Palavra.

- OBRA DE DEUS NA ARGENTINA E BOLIVIA

Levantou-se o irmão Ricardo Rebuffo, de Buenos Aires (Vila Lyneh) fazendo um rápido histórico como começou a obra na República Argentina. Em 1909 chegou o testemunho a eles por intermédio dos servos de Deus, irmão Louis Francescon e Giacomo Lombardi, vindos de U. S. A. A Obra prosperou grandemente espalhando-se por quase todo o país; entretanto de uns tempos para cá, as coisas não seguiram como deviam seguir. Alguma cousa que não convém a sã doutrina infiltrou-se no meio da Igreja e entrou a desunião danificando a obra. Nas reuniões, como a que estamos assistindo aqui, deveríamos ter também um grande número de irmãos de todas as partes, mas pela divisão não foi possível isso, a divisão não serve. Ela não nos leva a nada bom; é permanecendo unidos que Deus agrega a nós os que devem ser salvos conforme Deus mandou Sua Palavra ainda nesta manhã “O dom perfeito desce do Alto”. Vós vos reunis sob estas palavras: Em Nome do Senhor Jesus e tudo é feito por Ele entre vós. Quanto a nós da Argentina, não queremos que a mão do Senhor se afaste de nós, mas sim que continue a nos levar avante.

- OBRA DE DEUS NO PARAGUAI

Já tem o Senhor Sua Obra em Assunção, Capital do Paraguai. Já foi efetuado o batismo e existe uma sala de oração onde diversas almas se congregam. Um dos irmãos batisado recentemente levantou-se e testemunhou perante todos nesta reunião dando graças a Deus, pela salvação de sua alma e pelo conhecimento dessa graça e pediu as nossas orações pela Obra de Deus naquele país.

- IRMÃOS BOLIVIANOS

Deu-se oportunidade a três futuros irmãos de La Paz, capital da Bolívia, pertencentes a uma seita evangélica de fundação estrangeira; eles se interessaram pela Obra de Deus, quando receberam o testemunho por um irmão que foi para aquele país, e quando há alguns meses se aprouve enviar um irmão ancião no meio deles, sentiam-se convertidos ao Senhor e desejaram vir assistir estas reuniões. Confessaram-se cheios de júbilo e consolação por ouvirem os benditos conselhos que Deus está enviado, desejando retornar logo para seu país afim de testemunharem o que viram e ouviram. Estão cansados de padecer sob o jugo humano, debaixo de ordens de pessoas que não tem a guia do Espírito Santo e que só visam auferir lucros pregando o Evangelho. Assim pedem nossas orações para que Deus estabeleça Sua Obra entre eles. Também o Senhor deu ao seu servo irmão ancião Luiz Sanches que visitou os dois países, Argentina e Bolívia há alguns meses atráz, em fazer um relato sobre a missão determinada da parte de Deus juntamente com o seu companheiro de ministério, irmão ancião Vitório Angare. Estiveram na Argentina (Buenos Aires e Mondeza) e nesta última localidade o Senhor deu de pôr em ordem todas as coisas conforme havia necessidade. Em Buenos Aires oraram ao Senhor e Este respondeu ser de Sua vontade que o irmão Ricardo Rebuffo viesse ao Brasil assistir esta reunião. Já em Janeiro deste ano o irmão ancião Luiz Sanches partiu para fazer batismo no Chile e na Bolívia, e em La Paz esteve atendendo a solicitação daquele grupo a que petencem estes três futuros irmãos bolivianos. Deus deu ao seu servo de ficar vários dias dando esclarecimentos e conselhos sobre como é esta graça e o que é a Obra de Deus. Vários deles louvavam a Deus e queriam romper com aquela organização imediatamente para obedecerem conforme os servos de Deus lhes estavam ensinando. Mas este com toda a prudência, aconselhou-os a ficarem provisoriamente como estavam até poderem vir a São Paulo e verem e ouvirem com seus próprios olhos o que é a Obra de Deus. Terão assim autoridade para orientar na verdadeira dotrina os que querem obedecer ao Senhor. Oremos por essas almas pois tem grande fome e sede de justiça; pelo que dizem, seus pastores não possuem alimento algum espiritual para lhes dar, somente lhes tiram o dinheiro.

- ORAR EM CASA DE IRMÃOS QUE TEM TELEVISÃO

Existem anciães e cooperadores que não oram em casa de irmãos que possuem televisão; não podemos ser tão rigorosos. Devemos ir orar sem olhar a essas coisas, assim como vamos orar para pessoas que não são crentes e não olhamos si existem rádio, televisão ou ídolos na parede ou à cabeceira da cama. Tem havido casos em que vamos a funerais de nossos irmãos, cuja família não é crente; os familiares colocam velas, crucifixos e todos os outros aparatos e, tem havido mesmo casos até em que o padre, após o serviço do funeral, entra para fazer o seu serviço. Não podemos impedir pois não podemos mandar nas casas dos outros. Isso não faz bem nem mal para o corpo do irmão que Deus levou, e não devemos ordenar que a irmandade saia da sala pois isso provocaria transtornos e confusão.

- RATEIOS

Os rateios eram feitos para atender necessidades momentâneas da Obra de Deus, porém não foram instituídos por meio de oração como comumente se faz para construções e outras necessidades. Determinaram os servos de Deus não permitir mais que os mesmos sejam feitos e nem que se use da Palavra rateio. Chegou a ser feito nesta Capital, num desses rateios até uma espécie de leilão e, assim começaram pelo espírito e acabaram pela carne, saindo fora da Palavra de Deus que nos recomenda: “não saiba a tua mão esquerda o que faz a direita”. ....

- CASAMENTO SEM SER DA VONTADE DE DEUS EMBORA CRENTES

Também nos casamentos entre crentes, quando não é preparado por Deus, as pessoas não encontram bênçãos e as vezes até recebem pesados castigos. Houve o caso de uma irmã que, estando noiva com um incrédulo, sendo repreendida e exortada pela Palavra desfez aquele noivado. Pouco tempo depois começou a namorar um irmão nosso; pediram a confirmação pela Palavra e o Senhor lhes respondeu claramente que aquele casamento não era de Sua vontade; se insistisse, vindo a realisar essa união, a pesada mão de Deus os castigaria. Estes dois irmãos apesar desta Palavra, resolveram se casar e o cumprimento do que veio pela boca do servo de Deus realisou-se, nunca tiveram um dia de felicidade; passaram por tudo; miséria, fome e enfermidades sobre a filha e por fim o marido adoeceu com gravíssima moléstia que o deixou paralítico e quase à morte. A esposa, então ao pedir oração para o próprio servo que lera a Palavra, chegou até a lhe pedir perdão, por não haver obedecido ao que Deus mandara pela sua boca. Depois de ser apresentado em oração, o enfermo começou a melhorar e já está andando; este exemplo deve ser conhecido por todos e ficar patente a toda mocidade.

- CASAMENTOS NA IDOLATRIA

Quanto ao que foi dito que não devemos entrar em templos de ídolos, sabemos que o ídolo nada é, mas se um irmão nos vê entrar nesses lugares, será induzido a participar também da idolatria e o culto da idolatria é o culto de demônios. Ferindo assim a consciência dos fracos pecamos contra os irmãos. Não podemos ir à festa e participar nos manjares de casamento de quem casa na idolatria, todavia ressalvando-se o caso de um irmão cujos familiares não são crentes e há em sua casa um jantar por ocasião do casamento.

- UNÇÃO PARA DESVIADOS OU PARA AQUELES QUE SE CASAM COM EXTRANHOS Á FÉ

Quando somos solicitados a fazer unção para esses, deixemo-nos guiar pelo Senhor. Só Deus é quem sabe o íntimo da pessoa; às vezes pode ser que Ele já deu o arrependimento ao irmão ou à irmã e já foi ao encontro da pessoa. Ao ungirmos a um e deixarmos de ungir a outro não estamos livres de sermos criticados e murmurarem contra nós, porém somos servos de Deus e não do povo. Estamos prontos a servir ao povo em tudo, mas a nossa guia vem do Senhor. Devemos com referência aos que casam com incrédulo ou se desviam, considerar as circunstâncias que levaram as pessoas a taes situações, ninguém está livre de tentações e fraquezas, porém só o Senhor é potente para dar o perdão.

- LITÍGIO JUDICIAL

Deus nos tem sempre guiado desde o princípio desta Obra, a nunca entrarmos em litígio judicial. A Congregação nunca deve envolver-se em casos que tenham de ser levados à Justiça terrena. Nos casos que tem surgido, com referência a imóveis do patrimônio da Congregação e pessoas que não pertencem à irmandade temos o Senhor Jesus como nosso advogado. Ele sempre nos tem dado a vitória, melhor é confiar N’Ele do que nos homens. E temos como ensinamento que é melhor perdermos e abrirmos mão quanto ao que nos exigem, do que litigarmos; se nos pedem a túnica, devemos também dar a capa. Houve um caso que o terreno da irmandade estava sendo prejudicado em sua largura, o visinho pretendia se apoderar de uma faixa de setenta centímetros. Os irmãos e principalmente os procuradores, desatendendo a orientação do servo de Deus que atende a região, levaram o caso perante as autoridades, constituíram um advogado, dispenderam dinheiro e tiveram muitas contrariedades. Ao ter conhecimento do caso dois irmãos administradores dirigiram-se então a localidade, sustaram o processo e requereram seu arquivamento, explicando tamém às autoridades que aos procuradores de uma localidade não assiste o direito em abrir processos judiciais. Essa competência é da alçada do Presidente da Congregação, com a assistência do Conselho de Irmãos Anciães. No caso em referência vendeu-se aquela faixa de terra ao vizinho e assim, foi eliminado este tão grande transtorno que afligia a irmandade.

- APRESENTAÇÃO EM FORMA TEATRAL DE PASSAGENS BÍBLICAS EM CULTO

Temos conhecimento que, nas reuniões para jovens e menores durante o culto, em alguns lugares do interior de São Paulo, surgiu a novidade de se fazer representações em forma teatral de trechos bíblicos. Não se deve assim agir com a Palavra de Deus; Ela deve ser temida, reverenciada e obedecida. Não podemos deixar passar essas coisas, transformando em abominação a Verdade de Deus e incutindo nas crianças o espírito de teatro. Rejeitemos pois essas coisas que não são determinadas pelo Senhor.

- IRMÃOS PERTENCENTES AO MINISTÉRIO QUE NÃO GOSTAM DE TRABALHAR

Para ensinarmos aos outros temos que dar o exemplo; irmãos que se encontram no caso em referência, vivendo à custa da irmandade dão um péssimo testemunho. Cada um precisa trabalhar para sustento próprio e da sua família.

- COOPERADORES DO OFÍCIO MINISTERIAL, PREPARAR-SE PARA ENFERMEIRO

Chegou ao nosso conhecimento que um irmão cooperador está fazendo curso de enfermeiro para que, quando chamado por um irmão enfermo possa levar a Palavra da Fé e também o medicamento. Isso está errado; compete ao servo de Deus quando chamado, levar ao enfermo só a Palavra da Fé. Como é possível ministrar a fé juntamente com o medicamento? Si existe no cooperador o intento de se aproveitar de seu cargo ministerial para aplicar o medicamento, ele não pode exercer o ministério. Essa resolução entretanto não se aplica à aqueles que já antes de exercerem o ministério tinham a profissão de enfermeiro, farmacêutico, como temos entre os irmãos, onde até médicos tem sido dispertos a esta Graça.

- HINOS QUE NÃO CONSTAM DE NOSSOS HINÁRIOS

Se tem conhecimento que em várias congregações estão cantando hinos que não constam de nosso hinário. Até irmãos anciães tem escrito hinos e determinam que sejam cantados em cultos e batismos. Já temos sido ensinados a não cantar hinos que não constam do nosso hinário; está em andamento a compilação do novo hinário e estamos fazendo traduções de hinos de Italiano, Inglês e Espanhol. Quanto aos hinos que a irmandade envia quase nada se vem aproveitando para o novo hinário. Os músicos devem executar os hinos tocando só o que está escrito, sem aumentar nem diminuir nem fazer passagens nem floreados, e nem tocar em menor. As cousas de Deus são santas quer nas Congregações ou em outro qualquer lugar. Espera-se no novo hinário modificar a clave de fá de vários hinos que tenham o ritmo de valsa, procuraremos dar a eles um sentido mais sonoro.

- COOPERADORES QUE DÃO LIBERDADE DE PREGAÇÃO A PESSOAS EXTRANHAS A NOSSA FÉ

Já temos tido inúmeros ensinamentos com referência a essa parte, mas tem chegado a nosso conhecimento que irmãos cooperadores sem entendimento dão liberdade a pastores ou quaisquer pregadores em ler perante o povo. Não é permitido, de maneira alguma. Somos responsáveis pelas ovelhas que Deus nos tem confiado e se alguns desses pregadores insuflarem no coração do povo de um veneno, ou uma nova doutrina, Deus pedirá contas a nós. Sejamos intransigentes e vigilantes nesta parte, caros irmãos, e não permitamos em hipótese alguma, que taes fatos se registrem. Quando algumas dessas pessoas, seja reverendos, pastores ou quem quer que seja nos visitarem, expliquemos-lhes claramente que podem nos visitar e ouvir a Palavra, porém quanto a pregar ou se manifestar não é permitido nem o povo aceita.

- OUVIR PREGAÇÕES EM RÁDIO OU TV

Nós temos a guia do Espírito Santo, não tendo necessidade assim em ouvir pregações por rádio, televisão, jornais e revistas. Não nos traz bom resultado ouvirmos, termos ou lermos essas propagandas que estão completamente fora da vontade de Deus. Temos que estar sempre acertados que é Deus que nos revela pela Sua Palavra para a distribuirmos ao Seu povo. Se nossa mente está cheia daquilo que temos ouvido pelo rádio, ou lido nas revistas e jornais, que alimento iremos dar ao povo? Iremos dar-lhes o alimento falso, já que muitas vezes calam em nossa mente o que temos ouvido, visto ou lido.

= ATA DA REUNIÃO EXTRA PARA AS IRMÃS ORGANISTAS REALIZADA A 22 DE SETEMBRO DE 1962

Às quatorze horas e vinte minutos iniciou-se esta Reunião, em Nome do Senhor Jesus, estando presentes os irmãos Anciães João Finotti, Luiz Sanches e Luciano Carbone, o irmão Miguel Oliva, auxiliar de Encarregado Geral das Orquestras, assim como alguns encarregados de Orquestra e demais irmãos, bem como irmãs organistas da Capital e arredores....

- REGULARIZAÇÃO DO SISTEMA DE EXECUTAR A MEIA HORA

Diversos servos de Deus tem comentado que, em muitas Congregações, as irmãs organistas executam os hinos da meia hora antes do culto, de uma maneira incompreensível e inadequada. Exageram no colorido, tocando às vezes muito alto; floreiam muito; empregam demasiada expressão. O hino acaba ficando irreconhecível. Quem ouve não sabe qual é o hino que estão tocando. Na Reunião de Encarregados de Orquestra deste ano tratou-se deste ponto importante, ou seja, o de se recomendar a todas as irmãs organistas a tocarem de modo mais claro, mais suave de maneira mais apropriada. É necessário que todas procurem tocar essa meia hora de maneira conveniente. Não é preciso tanto floreado, nem tanto colorido e nem muita interpretação; isso não se coaduna com o momento. ....

= ASSEMBLÉIA DE 1963 - TÓPICOS SÓ PARA MÚSICOS

= TÓPICOS - ASSEMBLÉIA DE 25 A 27 DE MARÇO DE 1964

= PREGAÇÃO:

= Palavra: II Coríntios, 3, versos 4 a 6.

.....Aquele que prega ao povo, porem em si mesmo não tem sua vida transformada, o povo entra na glória de Deus mas ele fica de fora. Por outro lado, si o Senhor abençoa bastante aquele que prega e ele começa se considerar muito grande, o Senhor acaba por lhe tirar tudo que já havia dado. Nesta Obra quem deve aparecer é Cristo e não nós, temos por exemplo um pintor e suas obras de pintura. Quando um quadro famoso é exposto e aparece nos jornais a fotografia do pintor, porventura é a fotografia da mão do pintor que aparece? Não é a fotografia da mão que aparece é a do rosto; assim é a cabeça do pintor que aparece. Nesta Obra é a mesma cousa, a cabeça é Cristo. Enquanto Cristo for Cabeça este povo terá grande força e nada o poderá deter; porém temos que deixar que Ele seja a cabeça entre nós. Si nos consideramos incapazes, nossa capacidade virá de Deus; porém si nos considerarmos capazes, estaremos sós. Portanto não estejamos preocupados da maneira pela qual nos apresentaremos ao povo de Deus. Pode ocorrer às vezes que o servo de Deus não tem ao menos uma roupa apresentável; isso não importa .

....Quando Deus chama uma pessoa ela conserva-se em seu devido lugar, com humildade; mas à medida que o Senhor o vai abençoando e revestindo, pode suceder que o povo ponha os olhos em nosso irmão e comece a engrandece-lo. O resultado é que, quem se ensoberbece cai na condenação, cilada armada pelo diabo. Lembremo-nos sempre que o único grande no meio de nós é o Senhor. Aquele que tem o espírito de grandeza, não irá adiante nesta Obra. É necessário tomarmos o exemplo de Cristo Jesus, revestindo-nos do espírito de humildade..... - Nunca se exaltou; nunca quiz ser grande. Recusou ser chamado “bom mestre”. Por conseguinte, irmãos, si o Senhor nos abençoa devemos dar-Lhe graças por tudo, mantendo-nos na humildade e Ele fará ainda uma maior obra entre nós.

= CONSELHOS EM CONTINUAÇÃO A PREGAÇÃO - 1964:

....O Senhor preparou um povo Seu, especial zeloso e de boas obras. Completar-se-ão 54 anos que Ele iniciou esta gloriosa Obra em nosso país.

....Paralalelamente a isso inúmeras são cartas que nos enviam convidando a que nos unamos com denominações. Nunca as respondemos. A igreja de Cristo jamais se unirá com seitas ou organizações de espécie alguma, permaneceremos sobre este fundamento: Cristo Jesus. Ele é a Cabeça deste glorioso corpo, que é a Sua Igreja. Ele a governa e dirige pelo Espírito Santo. Porisso é que esta Obra aumenta, progride. O Senhor realisa tudo por nós. Não possuímos propaganda, não temos pregações em praças públicas. Os servos de Deus não tem estudos de seminário; não damos dízimos e nem pagamos salários aos pregadores. - ... Se quebrássemos essa união e ligássemos a organisações humanas, o Senhor se retiraria de nós. Ele não precisa de nós.

....Recomenda-se aos servos de Deus a que permaneçam fiéis como os que receberam os talentos e grangearam outros. Que tratem o rebanho sobre o qual estão colocados, com amor e tolerância, esperando de Deus a orientação e a guia. Não se guiem por si próprios, também não devemos permitir interferências das esposas, no ministério. Quem se deixa dirigir pela esposa não é servo de Deus, mas da esposa. Si nossa esposa nos deseja aconselhar sobre alguma falta nossa que ela tenha notado, isso é outra cousa. Devemos aceitar e procurar corrigirmos; porém si ela nos vem trazer comentários e novidades de uma e de outros, não aceitemos. É conveniente que o servo de Deus fique alheio aos comentários sobre as cousas que correm entre a irmandade, .....

.... quanto ao que já foi falado sobre as denominações evangélicas, de fato inúmeras são as propostas para que nos unamos. Mas a resposta nossa tem sido sempre a mesma. Não nos uniremos com denominações alguma e, assim lhes temos sempre fechado as portas. Não despresamos ninguém porém, queremos nos conservar livres. Em nosso meio existem pregadores e até pastores que aceitaram esta graça. Mas não vieram para pregar, e sim para estarem assentados ouvindo somente a Palavra que Deus dispensa a Seu povo.

.... Vemos portanto como Deus opera em nosso meio e certamente continuará a operar, porém temos que permanecer firmes neste fundamento, na humildade e sinceridade, fazendo tudo com oração, deixando-nos assim guiar e controlar pelo Espírito Santo.

= TÓPICOS DE ENSINAMENTOS - 1964


- CADA CONGREGAÇÃO OU SALA DE ORAÇÃO DEVE TER O SEU PRÓPRIO COOPERADOR DO OFICIO MINISTERIAL

Os nossos irmãos cooperadores que estão atendendo a mais de uma congregação ou sala de oração devem orar ao Senhor para que Este levante cooperadores nesses locais, ficando assim cada qual atendendo uma única própria localidade. Devemos dar oportunidade quando vemos que Deus quer se servir de algum irmão no ministério da Palavra. Não devemos demonstrar ciúmes, nem ambição. Existem cooperadores que atendem até oito Congregações. Será que não existem outros irmãos preparados por Deus que poderiam ser colocados a frente do povo em algumas dessas congregações? Será que Deus se usa só desse cooperador? Não deve ser assim. É necessário que cada localidade tenha o seu cooperador, morando este no bairro, estando assim mais próximo da irmandade para atende-la no que for necessário, seja durante o dia ou a noite assim sendo os irmãos que estão atendendo várias localidades comecem a pedir ao Senhor que levante um obreiro para cada congregação; não sendo isso uma lei, porém um ensinamento. Do mesmo modo quando o cooperador de uma congregação atende também a Reunião de Jovens e Menores, deve clamar a Deus para que Este aponte algum irmão com requisitos necessários afim de ser colocado a atender essa reunião. Ficando assim cada qual em seu setor; o cooperador da congregação atendendo aos cultos dos maiores e o de Jovens e Menores, atendendo as respectivas reuniões.

- COMUM CONGREGAÇÃO

Os irmãos anciães e cooperadores e diáconos tem compromissos onde Deus os colocou, porém a irmandade e os músicos não precisam ficar sob um mandamento de que devem freqüentar obrigatoriamente a sua comum congregação, ou seja, a do bairro onde residem. Para nós toda a extensa Obra de Deus nos é comum, pois temos um só Deus, uma só fé, um só batismo. Todos somos uma só família; em qualquer congregação que estamos, esta é a nossa comum congregação. É necessário haver bastante cuidado por parte dos servos de Deus e principalmente pelos irmãos encarregados de Orquestras para que não oprimam algum irmão pelo fato dele se congregar em outros bairros e, não na congregação de sua própria localidade. Não podemos obrigar o povo de Deus a freqüentar a Congregação de seu bairro. Muitos irmãos moram em um bairro e por necessidade do seu trabalho são forçados a freqüentar outra congregação. Outros ao assumirem compromisso do noivado com irmãs de outra localidade passam a se congregar na congregação onde se encontra sua noiva. Não devemos ir contra e nem oprimi-los pois, se nós os oprimimos sem necessidade nós os transformamos em rebeldes e os fazemos errar pela nossa imprudência. Em qualquer caso os irmãos tem faculdade em se congregar onde o Senhor lhes der oportunidade; são livres, não os podemos impedir. Porém o que podemos fazer é aconselha-los quando sabemos que não se congregam na congregação de seu bairro porque não gostam do servo de Deus ou se encontram incompatibilisados com outros irmãos. Deus não aceitará o louvor de tais pessoas, devem se por de acordo a Palavra de Deus.

- OBRAS DE PIEDADE - NÃO DEVEM SER ANUNCIADAS PUBLICAMENTE

Não se deve anunciar os resultados das coletas destinadas a Obra da Piedade. A Palavra de Deus nos diz: “não saiba a tua mão esquerda o que faz a direita”. Os nossos irmãos diáconos que atendem esta parte anotem tudo particularmente para o seu controle, podendo mostrar aos servos de Deus de sua congregação, pondo-os a par do andamento dessa importante parte da Obra de Deus. Mas não se deve anunciar perante o povo os resultados de coletas para a Obra da Piedade.

-VIAGENS DE SERVOS DE DEUS

Existem servos de Deus que contraem dívidas para poder viajar e atender a Obra de Deus. Não havendo diáconos compete aos cooperadores ou administradores providenciar o necessário; a irmandade deve ser doutrinada sobre esta parte. Deve aprender a colaborar nas viagens dos servos de Deus; estes não viajam a passeio porém para atender a necessidade da Obra de Deus e, em benefício do próprio povo. Deixam seu trabalho e sua família durante dias e até semanas; não trabalhando não ganham cousa alguma. Compete então a irmandade olhar pela família desses servos, visitando-as para ver se lhes falta alguma cousa, colaborando então com o que Deus lhes faz sentir. Temos por certo que Deus abençoará ao seu povo e isso não será de peso para ninguém, pelo contrário, Deus nos retribuirá tudo o que fazemos pela Sua santa Obra. As coletas para viagens dos servos de Deus também não devem ser anunciadas publicamente, pois si assim o fizermos iremos humilhar a esse servo. É necessário que se tenha entendimento em tudo.

- ABRIR SALA DE ORAÇÃO COM INTUITO DE SER COOPERADOR

Geralmente a pessoa tem esse bom desejo; abre então uma sala em sua própria casa e conta prontamente com a presença de algumas famílias da redondeza e também vizinhos. Passam então a se reunir regularmente; acontece entretanto que a pessoa às vezes não está preparada para o ministério. Não tem o dom de Deus; tem o espírito da solicitude, começando agir segundo suas próprias idéias sem consultar a servos de Deus mais antigos no ministério, atraindo a irmandade após si. É preciso muito cuidado; não se pode começar uma reunião de qualquer maneira só porque desejamos nos tornar cooperador. A Obra deve começar em um lugar onde realmente haja necessidade; quando por exemplo, a congregação mais próxima seja muito longe e se torna desconfortável para a irmandade freqüenta-la. Entretanto às vezes vemos que iniciam-se reuniões familiares quase que encostadas a uma congregação. Não convém que isso se faça; para se abrir uma sala de oração é necessário esperar a guia do Senhor pois, os que agem com outra intenção movidos pela solicitude, só poderão causar trabalhos e complicações futuras e a Obra de Deus acaba sofrendo vitupério perante os de fora.

- DESASTRES COM IRMÃOS ANCIÃES

Tem havido casos em que, devido a desastre um servo de Deus fica temporariamente impossibilitado sem poder prover o necessário a sua família. A irmandade compete olhar para essas cousas e estar preparada para auxilia-lo em casos tais. Si o povo da localidade não possue recursos é conveniente que as igrejas dos arredores ou outras localidades tratem disso, todavia, faça-se tudo com discrição, sem alarde, pois isso não fica bem para quem estiver sendo ajudado. É obrigação da irmandade estar atenta a esses casos, demonstrando prontidão e zelo em benefício dos que Deus se usa nesta Obra.

- CONSTRUÇÕES

.....- Este importante ponto deve se notar, deve estar ligado ao comportamento ao Ancião ou Cooperador, perante toda a irmandade. Em certos lugares a construção pára; porém não é por culpa da irmandade e sim daquele que está à frente do povo, de quem deve obter a simpatia e a confiança. Temos que atender a parte espiritual mas também nos toca, pensar pela parte material; quando o povo se acostuma a estar ligado ao corpo ministerial participando do empreendimentos, tudo vai avante no amor e temor de Deus. Nas grandes cidades o povo coopera monetariamente com mais facilidade. No interior é mais difícil, entretanto si não puder dar dinheiro pode-se dar material ou outras ofertas que vendidas produzirão o que é necessário. Não se obriga nem se manda o povo fazer isso ou aquilo; leva-se a irmandade com boas maneiras e com bom exemplo. Se o ancião ou cooperador pede a colaboração da irmandade ele mesmo não se esforça para também dar, Deus endurece o coração da irmandade e esta não dá nada. Não é preciso que sejamos ricos, damos segundo nossas forças e o Senhor operará no coração de todo o povo a quem ajudará nas coletas. .....

..... - O prazo normal para iniciar e concluir uma congregação vai entre dezoito e vinte meses; quando se vê vai passando esse prazo, tem que exortar a irmandade para o máximo esforço, pois não podemos deixar a construção parada dando assim um péssimo testemunho para os de fora. É indispensável pois antes de se dar início a construção, obter todos os cálculos e orçamentos feitos por engenheiros, pessoa habilitada, etc... devemos levar em conta também a ação desfavorável da constante desvalorização da moeda pois a inflação altera os orçamentos. Além do mais devemos planejar uma obra sempre de acordo com a possibilidade da irmandade local.

- CONSTRUÇÕES SUNTUOSAS E EXÓTICAS

Compete aos irmãos anciães da localidade ou que atendem a zona a orientarem aos demais irmãos tanto da parte administrativa assim como do Departamento de Construções para que evitem construir congregações com linhas cheias de ornatos, com muita suntuosidade ou em formato exótico. O prédio atendendo a necessidade da irmandade é o suficiente; não se devendo pois ambicionar uma congregação muito maior que a estritamente necessária. Quanto maior o templo maiores são as despesas e o custo da construção.

- OFERTA DE ALIMENTO PELO POVO NORTE AMERICANO

O povo dessa nação tem proporcionado ajuda a população pobre de nosso país, dando alimentos, principalmente latas de leite em pó. Estas doações eram confiadas a alguns políticos para que as distribuíssem; porém como houve irregularidades e abusos o governo americano deliberou confiar essa distribuição às igrejas evangélicas. Quanto a nós podemos também aceitar para distribuir a nossa irmandade; não se trata de doação com fundo político. Não vem propaganda junto e nem nos comprometemos com quem quer que seja. Também não iremos dar o nome da congregação para ser incluída na lista dos distribuidores.

- ÁGUA DE BATISMO

Nunca se deve dizer que a água do batismo é santa água. Batisar na água por imersão sepultando o velho homem é cumprimento do santo mandamento da Palavra de Deus, mas a água não é santa. É uma água como outra qualquer, de um rio, de uma vasca, de um lagoa, etc...

- MANDA TUA PALAVRA

Outra frase muito comum é se dizer: “Senhor faz com que tua Palavra venha pelo Espírtio Santo”. Esta deve vir sempre pelo Espírito Santo. Si não vem pelo Espírito Santo, não cura, não ensina, não liberta e não traz virtude ao povo. Nunca a Palavra poderá vir pela carne; quando vier da carne é terrena, animal e diabólica.

- CARTA DE APRESETAÇÃO MENCIONANDO DONS

Nas cartas de apresentação que fazemos para irmãos que se mudam de localidade para outra ou vão em visita, não se deve mencionar que o irmão tem este ou aquele dom. Alguns põem na carta: o irmão que está mudando tem o dom da Palavra. Nada se deve por sobre o assunto e nem outras qualidades ou dons. Somente se declara que o irmão tem bom testemunho.

- ORAÇÕES NA CONGREGAÇÃO

O servo de Deus que preside ao culto deve ter entendimento também nessa parte da oração. Não é obrigatório ficar esperando que haja três orações, quando estamos de joelhos dobrados perante ao Senhor e Este toma um irmão ou irmã numa oração fervorosa, cheia de inspiração e edifica a Igreja. Não é necessário pois ficar de joelhos esperando que haja mais uma ou duas orações. Muitas vezes ficando ajoelhados esperando mais um pouco, começa a orar um que não foi chamado pelo Senhor. Isso rouba toda a comunhão e alegria que a primeira oração trouxe ao povo; tenhamos pois entendimento nessa parte evitando tais cousas.

- ESTÁ FECHADA A LIBERDADE PARA TESTEMUNHANÇAS

É essa a frase que devemos dizer quando queremos encerrar a liberdade para os irmãos testemunharem. Não podemos dizer de modo algum, como dizem muitos: “está fechada a liberdade do Espírito Santo”. Isso está completamente errado. O Espírito Santo tem livre curso em nosso meio, pois esta é Obra de Deus. Ele é o Dono da Obra. Ai de nós se, em determinada hora fechássemos a liberdade do Espírito Santo. É necessário pois que todos aprendamos com toda atenção a maneira certa de se falar as cousas.

- HORÁRIO DE DURAÇÃO DE CULTO

Existem determinadas congregações que geralmente o culto passa da hora e meia levando até duas horas. Isto já é um costume e sucede porque o cooperador ou mesmo o ancião costuma exortar antes da oração, antes do testemunho, fazendo longas admoestações sem ser necessário. Há tempo para tudo; os hinos não são para serem exortados e sim para com eles louvar a Deus. Mesmo quanto a exortar a Palavra é melhor poucas palavras porém que sejam fixadas como pregos no coração do povo.

- RESSALVA QUANTO A FALAR DA OBRA DA PIEDADE

Ficou dito anteriormente que não convém dar publicidade ao povo quanto deu a coleta em benefício da Obra da Piedade; porém não é porisso que não se pode falar mais desta Obra na Congregação. Temos obrigação de falar admoestando o povo a se esforçar para colaborar na Obra da Piedade, expondo a todos a necessidade de que a irmandade abra o coração ao Senhor e Ele o mova para contribuir nessas coletas. O que se não deve falar é quanto rendeu, quanto entrou, quanto saiu.

- ADMINISTRAÇÃO E OUTROS CARGOS

Existem lugares em que o cooperador quer tomar conta de tudo; havendo diáconos, administração, departamento de construção, obra da piedade, não é pre ciso o cooperador se sobrecarregar com esses assuntos. Nós do ministério espiritual devemos deixar isso a cargo dos que Deus preparou para esses assuntos. O que compete ao ancião ou cooperador é doutrinar o povo a colaborar com amor e alegria nas coletas, na obra da piedade, necessidades da Igreja, viagens de servos de Deus, etc... Os que estão na frente do povo devem pedir franqueza a Deus para falar, ensinar, esclarecer a irmandade sobre a necessidade de sermos cheios de frutos na Obra de Deus.

- UNÇÃO PARA ENDEMONINHADOS

Si chamados a orar por pessoas endemoninhadas, possuídas por espíritos malignos, não as devemos ungir com azeite. Somente se faz uma oração; a unção de acordo com a Palavra de Deus é para enfermos e não para endemoninhados.

- SOCIEDADE BÍBLICA DO BRASIL

Já há alguns anos que esta Congregação vem colaborando com a Sociedade Bíblica, enviando donativos anuais, fruto de coletas realisadas entre toda a nossa irmandade no Brasil. Isto Deus nos fez sentir em fazer em virtude do preço das Bíblias no geral, ser inferior ao seu valor de custo e a Sociedade nessas condições necessita de contribuições para poder produzi-las. As Bíblias não dão lucro; assim é em quase todo o mundo. - .... Entretanto ultimamente a Sociedade Bíblica do Brasil editou uma versão de João Ferreira de Almeida corrigida e revisada que foi profundamente alterada, a ponto de ferir a Sã Doutrina. Inúmeros pontos estão completamente modificados; assim não a podemos aceitar e nem adotarmos para o uso de nossa irmandade. Tem sido feito confronto entre a velha versão e a nova, encontrando-se muitos erros de doutrina na nova, pois esta foi modificada pelos homens. Existe uma lista bem grande de erros encontrados. Dada essa situação esperamos na Guia do Senhor quanto às contribuições daqui para o futuro; devendo a irmandade esperar orientação quanto ao que convém fazer.

- ANCIÃES COM RECURSOS E ANCIÃES SEM RECURSOS

Ocorre às vezes em algumas localidades existirem dois anciães; um possue recursos financeiros não dependendo de auxílio da irmandade para viajar a serviço da Obra de Deus. Porém outro não possue recurso algum, competindo então àquele que tem recursos exortar a irmandade a colaborar para as viagens do que tem necessidade.

- SINDICATOS

Já temos tido inúmeros ensinamentos sobre isso, porém o Senhor permite que novamente venha este conselho; “nós crentes, não devemos aceitar cargo algum nos sindicatos. Quem aceita cargos necessita se sujeitar a organizar greves, a ir contra patrões, etc., e nós crentes devemos fugir de tudo isso”. O que nos compete é unicamente pagar o imposto sindical porque a lei assim o determina. Fujamos de todo o embaraço. É necessário semear no Espírito, pois do espírito ceifaremos a vida eterna.

- HORÁRIO DE VERÃO

Quando é instituído o horário de verão os relógios devem ser adiantados uma hora; isso é feito para se economizar energia elétrica. Nas cidades é evidente que temos que respeitar o horário de verão em tudo, inclusive para o horário do inicio dos nossos cultos. No campo entretanto onde quase ninguém se baseia pelo relógio e sim pelo giro do sol, não há importância em não se observar o horário de verão. Sabemos que, quem trabalha na lavoura, trabalha de sol a sol e assim devemos nos conservar conforme o próprio ambiente a que estamos habituados.

- VENDA DE CASA DE ORAÇÃO VELHA

Quando Deus prepara uma nova Congregação para a irmandade de determinada localidade e a velha precisa ser vendida, é necessário que se tomem certas precauções na venda. Onde esteve por muitos anos a Obra de Deus, não podemos vender para seitas de espécie alguma. Os sectários poderiam se prevalecer do local e ludibriar o povo, querendo fazer crer tratar-se da mesma irmandade, acarretando graves prejuízos a Obra de Deus. É evidente também que não podemos vender um prédio que serviu para a irmandade se reunir e louvar a Deus, para ser nele instalada uma casa de diversões, cinema, salão de baile, etc.....

- BATISMOS EM PRESÍDIOS

Esses batismos são geralmente permitidos em particular pelos diretores. Muitas vezes não são eles comunicados a Corregedoria Geral. Assim não devemos anunciar esses batismos nas listas pois colocaríamos os diretores em má situação. Fazendo tudo com reserva indo o ancião acompanhado do cooperador ou de mais alguns irmãos si houver oportunidade. Não se avisa na Igreja que se vai realisar tais batismos. Nunca se deve marcar o batismo sem antes conversar com o diretor, pois ele é que determina e autoriza o dia para realisá-lo.

- EMPRESTAR CASA DE ORAÇÃO

Tem nos chegado solicitações de entidades diversas e de pessoas que ocupam cargos públicos para que lhes emprestemos nossas casas de orações a fim de realisarem conferências, conclavos políticos ou para outros fins particulares. Temos respondido sempre que não podemos atender a essas solicitações. Não cedemos nossas salas de orações. Si o Tribunal Regional Eleitoral requisitar qualquer sala de oração para realisação de uma eleição, o caso é diferente; não podemos recusar. Porém temos o direito de fazer que se respeite o horário do culto. Em casos tais geralmente se recebe o aviso com bastante antecedência dando margem e tempo a que a irmandade seja também notificada.

- NOVOS ESTATUTOS E ASSEMBLÉIAS DE DESCENTRALIZAÇÃO

Em cumprimento ao que Deus tem determinado por meio de seu servo, estamos fazendo gradativamente essas assembléias e constituindo administrações locais, desmembrando assim cada patrimônio da parte total da Congregação - São Paulo. ..... - Os Estatutos são os mesmos para todas as localidades do Brasil.

- COOPERADOR DE ANTA BRAVA

Esse nosso irmão cooperador levantou-se perante todos e pediu perdão a todo o ministério reunido de todas as partes do Brasil pelo fato de ter ele acompanhado as idéias do ex-irmão Nilson Santos. Pediu perdão também a Deus. Naquela ocasião quis se separar de nós para acompanhar tal pessoa, porém Deus lhe fez ver que estava fora da comunhão e fora da humildade. Reconciliou-se assim novamente com todos o que foi motivo de alegria e conforto geral.

- PANFLETOS DE PROPAGANDA

Um servo de Deus do Estado do Paraná preveniu a todos os presentes a esta reunião sobre a distribuição de folhetos de propaganda e convite a um batismo que se iria realisar na cidade de Pitanga, daquele Estado. O servo de Deus declara a todos que tais folhetos não foram impressos pelos irmãos responsáveis pela Obra de Deus, porém por irmãos novos na graça sem entendimento, entretanto movidos pela boa vontade. Estes irmãos foram admoestados e ensinados a não repetirem tal cousa; a Obra de Deus é Ele Quem a realisa. Não temos necessidade de propaganda, nem publicações em jornais e revistas, nem de programa de rádio ou televisão. Não fazemos também pregações em praças públicas; Deus é Quem manda as almas em nosso meio.

- TANQUE DE BATISMO EM SÍTIO

Em determinadas fazendas ou sítios nossa irmandade tem feito tais tanques, para realisação de batismos. Todavia o proprietário da fazenda ou do sítio costuma cede-los também para sectários fazerem o seu batismo. Isso ocasiona confusão. Quem vem assistir suporá que a Congregação e as seitas são a mesma cousa; na medida do possível devemos impedir que tais cousas aconteçam. Si porventura não formos nós os únicos a usar o tanque façamos então o batismo em um rio.

- IRMÃOS ANCIÃES JOÃO CLARO, LUIZ COSTA E ALFREDO DE SOUZA

É comunicado a todos que o Senhor nosso Deus tem se comprazido em recolher ao repouso eterno os caros irmãos anciães em referência.

- PORTO NOVO - ESTADO DE SÃO PAULO

É comunicado também que que o ex-ancião desta localidade irmão Gentil Ribeiro do Nascimento, renunciou ao ministério, pois caiu em pecado de adultério.

- VIAGEM MISSIONÁRIA DE IRMÃOS DIÁCONOS

É necessário que todos compreendam que o Senhor tem constituído o ministério de diácono “Atos 6, 1:7 e I Timóteo 3, 8:13” para o importante negócio de atender o povo de Deus em suas necessidades materiais. Os pobres, as viúvas e tantas outras cousas que se apresentam na extensa Obra de Deus. Atendem a Obra da Piedade; competindo-lhes também abrir e presidir os cultos na ausência do irmão ancião ou cooperador. E o Senhor pode se usar deles com a Palavra. Filipe e Estevão foram pregadores e evangelistas. Se bem que Felipe tenha batisado ao eunuco; ele o fez na dispensação; o sacramento do batismo pertence aos irmãos anciães. Em localidades onde ainda não haja diáconos pode surgir às vezes dúvidas quanto a Obra da Piedade por parte de irmãos e irmãs que atendem. Estes irmãos pedem então a presença de um diácono o que é uma boa cousa, principalmente si podem ir em companhia de um ancião, facilitando a que qualquer necessidade que surgir na Congregação possa assim ser solucionada. Entretanto as viagens de nossos irmãos diáconos não podem ser feitas por um costume, só em casos de necessidade, pois cada um tem sobre si grande responsabilidade e ocupação na Congregação onde o Senhor o constituiu.

- MUDANÇA DE ANCIÃES - NÃO TOMAR O LUGAR DO COOPERADOR

Irmãos anciães que mudam de uma localidade para outra por conveniências particulares, não devem tomar o lugar do cooperador. Pode ajuda-lo, colaborando com ele; porém tirar o seu lugar, só porque é ancião isso não é permitido. Não se pode obrigar o ancião a permanecer na localidade onde Deus o colocou; já que não recebe ordenado como nenhum de nós recebemos. Mas si ele mudou-se de localidade deve se lembrar que não poderá deslocar o cooperador da cidade para onde vai. Às vezes um ancião sai de mudança da cidade onde mora por falta de trabalho material e vai se radicar em outra onde há cooperador na Obra de Deus. Nessa cidade as cousas da Obra correm tudo muito bem, qual é a atitude conveniente ao ancião? Ficar assentado em seu lugar, deixando que Deus mova tudo em Sua Obra. Muitos irmãos anciães já fizeram isso e depois de certo tempo o Senhor lhes preparou outra localidade onde não havia ancião e nem cooperador e lá ficaram definitivamente. Esclarece-se todavia, si algum irmão ancião muda de sua localidade não é porisso que perde o ministério. Pode continuar a fazer batismos e santas ceias, ler a Palavra de vez em quando na localidade onde passa a morar. Porém o que não deve é tirar a oportunidade do cooperador da Congregação. Devendo o irmão ancião esclarecer ao povo que o cooperador não o impede em se levantar com a Palavra antes lhe dá liberdade; porém as cousas devem ser feitas com entendimento, dentro da ordem sem menosprezar a pessoa alguma na Obra de Deus. Quando o ancião vai de mudança em missão, é Deus que o está enviando, o caso é diferente. Deus o reveste de toda autoridade necessária. Irmãos anciães e cooperadores devem se conservar no lugar em que Deus os colocou. Provas e apertos da vida todos nós passamos; porém não serão essas cousas que nos farão deixar o nosso posto onde fomos colocados como um sentinela. Devemos pedir forças a Deus para poder atravessar os apertos e necessidades da vida. É certo que nós todos somos livres, mas convém esperar pela Guia do Senhor. Temos visto muitos exemplos e alguns deles bastante lastimável, de ancião que se mudaram, por conveniência de seu trabalho material. Uns transtornaram completamente a congregação para onde foram e outros acabaram caindo da graça. Portanto no lugar em que fomos postos pelo Senhor nesta Obra esperemos muitas bênçãos, mas esperamos também as provas materiais e espirituais. Conforme já ficou dito se a mudança é em missão, si é pela conveniência da Obra de Deus, devemos receber com alegria. Às vezes é necessário mesmo que o ancião se mude de sua localidade para um lugar mais centralizado de onde poderá melhor atender a Obra. Porém deve ser feita com oração do ministério; existindo muitos Estados no Brasil em que a Obra deve ser atendida por setores havendo muitas dificuldades. É conveniente então que o ancião se transfira para o lugar mais central.

- SUBSTITUIÇÃO NA PRESIDÊNCIA DAS ASSEMBLÉIAS E REUNIÕES SEMANAIS NO BRÁS

Com o falecimento de nosso irmão Luiz Pedroso, o Senhor tem colocado para presidir essas reuniões nas assembléias, o nosso irmão ancião João Finotti, na ausência deste sempre atendia o irmão Romano. Com o falecimento do irmão Romano, passou a atender o irmão João Claro; porém agora o Senhor recolheu o irmão João Claro, ficando assim determinado, para atender a presidência o irmão João Finotti, como mais velho no ministério. Em sua substituição o irmão ancião Miguel Spina e na ausência deste o irmão ancião Rizieri Lavander.

- VIAGEM MISSIONÁRIA DO IRMÃO ANCIÃO MIGUEL SPINA E ESPOSA

O Senhor concedeu oportunidade ao seu servo de fazer um breve relato da viagem realisada no ano passado: Europa, Oriente Médio e Extremo Oriente e Norte América. Fez ele juntamente com sua esposa uma volta em torno do globo terrestre; visitaram irmandade de países onde já haviam estado em viagens anteriores, confirmando-os na fé. Visitaram outros países principalmente os do Extremo Oriente onde o Eterno Deus lhes concedeu em apresentar àquelas almas famintas e sedentas de justiça as boas novas desta Graça que Deus vem realisando nestes últimos dias em nosso meio, no Brasil. Visitaram grupo de crentes nesses países onde, pelo Espírito Santo o servo de Deus apresentou todos os pontos os quais essas almas deveriam obedecer, a fim de se encontrarem dentro do firme fundamento e da Sã Doutrina, pois a volta de Cristo está próxima às portas.

- IRMÃOS ESTRANGEIROS PRESENTES A ESTA REUNIÃO

Deus preparou de estarem presentes a esta reunião neste ano os nossos irmãos de vários países, como sejam: ESTADOS UNIDOS: Nicola Di Gregorio; Emigdio Puglia e Venâncio Boléa, todos anciães e a irmã Conceta Boléa. REPÚBLICA ARGENTINA: ancião José Lopes de Mar Del Plata; Daniel Caparrota, diácono; José Palma, administrador; Daniel Orega, músico; todos estes de BUENOS AIRES. José Cercamondi e João Syria, de Mendoza. REPÚBLICA DO PARAGUAI: Fidencio Franco, oe João Alcaraz, cooperadores. REPÚBLICA DO URUGAUI: Vilar Rodrigues, ancião da cidade de Paissandu.

- APÓSTATAS DA FÉ - MARINGÁ, ESTADO DO PARANÁ

O servo de Deus que atende a esta Congregação trouxe-nos a notícia sobre a rebelião promovida por um pequeno grupo de pessoas que eram nossos irmãos, porém se deixaram iludir pelo adversário. Começaram a estudar materialmente a Bíblia tendo sido tomados por um espírito de engrandecimento que os leva a menosprezar os servos de Deus. Blasfemam contra a Sã Doutrina e contra as cousas santas de Deus. Utilizam-se também da liberdade de se levantar perante o povo para lançar doutrinas totalmente extranhas, intentando dividir a Obra de Deus. Tendo sido chamados e admoestados diversas vezes pelos irmãos anciães, não acataram e não se humilharam; antes continuam a promover a dissolução no meio da irmandade. Em reunião do Conselho de irmãos Anciães realisada a 25 de março de 1964, deliberou fazer-se uma circular excluindo essas pessoas, nome por nome, de membro da irmandade, aliás da Congregação. Que ninguém os receba e nem tenha parte com eles, pois colocam-se no lugar de Core, Datham e Abiram, que se rebelaram contra o servo de Deus Moisés, e a terra abriu sua boca e os enguliu e vivos desceram ao sepulcro. “Números 16; 1/35”. A palavra de pessoas que apostatam da Fé roerá como a gangrena; escapemos nossas almas evitando tais criaturas corrompidas.

- FUNERAL

Não existe determinação quanto a funeral para crianças recém-nascidas; não há mandamentos si fazemos ou não o serviço. Fazemos como o Senhor guia no momento. Temos notado pelas experiências de vários casos em que os servos de Deus tiveram de comparecer a funerais de irmãos que perderam o testemunho, que o Senhor não permitiu que se faça às vezes nem uma simples oração. Cada qual que se deixe guiar e orientar da parte de Deus nesses casos, pois temos visto por outro lado o Senhor restaurar pessoa que perdeu o testemunho, recolhendo-o para Sua Glória.

Quanto aos suicidas não tem parte no Reino de Deus; não se faz serviço algum. Se os familiares são crentes, pode-se orar por eles depois que o féretro saiu, para conforto de seus corações. É o que temos feito nesses casos.

Não há mandamento de se fazer ou não funeral quando uma pessoa na é crente. Havendo na família pessoas contrárias a graça de Deus é bom sempre consulta-los para saber si tem prazer que se faça o serviço de funeral. Assim fazendo evitaremos dissabores e contrariedades. A prudência é necessária. Si tem prazer, fazemos; e si não tem, deixamos de fazer. Cada qual manda em sua própria casa. Nunca se deve prolongar demasiadamente o serviço de funeral; abreviado é mais adequado. Temos que considerar que a hora de saída do corpo está marcada e ainda devemos deixar após terminar o serviço, pelo menos um quarto de hora para os familiares e parentes se despedirem do corpo.

- CARTEIRA DE IDENTIDADE PARA ANCIÃES

As Diretorias das Estradas de Ferro de que os servos de Deus se usam e ainda as dos Hospitais onde os servos de Deus necessitam entrar freqüentemente para orar para enfermos, têm sugerido que usem eles carteira de identidade que os identifiquem como membros do ministério da Congregação, aliás da Obra de Deus. Tudo isso é bom, porém si tal cousa fizéssemos, iríamos sair fora do fundamento desviando-nos do que Deus nos tem ensinado.

Os irmãos anciães, quando Deus os manda a qualquer lugar não necessitam de prova de identidade como ancião; o único documento que devem apresentar é a Palavra de Deus.

E quanto a gozar desconto nas passagens de trens não há necessidade; ou julgamos que Deus seja pobre ou impotente para nos preparar todo o valor da passagem? Deus é potente e dono dos céus e da terra; tudo preparando suficientemente para passagem e o mais que for necessário sem termos necessidade de sair fora de seus ensinamentos ao querer obter os descontos. Podemos entretanto, usar e levar conosco, como simples cidadãos nossa prova de identidade pela secção da polícia encarregada dessa parte. Isso é um documento que qualquer pessoa deve ter pois a qualquer momento nas grandes cidades está sujeita a ser inquirida pelas autoridades. O que podemos ter também conosco e é muito útil é o ultimo relatório e os Estatutos da Congregação.

- APRRESENTAÇÃO DE IRMÃOS PARA ANCIÃES

É necessário bastante prudência nesse caso. A experiência também nos vai ensinando, às vezes Deus permite erremos para aprender. Tem se cumprido em muitos a parte que vem mencionada em I Timóteo, cap. 3, verso 6 “...Não neófitos, para que ensoberbecendo-se não caia na condenação do diabo”. Sabemos que o neófito é o novo na fé; inexperiente na fé. Também não se deve olhar a aparência da pessoa; Samuel olhou ao ir ungir um rei para Israel, na aparência. Deus porém o advertiu a não olhar as aparências mas ungir aquele a quem Ele lhe indicasse. E assim foi ungido David o menor de todos aqueles irmãos. Entretanto devemos apresentar aqueles que Deus nos aponta de acordo a Sua Palavra, sem nos basearmos na aparência física, isso para o nosso bem e para o bem da Obra de Deus. Da mesma maneira o Senhor Jesus ao escolher seus apóstolos, não foi busca-los de entre os legisladores, doutores, principais da lei, magistrados e entendidos desta vida. Jesus buscou a pescadores e os elegeu apóstolos desta gloriosa Obra.

- CARTA DO SERVO DE DEUS IRMÃO ANCIÃO LOUIS FRANCESCON

É lida perante esta assembléia, como anualmente é feito uma carta que o velho servo de Deus irmão Louis Francescon enviou. Em sua avançada idade (98) anos tem sempre o seu pensamento e seu espírito voltado para a Obra de Deus aqui no Brasil. E por ocasião destas reuniões gerais anuais de ensinamentos remete-nos uma carta, com conselhos inspirados pelo Senhor, que tem servido de grande edificação e conforto para o ministério. Louvado seja o Senhor.


Admin
Admin

Mensagens : 1049
Pontos : 2451
Data de inscrição : 24/05/2009

http://oulorivallan.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Todos os tópicos de ensinamentos da CCB 1961em diante Até 2010

Mensagem por Admin em 25th Julho 2010, 4:03 pm

= TÓPICOS - ASSEMBLÉIA DE 14 A 16 DE ABRIL DE 1965

= PREGAÇÃO:

= 1ª Palavra: Salmos, 74 - 3 a 7 e 21 a 22.

.....Esta é a herança de Deus na terra. O templo não é mais o de Jerusalém. O templo somos nós. Dentro deste templo somente Deus deve ser exaltado e glorificado. O povo de Deus se reúne nas casa de oração em muitos lugares e todos vem buscar o alimento para a alma, os sinais e as promessas. O crente vive pela fé e em suas necessidades vai consultar a Deus. Os servos devem viver prudentemente, com temor e tremor revestidos de caridade, ........

Na Congregação também o adversário entra. Mas se fica só dentro do salão e não encontra oportunidade de entrar nos corações, ainda não é nada. Porém se entra em algum coração, faz grande estrago. Principalmente se é no coração do que está na frente do povo. Quando um demônio se apossa de uma pessoa, faz um estrago somente no corpo daquela pessoa. Mas quando penetra nos que estão no Ministério, com sentimento de ciúmes, inveja, avareza, pode fazer estragos em uma Congregação inteira. Às vezes o que está perante o povo é tomado por esse espírito e nem percebe. E é levado a destruir a Obra de Deus. Pela ganância, a pessoa pode ser levada a introduzir falsas doutrinas no meio do povo. Pelo espírito de soberba, pode se transformar em um ditador. Quem se deixa levar pelo espírito de ciúmes, pode dividir e derrotar a Obra de Deus. É por meio desses espíritos que o inimigo faz desolações no meio da herança de Deus..... - ....Quando os servos de Deus estão cheios de virtude, e de graça ministram os dons ao povo, o Senhor colabora com sinais, respostas e maravilhas. Mas quando em uma Congregação um Ancião ou Cooperador permitem que em seu coração se instale a inveja ou a presunção de que um é maior do que o outro, surge o assolamento na Obra e os sinais, maravilhas e respostas desaparecem naquela Igreja. E quando desaparecem isto, logo surgem os sinais de nosso adversário. Esses sinais são conhecidos: dissenção, divisão, inveja, ódio, malícia, murmuração. Que ninguém se engane a si próprio....

....A irmandade se esforça por vir a casa de oração. E se em vez de alimento encontra contenda, dissenção, pancada, ódio e inveja, a irmandade volta vazia para casa. Saibam todos então que os pequeninos de Deus chegam em casa e elevam a queixa perante o Altíssimo, dizendo: “Senhor, hoje eu não me alimentei. Voltei vazio para casa!”. E, quando o povo começa a clamar, chega o dia em que Deus se levanta e acerta contas contigo. Coloca-te em uma cama, ou te envia para o cemitério , ou faz com que caias no pecado..... -.... Não consintas mais em seres instrumento nas mãos do adversário para este destruir e assolar o santuário de Deus!....- ....Não esperando pacientemente que o Senhor da seara levante um obreiro, a pessoa coloca quem ela pensou que iria servir. Depois começam os combatimentos, os ciúmes, a inveja. Assim, não devemos pretender insistir com o Senhor, ou querer fazer prevalecer o que pensamentos. Esperemos que Ele execute Sua santa vontade e jamais erraremos.

.... - Um servo fiel a Deus é como uma locomotiva, que leva 20 ou 30 carros. A força motriz que move a locomotiva é o vapor obtido da água e do fogo, na caldeira. A força que move o servo é o amor. Quando falta isto é como quando a caldeira deixa de funcionar na locomotiva. O servo ao qual lhe falta o amor começa a espancar o povo e a machucar as ovelhas do rebanho. Deus hoje chama tal pessoa à responsabilidade, para que não torne a tocar no rebanho. .... -.... Mas se alguém insiste em dividir a Obra de Deus, Deus o destruirá. Somos testemunhas de muitos casos em que o Senhor tem tirado da face da terra certos maus obreiros, que não quizeram se arrepender e se emendar. Deus edifica e Deus derriba. Cura mas também mata. Enfermidade e morte são como emissários de Deus e tem que servi-Lo também.

= 2ª Palavra: Efésios, cap. 04.

...Paulo sofreu muitas prisões e açoites, mas nunca desanimou.... - ....Se ele recomendava a humildade, ele próprio a tinha. Se falava em misericórdia, ele mesmo estava cheio de misericórdia.... - ....O povo, quando vê que um servo já não anda mais como é digno da vocação em que foi chamado, não recebe mais tal servo. Quantas e quantas cartas que recebemos, da irmandade se queixando do Ancião ou do Cooperador de sua Congregação! ... - .... O povo nota também quando o servo vem a esta Reinião e o Senhor opera nele, tirando-lhe as cousas que não estavam de acordo. Impaciência, orgulho, arrogância e outras falhas. A pessoa, ao ser colocada no Ministério, estava revestida de humildade, bondade, mansidão, caridade, amor fraternal, piedade, misericórdia. E agora, algum tempo após estar no cargo, modificou-se? Perdeu aquela paciência que antes tinha, deixou a mansidão, já não usa mais de misericórdia? A irmandade sabia que tu tinhas os requisitos e por isso te recebeu. E agora? Pensas que, mudando de atitude continuarás a gozar do mesmo crédito perante o povo de Deus? Enganas-te! O povo, quando vê que um servo já não anda mais como é digno da vocação em que foi chamado, não recebe mais tal servo. Quantas e quantas cartas que recebemos da irmandade se queixando do Ancião ou do Cooperador de sua congregação!.

... Se estava fora do rumo certo, como um trem que saiu da rota, coloca-te novamente sobre os trilhos e chegarás ao rumo certo. E se alguém, embora ouvindo esta advertência, não pretende voltar ao que era antes, o Senhor que o colocou no cargo o tirará. E talvez até o tire do mundo. Lembremo-nos, queridos, que não estamos tratndo com um homem, mas com o Deus Todo-Poderoso. Não estamos ocupando um cargo maerial, como o de chefe em qualquer oficina ou companhia. Estamos lidando com as cousas santas de Deus!

Há irmãos Anciães e Cooperadores que agem com rigorosidade excessiva e lançam pessoas fora da Igreja. Nessas localidades a Obra vai sempre de mal pra pior. E há Anciães e Cooperadores que nunca lançaram fora ninguém. E a Obra nas localidades que atendem vai as mil maravilhas, abençoadas por Deus.

= TÓPICOS DE ENSINAMENTOS – 1965

- CIRCULARES E CONVITES - ABERTURAS E BANQUETES

Tem chegado até nós circulares sobre muitos assuntos, de diversos lugares. Isto não é cousa boa. ....

As aglomerações não trazem proveito para a irmandade. Não convém também convidarmos políticos ou autoridades para o dia da abertura. Geralmente estes desejam se manifestar e temos que negar. Compete aos irmãos do Ministério advertirem a irmandade para não estarem a convidar este ou aquele.

Circulares para Reuniões de Mocidade também não devem ser mandadas. ...

Nunca uma circular deve ser mandada sem a assinatura dos servos de Deus. E só se faz circular quando é para alertar a irmandade, e com a autorização dos irmãos Anciães que atendem a região.....

É preferível uma Congregação menor, mas terminada. Somos ensinados pela prática a planejar uma casa de oração que comporte três vezes mais o número da irmandade do momento. Isso é o bastante.

- PÁSCOA E SANTA CEIA

Muitos confundem uma cousa com outra. Pensam que Santa Ceia e Páscoa são a mesma cousa. Mas não é assim. Jesus celebrou primeiro a Páscoa que quer dizer Passagem e assim cumpriu e encerou o Velho Testamento. Depois celebrou a Santa Ceia, instituindo o Novo Testamento em Seu sangue, deixando-nos esse mandamento. (Mateus 25: 17/30; Lucas 22: 7/23; I Cor. 11: 23/29.)

- HINOS PARTICULARES: CANTAR HINOS QUE PERTENCEM A SEITAS

Veio ao nosso conhecimento que, em inúmeras localidades a nossa mocidade e a irmandade em geral estão tomando este hábito de cantar hinos de seitas. Cantam em suas casas e pelas casas de famílias. Este hábito é uma novidade que está entrando e se não fazemos atenção acabaremos nos misturando com as seitas. Nunca jamais façamos isso. Deus tem preparado para Seu povo o novo hinário: “HINOS DE LOVUORES E SÚPLICAS A DEUS” Nº 04, contendo além da maioria dos hinos antigos, mais cento e quarenta hinos completamente novos. Assim pois, não é necessário estar cantando hinos de seitas. Recomendamos também a irmandade para deixar de cantar hinos feitos por irmãos nossos. Há irmãos que fizeram hinos até para casamento! Nós não temos este costume. Assim, devemos nos contentar com os hinos que o Senhor preparou de serem incluídos no novo Hinário e sejamos gratos a Deus também por esta benção e permaneçamos na obediência.

- SEMINÁRIO TEOLÓGICO EVANGÉLICO - PERGUNTAS DE SECTÁRIOS SOBRE COMO A OBRA DE DEUS CRESCE E PROGRIDE TANTO EM NOSSO MEIO

Pessoas pertencentes ao Seminário Teológico Evangélico, que fazem estudos sobre a origem e o desenvolvimento das diversas Igrejas Evangélicas, tem vindo, muito frequentemente, assistir aos nossos cultos. Desejam saber que segredo usamos para a Obra progredir tanto. Temos respondido sempre que não é absolutamente segredo algum, nem virtude e qualidade nossa. É porque esta Obra é de Deus. Pertence a Ele e não a nós.

Temos sido convidados também a fazer parte de debates sobre a Bíblia. Temos recusado, pois o que temos não é sabedoria nossa mas é dom concedido por Deus. Não podemos exibir uma cousa que não é nossa.

- FALSOS DOUTRINADORES

Os servos de Deus que estão perante o povo devem ter grande prudência ao presidirem os cultos, não podemos dar, de maneira alguma, liberdade a pessoas estranhas à nossa fé ou pessoas que não conhecemos ou não se apresentam com carta, para ler ou exortar a Palavra. E mesmo na testemunhança, se começa a falar sobre seitas, religiões ou cultos estranhos, devemos faze-lo calar-se e ir sentar. Temos que ter cuidado com os falsos doutrinadores que rondam a Obra de Deus e desejam se infiltrar em nosso meio. Os dias são maus.

- ESPERTALHÕES - PADRES, ETC.

Há espertalhões que procuram saber os nomes dos irmãos Anciães e Cooperadores, para se prevalecerem disso, apresentando-se em casas de nossos irmãos como se tivessem sido recomendados pelos Anciães e Cooperadores cujo nome decoraram. Devemos então estar prevenidos: quando vier alguém pedindo dinheiro e disser que foi recomendado pelo Ancião tal ou pelo Cooperador tal, tenhamos cuidado e não nos deixemos enganar. Tem havido também casos de sacerdotes romanos que surgem em nosso meio vestidos à paisana. Fazem uma encenação pretendendo demonstrar que se converteram, chegam até a se batizar. Depois andam por diversas outras localidades em meio da irmandade para enganar os simples e obter lucros. Por fim o Senhor os tem desmascarado, livrando Seu povo de tais exploradores. Um servo de Deus, que já dorme no Senhor, disse certa ocasião a respeito dessas pessoas: “Só acreditarei que essas pessoas estão convertidas quando eu ver os frutos.”.

- SUBVENÇÃO DO PODER PÚBLICO

Deputados à Assembléia Legislativa todos os anos obtém do poder público as chamadas verbas pessoais. Estão autorizados a oferece-las a Igrejas, escolas, hospitais, etc. Assim fazendo eles conquistam novo eleitorado. Muitas vezes diversos políticos tem votado essas verbas à Congregação, tanto aqui em S. Paulo e arredores como no Interior e outros Estados. Mas temos sempre recusado. Fazemos um ofício agradecendo e explicando que não podemos receber. Recusando tais donativos, permaneceremos sempre livres, sem nos comprometermos com quem quer que seja. O povo de Deus é livre para votar em quem desejar, sem nossa interferência. Não tratamos de política na Congregação.

- ORAR POR TODOS OS HOMENS E POR TODAS AS AUTORIDADES

Recebemos, há pouco tempo, um ofício de uma entidade religiosa, convidando-nos a enviar um nosso representante a uma determinada convocação, onde iriam orar por todas as Autoridades. Nós não aceitamos tal convite. Respondemos que já temos ensinamento para orar sempre por todas as autoridades e por todos os que se acham em eminência

Nesta parte é conveniente que os irmãos Anciães e Cooperadores exortem constantemente o povo, na hora em que vamos orar, nos cultos, a fim de apresentarem as autoridades em oração a Deus. Ensinamos o povo a orar pelos Reis, Presidentes, Governadores, Magistrados, Senadores, Deputados, vereadores, enfim por todas as Autoridades, civis e Militares.

- REUNIÃO DE CASADOS

Vinha-se notando que essas Reuniões não davam bom resultado. Consultamos então, em 1964, por carta o nosso irmão Ancião Luiz Francescon, este nos respondeu que essas reuniões não podiam continuar, pois estava fora da Palavra de Deus. Houve então uma Reunião de todo os Anciães do Brasil aqui em S. Paulo, na qual foi apresentada essa carta do servo de Deus. Todos unanimemente aceitaram o conselho, vindo da parte de Deus. Ficou deliberado então, a partir dessa data, não haver mais Reuniões de Casados.

- ATENDER REUNIÕES DA MOCIDADE

As Reuniões para a Mocidade devem ser atendidas pelos irmãos Anciães e não por Cooperadores. Quando houver oportunidade de se realizarem essas reuniões deve o Cooperador depender do Ancião. Não deve atender por si próprio.

- OBJETOS E MATERIAIS USADOS PELA IDOLATRIA

Sabemos que tudo o que foi apresentado aos ídolos foi ofertado aos demônios. Portanto, não empregamos nas construções. - .... irmãs usar vestidos de noivas alugados, pois tais vestidos são usados por noivas não crentes perante os ídolos não servem para fazer véus para nossas irmãs orarem ou congregarem.

- COOPERADOR NÃO RECEBER E NEM GUARDAR COELTAS

Há irmãos Cooperadores que costumam guardar o dinheiro das coletas de sua Congregação. Isso pode dar a impressão que a pessoa não tem confiança nos irmãos que foram colocados para receber e guardar a coleta. Não se justifica também que o Cooperador queira exercer controle sobre esta parte, ou fiscalizar. A Obra é de Deus e não nossa.

- ALTERAÇÃO DOS ESTATUTOS

Sendo os nossos Estatutos passíveis de reforma, conforme está previsto no Art. 17º, com o fim único de melhor adapta-los ao desenvolvimento da Obra de Deus, sãos os artigos alterados nesta Assembléia. Assim, em Edital de Convocação publicado no Diário Oficial de S. Paulo, realizou-se perante os irmãos representantes de todas as localidades do Brasil, Anciães, Diáconos e Cooperadores, uma Assembléia Geral Extraordinária, sendo colocados em votação e aprovação, as alterações que se fizeram necessárias. Todas as modificações apresentadas foram unanimemente aprovadas, passando a vigorar os Estatutos e essas disposições a partir da data de registro dessas alterações.

- TANQUES PARA BATISMO

Em algumas localidades tem se colocado azulejos nos degraus e no fundo desses tanques, tornando-se muito escorregadios. Portanto, é necessário colocar nesses degraus e nos do fundo, material rústico. Também é aconselhável esvaziar os tanques após terminado o Batismo para não ficar a água parada e produzir mau cheiro. Em lugares onde o tanque é debaixo do púlpito ou no quintal devemos também cobri-los logo depois do Batismo. Em muitos lugares tem caído pessoas dentro e se machucado e em um lugar caiu a filhinha do Cooperador e morreu afogada. Também, quando os tanques ficam debaixo do púlpito, as tampas devem ser feitas bem resistentes, para suportar o peso de qualquer pessoa ou mais do que uma pessoa.

- SERENATAS

Há irmãos músicos que se reúnem e vão fazer serenata defronte da casa de outros irmãos, com hinos ou outras músicas. Isto não está de acordo, e não resulta em boa cousa. Não passa de uma satisfação carnal. Devemos tocar os hinos para louvar a Deus e não para isso.

- FRASE QUE DEVE SER USADA AO TÉRMINO DA ORAÇÃO NAS CONGREGAÇÕES

O Senhor nos fez sentir de usar uniformemente, em todas as Congregações no Brasil, uma frase que de há muitos anos vinha sendo adotada e empregada pela cara irmandade do Estado do Paraná. É a seguinte: Na hora da oração, quando a irmandade está ajoelhada perante Deus, e o Senhor já deu uma ou mais orações e o servo que preside ao culto ou reunião se sente de levantar, deve pronunciar em voz bem alta a seguinte frase: “DEUS SEJA LOUVADO!”. Assim a irmandade já fica sabendo que o servo está se levantando da oração e todos se levantam juntos.

Fazendo isso evitaremos que suceda o que algumas vezes sucede: A irmandade, estando de olhos fechados, não percebe se o servo se levantou ou ainda está de joelhos, e alguém começa a orar. Então o servo é obrigado ajoelhar-se de novo, ou então bater palmas, avisando quem está orando para interromper a oração. Assim, usando-se aquela frase, não acontecerá mais isso, e fica uma cousa boa e aceitável aos olhos de Deus, pois Deus ama a boa ordem.

- EXORTAÇÃO E COMENTÁRIOS DEPOIS DA PALAVRA

Há em certos lugares, o costume de se exortar as palavras do último hino cantado no culto, após o Senhor já haver mandado a Palavra. Isso não é útil, pois tira a comunhão da irmandade no assunto da Palavra. Outros costumam ler a lista de Batismos após a Palavra. Também não está de acordo, pelo mesmo motivo. Convém que a irmandade volte para casa relembrando a Palavra que Deus enviou.

Há também irmãos Cooperadores que têm dificuldades em ler lista de Batismos. Se quizerem, podem pedir a algum irmão que leia para eles. Mas leiam antes de Deus enviar a Palavra.

- BATISMO - PASSAR PELAS ÁGUAS

Muitos irmãos e irmãs, ao testemunharem tem o costume de dizer: Eu passei pelas águas do Batismo. Esta frase não se deve dizer, pois ocasiona confusão. Quando somos batizados não passamos pelas águas. Entramos nas águas e somos imergidos pelo servo de Deus que faz o Batismo, imersão que é o símbolo do sepultamento do velho homem, ressuscitando nova creatura em Cristo. Assim, o que devemos dizer é: Fui batizado nas águas.

- ASSEMBLÉIA DE DESCENTRALIZAÇÃO - É NECESSÁRIO LEVAR UM ADMINISTRADOR JUNTO

Os irmãos Anciães de quem Deus se usa na realização de Assembléias de Descentralização do Patrimônio da Congregação, devem ir acompanhados quando possível, de um irmão Administrador que tenha prática nesses serviços. Assim serão prestados amplos esclarecimentos aos novos Administradores em cada lugar, para as providências que devem tomar após a Assembléia.

- ÓRGÃOS E BAIXO TUBA

Antes de compramos órgão, devemos verificar se temos possibilidades para adquiri-lo. .....

Quanto aos BAIXO TUBAS, ficou deliberado que sejam tirados das orquestras. Além de ser um instrumento que não orna em nossos conjuntos, tira também a visão dos irmãos que se assentam nos bancos de traz. Ora, não é uma resolução para ser executada imediatamente. Os irmãos que possuem esse instrumento devem clamar a Deus, para que Ele lhes prepare de trocar por um outro instrumento menor. Pode ser por um bombardino, bombardão, etc., ou outro qualquer que seja necessário na orquestra. Consulte-se sempre o irmão Encarregado da Orquestra. Enquanto Deus não preparar a venda ou a troca, o irmão pode ir tocando, porém procurando atender a essa parte logo que possível.

- SOCIEDADE BÍBLICA DO BRASIL

Deus fez sentir de constituirmos um FUNDO DE CAIXA PARA ENCOMENDA DE BÍBLIAS. Para isso será feita uma coleta geral em todo o Brasil, encerando-se a 15 de setembro de 1965. Tendo esse fundo de Bíblias, poderemos encomendar e pagar as Sagradas Escrituras na versão Antiga de João Ferreira de Almeida. Quando vendermos essas Bíblias, por meio de nossas distribuidoras, o dinheiro volta para o referido FUNDO DE CAIXA. Então mandamos fazer mais Bíblias, em vários tipos, encadernações e formatos. Nunca mais nos faltarão Sagradas Escrituras. A Sociedade Bíblica do Brasil se prontificou gentilmente a nos imprimir todas as Bíblias que desejarmos, compondo para nós uma chapa da Versão Antiga de Almeida.

Esclarecemos também que, as contribuições para a Sociedade Bíblica que tos os anos Deus prepara de serem feitas, por ocasião da Assembléia Geral Anual, devem continuar normalmente. Foi Deus Quem determinou este auxílio e devemos permanecer na obediência de Sua Vontade. Confirmando estes assuntos expediremos uma Circular que vai ser lida em todas as Congregações do Brasil.

- TOCAR NA CONGREGAÇÃO SEM PALETÓ - PRESIDIR CULTO SEM PALETÓ

Não podemos fazer isso, pois desmoraliza o santo serviço de culto a Deus. Se, perante uma autoridade material, vamos bem trajados e nunca de mangas de camisa, quanto mais perante o Senhor dos Senhores?

Porém temos que nos lembrar de que, se em outras partes os irmãos não tem paletó, isto não é um mandamento e nem uma imposição. Apresentem-se a Deus da maneira que puderem, e Deus aceitará.

- COOPERADOR QUE DEIXOU O MINISTÉRIO PODE LER A PALAVRA

O caso de cada um deve ser considerado. O Ancião que atende a zona deve saber se pode ou não.

- ADVERTÊNCIA SOBRE MANOBRAS DE ESPERTALHÕES

Temos que alertar a irmandade sobre as atividades de indivíduos que fingem ser nossos irmãos para lesar e iludir a muitos. Alguns desses declaram que são vendedores de instrumentos musicais, tomam dinheiro adiantado e desaparecem. Há um outro que diz ser fotógrafo e toma dinheiro adiantado, mas nunca mais ninguém o vê. Assim, quando vemos uma pessoa não conhecida se infiltrar em nosso meio, como irmão, e apresenta determinados negócios, tenhamos prudência. Costumamos dizer que homem avisado é meio salvado. Devemos ser simples como pombas mas prudentes como serpentes.

- RELAÇÃO DAS ALTERAÇÕES HAVIDAS NOS ESTATUTOS EM ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA REALIZADA..... A 17 DE ABRIL DE 1965.

......

Art. 15 - A fim de conservar a unidade de Espírito entre o povo de Deus, far-se-á realizar ANUALMENTE NA CAPITAL DE SÃO PAULO, UMA REUNIÃO DE ENISINAMENTO PARA TODAS AS CONGREGAÇÕES EXISTENTES NO BRÁS, devidamente representada pelos irmãos Anciães, Cooperadores e Diáconos e que será presidida pelo ANCIÃO LOCAL mais antigo no Ministério.

.......

= TÓPICOS - ASSEMBLÉIA DE 07 E 08 DE ABRIL DE 1966

01 - SOLICITUDE PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO DE COOPERADOR ABRINDO SALAS DE ORAÇÃO PRÓXIMAS UMA DA OUTRA

O ministério é um Dom de Deus, não depende da boa vontade nem da solicitude. Quem abre salas de oração com o intuito de ser cooperador, mais não é destinado por Deus para isso, provoca combatimentos e transtornos, colocando peso sobre a irmandade. Quando alguém quer abrir casa de oração, aqui em São Paulo, ficou determinado que deve falar com o cooperador e este fala com os anciães, ora-se e espera-se a vontade de Deus.

05 - ENSAIOS DE MÚSICOS - HINOS NOVOS

Deve-se continuar a fazer de vez em quando os ensaios com a irmandade, para aprender os hinos novos, para gravar bem na memória.

06 - SUBVENÇÃO DOS PODERES PÚBLICOS

Temos no Diário Oficial do Estado que Congregações do Interior continuam a receber subvenções do Estado. Somos ensinados a esperar do Senhor tudo o de que precisamos, não podemos receber esses auxílios. Eles tem fundo político e a Congregação deve se manter afastada completamente da política. Se recebermos, estaremos também infringindo a Lei do País, pois existem disposições que vedam essas subvenções.

07 - HORÁRIO DE CULTOS

Deve-se ter entendimento sobre o atendimento de culto. Se não há testemunhança, abrevia-se e o culto acaba mais cedo. Não é necessário o Ancião ou o Cooperador falar tanto. E se já é tarde, não é necessário cantar o hino final. Há irmãos que falam demais e cansam o povo. Também quando Deus der uma oração completa, já basta. Devemos levantar.

08 - BATISMOS FEITOS MUITO ÀS PRESSAS

Não é conveniente o servo de Deus fazer batismos em localidades, muito correndo, sem doutrinar o povo. É necessário o irmão Ancião fazer se possível, algum culto, para que Deus envie os ensinamentos. Às vezes o cooperador não tem o dom e o povo necessita dos ensinamentos. Fomos chamados para atender a Obra, não só Batismos, mas as necessidades, cuidando da Obra, cultivando, regando, cuidando da lavoura de Cristo.

09 - CASO LEVY DE SOUZA LIMA

Esta pessoa não é mais considerada cooperador e nem nosso irmão. Cometeu atos que feriram a moral, tendo confessado, o mal que praticou. Foi feito circular para toda a irmandade do Brasil, avisando que não recebam tal criatura.

10 - UNÇÃO

Estando um irmão enfermo e pedindo a unção, o Cooperador ficou três dias orando para saber se era da vontade de Deus ir. Não se deve fazer isso. A unção é mandamento da Palavra de Deus. E se o doente morresse? Quando o servo é chamado, deve atender. Quem não atende está fora da Palavra de Deus. Sabemos que a unção não tem o mesmo valor do Batismo. A salvação e a condenação pertencem a Deus. Mas temos grande responsabilidade quando somos chamados a ungir.

11 - MARCAÇÃO DO BAIXO

Com a deliberação dos baixos não fazerem marcação trouxe inconvenientes e desânimo em muitas localidades aos irmãos que tocam esses instrumentos, determinamos nesta reunião fazer voltar a marcação. Podem fazer marcação nas Congregações ao tocar os hinos, como antes.

12 - BAIXOS TUBA

Por serem de campânula muito grande e prejudicarem a visão de quem se assenta atrás, deliberou-se tirar da orquestra esse instrumento, mas não tirar de uma vez só; vão tocando, e quando puderem vender vão se desfazendo comprando outro instrumento.

13 - SERVIÇOS DE FUNERAIS PARA PESSOAS NÃO CRENTES

Se somos convidados a ler a Palavra e a realizar um serviço para pessoa não crente, podemos faze-lo, pois a Palavra não é para o morto, mas para os parentes. Deus pode salvar muitas pessoas que ali estão por esse meio. Entretanto, se vierem sacerdotes de outras crenças não podemos misturar um cousa e outra. Deixemos de ir.

19 - VASOS DE FLORES E FOLHAGENS NOS PÚLPITOS

Não convém colocar vasos de flores e folhagens nos púlpitos ou em outras dependências das congregação. Este é um costume que não aprendemos desde o princípio e devemos eliminar; é uma vaidade e não fica bem. O templo do Espírito Santo é o nosso coração. O importante não é o prédio mas nossos corações. Deus não ama o enfeie e o luxo mas a simplicidade. O povo de Deus deve ser atraído não pelos enfeites e adornos na casa de oração mas, pela presença de Deus. Cristo é o nosso modelo de simplicidade e pela Sua Palavra nos ensina a modéstia.

20 - LEITURAS EXTRANHAS

Sempre fomos ensinados a não ler leituras extranhas à fé, tudo o que necessitamos se encontra na Bíblia. Também não devemos freqüentar outras igrejas evangélicas ou crenças religiosas, pois o que é de necessidade o Espírito Santo que guia os servos de Deus envia à Igreja na ocasião própria.

21- ANCIÃES E COOPERADORES FALAREM ALTO

Há às vezes reclamações da irmandade, de que os Anciães e Cooperadores falam baixo e não se pode ouvir o que falam. Devem se esforçar por falar alto ou providenciarem microfone. O microfone é de grande necessidade e utilidade nas Igrejas, principalmente nas grandes. Deve-se fazer essa despesa e providenciar instalações de microfones, para o bem da irmandade.

22 - LEPROSOS QUE SAEM DOS SANATÓRIOS DE LICENÇA E QUEREM SER HOSPEDADOS EM CASAS DE IRMÃOS

Certos irmãos leprosos internados não tendo obtido alta, mas com licença, procuram a irmandade para ser hospedados. Não é prudente a irmandade hospedar, pois essa moléstia obriga o isolamento do doente do convívio com os sãos.

Os enfermos de lepra, ao saírem, devem ter a devida precaução de não procurarem se hospedar pela irmandade. Os irmãos Anciães e Cooperadores, procurem orientar a irmandade e os enfermos de lepra nesse sentido. Os nossos irmãos doentes de moléstias contagiosas tem licenaça médica para visitar a família e não ficar em convívo com a irmandade. Não é por uma falta de fé e amor, de nossa parte, mas é determinação das Leis do País. Estão livres para se congregar conosco; se não são conhecidos devem trazer carta do Cooperador de onde pertencem, mas serem hospedados não devem pedir.

23 - NÃO DEVEMOS TER IRMÃOS QUE FISCALIZEM A IRMANDADE

Outro ponto que não convém na Obra de Deus, é colocar irmãos na Congregação para ficarem vigiando a irmandade durante a oração, ou durante todo o serviço de culto. As localidades que ainda tenham fiscais, devem atender a este ensinamento e terminar com este sistema. Mesmo os irmãos que estavam como fiscais eram prejudicados, pois nem a Palavra podiam ouvir direito. Assim, os olhos do Senhor é que fiscalizam a Obra e não os nossos.

26 - ALTERAÇÕES DE DELIBERAÇÕES

Tudo o que se delibera pode ser alterado conforme a necessidade do momento. Há cousas que o Senhor responde “SIM” e outras que responde “NÃO”. Nisso nós ficamos e não alteramos, mas, quando Deus não responde nada não há responsabilidade de nossa parte. Assim é que nós consideramos, pode-se alterar segundo as necessidades do momento; é o caso das compras a prestações. Foi sugerido por vários irmãos a conveniência em se comprar terrenos a prestações, porém em nome da CONGREGAÇÃO.

27 - COMPETÊNCIA DE UNGIR ENFERMOS

Ungir enfermos é competência do Ancião ou Cooperador e não do Cooperador de Jovens e Menores. Que cada qual fique dentro de suas funções. Quando o Ancião, ou Cooperador ou o seu substituto não puderem por algum motivo de força maior atender, chamem um Ancião ou Cooperador de outra localidade. E mesmo podem pedir para o irmão Cooperador de Jovens e Menores, fazer só a oração, sem ungir; não é o óleo que sara, mas a oração da fé.

No ano passado foi dito que os Cooperadores de Jovens e Menores, podiam ungir, na ausência do Ancião ou Cooperador, mas agora o Senhor nos iluminou que isso não é da competência dos Cooperadores de Jovens e Menores. É da competência do Presbítero.

28 - NÃO ATRAIR CRIANÇAS PARA OS CULTOS DE JOVENS E MENORES COM PRÊMIOS, BALAS, ETC

Fomos ensinados, desde o princípio a não atrair as crianças com balas, doces ou brinquedos, para que freqüentem as reuniões de Jovens e Menores. Deve se atraí-las com a Palavra de Deus. Devemos despertar em nossos filhos o interesse pela vida eterna e não pelas cousas desta vida.

29 - CARAVANAS PARA IR A CULTOS DE JOVENS E MENORES

Já foi exortado a não se fazer caravanas de Jovens e Menores para visitar outras congregações. Caravanas não dão bom resultados. Deixam os pais preocupados, as crianças se cansam e enfim há muitos inconvenientes.

30 - ÓSCULO SANTO

As irmãs costumam dar três ósculos. Isso é novidade. Devemos nos saudar com um ósculo só. Na Palavra de Deus vem dito: “Saudai-vos uns aos outros com ósculo da caridade”. Alguns irmãos ao saudarem com o ósculo, apenas fazem menção de beijar, mas não beijam. Também está fora da vontade de Deus.

31 - VÉUS

O véu deve ser simples, sem enfeites. Devemos também nisso permanecer na modéstia. Mantilhas ou outro tipo de véus enfeitados não são convenientes, pois demonstram vaidade.

35 - CASAMENTOS

Esse mandamento divino vem bastante se difundido no meio da irmandade. Quando a Obra era nova, pouco se falava; ela era muito pequena. Hoje porém é rara a localidade em que semanalmente não sejam realizados casamentos entre a irmandade. Fazendo-se geralmente uma oração após a cerimônia do civil, evitando-se que, isso possa ser feito em um ambiente que fere a moral cristã. Não se deve realizar cerimônia de casamento nas casas de oração, porque a casa de oração é para se louvar a e apresentar a eterna Palavra de Deus. Necessitamos ter muito cuidado para não irmos para o formalismo, pois um abismo chama outro abismo. Conservamo-nos pois nos primitivos rudimentos que aprendemos do servo de Deus irmão ancião Louis Francescon.

36 - REUNÕES FAMILIARES

Em geral um solícito começa a levantar-se com a Palavra, em uma reunião familiar, contrariando o que sempre temos sido ensinados de levar o caso ao conhecimento do irmão Ancião que atende a zona que julgará essa necessidade, junto aos demais servos do ministério. Algumas vezes a Obra de Deus é colocada em lugares onde alguém da família não está preparado; assim que se examine antes de abrir, para que se compreenda onde se vai coloca-la. A própria família dona da casa necessita estar preparada. Também não deve ser permitido ser aberta em lugares de meretrício ou próximo a ele. Também existem os que com determinada pretensão abrem a Obra em sua própria casa. É necessário que o irmão ancião tudo compreenda, deixando-se para isso, guiar da parte de Deus.

37 - PONTOS DE DOUTRINA

Existem servos de Deus que o que escutam em nossas reuniões lançam na casa de oração que atendem de modo diferente do que o Senhor tem dado. Existem casos em que o ensinamento não é para ser lançado a irmandade. O que é para a irmandade, na ocasião própria o Senhor manda. Deve ser levado a irmandade o que ensina e edifica; quanto a pontos de doutrina é para que cada um dos servos aprenda como deve exercer o Ministério.

39 - CASOS DE OBRA DA PIEDADE

Para se colocar irmãs na Obra de Piedade é preciso usar de prudência. Temos que saber se é da vontade de Deus. Necessitamos examinar se a pessoa tem os requisitos exigidos pela Palavra de Deus. Às vezes, a irmã tem os requisitos, mas o esposo não é crente e isso poderá provocar combatimentos e aborrecimentos para todos. Em casas de oração pequenas não deve haver muitas irmãs e irmãos para a Obra de Piedade. Tem que ser proporcional à irmandade. Não é o grande número de irmãs de piedade que vai solucionar o caso dos pobres, em nosso meio. Quando os diáconos viajam geralmente os irmãos costumam pedir para fazer reunião da piedade, porém eles só poderão faze-las se forem enviados para tal fim, em missão da parte de Deus.

41 - ESTATUTOS

Os irmãos Cooperadores podem presidir as assembléias gerais anuais em sua própria localidade, para prestação de contas do movimento financeiro e eleição do Conselho Fiscal. Não é necessário que o irmão ancião que atende a localidade esteja presente, porém é o irmão presidente da administração que faz a declaração para essas assembléias, assinando as atas juntamente com o secretário pois é uma determinação da lei.

= TÓPICOS - ASSEMBLÉIA DE 01 E 02 DE NOVEMBRO DE 1967

= PREGAÇÕES:

= Filipenses, 2, versos 1 a 18.

.....Nunca façamos cousa alguma por contenda ou vanglória. Coloquemos em tudo o senhor adiante de nós. O campo nesta obra não é nosso, mas Dele. Deixemos de lado a expressão de que somos nós os realizadores de alguma cousa nesta obra. O “Eu” não deve existir. Lembremo-nos que o único que poder dizer “Eu Sou” é o Senhor. Portanto, convém que o Senhor cresça e que nós diminuamos. - .... O povo receberá o que é de Deus. Nunca nós devemos considerar os proprietários deste campo bendito, mas sim, trabalhadores neste campo. Tenhamos sempre muito afeto e carinho para com os santos de Deus. O amor é vínculo forte de união. Sabemos que a falta de afeto pode destruir um lar. E da mesma maneira, nas cousas de Deus, a falta de afeto pode destruir muitos lares. Pode desagregar até Congregações.

= TÓPICOS DE ENSINAMENTOS - 1967:

02 - OS DIÁCONOS CONVÉM ESTAR ENTROSADOS COM OS ANCIÃES E COOPERADORES, PONDO-OS A PAR DO ANDAMENTO, PROGRESSO E TAMBÉM DIFICULDADES DO TRABALHO DA PIEDADE.

Embora os irmãos Diáconos tenha autonomia em sua atuação, é conveniente para si próprio, estarem entrosados com os anciães e cooperadores da localidade ou zona que atendem. Sabemos que, conforme a situação do caixa dos diáconos, necessitando demais contribuição os sevos de Deus podem exortar a irmandade a produzir mais frutos para a Piedade.

Grande parte das localidades já tem congregação construída e a irmandade está acomodada. Estes podem ainda mais colaborar eficientemente nas contribuições para as necessidades e para as viagens. Anciães, cooperadores e diáconos tem funções definidas, mas trabalhem unidos.

2.1 - DIÁCONOS DAS DIVERSAS LOCALIDADES UNIREM SEUS ESFORÇOS......

Existe grande importância a colaboração entre diáconos de diversas localidades entre si, conforme o dom que Deus tem dispensado a cada um, quando o povo recebe o ensinamento de que quem contribui para a obra de Deus está entesourando para o bem de sua própria alma, este povo contribui com generosidade, obedecendo a voz do Senhor em seu coração também em casos de enfermidade, digo de enfermos ou necessitados, ou qualquer outra necessidade é de grande ajuda a ação conjunta de vários diáconos. Vemos também a utilidade de trabalho em conjunto, nos casos em que seja preciso aconselhar ao necessitado e seus familiares. (Nem sempre é preciso socorrer com dinheiro; tantas vezes a pessoa precisa é de admoestações. E aconselhando pelo Espírito Santo, desperta a fé no coração de quem ouve, falando com que alcance o livramento). Carinho, amor e misericórdia são tão indispensáveis quanto a importância que se oferece ao necessitado.

2.3 - IRMÃOS ANCIÃES E COOPERADORES EXORTAREM SEMPRE A IRMANDADE A CONTRIBUIR PARA A OBRA DA PIEDADE

Estes servos devem pedir a Deus que lhes abra as portas da exortação para ensinar a irmandade, movidos pelo Espírito Santo. Onde há diáconos, podem também contar com sua colaboração ao doutrinar a irmandade nesta importante Obra da Piedade. Em lugares onde a Obra é pequena e há pouca irmandade, não convém colocarmos muitas irmãs para o atendimento da Obra da Piedade. Havendo muita gente a trabalhar e a procurar casos de necessitados, surgem também casos que não vem a nosso encontro mandado por Deus, mas pelo desejo de fazer aparecerem casos. Os verdadeiramente necessitados, Deus os encaminha para nós ou no-los aponta. Para esses casos e para as viagens dos servos, necessidades da Igreja, construções, a irmandade, tem que entregar o coração a Deus e se esforçar. E compete aos irmãos Anciães e Cooperadores colaborarem com os diáconos, trazendo sempre à memória da irmandade essa permanente necessidade. Deus recompensará a todos com suas gloriosas benções.

2.4 - VIAGENS DA IRMANDADE A NEGÓCIOS - NÃO DEVEM SE HOSPEDAR, ALMOÇAR OU JANTAR NA CASA DE SERVOS DE DEUS

Este costume de muitos irmãos negociantes tem prejudicado sensivelmente os servos de Deus. E compete aos irmãos Cooperadores, principalmente, levarem este ensinamento ao povo. Quando se viaja a negócios particulares, tendo consequentemente os lucros e vantagens dos negócios a que nos dedicamos, não se deve procurar a casa do servos de Deus da localidade onde estamos negociando para que ali nos hospedamos. .... - Temos notado que estes que sobrecarregam os servos de Deus são geralmente os negociantes de cereais, os mascates e os que negociam com criações. ....

2.6 - ERROS DOUTRINAIS E PREGAÇÕES E ORAÇÕES NOS CULTOS

Os erros de doutrina são prejudiciais, pois induzem os ouvintes a uma compreensão e interpretação errônea dos textos da Sagrada Escritura, trazendo também um critério diferente quanto aos ensinamentos que temos recebido desde o princípio. Certo é que esses erros são involuntários, feitos pelo engano no falar. Então os servos devem ter espíritos de humildade e renúncia ao amor próprio, aceitando de bom grado a correção, retratando-se perante o povo.

2.7 - CORREÇÕES DE ERROS - FAZÊ-LO DE BOM GRADO RETRATANDO-SE PERANTE A IRMANDADE

....quando erramos em algum ponto de Doutrina ou mencionamos uma passagem da Palavra de Deus em lugar de outra passagem e um servo ou qualquer simples irmão nos advertem o erro, agradecemos e aceitamos de boa grado a correção, desfazendo prontamente perante a irmandade o engano, ou se não o pudermos fazer prontamente, façamo-lo na primeira oportunidade. Assim demonstraremos nossa humildade, crescendo então no conceito do povo e dos demais servos, podemos evitar cair em erros de Doutrina no falar,.... - Devemos evitar também aprofundarmos em certos assuntos. Convém usar também nas pregações somente expressões que já conhecemos e entendemos seu significado. Muitos erram porque querem falar com um palavreado difícil, usando palavras cuja significação desconhecem. E daí surge o engano e o falar uma cousa por outra. Portanto, usemos o falar simples, com o qual estamos acostumados ao pregar a Palavra. E Deus nos guiará tudo.

2.9 - CAIXAS DE ESMOLAS

As caixas de esmolas destinadas a se colocarem as contribuições para as diversas coletas, são às vezes expostas muito à vista, à porta de entrada da Congregação. Isto dá uma deplorável impressão como se tratasse de uma caixa de esmolas. Convém então deixarmos estas caixas em lugares mais escondidos. Ou melhor dizendo, conviria eliminarmos as caixas de coletas, fazendo com que o irmão Diácono ou o irmão incumbido de receber a coleta ponha o dinheiro em seus bolsos para cada assunto a que a coleta se destina. Convém decorar cada bolso, tendo sempre em memória qual a coleta que se colocará nele. Para um bolso, coleta para a Obra da Piedade, para outro Construções, para outro, necessidade da Igreja e para outro viagens de Anciães. Pode-se também encomendar ao alfaiate calças com bolsos maiores, ao fazermos nossa roupa, se nossa função é receber coleta. Nas reuniões para a mocidade no Brás, em São Paulo, quando há coleta especial usamos excepcionalmente umas caixas de papelão. Isso porque são quase oito mil pessoas a contribuir e temos quatro portas de saída. Mas em outros casos não usamos caixa alguma. Envelopes podem se usar.

2.10 - CARTAS DE APRESENTAÇÃO - NÃO EMPRESTAR FOLHAS DE BLOCOS

Quem assina carta de apresentação são os anciães e cooperadores. Saibam os que assinam, quão grande é o valor de uma assinatura. É de valor jurídico incalculável. Nunca se deve assinar cousa alguma em branco. E nunca devemos emprestar folhas de carta de apresentação do nosso bloco, pois este tem um número que corresponde ao número que está no relatório, com código de reconhecimento. ......

2.13 - TESTEMUNHO A CRIATURAS SÓ DEVE SER DADO APRESENTADO A SALVAÇÃO - NÃO OFERECER AUXÍLIOS DA OBRA DA PIEDADE NEM PROMETER

Não devemos dar esperanças a testemunhados de que o Senhor os curará de enfermidades se batizarem, ou que a Obra da Piedade os socorrerá. Temos que apresentar somente a salvação em Cristo Jesus. Nunca prometemos curas, pois isto está nas mãos de Deus, não é cousa nossa. E não podemos prometer aquilo que não nos pertence.


Admin
Admin

Mensagens : 1049
Pontos : 2451
Data de inscrição : 24/05/2009

http://oulorivallan.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Todos os tópicos de ensinamentos da CCB 1961em diante Até 2010

Mensagem por Admin em 25th Julho 2010, 4:04 pm

= TÓPICOS - ASSEMBLÉIA DE 02 E 03 DE NOVEMBRO DE 1968

= PREGAÇÕES:

= Zacarias, 4, 6/14

....Zorobabel simboliza Cristo Jesus. O servo de Deus está com o Senhor Jesus. Quem afronta ao servo afronta o Filho de Deus. E Deus arrazará quem se coloca contra Sua obra. As mãos do Senhor tem começado esta obra. Também suas mãos a acabarão. Tudo nesta obra é feito pelo Espírito Santo. Sem força ou violência. Não somos nós os que realizamos a obra. Não pelo esforço humano. O Espírito do Senhor é que opera.

Quanto aos dois raminhos de oliveira que estão junto aos tubos de ouro (visão que Deus mostrou ao profeta) esclarece-nos o Senhor: Os dois filhos do óleo representados pelos ramos de oliveira são os dois povos de Deus na terra: O povo de Israel e a Igreja de Cristo ( fim da exortação da Palavra).

= TÓPICOS DE ENSINAMENTOS - 1968:

- I - RECOLHIMENTO DO IRMÃO SECRETÁRIO GERAL DO PARANÁ, ALEXANDRE ADIB ABDULACK

No dia 07 de setembro do corrente ano o Senhor se comprazeu recolher para o repouso eterno o nosso caro irmão Alexandre Adib Abdulack, Secretário Geral do Estado do Paraná. Este fiel servo esforçou-se por fazer a vontade do Senhor por todos os dias de sua vida, até o fim. Oremos por seus familiares a fim de que o Senhor conforte e console seus corações.

- II - NOVO SECRETÁRIO GERAL PARA O ESTADO DO PARANÁ

Nesta reunião é apresentado a todos o novo Secretário Geral para o Estado do Paraná. É o irmão David Rodrigues Alves, colocado por confirmação da parte de Deus, em substituição ao irmão Alexandre Adib Abdulack que já dorme no Senhor.

- III - NOVOS ESTATUTOS E INSTRUÇÕES

Em Assembléia Geral Extraordinária realizada a 12 de abril do corrente ano na Casa de Oração do Brás, em São Paulo, Capital, nossos. Estatutos foram alterados e consolidados. Com registro em São Paulo, tem validade para todo o Território Nacional. ......

VI - CASAMENTOS COM ESTRANHOS À FÉ

Moços e moças que casam com estranho à nossa fé, costumávamos, aqui no Estado do Paraná, a cortar da comunhão da Igreja, não os considerando mais como irmãos. Anunciava-se isso perante a irmandade. Para este critério notava-se entretanto um inconveniente. Posteriormente o Senhor dava lugar de arrependimento ao faltoso ou a faltosa, chamando a esta graça o cônjuge que não era crente, e às vezes batizando até a ambos com a promessa do Espírito Santo. Éramos então obrigados a recebe-los novamente na Igreja. Tal critério ocasionava confusão. Deliberam os servos de Deus que, a partir desta data, não mais serão cortados da Igreja os que se casarem com estranhos à fé: TIRAM-SE-LHES TOTALMENTE AS LIBERDADES NA CONGREGAÇÃO. Não poderão mais chamar hinos, orar, testemunhar, levantar com a palavra, nem exercer ministério algum ou ocupar qualquer cargo. Mas continuam com a liberdade de se congregar. Não podemos tirar-lhes o hinário, a Bíblia ou o véu, pois tais objetos lhes pertencem. E com referência a Santa Ceia, não podemos negar a tais irmãos e irmãs. Participar da comunhão da ceia do Senhor é caso de consciência. Como exemplo podemos mencionar a própria Palavra de Deus, onde se lê que Cristo Jesus não negou a ceia nem a Judas Iscariotes, havendo já o diabo colocado em seu coração trair o Divino Mestre. E também vem dito: Examine-se o varão a si próprio e assim participe deste pão e deste cálice. Portanto, a Santa Ceia não negamos. Quando em nossa Congregação surgirem casos de moços ou moças que estão namorando com estranhos à nossa fé, podemos orar ao Senhor e chamar estes irmãos ou irmãs a conselhos, exortando-os a esperar no Senhor que Ele tudo prepare. Aconselhamo-los dentro da Palavra de Deus a não se unirem com um jugo desigual com os infiéis. Se estão realmente namorando pessoas não crentes, peçam forças ao Senhor e cortem prontamente o namoro, pois certamente Deus se agradará disso e abençoará grandemente quem se colocar dentro da obediência. Se a pessoa atender louvado seja Deus. Se não atender e o casamento vier a se realizar, faz-se então como foi ensinado nesta Reunião: Corta-se a liberdade da pessoa faltosa. Mas continua a ser considerada irmão ou irmã, podendo se congregar.

Convém, os servos de Deus, sempre que o Senhor ponha isso adiante para falar, exortarem a mocidade a não se prender com jugo desigual com os infiéis. Que procurem um santo ou santa de Deus para se unir em matrimonio, clamando a Deus e esperando nele para dar um passo tão importante como esse. Os moços tem mais responsabilidade do que as moças, pois há mais moças do que moços e as moças esperam que os moços as peçam. Se estes, que são em menor número, procurarem pessoas não crentes, a situação a se agravará ainda mais.

Quanto àqueles que, depois de se casarem com estranhos à nossa fé o Senhor perdoa e aceita novamente, não nos compete julgar o operar de Deus. A Obra é dele e não nossa.

Em conclusão: Quem casa com infiel perde o testemunho e é-lhe cortada toda liberdade. Mas cortar não cortamos. Todo membro do corpo que é cortado apodrece. E não queremos ser responsáveis pelo apodrecimento de alma alguma nesta Obra. E quem perdeu toda a liberdade poderá obtê-la novamente quando se notar, pelos próprios frutos, que Deus perdoou e recolheo novamente com a aprovação do alto. Ruth a Moabita, era estranha às Repúblicas de Israel. Mas humilhou-se e amou o povo de Deus e Deus a recebeu. De sua linhagem proveio Cristo segundo a carne. Em nosso meio também casais nas mesmas condições muitas vezes se tornam muito fervorosos, cheios de frutos de justiça. Assim, que os servos de Deus estejam sempre preparados com discernimento, justiça e equidade para julgar e considerar os casos, tendo sempre em mente os amaestramentos que pelo Espírito Santo foram apresentados nesta reunião sobre este delicado assunto. Deus iluminará a todos, não permitindo que os servos de Deus interpretem estes assuntos de modo diferente.

VII - EVITAR FILHOS - ABORTO

Estamos em uma época em que é moda evitar filhos. Os que evitam secretamente, pecam diante de Deus e acertam o caso com Deus. O que não devem fazer é ensinar a outros casais esse procedimento. Se sabemos que alguém ensina a outros como evitar filhos, chamemo-lo a atenção.

Quanto a provocar aborto, é crime. O homicida não entrará no reino de Deus. Assim, se marido ou a mulher, ou ambos juntos, praticarem um aborto, não os podemos ter na Igreja. Não podemos usar de misericórdia com quem não teve misericórdia com a vida do próprio filho.

VIII - PARTEIRAS NOSSAS IRMÃS NA FÉ - CASOS DE ABORTO

Havendo caso de aborto feito por parteiras nossas irmãs, é necessário examinar as circunstâncias. Se a irmã parteira faz isso voluntariamente, por ganância de dinheiro e por exploração, é uma criminosa sujeita ao juízo e condenação pelas leis. E deve ser cortada da Congregação. Mas se nossas irmãs parteiras faz um aborto por ordem do médico, não pode ser acusada nem condenada. É por força da profissão, no atendimento de uma necessidade.

IX - MARIALVA - CASO DO EX-IRMÃO FRANCISCO NOGUEIRA

Este ex-ancião caiu no mal, promovendo vários escândalos. Na reunião geral de ensinamentos deste ano de 1968, em São Paulo, Capital, todos os servos de Deus reunidos julgaram seu caso, considerando-o cortado da comunhão da irmandade. Não é mais nosso irmão.

Há pouco tempo, entretanto, Francisco Nogueira mudou-se para, digo, de Umuarama para Marialva, passando a congregar-se. E por ocasião da santa ceia nesta congregação forçou o Ancião que presidia a este serviço, a dar-lhe permissão de participar na mesa do Senhor. Além disso, quer se inocentar de seus pecados. A irmandade de Umuarama e Marialva, sabendo dessa ocorrência, indignou-se, declarando que, se Francisco Nogueira continuasse a ser considerado nosso irmão, deixariam de se congregar, passando para as seitas. Assim que, o aceitamento desta pessoa em Marialva, está prejudicando grandemente a irmandade, principalmente a de Umuarama.

Para livrarmos a irmandade do Paraná da influência dessa pessoa, é necessário que se faça uma circular assinada pelos anciães de São Paulo e do Paraná, dando-se uma solução definitiva a tal caso e advertindo a toda a irmandade para não o receber.

- XI - CASO RAYMUNDO CAVALCANTE DE PAIVA

Esta criatura não é considerada nosso irmão. É um egresso da Penitenciária Estadual de São Paulo. É estelionatário. Batizou-se em nosso meio por interesses mas não se converteu nem se regenerou de sua vida anterior. Na Capital de São Paulo prevalecendo-se da boa fé e confiança de um servo de Deus, conservou-se de posse de documentos quitados que deveriam ser restituídos àquele irmão ancião, e passou a pressiona-lo desejando receber novamente. Aplicou este golpe de estelionato porque queria que o servo lhe desse permissão para levantar com a palavra. Mas foi reprovado publicamente pelas maldades que maquinou contra os servos de Deus. Não é nosso irmão. Agora este elemento perigoso mudou-se para Ourinhos, onde se apresentou falsamente como um dos cooperadores de Guarulhos. Estado de São Paulo, e teve a audácia de se levantar para pregar a Palavra. Mas foi desmascarado, tendo-se em seguida advertido a irmandade a livra-se dele. Soubemos então que ele mudou-se para Londrina, onde pretende fixar residência, preparando-se para agir em meio à irmandade. Os servos de Deus desta localidade já estão prevenidos e preparados para advertir a irmandade a impedir que ele se infiltre em meio ao povo de Deus.

51 - APRESENTAR-SE PERANTE A IRMANDADE CONVENIENTEMENTE TRAJADO

Dentro de nossas possibilidades procuremos sempre apresentarmo-nos decentemente trajados e em condições higiênicas perante a irmandade. Estando perante um povo o servo de Deus deve usar gravata, assim como diáconos e administradores e até os irmãos músicos. Não se fala de congregações situadas em zonas rurais; cujo costume nos trajes são outros, porém falamos com referência a irmãos pertencentes a Congregações situadas em cidades e centros grandes. É conveniente também cada irmão ter seu lenço, pois por um princípio de higiene antes de nos saudarmos com o ósculo da caridade, se faz calor e estamos suando, devemos usar o lenço. Convém que façamos este aviso nos cultos por causa de irmãos e irmãs simples que necessitam ser orientados.

53 - CONSIDERAÇÕES VÁRIAS SOBRE O BATISMO

O batismo feito por João Batista era um sinal para despertamento dos Judeos e para que os caminhos estivessem aparelhados perante o Filho de Deus e houvesse boa vontade entre os homens. O batismo de Cristo Jesus feito por seus discípulos e apóstolos e tomado como um mandamento até o dia de hoje, veio para arrependimento, lavagem do pecado e regeneração para os povos. Assim que para ser salvo, é preciso crer primeiramente em Cristo, reconhecer-se pecador perante Deus, arrepender-se, aceitando o batismo e renascendo nova criatura perante Deus e o mundo. É o primeiro passo na senda com Cristo Jesus; em seguida, importa ser fiel até o fim da vida, para ganhar a coroa da glória eterna. Quando João Batista terminava sua carreira, declarou, referindo-se ao Filho de Deus: “Convém que eu diminua e que Ele cresça!”. Sobre nós cumpre-se também pela graça de Deus, a parte da Palavra que diz: “Ele (Cristo), os batizará com o Espírito Santo e com fogo.” Portanto, sempre é necessário que o servo de Deus ao realizar o batismo apresente a doutrina ao exortar a Palavra. Com poucas palavras e de maneira clara e compreensível, ao alcance de todos, tanto da irmandade como de creaturas ouvintes..

= TÓPICOS - ASSEMBLÉIA DE 31 DE MARÇO A 04 DE ABRIL DE 1969

= PREGAÇÕES:

- 2º dia: II Timóteo, 1 - 1/18:

....Não tememos o homem. Peçamos ao Senhor para nos tirar o medo. Pelo medo o dom que há no servo fica abafado e não se manifesta. E o que deve funcionar e agir nesta obra é o dom. Cuidemos de nós e guardemo-nos de oprimir a algum irmão, infundindo-lhe medo. Por falta de entendimento o ancião pode oprimir ao diácono e vice-versa. Quem é mais velho no ministério é mais experiente e pode orientar. Mas não guiar e dar ordens, o mais experiente não se assenhoreie do menos experiente. Seja seu conselheiro. Respeito entre os servos não é medo, o respeito é necessário e honroso. Mas o dom não pode ser abafado ou atingido pelo medo. Não tememos ninguém quando se trata de cumprir o que Deus nos determina fazer.

- 3º dia: II Samuel, 20 - 1/26:

....Não tenhamos ambição ou cobiça de cargos e de posições. Quem dá dons e cargos no ministério é só Deus.

...Guardemo-nos do espírito de inconformação, malícia e inveja. - ...

= TÓPICOS DE ENSINAMENTOS - 1969:

01 - INÍCIO DO CULTO

O Senhor nos tem iluminado para instituir o sistema de, quando o servo que preside o culto fala: “Deus seja louvado”, o povo se levanta unanimemente. Em seguida o servo diz as palavras de abertura de serviço quando a irmandade responderá o “amém”. É um modo solenemente respeitoso e indica veneração pela presença Santa de Deus.

02 - TÉRMINO DO CULTO EM HORA AVANÇADA

Quando o serviço de culto muito se prolongou e julgamos conveniente suprimir o último hino então cantemos um coro. Pode ser, mesmo sem o acompanhamento da orquestra, só em vozes. Temos o modelo do modo como o Senhor Jesus fez com seus discípulos, “e tendo cantado o hino, saíram para o Monte das Oliveiras”. ”Mateus, 26:30”.

04 - PRESIDÊNCIA DOS CULTOS

Soube-se que em determinada localidade onde a obra é nova o cooperador por motivo de serviço precisando se ausentar, deixou em seu lugar uma pessoa sectária. Não era nosso irmão na fé. O cooperador após, sendo chamado corrigiu tendo se humilhado e pedido perdão.

05 - RAZÃO PELA QUAL NOS LEVANTAMOS AO INÍCIO E TÉRMINO DO CULTO

Pela veneração à presença de Deus que invocamos. Deus faz visita a nosso meio quando nos reunimos em Seu nome. Sua presença é reverenciada durante todo o serviço de culto. Porém levantar-se ao ser iniciado e encerrado o culto, é sinal de respeito. Comparando, quando estamos em nosso lar nos levantamos para receber uma visita e outra vez nos levantamos ao despedi-la.

07 - ÓSCULO SANTO

É doutrina o se saudar com ósculo. Se alguém proíbe, está fora de doutrina e não poderá continuar a exercer o ministério, se insistir no erro. A saudação com o ósculo é mandamento da Palavra de Deus. “Saudai-vos uns aos outros com ósculo santo”. Romanos, 16:16 - I Corintios 16:20 - I Tessalonis. 5:26”. A Saudação é com um só ósculo, dois ou três é um hábito mundano. Não queiramos ser mais santos do que a doutrina de Cristo. Sabemos também que o beijo da caridade não traz contaminação. Ensinamos também que o ósculo não deve ser dado sobre os lábios nem tampouco sobre a orelha, porém na face. Sendo os irmãos e as irmãs entre si mesmos.

08 - VASCA - TANQUE DE BATISMO

Não usamos mais a palavra vasca; é termo italiano que significa: ânsia, convulsão e náuseas. Devido a que esta obra de Deus no Brasil ter sido iniciada na Colônia Italiana, a palavra vasca difundiu-se e passou a ser usada para designar os tanques onde realizamos os batismos. Não é a expressão adequada, não a usemos mais. Porém a palavra tanque de batismo que é a palavra exata no nosso idioma. É bastante útil para as Congregações em cada localidade construírem tanques de batismos. A congregação de S. Paulo fornece esquemas com o risco e as dimensões para sua construção. O tanque deve ser simples, sem luxo, os degraus devem ser rústicos, assim como o piso dos fundos para se evitar escorregões.

09 - HORÁRIO PROLONGADO EM SERVIÇOS DE CULTOS, REUNIÕES PARA A MOCIDADE, PARA JOVENS E MENORES, SANTA CEIAS, BATISMOS E FUNERAIS

É necessária a prudência quanto ao horário. Não é grato aos olhos do Senhor prolongar-se o horário do serviço; é certo que não há prazo de duração rigorosamente estipulado. Deus não dá o espírito por medida; porém, dá entendimento e nos ensina a ordem. Para que o serviço não se prolongue nos cultos, sejamos práticos principalmente na hora da liberdade para testemunhar. Podemos perfeitamente abreviar as cousas; se o culto termina mais cedo, não existe inconveniente. Vamos mais cedo para casa para repousar e muitas vezes grande parte da irmandade ainda vai jantar. Em batismos também é requerida a mesma prudência da parte do servo que preside; não é necessário mais de uma pregação de palavra, quem prega, permaneça sob o controle do espírito santo, pois, poucas palavras dadas pelo Senhor são melhores que muitas ditas pela nossa vontade. Quem repete muito as cousas, não tem o dom. Realmente, até para fazer batismo é preciso ter dom. O apóstolo São Paulo evangelizava, mas não batizava. Em reuniões para a mocidade ou para jovens e menores quando o servo se prolonga eles cansam-se e tornam-se desatentos, não havendo portanto proveito em tudo aquilo que se diz. Este cuidado deve sempre existir mesmo ao serem realizadas santa ceias e funerais.

10 - LETREIRO INTERNO “EM NOME DO SENHOR JESUS”

Tem havido sempre ensinamentos sobre isso; o letreiro não deve ser enfeitado, nem feito com letras góticas ou em relevo, assim como não convém iluminá-lo. Nós é que devemos ser iluminados pelo Senhor. Que se acompanhe sempre um modelo padronizado.........

11 - CONSTITUIÇÃO DA IGREJA DE DEUS

É conveniente que todas as Congregações tenham o quadro revelação da Constituição da Igreja exposto a entrada do salão. A Administração de São Paulo - Capital providenciara a impressão e a armação desses dizeres em moldura. Os quadros serão vendidos pelas Distribuidoras pelo preço de custo. Não é conveniente termos esses quadros pendurados em nossas casas, eles são feitos para uso nas Congregações.

12 - HORÁRIO E DIAS DE CUTOS

É deliberado que cada congregação, afixe-se uma placa externa na parede da fachada ou no jardim com os dias de cultos e respectivo horário. Essas placas são muito úteis, especialmente onde não existe moradia para o zelador e mesmo porque a casa do zelador geralmente é construída nos fundos; assim a placa auxilia e esclarece. Contudo, não deve haver precipitação para cumprir essa resolução; que se deixe o assunto para a Comissão de Construção e a Administração. Aos poucos todas as Congregações possuirão a sua placa externa afixada.

13 - CASAMENTOS DE SERVOS DE DEUS VIÚVOS COM IRMÃS JOVENS OU DESQUITADAS

Não vem tendo boa repercussão certos casamentos realizados em casos tais. Delibera então, agora, o Conselho de irmãos anciães tirar o ministério do servo que proceder desta maneira. Não é proibido casar novamente, especialmente quando um servo de Deus viúvo tem filhos menores ou mesmo porque não pode ficar só. Que ore a Deus e procure uma irmã na idade condizente com a sua, fazendo as cousas com ordem e decência, lembrando sempre a responsabilidade de seus atos perante a irmandade. Que se evite namoro e noivados longos. Que se honre a Palavra de Deus; que se honre o Ministério e a reputação desta obra de Deus. É necessário que sejamos espirituais e não carnais; da mesma forma não é lícito casar-se com desquitada. Que não se vá atráz do nosso gosto, porque ele tem que combinar com o querer de Deus e a boa repercussão em meio a irmandade, assim Deus abençoará a quem obedecer todavia, que se deixe passar longo tempo de viuvez para contrair novas núpcias, temos que evitar a murmuração.

14 - EDUCAÇÃO FÍSICA NOS ESTABELECIMENTOS DE ENSINO

Os filhos de nossos irmãos alunos de estabelecimentos de ensino devem frequentar aulas de educação física. Não podem ser impedidos; é coisa útil e obrigatória. O que devemos impedir é que nossos filhos participem de qualquer demonstração de caráter religioso ou idólatra. Nos colégios existem a fanfarra, que é uma banda composta de alunos apropriada para acompanhar desfiles escolares, nossos filhos podem ser componentes desses conjuntos, pois não os afeta em cousa alguma. Existem colégios que costumam ter distintivos; nossos filhos podem usa-los porém se tiverem imagens ou outros símbolos de idolatria, não permitamos que use.

15 - INIMIZADES DE SERVOS DE DEUS

Algumas vezes por uma circunstancia adversa, servos de Deus se encontram em controvérsia, ou tendo qualquer acaloramento de palavras que os deixam com a comunhão interrompida. É indispensável que a situação se conserte o mais depressa possível. Enquanto não se regualariza, não é admissível que os servos de Deus envolvidos se levantem para pregar a Palavra. Com poderão pregar estando desligados da comunhão e do amor? Assim é necessário reconciliarem-se e perdoarem-se do fundo do coração, encerrando o assunto e deixando toda prevenção, quando poderão então livremente se levantar para exortar e ensinar.

16 - DESQUITADOS PARA O MINISTÉRIO OU OUTRO ENCARGO NA OBRA DE DEUS

A Palavra de Deus nos ensina o único motivo que é permitido o divórcio ou o desquite é a infidelidade conjugal. Em Nosso país não existe o divórcio; nossas leis não o permitem ainda, todavia a parte ofendida pode desquitar-se. A Congregação não despreza quem busca por necessidade uma outra união matrimonial em país que a lei o permite. É preferível obedecer a lei de Deus do que cair em pecado. A irmandade pode receber como fiel quem, para evitar o pecado necessitou dar esse passo. Porém o que nós, servos de Deus, não podemos fazer é apontar irmãos ou irmãs para algum cargo ministerial ou administrativo ou para qualquer outro encargo na Obra de Deus. Não podemos colocar no ministério pessoas desquitadas; mesmo na lei de Moisés vemos que não era permitido aos sacerdotes casarem-se com mulher repudiada. “Levítico 21; 7/8/14”. Todavia, se faz uma ressalva: se algum servo já estava no Ministério e por infidelidade teve seu lar desmanchado por infidelidade conjugal, tendo então que desquitar-se, este pode continuar exercendo o ministério, reconhecendo-o a Congregação como fiel se porventura casar-se novamente por lei de país que permita.

17 - MANIFESTAÇÕES ESTRANHAS NOS CULTOS

......muitos se introduzem e se infiltram em meio a irmandade embora não pertencentes à nossa fé. Tem havido caso de espírito sedutor se manifestar na hora da oração por meio de pessoas pertencentes a seitas. O servo de Deus atento aquela manifestação estranha, começou a orar, interrompendo assim aquilo que não era proveniente de Deus. O conselho em que temos de nos firmar é o de doutrinarmos sempre a irmandade para que nessas ocasiões clame pelo sangue do Senhor Jesus, em voz baixa ou dentro de si. Se se invoca o Sangue de Cristo Jesus, nenhum espírito contrário pode permanecer no meio de nós. Retira-se prontamente, deixando o povo de Deus em paz. Temos que exigir carta de apresentação de pessoa proveniente de outros lugares que desejam testemunhar. Pessoas estranhas à nossa fé não devem ter liberdade, muito menos devemos convida-las para ler a Palavra.

18 - VASOS COM FLORES E FOLHAGENS DENTRO DAS CONGREGAÇÕES

Não temos por costume enfeitar com vasos de flores e folhagens o interior de nossas Congregações. Isso é um princípio de idolatria; quem enfeita a Congregação é a presença de Deus. E por essa bendita presença devemos ser atraídos. Se não tomarmos toda atenção cairemos no erro da idolatria, desviando-nos do nosso caminho que é para o céu. Temos que permanecer nos fundamentos que aprendemos desde o princípio.

20 - REUNIÕES CLANDESTINAS

Reuniões de cultos, mesmo familiares abertas sem se avisar aos anciães, geralmente ocasionam transtornos, quase sempre tais reuniões estão localizadas bem próximo a uma casa de oração onde a irmandade da vizinhança se congrega. Solícitos abrem então uma sala, realizando reuniões nos dias em que não há cultos na casa de oração principal; pois se for realizado nos mesmos dias não haverá irmandade para frequenta-la. Assim os servos de Deus no geral se encontra na contingência de parar tais reuniões. Que nada se faça arbitrariamente, de forma clandestina, porém às claras, dependendo sempre do Conselho e orientação dos servos que Deus tem colocado para cuidar da obra.

23 - SITUAÇÃO FINANCEIRA DE SERVOS DE DEUS

Já foi deliberado que o servo de Deus que mudar de sua localidade, abandonando o cargo ministerial, perde esse ministério. O ministério lhe foi dado no lugar onde ele está e não para outra localidade em mudança. O critério é um só; se permanecermos nos fundamentos antigos tudo irá bem, porém se tentarmos introduzir o sistema de irmãos de um lado para outro, deixaremos os fundamentos pelos quais Deus nos fez crescer e edificar até o presente, às vezes Deus nos quer provar com situação financeira difícil, todavia confiemos Nele.

24 - CLAREZA NA APRESENTAÇÃO DE CASOS

Ao apresentarmos um caso em reunião, façamo-lo com toda clareza para melhor compreensão, dos demais servos presentes. Um caso deve ser apresentado a Deus para dele receber a resposta, com todos os detalhes necessários e assim em comunhão o Senhor revela a seus servos a sua determinação no caso. De mais a mais é necessário constar de ata para o que também é preciso os detalhes mínimos do caso.

28 - TER O ESPIRITO SANTO E TER O DOM DE EVIDÊNCIA DE LINGUAS

Todos os que temos nascido no Senhor Jesus temos recebido o Espírito Santo, na nova regeneração que então se evidência de línguas, como já o tem feito no meio da irmandade, cumprindo o que prometeu pelo profeta “Joel, cap. 2, vs. 28/29”.

29 - ORAÇÃO

Convém ensinarmos a irmandade este ponto doutrinal, nunca nos dirigirmos a Deus em oração EM NOME DO PAI, DO FILHO E DO ESPÍRTO SANTO. Dirigimo-nos sempre a Deus Em nome do Senhor Jesus, assim como as demais cousas também o fazemos nesse Nome.

31 - VISITAS A DESVIADOS E ENFRAQUECIDOS NA FÉ

Ao fazermos estas visitas estejamos acertados de que é Deus Quem nos manda; comunicando ao mesmo tempo ao servo de Deus que iremos fazer tais visitas, em se tratando de outras localidades. Assim estaremos em liberdade para convidar ao desviado ou fraco na fé para novamente se congregar. Se não agirmos de tal forma criaremos confusões e transtornos eventualmente para o ministério local.

32 - BAIXO-TUBA E RABECÕES

Conservemos a mesma deliberação já tomada. É para eliminarmos de nossas orquestras. Todavia não oprimamos a músico algum; nem obriguemos a se desfazer do instrumento de um momento par outro. Vamos tolerando e aguardando até que Deus prepare outro tipo de instrumento para esses irmãos, pouco a pouco. Baixo-tuba e Rabecão, desaparecerão de nossas orquestras.

33 - SUICIDIO

São casos raros a ser chamado um servo de Deus para orar em tal caso. Não podemos impor mandamento: nem dizemos para ir ou para não ir. O servo de Deus deve deixar-se guiar da parte do Senhor. Se Deus nada faz sentir, fica em paz. E se o Senhor fizer sentir pode ir que não há prejuízo algum. Não olhemos com os olhos da carne, porém com os do Espírito, pois ninguém pode medir a extensão da misericórdia de Deus. Se na tentativa de suicídio ocorre a morte, nada temos a fazer. Não se faz o serviço de funeral, porém, se nos sentirmos podemos fazer uma oração para a família, após o corpo haver saído. Compreenda-se que para suicidas não se faz serviço de funeral, mesmo que tenha sido orado por ele antes de morrer.

34 - CASAMENTOS COM INFIÉIS

Não podemos orar em tais casamentos, assim como não devemos enviar outro irmão sem ministério para faze-lo. Se enviássemos, estaríamos delegando nossa responsabilidade ao irmão enviado. Não tenhamos respeito por pessoas que não acataram a Palavra de Deus, no entretanto certos casamentos com pessoas não pertencentes a nossa fé, surgiram por causa de grande necessidade. Não massacremos tais pessoas, nem as cortemos da comunhão da Igreja. Porém quem se casar perante o ídolo perdeu o direito de ser considerado como irmão ou irmã da mesma fé. Ao se ter conhecimento que um irmão ou irmã namora ou estão noivos com pessoas pertencentes, aliás, estranhas a nossa fé, procuremos aconselhar com todo o amor. Se houver uma insistência que resulte em casamento, o irmão não terá liberdade em testemunhar ou chamar hino nas Congregações, também não participando da Santa Ceia. O infrator que busque a Deus até que Ele manifeste frutos de Justiça; quando Deus manifestar o perdão, a pessoa se levanta em testemunhança pedindo perdão também em publico a Deus e a toda a irmandade. No entretanto os irmãos cooperadores do ofício ministerial não devem tirar a liberdade na Igreja sem consultar o irmão ancião que atende a região. Se fizer as cousas de comum acordo nunca poderão surgir complicações e aborrecimentos.

37 - REGIÃO

O conjunto de várias congregações atendidas por um servo de Deus deve ser conhecida como Região.

38 - MILITARES PRESIDINDO CULTOS

Existem irmãos cooperadores que são militares; em certos dias de cultos não lhes sobrando tempo parar ir até a casa trocar a farda por trajes civis presidem os cultos fardados. Isto não está bem e não proporciona um bom aspecto. Se não tem tempo para ir para casa trocar-se deixe um terno na Congregação e mude de roupas antes de abrir o culto. Aconselha-se a todos que presidem cultos ter discreção no trajar, evitando roupas muito vistosas ou de cores demasiado vivas. Sempre que possível convém os servos usar gravata. Quanto aos irmãos músicos sempre tem vindo ensinamento, das grandes cidades onde há maior comodidade os músicos devem apresentar-se com gravata, porém nas regiões rurais não é possível exigir isso. Que usem gravata quando as possibilidades o permitirem.

40 - HINÁRIO EM CASTELHANO

Pelo intercâmbio que Deus nos tem proporcionado com a cara irmandade das Repúblicas da Argentina e do Uruguay e pelos testemunhos partidos do Brasil pra o Paraguay, Bolívia e Espanha, onde Deus tem levantado Sua Obra, surge a necessidade de se traduzir nosso hinário para o idioma Castelhano, a fim de que nessa parte também haja uniformidade, e caminhemos todos dentro de um mesmo andamento em unidade de Espírito. Será editado inicialmente um hinário contendo duzentos hinos para adultos e cinqüenta para as reuniões de jovens e menores. Quando Deus preparar que fique pronta a tradução de todo o hinário, editar-se-á o hinário completo. Para esta edição inicial imprimir-se-ão cinco mil hinários simples sem música, sendo que os irmãos músicos desses países usarão o mesmo hinário que usamos com as Palavras em Português. O Senhor tem preparado que essa impressão seja custeada com o auxílio de parte da coleta realizada por ocasião da reunião geral anual de 1969.

41 - ADMINISTRADORES NAS REUNIÕES GERAIS DE ENSINAMENTOS

Nossos irmãos administradores das diversas localidades do País tem comparecido a estas reuniões, um de cada Administração em ocasiões especiais, ou seja quando há alteração estatutária ou outro motivo de força maior. Porque não podem vir todos e em todas ocasiões? Pelo motivo lógico de que não há lugar para todos. No geral os assuntos das reuniões são para os irmãos de ministério; todavia quando há assunto pertinente à administração constam deste resumo e em caso necessário são enviadas circulares pondo os administradores a par das resoluções.

42 - EXPRESSÕES INADEQUEADAS PROFERIDAS PERANTE O POVO

Devemos tomar cuidado com certas expressões ditas perante a irmandade. Mesmo quando se exorta sobre vaidade, modas, televisão, rádio, tenhamos precaução sobre os termos que vamos usar. Temos que nos conservar na santidade; é nosso dever respeitar a irmandade, usando linguagem sã e irrepreensível, isto é o que nos recomenda a Palavra de Deus. Que não se use de violência e nem de palavras ou modos que venham ferir a dignidade de quem quer que seja.

43 - POLÍTICA

O servo de Deus não pode se envolver em política. Esta advertência é feita a todos que participam do ministério; será empregada toda a energia na repreensão a tal erro. Sempre se aconselha aos irmãos do ministério a se conservarem afastados da política, no entretanto se tem conhecimento que alguns irmãos cooperadores do interior deste Estado e também de outros Estados, tomam parte ativa na política fazendo campanhas eleitorais, tornando-se assim cabos eleitorais e filiando-se a partido e alguns candidatando-se. Não permitiremos tal cousa; tomaremos medidas severas contra esses cooperadores que menosprezam o conselho e se rebelam contra uma determinação doutrinal desta obra. Quem quiser insistir e continuar na política, será tirado do ministério. A pessoa terá que escolher: ou o ministério ou a política. Os que desprezarem o ministério estarão desprezando o trabalho para o Rei da glória e abraçando a vanglória deste mundo. Não são dignos de serem considerados como nossos irmãos na fé. A Congregação e os que pertencem ao ministério e a administração devem se conservar neutros, quanto à política. Honramos as autoridades constituídas e ensinamos a irmandade a cumprir com o dever cívico, votando livremente no candidato que preferir. Não é permitido influir ou forçar a irmandade votar neste ou naquele candidato. Somente doutrinamos a irmandade a agir segundo a consciência, não votando em candidato do partido que nega a existência de Deus.

45 - DEVERES CÍVICOS

É dever de qualquer cidadão brasileiro atender, quando for nomeado pelo Tribunal Eleitoral para trabalhar em sessão eleitoral. É só no dia da eleição; nós não podemos nos negar. Estamos sujeitos as leis. Isto nada tem a ver com política, nem com ensinamento que se mencionou no item 43, é simplesmente um dever cívico que a pessoa cumpre.

46 - TRIBUNAL DO JÚRI

Se formos sorteados para esse tribunal não nos podemos negar. É um dever nosso atender e cumprir essa tarefa da lei fazendo parte do corpo de jurados da localidade onde moramos.

47 - QUAL A PESSOA PRONOMINAL QUE DEVEMOS USAR AO NOS DIRIGIR A DEUS

Temos que nos dirigir a Deus com o tratamento da segunda pessoa do singular, ou seja, “TU”. Alguns quando se dirigem a Deus em oração costumam falar “Vós ó Deus”. Nós não aprendemos assim pela Escritura Sagrada. Desde os patriarcas, profetas e apóstolos todos dizem: “Tu ó Deus”. Principalmente encontramos exemplo que nos tem deixado Cristo Jesus, quando nos ensinou o Pai Nosso. Nesta oração somos ensinados a chamar a Deus de Tu.

48 - PONTO DOUTRINAL - CONSIDERAÇÕES SOBRE AS PALAVRAS QUE SE PRONUCNIAM AO BATIZAR

O saudoso servo de Deus irmão Louis Francescon deixou-nos esclarecimentos sobre este ponto. O modo de batizar e a missão do batismo encontram-se em Mateus 18,19 “...”. A palavra ide exprime a ordem que Jesus nos dá e consequentemente a missão com a qual Ele nos envia. O MANDAMENTO DE BATISMO encontra-se em Atos dos Apóstolos 2, 38: “...”, para perdão dos pecados. Unindo-se os que vem dito nessas duas passagens, encontramos as palavras a serem ditas no batismo: “IRMÃO EM NOME DE JESUS CRISTO TE BATIZO, EM NOME DO PAI, DO FILHO E DO ESPÍRTO SANTO”.

49 - “EM NOME DE JESUS” OU “EM NOME DO SENHOR JESUS”

A diferença no emprego destas expressões no Novo Testamento “EM NOME DE JESUS” é frase usada na apresentação da salvação ao pecador e sempre que a expressão é dirigida a pessoas não crentes, conforme podemos ver claramente nos seguintes pontos: Atos 2-2:38 - 3:16 - 4:10 e Romanos 6:31. “EM NOME DO SENHOR JESUS” é frase usada quando a palavra se dirige aos salvos, aos crentes, conforme os capítulos Atos 8:16 - 19:5 - Colossenses 3:17 e I Corintios 5:14. O filho de Deus veio a este mundo tendo duas naturezas. A natureza humana e a natureza divina. Por isso Ele é chamado verdadeiro Deus e verdadeiro homem. Como homem padeceu na cruz, para remir a humanidade. Como homem conheceu a morte e desceu ao sepulcro. Nós, quando cremos em Jesus Cristo e o recebemos por fé, ao sermos batisados, na semelhança do sepultamento morremos com Cristo. Mas o Senhor Jesus desceu à morte. Esta não o pôde reter. Ele ressuscitou ao terceiro dia, triunfante e glorioso. Depois da ressurreição é que Deus o fez Senhor e Cristo. E nós quando saímos das águas do batismo ressurgimos em novidade de vida, tendo em nós a vida de Cristo. Temos a natureza de homem glorificada em nós mesmos. O primeiro batismo na igreja apostólica foi feito em nome de Jesus Cristo. E não em Nome do Senhor Jesus. Na Convenção que Deus nos deu de realizar em 1936 ficou deliberado que quem não se conforma com as palavras de batismo não tem o Espírito de Cristo, e não pode ter ministério. Nesta reunião aprendemos doutrina que não é ponto de vista deste ou daquele, mas a Santa verdade encontrada na Palavra de Deus.

54 - TOCAR EM DINHEIRO DA CONGREGAÇÃO É DE COMPETENCIA DOS IRMAOS ADMINISTRADORES E DIÁCONOS

Os irmãos Anciães e Cooperadores não devem tocar em dinheiro da Congregação. Deixem esse encargo para os irmãos a quem o Senhor tem colocado para isso. Tenhamos todos grande prudência. Deus nos tem colocado no ministério para cuidar da parte ministerial e não das cousas materiais. Não existindo administração o Senhor prepara alguns irmãos para lidar com o dinheiro. Todavia ainda existe a faculdade de que seja solicitado o auxílio de administrações próximas para cuidar da parte financeira, caso não existam irmãos preparados na localidade. Os diáconos tratem do ministério da piedade e atendem a todo o setor o qual Deus os tem colocado.

55 - CONTAS EM BANCOS

......- O dinheiro que entra para a obra da piedade os irmãos diáconos depositem em conta também em nome da Congregação, sendo possível em um outro banco para que seja evitada a confusão e mistura de dinheiro. Se for depositado no mesmo banco dá-se uma numeração as contas. Para os diáconos abrirem conta em um banco é necessário que a administração de procuração para movimentar a conta deles. Não havendo mais de um diácono a procuração pode ser dada a um outro irmão que trabalhe na Obra da Piedade.

58 - NOVOS ESTATUTOS

Já estão em vigor os novos Estatutos aprovados a 12 de abril do ano passado (1968) e registrado no Cartório do 1º Ofício do Registro de Títulos e Documentos no Livro “A”, nº 18, do Registro de Pessoas Jurídicas sob nº de ordem 16017....- Após junta-se uma ata dessa assembléia e uma certidão do registro em referência supra averbando-se em cartório ao primitivo estatuto, já que as modificações estatutárias só foram feitas em parte. A certidão é fornecida as administrações pela importância de dois cruzeiros novos, assim como o folheto de instruções dos novos estatutos pelo preço de vinte centavos. ......

59 - PRESENÇA DAS ADMINISTRAÇÕES NAS REUNIÕES MINISTERIAIS - ATAS

Sempre que se delibera alguma coisa, é necessário seja feita ata da reunião. Onde só existem irmãos cooperadores do ofício ministerial, é conveniente as administrações fazerem parte das reuniões assim como também onde existem irmãos anciães, principalmente em casos de resoluções, compras, reformas e outros assuntos que necessitam constar em ata. Os administradores devem sempre se conservar unidos com os servos de Deus; sempre prontos a acatar tudo o que o Senhor dá em ser deliberado, dispostos e de bom ânimo para colaborar nos empreendimentos necessários. Nunca devem tomar posição contrária ao que os servos de Deus deliberarem. Embora algumas vezes não tenham compreendido o que o Senhor dá em resolver em certos assuntos de caráter particular, íntimo só dos servos de Deus, dispensa-se a ata e a presença dos irmãos administradores, como sejam troca de idéias ou considerações gerais sobre o andamento da Obra de Deus. Na apresentação de um nome para um cargo ministerial e mais outros casos semelhantes, não é necessário os administradores estarem presentes.

60 - CONSELHO FISCAL

Os irmãos do conselho fiscal não devem dar qualquer parecer ou parecer anual se tudo não estiver em boa ordem. Não deve ser atendido pedido do servo de Deus para tal fim; caso a documentação não se encontre em ordem, suspendendo-se a realização da Assembléia para que a administração tome as providências necessárias.

63 - RECENSEAMENTO NACIONAL

A 1º de janeiro do próximo ano (1970), de acordo com a lei, será realizado o Recenseamento Nacional. Somos obrigados a responder o questionário e em geral o cabeça de casal, deve preencher esse questionário e, quando responder à pergunta de religião, incluir todos os filhos como crentes da Congregação, embora não batizados. Sendo classificados com protestantes, segundo determina a pergunta do questionário. Quanto às Estatísticas enviadas às Congregações deve cada localidade responder aumentando 30% na quantidade de irmãos para se evitar que menores não batizados, sejam computados para denominação que prevalece no Território Nacional. Sendo irmã viúva deverá também responder o questionário como aqui é explicado.

= REUNIÃO DOS DIÁCONOS - 1969

67 - DESPESAS FUNERÁRIAS

.... - em casos tais não havendo familiares para ajudar cumpre-nos custear o funeral. Não é admissível um irmão nosso ser enterrado como indigente; somos uma família unida, que manifestação de amor estaremos dando perante o mundo e mesmo perante a irmandade, se deixarmos que um irmão ou irmã sejam sepultados como mendigos. Por outro lado, lembremo-nos que a família do morto tem obrigação de custear as despesas de funeral; a Obra da Piedade só atenderá nesse caso quando a família é extremamente pobre e que é conveniente seja conhecido dos irmãos anciães e cooperadores. Pode ocorrer atendimentos momentâneos de despesas de funeral; como o INPS sempre tarda alguns dias para efetuar o pagamento do custeio do funeral e a família não tendo possibilidades a Obra da Piedade pode adiantar o numerário preciso. Quando a família for reembolsada, reembolsará também a Obra da Piedade, este é o critério mais acertado.

68 - ATAS

Só serão lavradas de reuniões regionais; para as semanais ou quinzenais não são necessárias; existindo comprovantes no geral das importâncias distribuídas. O controle do que é distribuído tem caráter inteiramente sigiloso, sendo acessível somente aos próprios diáconos ou à fiscalização pública. A própria lei exige esse controle; anotamos tudo para satisfazer a exigência legal.

69 - RECUSAR-SE A ATENDER A OBRA DE DEUS

Existem servos de Deus que, alegando ocupação no serviço material, embora estabelecidos, recusam-se a atender os casos na Obra de Deus. Isto nem serviço é justificável. Se ocorrer com um diácono não demonstrar ele disposição em servir a Deus, deixe então o cargo. O Senhor colocará outro que tenha desejo e disposição para trabalhar nesta bendita Obra, e que coloque as cousas de Deus acima de qualquer interesse.

70 - CONTRIBUIÇÕES PARA VIAGENS

.....- os frutos são para os servos que partem em missão confirmados por Deus em oração do Ministério. Não é conveniente que a parte da piedade seja fundida com as atividades da administração; temos tido exemplos de ocorrências nesse sentido: as construções da Congregação - S. Paulo poderão sofrer atrasos se for lançado mão de disponibilidades de caixa-geral para atender necessidades de viagens em missão. Caixa centralizada de contribuição para viagens dá ótimos resultados; em São Paulo - Capital, existem cerca de trezentas casas de orações, todas contribuem unidas para uma caixa só de viagem. .....- No Estado do Paraná pela graça de Deus isto tem dado excelentes resultados. Assim sendo em uma Congregação onde exista ancião, realiza-se mensalmente coletas regionais, abrangendo todas as Congregações que esse servo atende..

71 - ABANDONO DO TRABALHO SOB ALEGAÇÃO DE ATENDIMENTO DO MINISTÉRIO

Não se justifica tal atitude. .... - Porém quando existe solicitude por parte do servo ele sae fora do querer do Senhor, e começando assim a prejudicar o seu trabalho. Surgem então problemas com o empregador, ao final a perca do emprego ..... - ...quando Deus envia, tudo é diferente. Deixamos tudo em suas mãos e partimos para atender a Obra; Ele cuida do que é nosso e nos faz prosperar, e o Espírito de Deus realiza a obra do Ministério. Nasce às vezes muita precipitação dos servos de Deus ao atender a convite para visitas; procuramos a guia do Espírito Santo e não o desejo de quem quer nossa visita. Quem se encontra em situação difícil, analise-se por ventura não se acha neste artigo, devido a própria solicitude e imprudência.

73 - AUXILIARES DO DIÁCONO NO CONTROLE DE CAIXAS CENTRALIZADAS

Estes auxiliares estão prestando ótimos serviços junto aos irmãos diáconos. Peçamos ao Senhor para que Ele nos ilumine e aponte elementos para esse cargo; irmãos que tenham os requisitos e os dons para trabalhar no serviço da Obra da Piedade, na função de auxiliar de diácono. Mesmo que sejam simples irmãos, sem cargo algum na Obra. Se por ventura tais requisitos e dons estejam em um irmão pertencente a administração e Deus confirmar sua colocação como auxiliar do diácono, o irmão passa a exercer também este cargo continuando na administração.

A função de atendimento a servos que viajam é extremamente melindrosa, não deve ser revelado quanto se deu ou quanto se deixou de dar para o servo que viaja em missão. Não se pode contar nem à própria esposa. O auxiliar de diácono deve também ter a virtude do sigilo; empregando o raciocínio, os cálculos e as regras diversas que regem esse setor, sempre com a guia do Espírito Santo. Não auxiliar a vontade e nem ser avarento. As Caixas centralizadas não se organizam; são instituídas pela guia do Senhor.




Admin
Admin

Mensagens : 1049
Pontos : 2451
Data de inscrição : 24/05/2009

http://oulorivallan.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Todos os tópicos de ensinamentos da CCB 1961em diante Até 2010

Mensagem por Admin em 25th Julho 2010, 4:09 pm

Tópicos 1970 a 1979 - Principais


TÓPICOS - ASSEMBLÉIA DE 23 A 27 DE MARÇO DE 1970

1 - ASSUNTOS A SEREM TRANSMITIDOS A IRMANDADE

A partir deste ano nosso resumo de ensinamentos virá com um sinal “*” em forma de estrela chamado asterístico. Este sinal é colocado à frente dos tópicos de assuntos que necessitam ser transmitidos a irmandade. Os tópicos que não tiverem tal sinal só são para os servos do ministério.

4 - MUDANÇAS DE LOCALIDADE

Deus não erra quando levanta um ancião, diácono ou cooperador para determinada localidade. E, como é que a pessoa não encontra condições materiais e se muda? Si Deus até então o tem ajudado, não o poderá continuar ajudar? Assim é deliberado que quando o servo for transferido para outra localidade pela firma em que trabalha, ele deve obedecer; porém, quando muda por ambição de querer melhorar a situação material que até então era boa, ou visando a comodidade de filhos que estudam, perderá o ministério. Quem milita deve militar legitimamente. Alguns mudam para melhorar a situação financeira e colocam substitutos em seus lugares querendo de longe atender a Obra, isto não está certo, devendo assim deixar o ministério. Si transferidos pela firma em que trabalha, quando aposentados deverm voltar a sua comum Congregação. Não se pode impedir que mudem, porém que fiquem sentados.

5 - SITUAÇÃO FINANCEIRA DE SERVOS DE DEUS

Nunca se deve como servos de Deus prevalecer do cargo para tomar dinheiro emprestado da irmandade, nem do diácono e nem da administração. Às vezes sucede que o servo de Deus age com certa autoridade, resultando situações que podem comprometer ao ministério. O dinheiro da Obra de Deus não é para fins particulares. Deve-se saber que cada família tem um nível de vida, sendo necessário assim acomodar-se dentro do que ganha não influindo ao servo de Deus, que deseja um conforto além do possível e com isso deixando embaraçado. Os anciães e cooperadores não devem receber ofertas ou coletas da irmandade, devendo ensinar a irmandade a se dirigir diretamente aos diáconos e irmãos colocados para esse fim.

7 - QUADRO DE HORÁRIO DE CULTOS

Tínhamos deliberado nas reuniões gerais do ano passado adotar quadros com horário, dia de cultos nas fachadas das Congregações: TODAVIA NÃO FOI ORADO A DEUS A RESPEITO. Posteriormente o Senhor falou em revelação a um seu servo: “NÃO É DE MINHA VONTADE QUE COLOQUEIS O QUADRO DE HORÁRIOS E DIAS DE CUTLOS. NÃO DEVEIS TER NENHUMA APARÊNCIA DE SEITAS, NEM COPIAR AS COISAS DOS SECTÁRIOS E ESTRANGEIROS. PORVENTURA O MEU POVO VEIO POR MEIO DE PROPAGANDAS DE RÁDIO, TELEVISÃO OU REVISTAS? NÃO FUI EU QUE OS TROUXE NO MEIO DE VÓS? E VOU CONTINUAR, TENHO UMA OBRA MAIOR DO QUE A QUE VOSSOS OLHOS VÊM PARA REALIZAR NO MEIO DE VÓS. “Os quadros não serão adotados.

11 - (*) FOTOGRAFIAS EM SERVIÇOS DIVINOS

O Senhor tem revelado que não se tirem fotografias em serviços de batismos, cultos, santa ceias e reuniões ou o que quer que se faça perante o Senhor. A honra nunca deve ser dada ao homem, mas sim inteiramente tributada a Deus. Entretanto si o governo enviar fotógrafos, temos que dar liberdade pois não sabemos a obra que Deus quer realizar. Estes ensinamentos são para guardarmos dentro do coração e pormos em prática.

12 - COMPANHEIROS DE VIAGEM

Nas viagens em missão dos servos de Deus eles devem aceitar para companheiros irmãos que possuam bom testemunho. Que não falem chocarrices, nem dados a brincadeiras, comprometendo assim o serrvo de Deus perante a irmandade por onde passa. Nos percursos de viagem o servo de Deus deve permanecer em comunhão. Não se sabe o espírito que será encontrado no lugar para onde se dirige. É indispensável que se tome muita atenção quanto ao abuso de bebidas alcoólicas. Quem viaja com os servos de Deus deve saber que a missão é dele, acompanhando-o assim para onde ele for, sem interferir no desenvolvimento da missão.

13 - (*) COMÉRCIO DENTRO DAS CASAS DE ORAÇÃO

O comércio dentro da casa de oração sempre foi condenado pela Palavra de Deus.....- ....Deus falou em revelação a um seu servo: “Não quero mais comércio dentro de minhas casas de oração”. Também o Senhor não se agradou do que havia na Congregação em São Paulo na ocasião das reuniões gerais; barbearia, tinturaria, engraxate, lavanderia, ambulatório. Todos estes serviços eram prestados aos servos que vinham do interior e outros Estados gratuitamente. Porem Deus não quer mais estes serviços que nos estavam colocando nos caminhos das obras assistenciais humanas. Nada disso é necessário na Obra de Deus.

Os servos de Deus que vem do Interior e outros Estados para participar destas reuniões gerais, de agora em diante não se carreguem mais de encomendas da irmandade de onde os irmãos procedem. Aqui se comparece para aproveitar tudo o que Deus envia e não para ficar preocupado em fazer compras para a irmandade. Muitos nem assistiam a todas as reuniões pois empregavam o tempo fazendo as compras. De agora em diante exortem a irmandade a não fazer encomendas. Os servos não vêm para negócios. Vêm para servir a Deus. Nos anos passados ficavam diversos irmãos com automóveis disponíveis para levarem os servos de Deus para um e outro lado durante o tempo das reuniões. Mas de agora em diante não ficarão mais irmãos com veículos para esse fim. Pois isso só estava prejudicando tais servos espiritualmente. E transtornava os serviços internos da equipe que aqui trabalha nos períodos das reuniões.

15 - (*) CRIMES POLITICOS

Pode ocorrer que alguém já cumpriu pena ou esteja cumprindo por crime político, ou mesmo respondendo a processo. Não deve testemunhar que está sofrendo perseguição. Não deve pedir oração a irmandade e os servos que presidem aos cultos também não podem pedir a irmandade para livrar a este ou aquele de processo que ocorre na polícia ou nos tribunais. A JUSTIÇA E AS LEIS EXISTEM NO PAÍS PARA JULGAR E PUNIR E FORAM POSTAS POR DEUS. IRMÃOS QUE SABEMOS QUE FORAM PROCESSADOS PELO GOVERNO NÃO TEM LIBERDADE PARA PREGAR A PALAVRA EM NOSSO MEIO. Pode-se tornar um filho de Deus, reconhece-mo-lo como irmão, porém se sente levantar com a Palavra não podemos ter essa liberdade para não comprometer a Obra de Deus.

16 - (*) QUADRO REVELAÇÃO DA CONSTITUIÇÃO DA IGREJA

Este quadro Deus fez saber por oração deve ficar exposto no saguão de cada casa de oração. Tal ensinamento foi dado o ano passado. Não são para serem expostos nas moradias; porém, para serem colocados nas casas de oração.

17 - (*) SOCIEDADES SECRETAS

Somos alertados a ter muito cuidado com determinadas sociedades secretas que estão visando angariar membros no meio do povo de Deus; até servos de Deus são visados. QUEM INGRESSAR NESSAS SOCIEDADES SEJA DO MINISTÉRIO OU SIMPLES IRMÃO, SERÁ DESLIGADO DA COMUNHÃO DA IGREJA.

18 - PÍLULAS ANTICONCEPCIONAIS

Para entrar nesse assunto é preciso orar e esperar que Deus envie pela Palavra. Sabemos que Esta nos recomenda que as mulheres se casem e gerem filhos.

20 - (*) PORTEIROS NAS CASAS DE ORAÇÃO

... - ... Entretanto, existem casos de irmãos ou irmãs que ficam como fiscais, inspecionando a irmandade com a intenção de conservar a ordem. Mas nota-se que em vez disso, estão provocando desordem. Que não sede permita fiscais na casa de Deus. (TEM TÓPICO PARA ATENDER OS ANCIÃES, HOUVE AGRESSÃO EM SÃO PAULO)

27 - (*) BEBIDAS

Não queremos proibir bebidas; o que é necessário é se alertar contra os abusos. Não comer nem beber demais. Tudo nos é lícito, mas nem tudo nos convém. Em casamentos tem havido abusos, não só no beber e no comer assim como no vestir. Porque é festa de casamento pode-se usar vestido curto? Usar pintura? Trajes decotados ou sem mangas? - De modo algum. E às vezes são irmãs velhas no caminho que assim agem.

33 - FUNERAL À NOITE

Em certa localidade um serviço de funeral foi realizado à noite após o culto; é preciso ter cuidado para não se introduzir novidades na Obra de Deus. O serviço de funeral deve ser feito uma hora ou quarenta minutos antes do corpo sair. O serviço não é para o morto, mas sim para os vivos; para conforto à família e testemunho aos ouvintes e edificação a irmandade que se encontra presente.

39 - (*) SAUDAR A QUEM FICOU SEM LIBERDADE

Se não é caso de muita gravidade e a pessoa está refazendo seu testemunho, podemos saudar. Temos a Paz de Deus em nós e disse Jesus: “Em toda a casa que entrardes, direis a Paz seja nesta casa, si a casa for digna a paz repousará sobre ela e si não for voltará para vós.

42 - TELEVISÃO

Si ensinamos a irmandade que a televisão é um ladrão dentro de casa os que têm ministério não devem possuir esse aparelho.

43 - O QUE É PENTECOSTES

Pentecostes era uma festa instituída pela lei Mosaica e comemorada anualmente em Israel; conhecida como a festa das semanas, porque era realizada quando transcorridas sete semanas após a Páscoa. Era também denominada festa das Primícias, visto serem ofertadas ao Senhor as primícias dos frutos das colheitas. A ela devia comparecer todo o povo de Deus. Devido a esta determinação, reuniam-se em Jerusalém, Judeos de todas as partes do mundo. Por esta razão é que estavam nesse dia em Jerusalém, Judeos estrangeiros, para cumprir o que vinha prescrito pela Lei. E Deus, segundo sua sabedoria celestial quis dar a Promessa do Espírito Santo com evidência de línguas estranhas, aos discípulos nesse dia. Para que o testemunho dessa operação constasse a todos os judeos religiosos e sendo feriado nesse dia, aglomeraram-se muitos judeos estrangeiros religiosos em Jerusalém. Então Deus para que o testemunho desta operação constasse a eles, levantando o Apóstolo Pedro com palavras compungiu os corações e assim naquele dia agregaram-se quase treis mil almas, formando assim a Igreja primitiva.

A descida do Espírito Santo não foi por causa do dia do Pentecostes, mas sim ao que Deus falara pela boca dos seus santos profetas e depois confirmado pelo seu Santo Filho, o Qual disse: Não vos ausenteis de Jerusalém até que do alto sejais revestidos do poder. Portanto, não somos pentecostais, pois estamos na doutrina apostólica e cumpre-se em nosso meio os dons de Deus.

46 - PRESIDÊNCIA DOS CULTOS - LEITURA DA PALAVRA - NÃO É O HOMEM QUE NOS DÁ A PALAVRA

Quem está presidindo ao culto, não deve forçar irmão algum a pregar a Palavra. Deus é Quem sabe qual o servo a quem revelou a Palavra. Si algum servo levanta com testemunho subindo ao púlpito, quem preside não deve insistir para que pregue a Palavra ao término do testemunho, nem dizendo ao irmão: “Temos prazer que o irmão pregue a Palavra ou às vezes, temos prazer que presida ao culto.” A Obra de Deus não é feita por prazer de ninguém; que desapareça o homem e fique só entre nós a glória de Deus. Nos testemunhos quem preside deve estar atento, vigiando para que cousa alguma estranha se manifeste perante o povo de Deus. O servo de Deus não deve perder a simplicidade na presidência do culto si comparecerem pessoas de posição elevada ou mesmo irmãos de outras localidades em visita. Na casa de Deus honramos a Cristo unicamente e a Deus o Creador. Independente disso, honramos e respeitamos a todas as autoridades e pessoas, pois assim nos ensina a Palavra de Deus. Si comparecerem ao culto pessoas de alta categoria social, autoridades, ministros religiosos ou pessoas influentes, a irmandade não deve levar ao conhecimento do ancião ou cooperador que preside ao culto para que este não se sinta embaraçado ou sem liberdade de falar com toda a franqueza tudo aquilo que Deus lhe puzer adiante na pregação da Palavra.

TÓPICO 52 - (*) BÍBLIAS ATUALIZADAS

A Congregação Cristã no Brasil não adotou a Bíblia atualizada; a irmandade evite comprá-las. Suas alterações são muitas o que se nota ao proceder a leitura lendo-a comparando-a com a velha versão, notando-se assim prontamente as alterações que ela contem.

TÓPICO 56 - (*) RECENSEAMENTO

Informamos os irmãos que no dia primeiro deste ano será realizado o recenseamento abrangendo todo o país. Os servos de Deus devem ensinar a irmandade atender com toda a prontidão e cordialidade aos recenseadores que os visitarão em suas casas, colaborando com eles em tudo. Na parte de religião devem responder: “Protestantes” porque a lei assim nos classifica.

= REUNIÕES DE DIÁCONOS - 1970

TÓPICO 66 - INTERFERÊNCIA EM OUTROS SETORES DA OBRA DE DEUS

Os diáconos não devem interferir na administração e nem no ministério da Palavra. É belo o ministério da Piedade. Lavar as chagas dos outros, vestir aos pobres, vemos como fez o bom samaritano. Tu vestes aos outros? Deus te vestirá de justiça. Cuidas da vida dos outros? Deus cuidará da tua vida. Alguém julga pouca coisa este ministério. Saiba que é muito importante. Agora tu vês doenças e outros males, mas naquele dia tu verás a glória de Deus.

TÓPICO 68 - UNIDADE NA OBRA DA PIEDADE

É necessário que o diácono se comunique também com as irmãs da Obra da Piedade, relatando o que se passa e dando satisfações. Sempre com espírito de união e nunca ficar baseado no que ele sentiu sozinho. Quando Deus confirma por dois ou mais é muito bom. Existem diáconos que não prezam, que não honram as irmãs nesta parte da revelação do querer do Senhor. Elas também têm o espírito de Deus e temos que às vezes ter cuidado daquilo que nós mesmos sentimos, porque pode não provir da parte do Senhor. Peçamos então para que Deus nos revele, porém revele também aos demais. Cristo deve ter domínio em toda a Sua Obra.

TÓPICO 72 - MESA DA PIEDADE E MESA DA PALAVRA

A primeira é posta para saciar a vida terrena e a da palavra para saciar as almas. Os diáconos viajando ocupem-se da Obra de Piedade e não de pregar a Palavra. Para essa necessidade irá o servo de Deus de quem o Senhor se usa. O ancião também pode determinar qual o diácono que pode atender uma viagem. Nem todos os diáconos podem viajar só porque são diáconos. Nem todos estão preparados para isso. Existem diáconos que deixam a mesa da piedade para atender a mesa espiritual; quando há servo já preparado para atender a isso. Os diáconos não devem dominar os anciães ou cooperadores. A Obra de Deus é como o mercúrio, si alguém o quer destruir ele se derrama em pequenas gotas que depois se unem novamente. Assim qualquer irmão pode pregar a Palavra, quando Deus chama nada impede. Não se pode abafar o dom de Deus e o dom de Deus não traz confusão. Todavia, a Obra de Deus não é carreira ou sociedade ou política, nem curso militar que se vai galgando. Aqui é pelo dom de Deus; si Deus manifesta o dom não o podemos reprmir, mas si Deus não dispertar não podemos dar o ministério.

TÓPICO 73 - BATISMOS

Filipe batisou; mas não era o seu ministério. Não podia ir um ancião e ele fez. Não havia quem o fizesse por causa da perseguição. Porém o ministério de batismo pertence ao ancião.

TÓPICO 75 - IRMÃS NA OBRA DA PIEDADE

Sempre que for preciso colocar irmãs é necessária a Guia de Deus. Irmãs novas na fé não convém colocar.

= REVELAÇÃO DE DEUS A UM SEU SERVO SOBRE ASSUNTOS DIVERSOS:

......

OBREIROS NA OBRA DE DEUS

Para colocar irmãos na contabilidade assim como em outro qualquer cargo na Obra de Deus, é necessário ser levado em oração ao Senhor pelo ministério.

Os infiéis acertarão contas com o Senhor.

PRESIDÊNCIA DOS CULTOS

Em determinadas localidades existem anciães que mandam os cooperadores abrirem os cultos e isso por muitas vezes. Essa não é a vontade do Senhor. Os anciães na comum Congregação devem presidir para impor respeito e vigiar sobre o povo de Deus. - ...

Os irmãos que forem ordenados anciães em Congregação onde já existe cooperador deve colaborar com ele não lhe tirando o direito da presidência. Somente deve presidir na sua comum Congregação quando forem colocados cooperadores após a ordenação. A presidência na Obra de Deus é parte muito importante. Quem preside presida com cuidado. Quem preside deve ter amor paciência, mansidão, temperança, humildade, prudência e pureza, mas tambérm deve ter cuidado de não ultrapassar a Palavra de Deus deixando entrar outros espíritos, invejas, ciúmes, intrigas.

Nem todos anciães podem presidir reuniões e resolver casos.

Existem aqueles em quem o Senhor colocou o dom da presidência. Outros há que só podem atender batismos e santa ceias. Todos receberam do Senhor Jesus, uns mais e outros menos. Fique cada qual no que recebeu.

reuniões gerais anuais

Nas Congregações onde são realizadas reuniões gerais deve ser conservada a simplicidade em tudo. Não buscando o conforto da carne. Não é necessário lavanderia, barbearia, engraxates, ambulatório. Este é o caminho para a seita.

Si se prega a fé, como se tem um ambulatório? A nossa palavra tem que ser verdadeira e não falsa.

COISAS ESTRANHAS À OBRA DE DEUS

O javali (inimigo) e as feras do campo (que são maus espíritos) procuram destruir a vinha do Senhor e quando se nota que coisas estranhas começam a entrar na Obra devemos nos prostrar em oração e o Senhor os afugentará.

Em alguns países o javali entrou e fez grande estrago na Obra de Deus. Si se observar os ensinamentos como tem sido até hoje aqui, ele não entrará. Quem tiver espírito de divisão será lançado fora. Quem bem servir ao Senhor em si mesmo terá a Guia.

= AOS CAROS IRMÃOS DO MINISTÉRIO ESPIRITUAL E ADMINISTRAÇÕES

.........

Quando vierem para as reuniões devem trazer consigo os talões comprovantes; os balancetes poderão as administrações remeter até fim de janeiro. As administrações procurem ter seus balancetes bem organizados, pois pela lei temos agora que fornece-lo ao Imposto de Renda, caso que será melhor esclarecido no Resumo das Reuniões Gerais deste ano.

Infelizmente recebemos quase uma centena de balancetes errados e muitas Congregações não os enviaram; dessa maneira como agir perante o Imposto de Renda? Nós povo de Deus, principalmente sendo da Obra de Deus, devemos apresentar o que a lei exige, uma cousa certa para que o bom Nome de Deus e da Congregação não venha a ser blasfemado. Quando em uma Congregação não houver irmão capacitado em fazer o balancete, deve ser procurado meios precisos para que isso possa ser feito.

.....

Vossos irmãos na fé que vos saúdam em Cristo Jesus.

(a) Anciães: Miguel Spina

Rizzieri Lavander

Secretário Geral: Reynaldo Ribeiro

= TÓPICOS - 36ª ASSEMBLÉIA DE 05 A 09 DE ABRIL DE 1971

01 - NOVIDADES NA OBRA DE DEUS - DECISÕES - TRAZER EM REUNIÃO

Nunca introduzamos novidade alguma na obra de Deus. Se alguma coisa nos parece boa e de utilidade para todos, temos que aguardar a reunião geral de ensinamentos para então apresenta-la à apreciação de todos, buscando-se a resposta de Deus em oração. Havendo aprovação, a decisão será acatada por todos e posta em prática. Para que a obra de Deus tenha sempre um mesmo aspecto e caminhemos na unidade de fé e Espírito.

02 - (*) PINTURAS E IMPRESSOS DE QUADROS COM MOTIVOS E DÍSTICOS BÍBLICOS - QUADRO “EM NOME DO SENHOR JESUS” SÓ EM CASAS DE ORAÇÃO E NÃO NOS LARES

Deliberou-se nesta reunião exortar a irmandade a não ter em casa, dependurados à parede, pinturas e quadros com dísticos ou motivos bíblicos. Isto, além de ser costume setário, acabaria por introduzir novamente em nossos lares a idolatria de que Deus já nos libertou quando nos chamou a esta graça. A princípio introduzir-se-ia pinturas e quadros de passagens bíblicas e por fim imagens de profetas e santos. Deus abomina a idolatria. Temos que advertir a irmandade, pois isto é ponto que afeta à doutrina.

Alguns irmãos que se ocupam em vender tais quadros foram aconselhados a não o fazer mais.

Quanto ao quadro “EM NOME DO SENHOR JESUS”, é para ser usado em casas de oração e congregações, onde se realizam cultos a Deus. Nos lares e em outros ambientes não é adequado usar esse quadro.

03 - (*) RAZÃO DE USARMOS EM NOSSAS CONGREGAÇÕES O DÍSTICO “EM NOME DO SENHOR JESUS”

Por que razão usamos unicamente o dístico “EM NOME DO SENHOR JESUS” em nossas congregações?

É importante inteirarmos-nos da origem deste ponto fundamental:

Nos princípios desta obra, não havia ainda sido adotado passo bíblico algum, para uso como dístico nas salas de oração. O servo de Deus, nosso irmão Louis Francescon, não tinha uma definição sobre qual versículo adotar. Certo dia, estando orando, ele e outro irmão, com uma irmã que tinha o dom de interpretar línguas, o Espírito Santo se manifestou em língua estranha por boca do irmão Francescom. Deus concedeu a nossa irmã de interpretar, dando comunicação disso ao servo: “Irmão, o Senhor falou que não há necessidade de procurar tantos passos bíblicos; basta esta frase: “EM NOME DO SENHOR JESUS”.

Alguns foram de parecer que a frase não estava completa. Dever-se-lhe-ia acrescentar a palavra “Cristo”. Mas certamente a frase está completa, pois encontramos em Colossensses capítulo 3, verso 17: “E, quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei tudo EM NOME DO SENHOR JESUS, dando por Ele graças a Deus, Pai.”

Quanto a quadros de fotografias de Congregações pendurados à parede, convém evitar. Por outra parte temos que ter todo o cuidado para não dar mandamentos. Sobre fotografias de familiares pendurados à parede, não se dão mandamentos. Deixemos o povo de Deus livre.

(*) FASCÍCULOS ILUSTRADOS DE HISTÓRIAS BÍBLICAS, PARA CRIANÇAS

Estão sendo vendidos em bancas de jornais fascículos semanais ilustrados de passagens bíblicas. Tais fascículos não são convenientes para nós e nossas crianças, pois trazem impressos na última folha e contra-capa imagens de ídolos. Para nós e nosso filhos basta-nos a leitura da própria Bíblia.

05 - (*) CARTÕES PARA CONTROLE DE RECITATIVOS, COM ASPECTO SETÁRIO

Tais cartõezinhos, que as irmãs e irmãos auxiliares de reuniões para jovens e menores entregam aos jovens e às crianças para saber que capítulo e verso lhes compete decorar para recitar, devem ser o mais simples possível. ...- ...Há congregações que competem com as outras, procurando apresentar cartão mais bonito. E já havia começado entre a mocidade o hábito de colecionar cartões de recitativos de outras localidades. Até correspondência muitos enviavam solicitando que remetessem os cartões para a coleção. Notava-se o desejo de exibição e vaidade. A obra de Deus não é feita com exibição e vaidade, mas com simplicidade. Convém os servos de Deus, anciães e Cooperadores, acompanharem o andamento das reuniões para jovens e menores em suas congregações, a fim de evitar que surjam essas coisas, que dão aspecto setário.

06 - (*) CONVITES DE CASAMENTO COM PASSOS BÍBLICOS

Também este ensinamento faz parte do resumo do ano passado. Devido à necessidade é repetido na reunião deste ano. É conveniente os servos de Deus ensinarem à irmandade, expondo os assuntos tratados nas reuniões quando tais assuntos dizem respeito à irmandade.

Não se devem fazer convites de casamento com passos bíblicos ou com emblemas simbolizando a Bíblia.

Houve um convite que mencionou algo totalmente contrário à sã doutrina: mencionou que “a família se sentiria honrada com a presença dos convidados para assistir à BÊNÇÃO NUPCIAL”. Não é dada bênção nupcial e não se faz cerimônia religiosa em casamentos. O que sempre temos feito é uma oração, e, se Deus nos der no momento, algumas considerações sobre o casamento. - isso não é bênção nupcial. - NÃO HÁ BÊNÇÃO NUPCIAL NA OBRA DE DEUS.

08 - NÃO ORAR PARA QUEM CASA COM ESTRANHOS À FÉ

Em tais circunstâncias é necessária muita prudência por parte dos servos de Deus. Deixemos que o Senhor nos guie e ilumine em cada caso. Se a pessoa que Deus chamou a esta graça já estava comprometida, não nos compete dar mandamentos nem obrigar a romper o compromisso. Se Deus nos faz sentir de ir orar, iremos; se não nos faz sentir, esclarecemos aos noivos a razão, para que não se sintam abatidos. Temos que considerar cada caso. Mesmo no caso em que não tenham dado bom testemunho; compete-nos exortar sempre, esperando que Deus opere nos corações.

09 - (*) NOS CASAMENTOS - NÃO CANTAR HINOS

Ao princípio desta obra, quando ainda era pouca a irmandade, cantavam-se hinos em casamentos. Mas Deus nos esclareceu a não misturar as coisas espirituais com as materiais. O que sempre temos feito e faremos, com a ajuda de Deus, é uma oração. E devemos exortar para que cada oração seja venerada e respeitada. Que cada qual dos convidados, nossos irmãos na fé, saiba ser moderado, assim no comer quanto no beber, evitando escândalos.

10 - (*) CHÁ DE COZINHA

.... - ....Não haveria inconveniente algum no chá de cozinha. Inconvenientes são os exageros e escândalos que tem surgido nessas ocasiões. Isso é procedimento mundano. E nossa mocidade não deve adotar hábitos mundanos. Somos povo que caminha na luz. E a luz deve aparecer em todos os nossos atos.

Não se proíbe chá de cozinha. Mas que seja dentro da decência e modéstia cristãs, no temor do Senhor.

Do mesmo modo os jovens: Há também o costume de dar uma festinha, só para os moços, como despedida de solteiro. E surge também os inconvenientes e exageros que não devem ser admitidos.

Deliberou-se apresentar esse ensinamento em reuniões para a mocidade, onde Deus dará a seus servos de exortar e aconselhar aos moços e moças a fim de que, tudo o que não serve de edificação seja posto de lado.

Podemos nos utilizar das coisas com moderação e no temor de Deus, sem dar tropeço a quem quer que seja.

13 - (*) FUNERAL PARA CRIANÇA QUE NASCE MORTA

Em tais casos só se faz uma oração. Para consolo dos pais e dos demais familiares.

14 - COOPERADORES QUE CHEGAM ATRAZADOS PARA ABRIR O CULTO - O HORARIO DEVE SER RESPEITADO - BATISMOS NÃO DEVEM SER PROLONGADOS

Há cooperadores que chegam atrazados à congregação para abrir o culto; a irmandade, por mais de uma hora, os fica esperando, cantando hinos; o horário para iniciar o culto santo à Deus deve ser respeitado. Se tais cooperadores não podem atender ao cargo, deixem o lugar para outros. E é conveniente que haja sempre em cada congregação algum irmão, de bom testemunho, aceito por toda a irmandade, que possa, em alguma emergência ou atrazo involuntário do servo de Deus, abrir o culto. Admite-se o atrazo de alguns minutos.

Quanto a serviços de batismos; Há anciães que têm o hábito de prolongar desnecessariamente o serviço, expondo a irmandade aos rigores do sol.

......

15 - PREGAÇÕES PROLONGADAS E PRELEÇÕES DURANTE O SERVIÇO, ENFADANDO A IRMANDADE

Há anciães e cooperadores que, logo no início do culto, acham motivo para exortar; antes da oração, exortam; antes da liberdade para testemunhança, também exortam; e assim durante todo o transcurso do culto. Que tais servos aprendam com os outros o modo de presidir a um culto, pois é necessário aprender o que convém. Para o bem da irmandade. Assim evitaremos queixas contra nossa maneira de proceder.

16 - PREGAÇÕES EXCESSIVAS CONTRA USO DE JÓIAS, VAIDADE, TELEVISÃO, ETC.

Os servos de Deus têm que apresentar doutrina à irmandade.

Pregar contra televisão, vaidade, jóias, é só quando Deus manda pregar. E Ele não manda repetir todas as noites de culto a mesma coisa. Sua palavra, quando Ele a pronuncia, produz efeito no coração da irmandade.

Muitos servos não entendem isso e julgam que é pelo muito falar que obterão resultados. E com isso enfadam e entristecem a irmandade batendo sempre contra tais coisas. Temos que lembrar também que há irmandade nova; se insistirmos em falar de nossa própria vontade arriscaremos a por tropeço diante dos novos. Deixemos que Deus opere. Ele sabe quando é o momento certo de falar e Ele limpará os corações. Para que não sejamos marcados pela irmandade como o irmão que só prega contra isto ou aquilo, dando a impressão de que não temos outra coisa a apresentar ao povo.

Quem exorta a palavra deve faze-lo com gravidade; com palavras sãs, cuidadosos. Que ninguém empregue termos que despertem malícia. Tal escrúpulo deve também ser observado por parte de quem preside reuniões para a mocidade. Temos que santificar a Cristo e nosso coração. E Ele se incumbirá de limpar Seu povo de modas, perucas, vaidade, etc.

17 - TESTEMUNHANÇAS ALÉM DAS 20,30 HORAS OU PREGAÇÕES ALÉM DAS 21,15 HORAS

Vem dito na palavra de Deus que o que preside, presida com cuidado. (Romanos 12,6). Quando os testemunhos se prolongam além do horário de costume, canta-se somente um verso de hino, ou um dos coros, ou mesmo suprime-se o hino. Do mesmo modo após a palavra; Se a palavra termina um pouco mais tarde, canta-se só um verso de hino ou um coro.

Conforme ensinamento vindo em reunião passada, não convém despedir a irmandade sem cantar ao menos um coro.

18 - EVITAR QUE IRMÃS SE INFILTREM EM MEIO AOS IRMÃOS PARA SAUDÁ-LOS AO TÉRMINO DO CULTO

A saudação de despedida entre irmãos e irmãs, quando é encerrado o culto, deve ser normal, como sempre o foi: saudemos às irmãs que vamos encontrando, e as irmãs aos irmãos da mesma forma. Mas o motivo deste ensinamento é a respeito de as irmãs se infiltrarem em meio aos irmãos com o intuito de saudar a este ou aquele. Se tais irmãos desejam ser saudados pelas irmãs, que se coloquem mais próximo do corredor das irmãs e assim serão saudados sem que elas se vejam forçadas a irromper por entre os irmãos. É uma medida que produzirá melhor aspecto.

20 - HONRARIA DA ORQUESTRA A COOPERADORES

Há cooperador que espera que a orquestra o busque lá fora para, no som de música, entrar na congregação para abrir o culto. Quem fez isso não o repita. Os hinos são para louvarmos o santo nome de Deus.

22 - IRMÃOS QUE VÃO A SEITAS E ESPIRITISMO

As medidas não podem ser iguais para todos os casos. Há pessoas novas no caminho que ainda não entenderam a graça de Deus; nos apertos da vida são induzidas a recorrer a tais coisas. Compete-nos chamar e orientar a essas pessoas, advertindo-as a não incorrer mais em tais erros diante de Deus. Se são pessoas antigas na fé, temos que usar de medidas severas. Quem errou e depois mostra arrependimento, terá que se levantar perante toda a irmandade, pedir perdão a Deus e à irmandade, para nunca mais cair em tais males. Querm recusar fazer isso não terá mais liberdade alguma em nosso meio.

26 - COMISSÁRIO DE MENORES

Tal cargo não é emprego, nem obrigatório por força legal. É exercido por voluntários. Não é cargo remunerativo. Não se recebe salário por ser comissáro de menores.

Para nós, crentes, é uma pura vaidade desejar ser comissário de menores. Quem se prende a esse compromisso vê-se obrigado a comparecer a lugares impróprios para os filhos de Deus. Deve prestar serviço à noite, fora de hora, e passa a perder os cultos. Isso acaba por danificar a vida do crente, levando-o à ruína espiritual. Temos tido dolorosos exemplos de irmãos que eram cheios do Senhor, de excelente testemunho, mas se sobrecarregaram a si mesmos com tal carga e hoje estão longe do Senhor.

Os servos de Deus tenham em mente que tal assunto não é para ser ensinado ou tratado publicamente nas congregações, pois envolve assunto pertinente às autoridades. Mas se souberem que algum irmão está se inclinando para isso, aconselhem-no, fazendo-lhe ver os riscos a que estão expondo sua própria alma. Aconselhem-no, se necessário, perante os familiares e irmãos de responsabilidade da igreja, para que o conselho fique bem patente.

27 - REUNIÕES PARA A MOCIDADE - SISTEMA DE DESPEDIR-SE POR MOTIVO DE CASAMENTO

.....

Se o número de casais que se vão despedir é grande, fazemos do seguinte modo: TERMINADA A EXORTAÇÃO DA PALAVRA, CHAMAMOS À FRENTE MOÇOS E MOÇAS QUE VÃO SE DESPEDIR, CONVIDANDO-OS A SUBIREM AO PÚLPITO. ENTÃO AJOELHAMO-NOS TODOS EM ORAÇÃO DE AGRADECIMENTOS. NESSA ORAÇÃO, QUE SERÁ FEITA PELO IRMÃO ANCIÃO QUE PRESIDE, SERÃO APRESENTADOS CONJUNTAMENTE OS QUE SE DESPEDEM, ROGANDO-SE A DEUS PARA QUE OS ABENÇOE. LEVANTANDO-SE DA ORAÇÃO VÃO OS MOÇOS E MOÇAS CADA QUAL A SEU LUGAR E ENCERRA-SE O SERVIÇO. TAMBÉM NESSE CASO, ANTES DE ORAR, O SERVO QUE PRESIDE PODE APRESENTAR OS CONSELHOS QUE DEUS LHE TROUXER ADIANTE.

29 - SANTA CEIA SOMENTE PARA A MOCIDADE - SANTA CEIA A PORTAS FECHADAS

Em determinada localidade o irmão cooperador havia planejado fazer a mocidade participar da santa ceia ao final do serviço, isoladamente. O irmão ancião que foi atender a essa santa ceia aconselhou-o, no amor do Senhor, a não fazer isso. Não existe distinção em meio à irmandade. Na presença de Deus não há diferenciação de sexo ou de idade. Se fizéssemos santa ceia só para a mocidade iríamos introduzir novidade na obra de Deus.

Muitos se referem à mocidade intitulando-a de “ornamento da obra de Deus”; outros chamam-na “o jardim do Senhor”; e outros a consideram “a igreja do futuro”. Essas expressões não tem fundamento. São maneiras de falar que uns copiam dos outros. Devemos ensinar a irmandade a evitar essas expressões que não se justificam. Ornamento da obra de Deus são todos os que honram a sua palavra e a sã doutrina; jardim do Senhor somos todos e não somente a mocidade; e chamar a mocidade de igreja do futuro não forma sentido, pois no futuro essa mocidade estará velha e sempre haverá na igreja irmãos e irmãs jovens e velhos.

.....

Outra inovação que surgiu: realizar santa ceia a portas fechadas. Nunca se viu isso na obra de Deus. Quem assim o fez, que o não repita.

30 - UNIFORMES COM CALÇAS COMPRIDAS PARA MOÇAS EM ESCOLAS E FÁBRICAS - SEU USO OBRIGATÓRIO

Em alguns Estados do Brasil tornou-se obrigatório por lei o uso de uniformes com calças compridas para moças, em escolas. Sendo determinado por lei, nossas filhas estão sujeitas a essa determinação; caso contrário, como poderão freqüentar as escolas?

No referente a fábricas, conforme o gênero do maquinário, tem a indústria adotado calças compridas para operárias. Para se eliminarem os riscos de acidentes. Assim, tanto nas escolas como nas fábricas, não há inconvenientes que irmãs nossas usem tais uniformes. Entretanto, aconselhamos a que, ao se acharem fora do ambiente escolar ou de trabalho, usem a roupa comum, própria da indumentária feminina, apresentando-se com trajes adequados a uma cristã. Sabemos que é contra a palavra de Deus mulher usar roupa de homem e vice-versa. Mas no ambiente escolar e em fábricas, desde que obrigatório, as irmãs podem usar tais uniformes.

Em zonas rurais, onde as senhoras necessitam frequentemente utilizar-se de montaria, as irmãs usam calças compridas, mas usam ao mesmo tempo o vestido.

31 - NÃO TER AMBIÇÃO OU SOLICITUDE PARA CONSTRUIR CONGREGAÇÕES

......

Temos que esperar que Deus envie o povo em nosso meio; depois pensaremos em construir congregação. Não deve haver ambição ou solicitude, tanto do servo como da irmandade, para construção.

......

Há também a vaidade em muitos de querer construir congregações grandes, suntuosas, monumentais. Pretendem coisas acima das próprias forças, sacrificando a irmandade, que não consegue levar a cabo a exagerada empreitada. .... - ..... O bom senso e a experiência nos tem ensinado sobre a vantagem de construir várias congregações menores pelos bairros e periferia de cidade e não uma congregação central de proporções descomunais.

41 - BANDEIRA NO PÚLPITO

Quanto a bandeiras nos púlpitos das congregações: não há lei que obrigue a implantação do Pavilhão Nacional nos púlpitos das igrejas ou em qualquer de suas dependências. Poderá ocorrer que, algum prefeito, movido por entusiasmo, queira obrigar. Compete-nos, com paciência e mansidão, esclarecer que, diante de Deus, os cultos que realizamos, tem caráter essencialmente espiritual e cumprimos o que recomenda a palavra de Deus: “daí a César o que é de César; e a Deus o que é de Deus.”

43 - TELEVISÃO: ANCIÃES, DIÁCONOS, COOPERADORES E COOPERADORES PARA JOVENS E MENORES NÃO PODEM TER

O Senhor concedeu de ser deliberado unanimemente, nesta reunião geral anual e assembléia; OS IRMÃOS ANCIÃES, DIÁCONOS, COOPERADORES DO OFICIO MINISTERIAL, E COOPERADORES DE REUNIÕES PARA JOVENS DE MENORES NÃO PODEM TER TELEVISÃO.

45 - NÃO SE DEVE FAZER PROMESSA DE LIBERTAÇÃO OU CASTIGO NAS PREGAÇÕES, ESTIPULANDO PRAZO PARA QUE SE CUMPRAM

Devemos estar prevenidos contra certos costumes estranhos que estão querendo se implantar na obra de Deus, ou melhor esclarecendo, nos próprios que pregam a palavra: Pregar libertação ou castigo (e até a morte) estipulando a data em que tal coisa se cumprirá. Irmãos, temos que estar muito acertados por Deus, ao estipular prazos. Se a promessa estipulada com prazo determinado não se cumpre, o povo passa a descrer do que sai de nossa boca. E cairemos em descrédito. Por culpa nossa, visto não nos deixarmos guiar pelo Espírito Santo. Portanto, deixemos tais costumes prejudiciais e evitem falar o que Deus não nos manda.

46 - NÃO DEVEMOS PREGAR CONTRA O ESTUDO

Há servos que interpretam como uma proibição de estudo a parte da palavra que diz: “e o muito estudar enfado é da carne.” - NÃO É PROIBIDO ESTUDAR. Nesta reunião é dado esclarecimento a todos: O QUE NÃO PODEMOS FAZER É ESTUDAR A PALAVRA DE DEUS. Quanto a estudar para ampliar os conhecimentos na parte material, em nossa profissão ou outras atividades, é coisa boa e proveitosa. Quem tem oportunidade de estudar, deve aproveitá-la. Atualmente, com o grande desenvolvimento de nossa Nação, o estudo tornou-se indispensável, tanto para a obtenção de colocações como para mantê-las e conservá-las. Portanto, que ninguém pregue conta o estudo. Deixemos a nossa mocidade e a irmandade em geral livre nesta parte. Mesmo que o irmão que estuda seja músico e falte nos cultos os dias da semana. Não o impeçamos de estudar. O que temos a fazer é aconselhá-lo a guardar-se no temor de Deus, não perdendo os cultos em dias em que não há aula.

Quanto ao estudo de advocacia, não é conveniente para os irmãos do ministério.

50 - PRESIDÊNCIA À HORA DA PALAVRA QUANDO SOBE OUTRO SERVO PARA PREGAR

Estando presidindo um cooperador e levantando-se um ancião ou outro cooperador para pregar, o que preside desce. Se está presidindo um ancião e Deus revela a palavra a um cooperador, o ancião permanece no púlpito, sentando-se na cadeira. Se é a outro ancião que Deus revela a palavra, o ancião que preside desce do púlpito. Para a congregação do Brás, deliberou-se que, devido a extensão do púlpito, o que preside não desça quando levanta outro servo para pregar, seja este cooperador ou ancião.

55 - SANTAS CEIAS - CONSIDERAÇÕES DIVERSAS

.......

Quanto ao restante do pão que não foi partido e ao vinho que permaneceu nas garrafas ou na jarra, podemos fazer uso deles livremente. Isto temos aprendido do servo de Deus, no princípio desta obra.

.......

Deve ser um pão só, inteiro, e não vários pães. Não é pão doce nem broa de fubá ou centeio: é pão comum, de farinha de trigo. Se possível, sem o corte em cima. Quando nos for fácil, preparemo-lo em casa, ou encomendamos na padaria do modo como deve ser.

Quanto ao tipo de vinho: NÃO É SUCO DE UVA - NÃO É VINHO BRANCO - NÃO É VINHO ESPUMANTE (FRIZANTE) - NÃO É QUALQUER TIPO DE BEBIDA ALCOÓLICA - DEVE SER VINHO TINTO, SECO.

.......

Não deve ser alterado o que está na obra de Deus desde o princípio. O pão deve ser partido no momento exato em que a irmandade estiver cantando a primeira linha da segunda estrofe do hino 395: “Quando vós o pão partirdes, recordai-vos de mim”.

O cálice deve ser enchido no momento exato em que a irmandade estiver cantando a segunda linha da segunda estrofe do mesmo hino: “quando o cálix vós beberdes, recordai-vos de mim”.

O servo que parte o pão deve faze-lo com toda a naturalidade, com a máxima reverência diante de Deus. O pão deve ser picado em pequenas porções, miolo e casca. NÃO SERVIMOS SANTA CEIA PARA MENORES DE DOZE ANOS, MESMO QUE JÁ SEJAM BATIZADOS, POR HAVER RECEBIDO A PROMESSA.

= ASSUNTOS DOS IRMÃOS DIÁCONOS - ASSEMBLÉIA DE 1971

56 - ASSIDUIDADE NA COMUM CONGREGAÇÃO - AUSÊNCIA SÓ POR VIAGEM, DOENÇA OU OUTRO MOTIVO JUSTIFICADO, COMUNICANDO O OCORRIDO AO ANCIÃO OU COOPERADOR

Não havendo motivo justificado, a ausência do diácono de sua comum congregação indica que ele não está servindo ao Senhor com assiduidade. O diácono só pode desempenhar sua missão estando presente aos cultos.

São freqüentes os casos de pessoas alcoolizadas ou desordeiras que intentam entrar na congregação ou se manifestar à hora do culto. O diácono cuidadoso intervém para manter a ordem. Tem acontecido de elementos estranhos se infiltrarem em meio à irmandade, em pleno andamento do culto com manifesta intenção de distribuir material de propaganda, no que tem sido impedidos pela pronta intervenção do diácono.

Os diáconos são também atalaias e não podem se afastar do posto a ele confiado. Que não haja a alegação de que há este ou aquele irmão para substituir. O que Deus incumbiu a um servo de fazer, não espere que outro o faça.

57 - DIÁCONOS NOVOS - NECESSIDADE DE SEREM ORIENTADOS PELOS MAIS ANTIGOS NO MINISTÉIRO

Há diáconos novos no ministério que, antes de serem colocados, já vinham acompanhando a obra da piedade. Embora assim, falta-lhes a parte prática. De sorte que, onde Deus tem colocado diáconos novos, quando houver necessidade de reunião regional para ensinamentos, escrevam para São Paulo, após haver entrado em entendimento com o irmão ancião ou cooperador da localidade e Deus dará a graça de os diáconos mais antigos atenderem. Dependemos uns dos outros.

Em reuniões onde houver vários diáconos, como em São Paulo e outras cidades, tenham os novos diáconos prudência no manifestar o que sentem. É melhor conservarem-se em silêncio, para aprender dos mais experientes. Procurando não interferir em casos em que não estão ainda enfronhados.

Diáconos novos no cargo em localidades onde não há outros diáconos, consultem aos anciães e cooperadores. Trabalhem com prudência. Portanto, onde há um só diácono, além de estar em comunhão com o ancião ou cooperador local, é necessário o contato com diáconos das localidades mais próximas.

58 - CASAMENTOS - SÃO DISPENDIOSOS - CIDADÃOS SEM RECURSOS SÃO AMPARADOS PELO PARÁGRAFO 32, ARTIGO 153 DA CONSTITUIÇÃO DE 1969

Casais amasiados e sem recursos para custear o casamento, ao receber o testemunho desta graça, costumam geralmente procurar os irmãos diáconos, para que se incumbam de lhes pagar as despesas do casamento, a fim de poderem se batizar. Mas isto fica muito oneroso, é demasiado dispendioso para a obra de piedade. Quem quizer regularizar sua situação conjugal para obedecer a Deus nas águas do batismo encontrará amparo em leis existentes que lhes garantem o casamento grátis. Há uma regulamentação para isso. MEDIANTE ATESTADO DE POBREZA, a pessoa obterá esse benefício.

Não quer isto dizer que os diáconos fechem as portas para todo e qualquer caso. Há que considerar cada caso. Se são pessoas que estão no fim da vida, seja por enfermidade fatal ou pela idade avançada, ora-se a Deus, fazendo o que Ele nos determinar.

59 - DESQUITE - NÃO NOS ENVOLVEMOS EM TAIS CASOS - HAVENDO NECESSIDADE, DAR APENAS ORIENTAÇÕES

..... - .... Não é possível atender e nem convém diáconos se envolverem em tais casos. O que devem fazer é orientar. Se os interessados não tem recursos para promover desquites, procurem os meios proporcionados pelo governo, apresentando um atestado de pobreza.

...HAVENDO QUEBRA DA FIDELIDADE MATRIMONIAL (ADULTÉRIO, PROSTITUIÇÃO), a parte ofendida é livre para se separar de quem pecou, desquitando-se. E em tal caso a pessoa pode casar-se novamente, pois perante Deus o que pecou morreu espiritualmente. E morto morto um dos cônjuges o outro está livre para casar novamente. É por esta razão doutrinária que a Congregação aceita como irmão ou irmã pessoa desquitada ou que casa de novo, após o desquite, QUANDO OCORREU INFIDELIDADE MATRIMONIAL.

Desquites e novo casamento em questões que não sejam por infidelidade matrimonial não podemos aceitar. Quem faz isso está adulterando. E adúlteros e pecadores nada tem a fazer em nosso meio. Não serão considerados nossos irmãos. Não somos uma congregação de pecadores, mas sim de santos de Deus, pois a Igreja é a esposa de Cristo, pura, santa e imaculada. Esta é a doutrina de Cristo para tais casos.

60 - LAVRAR ATAS - É DE GRANDE IMPORTÂNCIA E UTILIDADE EM SE TRATANDO DE REUNIÕES REGIONAIS - ARQUIVO DE CÓPIAS

As atas das reuniões são de suma importância. Devem ser cuidadosamente arquivadas. Sempre que possível, enviar uma cópia para os diáconos de São Paulo. Tudo o que ficou lavrado em ata, cedo ou tarde terá sua utilidade, na elucidação de casos, na constatação e confirmação de deliberações, no reexame de resoluções, etc.

62 - IRMÃS PARA A OBRA DA PIEDADE

Quando o diácono sente de apresentar irmãs para ajudar na obra de piedade, faça-se sempre de acordo com o ancião e cooperador. Convém observar certas precauções com referência às irmãs que se deseja apresentar: Se têm bom testemunho, se o esposo é crente, que não seja muito idosa, que não seja mãe de família demasiada numerosa. E acima de tudo, deixemo-nos guiar por Deus. Sua preciosa guia jamais nos deixará errar.

É conveniente lembrar sempre esta parte: Não é por ser esposa de ancião, diácono ou cooperador que deve fazer parte da obra de piedade. Se em algumas dessas irmãs há o dom de Deus, serão apresentadas normalmente como as demais e se O Senhor confirmar, serão colocadas na obra de piedade. Não devem os servos de Deus fazer empenho para que suas esposas sejam postas na obra de piedade. Às vezes isso pode até trazer embaraços para o Ministério do próprio servo.

Nunca devem os cooperadores apresentar as irmãs para a obra de piedade em localidades onde houver diácono. Compete ao diácono ver a necessidade e orar a Deus para que a supra, apontando-lhe a irmã que seja de sua santa vontade. Então o diácono entrará em entendimento com o irmão cooperador, fazendo tudo de comum acordo, com espírito de harmonia e na paz.

64 - VIAGENS - TRÊS TIPOS: EM CARÁTER PARTICULAR, ACOMPANHANDO O SERVO E PARA ATENDER REUNIÕES COM O ANCIÃO E O COOPERADOR

Como já ficou dito, onde há um diácono só, são mais raras suas viagens. Conforme o conselho desta reunião sobre a assiduidade na comum congregação. Mas quando Deus manda, uma vez ou outra, pode providenciar para que o diácono de outra congregação esteja presente para substituí-lo.

Quanto aos tipos de viagens: Para viagens particulares não se utiliza dinheiro da caixa. E não se atendem a reuniões e outros assuntos que possam surgir. Pois as reuniões devem ser feitas com oração. Em viagens particulares não se usa nem a caderneta quilométrica. Esta é para o atendimento na obra de Deus e não para negócios particulares.

Tal advertência não é só para os irmãos diáconos: Nesta reunião é mencionado também que não é permitido utilizar dinheiro da congregação para custear viagens particulares de anciães ou cooperadores. O dinheiro é fruto preparado por Deus, por intermédio de seu povo, e só deve ser empregado onde Deus determina que se o empregue.

Viagens em companhia de um ancião, em missão: É o ancião que se sente de levar em sua companhia um diácono, devido às necessidades das localidades para onde vai.

Viagens para atendimento de reuniões regionais em outras localidades, observando-se o modo como Deus guia a seus servos em reunião para determinar quem deve sair para essas missões. Para estes atendimentos os diáconos utilizem a disponibilidade do caixa, pois para isso Deus já tem preparado o necessário.

65 - ACOMPANHANTES DE IRMÃOS ANCIÃES E DIÁCONOS DEVEM VIAJAR COM SEUS PRÓPRIOS RECURSOS

Irmãos que se dispõem a acompanhar anciães e diáconos em viagens, ou mesmos os conduzem em seus veículos, já sabem que devem viajar com seus próprios recursos. Sempre tem sido assim, desde o início desta obra. Menciona-se para um esclarecimento aos novos.

66 - ANCIÃES QUE TEM VIAJADO NO ATENDIMENTO DA OBRA DE DEUS COM SEUS PRÓPRIOS RECURSOS, POR DESMAZELO DO DIÁCONO OU DO COOPERADOR

Há anciães que dispendem dinheiro de seu bolso para pagar passagens e despesas de viagens no atendimento da obra de Deus, com o sacrifício próprio e de sues familiares. Nunca permitam os diáconos que isso suceda, ou que continue. O zelo pelo ministério cada diácono deve demonstrar a começar desta parte: atendimento eficiente ao servo de Deus de sua congregação.

Periodicamente, tanto o diácono como o cooperador têm que exortar a irmandade a contribuir com frutos destinados às viagens dos sevos de Deus.

68 - EMPRÉSTIMOS - ASSINATURAS E AVAL

JAMAIS SE DEVE USAR DINHEIRO DA OBRA DE DEUS PARA FAZER EMPRÉSTIMOS. Nem da caixa da obra de piedade, nem do caixa geral da congregação.

Há sempre irmãos que, julgando ser possível obter empréstimos com diáconos, procuram-nos. É necessário esclarecer a tais irmãos que o dinheiro não é dos diáconos e sim do Senhor. Para ser utilizado em sua obra segundo seu santo querer.

Os irmãos diáconos devem também prevenir-se contra assinatura de aval de dívidas alheias. Muitos diáconos envolveram-se com esse tipo de compromisso e depois tiveram que pagar o que não deviam. ISSO PORQUE ASSINARAM E SE TORNARAM COOBRIADOS, OU DEVEDORES JUNTAMENTE COM QUEM LHES PEDIU O AVAL.

Também não é aconselhável que os diáconos se tornem fiadores de alugueis de casa. Nem fiadores de outro qualquer compromisso. Os servos de Deus devem ficar inteiramente livres. Que os diáconos tenham sempre a necessária franqueza para negar aval, seja para irmãos nossos seja para pessoas não crentes. Não podem se sobrecarregar com o fardo dos outros. A PALAVRA DE DEUS NOS ADVERTE CONTRA O PERIGO DE FICARMOS FIADORES. (Provérbios, 6: 1-5).

69 - VISITAS SOLICITADAS POR PESSOAS NÃO CRENTES

São muitas as solicitações de pessoas que recebem o testemunho desta graça para que os diáconos as visitem em seus lares. Temos que orar ao Senhor e averiguar se as tais pessoas estão realmente interessadas na salvação da alma ou visam o auxílio da obra de piedade.

70 - ATENDIMENTOS DE SERVIÇOS DE FUNERAL

Embora os irmãos diáconos sempre se tenham disposto a atender serviços de funeral, lembramos que isto é incumbência dos irmãos Anciães e cooperadores.

71 - DIÁCONOS QUE SE RETIRAM IMEDIATMENTE APÓS O TÉRMINO DO CULTO

Há diáconos que não dão o devido atendimento à irmandade; vão para suas casas assim que termina o culto. Isto não é conveniente. É necessário que fiquem na congregação até que todo o povo se retire. Assim darão atendimento a todos. Com toda boa vontade, com carinho e desvelo para com o povo de Deus. Depois então irão para suas casas com a consciência tranqüila por haver feito inteiramente a vontade de Deus. E nunca haverá motivo para que a irmandade se queixe.

72 - DIÁCONOS OUVIREM A PALAVRA

Embora a função dos diáconos force a estar em constante atividade durante o culto, atendendo a uma coisa e outra, contudo na hora da palavra é conveniente que eles estejam sentados em seus lugares, ouvindo tudo o que Deus envia. Os diáconos precisam muito da palavra de Deus, pois seu ministério tem que ser exercido de forma totalmente espiritual, pela guia constante do Espírito. Portanto, à hora da exortação da palavra, fiquem em comunhão com Deus. Deixem que os porteiros cuidam do que é necessário.

73 - IRMÃS DA OBRA DA PIEDADE NÃO INTERFERIREM EM PROBLEMAS DE FAMÍLIAS

As irmãs não interfiram na vida particular da irmandade; nem os diáconos. O ministério é atender às necessidades do povo de Deus. Que ninguém interfira em assuntos conjugais, casos de família ou assuntos particulares.

74 - PEDINTES DE ESMOLAS QUE ANTERIORMENTE ERAM ATENDIDOS PELA PIEDADE

Quem se defrontar com tais casos encaminhe-os aos anciães e cooperadores. É caso de doutrina. Quem se diz crente e pede esmolas está fora da palavra de Deus. Esta nos afirma que nunca veremos o justo mendigar o pão.

75 - DIÁCONOS NÃO SE SOBRECARREGAREM DE ENCOMENDAS AO VIR A ESTAS REUNIÕES

Os diáconos não tomem encomenda alguma para comprar coisas aqui em São Paulo. Devem ficar livres e despreocupados para as reuniões.

77 - NÃO REMOVER DO CARGO IRMÃS QUE EXERÇAM A FUNÇÃO DA PIEDADE

Não se faça isso, sob alegação alguma. É preferível dar conselhos, suportar e por fim ganhar as almas. Só se remove em casos bem graves. E são os anciães e cooperadores que removem e não os diáconos. Agindo assim, os diáconos pouparão suas almas de passar por grandes aflições e combatimentos.


Admin
Admin

Mensagens : 1049
Pontos : 2451
Data de inscrição : 24/05/2009

http://oulorivallan.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Todos os tópicos de ensinamentos da CCB 1961em diante Até 2010

Mensagem por Admin em 25th Julho 2010, 4:10 pm

= TÓPICOS - 37ª ASSEMBLÉIA DE 27 A 31 DE MARÇO DE 1972

05 - CÔNJUGE ENFERMO INCURÁVEL NÃO É RAZÃO PARA DESQUITE

A palavra de Deus é clara: Somente é permitido ao homem repudiar sua mulher (ou vice-versa) por motivo de infidelidade conjugal. Doença incurável, invalidez, incompatibilidade de gênio ou outro motivo que não seja o mencionado pela Palavra de Deus não é motivo para desquite. Devemos lançar sobre o Senhor nossa ansiedade e Ele cuidará de nós.

06 - CONVITES PARA REUNIÕES DA MOCIDADE

A fim de evitar que grupos de jovens de ambos os sexos viagem em caravanas de uma cidade para outra, é deliberado não se permitir mais o envio de cartas convidando a mocidade para essas reuniões.

07 - LOTERIA ESPORTIVA

Cabe aos servos de Deus, como atalaias, advertir ao povo de Deus a respeito da loteria esportiva, que é igual a qualquer outro tipo de jogo transformando-se em um vício. O que é ganho em jogo não é abençoado por Deus.

08 - CAÇA E PESCA

No tópico número 48 do resumo de ensinamentos de 1971, consta que “caçar e pescar não é proibido e nem pecado.” - ... - Os servos de Deus e a irmandade em geral não devem deixar as coisas de Deus para se dedicar a esses entretenimentos. Nas ocasiões de caçadas e pescarias apresentam-se oportunidades que levam os crentes a se entregarem a vícios de bebidas, etc.

A carne da caça torna-se pecado quando seu sangue não é derramado: É carne sufocada. A pesca, para uns, é uma profissão, um meio de vida, e não um entretenimento. Estes necessitam da pesca.

13 - ESCLARECER SOBRE JUGO DESIGUAL

Diz a palavra de Deus: “Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis.” Entretanto, para preservar o conceito no ministério, consideramos ser também jugo desigual o matrimônio de um servo idoso com uma irmã jovem, com muita diferença de idade. Porisso nós, servos de Deus, não nos devemos prevalecer de nossa autoridade no ministério, convencendo as irmãs jovens a aceitar nosso pedido de casamento, como se isso viesse da parte de Deus.

14 - IRMÃOS E IRMÃS DISTRIBUIREM AS FILAS NAS SANTAS-CEIAS

Ponderando-se, chegou-se à conclusão de que a distribuição e orientação das filas nas santas-ceias devem ser feitas somente por irmãos. Todavia, convém que os servos de Deus instruam a esses irmãos sobre a maneira de se comportar.

15 - CARTAS DE APRESENTAÇÃO

É deliberado que se dê carta de apresentação só em casos de mudança ou missão espiritual. Irmãos e irmãs em visitas não levarão carta de apresentação e terão liberdade, embora não sendo conhecidos, para chamar hinos orar ou testemunhar. O servo que preside deve estar atento par que nada de estranho se manifeste. Mas para exortar a palavra, só se dá liberdade a irmão que seja conhecido ou apresente carta.

17 - NÃO SUSPENDER CULTOS

Fomos ensinados pelo servo de Deus, irmão Francescon, que as casas de oração não podem ficar fechadas em dias de culto. Mesmo que haja batismo ou culto extra em outra congregação vizinha. Só se suspendem cultos por motivo de reformas ou construções.

19 - CABELUDOS NO MINISTÉRIO

.... - ....

Ultimamente surgiu essa moda no mundo: homens com cabelos longos, como as mulheres; costeletas e bigodes exagerados. A Igreja de Cristo não deve acompanhar os costumes mundanos. O ensinamento é em geral, mas os que fazem parte do ministério na obra de Deus, inclusive o musical, necessitam obedecer a este ensinamento. De igual modo, não é permitido, pela palavra de Deus, o uso de trajes masculinos por mulheres. Sempre que Deus trouxer adiante ao servo, a irmandade deve ser doutrinada, deixando-se cada qual com sua responsabilidade perante Deus. Quanto a participar da santa-ceia, isso fica na consciência de cada um.

21 - PROFECIAS E ARREBATAMENTOS

Quanto a profecias, somos ensinados pela palavra de Deus a provar os espíritos, para saber se são de Deus.

Quanto a arrebatamentos, caso ocorrido em Curitiba, já houve circular no ano passado, expedida pelos servos de Deus, do Estado do Paraná e de São Paulo, para todo o Brasil. Por essa circular prestou-se esclarecimento a irmandade em geral.

28 - VIAGEM EM MISSÃO

Somente é considerada viagem em missão a que for confirmada pelo Senhor em oração em reunião do Ministério. Sejam viagens de anciães, diáconos, cooperadores, administradores ou mesmo irmãos e irmãs sem cargo na obra de Deus. Irmãos acompanhantes de servos que partem em missão não serão auxiliados em suas despesas.

Irmãos e irmãs que vão em missão a outras localidades, e sentirem em visitar desviados ou irmãos afastados da comunhão com a irmandade, tenham a devida prudência de se dirigir em primeiro lugar aos servos que atendem a localidade, expondo-lhes o motivo da visita e o que sentem de fazer.

29 - DESTINO DOS FRUTOS DAS COLETAS

Os frutos que Deus prepara para o atendimento das necessidades em sua obra não pertencem aos anciães, nem aos diáconos ou cooperadores e administradores. O dinheiro é de Deus. Deve ser aplicado inteiramente em Sua obra. Não é permitido, de forma alguma, aplica-lo para fins particulares ou empréstimos a quem quer que seja, mesmo que ofereçam juros elevados. O dinheiro das coletas, quando não precisar ser aplicado imediatamente, pode ser depositado em caixas econômicas ou Bancos sólidos.

32 - CIRCULARES PARA AS REUNIÕES GERAIS

Em vista do grande número de circulares que se extraviam, não as enviaremos mais. As datas para as reuniões gerais de ensinamentos que anualmente se realizam aqui na Capital de São Paulo, serão anunciadas, nos anos vindouros, com a ajuda de Deus, pelos Resumos de Ensinamentos.

.......

Visto haver também, anualmente, reuniões regionais em Apucarana, Estado do Paraná e em Acopiara, Estado do Ceará, nas quais são apresentados os mesmos ensinamentos, não mais virão a São Paulo para as reuniões gerais os irmãos cooperadores destes Estados.

33 - AUXILIARES DE ENCARREGADOS REGIONAIS

Tendo em vista que os irmãos que eram chamados auxiliares dos encarregados regionais exercem o mesmo serviço que estes, deliberou-se, nesta reunião, passem os auxiliares a ser considerados também encarregados regionais de orquestra. Ora, somos ensinados que não há hierarquia entre nós, mas é respeitada a antiguidade no ministério.

Se em alguma localidade houver algum músico colocado ocasionalmente como ajudante ou auxiliar, sem haver sido orado, esse não passa a ser regional, pois foi posto provisoriamente para um auxílio momentâneo. Para colocar regionais novos é necessário apresentar a Deus em oração na reunião ministerial.

34 - ORIENTAÇÃO AOS IRMÃOS ANCIÃES SOBRE A MANEIRA DE OFI CIALIZAR MÚSICOS

......

O ancião chamará à frente os músicos aprovados e lhes apresentará os conselhos conforme o Espírito Santo guiar, para que esses novos servos de Deus saibam como se conduzir, dando em tudo um bom testemunho, não imitando os costumes mundanos, cumprindo com assiduidade e fidelidade o ministério, honrando a palavra de Deus, considerando que os hinos são sacros não devendo ser tocados de modo profano com passagens e floreados. Esses conselhos aplicam-se também às irmãs organistas, que deverão trajar-se como santas de Deus. Não se tolerarão saias curtas. As que não se conformarem com estes ensinamentos terão que deixar de tocar. Após tudo isso e mais o que Deus trouxer adiante, o irmão ancião convidará a todos a orar, e nessa oração oficializará os músicos. Quanto à apresentação de cada músico em sua congregação, o ancião ou cooperador o fará perante a irmandade no primeiro culto que houver. Para que a irmandade saiba que tais e tais músicos já foram oficializados.

36 - REUNIÕES GERAIS DE COOPERADORES DE CULTOS DE JOVENS E MENORES

No tópico 24 do resumo de ensinamentos de 1971 consta claramente o modo de proceder no sentido de se realizarem essas reuniões. Os cooperadores de jovens e menores não tomem atitude alguma, nem apresentem o que aprenderam nessas reuniões regionais sem primeiro levar ao conhecimento do ancião ou cooperador local, para que estes se inteirem de tudo. Quanto às irmãs auxiliares, tem liberdade para exortar a palavra nas reuniões para jovens e menores. Desde o princípio o Senhor tem se usado delas. Deixemos o dom de Deus operar.

38 - AS DELIBERAÇÕES DAS REUNIÕES DEVEM SER RESPEITADAS E CUMPRIDAS

É dever de todos os servos respeitarem e cumprirem as deliberações tomadas nas reuniões. Porisso há necessidade de os servos freqüentarem as reuniões do ministério com a mesma responsabilidade com que atendem aos cultos.

40 - CADEIRAS NO PÚLPITO

Para que haja uniformidade em todas as congregações, deve haver sobre o púlpito a tribuna e duas cadeiras. A não ser que o púlpito seja demasiado pequeno.

41 - PALAVRAS PARA ENCERRAMENTO DO CULTO

Ao encerrar o santo serviço, basta o servo despedir a irmandade com a paz de Deus, e que a comunhão do Espírito Santo esteja com todos, junto aos conselhos da palavra. Enfim, com alguns termos que Deus der. MAS NÃO É NECESSÁRIO DIZER: “DEUS SEJA LOUVADO”.

= TÓPICOS APRESENTADOS EM PLENÁRIO PELOS IRMÃOS DIÁCONOS - ASSUNTOS RELATIVOS AO MINISTÉRIO DA PIEDADE - 1972

42 - CONSIDERAÇÕES GERAIS - PONTOS DE DOUTRINA

- A OBRA DA PIEDADE PODE AJUDAR A IRMÃOS DESOBEDIENTES, QUE ESTEJAM PASSANDO POR NECESSIDADES PELO CASTIGO DE DEUS?

Se o Senhor faz sentir que sim, pode-se ajudar. Ninguém terá o direito de criticar. A respeito deste ponto o saudoso irmão Francescon apresentou a doutrina, mencionando a “Parábola do Bom Samaritano” (Lucas, 10 - 25 a 37). A interpretação desta parábola no sentido de se auxiliar a quem Deus esteja castigando, é a seguinte: “O homem que descia pelo caminho que leva de Jerusalém a Jericó, estava deixando Jerusalém, cidade santa, e descia a Jericó, cidade de pecado (comparação simbólica, pois Jerusalém é figurativa da Cidade Celestial. Jericó, que fica embaixo, simboliza o mundo de pecado). Deus não permitiu que ele descesse até lá, pois em meio ao caminho fez com que caísse nas mãos de salteadores que quase o mataram. Mas Deus não o desamparou; preparou o bom samaritano que lhe lavou as feridas com vinho, untando-as com azeite. Agasalhou-o também na hospedaria, até que se recuperasse. Assim, este é o conselho aos diáconos e irmãs da piedade: Quando se apresentarem tais casos em vossas reuniões, deixai-os para o fim; na oração de encerramento, apresentai-os ao Senhor. Se Deus fizer sentir de atender, podeis atender sem receio algum. A obra de Deus é um mistério. Se Ele está provando o chefe de família, desobediente, pode ser que seja de Sua vontade que ajudemos a esposa, irmã temente, que ora dia e noite, rogando ao Senhor socorro para si e os filhinhos.

- ADVERTÊNCIA DOUTRINAL - REVELADA POR DEUS AO IRMÃO FRANCESCON - MAIS ESPIRITUALIDADE - MAIS VIRTUDES

Esta advertência consta do resumo de ensinamentos de 1967. Todavia, como há muitos diáconos novos no ministério, repetimo-la, pois vê-se cada dia que passa, a necessidade de esses servos, tanto novos como antigos no ministério, revestirem-se de maior espiritualidade. E que as virtudes de Deus operem em cada um.

ESTA É A ADVERTÊNCIA:

“O AMOR A SI PRÓPRIO É UM ÍDOLO QUE ESTÁ NO CORAÇÃO DO HOMEM E QUE O IMPEDE DE AMAR A DEUS E A SEU PRÓXIMO. TRANSGREDINDO, ASSIM, OS DOIS PRIMEIROS GRANDES MANDAMENTOS QUE ABRAÇAM TODA A VONTADE DO ETERNO DEUS. OS QUE RECEBEM DONS ESPIRITUAIS SÃO PROVADOS POR ESSAS DIFERENTES FRAQUEZAS DA NATUREZA HUMANA. PRIMEIRO: O ORGULHO CAUSADO PELO PRÓPIRO POVO, QUE PÕE OS OLHOS SOBRE A PESSOA QUE TEM O DOM. E NESTE CASO, DEUS A REPROVA, POIS ELE REJEITA O HOMEM DE CORAÇÃO ORGULHOSO E DE OLHOS ALTIVOS. - SEGUNDO: SÃO TAMBÉM PROVADOS POR INVEJA E CRITICADOS; PERSEGUIDOS SEM CAUSA, E ESTA PROVA VEM PARA VER SE A PESSOA BUSCA A SUA PRÓPRIA RAZÃO OU VINGA-SE, SENDO NESTE CASO VENCIDA, PORQUE NÃO ESPEROU A RAZÃO PROMETIDA PELO SEU SENHOR. A QUEM PERTENCE A VINGANÇA. ESCRITO ESTA: “O ENTENDIMENTO DO HOMEM RETÉM A SUA IRA; E SUA GLÓRIA É PASSAR SOBRE A TRANGRESSÃO” - (PROVÉRBIOS 19:11). (V. Tópico 10 da Assembléia de 1989)

Em outra carta daquele servo, a nós remetida em outubro de 1962, vinha esta admoestação, como um aviso:

“ESTAMOS ATRAVESSANDO DIAS DIFÍCEIS E O POVO TEM QUE VIGIAR. O INIMIGO TEM MUITAS ARMADILHAS, OFERECENDO VANTAGENS TERRENAS, COMO OFERECEU TAMBÉM AO SENHOR JESUS, QUE AS RECUSOU. VIGIEMOS PORTANTO, TENDO AS LÂMPADAS ACESAS COMO AS VIRGENS PRUDENTES.

Sabendo-se que o ministério da Piedade foi dado por Deus, cada diácono deve conservar-se em uma pura consciência, sem sofrer a interferência de quem quer que seja.

44 - IRMÃS PARA TRABALHAR NA OBRA DE PIEDADE

Ficou deliberado em reunião que, para colocar irmãs na obra de piedade, é necessário faze-lo com oração, de comum acordo, os diáconos com os anciães e cooperadores, em reunião ministerial. Após confirmação, é conveniente que as irmãs sejam orientadas a não testemunhar que Deus as colocou na obra da piedade. Nem devem ser apresentadas à irmandade.

45 - ORIENTAÇÃO ÀS IRMÃS PARA TRABALHAR NA OBRA DE PIEDADE QUANTO À SUA RESPONSABILIDADE

Após confirmada a colocação das irmãs para a obra de piedade, os diáconos as orientem quanto à maneira de trabalhar e quanto à responsabilidade que assumiram.

Doutrinemos, desde o início, essas irmãs: NÃO ABANDONEM O LAR E OS AFAZERES DOMÉSTICOS PARA FICAR ANDANDO DE UMA PARTE PARA OUTRA. ISSO TEM TRAZIDO PÉSSIMAS CONSEQUÊNCIAS, QUEIXAS E DESAGRADOS DE ESPOSOS E FILHOS BEM COMO, MURMURAÇÕES DE VIZINHOS E DA PRÓPRIA IRMANDADE. QUE NENHUMA IRMÃ DESMAZELE DE SEU LAR POR CAUSA DA OBRA PIA, POIS ISTO NÃO É DA VONTADE DE DEUS. ELE DÁ O TEMPO PARA TUDO. OUTRAS IRMÃS, SEM ORIENTAÇÃO, PENSAM QUE SUA FUNÇÃO É PROCURAR NECESSITADOS. E LOGO APRESENTAM MUITOS CANDIDATOS A SER AUXILIADOS. NÃO É ASSIM. QUEM APONTA OS VERDADEIRAMENTE NECESSITADOS É DEUS. OUTRAS IRMÃS, LOGO QUE COLOCADAS, COMEÇAM A SE ENVOLVER EM ASSUNTOS QUE DIZ RESPEITO A ANCIÃES E COOPERADORES. Há ainda outros pontos que Deus trará à frente dos diáconos para orientar às irmãs novas no cargo, evitando-se assim, que comecem a trabalhar de forma errada.

46 - ROUAS PARA A IRMANDADE NECESSITADA

Compete aos irmãos diáconos a distribuição de roupas para a irmandade necessitada. Tem havido casos de irmãos que, trazendo roupas para determinadas localidades, distribuem-nas, sem nada comunicar aos diáconos. Está errado, pois os diáconos é que sabem quais são os verdadeiramente necessitados. Devem fazer a entrega do que Deus preparou, aos diáconos, e estes, com a guia de Deus, farão a distribuição.

Os irmãos cooperadores de localidades onde houver muita irmandade necessitando de roupas, ao virem para São Paulo por ocasião das reuniões gerais de ensinamentos, não venham com o propósitode pedir roupas. Procurem ouvir bem os conselhos, em comunhão com Deus. Ao voltar para suas congregações, o Senhor vestirá a irmandade com as vestimentas celestiais. Vestirá o homem interno com os conselhos e as virtudes. As demais coisas Deus acresentará. Busquemos primeiro o reino dos céus e sua justiça.

47 - NUNCA FAZER COLETA COM LISTA ESTIPULANDO A IMPORTÂNCIA, NEM INSTITUIR O CHAMADO “LIVRO DE OURO”

Nunca se façam tais tipos de coleta. Deixemos o Senhor mover Seu povo segundo Sua vontade. Nunca façamos o chamado “livro de ouro” para contribuições de coletas, pois é um sistema em que o que dá deve marcar o seu nome e a quantia que está ofertando. Esses sistemas são contrários aos ensinamentos da palavra de Deus. Esta nos recomenda a fazer a oferta anonimamente. Para que ninguém venha a ser exaltado nem humilhado.

48 - COOPERANTE PARA A MANUTENÇÃO DE CASA DE ORAÇÃO

A cooperante ou contribuinte, existe em cada congregação para fazer face às despesas de manutenção, reforma e outros gastos, assim como para compras de material de limpeza. É formada por fundos provenientes da irmandade. O dinheiro não deve jamais ser empregado para empréstimos nem para fins particulares. Nem os servos devem ter domínio sobre esse dinheiro. Pertence ao Senhor para uso em sua obra. A cooperante veio desafogar o caixa geral, pois cada localidade, cada bairro providencia o necessário para sua manutenção, limpeza e reformas.

54 - É NECESSÁRIO O DIÁCONO PREZAR SEU MINISTÉRIO, DANDO-LHE O DEVIDO VALOR - NADA JUSTIFICA O DESMAZELO PELAS COISAS DE DEUS

.....

Há diáconos que viajam no atendimento da obra, sem que Deus os mande. Outros se afastam de sua localidade em viagens a serviço material. Faltam aos cultos. Não dão o devido atendimento a irmandade nem ao ministério. Tais servos são admoestados. Ponham os interesses de seu ministério em primeiro lugar. Deus cuidará de tudo o mais. Há diáconos que não se interessam em comparecer às reuniões da Piedade. Estes não tomam contacto com as necessidades da irmandade. Estão em grave falta diante de Deus. Deixar em abandono os necessitados, desinteressar-se pelos atendimentos neste santo ministério, é ser servo mau e negligente. Que todos os irmãos diáconos tomem por testemunha sua consciência. Que esta nunca os acuse. Nem Deus os condenará.

57 - TÓPICOS DE ASSUNTOS PARA REUNIÕES REGIONAIS

Ao se marcar uma reunião regional com diversos diáconos, é prudente que todos analisem previamente cada assunto, com liberdade de externar o que sentem. Para que se evitem contradições no momento de o assunto ser apresentado. Assim, todos os irmãos e irmãs que participarem da reunião constatarão que os diáconos são de um mesmo parecer e de um só sentimento, vivendo em paz. Havendo necessidade de só corrigir alguma coisa que tenha sido dita na reunião, convém que o próprio diácono que cometeu o engano o corrija. E não outro.

59 - ENDOSSOS, ASSINATURAS DE AVAL, FIANÇAS, EMPRÉSTIMOS

.....

Quanto a empréstimos, temos esta advertência: JAMAIS SE DEVE USAR DINHEIRO DA OBRA DE DEUS PARA FAZER EMPRÉSTIMOS. Nem a irmãos nossos e nem a estranhos à fé. Há sempre irmãos que, julgando ser possível obter empréstimos com diáconos, procuram-nos. Esclarece-se a tais irmãos que o dinheiro é de Deus, para aplicação em Sua obra, segundo Seu santo querer.

60 - AUXILIAR DE DIÁCONO

Esse cargo não existe. O que há é irmãos que ajudam ao diácono, no recebimento das coletas na porta, ou quando na ausência do diácono em viagens. Auxiliam também em outros setores e em outros serviços. Esses irmãos que ajudam não são colocados por oração. São irmãos de confiança que ajudam ao diácono. Mas auxiliar de diácono, como já se disse em ensinamentos anteriores, não existe. Há localidades onde Deus ainda não levantou diácono. Há irmãos que atendem à obra de piedade em conjunto com as irmãs. Porém não substituem os diáconos.

61 - LOCALIDADE ONDE A OBRA DE DEUS AINDA É DIMINUTA - NÃO COLOCAR IRMÃS DA PIDADE

Em muitos lugares, a obra ainda é diminuta. Há pouca irmandade. Não é necessário colocar irmãs para a obra de piedade. O próprio povo chamado a esta graça se auxilia entre si, cobrindo as necessidades que surgirem. Como faziam no princípio desta obra. Depois é que foram instituídos os diáconos.

= ASSEMBLÉIAS DE 1973, 1974 e 1975 - TÓPICOS NÃO DISPONÍVEIS AINDA

= TÓPICOS - ASSEMBLÉIA DE 27 A 31 DE MARÇO DE 1976

01 - SERVIÇO DE CULTO

.....

Cultos prolongados. Há servos que não atendem os ensinamentos quanto aos horários, dizendo perante o povo que não se deixa guiar pelo relógio e nem pelos servos, mostrando falta de submissão e rebeldia..

02 - SANTA CEIAS

- Participação de enfermos de moléstias contagiosas, se não puderem não é imputada falta e se vierem, ficarão para o final.

- Ao orar pelo pão e cálice, saber distinguir “Pai” e “Filho”;

- Quando o servo vai a localidades, examinar se está tudo em ordem: pão, vinho, etc...

- Quando se ora para a Santa Ceia, já se ora para a Região toda.

03 - BATISMO

- Enfermo - Hino 195 - Rede em Tanques - Um tanque cada cidade ou região;

- Os irmãos que auxiliam no tanque não devem ajudar submergir, a não ser, enfermos.

04 - PALAVRA

- Cooperadores que passam à frente de Ancião levantando-se com a Palavra, ou se não, depois que o Ancião acabou a pregação, faz preleção querendo complementar a pregação e acaba desfazendo da pregação.

- Pregações em casamento e aniversário.

- Gestos e encenações - Palavras de “gíria” e “gracejos”.

06 - ORQUESTRA

- Regência em cultos. Não haverá mais regência nos cultos e em nenhum serviço Divino e nem no primeiro e último hino que a orquestra toca; apenas se houver um desencontro no andamento o encarregado porá em ordem no momento.

-Não haverá mais Ensaios gerais no Brás. ....

10 - COSTUMES MUNDANOS

- Tornou-se um costume entre as irmãs se saudarem com vários ósculos e não se dando as mãos;

- De acordo a Palavra de Deus não é permitido o uso de calças compridas pelas irmãs. Exortar com cuidado as pessoas novas também (Deuteronômio, 22:5).

11 - REUNIÕES MINISTERIAIS

......

- Não poderão viajar com servos quando em missão, irmãos sem testemunho, mesmo sendo parentes.

13 - ANÚNCIOS NOS CULTOS

- Para se uniformizar o andamento do serviço, a lista de batismos e outros anúncios devem ser feitos após o hino da testemunhança, a não ser os pedidos de oração, que somente deverão ser apresentados na primeira oração. Quando a Congregação estiver superlotada, convém enviar esses pedidos por meio de meninos.

20 - DEFUNTO NAS CONGREGAÇÕES - CREMAÇÃO E SERVIÇO FUNERAL

- O serviço de funeral fazemos quando a liberdade é concedida somente a nós, afim de não haver mistura com doutrinas extranhas a nossa fé;

- Não temos por costume pregar a Palavra em cemitérios.

21 - CASAMENTOS E DESQUITES

- A Palavra de Deus somente permite o repúdio em caso de infidelidade, portanto, fora disso não se admite nem o desquite; quem o fizer não será mais nosso irmão;

- Casamento por contrato é ilegal;

- O casamento de acordo a Palavra de Deus é o civil;

- Não temos cerimônia religiosa, apenas uma oração por qualquer servo ou irmão que esteja presente; tomando por costume do mundo que não se unem no dia do casamento civil, deixando para data posterior a festa e a oração.

24 - LANCHES E BANQUETES

- Já fomos ensinados não fazer banquetes em ocasiões de aberturas de congregações e ordenações e Santa Ceias. A fim de não acarretar despesas supérfluas nos ensaios regionais ou reunião de mocidade, cada qual deve levar o seu lanche.

26 - CÓPIAS DE ATAS

- Somente pode se extrair cópias de tópicos ou na íntegra, mediante deliberação do Ministério local, em reunião.

= TÓPICOS - ASSEMBLÉIA DE 04 A 08 DE ABRIL DE 1977

= PARA ANCIÃES, DIÁCONOS E COOPERADORES - 1977

04 - SUBSTITUIÇÕES NOS SERVIÇOS DE CULTOS

Houve ensinamento na convenção de 1936: Quando o ancião, ou o cooperador, tiver que se ausentar, deixe à frente do povo, para presidir os cultos, um irmão de bom testemunho. Que o povo o honre como se fosse um dos servos. Havendo diácono ou cooperador de jovens e menores, compete a um destes substituir. Não há mandamento a respeito, porém é preferível que o cooperador de jovens e menores faça a substituição, se tiver o dom da Palavra.

05 - NÃO DEVE HAVER SOLICITUDE PARA LER A PALAVRA

Há cooperadores solícitos; Levantam-se para ler a Palavra, não respeitando, muitas vezes, a presença de anciães. Percorrem congregações com o intuito de exortar, nem sempre movidos pelo Senhor, impedindo a oportunidade dos cooperadores locais. O Senhor, às vezes, move um cooperador para pregar onde o quer enviar. Contudo, o cooperador deve estar bem acertado a respeito disso. Há os que escolhem dias da semana para pregar. Não é a guia de Deus. Temos que impedir que a carne tome lugar do Espírito Santo.

08 - SERVOS DEVEM PRESTAR TODA ASSISTÊNCIA ÀS CONSTRUÇÕES EM ANDAMENTO

É muito importante que os irmãos anciães, diáconos e cooperadores freqüentem as construções de casas de oração de sua região. Acompanhando o andamento dos serviços, prestando toda a assistência no que for necessário. Incentivando também a irmandade que presta mão de obra gratuita.

11 - IMPOSTO DE RENDA

O ato declaratório (normativo) CST nº 22/9/76, publicado no Diário Oficial da União de 9/11/76, determinou que todas as entidades beneficiárias de isenção do imposto de renda devem possuir o livro “Diário” e demais livros auxiliares necessários para a escrituração de suas receitas e despesas, para fins de imposto de renda, sendo admissível o regime de escrituração simplificada, com escrituração apenas do livro “caixa” para aquelas cuja receita bruta anual não exceda o valor de Crr$ 35.300,00 neste ano de 1977.

Essa determinação deve ser rigorosamente obedecida, pois trata-se de norma estabelecida pela Secretaria da Receita Federal e as administrações sujeitas à escrituração contábil do livro “Diáro” deverão providenciar que isso seja feito valendo-se de profissionais contadores com escirtórios contábeis desde que não seja possível obter entre a irmandade local um irmão ou irmã que seja, contabilista registrado para execução desse serviço e assinatura do balanço anual.

13 - ESTABELECER CAMPO NA OBRA DE DEUS

Não devemos estabelecer campo na obra de Deus. Ao atendermos localidades periodicamente, respeitemos os servos locais, sem exercer domínio sobre a obra.

Embora o Senhor envie um ou dois servos em determinada região, não há impedimento se outros se sentirem de ir. Convém, até, que a irmandade conheça os dons que Deus colocou nos servos. Contudo, é necessária prudência quanto a deliberações e decisões. Nada se deve decidir sem consultar os servos que atendem com mais freqüência.

14 - DEPARTAMENTO DE COMPRAS

Em localidades onde o movimento de construções for grande, ora-se a Deus e constitui-se um departamento de compras. Composto de irmãos capacitados, inclusive servos. As compras serão mediante concorrência e seleção de qualidade. A abertura de propostas para concorrência deve ser feita durante a reunião, perante os componentes desse departamento.

Compras de hinários, Bíblias e véus também estarão a cargo do mesmo departamento.

17 - SANTA CEIA PARA ENFERMOS IMPOSSIBILITADOS

Enfermos impossibilitados de se locomover, não é necessário sejam transportados à congregação para participar da santa ceia. Deus conhece os motivos que não lhes permitem comparecer. E não lhes imputará isso como falta, desde que estejam em paz e na obediência da Palavra.

18 - REUNIÕES GERAIS OU ASSEMBLÉIA GERAL

....Pensamos então em não mais denominar nossas reuniões de “Assembléias Gerais”, mas sim, reuniões gerais anuais de ensinamentos.

Ora, considerando-se que a palavra “assembléia” não é aplicada somente para área administrativa mas todas as reuniões gerais podem ter o título de “assembléias”, deliberou-se continuarmos a usar a palavra “ASSEMBLÉIA GERAL” para nossas reuniões anuais em São Paulo.

= MINISTÉRIO DE DIÁCONOS - ASSEMBLÉIA DE 1977

01 - NÃO DESVIRTUAR A FINALIDADE DOS FRUTOS RECEBIDOS

Diáconos e irmãos que recebem as coletas não podem desvirtuar a finalidade dos frutos recebidos. Tem que ser respeitado o que Deus coloca no coração da irmandade.

03 - PRESENÇA DOS DIÁCONOS NAS REUNIÕES MINISTERIAIS

É dever do diácono comparecer às reuniões ministeriais. Quem falta às reuniões não preza o seu ministério. Faltar por motivo de força maior é justificável. O que não é justificável é o desmazelo.

04 - EVITAR LIBERDADE ENTRE PESSOAS DE SEXO DIFERENTE

Na convenção de 1936 Deus nos deu esse ensinamento: Não deve existir a mínima liberdade entre pessoas de sexo diferente. Por não possuírem essa precaução, muitos tem caído da graça.

Temos que nos tratar com todo o respeito e santidade.

05 - REFORMA DE CASAS

Os frutos que entram para a obra de piedade não devem ser aplicados em reforma de casas de oração ou casas dos servos. O emprego desses frutos é para atender as necessidades dos pobres, pela guia de Deus.

= PARA A IRMANDADE EM GERAL - 1977

02 - CANDIDATAR-SE A CARGOS POLÍTICOS - PROPAGANDA E CAMPANHA ELEITORAL

Temos ensinamento antigo: Quem pertence ao ministério e se candidatar ou fazer campanha para candidato, perderá o ministério e a liberdade. Quem, de entre a irmandade, fizer o mesmo, ficará sem liberdade.

A Congregação não se envolve com política. Ensina-se a irmandade a cumprir com o dever de votar, segundo a própria consciência. Nunca votando em partido que negue a existência de Deus.

04 - AULA DE RELIGIÃO

Não é obrigatório o aluno assistir aulas de religião

Nossos filhos são doutrinados nas reuniões para jovens e menores e nas reuniões para a mocidade. Podem ser dispensados de assistir aulas de religião nos colégios.

05 - SOCIEDADE SECRETA E RELIGIÕES DIVERSAS

O povo de Deus não deve se envolver com sociedades secretas, nem frequentar religiões, credos e outras formas de doutrinas.

Surgiram ultimamente certas religiões estranhas, que vem iludindo a muitos, principalmente a mocidade. Estejamos todos advertidos contra a ação e influência desses emissários, portadores de doutrinas estranhas.

06 - MÚSICOS NÃO-BATIZADOS, MENORES OU MAIORES DE DOZE ANOS

É permitido aos menores de doze anos tocar nas reuniões de jovens e menores de suas comuns congregações, mesmo não sendo batizados.

Após ultrapassarem a idade de doze anos, podem continuar tocando. Não devem ser proibidos de tocar - nem pressionados para que se batizem. Devem ser deixados livres. O Senhor operará em seus corações no tempo certo.

07 - HOMEOPATIA - ESCLARECIMENTOS

Homeopatia é uma das classes em que se divide a medicina e o ramo farmacológico.

A homeopatia combate as moléstias por meio de doses pequenas e consecutivas de medicamentos.

Nada tem que ver com o espiritismo, umbanda ou feitiçaria.

Produtos homeopáticos compram-se em farmácia e não de curandeiro.

08 - GRUPOS DE VISITAS EM HOSPITAIS E RESIDÊNCIAS

Não convém continuar a fazer visitas em grupos.

Tem havido queixas, provenientes de hospitais e residências, a respeito de barulho e molestação dos enfermos.

Visitar enfermo é bíblico. Mas temos que cumprir essa determinação com ordem e de forma discreta. Indo poucas pessoas de cada vez, nas visitas.

09 - USO DE VÉU NAS CONGREGAÇÕES

Quando as irmãs entram, antes de se iniciar o culto ou depois de iniciado, procuram o lugar. Depois de o acharem é que colocam o véu sobre a cabeça, ficando com ele o tempo todo até que o culto termine. Então tiram-no e o guardam, embora tenham que permanecer por mais tempo dentro da congregação.

10 - SAUDAÇÃO AO ENTRAR NA CONGREGAÇÃO

A irmandade não deve mais cumprimentar em voz alta com a paz de Deus ao entrar na congregação. Este hábito desnecessário perturba os que estão orando, lendo a Bíblia ou em comunhão aguardando o início do culto. Além disso, força a irmandade a responder em conjunto o amém a cada instante, o que não produz boa impressão.

Que todos procurem entrar em silêncio. Saudando em voz baixa apenas os irmãos que sentam-se mais próximos.

Quanto ao ósculo, é mais adequado para a despedida. Contudo, não somos impedidos de saudar com o ósculo os vizinhos de banco.

O ósculo é um só e não dois ou três como faz o mundo. As irmãs procurem se por de acordo com este ensinamento. A saudação é com o aperto de mão e não com um toque no braco ou no ombro. Temos que conservar o que apreendemos dos que fora antes de nós no Senhor.

11 - PRESENTES DE FIM DE ANO

Presentes que as firmas costumam dar aos funcionários no fim de ano não são idolatria. São do mesmo tipo de abono. Podem ser aceitos.

Idolatria é festejar o natal, comemorar a páscoa e outras datas em homenagem a ídolos.

14 - TESTEMUNHAR À FRENTE DO POVO, MESMO SEM MICROFONE

......

Não fica bem testemunhar pelas costas da irmandade. Todos tem que voltar a cabeça para ver quem está testemunhando, e também não se ouve distintamente o que está sendo testemunhado.

Há exceções: Irmãos e irmãs impossibilitados de se locomover, testemunham do próprio lugar. Ou também quando os corredores estão repletos de irmandade, impedindo a passagem.

15 - SERVOS DE DEUS ORAREM EM CASAMENTOS OU NOIVADOS

Na obra de Deus não há cerimônia religiosa para casamentos.

Por conseguinte, não é função ministerial do ancião diácono ou cooperador orar em casamentos ou noivados.

Nessas ocasiões, qualquer irmão pode orar. Se houver servos presentes, um deles ora. Mas não por dever ministerial.

A função ministerial dos servos de Deus é atender à obra.

Não podem assumir compromissos de se achar presentes em datas determinadas, devido a festas de casamento ou noivado.

Os servos tem que estar sempre livres para atender assuntos da obra de Deus, quando e onde for necessário.

17 - ALICIAMENTO - ENTORPECENTES

......

Temos que alertar a juventude, nas reuniões para a mocidade, falando claramente a respeito desse grave assunto. Compete-nos orar muito a Deus para que guarde nossos filhos dessa terrível calamidade, e da maldade das criaturas sem escrúpulos, que não respeitam colégios nem lares, movidos pela ganância criminosa e pelo espírito do erro.

= TÓPICOS DE ENSINAMENTOS - ASSEMBLÉIA DE 1978

01 - HINOS

Já obtivemos os direitos autorais dos hinos que constam em nosso hinário.

03 - SANTA CEIAS

......

Também já fomos ensinados que não se deve limpar o cálice quando se está servindo a Santa Ceia.

05 - UNÇÃO A ENFERMOS ESTRANHOS À FÉ

Devemos estar bem acertados se Deus nos dá de ungi-los, pois há alguns que não entendem o que é a Unção e a recebem como se fosse benzimento.

Nas unções devemos evitar fazer orações prolongadas. Marcos 6, 13 e Tiago, 5, 14.

06 - FUNERAIS

Sendo nossos irmãos, devemos dizer. “O Senhor recolheu” e senão, mesmo sendo parentes de nossos irmãos, dizemos: “Faleceu”. Sempre se deve anunciar a hora de saída do funeral, dizendo para estar uma hora antes (quando irmãos) e esse serviço não deve ser longo para que depois ainda os que não viram, possam ver o corpo e sair na hora marcada. Há queixas de motorista dos carros fúnebres que eles tem outros enterros e não podem atrasar.

07 - PREGAÇÕES PROLONGADAS, PRELEÇÕES E COMENTÁRIOS

Continuam vindo queixas sobre esse assunto, tanto nos cultos, assim como nos ensaios, nas reuniões para a mocidade, reuniões da Piedade, etc.. Devemos evitar murmúrios por causa disso, repetindo-se muitas vezes o mesmo assunto ou tomar muitos pontos da Bíblia e o povo fica sem saber qual é o assunto principal.

08 - VAIDADE

Há murmuração contra irmãs que tem ministérios, pintam suas unhas dos pés e mãos ou esmaltam, tingem seus cabelos e usam calças compridas; além de irmãs há servos que também tingem seus cabelos. Serão todos exortados e se não obedecerem não terão condições de permanecer no ministério. O exemplo para o povo deve partir dos que tem ministério.

09 - SIGILO

O servo que não guardar sigilo do ministério não é sincero e Deus o esvaziará.

10 - DIÁCONOS

Os diáconos não devem interferir nos assuntos que competem ao ministério dos anciães querendo forçá-los a tomar certas deliberações.

11 - RENUNCIA

Nos pedidos de renúncia ao ministério ou encargos na Obra de Deus, deve constar qual o motivo, pois há casos que poderão ser considerados e se aconselhar e o servo ou a serva, sendo esclarecidos poderão permanecer no ministério.

12 - JULGAR CASOS

Deve-se agir com muita prudência, ouvindo sempre as duas partes em litígio; antes de se fazer um juízo precipitado. Quando alguma das partes for parente de algum servo, convém que este se conserve neutro, deixando que os outros servos julguem sem parcialidade e nem querendo agradar o servo, pois neste caso se estaria cometendo injustiça.

14 - DIVÓRCIO

Havendo agora a Lei do Divórcio neste País, quando se apresentarem amasiados que desejam ser batisados, deve se averiguar bem cada caso. Quanto a essa Lei não devemos fazer comentários; deve se permanecer no que disse o Senhor Jesus: “S. Mateus, 5: 31 e 32 e Cap. 19:9”.

15 - EVITAR FILHOS

Há irmãs que aconselham outras a evitarem filhos; estão fora da Palavra, devendo permanecer no que disse o Apóstolo São Paulo, em I Timóteo 2: 15.

19 - OFERTAS PARA VIAGENS

Se algum irmão oferecer passagem para algum servo ou outro irmão caso se sentir, em caráter particular pode aceitar, mas, se for em missão antes de aceitar, deve-se orar a e se Deus responde, aceite, caso contrário recusará a oferta.

20 - ORQUESTRAS

Todos os servos devem tratar com mais carinho os irmãos músicos, embora tenham alguma fraqueza, exortá-los com amor. Se for caso grave deve ser resolvido pelo Ministério.

21 - ORQUESTRAS SINFÔNICAS

Não é conveniente nossa irmandade participar desses conjuntos, pois terá que tocar em teatros, etc. e abandonará os cultos. Se algum irmão já pertencia a um desses conjuntos quando foi chamado, orará a Deus para que prepare outro serviço.

22 - FESTAS DE FORMATURAS

O povo de Deus não deve compartilhar nessas festas tomando parte na cerimônia religiosa e nem nos bailes, apenas na colação de grau, mesmo o que se forma.

23 - SAUDAÇÕES

Não se deve pedir permissão para levar saudações a outras Congregações - é nosso dever. O povo de Deus não deve usar a palavra ”TCHAU” nem ”OI”, mas devemos dizer: “A PAZ DE DEUS”. A saudação Cristã deve ser dada com todo respeito, com um só ósculo e não como faz o mundo dando dois ou três beijos e nem se dando as mãos, mas apenas uma bate no ombro da outra; essa não é uma saudação Cristã, mas de amizade carnal.

24 - VENDEDORES DE BILHETES E ÍDOLOS

Há irmãos que se dedicam a esses serviços. Devem ser aconselhados a procurar outro serviço e se são enfermos, então a Obra de Piedade deverá cuidar deles.

25 - CESTAS DE NATAL

Quando se comprar uma dessas cestas com cupom de sorteio, sabemos que esse sorteio vem por meio da loteria; não nos convém, mas se uma firma em que o irmão trabalha lhe quizer oferecer, faça como se sentir, pois não é preciso comer nesse dia.

29 - REPÓRTERES E OUTROS

Quando alguém dentre a irmandade é procurado por repórteres ou pessoas de outras igrejas, devem sempre ser encaminhadas para os irmãos Anciães que darão as informações sobre a Fé e Doutrina que seguimos.

33 - GERALDO MAIA

Este é médico e funcionário do Estado; seu nome todo é GERALDO MAIA DO CARMO LIMA. Deve se tomar cuidado com essa pessoa.

34 - JOÃO BERTACOLI

Esse é um falso profeta, conhecido por João Profeta. Já há anos está seduzido por esse espírito e ultimamente levam até vestidos e outras roupas de pessoas enfermas para ele orar.

= TÓPICOS DE ENSINAMENTOS PARA A REUNIÃO DE DIÁCONOS - 1978

01 - CONFIRMAÇÃO DA IMPORTÂNCIA QUE DEUS REVELOU NA MESA

Os casos apresentados na mesa devem ser considerados primeiro se é da vontade de Deus, se Ele faz saber, em seguida ficaremos novamente em comunhão para sentir a revelação de Deus. Quando Deus não confirma, não deve haver insistência.

02 - SIGILO

É nosso dever guardar sigilo em todos os assuntos do ministério. Irmãs da Obra da Piedade devem ser exortadas neste sentido, particularmente quando o Senhor não confirma algum caso por elas apresentado.

04 - IMPORTÂNCIA PARA VIAGENS

Ao considerar a viagem do servo, não devemos colocar no envelope o estritamente necessário a sua locomoção mas pensar na distància da viagem e o lugar. (tem lugar extremamente pobre) não compete a nós como ele gastou o fruto.

07 - COLETAS

Todo o fruto recebido tem sua finalidade, porém ainda há irmãos que juntam o que recebem no mesmo bolso e depois dividem como querem; temos que respeitar o sentimento que Deus pôs no coração do povo.

08 - ANCIÃES - ADMINISTRAÇÃO

Não devemos nos envolver em assuntos de competência dos irmãos Anciães (doutrina e deliberações de ministério) assim como assuntos da Administração (compra de terrenos, construções, etc...). Devemos respeitar o ministério um do outro.

09 - ANDAR EM COMPANHIA DAS IRMÃS

Nós não devemos acompanhar as irmãs em sua missão da Obra da Piedade a não ser algum caso especial ou em revisão de casos, porém para guardar nosso testemunho levar nossa esposa não para interferir ou dar palpite mas para evitar falatóro.

10 - PARTICIPAR AS IRMÃS DA OBRA DA PIEDADE

Os casos verificados por nós devemos comunicar as irmãs de ministério, ter cuidado para não magoar as irmãs que colaboram conosco a fim de não provocar a desunião.

11 - NECESSIDADES DE IRMÃOS DE MINISTÉRIO

Não compete às irmãs apresentar estes casos, mas sim ao Diácono que deve acompanhar de perto a situação dos servos de sua região.

12 - ATENDIMENTO FORÇADO

Há irmãs que impõem o atendimento de determinado caso, colocando-se em choque alguma vez com o Ancião, Diácono ou Cooperador; não devemos ser coagidos, mas sim pela vontade de Deus, assim também há servos que procuram forçar o atendimento; devemos saber do testemunho se são convertidos ou se o Senhor não respondeu.

13 - APRESENTAÇÃO DE IRMÃS PARA A OBRA DE PIEDADE

Há servos que apresentam irmãs para a Obra de Piedade sem consultar o Diácono e tem causado alguns aborrecimentos. Há irmãs que vieram de seita e foram apresentadas e algumas não permanecem no ministério porque quizeram introduzir costumes setários e o Senhor não se agradou e desistiram; assim como tem irmãs que mudaram de cidade e foram colocadas, quando na região haviam irmãs aptas, entristecendo as irmãs locais e outras mudaram de cidade sem testemunho.

14 - GRUPO DE VISITAS

As irmãs em missão da Obra de Piedade não deverão ser acompanhadas de outras irmãs que não tenham ministério, pois há o grupo de visitas e algumas se intitulam da Obra de Piedade, porém, sem missão são livres.

15 - VAIDADE

As irmãs da Obra de Piedade devem ter compustura, evitar extravagâncias.

16 - IRMÃS COSTUREIRAS

Devem se conservar incógnitas, evitar de testemunhar que são da Obra de Piedade.

19 - OBRA DA PIEDADE

Não deve ser divulgada e nem propagada; sua finalidade é conhecida pela maioria dos necessitados. De vez em quando o Senhor dará aos servos exortar para olhar mais o Senhor

22 - QUANDO SE ERRA

É humilhante corrigir em público; há hora própria para isso.

24 - IRMÃS DA OBRA DE PIEDADE CONSELHEIRAS

Devemos ter sempre a palavra do amor e da salvação em nossas bocas para confortar aqueles que porventura estejam em aflição, tribulação ou tentação, porem sem se intrometer na parte íntima das famílias.

= SUPLEMENTO DE TÓPICOS DOS DIÁCONOS PARA REUNIÃO GERAL - 1978

- IRMÃS DA DE PIEDADE FIRMADAS NO MINISTÉRIO

Há servos quando Deus confirma irmãs para a Obra de Piedade apresenta-as em público, a irmandade. Pelo princípio não tem sido assim: outros servos apresentam irmãs no ministério para ser orado sem o Diácono ter conhecimento e também depois das irmãs serem confirmadas em vez de dar oportunidade do Diácono apresentá-las (não ao povo) mas na Reunião do Ministério da Obra de Piedade.

- ATENDIMENTO FORÇADO

Há servos quando determinada família que eles apresentam não é atendida (há casos que o testemunho não confere como cristão, uns não são convertidos e outros o Senhor não faz saber nada) procuram coagir o Diácono ao atendimento, quando este recusa por ter medo da Mão de Deus, o servo anuncia na Igreja coleta para um família (depois vem os comentários da irmandade, porque essa família não foi atendia pela obra de Piedade).?

= TÓPICOS - ASSEMBLÉIA DE 09 A 13 DE ABRIL DE 1979

* 02 - ORAÇÃO

.... - A papeleta de pedidos de oração deve ser levada ao servo no púlpito antes do término do terceiro hino, por um dos porteiros ou alguém que ele determine. Mas não por uma irmã.

03 - BATISMOS

.... - Batismo quer dizer sepultamento. Batizar por imersão, a semelhança do sepultamento do Senhor Jesus, significa sepultar o velho homem com seus feitos pecaminosos, ressurgindo nova criatura com Cristo. Quando a pessoa não for totalmente sepultada nas águas deve-se tornar a sepultar, sem necessidade de repetir as palavras do batismo. Pedidos de batismo para enfermos devem ser atendidos com toda urgência (se possível no mesmo dia).

04 - PRESIDÊNCIA E PALAVRA

Nunca se deve forçar outro servo a presidir culto nem levantar com a Palavra. Dá-se a liberdade para presidir. O servo não aceitando, na hora da Palavra dá-se-lhe a liberdade, e aos demais servos presentes para pregar. O que levanta deve ser movido por Deus e não pela nossa insistência. Não se deve dar oportunidade de ler a Palavra a quem não tenha ministério, salvo se o que preside sinta de fazer isso. Para ler a palavra é preciso que a pessoa seja de bom testemunho.

05 - PREGAÇÕES PROLONGADAS

Constantemente ouvem-se reclamações por parte da irmandade de várias localidades sobre pregações muito longas e cultos que terminam muito além da hora, o que causa dificuldade para quem depende de condução e para as que tem esposo não crente. Os servos devem fazer tudo com entendimento, entendendo as dificuldades da irmandade. Palavras prolongadas, com muitos assuntos, dificultam a compreensão e retenção de tudo.

* 06 - GUARDAR DIAS - CULTOS DE VIGÍLIA

Somos ensinados a não guardar dias pois para o povo de Deus todos os dias são iguais. Guardamos Cristo Jesus em nosso coração. Dia das mães, dos pais, dos namorados e tantas outras alegorias são costumes mundanos que não devemos imitar. Não é, também, costume do povo de Deus, fazer culto de vigília na noite de passagem do ano. Isso é costume setário. A irmandade deve ser advertida a respeito.

07 - PRELEÇÕES

Apezar de termos sido ensinados a não fazer preleções (exortações) antes da oração, antes da testemunhança e antes da Palavra, há servos que as fazem, enfadando a irmandade e contribuindo para que, ao chegar a hora da Palavra, haja desinteresse naquilo que Deus envia, que é o principal para as nossas almas. Quem ainda agia dessa forma, obedeça o conselho e fale somente o indispensável.

09 - REUNIÕES PARA A MOCIDADE

.... - Quanto a última oração convém que o servo que preside ou outro servo presente, a faça. Ocasião em que apresentará ao Senhor os casais que se despediram, pedindo que os abençoe. Os jovens, ao se despedirem, evitem fazer com que coincida a ida ao microfone, do seu par, pois isto dá aspecto de apresentação humana. Na obra de Deus tudo deve ser com simplicidade.

* 10 - FUNERAIS

Convém que, quando o Senhor recolher alguém que more na casa da congregação, o corpo seja levado para um velório. Em hipótese alguma o corpo deve ser levado para dentro da congregação. Não se deve colocar a Bíblia dentro do caixão do defunto. A palavra de Deus é para os vivos. Nem cobrir com o véu a cabeça da irmã morta. A Palavra de Deus manda que a mulher se cubra com o véu quando ora ou profetiza. E isto se refere aos vivos. Para irmãos ou irmãs que perecem afogados ou em outro acidente, podemos fazer funeral. Desde que não se trate de suicídio.

* 13 - CASAMENTOS - NOIVADOS

Os servos de Deus não devem orar em noivados, pois muitos noivados depois são desfeitos. Que os próprios familiares orem. Quanto a orar em casamentos, os servos devem estar bem acertados da parte de Deus. Têm surgido muitas coisas desagradáveis nesse assunto de casamentos, que implicaram na tomada de medidas enérgicas por parte dos servos. Portanto os servos devem ter muita prudência no aceitarem convites para orar em casamento. Os jovens entre o povo de Deus convém casarem pelo regime da comunhão de bens, embora não damos mandamento. A união matrimonial é símbolo da união entre Cristo e a Igreja. E Ele deu sua vida pela Igreja, prometendo-lhe herança eterna nos céus. Para viúvos é aconselhável o regime de separação de bens devido a problemas que envolvem os filhos e heranças. A separação de leito é procedimento contrário à Palavra de Deus. Casais que estão nessa situação devem ser aconselhados. A separação é admissível, com consentimento mútuo, por algum tempo para que ambos se apliquem a oração, juntando-se depois, a fim de que satanáz não os venha a tentar.

* 14 - BÍBLIAS E HINÁRIOS

....- As Bíblias e hinários com defeito, serão substituídos. Não convém que nossos hinos sejam gravados para se negociar. Pela graça de Deus já foi substituída a melodia do hino 376.

* 15 - ORQUESTRAS E DIVERSOS

Foi deliberado não haver mais pregação da Palavra nos ensaios. ....

16 - CONSTRUÇÕES

.... - Quando a sala de oração for em propriedade particular e não comportar mais o número de irmandade, compete a esta contribuir para o aumento que se fizer necessário. Ficou deliberado instalarem-se pára-raios nas congregações. De acordo com a Palavra de Deus não devemos comprar coisa alguma que tenha pertencido a idolatria. Sejam materiais de construção, móveis, instrumentos, etc. (II Reis, 10: 26).

19 - COLETAS

Não é função das irmãs receber coletas, nem de irmãos novos na fé. Os irmãos porteiros devem ser apresentados à irmandade, ao serem colocados, a fim de que sejam conhecidos. As coletas devem ser contadas em recinto seguro, por mais de duas pessoas.

20 - TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL

Foi decretada uma lei isentando as igrejas de serem usadas para pleitos eleitorais.

* 22 - VÉUS

Foi deliberado que a congregação não venda mais véus.

24 - TRATAMENTO ENTRE OS SERVOS

Durante os santos serviços e reuniões todos os servos devem se tratar de “IRMÃOS” e não de “você”, ainda que sejam parentes ou amigos. Somos todos irmãos em Cristo.

= REUNIÕES GERAIS DE ENSINAMENTOS PARA DIÁCONOS - PAUTA DE ASSUNTOS - 1979

01 - ORDENAÇÃO DE DIÁCONO

........

b) É atribuída ao diácono a responsabilidade das coletas, sempre considerando e respeitando os irmãos que as recebem.

c) Os irmãos diáconos deverão estar presentes nas reuniões da mocidade em suas regiões.

d) As coletas da obra pia e viagens, serão administradas pelo irmão diácono, que movimentará conta bancária em nome da Congregação.

02 - REUNIÃO DE ATENDIMENTO

d) Onde não houver diácono presente, o irmão ancião ou cooperador deverá atender.

04 - COLETAS

c) .... - Não se deve colocar caixa para depósito no púlpito.

d) Irmãs não poderão receber coletas, como também não devem ser colocados irmãos com pouco tempo de crente.

05 - ROUPAS E DIVERSOS

a) Em algumas localidades as roupas e outros artigos chegam a se estragar nas prateleiras. Por má distribuição ou atendimento, como também, por falta de asseio e ordem.

b) Há também saldo de dinheiro em caixa ou em banco faltando com o atendimento para os necessitados.

06 - QUARTOS PARA COSTURA

a) Por determinação de lei, não é permitida a instalação de quartos para costura no terreno da congregação. As costuras para atendimento da obra pia deverão ser feitas nas residências das irmãs de boa vontade.

b) Costureiras, o Senhor Deus é quem preparará para serem usadas nesta parte.

07 - IRMÃS PARA TRABALHAR NA OBRA PIA

a) Ao ser apresentada uma irmã para trabalhar na obra pia, primeiramente os servos (ancião, diácono, cooperador), deverão estar em comum acordo. E observarem os seguintes quesitos: tempo de crente, idade, saúde, se é livre para poder atender a obra, se cuida bem de seu lar, que o esposo seja crente e se tem o dom de Deus, como se encontra em Tito, cap. 2, versos 3,4,5. Após preencher estes quesitos, os irmãos anciães, diáconos e cooperadores assinarão a ficha para submeter a apreciação dos diáconos mais antigos, que encaminharão para orar na reunião ministerial.

b) Os servos que apresentarem irmãs para trabalhar na obra pia, deverão fazer no máximo sigilo, para que as mesmas não venham a tomar conhecimentos, pois si Deus não confirmar, as mesmas não ficarão abatidas.

d).... - ....uma reunião após o culto, onde essa irmã será orientada sobre as suas atribuições na missão recebida e seu esposo também ficará esclarecido das obrigações e deveres que a esposa assumiu para com o ministério.

11 - COMPRAS PARA ATENDIMENTOS CONFIRMADOS

É de competência das irmãs da piedade fazerem as compras necessárias ao atendimento e também suas entregas.

12 - LIBERDADE E IMPARCIALIDADE NO MINISTÉRIO

O diácono não deverá se prender por interesses ou amizades, ficando dominado ou sendo dominador, para, sem a interferência de anciães, cooperadores, administradores, etc., cumprir com a guia de Deus seu ministério com imparcialidade.

13 - CATÁSTROFES - CALAMIDADES

a) Em casos de catástrofes ou calamidades, a irmandade poderá ocupar as congregações.

b) As autoridades poderão requisitar as dependências da congregação para abrigar o povo.

.......

14 - CONFUSÃO NAS VISITAS

De diversas localidades chegaram reclamações de irmãs da obra da piedade, que se juntam com as irmãs da visita ou de profecias, ou expulsando, transtornando os ensinamentos e colocando os servos de Deus em má situação. As irmãs da obra pia deverão permanecer nos ensinamentos que receberam quando foram colocadas no ministério.

16 - AUXILIAR NOS BATISMOS

Onde houver necessidade de auxiliar no batismo, não é exclusividade do diácono entrar junto n’água, mas deve-se respeitar os irmãos que já vinham fazendo.

Admin
Admin

Mensagens : 1049
Pontos : 2451
Data de inscrição : 24/05/2009

http://oulorivallan.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Todos os tópicos de ensinamentos da CCB 1961em diante Até 2010

Mensagem por Admin em 25th Julho 2010, 4:12 pm

Tópicos de ensinamentos 1991 - 56 - Assembléia


CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL

TÓPICOS DE ENSINAMENTOS

56ª ASSEMBLÉIA - 1991

56ª ASSEMBLÉIA – 1991 – RESUMO DE ENSINAMENTOS

SÃO PAULO – 22 A 26 DE MARÇO DE 1991

EM NOME DO SENHOR JESUS INICIARAM-SE ESTAS REUNIÕES COM ORAÇÃO

1 - SIGILO NAS REUNIÕES MINISTERIAIS

O que se passa nas reuniões ministeriais não deve ser comentado com ninguém, nem com as próprias esposas. É assunto que Deus confiou aos seus servos. Os servos de Deus devem ter gravidade para guardar o necessário sigilo, pois um caso que seja comentado fora da reunião poderá ter repercussões indesejáveis. Os que não conservam o sigilo não tem dignidade para estar em nossas reuniões. Quem transmitir assuntos para fora da reunião será advertido e ficará sujeito às penalidades que o ministério determinar.

2 - PREGAÇÕES - DOUTIRNA NOS CULTOS E NAS REUNIÕES DA MOCIDADE

Os servos de Deus que se levantam pra pregar, devem ter certeza de que é Deus quem lhes aponta a Palavra. Quando um servo é guiado por Deus, não surgem inconvenientes, nem assuntos fora da doutrina, nem gritaria ou pulos, e nem o servo se transforma em ídolo. Ninguém deve pregar por entusiasmo. Deve-se pedir a Deus para dar doutrina.

3 - ORAÇÕES PROLONGADAS E REPETITIVAS

Ultimamente vem se notando que há orações muito prolongadas e repetitivas, tanto nos cultos normais, nas orações de agradecimento, como nos batismos, nas Santas Ceias, nos funerais e até nos casamentos. A oração de agradecimento é só para agradecer a Deus por aquilo que o Senhor nos deu no culto; não se deve fazer uma oração prolongada, na qual se repete o que o Senhor já falou pela Palavra.

4 - MUDANÇA DE SERVOS DE UMA LOCALIDADE PARA OUTRA - SERVOS QUE MUDAM NÃO DEVEM EXERCER MINISTÉRIO ALGUM, SEM ANTES PASSAR POR REUNIÃO MINISTERIAL

O Ancião, o Diácono e o Cooperador devem permanecer no lugar onde foram colocados no ministério. Quem muda sem passar por reunião, despreza o seu ministério, portanto, ficará sem o ministério. Os servos que mudarem para outra localidade deverão procurar o ministério local e, em reunião ministerial, expor o seu caso e a razão da mudança. Quando Deus confirma um irmão para exercer um ministério em determinada localidade, o único que pode move-lo dali é quem o colocou: Deus. Se em outra localidade houver uma necessidade maior, só o Senhor é que pode autorizar a transferência. Não é a convite e nem por desejo. A Obra de Deus é santa, guiada pelo Espírito Santo. Não podemos materializar a Obra de Deus. Alguns fizeram o que quiseram e se deram mal; depois, tentaram voltar, lamentando e não suportando a situação difícil em que se colocaram. Se é Deus que move, dizemos amém; porém, se não for Deus, tudo se complica. Outrossim, o servo que mudar não deverá ter domínio sobre o Ancião que ficou na localidade onde ele residia e nem sobre os Anciães da região para onde ele for, embora sendo mais antigo no ministério. Deverá honrar os servos do local. Quem edifica a Obra é Deus. A pessoa deve saber como entrar e como sair.

5 - CONVITES PARA ATENDIMENTOS

Os Anciães não devem atender serviços divinos movidos por convites, mas deverão sempre deixar-se guiar pelo Espírito Santo. Exemplo deixado pelo irmão Ancião Louis Francescon.



* 6 - CONVITES PARA REUNIÕES DA MOCIDADE E BATISMOS - CARAVANAS

Deve-se evitar convites par reuniões da mocidade e batismos, para localidades num raio superior a 100 quilômetros. Também deve-se evitar ir com caravanas a lugares distantes, de onde se têm de voltar de madrugada ou até mesmo passar a noite. Quando se tratar da mocidade, é sempre aconselhável que vá um Ancião ou um Cooperador junto, para haver o máximo respeito. Outrossim, deve-se considerar que há congregações mais afastadas que não comportam grande número de irmandade e a mocidade acaba ficando fora, sem participar da reunião.

* 7 - CULTOS E REUNIÕES BARULHENTOS

Perturbar o sossego público, com gritarias e exageros, é contra a lei e contra a Palavra de Deus. Deve se observar silêncio após as 22:00 horas. Quando a manifestação é do Espírito Santo, isso rende comunhão. O que é de Deus não sai fora da Palavra. Quando não é a voz do Espírito Santo, não rende comunhão. Há irmãos que ficam reunidos em oração até altas horas da madrugada, fazendo barulho e incomodando os vizinhos; isso é reprovável e pode trazer consequências desagradáveis para o bom nome da Congregação. Os servos de Deus, colocados como anjos nas Igrejas, têm que vigiar continuamente. Quando um grupo de irmãos, da localidade ou vindos de outra parte, deseja buscar os dons, deve dirigir-se aos Anciães que marcarão um dia para essa reunião. O Ancião poderá convocar a irmandade a permanecer, após um culto, na Congregação, ou em outro dia em que não haja culto. Não devemos começar pelo Espírito e acabar pela carne. Na busca da Promessa não se deve induzir os irmãos a falar línguas, pois quem dá os dons é o Senhor. Devemos ensinar os irmãos que assim procedem, a não o fazerem mais. Esses grupos devem ser chamados e orientados. Houve deliberação de que essas reuniões sejam feitas nas congregações, com a presença do Ancião, e este presidirá a reunião, vigiando para que não continuem alguns irmãos ou irmãs a andar pelos corredores e entre os bancos, incitando a irmandade a se manifestar. Podemos fazer reuniões para busca da Promessa também em nossas cassas. Nestes casos, deve-se levar ao conhecimento do servo local e este orientará par que não se fique orando até de madrugada. Ao mesmo tempo, o servo comunicará o caso ao ministério local.

8 - FUNERAIS - ORAÇÕES E PALAVRA - HINOS: INDAGAR SE A FAMÍLIA CONSENTE - FUNERAL PARA QUEM NÃO ERA BATIZADO - FUNERAL PARA NÃO-CRENTES

Nos funerais as orações e a Palavra não devem ser prolongadas. Quem preside deve indagar se a família consente que sejam cantados hinos. Deve-se dar ensinamento a irmandade para não chamar, no funeral, o hino que a pessoa a quem o Senhor recolheu gostava. Temos os hinos apropriados para funeral e estes devem ser chamados. Quem chama os hinos é o servo que preside. Nos funerais para quem não era batizado, o servo deve deixar-se guiar pelo Senhor. Para quem não era crente, não se faz serviço divino no funeral, a não ser que o Senhor guie de faze-lo.

9 - UNÇÃO

Quando os servos de Deus são chamados a ungir um enfermo, não devem fazer muitas perguntas, como um interrogatório, querendo até saber se o enfermo cometeu pecado. Deve-se perguntar ao enfermo se está em paz com a família, com o ministério e com a irmandade. No ato da unção, molha-se o dedo com um pingo de azeite e aplica-se sobre a testa do enfermo, fazendo a oração.

10 - SANTA CEIA - PÃO ASMO

Cristo Jesus é o Cordeiro de Deus, que tirou o pecado do mundo. Ele tomou os nossos pecados sobre si quando foi cravado na cruz. Por isso o pão que representa o corpo do Senhor é o pão levedado, com fermento. Quanto à primeira Santa Ceia, o Senhor usou o pão asmo, pois Ele ainda não havia sido carregado com o pecado da humanidade. O Senhor Jesus, estando de corpo presente, não deu o Seu corpo nem o Seu sangue para os apóstolos comerem e beberem, mas usou a mesma representação que nós usamos: o pão, e o vinho no cálice. O Seu corpo e o Seu sangue Ele deu por nós na cruz do calvário.

11 - A PÁSCOA ERA PARA ISRAEL - A SANTA CEIA, PARA TODOS OS POVOS

A Santa Ceia que o Senhor instituiu é para todos os povos. A páscoa era para Israel. O ato real foi consumado quando o Senhor se entregou por nós na cruz. Na Santa Ceia nós comemoramos a more do Senhor, reverenciando-a.

12 - SANTA CEIA - DISPOSIÇÃO DOS BANCOS PARA AS RODADAS - IRMÃOS SEM LIBERDADE - PORTADORES DE MOLÉSTIAS CONTAGIOSAS - HINOS

Convém colocar uma fila de bancos para que a irmandade se apóie ao ajoelhar e tenha a melhor ordem para ser servida a Santa Ceia. Exortar a irmandade a ficarem sentados em seus lugares até que sejam chamados. Em casos excepcionais, por motivo de enfermidade ou de força maior, poderão participar antes. Devem ser escalados irmãos (se possível Diáconos ou porteiros), para organizar as filas na Santa Ceia, de acordo com o tamanho da congregação. Portadores de moléstias contagiosas devem participar por último, após os servos haverem participado. Não deve existir rodada especial dos que orientaram as filas ou fizeram a contagem, junto com o ministério local. Deve-se ir participando das últimas rodadas. Os servos locais participam sós.

Quanto aos irmãos sem liberdade, deve-se considerar caso por caso. Fica na consciência de cada pessoa.

Quem anuncia os hinos na Santa Ceia é o Ancião que preside e não o encarregado de orquestra.

13 - INDICAÇÃO DE IRMÃOS PARA DIÁCONOS - DEVE SER FEITA PELOS ANCIÃES

Tem acontecido casos de irmãos que são indicados para o ministério de Diacono e, depois, chega ao conhecimento do Ministério Espiritual que aquele irmão ainda não foi selado com a Promessa do Espírito Santo. O Ancião é colocado como o anjo da Igreja e deve ter o cuidado de verificar, previamente, se o irmão que vai ser indicado para Diácono já recebeu a Promessa. Quando houver necessidade de se fazer uma indicação, os Anciães da localidade devem reunir-se com os Diáconos para ver se todos estão de acordo; devem procurar saber se aquele irmão tem os requisitos necessários para exercer o ministério. Estando todos de acordo, quem deve apresentar é o Ancião da localidade.

14 - BATISMOS - PALAVRAS A SEREM DITAS - HINO 195

As palavras que devem ser ditas pelo Ancião antes de submergir aquele que está sendo batizado, são as seguintes: “Irmão (ã), em nome de Jesus Cristo te batizo, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo – Amém”. Os que vão ser batizados devem crer que Jesus Cristo é o Filho de Deus. Ele é quem salva e não o batismo, em si. O batismo é obediência à Palavra de Deus. O mandamento está em São Mateus, capitulo 28, verso 19; a ordem, em Atos, capítulo 2, verso 38. A primeira parte do Hino 195 deve ser cantada antes do batismo, enquanto o servo troca de roupa. A segunda parte, após a realização do batismo.

15 - BATISMOS PARA AIDÉTICOS OU PORTADORES DE OUTRAS DOENÇAS CONTAGIOSAS

Deve-se explicar à irmandade que, quando souberem de algum doente, portador de AIDS, ou outras doenças contagiosas, que deseja ser batizado, não devem traze-lo nos batismos gerais. Também não devem trazer doentes recém-operados que estejam com curativos, sondas e aparelhos, enfim, que não estejam em condições físicas adequadas. Para esses casos deverá ser feito um batismo especial, na própria congregação. Se necessário, o servo irá à casa do próprio enfermo e fará o batismo, em um tanque portátil, que depois será também convenientemente lavado e desinfetado.

16 - TÍTULOS ENVIADOS A CARTÓRIO - COMPRAS A PRAZO - CHEQUES SEM FUNDO

A Congregação não deve, sob pretexto algum, fazer compras a prazo, para evitar correr o risco de ter algum título enviado a cartório. Pelo passado, isso jamais aconteceu. A Congregação não dispõe de uma organização contábil centralizada, apta a controlar um grande movimento, como se fosse uma empresa; assim, o melhor é não se fazer compras a prazo, não assumindo compromissos maiores do que as possibilidades da Congregação. Se algum título da Congregação chegar a ser protestado, os responsáveis serão chamados para esclarecer o ocorrido e, se houver culpados, estes perderão o ministério ou o cargo que ocuparem, na Obra de Deus. - Cheques sem fundo: tem que haver um rigoroso controle sobre a emissão de cheques. Os que emitirem cheques sem a suficiente provisão de fundos, serão chamados para esclarecer o ocorrido. Se não são capazes, serão substituídos.

17 - MINISTÉRIO EM GERAL DEVE SER MAIS GRAVE / SÓBRIO, POIS HÁ MUITAS QUEIXAS DOS IRMÃOS DO CORPO MINISTERIAL DE MUITAS LOCALIDADES

Servos devem se colocar no seu devido lugar, mantendo-se na gravidade e sobriedade, tanto no proceder como no falar, e nos trajes. Os servos devem usar roupas discretas. Deve-se eliminar o costume que alguns têm de contar gracejos, incluindo o nome de Deus. Deve-se evitar de arremedar testemunhos, imitar quem ora e outras chocarrices que não convém para os servos de Deus. Nossa linguagem deve ser sã e irrepreensível na pregação da Palavra.

18 - CONSTRUÇÕES E REFORMAS EMPREGANDO LUXOS E EXAGEROS

O que não deve ser permitido na Obra de Deus é empregar luxo e exageros em certas construções e reformas, quando em outros lugares, de menor poder aquisitivo, constroem e reformam de maneira humilde, singela. Deus não se agrada dessas diferenciações. Não se deve confundir luxo com padrão estipulado.

19 - GRAVAÇÕES DE HINOS

Devemos ensinar, nos ensaios regionais e parciais, bem como nas congregações e nas reuniões dos encarregados de orquestra, para não se fazer lançamentos de gravações de hinos, com emprego de recursos e adaptações, hinos cantados pelo estilo de dupla sertaneja, com passagens e floreados. O ministério sente que isso não agrada a Deus. Devemos nos conservar no temor de Deus também nesta parte. Não convém que encarregados regionais fiquem fazendo exortações nos ensaios. Isto não é da competência deles, é do Ancião que preside. Os encarregados regionais devem ater-se às preleções sobre a parte musical. A oração e a Palavra não devem ser prolongadas.

20 - RELATÓRIO - NOMES DOS SERVOS

Os nomes dos servos (Anciães) não devem constar em várias Congregações, a não ser em caso excepcional. Na Grande São Paulo foi feita uma revisão e foram retirados os nomes dos que estavam constando em várias localidades.

21 - COLETAS: RESULTADOS - COLETAS EXTRAS NÃO SÃO PERMITIDAS

Não anunciar nos cultos os resultados das coletas para evitar riscos. Esses resultados são só para conhecimento do Ministério e da Administração. – Servos de Deus que viajam a São Paulo por ocasião das reuniões gerais ou em viagens particular, não devem ir às igrejas buscando ajuda financeira, fato esse que tem acontecido freqüentemente em São Paulo. Cada localidade deve pensar por suas construções. Ultimamente, certos servos têm feito angariações nas congregações de São Paulo e outras regiões, saindo fora dos ensinamentos que tivemos desde o princípio. Não devemos estar levando dinheiro de São Paulo e de outras regiões para as localidades que atendemos, com a finalidade de suprir custos de construções. Cada irmandade local deve trabalhar para suas próprias construções. Há grupos de irmãos que partem para localidades de outros Estados, a fim de fazerem construções; estes, não devem ser impedidos. Todavia, há localidades na Grande São Paulo que fazem construções em outros Estados, mas quase não contribuem para São Paulo. Isto deve ser corrigido e devem contribuir normalmente para o caixa local. Os que constroem em outros Estados devem fazer recibo da verba que levam, em duas vias, trazendo o comprovante da entrega.

* 22 - COLETAS PARA AUXILIAR OUTRAS LOCALIDADES - MANDAR OS RESULTADOS POR VIA BANCÁRIA

Quando, em alguma congregação, os servos se sentirem de prestar ajuda financeira a outra localidade, a irmandade deve dar as contribuições aos porteiros e irmãos que recebem as coletas e não à pessoa interessada. O resultado total deverá ser contabilizado no local e encaminhado à referida localidade por via bancária, pela Administração. A verba não deverá ser levada por mãos próprias.

* 23 - IMPRENSA - RÁDIO - TV - JORNAIS E REVSITAS - REVISTA VEJA: ARTIGO SOBRE A CONGREGAÇÃO, QUANTO À COBRANÇA DE DÍZIMOS

Ninguém, dentre a irmandade, está autorizado a se manifestar ou a se pronunciar à imprensa ou às outras vias de comunicação acerca da Congregação, mesmo que seja para defende-la. Esse é um assunto que deve ser atendido somente pelo Ministério e pela Administração, e com muita cautela. Em artigo publicado pela Revista Veja a Congregação foi arrolada como pertencente ao grupo pentecostal e cobradora de dízimos. Não somos pentecostais e nada temos a ver com o movimento pentecostalista. A Congregação não cobra dízimos de seus fiéis. Os servos de Deus não são assalariados. Realizamos coletas livres, cujas finalidades são para benefício da Obra de Deus e da irmandade.

24 - REUNIÕES MINISTERIAIS

Os assuntos devem ser expostos com bastante clareza nas reuniões ministeriais, para que os servos possam entender. Quem preside deve dar a definição, ao final de cada assunto tratado.

25 - HOSPITAIS - IDENTIFICAÇÃO PARA ENTRADA COM CARTEIRINHAS COM FOTO

Temos ensinamentos do irmão Louis Francescon para nunca usarmos carteirinhas de identidade de Ancião, pois este é o comportamento das seitas. Os documentos que podemos apresentar, nas portarias de hospitais, são a cédula de identidade, o Relatório e o cartão de entrada nas reuniões. A atual Constituição assegura a prestação de assistência religiosa nas entidades civis e militares de internação coletiva. Se algum hospital nos impedir, deixaremos sob sua responsabilidade.

* 26 - DESPESAS HOSPITALARES

A família daquele que for internado em hospital é que deverá pagar as despesas. Muitos sem disponibilidade internam e, como o INAMPS não cobre as despesas, recorrem aos irmãos Diáconos para pagar, mas não deve ser assim. Também famílias que internam os servos em quarto particular, não devem pretender que o irmão Diácono pague as despesas.

27 - REGISTRO PATENTE “CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL” / “CONGREGAÇÃO CRISTÃ DO BRASIL”

Já estão patenteadas, tanto a denominação “Congregação Cristã no Brasil”, como “Congregação Cristã do Brasil”.

28 - GÁS DE COZINHA - UTILIZAÇÃO COMO COMBUSTÍVEL NOS VEÍCULOS

A utilização de botijões de gás como combustível nos veículos é crime, além de poder provocar uma catástrofe. Quem infringir essa lei e vier a ser condenado, perderá a liberdade e o ministério, se o tiver.

29 - DOAÇÕES - NÃO PLEITEAR DOAÇÕES EM NOME DA CONGREGAÇÃO - COMO PROCEDER NO CASO DE NECESSITARMOS DE IMÓVEL, PERTENCENTE AO PODER PÚBLICO

Toda doação que envolva o total do patrimônio de uma pessoa física poderá ser anulada, pois o doador só pode doar no máximo 50% dos seus bens, no caso de haver herdeiros necessários (filhos ou progenitores).

A Congregação só recebe doações se a documentação estiver devidamente legalizada.

O art. 26º de nosso Estatuto proíbe que se pleiteie, em nome da Congregação Cristã no Brasil, junto a órgãos governamentais de qualquer nível, auxílios em dinheiro, imóveis, ou qualquer subsistência financeira por qualquer outro meio. Quando a Congregação tiver necessidade de construir uma casa de oração em determinada localidade onde os terrenos pertençam a algum órgão do poder público, deverá dirigir um ofício a essa entidade, manifestando o interesse na aquisição de um imóvel para nele construir um templo religioso destinado à celebração de cultos evangélicos, segundo a fé e doutrina da Congregação Cristã no Brasil, e consultando sobre a forma como essa aquisição poderia ser operada. Dependendo da resposta desse órgão, deve-se tomar as providências que se fizerem necessárias.

Nos casos em que a Prefeitura pretenda fazer doação de algum imóvel, é necessário que haja lei específica aprovada pela respectiva Câmara Municipal.

30 - REUNIÕES PARA JOVENS E MENORES AOS DOMINGOS E NÃO AOS SÁBADOS À NOITE

Sempre que for possível, é preferível que as reuniões para jovens e menores sejam realizadas aos domingos, e não aos sábados à noite.

31 - BRÁS - BATISMO - AGRESSÃO - NECESSIDADE DE SE TER ATENÇÃO QUANTO À SEGURANÇA NOS CULTOS E NOS BATISMOS

Houve agressão com um facão contra dois Anciães em um batismo na Congregação do Brás. Deus não permitiu que houvesse conseqüências mais graves. O agressor foi preso e está sendo processado. Um irmão estava alerta e, no momento do atentado (na hora da oração, quando todos estavam de olhos fechados), segurou o agressor. Devemos ter, nas congregações, irmãos que estejam alertas para essas possíveis emergências.

32 - DAR CUMPRIMENTO ÀS DELIBERAÇÕES

Em reuniões ministeriais tomamos muitas deliberações, mas, nem todas têm o devido cumprimento. Temos que ter o máximo de zelo para dar cumprimento ao que se delibera. Os servos mais antigos no ministério devem ser os primeiros a dar cumprimento a esta exigência.

33 - DIVÓRCIO ENTRE CASAIS DE IRMÃOS

Os casos de divórcio entre a irmandade devem passar por reunião ministerial. A Congregação não aprova o divórcio por incompatibilidades. O casal que se divorciar, sob essa alegação, perderá a liberdade entre nós. Se a deliberação ministerial for favorável a separação, então o casal deverá procurar um advogado para as devidas providências. Há casais que têm incompatibilidades, chegando por fim a se separar. Às vezes a culpa é de um só, mas às vezes a culpa é de ambos. Um dos pretextos que os cônjuges costumam apresentar, é o de que não há mais amor de um para com o outro. A Palavra de Deus menciona que se se apartarem, fiquem sem casar ou, então, que se reconciliem entre si. Quem não quiser se reconciliar, perderá a liberdade entre nós. Separar-se por incompatibilidade não dá direito a divórcio e a novas núpcias, perante a doutrina, visto não ter havido infidelidade conjugal.

* 34 - TRAZER BÍBLIA E HINÁRIO NOS CULTOS

Os servos devem dar o exemplo para a irmandade, trazendo suas Bíblias e Hinários e depois exortem a irmandade e a mocidade a fazer o mesmo. Isto é disciplina que se faz necessária.

35 - ORDENAÇÕES

O Ancião que vai ordenar fala o nome do que vai ser ordenado, e diz: “IRMÃO FULANO DE TAL, O SENHOR QUE TE CHAMOU PARA ESTA GRAÇA E TE BATIZOU COM O DOM DO ESPÍRITO SANTO, AGORA TE CHAMA PARA O MINISTÉRIO DE ANCIÃO (OU DIÁCONO), PARA QUE TU O SIRVAS NESTA CONGREGAÇÃO E ONDE O ESPÍRITO SANTO TE ENVIAR”. Em seguida, inicia a oração de ordenação conforme as palavras que Deus lhe der. Não se deve pedir a aprovação da irmandade com “amém”.

* 36 - NOIVADO PROLONGADO E DEPOIS DESISTÊNCIA - NAMORO AVANÇADO COM CONSEQÜÊNCIAS DESASTROSAS

Os noivados prolongados não são aconselháveis, mesmo porque pode haver desistência, que dá motivo a murmurações e desentendimentos entre as famílias. Também não deve haver namoros com muita liberdade, como no mundo, pois traz escândalo e conseqüências desastrosas.

37 - PRESIDÊNCIA DAS REUNIÕES - ORAÇÕES

Diversos irmãos que presidem oram pedindo a Deus que batize os Cooperadores com a Promessa do Espírito Santo, pois a seara é grande e os obreiros são poucos. Reclamam os Cooperadores: então eles não são obreiros? - E quando receberem a Promessa serão todos ordenados Anciães?

* 38 - AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA

Em diversas localidades os professores estão exigindo aulas de danças com ritmo escandaloso, acrescentadas às aulas de educação física nas escolas. Os filhos de nossa irmandade não devem participar das aulas de danças. Sendo necessário, a Congregação poderá orientar os pais, quanto aos termos de ofício a ser dirigido por eles aos Diretores da Escola ou às autoridades do ensino, solicitando a dispensa de freqüência de sues filhos a essas aulas.

* 39 - CASAMENTOS - ATRASOS DAS NOIVAS CAUSANDO TRANSTORNOS AO JUIZ DE PAZ

O Juiz do Cartório de certa localidade remte ofício denunciando atrasos das noivas, que transtorna o Cartório que tem outros compromissos de casamentos para realizar naquele dia. Deve-se eliminar os atrasos e observar a hora marcada para o casamento.

40 - CARTA DE CLÓVIS EVANGELISTA DE ALMEIDA - TAUBATÉ-SP

Trata-se de um irmão jovem, de 30 anos de idade, solteiro, auxiliar da Administração de Taubaté, que escreveu circular para os servos de todo o Brasil, depreciando a Obra de Deus e os servos. Não se deve dar atenção a essa circular; esse jovem já foi, inclusive, afastado de seu cargo na Administração.

41 - REUNIÕES PARA JOVENS E MENORES E REUNIÕES PARA A MOCIDADE

Muitos pais já não estão mandando os filhos às reuniões pra a mocidade e para jovens e menores, como anteriormente, pois o horário geralmente se prolonga e as pregações já não estão sendo apropriadas para a mocidade e para as crianças. Devem os Cooperadores de Jovens e Menores ser admoestados. Outrossim, há Anciães que dão liberdade para Cooperadores de Jovens e Menores pregarem em reuniões para a mocidade. Quanto à despedida, os noivos se despedem nas reuniões para jovens e menores e nas reuniões para a mocidade. Só os noivos e não as famílias. Os Anciães e Cooperadores devem dar maior assistência às reuniões para jovens e menores.

42 - TOCAR O HINO AJOELHADO

Há regiões onde os servos fazem com que os músicos ao ajoelhem para tocar o último hino do culto e reuniões para a mocidade. Isto deve cessar prontamente.

43 - APRESENTAÇÃO DE COOPERADOR À IRMANDADE

Apresenta-se o novo Cooperador à irmandade, depois da Palavra. E na oração final de agradecimento ora-se para que Deus o abençoe. Se coincidir de haver ordenação de Ancião ou Diácono, faz-se a ordenação e na mesma oração, apresenta-se o novo Cooperador, sem imposição de mãos sobre sua cabeça.

44 - APRESENTAÇÃO DE COOPERADOR DE JOVENS E MENORES OFICIALIZANDO, AUTOMATICAMENTE, A REUNIÃO

Quando se ora por um Cooperador de Jovens e Menores e o Senhor confirma, não é necessário orar pela reunião de jovens e menores. Esta já fica automaticamente oficializada. Porém, se houver necessidade de ter reunião devido ao elevado número de jovens e crianças e não houver ainda indicação de irmão para Cooperador, ora-se para iniciar a reunião de jovens e menores, que poderá ser atendida pelo Cooperador local ou outro servo, provisoriamente, até que Deus prepare o Cooperador de Jovens e Menores.

45 - VIAGENS MISSIONÁRIAS

As viagens devem ser de caráter missionário somente quando aprovadas em reuniões ministeriais, por serem realmente necessárias. Irmãos com pouco tempo de ministério não tem experiência suficiente para atender reuniões.

46 - MOVIMENTO FINANCEIRO

Conforme determina o Estatuto, todo movimento financeiro da Congregação deverá ser feito através de conta bancária, em nome da Congregação Cristã no Brasil, e não em nome particular. A Administração fornecerá procuração específica para os irmãos designados movimentarem a conta concernente ao movimento do Fundo Bíblico, bem como aos irmãos Diáconos que devem movimentar a conta referente à Obra da Piedade e Viagens Missionárias. Cada um movimentará em banco ou conta diferente à da Administração.

ATENÇÃO: Os tópicos assinalados (*) são os que devem ser lidos perante a irmandade. Os demais, são só para o ministério.

RESUMO DE ENSINAMENTOS DA BRA DA PIEDADE

01 - IRMÃS PARA TRABALHAR NA OBRA DA PIEDADE

a) Para apresentar uma irmã para trabalhar na Obra da Piedade, primeiramente deve-se verificar se ela tem o dom manifesto; se tem bom testemunho; se o esposo é crente; se os filhos já estão criados; se é casada (desquitada ou divorciada, mesmo que tenha casado novamente, não pode ser apresentada); e também deve ser da localidade.

b) Não devem ser apresentadas mais do que três (3) irmãs para cada congregação. Em localidades com muita irmandade carente será considerada a necessidade de mais irmãs. Salas de oração serão atendidas pelas irmãs mais próximas.

c) Após feitas as verificações acima descritas, num formulário próprio, padronizado, serão colocados os nomes das irmãs a serem apresentadas aos irmãos Diáconos na Reunião Ministerial para consideração.

d) Nesse formulário, um para cada localidade, irá constar o nome das irmãs, quantos anos é crente, quantos anos tem de idade, se ocupa algum cargo na Congregação e se o esposo tem ministério.

e) Após a consideração dos irmãos Diáconos, serão colocados os nomes das irmãs num outro formulário assinado por três irmãos Diáconos mais antigos no ministério e o mesmo será encaminha à Reunião Ministerial de Anciães e Diáconos para apresentar à Deus em oração.

02 - REUNIÕES DE ENSINAMENTOS DA OBRA DA PIEDADE

a) Nas Reuniões de Ensinamentos da Obra da Piedade, além dos irmãos Diáconos e irmãs da Obra da Piedade, também deverão comparecer os irmãos Anciães e Cooperadores do Ofício Ministerial da Região.

b) Este aviso deverá ser colocado na lista de batismo de região.

03 - ATENDIMENTO AO NECESSITADO

a) Ao se visitar uma família e percebendo-se que os filhos não cuidam de seus pais por serem crentes, embora tendo boas condições mas não o fazem, os mesmos devem ser aconselhados das suas obrigações.

b) “Se alguém não tem cuidado dos seus e principalmente dos da sua família, negou a fé, e é pior do que o infiel “ (1° Timoteo, 5, verso Cool.

04 - ATENDIMENTOS DE CALAMIDADES

a) De um certo tempo para cá algumas cidades tem socorrido as regiões carentes enviando caminhões e carretas carregadas de mantimentos e roupas, em sua maior parte doações da irmandade, feitas através de coletas anunciadas nas Congregações.

b) Esses atendimentos tem sido feitos por Servos que acompanharam as mercadorias, fazendo as distribuições nas localidades carentes, atraindo à atenção dos nossos irmãos, do povo e também das autoridades.

c) Foi considerado que essa forma de atendimento não é correta, pois corre-se o perigo de saques, roubo de veículo, possível morte de seus ocupantes e insatisfação do povo da região.

d) Assim procedendo, algumas regiões foram atendidas várias vezes em detrimento à outras que não receberam nenhum atendimento em virtude de algumas localidades fazerem o atendimento sem comunicar ou consultar as cidades regionais.

e) Esses atendimentos são muito onerosos e nem sempre atendem a forma usual de alimentação da região.

f) Portanto, a partir de agora, as regiões carentes receberão o auxílio em dinheiro a fim dos irmãos Diáconos da região fazerem o atendimento necessário. As importâncias serão enviadas por via bancária na conta da Congregação. Após o atendimento, deverá ser enviado para São Paulo, o relatório dos atendimentos efetuados, constando os nomes das cidades assim como também das famílias atendidas.

g) Todas as remessas de roupas devem ser transportadas através de transportadores legais, com fretes pagos.

h) Toda distribuição deverá ser feita pelos irmãos Diáconos da região, em Reunião de Atendimento da Obra da Piedade, não havendo necessidade de ser no dia normal de Reunião.

05 - DEPÓSITO PARA MANTIMENTOS

a) Nas Congregações não deve ter depósito de mantimentos para atendimentos da Obra da Piedade, a fim de não haver murmuração por parte de alguns que querem ser atendidos e não o podem.

b) Nas localidades de colheitas de mantimentos, havendo doação, estes devem ser distribuídos nas Reuniões com a Guia de Deus.

c) Havendo possibilidade para venda dos produtos, deve-se aconselhar o irmão doador a vende-los e fazer a oferta em dinheiro.

d) Doravante, as localidades que fazem o atendimento com a cesta básica ou feira, não deverão continuar fazer dessa forma, mas as irmãs da Obra da Piedade receberão os frutos e farão as compras nos supermercados de acordo com a quantia que Deus confirmou para cada caso.

06 - COLETAS

a) As coletas oficiais confirmadas por Deus em Reunião Ministerial são: para Construções, Obra da Piedade e Viagens Missionárias. Cada Congregação deverá ter também a Coleta para Manutenção e Conservação.

b) As Coletas Especiais para Compra de Terrenos e outras necessidades devem ser confirmadas por Deus em Reunião Ministerial da Região, e serão por meio de envelopes distribuídos à irmandade.

c) Deve-se ter um local apropriado para contagem das coletas, evitando-se contar no salão onde são realizados os cultos.

d) Todas as Coletas, após os cultos devem ser registradas no Livro Registro de Coletas e rubricadas pelos irmãos que apuraram os valores.

e) As Coletas não devem ser levadas para casa, mas guardadas no cofre ou em local seguro, e no mais breve tempo possível deposita-las em banco.

f) Ao receberem as Coletas, os recebedores de Coletas não devem atentar para as importâncias que a irmandade dá, mas com a mão fechada colocar nos bolsos respectivos.

07 - COLETAS MARCADAS

a) Tem havido muitas reclamações da forma de se efetuar coletas em muitas Congregações, ou seja, Coletas marcadas, forçando a irmandade com listas e vales para pagamento posterior, listas de materiais de construções, listas para instrumentos musicais, etc.

b) Não deve haver pressão sobre a irmandade pois ela deve ser livre para contribuir de acordo a vontade de Deus.

c) Doações voluntárias de materiais são aceitas, desde que sejam no padrão que a Congregação utiliza.

08 - COMPROVANTE DE DESPESAS DE VIAGENS

a) A fim da Congregação não sofrer sanções na Receita Federal, todo o irmão que viaja com o auxilio da Congregação, no retorno da viagem deverá devolver o envelope onde deverão estar anexadas ao relatório, todos os documentos que foram possível obter (notas de combustível, refeições, tíquetes, passagem, etc.).

b) Não havendo qualquer documento comprovando as despesas, transparece ser uma ajuda de custo ao Servo, o que motiva sanções à Congregação.

c) O irmão que for viajar é que deverá assinar o comprovante quando retirar o envelope com a importância.

09 - ESCRITURAÇÃO DA OBRA DA PIEDADE (CONTABILIZAÇÃO)

a) As localidades onde se realizam Reuniões de Atendimentos da Obra da Piedade, devem ter a escrituração na mais perfeita ordem e atualizada.

b) Os Livros Caixa Auxiliar e Atas devem ser registrados no Registro de Títulos e Documentos, conforme determina o Estatuto.

c) Os Livros Caixa, Atas, Registros de Coletas e todos os demais documentos devem ser escriturados sem rasuras e conservados em boa ordem. Em localidades onde o irmão Diácono não tiver condições para faze-lo, deve solicitar auxilio de um irmão da Administração ou de algum irmão idôneo que tenha capacidade para isso.

d) Até o dia 10 de cada mês, o balancete da Obra da Piedade e Viagens Missionárias do mês anterior deverá ser entregue para à Administração, ficando uma das vias em poder dos irmãos Diáconos.

10 - DOAÇÕES DE IMÓVEIS E JÓIAS

a) Quando alguém quiser doar imóvel para a Congregação, o assunto deverá ser levado ao conhecimento do irmão Ancião, o qual, juntamente aos irmãos Administradores verificarão a conveniência ou não, em receber a doação. Este assunto deverá ser considerado em Reunião Ministerial.

b) Se um irmão sentir de doar alguma jóia, deverá ser aconselhado a ele mesmo vender e colocar o fruto onde sentir.

11 - VENDA DE BÍBLIAS, HINÁRIOS - MARCAR PEDIDOS DE ORAÇÃO - ATENDER AS PORTAS

- Os atendimentos destas partes devem ser feitos por irmãos destacados para cada fim. Os irmãos Diáconos devem cuidar do Ministério que receberam - Piedade.

12 - CASAMENTO DE DESQUITADOS

- Não é de competência dos irmãos Diáconos providenciar o casamento de desquitados. Isso é causa para Advogados.

13 - MUDANÇA PARA OUTRA LOCALIDADE

a) Quando um irmão Ancião, Diácono ou Cooperador do Ofício Ministerial pretender mudar para outra localidade, deverá o assunto ser apresentado em Reunião Ministerial para consideração.

b) Quando a mudança é motivada por trabalho para sua conveniência ou seu bem estar, conforme deliberação do Ministério Espiritual, o mesmo deverá assinar carta de renuncia.

c) Da mesma forma também a irmã que trabalha na Obra da Piedade, tendo de mudar de localidade, deverá assinar carta de renúncia.

14 - IRMÃO QUE RESIDE NO IMÓVEL DA CONGREGAÇÃO

a) Quando uma família for morar em imóvel da Congregação, se ela tiver alguma propriedade onde residia, ela deve ser aconselhada a não se desfazer da propriedade, pois alguns não tendo condições para continuar morando na Congregação, e tendo vendido a sua propriedade, ficaram sem ter para onde ir.

b) Antes de ser apresentado para orar essa família deverá ler o contrato de comodato a fim de tomar conhecimento das cláusulas, de que não poderá ocupar o imóvel para fins artesanais, comerciais ou industriais e também não poderá conservar no imóvel animais de qualquer espécie.

c) Não compete ao irmão morador (Comodatário) se envolver com o trabalho dos irmãos porteiros (anotar pedidos de oração, receber coisas, etc.), pois causará transtornos nos serviços e aborrecimentos. Também deverá ser submisso aos irmãos responsáveis.

Admin
Admin

Mensagens : 1049
Pontos : 2451
Data de inscrição : 24/05/2009

http://oulorivallan.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Todos os tópicos de ensinamentos da CCB 1961em diante Até 2010

Mensagem por Admin em 25th Julho 2010, 4:13 pm

Tópicos de ensinamentos 1992 - 57 - Assembléia


CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL

TÓPICOS DE ENSINAMENTOS

57ª ASSEMBLÉIA - 1992

57ª ASSEMBLÉIA – 1992 – RESUMO DE ENSINAMENTOS

SÃO PAULO – 13 A 17 DE ABRIL DE 1992

EM NOME DO SENHOR JESUS INICIARAM-SE ESTAS REUNIÕES COM ORAÇÃO

Atenção: Os tópicos assinalados (*) são os que devem ser lidos perante a irmandade. Os demais, são só para o ministério.

1 - APRESENTAÇÃO DE NOVOS OBREIROS

Doravante não será mais orado em são Paulo para novos obreiros de todo o Brasil, a não ser em casos excepcionais. Para as necessidades de são Paulo ora-se em outro dia e não nos dias de Assembléia.

Por ocasião das Assembléias Gerais Anuais de cada região, as quais são atendidas por dois ou três dos servos mais antigos de São Paulo, serão bem consideradas e analisadas, junto ao ministério lo cal, as necessidades de novos obreiros e ali mesmo, serão apresentadas a Deus em oração para pedir confirmação. Depois de confirmados, serão trazidos os nomes para o ministério em são Paulo, a fim de serem marcadas as ordenações.

2 - REUNIÕES PARA JOVENS E MENORES SOMENTE AOS DOMINGOS

As reuniões para jovens e menores devem ser sempre realizadas aos domingos (pela manhã ou à tarde), e não em outros dias da semana.

3 - SERVOS NOVOS NO MINISTÉRIO NÃO DEVEM ATENDER REUNIÕES REGIONAIS.

Os servos mais novos ainda não têm a experiência necessária para esse atendimento. As reuniões regionais devem ser atendidas pelos Anciães mais antigos, que deverão levar consigo servos mais novos do que eles, para que possam ir adquirindo a necessária experiência.

* 4 - AIDS - EXAME PRÉ-NUPCIAL

Os jovens devem ser aconselhados, nas reuniões para a mocidade, sobre a conveniência de se submeterem a exame pré-nupcial, principalmente para prevenir-se contra os riscos de contaminação da AIDS, pois trata-se de uma enfermidade gravíssima, que pode ser contraída até mesmo acidentalmente, como, por exemplo, através de uma transfusão de sangue.

5 - BATISMO PARA ENFERMOS - ORAR, PARA CONFIRMAÇÃO, OU NÃO? - BATIZAR SOMENTE O ENFERMO

Se a enfermidade não é grave e o enfermo tem condições de espe rar o batismo, ora-se para pedir a confirmação para um batismo, na congregação. Se a pessoa que pediu o batismo está em estado grave, deverá ser batizada imediatamente, não sendo necessário orar-se para pedir confirmação, pois o doente pediu o batismo e sobre ele recai a responsabilidade. O Ancião que for chamado deverá considerar a urgência de cada caso. Se o batismo do enfermo for em um rio ou córrego, pode-se batizar, também, pessoas sãs. Mas se for em tanque e se trata de enfermidade contagiosa, batiza-se só o enfermo. Os ou tros ficam para um batismo de rotina.



- 6 - NÃO APRESENTAR IRMÃO DESQUITADO OU DIVORCIADO PARA CARGOS MINISTERIAIS

Irmão desquitado ou divorciado não deve ser apresentado para o ministério de Ancião, Diácono, Cooperador do Ofício Ministerial ou Cooperador de 'ovens e Menores, nem irmãs para a Obra da Piedade, mesmo que o desquite ou divórcio tenha ocorrido antes de ele ter sido chamado para a Graça. Quanto a cargos na Administração, não há im pedimento.

* 7 - VELÓRIOS EM RESIDÊNCIAS - CONSIDERAÇÕÉS QUANTO A ORAR EM PÉ OU AJOE LHADOS

Em velórios públicos não se deve ajoelhar, em obediência às determinações sanitárias. Quando o velório é feito na residência, não há inconveniente em se fazer a oração ajoelhados, desde que haja es paço suficiente para isso. Se não houver espaço, o servo que esti ver atendendo explicará à.irmandade presente a impossibilidade de se ajoelhar, todos ficarão em comunhão e a oração será feita em pé, com os olhos fechados.

8 - TANQUES DE BATISMO NOS MUNICÍPIOS

Municípios afastados ou muito populosos deverão ter tanque de batismo. Quando o município estiver próximo a outro, que já tem tanque de batismo, não há necessidade de haver tanque.

* 9 - PROTESTO OU INVASÃO DE TERRAS, QUER NA AREA URBANA, COMO NA RURAL - A IRMANDADE NÃO SE DEVE ENVOLVER NISSO

A irmandade não se deve envolver em movimentos de protestos ou invasão de terras, quer na área urbana, pretendendo a posse de imóveis nas cidades, quer na área rural, invadindo glebas de terras.

* 10 - CASAMENTOS - ORAÇÃO - ONDE DEVE SER FEITA

Os servos primitivos sempre fizeram a oração no lugar onde os noivos se casavam e os convidados se reuniam para comemorar, em casa ou no salão. E assim deve continuar. Se o casamento for celebrado em um cartório, ora-se depois no local para onde os noivos e con vidados se dirigirem para celebrar, seja em casa ou no salão. Deve -se ensinar a irmandade a se guardar da vaidade e das apresentações mundanas quanto aos trajes e ao porte, nas festas de casamento. As irmãs deverão levar seus véus em suas bolsas. Ora-se de joelhos.

11 - ENSAIO MUSICAL FILMADO

Em uma congregação houve um irmão que filmou todo o ensaio. Não devemos permitir isso. É preciso que todos tomem conhecimento, para que isto não se repita mais, em lugar algum.

.

12 - BEBIDAS

A Palavra de Deus nos ensina a moderação. Em festas de casamento, muitas vezes, há bebidas de alto teor alcoólico. Para o po vo de Deus convém sempre a moderação, em tudo, a fim de não sermos reprovados.

* 13 - PROFECIAS

Pareceu bem ao Ministério pôr a irmandade a par da grave situação ocasionada pela correria do povo atrás de profecias, revelações, orações exageradas e pelo espírito de imitação dos verdadeiros dons, espírito esse que se espalhou por toda a parte.

Muitos buscam profecias para ter resposta sobre casamentos, negócios e tantos outros assuntos, com orações que se prolongam pela madrugada. A Palavra pregada nas congregações vem sendo posta em segundo lugar. Muitos dão mais valor à profecia do que à própria Palavra. E está escrito: "ENGRANDECESTE A TUA PALAVRA ACIMA DE TODO O TEU NOME" (Salmo 138, verso 2).

Outros são enganados por falsas profecias e têm sofrido transtornos materiais e espirituais. Muita coisa estranha tem surgido, provocando estragos irreparáveis.

Entrou a desordem nesse setor. Todos temos que parar e refletir sobre esta advertência, para beneficio da Obra, mantendo, acima de tudo, a unidade de espírito.

Exortamos a irmandade a voltar à simplicidade que sempre tivemos desde o principio, de buscar a Santa Palavra para saber a vontade do Senhor, terminando com correrias à procura de outras respostas.

Aconselhamos a irmandade a ir para casa, após terminado o culto, meditando na Palavra. Não se reunam para orar procurando orientação por profecias e revelações.

Os prudentes aceitarão estes conselhos e obedecerão. Os demais levarão a responsabilidade pelos prejuízos e desunião que vêm ocorrendo.

14 - BATISMO PARA AMASIADOS - CONSIDERAÇÕES

Casos insolúveis, como por exemplo quando o cônjuge está desaparecido, ou o casal não tem recursos nem para se alimentar, ou estão unidos há longos anos e um deles não concorda em casar, traz-se à reunião e age-se conforme a deliberação.

Casos normais deve-se aconselhar a se divorciarem e casarem pa ra depois se batizarem.

* 15 - A IMAGEM DA BESTA QUE FALA NÃO É A TELEVISÃO

No livro de Apocalipse, capitulo 13, verso 15, está escrito que foi concedido à besta que subiu da terra, que desse espírito à ima gem da besta que subiu do mar, para que ela falasse. Essa imagem não é a televisão, como alguns, por equivoco, pensaram.

16 - TRAJES PARA AS IRMÃS ENTRAREM NAS ÁGUAS DO BATISMO.

Macacões apropriados, de cor escura, são usados para as irmãs entrarem nas águas do Batismo. E sobre esses macacões são sobre­postos aventais ou saias rodadas. Se, em determinadas localidades forem usados paletós para cobrir os macacões, tais paletós devem ser suficientemente longos para chegar até os joelhos.

17 - COOPERADOR DE JOVENS E MENORES, ENCARREGADOS REGIONAIS, ENCARREGADOS LOCAIS E PORTEIROS, NÃO DEVEM PARTICIPAR DAS REUNIÕES MINISTERIAIS REGIONAIS.

Cooperador de Jovens e Menores, encarregados regionais, encarregados locais e irmãos porteiros não devem participar de reuniões ministeriais regionais. Excetuam-se aquelas reuniões em que são tratados apenas assuntos locais, da própria congregação, de ordem material.

Participam das reuniões ministeriais regionais os membros titu lares e os vices da Administração da localidade onde é realizada a reunião, em face do que dispõe o Art. 220 do nosso Estatuto.

18 - IRMÃOS ANCIÃES QUE PERMANECEM NO TANQUE DE BATISMO INSISTINDO PARA SE BATIZAREM E BATIZAM UMAS POUCAS ALMAS

Quem chama as almas é Deus e não a nossa insistência. Deixemos as almas livres. Não nos tornemos responsáveis por alma alguma.

O Diácono que ajuda no Batismo não deve ajudar a imergir as pessoas, mas só ajudar para retirá-las das águas.

19 - BATISMO DE JOÃO

João batizava para o arrependimento, dizendo que após ele viria o que batizaria com o Espírito Santo e com fogo. E terminou a sua missão. Não devemos dizer ou pregar que o batismo feito nas seitas e crenças seja o batismo de João. O batismo de João terminou com a vinda do Senhor Jesus.

20 - SOBRE O SÁBADO

Jesus Cristo é o Dia de Deus (S. João, cap. 11, vs. 9 e 10). Ele é o Sábado de Deus, é o nosso Sábado. Nosso repouso é Cristo e não o sábado. Sendo Cristo o Senhor do sábado, nós guardamos a Cristo.

O sábado era guardado na lei. Nós estamos na Graça e temos que guardar o que foi estabelecido pelo Espírito Santo na Assembléia de Jerusalém (Atos, cap. 15, vs. 20, 28 e 29; cap. 21, v. 25 e Gálatas, cap. 4, vs. 10 e 11).

Para a Igreja de Cristo há um dia a observar e esse Dia é o Se nhor Jesus. Resta um repouso para o povo de Deus: a vinda do Senhor Jesus, quando iremos descansar (Hebreus, cap. 4, vs. 3 a 9, e cap. 7, v. 12).

* 21 - VENDA DE BÍBLIAS, HINÁRIOS E VÉUS NAS CONGREGAÇÕES

A Congregação é livre para vender Bíblias, Hinários e véus, fornecidos pela coordenadora Brás-São Paulo - sem lucro.

Os demais artigos a irmandade deverá adquirir fora da Congregação. É proibido irmãos e irmãs venderem véus e outros artigos nas dependências da cassa de oração. "Minha casa será chamada Casa de Oração" (S. Mateus, cap. 21, v. 13) "para todos os povos" '(Isaias, cap. 56, v. 7).

Os moradores das casas de oração não podem exercer nenhuma ati vidade de comércio ou de indústria no recinto da congregação.

22 - ASSUNTOS DE CUNHO ADMINISTRATIVO E PATRIMONIAL - COMUNICADO

Comunicamos o seguinte: "Dando-se cumprimento ao que estabelece o Artigo 22º do Estatuto, delibera-se que, todos os assuntos de cunho administrativo e patrimonial devem ser examinados em reunião conjunta do Ministério Espiritual e Administração, para a deliberação correspondente".

23 - CONTRIBUIÇÃO CONFEDERATIVA

A orientação é de que qualquer Notificação para pagamento, deverá ser remetida para a Administração/Brás, em são Paulo.

24 - TÍTULOS ENVIADOS A CARTÓRIO - COMPRAS A PRAZO - CHEQUES SEM FUNDO

A Congregação não deve, sob pretexto algum, fazer compras a prazo, para evitar correr o risco de ter algum título enviado a cartório. Pelo passado, isso jamais aconteceu. A Congregacão não dispõe de uma organização contábil centralizada, apta a controlar um grande movimento, como se fosse uma empresa; assim, o melhor é não se fazer compras a prazo, não assumindo compromissos maiores do que as possibilidades da Congregacão.

Se algum titulo da Congregação chegar a ser protestado, os responsáveis serão chamados para esclarecer o ocorrido e, se houver culpados, estes perderão o ministério ou o cargo que ocuparem na Obra de Deus.

Cheques sem fundo: tem que haver um rigoroso controle sobre emissão de cheques. Os que emitirem cheques sem a suficiente provisão de fundos, serão chamados para esclarecer o ocorrido. Se não capazes, serão substituídos.

MS/VA/DP

TÓPICOS DO MINISTÉRIO DA OBRA DA PIEDADE

1 - REUNIAO DE ENSINAMENTO.

O irmão diácono que presidir a reunião deverá ter a Guia de Deus pa ra apresentar os ensinamentos necessários, sem repetir a Palavra que foi pregada, todavia, sem sair fora dela. Outros que porventura sentirem de falar alguma coisa, também deverão ter cuidado para não desfazer os ensinamentos dados, não repetir o que já foi falado, como, também, não se levantar apenas para contar testemunhos. Se for necessário fazer alguma correção no ensinamento apresentado, deverá ter a prudência de tratar o assunto em separado, na própria reunião.

2 - REUNIÃO DE ATENDIMENTO

A-Os irmãos diáconos devem ter conhecimento da situação dos necessita dos, a fim de não ser apresentado caso na reunião sem certeza do que está acontecendo, assim como também as irmãs do Ministério da Obra da Piedade, não devem apresentar caso na reunião, sem antes terem falado com o irmão diácono da localidade.

B-Os atendimentos mensais devem ser periodicamente revisados com visita aos necessitados, para considerar-se a continuidade ou suspensão. Como os atendimentos que Deus prepara são para ajudar nas despesas complementando o ganho da família, não se deve atender com a çesta ou a feira, mas sim, com a Guia de Deus.

C-Os atendimentos com roupas também devem ser considerados com a Guia de Deus em comunhão, nesta reunião, e não se atender de qualquer, maneira.

D-As irmãs do Ministério da Obra da Piedade, juntas, devem fazer as visitas, e não somente o irmão diácono com a esposa.

E-Irmãos de ministério não devem pedir e nem exigir dinheiro dos imãos diáconos para fazer atendimento.

F-O Livro de Atas impresso, registrado, deverá ser assinado pelo irmão diácono que presidiu a reunião e também pelos demais presentes. Não há necessidade de outro Livro de Atas ou relatórios pois devem ser utilizados os impressos próprios.

3 - CAIXA DA OBRA DA PIEDADE - VIAGENS MISSIONÁRIAS

As localidades regionais, possuindo saldo elevado em caixa, devem cooperar com as regiões vizinhas que são necessitadas, pois muitas vezes, nestas faltam roupas e calçados e não possuem condições de atender aos necessitados.

Não se deve visar somente a aplicação de dinheiro, fazendo inclusive os atendimentos com a renda bancária obtida, mas considerar que o a tendimento da Obra da Piedade deverá ser com a Guia de Deus.

O dinheiro da Obra da Piedade e Viagens Missionárias não deve ser transferido para outros fins, assim como também a Administração deverá reter os frutos recebidos, mas deve encaminhá-los para os irmãos Diáconos tão logo a coleta seja encerrada.

4 - ESCRITURAÇÃO DO MOVIMENTO DA OBRA DA PIEDADE E VIAGENS MISSIONÁRIAS

A escrituração do movimento da Obra da piedade e Viagens Missionárias deverá ser feita na secretaria ou em um outro local adequado da con gregação, evitando-se levar os documentos para casa. A escrituração poderá ser feita por um irmão diácono, por um irmão da Administração, ou por um irmão fiel que saiba como fazer. O Livro de Registro de Coletas deverá ser preenchido todos os dias após o culto, e rubricado pelos irmãos que apurarem os valores.

5 - CONTRIBUIÇÃO COM MANTIMENTOS

Nas localidades de colheitas de mantimentos, havendo doação, estes devem ser distribuídos nas reuniões, com a Guia de Deus. Havendo possibilidade para venda dos produtos, deve-se aconselhar o irmão doador a vendê-los e fazer a oferta em dinheiro. Nas congregações não deve ter depósito de mantimentos para atendimentos da Obra da Piedade, a fim de não haver murmuração por parte de alguns que querem ser atendidos e não o podem. Em reformas ou construções de congregações a ir mandade pode cooperar com mantimentos para as refeições dos irmãos que estejam trabalhando.

6 - TESTEMUNHOS COM O OBJETIVO DE ANGARIAR DINHEIRO

Irmãos com ministério e outros sem ministério, não devem viajar para outras localidades com a intenção de congregar para contar testemu nhos e relatar situações calamitosas da região, apenas para comover a irmandade e obter roupas e dinheiro. A irmandade tem o coração preparado, e ouvindo tais testemunhos, cooperam, mas depois não pos suem o necessário para cooperar nas coletas da localidade.

7 - CONTRIBUIÇÃO À PREVIDÊNCIA SOCIAL

Os irmãos de ministério assim como também a irmandade, devem contri buir regularmente para o INSS, quer sejam urbanos ou rurais, a fim de poderem usufruir os beneficios, e no futuro a aposentadoria. Os irmãos que exercem ministério devem trabalhar para exemplo do reba nho.

Admin
Admin

Mensagens : 1049
Pontos : 2451
Data de inscrição : 24/05/2009

http://oulorivallan.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Todos os tópicos de ensinamentos da CCB 1961em diante Até 2010

Mensagem por Admin em 25th Julho 2010, 4:14 pm

Tópicos de ensinamentos 1993 - 58 - Assembléia


CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL

TÓPICOS DE ENSINAMENTOS

58ª ASSEMBLÉIA - 1993

58ª ASSEMBLÉIA – 1993 – RESUMO DE ENSINAMENTOS

SÃO PAULO – 05 A 09 DE ABRIL DE 1993

EM NOME DO SENHOR JESUS INICIARAM-SE ESTAS REUNIÕES COM ORAÇÃO

Atenção: Os tópicos assinalados (*) são os que devem ser lidos perante a irmandade. Os demais, são só para o ministério.

1 - ORDENAÇOES DE NOVOS OBREIROS

As ordenações de novos obreiros são da competência dos Anciães mais antigos no ministério e não de Anciães mais novos.

2 - ABERTURAS DE NOVAS CASAS DE ORAÇÃO

Aberturas de novas casas de oração devem ser feitas pelos Anciães mais antigos da região. Porém, há aberturas que, após consideradas reunião, podem ser feitas por Anciães mais novos.

* 3 - PRESIDÊNCIA DOS CULTOS

Nas congregações, quem deve abrir os cultos são os servos locais. Os Cooperadores e a irmandade devem ser ensinados a respeito. Se o Ancião está em missão, ele preside o culto.

4 - MUDANÇAS DE LOCALIDADE


Toda mudança de servos de Deus, Anciães, Diáconos e Cooperadores, em caráter definitivo ou missão temporária, deve passar, primeiramente por reunião ministerial da região e, depois, obter-se a concordância dos Anciães da localidade para onde pretende mudar-se. Deve-se saber por que razão pretendem mudar do lugar onde estavam. Após, cada caso será examinado pelos Anciães mais velhos de São Paulo ou na reunião ge ral anual. Sendo aprovada a mudança, o servo irá com ministério. Se a mudança não for aprovada, irá sem ministério. Quem muda por conveniência, interesse próprio ou motivo financeiro, também irá sem ministério.

Quem muda sem ministério não poderá levantar com a Palavra.

Deve ser considerado o caso de transferência por intermédio da firma onde o servo trabalha, se a mesma partiu da empresa ou a pedido do interessado. Os servos, segundo as Escrituras, são ordenados para atender as Congregações às quais pertencem.

5 - CASAMENTO DE SERVOS VIÚVOS COM IRMÃS DIVORCIADAS

Este assunto tem passado por reuniões ministeriais e têm se considerado não ser conveniente irmãos do ministério, viúvos, casarem com irmãs divorciadas. Todavia, cada caso deverá ser considerado em conjun to; em reunião ministerial.



6 - VIAGENS DE ANCIÃES

Anciães que viajam não devem levar dinheiro para atender construções e outras necessidades das regiões para onde vão. Em casos muito especiais, nos quais os servos de Deus se sintam de auxiliar outra localidade, deverão remeter os frutos por via bancária, de Administração para a Administração. Tais casos, entretanto, deverão ser previamente levados em reunião.

* 7 - CONTRIBUIÇÃO DA IRMANDADE PARA OUTRAS LOCALIDADES

Quando irmãos se sentirem de enviar algum fruto para outras regiões, deverão entregá-lo aos Diáconos, nas congregações. Esses recursos se rão enviados de Administração para Administração, estipulando-se a finalidade.

8 - BATISMOS

Anciães que atendem batismos não devem forçar as almas a se batiza rem, com insistências ou ameaças. As almas deverão se batizar quando estiverem convencidas e convertidas por Deus. Em Atos dos Apóstolos, capítulo 2, versos 37 e 38, vem dito: "E, ouvindo eles isto, compungi ram-se em seu coração, e perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos:

Que faremos, varões irmãos? E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pe cados; e recebereis o dom do Espírito Santo".

Outrossim, os Anciães não devem esperar longo tempo dentro do tan que de batismo, sem necessidade.

* 9 - MENORES BATIZADOS COM A PROMESSA DO ESPÍRITO SANTO

Os menores de 12 anos que receberam a Promessa do Espírito Santo devem ser aconselhados pelos pais a terem prudência e só se batizarem nas águas se estiverem bem acertados sobre o passo que vão dar. É preferível que aguardem até completar 12 anos.

* 10 - ENSAIOS MUSICAIS LOCAIS ANTES DO CULTO

Os ensaios musicais locais realizados antes do culto devem termi nar, no máximo, 45 minutos antes de iniciar o serviço de culto.

O encarregado de orquestra atende o ensaio embaixo, e não em cima do púlpito; outrossim, não deve dar ensinamentos de doutrina aos músi cos.

* 11 - REUNIÃO GERAL ANUAL DE ENCARREGADOS REGIONAIS COM ENSAIO MUSCIAL EM SÃO PAULO-SP

Deliberou-se tornar a realizar a reunião geral de encarregados regionais com ensaio musical em São Paulo, na Congregação do Brás, no primeiro domingo do mês de junho de cada ano, com início às 09:00 horas.

* 12 - HINOS DE JOVENS E MENORES NOS CULTOS DE ADULTOS

Ha em nosso Hinário 50 hinos que são destinados às reuniões para jovens e menores. São os hinos de números 401 a 450. Em alguns cultos de adultos a irmandade tem chamado esses hinos. Como em determinadas localidades se canta e em outras não, delibera-se deixar que o Espírito Santo guie a irmandade. Quando forem chamados esses hinos, deve-se cantar.

Convém ensinar a Igreja a esse respeito, para não chamar hinos ex clusivos para crianças.

* 13 - HINÁRIO PARA ORGANISTAS

Já está à disposição das irmãs organistas o Hinário com dedilhado assinalado (capa cor cinza). Além do dedilhado, esse Hinário apresenta instruções relativas à registração, contagem de tempos e uso da pedaleira. É, portanto, conveniente que os irmãos encarregados de orquestras tomem conhecimento desse trabalho.

Os irmãos músicos, entretanto, não devem utilizar esse Hinário para tocar na orquestra.

* 14 - ESCLARECER A IRMANDADE SOBRE A IMPORTÂNCIA DO BATISMO E DA SANTA CEIA - EXORTAR A PEDIR A PROMESSA DO ESPÍRITO SANTO

Convém ensinar na Igreja, periodicamente, o significado do Batismo e da Santa Ceia.

Exortar a todos, também, para que peçam a Deus a Promessa do Espírito Santo com evidência de novas línguas.

15 - ALIMENTOS DISTRIBUÍDOS PELO CLERO

O clero oferece alimentos a famílias necessitadas. Há casos em que o Governo proporciona os alimentos ao clero e este faz a distribuição. Há famílias de nossos irmãos recebendo tais auxílios. Isso não é coisa sacrificada aos ídolos. Contudo, se essas famílias já estão sendo atendidas pela Obra Pia, não há necessidade de recorrer a outro auxílio.

Os Diáconos procurem examinar bem para que os auxílios sejam suficientes.

16 - ADVERTENCIA DOUTRINAL

O amor a sí próprio é um ídolo que está no coração do homem e impede de amar a Deus e ao seu próximo, transgredindo, assim, os dois primeiros grandes mandamentos que abarcam toda a vontade do Eterno Deus.

Os que recebem dons espirituais são provados por duas diferentes fraquezas da natureza humana: primeiro, o orgulho causado pelo próprio povo, que põe os olhos sobre a pessoa que tem o dom e, nesse caso, Deus a reprova, pois Ele "rejeita o homem de coração orgulhoso e de olhos altivos”; segundo, são também provocados por inveja e criticados, perseguidos sem razao e esta prova vem para ver se a pessoa busca a sua própria razão ou vingança, sendo, neste caso, vencida porque não esperou a razão prometida pelo Senhor, a quem pertence a vingança. Escrito está: "O entendimento do homem retém a sua ira; e sua glória é passar sobre a transgressão”. (Provérbios 19, verso 11).

* 17 - CONVITES PARA ASSISTIR À REUNIÃO DA MOCIDADE

Há congregações que mandam convites para que a irmandade de localidades distantes venha assistir à reunião da mocidade, mencionando, inclusive, o nome do servo que irá atender. Já foi deliberado, há muito tempo, que não se deve fazer esses convites.

* 18 - REUNIÕES PARA MOCIDADE - DESPEDIDA DE CASAIS

O procedimento é o seguinte: O jovem e a jovem que vão casar se despedem ao microfone, normalmente. Na oração de agradecimentos os casais que se despediram devem ser apresentados por quem orar, para que Deus os abençoe.

19 - PÃO DA SANTA CEIA

Já foi ensinado que o pão da Santa Ceia é levedado. Pão fermentado, pão comum, redondo. Não deve ter corte em cima. Até a morte do Senhor Jesus tudo era feito com base no Velho Testamento; a páscoa era celebrada com pães asmos. Depois, com a morte e ressurreição do Senhor Jesus, foi instituído o Novo Testamento e a Santa Ceia. O Senhor Jesus é o nosso pão. Ele foi crucificado pelos nossos pecados. Aquele que participa da Santa Ceia participa do Seu corpo e do Seu sangue.

20 - CULTOS BARULHENTOS

Há servos que ficam ao microfone manifestando em alta voz e incentivando a irmandade a gritar, tanto nas orações como na Palavra. Uma coisa é quando o Espírito Santo toma a Igreja e outra coisa é quando a irmandade começa a fazer barulho e gritaria.

Quando há ordem na Igreja, o Espírito Santo tem livre curso; porém, quando há gritaria, outro espírito pode tomar oportunidade. O Espíri to de Deus é Santo, é perfeito, não perturba a ninguém e não faz nada errado.

Devemos fazer tudo com entendimento, para não sermos criticados e para que o nome de Deus venha glorificado (Efésios 4, verso 31). Há servos que batem na tribuna com a mão; convém evitar isso. Quando alguém está orando, não deve o Ancião ou Cooperador ficar falando “gloria”, ao microfone.

* 21 - GRAVAÇÃO DE SERVIÇOS SANTOS

Não é conveniente e nem contribui para edificação realizarem-se gravações de pregações da Palavra, orações e outros serviços que o Senhor nos concede.

A Palavra vem pelo Espírito Santo, dirigida para aquele ato e para aquele momento. Vem misturada com a fé para edificação de quem a ouve. Já o gravador materializa a pregação, não produzindo o mesmo efeito no coração de quem ouve.

Este ensinamento é antigo (Assembléia de 1968). Portanto, evitemos tais gravações.

22 - DIVÓRCIO

A irmandade deve ser esclarecida, segundo a Palavra de Deus, no sentido de que o matrimônio só pode ser desfeito se um dos cônjuges cair em adultério. Não sendo por esse motivo, não é lícita a separacão e muito menos um novo casamento.

Aquele que se separar e casar novamente, não sendo por causa de in fidelidade conjugal, cairá em pecado e não será mais considerado nosso irmão ou irmã na fé. No caso de haver adultério, a parte inocente es tará livre para casar-se novamente, após o divórcio.

Em casos de impotência (entre recém-casados), ou homossexualidade, pode-se desfazer o casamento, podendo a parte inocente casar nova mente.

23 - CUIDADO NA PRESIDÊNCIA DOS CULTOS

Há irmãos que não conhecemos e que, por causa do seu falar, muitas vezes enganam até o Cooperador, que logo lhes oferece a Palavra. São pessoas que trazem transtorno e até vergonha no ministério.

Quando o servo de Deus não conhece uma pessoa, deve usar de franqueza e não ir entregando, de qualquer maneira, o lugar onde Deus o colocou. Dar oportunidade ou convidar para ler a Palavra, só deve ser feito a irmãos que conhecemos, quando formos por Deus guiados a faze-lo.

* 24 - ALERTA À MOCIDADE

As irmãs jovens, que são sempre em maior número que os irmãos jovens, na ansiedade de arranjar um matrimônio, muitas vezes acabam se envolvendo com pessoas desconhecidas que, geralmente, tem um falar suave e doce, mas são lobos devoradores.

Se as moças e as famílias não conhecem a pessoa, devem procurar sa ber com o ministério, de onde veio, se trouxe carta de apresentação, se tem bom testemunho, se não há qualquer coisa que a desabone. Muitas vezes, não se tomam essas precauções e depois se descobre tratar-se de uma pessoa sem dignidade, sem pudor, sem honra, e aí vem os desastres. É preciso cuidado para que isso não aconteça.

Atualmente, com a disseminação da AIDS, é necessário muita cautela com as pessoas que se batizam e podem estar contaminadas por essa doen ça. Quem se une em casamento com essas pessoas fica também contamina do. Deve-se ensinar isso nas reuniões para a mocidade. É conveniente que, antes do casamento, se façam exames de sangue e se verifique se são aidéticos, mediante o exame do HIV. Quando se sabe, deve-se aconselhar a família.

25 - FALSO IRMÃO RAMON GUIOMAR PIRES (ÍNDIO MECÂNICO)

Esse elemento tem trazido incalculáveis transtornos na Obra de Deus, apresentando-se como Ancião do Chile. Há servos que lhe têm dado o púlpito para presidir e pregar. E ele tem feito até batismos. Tem iludido nossas irmãs jovens.

Tem agido entre nós no Brasil, na Colômbia, no Equador, no Chile, na Venezuela e na Argentina. Tem o apelido de “Índio mecânico”. Não é nosso irmão na fé. Não se deve dar liberdade alguma na Congregação.

26 - VIAGENS DOS SERVOS DE DEUS

Os servos de Deus não devem viajar para atender a Obra a chamado de alguém, por convite de terceiros ou por vontade própria, sem a guia de Deus. Só devem sair para atender a Obra quando movidos pelo Senhor. (Carta do irmão Louis Francescon, de 27-11-1940, cujo trecho é transcrito a seguir:)

"Por tudo damos louvor a Deus Pae, que quiz revelar em nós o Seu Amado Filho, pelo qual fomos reconciliados com Ele (Deus), e também fei tos participantes das Suas fiéis promessas, aqui nesta terra e se lhe permanecermos fiéis até o fim da nossa carreira iremos possuir a glória eterna com Ele, juntos aos que, venceram neste mundo de provas que os Remidos pelo sangue do Concerto Eterno devem passar nesta vida, com os que estão longe da Salvação de nosso Remidor, e também com os de entre o povo, porque o inimigo ciranda alguns sempre, e por estes temos de sofrer o resto dos sofrimentos e aflições de Cristo Jesus. Eu tenho passado muitas dessas provas, mas agradeço o Pae de Nosso Senhor Jesus Cristo que estas, não chegaram com o poder delas a enfraquecer-me, antes fui fortalecido pelo meu Redentor para lutar a boa luta sem medo, nem respeito à qualidade de pessoas. Assim somos chamados para proclamar a eterna verdade e de praticá-la com caridade de Deus em nossos corações, sem parar por nenhuma coisa contrária que sempre se apresentará neste Santo Caminho. Alleluia.

Eu e família ainda gosamos de boa saúde, graças a Deus, doador de todo o bem, e por esta saúde, posso também com o meu corpo servir ao Grande e só Senhor em tudo o que se apresenta, dia após dia, no meio do Seu povo nesta cidade. Sou chamado sempre para ir em outras Congregações (cidades) perto e longe desta cidade de Chicago, Ill., pelas necessidades que se apresentam nestes dias maus, complicados pelos inconstantes à fé que uma vez foi dada aos Santos, cuja fé, também eles abraçaram antes, mas as coisas desta vida tomaram outra vez possessão neles, e por elas, fizeram naufrágio na fé; procurando agora, conformarem-se como o mundo está conformado com suas teorias, etc., mas não me sinto da parte de Nosso Senhor, de deixar esta cidade. Deus só sabe tudo. Assim, fico sossegado em paz, porque eu estou disposto para obede cer só a meu Senhor, mas sem a sua ordem, não se pode ajudar ninguém, antes, em grande perigo se expõe a pessoa que conhece a voz de Nosso Senhor e não espera até que ela faça ouvir a vontade d'Ele com paciência, com a qual somos obrigados, desde o dia que nos chamou, de servi-lo se gundo a luz e o querer do nosso Vivo e presente Senhor.

Isto é caminhar pela guia do Espírito Santo que foi enviado à Igre ja de Deus para servi-lo em espírito e em verdade em conformidade à E terna Palavra de nosso Bondoso Deus que quiz enriquecer-nos de um tão grande Dom pela fé no Seu Amado Filho, Bendito em Eterno."

TÓPICOS DO MINISTÉRIO DA OBRA DA PIEDADE

1 - COZINHA NAS REUINIÕES REGIONAIS E ASSEMBLÉIAS

Os irmãos Diáconos das localidades onde são realizadas as reuniões regionais ou Assembléias são os responsáveis pelo funcionamento da cozinha. Devem providenciar, com antecedência, as coletas para a compra dos alimentos e outros materiais. Devem organizar o funcionamento da cozinha e também a distribuição dos irmãos que irão trabalhar.

Os irmãos Diáconos devem também incentivar e orientar a irmandade para hospedagem dos servos.

2 - CARAVANAS

O ensinamento para aqueles que se sentem de viajar, para participar em reuniões para a mocidade, batismos, ensaios musicais ou para congregar em outras cidades devem faze-lo às suas próprias expensas. Nas congregações não devem funcionar a cozinha e o dormitório.

3 - COOPERAÇÃO A CIDADES CARENTES

Quando Deus prepara de alguma localidade ou região angariar roupas, mantimentos ou dinheiro para atender uma região carente ou com calamidade, deverá entregar o que Deus preparou ao ministério da localidade, a fim de que o irmão Diácono, juntamente com as irmãs da Obra da Piedade, faça os atendimentos com a guia de Deus.

Não se deve viajar com condução própria e fazer os atendimentos isolados do irmão Diácono e irmãs da Obra da Piedade. Também os irmãos que têm ministério devem atender a esta orientação. As roupas devem ser enviadas por meio de transportadora regulamentada e o dinheiro deverá ser enviado por via bancária,em nome da Congregação.

4 - VIAGENS PARA ATENDER ENSAIOS PARCIAIS OU MENSAIS

O encarregado regional que desejar atender ensaio parcial ou mensal em outra localidade, deverá fazê-lo às suas próprias expensas.

5 - VIAGENS A NEGÓCIOS OU A PASSEIO

Irmãos com ministério que viajam a negócios ou a passeio, não devem hospedar-se em residências de irmãos e nem nas congregações. Tem havi do reclamações de muitos que foram hospedados em residências de irmãos, ficando muitos dias, causando transtornos e onerando as famílias. Ao final, foram embora sem ter deixado a mínima cooperação. Outros, além do que acima foi descrito, forçaram a compra de produtos sem que a família tivesse condições para adquirir.

6 - APRESENTAÇÃO DE IRMÃS PARA O MINISTÉRIO DA PIEDADE

Compete aos irmãos Anciães, Diáconos e Cooperadores, na comunhão, juntos, fazerem a apresentação para ser orado para irmãs para o Ministério da Piedade. As irmãs que já se encontram trabalhando no Ministério da Piedade, não devem procurar irmãs para serem apresentadas para o ministério.

7 - IRMAS QUE AUXILIAM NA PORTA

As irmãs que auxiliam na porta, não devem permanecer em pé nos cor redores. Devem estar junto à porta, auxiliando alguma testemunhada a encontrar lugar para sentar, ceder algum véu ou hinário, auxiliar algu ma irmã ou criança, que esteja se sentindo mal e também verificar se al guma criança está estragando material no sanitário. As irmãs não de vem receber coletas, mas deverão indicar os irmãos que recebem.

8 - ALTERAR DELIBERAÇÕES DE REUNIÕES

Quando um servo viajar para determinada cidade, a fim de atender uma reunião, que é atendida por outro irmão de ministério, não deverá alterar as deliberações dadas. Se, porventura, alguma coisa deve ser alterada, primeiramente deverá ser apresentada ao irmão que normalmente atende as reuniões e, estando tudo de acordo, então será feita a alteração, se for necessário.

9 - SOLICITAR OU ANGARIAR ROUPAS DA IRMANDADE

Os Diáconos e demais irmãos do ministério, por ocasião das reuniões gerais em São Paulo, não devem solicitar ou angariar roupas da irmanda de ou das congregações para levar consigo. Havendo necessidade, devem procurar os Diáconos que atendem a região.

10 - DOAÇOES DE ROUPAS USADAS

Doações de roupas usadas pela irmandade ou criaturas, são aceitas, desde que estejam ainda em condições de uso; não há inconveniente . Todavia, sabendo-se que querem doar alguma roupa que pertenceu a uma pessoa falecida por doença contagiosa, com boas maneiras recusamos a doação.

Exortar as irmãs, nas reuniões para mocidade, que se sentirem de doar o vestido de noiva para a Obra da Piedade, após o casamento, o mesmo será útil para outras jovens que não tem condições de adquiri-lo.

Doações ou ofertas em dinheiro, que criaturas ou desviados da. fé quiserem fazer, poderemos aceitar, sem inconveniente.

11 - BALANCETE DA OBRA DA PIEDADE E VIAGENS MISSIONÂRIAS

Os valores constantes nos balancetes devem coincidir exatamente com os saldos do balancete anterior; as entradas de coletas com os registros feitos no Livro de Coletas; as saídas com os lançamentos feitos no Livro Caixa e o saldo bancário com o extrato bancário. O saldo de caixa também deve ser conferido, a fim de se poder fechar o balancete, que não poderá ter emenda ou rasura.

Coleta ou oferta recebida esporadicamente, deve ser conferida com o Livro Registro de Coletas.

O movimento de viagens deve ser apresentado nas reuniões ministeriais de Anciães e Diáconos.

12 - FUNERAIS

Muitas pessoas estão tomando conhecimento que a Obra da Piedade faz o funeral de irmãos que não possuem condições financeiras e, aproveitando-se desse conhecimento, estão encaminhando para serem batizadas pessoas que estão passando muito mal, à beira da morte, a fim de que o fu neral seja custeado pela Obra da Piedade.

Admin
Admin

Mensagens : 1049
Pontos : 2451
Data de inscrição : 24/05/2009

http://oulorivallan.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Todos os tópicos de ensinamentos da CCB 1961em diante Até 2010

Mensagem por Admin em 25th Julho 2010, 4:16 pm

Tópicos de ensinamentos 1994 - 59 - Assembléia


CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL

TÓPICOS DE ENSINAMENTOS

59ª ASSEMBLÉIA - 1994

59ª ASSEMBLÉIA – 1994 – RESUMO DE ENSINAMENTOS

SÃO PAULO - 28 DE MARÇO A 1º DE ABRIL DE 1994


EM NOME DO SENHOR JESUS INICIARAM-SE ESTAS REUNIÕES COM ORAÇÃO

Atenção: Somente os tópicos assinalados com asterisco (*) deverão ser lidos nas congregações, perante a irmandade.


1 - EXAGEROS NO MODO DE PREGAR A PALAVRA

Há servos que, durante a pregação, falam e gritam sem parar. O dom de Deus é maravilhoso, mas, em algumas localidades parece, até, que há uma certa dispu-ta de pregar promessas e gritar sem parar durante a pregação.
Muitas vezes, os culpados pelo povo fazer idolatria são os próprios servos, que não se comportam como devem. Outrossim, o que preside não deve dizer que Deus lhe apontou que a Palavra está com o servo tal. Aqueles que não aten-derem o que é ensinado, sofrerão as conseqüências.

2 - SERVOS QUE VIAJAM SEM CONSULTAR O MINISTÉRIO.

Há servos que abandonam os seus lugares, não comparecem às reuniões ministeriais e viajam para outras localidades, até para o exterior, sem consultar o ministério, sem qualquer autorização, e dizem que estão em missão. Um irmão de ministério dirá que está em missão quando o seu caso passar pela reunião ministerial e for confirmado por Deus, em oração. Os servos de Deus têm que ter gravidade e pesar suas palavras. Cada um tem que prezar o lugar onde o Senhor o coloca; aquele que o despreza, não tem condições de ocupar ministério em outra localidade, nem de usar de autoridade em cousa alguma ou pregar a Palavra.

* 3 - ORAÇÕES DE AGRADECIMENTO.

Em certas localidades, na oração de agradecimento se apresenta muito mais do que já foi apresentado na primeira oração. Devemos permanecer naquilo que aprendemos desde o principio: a oração de agradecimento deve se limitar em agradecer a Deus por tudo o que nos concedeu naquele culto. Isto deve ser ensi-nado à irmandade, nas congregações.

* 4 - ORDEM NOS CULTOS.

A ordem no culto deve começar quando o irmão/irmã entra na congregação, ora a Deus, fica em comunhão e, se houver tempo, lê as Escrituras, sem conver-sar. Quando Deus dá a oração a alguém, a igreja deve permanecer em silêncio para que todos ouçam. Também no chamar dos cânticos e nos testemunhos é preciso comunhão para saber quando é Deus que está chamando.
Outrossim, enquanto o servo aguarda a revelação da Palavra, a irmandade deve permanecer em silêncio, clamando a Deus em seu próprio coração e não em voz alta. O clamor do povo, em voz alta, nessa hora, perturba ao invés de trazer comunhão e pode induzir o servo de Deus a um erro.
Nota-se também muita manifestação e vozerio na hora da Palavra, em muitas congregações. Isso está fora do que_aprendemos, desce o princípio. A irmandade deve ser ensinada a como se comportar durante os cultos, para que as bênçãos de Deus desçam sobre a igreja.
O nosso Deus é Deus de ordem.

* 5 - COSTUMES MUNDANOS NAS CONGREGAÇÕES

Os costumes mundanos, reprovados pela Palavra de Deus, aos poucos estão entrando nas congregações, principalmente nos trajes, nas pinturas e nos cortes de cabelos, tatuagens, etc., que depõem contra o testemunho do povo de Deus.
Se nós andarmos da mesma maneira que as criaturas, onde estará a diferença do povo santo de Deus, na terra? Nas formaturas, nossos irmãos e irmãs não devem participar do baile.

* 6 - CULTOS QUE TERMINAM TARDE.

Há servos que, principalmente na época da Assembléia, levam os cultos a terminar muito tarde, provocando reclamações dos vizinhos, que precisam des-cansar. Não é porque é a semana da Assembléia que se justifica levar os cultos até as 23:00 horas ou mais.
Se os servos não atenderem, que conselhos irão dar a irmandade, se eles mesmos não obedecem? Nós aprendemos, desde o princípio, que as coisas de Deus tem que ser feitas com ordem.
Há servos que vêm de fora e, ao testemunharem, falam muito, porém, sem grande proveito. Os servos de fora que testemunham devem observar o horário, no relógio.

* 7 - REUNIÕES MINISTERIAIS REGIONAIS - PARTICIPANTES.

Participam das reuniões ministeriais regionais os Anciães, Diáconos, Coope-radores do Ofício Ministerial e Administradores locais. Assuntos de família e casos particulares ficam para ser tratados pelos Anciães, em separado.
Outrossim, quando os irmãos Anciães marcarem o atendimento dos ensaios regionais, entrarão em contato com os encarregados para marcar o atendimento da parte musical. Pode-se marcar, também, os ensaios regionais para o ano todo, elaborando-se uma tabela.

* 8 - RECONSIDERAÇÃO: ONDE HOUVER NECESSIDADE, AS COZI-NHAS PODERÃO FUNCIONAR POR OCASIÃO DOS ENSAIOS REGIO-NAIS, SERVINDO REFEIÇOES PARA OS MÚSICOS.

Em cada região o ministério local determinará o que deve ser feito.

* 9 - APARELHOS DE ALARME NAS CONGREGAÇOES.

Devido aos constantes furtos de telefones, aparelhos de som e instrumentos musicais, onde houver necessidade é aconselhável que se instalem sistemas de alarme. Outrossim, os aparelhos de som poderão ser colocados no seguro, se for preciso.

* 10 - COMUM CONGREGAÇÃO

Comum congregacão é aquela do bairro ou a mais próxima da residência, a qual se freqüenta, onde se dá a coleta e se participa da Santa Ceia, e onde se pede a unção.
A irmandade deve freqüentar a sua comum congregacão nos dias de culto que lá houver. Nos demais dias, são livres para congregar em outras congrega-ções.

* 11 - DOAÇÕES DE IMÓVEIS PARA A CONGREGAÇÃO

Os casos de doações de imóveis para a Congregação, após passar pela reuni-ão ministerial, devem ser encaminhados à Administração, para que sejam exami-nados, antes de se aceitar.

* 12 - VIAGENS PARA O EXTERIOR.

Todos os que viajarem para outros países não se deverão envolver nos assun-tos ministeriais e de doutrina. Em caso de qualquer dúvida, deverão dirigir-se aos Anciães do Brasil que já estiveram nesses países.

* 13 - IRMÃOS INCUMBIDOS DE VIGIAR OS VEÍCULOS DA IRMANDA-DE DURANTE OS CULTOS - RISCOS.

A Congregação não pode assumir a responsabilidade pela colocação de pes-soas para vigiar os veículos da irmandade durante os cultos. Cada proprietário deverá tomar as precauções que entender adequadas.

* 14 - RECONSIDERAÇÃO DO TÓPICO Nº 2, DO RESUMO DE ENSINA-MENTOS DE 1990, SOBRE CARAVANAS PARA BATISMOS, REUNIÕES PARA MOCIDADE, ETC.

À vista das graves ocorrências que tem havido com caravanas para batismos, reunião para mocidade, etc., o ministério deliberou não aconselhar nem se envol-ver mais com caravanas ou locação de ônibus, isentando a congregação de qual-quer responsabilidade sobre o que venha a ocorrer.

* 15 - IRMÃS TIRAREM O VÉU PARA SE SAUDAR, AO TÉRMINO DO CULTO

Ao terminar o culto as irmãs retiram o véu e o guardam; depois é que se saú-dam.

* 16 - HINO DOS MÚSICOS, APÓS O ENCERRAMENTO DO CULTO

Deve-se tocar só uma estrofe e o coro do Hino dos músicos, após o encerra-mento do culto, sem exceção.

* 17 - REGÊNCIA EM ENSAIOS PARCIAIS

Onde houver real necessidade a regência poderá ser de cima do púlpito.

* 18 - MOLÉSTIAS CONTAGIOSAS

Irmãos que sofrem de Hanseníase (lepra), tuberculose, hepatite, Aids, etc., devem tomar os cuidados necessários entre a irmandade e, nas Santas Ceias, devem ser os últimos a participar.

* 19 - AJOELHAR PARA ORAR EM VELÓRIOS E HOSPITAIS.

Nos serviços de funeral as orações devem ser feitas ajoelhados, tanto nas re-sidências como nos velórios.
O mesmo procedimento deve ser observado ao orarmos para enfermos, em hospitais, para podermos estar mais de acordo com a Palavra de Deus.

* 20 - JOVENS DE 12 ANOS EM DIANTE FREQUENTAREM AS REUNI-ÕES PARA A MOCIDADE.

Considerou-se ser conveniente os jovens de 12 anos em diante freqüentarem as reuniões para a mocidade, alterando-se o limite de idade anterior, que era de 14 anos.

* 21 - BÍBLIAS E HINÁRIOS SEM CONDIÇÕES DE USO

Bíblias e Hinários gastos, que já não tenham condições de uso, não devem ser jogados fora; devem ser queimados. Quem quiser conservá-los, é livre. Outros-sim, não se deve abandonar esses sagrados livros nas mãos de crianças pequenas, que poderão estragá-los ou danificá-los.

22 - RECONSIDERAÇÃO DO TÓPICO Nº 3, DO RESUMO DE ENSINA-MENTOS DE 1993, SOBRE ANCIÃO QUE CONGREGA EM OUTRA LO-CALIDADE - PRESIDÊNCIA DO CULTO.

Ancião que congrega em outra localidade, poderá presidir os cultos, quer esteja em missão, quer esteja em visita.
Outrossim, quando o servo de Deus não conhece uma pessoa, deve usar de franqueza e não ir entregando, de qualquer maneira, o lugar onde Deus o colo-cou. Dar oportunidade ou convidar para ler a Palavra, só deve ser feito a irmãos que conhecemos, quando formos por Deus guiados a fazê-lo.

23 - PERDA DE MINISTÉRIO

O servo que for destituído do ministério por ter perdido o testemunho, não mais poderá retornar ao ministério.

Admin
Admin

Mensagens : 1049
Pontos : 2451
Data de inscrição : 24/05/2009

http://oulorivallan.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Todos os tópicos de ensinamentos da CCB 1961em diante Até 2010

Mensagem por Admin em 25th Julho 2010, 4:17 pm


Tópicos de ensinamentos 1995 - 60 - Assembléia


CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL

TÓPICOS DE ENSINAMENTOS

60ª ASSEMBLÉIA - 1995

60ª ASSEMBLÉIA – 1995 -RESUMO DE ENSINAMENTOS

SÃO PAULO – 10 A 14 DE ABRIL DE 1995

EM NOME DO SENHOR JESUS INICIARAM-SE ESTAS REUNIÕES COM ORAÇÃO.

Atenção: Somente os tópicos assinalados com asterisco (*) deverão ser lidos nas congregações, perante a irmandade.

* 1 - PIRÂMIDES E CORRENTES DA FELICIDADE.

"Pirâmides" e "Correntes da Felicidade" são procedimentos que estão se alastrando, prometendo dinheiro fácil aos participantes, mas estão fora da lei. A irmandade não deve participar, nem se envolver nessas coisas.

* 2 - NOVIDADES - NÃO USAR DE VÃS REPETIÇÕES.

Em muitas localidades a irmandade costuma repetir várias vezes as mesmas expressões, nas orações e nos testemunhos, tais como: "Gló ria ao Cordeiro", "Santo é o Cordeiro", "Bendito é o Cordeiro" e assim por diante. Nós sabemos que a pessoa está se referindo ao Filho de Deus, mas as almas novas não sabem o que significa e podem ficar em confusão. É necessário dar Glória a Deus, Glória ao Senhor Jesus, Glória ao Cordeiro de Deus.

* 3 - LER O RESUMO DA CONVENÇÃO PARA A IRMANDADE.

O Resumo da Convenção de 1936 e 1948 precisa ser lido e expli cado, periodicamente nas congregações, principalmente nos cultos em que houver poucos testemunhos. Outrossim, a irmandade deve ser in centivada a ler os Artigos de Fé constantes dos Hinários.

4 - NÃO SE DEVE FAZER VELÓRIO NAS CONGREGAÇÕES.

A Congregação é lugar de vivos e não de mortos. Não se deve trazer defuntos para serem velados nas dependências das congregações. Temos que ter uma medida só para todos, sem exceção.

5 - SALAS DE ORAÇÃO EM RESIDÊNCIAS - REQUISITOS.

Há muitas salas de oração em residências, principalmente em sobrados, nas quais se reune um número de pessoas muito maior do que a capacidade do local pode comportar, colocando em risco a segurança de todos.

Não é conveniente autorizar a realização de reuniões em sobra dos, para salvaguardar a integridade física da irmandade e a responsa­bilidade da Congregação. Mesmo em salas térreas, é aconselhável que um irmão engenheiro faça uma avaliação prévia sobre os requisitos mínimos de segurança e higienização.



* 6 - REUNIÕES DA MOCIDADE E CULTOS - NOVIDADES.

Em muitas localidades está aparecendo um costume no meio da mocidade, e também em alguns cultos: terminada a reunião, ou o culto, diversos irmãos, ao se saudarem, permanecem abraçados, de rosto colado, manifestando, como se quisessem transmitir a Promessa do Espírito San to de um para outro. Esse costume não é bom e causa má impressão.

Entrou um costume de, após as orações, irmãos ficarem de pé, indagando se alguém tem qualquer coisa para manifestar. Isto é uma novidade que deve ser corrigida.

* 7 - ESPERTALHÕES.

Em várias localidades surgem espertalhões que procuram explo rar a irmandade. O povo deve ser ensinado a não dar dinheiro a qual quer um que aparece chorando ou contando uma história triste, ou testemunhos fantásticos, mesmo alegando que vem em nome de algum servo de Deus. A recomendação é: não se dá crédito a quem pede. O povo de Deus nada pede, mas apresenta ao Senhor suas necessidades e Ele as su pre.

8 - NÃO DEVE EXISTIR PREGAÇÃO A FAVOR DA DISCRIMINAÇÂO RACIAL.

No Estatuto da Congregacão consta que, em nosso meio não existe qualquer distinção racial. Os servos de Deus devem ter bastante atenção e prudência nas pregações, para não errar. Todos somos filhos de Deus e nos amamos, igualmente, no amor de Cristo.

Devemos estar atentos também nos testemunhos, ensinando e cor rigindo, sempre que for necessário. Não há discrimnação racial na Congregacão Cristã no Brasil.

9 - PORTADORES DE MOLÉSTIAS INFECTO-CONTAGIOSAS - NÃO CONFUNDIR CAUTELA COM SEGREGAÇÃO

Quando os servos de Deus souberem que há em nosso meio algum doente portador de moléstia infecto-contagiosa, como a tuberculose e, principalmente, essa terrível enfermidade que é a AIDS, deverão aconselhá-lo, em particular, com bastante amor e carinho, a sentar-se no último banco e procurar sair um pouco antes do encerramento do culto.

Também na Santa Ceia essas pessoas devem participar por último, após toda a irmandade e os servos já terem participado. Quanto aos testemunhados nessas condições, que desejam ser batizados, deve-se procurar, sempre que possível, fazer um batismo especial, pois, num batismo geral, mesmo que for deixado para o fim, nem sempre se consegue garantir que o enfermo seja o último a ser batizado.

Não se deve confundir essas cautelas necessárias com segregação, de qualquer espécie.

10 - SANTA CEIA - ORAÇÕES PELO PÃO E PELO CÁLICE.

Na Santa Ceia o servo de Deus que ora pelo pão tem que apresentá-lo a Deus como símbolo do corpo do Senhor Jesus, que foi morto pelos nossos pecados. O servo que ora pelo Cálice deve apresentá-lo como símbolo do sangue de Jesus Cristo, que por nós foi derramado. Não se deve misturar o pão e o Cálice em uma mesma oração; cada qual apre senta a sua parte.

Na Santa Ceia, após cada rodada de distribuição toca-se só uma estrofe do Hino, sem o coro, ficando este para a rodada seguinte.

Não se celebra a Santa Ceia em presídios, por não ser permiti da a entrada, nesses locais, de bebida alcoólica.

* 11- IRMÃ QUE CUIDA DOS SANITÁRIOS, DURANTE O CULTO, PERMANECE COM O VÉU NA CABEÇA.

Essa irmã não é obrigada a ficar todo o tempo nos sanitários. Ela fica no culto e, quando percebe que alguma desordem ou alguma irmã precisa de auxilio, nos sanitários, ela vai, faz o que for preciso e volta para o seu lugar, no culto.

12 - APARELHOS DE SOM NOS QUARTINHOS E SANITÁRIOS NAS CASAS DE ORAÇÃO

Já tivemos ensinamento de que não se deve colocar alto-falan tes nos quartinhos e sanitários das casas de oração. Esses não são locais apropriados para se ouvir a pregação da Palavra de Deus.

* 13 - FORMA CORRETA DE ORAR.

Quando oramos devemos dirigir-nos ao Pai, Em Nome do Senhor Jesus. Em são Mateus, cap. 6, vº 9, vem dito: "Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome". O próprio Senhor Jesus disse: "Na verdade, na verdade vos digo que tudo quanto pedirdes a meu Pai, em meu nome, ele vo-lo há de dar". (S. João, cap. 16, vº 23). Terminamos a oração agradecendo a Deus, Em Nome do Senhor Jesus.

* 14 - NATUREZA E FINALIDADE DOS CULTOS - INVOCAÇÃO E ADORAÇÃO A DEUS.

Quando celebramos os cultos de louvor a Deus estamos invocando e adorando a Sua majestade altíssima. Nos santos cultos cantamos os Hinos, oramos, testemunhamos, o Senhor fala conosco pela Sua Santa e Bendita Palavra e, por fim, agradecemos a Deus. Por isso devemos ter toda a reverência e temor. Vem dito em Eclesiastes, cap. 5, verso 1º: "Guarda o teu pé, quando entrares na casa de Deus".

15 - JULGAMENTO DE CASOS.

Nos julgamentos dos casos os irmãos do ministério não devem divergir de pensamento entre sí, na presença dos que estiverem sendo julgados, mas, após ouví-los, pedir que se retirem da sala de reunião e aguardem do lado de fora, até serem chamados novamente.

Ao julgar casos é sempre necessário ouvir ambas as partes.

16 - SERVIÇO ESPIRITUAL NOS FUNERAIS - ÓSCULO SANTO.

O serviço espiritual a ser feito em funerais, deve ser julgado de acordo com o momento. Iniciamos o serviço Em Nome do Senhor Jesus, cantamos um Hino e

oramos; pregamos a Palavra, fazemos a oração de a gradecimento, cantamos mais um Hino e encerramos o serviço. (Sempre que a família esteja de acordo que se cante). Nos funerais não deve mos nos saudar com o ósculo, devido à aglomeração de pessoas estranhas à nossa fé.

Fazemos a oração de joelhos em velórios nas residências, nos velórios públicos e nos hospitais.

17 - REUNIÕES PARA JOVENS E MENORES.

Anciães e Cooperadores devem visitar periodicamente as reu niões de jovens e menores. Exortar os pais a mandarem seus filhos às reuniões. Os servos de Deus devem dar o exemplo, mandando seus filhos. Ensinar as crianças e os jovens a se saudarem com o ósculo.

* 18 - IRMÃOS QUE SE DIZEM PROFETAS E ALEGAM ESTAR EM MISSÃO.

Há irmãos e irmãs que se dizem profetas e alegam estar viajando em missão, partindo de São Paulo ou outras localidades, movimentam -se por toda a Obra de Deus, trazendo perturbação. Não devem ser recebidos, nem pelo Ministério, nem pela irmandade. Não se lhes deve oferecer o púlpito para presidir cultos ou testemunhar. Tais falsos profetas costumam também se introduzir nas casas fazendo orações prolongadas até altas horas e profetizando.

Os irmãos do Ministério devem ficar atentos e impedir a atua ção de quem assim procede.

* 19 - CARTAS DE APRESENTAÇÃO - MISSÕES.

Não se deve dar carta de apresentação a quem queira viajar a pretexto de missão com exceção dos que têm ministério e quando o as­sunto passa por reunião ministerial, sendo aprovado em oração. Muitos têm acarretado transtornos incalculáveis, pretendendo reabilitar des viados, elementos desligados da comunhão da Igreja. Outros, lançam confusões nas famílias, separando casais, desfazendo noivados e escan dalizando a muitos.

Somente damos carta de apresentação a quem tenha bom testemu nho, cujo motivo de viagem seja mudança, estágios para trabalho ou es tudos.

* 20 - CHAMAR OS HINOS NOS CULTOS.

Quem chamar Hino para ser cantado nos cultos, deverá levantar -se e falar algarismo por algarismo, para melhor compreensão do servo que estiver presidindo.

* 21 - "CREADOR" E "CRIADOR".

A Palavra "Creador", com "e", refere-se a Deus, mas é forma arcaica, não existe mais nos dicionários da língua portuguesa.

A forma atual é "Criador", com "i". Esta palavra tem dois sentidos básicos: fazer aparecer do nada - que foi como Deus fez, criando todas as coisas, visíveis e invisíveis - e criar, no sentido de tratar, cuidar, alimentar.

Portanto, usar a forma "Criador", referindo-se a Deus, está correto, como é empregado na Bíblia e em nosso Hinário.

Muitos irmãos fazem perguntas a esse respeito. O presente tó pico esclarece a irmandade

22 - EXAGEROS NAS PREGAÇOES.

Os irmãos do ministério da Palavra devem ter muita prudência com o que pregam diante do povo, deixando-se guiar inteiramente pele Espírito de Deus.

Palavras de libertação, promessas, marcando datas, dando pra zos, incitando a irmandade à gritaria e atraindo-a para sí, estão rou bando a glória de Deus. Alguns repetem várias vezes: Deus me manda falar, Deus me mostra, etc.

Devemos nos ater a pregar a doutrina, a fé e o temor de Deus. Assim, estaremos conduzindo o povo a Cristo e à salvação da alma, cer­tos de que, na obediência Deus os abençoará, libertará, guardará e os fará prosperar em tudo. (vide Salmo 112)

* 23 - IRMÃS CANDIDATAS A ORGANISTAS - ELIMINADOS OS TESTES PARA A MEIA HORA.

Não há mais teste para se tocar a meia hora. Quem toca duran te a meia hora, antes de iniciar o culto, são as irmãs que já fizeram teste para as reuniões de jovens e menores e são batizadas, ou aquelas que já tocam nos cultos oficiais. As irmãs que já fizeram o teste para a meia hora e estão tocando, podem continuar.

* 24 - TROCA DE INSTRUMENTOS NAS ORQUESTRAS.

Os músicos não devem trocar de instrumento, a não ser nos se guintes casos: por deficiência física, por falta de condições técnicas ou pela necessidade da orquestra. Mesmo assim, em qualquer dessas hi póteses deverá haver prévia autorização do ministério e submeter-se o músico a novo exame pelo método do instrumento que for tocar.

25 - ENCARREGADOS REGIONAIS - PARA ATENDEREM OUTRAS REGIÕES, DEVEM PASSAR POR REUNIÃO MINISTERIAL.

Os encarregados regionais foram colocados por Deus para aten der cada qual a sua região. Atendimentos a outras regiões devem pas sar por reunião ministerial.

26 - COLETAS.

Conforme já doutrinado desde o princípio e consta no Estatuto, as coletas são voluntárias e anônimas. Portanto, a irmandade é livre para cooperar conforme se sentir da parte de Deus. As coletas oficiais são: para construção, obra da piedade e viagens missionárias, a lém das que se fazem com envelopes (compra de terrenos, despesas com a Assembléia). Em algumas localidades a coleta para manutenção é desta cada da coleta de construção. Na Congregação não deve haver marcação daquilo que a irmandade vai cooperar: ofertas de dinheiro ou materiais.

COLETA PARA FUNDO MUSICAL - Esta coleta destina-se à compra de instrumentos musicais para as localidades necessitadas. Ela é feita somente nos ensaios musicais regionais. Não deve ser anunciada entre a irmandade.

COLETAS NAS REUNIÕES DA MOCIDADE - Estas coletas destinam-se à Obra da Piedade.

COLETAS NAS REUNIÕES DE JOVENS E MENORES - Estas coletas têm a destinação específica que os jovens e menores sentirem em cooperar.

27 - SISTEMA DE COLETAS FORA DE DOUTRINA.

Anotar o nome dos irmãos e o valor que darão na coleta, fazen do listas, é fora de Doutrina. Disse o Senhor Jesus que não deve sa ber a mão esquerda o que faz a mão direita. Todos temos que ter um só sistema, que é dar o valor na mão dos irmãos que recebem, mencionando qual a finalidade.

28 - VIAGENS.

Conforme deliberação, somente são consideradas missões quando é orado e confirmado pelo ministério. Muitos servos, atendendo a con­vites, participam de reuniões ministeriais em outras regiões e assumem compromissos de atendimentos, sem conhecimento da reunião regional a que pertencem. A quem compete custear tais despesas? - Outros ser vos, espontânea e periodicamente, viajam para cidades do Brasil e anunciam nas congregações solicitando roupas, calçados, dinheiro, etc. Somos ensinados a fazer essas solicitações somente quando aprovadas em reunião.

29 - ENDOSSOS - AVAIS - APRESENTAÇÃO.

Os irmãos de ministério, particularmente, devem evitar de se rem endossantes, avalistas, apresentadores, etc., a fim de não se com­prometerem.

* 30 - VISITAS A ENFERMOS.

Alguns grupos de visita, servos e irmandade não têm o devido cuidado, pois demoram-se nas mesmas e fazem longas orações em voz muito alta, isto em hospitais e em casas de família. Deve-se considerar que o enfermo precisa descansar, fazer sua higiene e, muitas vezes, a família não é crente.

* 31 - DECLARAÇÃO PARA APOSENTADORIA.

Em algumas regiões foi solicitado que a pessoa conseguisse uma declaração da Congregação, alegando que ela é membro, para, assim, obter aposentadoria pelo INSS ou FUNRURAL. Pelo nosso Estatuto, não há registro de membros. Assim, tal declaração não pode ser fornecida.

32 - REUNIÕES MINISTERIAIS REGIONAIS - ADMINISTRAÇÕES PARTICIPANTES.

Em reuniões ministeriais regionais devem participar os administradores locais e os administradores das cidades pertencentes à região, quando houver assuntos administrativos a respeito delas.

33 - CARGOS VAGOS DE TITULAR DA ADMINISTRAÇÃO - PREENCHIMENTO

Vagando o cargo de Presidente, Secretário ou Tesoureiro, o mesmo será preenchido pelo respectivo vice. Se na Administração não houver vices, ora-se a Deus para se colocar outro irmão no cargo vago. O novo titular preencherá o tempo faltante para completar o triênio de quem está sendo substituido.

34 - ASSEMBLÉIAS GERAIS ORDINÁRIAS E/OU EXTRAORDINÁRIAS - PRESIDÊNCIA

Na falta do Presidente da Administração, quem preside as Assembléias Gerais Ordinárias ou Extraordinárias é o substituto legal do Presidente e não o Ancião que abriu o culto. (artigo 27, parágrafo único do Estatuto).

* 35 - RELATÓRIO.

A Administração São Paulo fará constar no Relatório as seguintes siglas: I.P. - para Imóveis Próprios, e C.P. - para indicar Construções Próprias, porém, em terrenos que ainda não possuem escritura definitiva.

36 - EXTINÇÃO OU INCORPORAÇÃO DE UMA ADMINISTRAÇÃO.

Ocorrendo a extinção ou incorporação de uma Administração, devem ser observadas as obrigações legais e fiscais (Ata, Baixa do CGC, Transferência do Patrimônio, etc.).

37 - ADMINISTRAÇÕES NOVAS.

Considerar a real necessidade de constituição, e se há irmãos aptos para exercer os cargos. Quando forem constituídos, deverão ser acompanhadas por três anos pela Administração descentralizadora.

Remeter para a Administração São Paulo o questionário próprio, com informações da constituição da Administração, para fins de cadastro.

* 38 - CONSTRUÇÕES EM OUTRAS LOCALIDADES.

Grupos de irmãos voluntários através de seus responsáveis, de vem verificar documentos de aquisição de titularidade e somente proce der à construção atendendo os requisitos legais: planta aprovada, re gistro do mutirão e INSS. A não observância da legislação do INSS a­carretará a cobrança da contribuição para a Previdência Social como se fosse mão de obra paga.

A Administração local é responsável e deverá acompanhar o andamento da obra e sua documentação. É aconselhável que, antes de se i­niciar uma obra, haja uma reunião prévia da Administração com o Minis tério local, a fim de verificar todas essas questões e instruir os ir­mãos que irão trabalhar nessa obra.

39 - REUNIÃO REGIONAL DE ADMINISTRADORES.

O ministério da região deverá também participar dessas reu niões, a fim de tomar conhecimento das orientações dadas aos adminis­tradores.

40 - PROCURAÇÕES.

Outorgar no mínimo a três irmãos, com fins específicos, sem poderes para substabelecer e com prazo determinado (artigo 23 do Estatu­to).

* 41 - ÍNDIOS.

Quem Deus enviar para evangelizar deverá limitar-se unicamente a pregar a doutrina, sem interferir nos usos e costumes e nem nas tra­dições dos índios.

42 - RESULTADOS DE BATISMOS - ESTATISTICA.

Os Anciães, ao apresentarem os resultados de Batismos deverão fazê-lo indicando o Estado a que pertencem as almas batizadas, para fins de estatística anual no Relatório Geral.

43 - DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA E RAIS.

A não entrega, em tempo hábil, destes documentos acarreta multa de 500 UFIR - hoje, R$ 353,05.

44 - CARTEIRA DE SEGURADO ESPECIAL - INSS.

Todo empregador rural deverá ser inscrito junto ao INSS na forma de segurado especial (Instruções junto às Administrações).

* 45 - ORAÇÕES DIZENDO QUE OS MÚSICOS AQUI DA TERRA SERÃO MÚSICOS NOS CÉUS - CORRIGIR.

Não existe na Palavra de Deus menção alguma de que os músicos aqui da terra serão músicos nos céus. Portanto, quem ora ou testemunha se referindo a este assunto, deve ser corrigido.

46 - REUNIÕES DE EVANGELIZAÇÃO E REUNIÕES FAMILIARES - ESCLARECER AS DIFERENÇAS E QUANDO PODE HAVER MÚSICOS



Reuniões familiares são feitas por pequenos grupos em residências - Não há músicos. Cantam-se alguns hinos, ora-se e há a pregação de um trecho da Palavra. Podem ser feitas por irmãos sem ministério, mas com o consentimento deste.

Reuniões de evangelização são feitas em grupos maiores, com músicos. Cantam-se os Hinos, ora-se e há a pregação da Palavra. É para evangelizar as criaturas. O Ancião ou o Cooperador presidem.

* 47 - ENSINO RELIGIOSO NAS ESCOLAS.

O ensino religioso de matrícula facultativa, constitui-se em disciplina dos horários normais das escolas públicas de ensino fundamental, conforme disposto no artigo 210 da Constituição Federal e artigo 244 da Constituição Estadual.

Pela dificuldade de apresentar professores habilitados, conforme resolução da Secretaria da Educação, na hora da matrícula declaramos que nossos filhos deverão ficar dispensados das aulas de religião, pois recebem educação religiosa todas as semanas, por uma hora e meia, nas reuniões de jovens e menores em nossas congregações.

TÓPICOS DO MINISTÉRIO DA OBRA DA PIEDADE

1 - REUNIÕES DE ENSINAMENTO.

Nestas reuniões devem comparecer os irmãos Anciães, Diáconos, Cooperadores, Administradores e irmãs do ministério da piedade. Deve-se tomar cuidado para não participarem irmãos alheios ao ministério.

Para haver estas reuniões, deve ser orado na reunião ministe rial, com conhecimento do Ancião que atende a localidade.

2 - FREQUÊNCIA NAS REUNIÕES.

Nota-se a ausência de muitos Diáconos e irmãs do ministério da piedade nas reuniões, não dando o devido valor ao que receberam de Deus.

3 - APRESENTAÇÃO DE IRMÃS PARA O MINISTÉRIO DA PIEDADE.

A apresentação para oração em reunião ministerial deve ser em comunhão dos irmãos Ancião, Diácono e Cooperador da localidade.

Não deve ser forçada a apresentação de um familiar pelo próprio parente.

Com antecedência, deverá ser preenchido o formulário próprio, com as assinaturas do ministério (modelo anexo).

4 - REUNIÕES DE ATENDIMENTO.

Quando as irmãs se apresentarem na reunião para expor algum caso, uma delas deverá dizer "Deus seja louvado" e todos juntos responderão "Amém". Da mesma forma, ao se retirarem.

5 - VISITA A IRMÃOS NECESSITADOS.

Nessas visitas, uma das irmãs fará a oração, não havendo necessidade de se fazer a abertura da mesma, não prolongando e também evitando manifestação em alta voz.

6 - ESCRITA DA OBRA DA PIEDADE.

Os Diáconos são responsáveis pela escrituração da obra da pie dade, mantendo-a em dia e em boa ordem. Se o Diácono não tiver condi­ções de fazê-la, deverá procurar cooperação de um irmão da administra ção. Numa eventual irregularidade por negligência, o Diácono responsável responderá. Poderá também ser orientado por irmãos Diáconos de cidades próximas.

A Administração deverá receber um relatório mensal do movimen to do mês anterior até o dia 10 (dez) do mês seguinte.

7 - ROUPAS PARA BATISMO DE IRMÃOS E IRMÃS.

Na medida do possível, cada localidade onde há batismos deverá ter quantidade suficiente de calções e toalhas para atendimento. Essa compra é de responsabilidade da Administração local. Observar que a cores do tecido não dêem transparência, de preferência cor cinza-escu ro.

8 - ENTIDADES ASSISTENCIAIS PARTICULARES.

A obra da piedade não tem obrigação de auxiliar asilos, abrigos, orfanatos, etc. Só se fará quando Deus fizer saber e como Ele guiar.

9 - ABRIGO PARA IRMÃOS IDOSOS DESAMPARADOS.

Nas localidades que já possuem esses abrigos, serão mantidos, todavia, não se deve construir novos abrigos pois é elevado o custo para sua manutenção, pela observância às determinações legais.

10 - INTERNAÇÕES E FUNERAIS.

É de responsabilidade dos familiares as despesas com interna ções e/ou funerais. Os irmãos Diáconos não devem ser forçados por ninguém a atender esses casos, devendo fazer tudo pela guia de Deus.

11 - ALMOXARIFADO DA OBRA DA PIEDADE.

Os irmãos Diáconos devem colocar irmãs responsáveis para cui dar desse setor, colocando os materiais recebidos em seus devidos lu­gares, mantendo-os em boa ordem.

Para essa finalidade não devem ser colocadas irmãs que já exercem o ministério da piedade.

12 - NECESSIDADE DE ROUPAS, CALÇADOS, AUXÍLIOS, ETC.

Localidades carentes de roupas, quer sejam por pobreza ou calamidade, devem recorrer às regionais mais próximas; quando estas não puderem atender, deve-se procurar as cidades que periodicamente dão a tendimento.

Os pedidos devem ser feitos por carta, com assinatura dos Diá conos que atendem a localidade, conjuntamente com o ministério local (no mínimo três (3) assinaturas).

13 - MEDIDA REPREENSIVA CONTRA DIÁCONO OU IRMÃ DA PIEDADE.

Quando necessário fôr tomar medida repreensiva contra Diácono ou irmã da Piedade, deve-se, antecipadamente, participar aos Diáconos mais antigos da região, para em conjunto julgar o assunto, não determinando posição punitiva sem passar pela Reunião Ministerial Regional.

Admin
Admin

Mensagens : 1049
Pontos : 2451
Data de inscrição : 24/05/2009

http://oulorivallan.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Todos os tópicos de ensinamentos da CCB 1961em diante Até 2010

Mensagem por Admin em 25th Julho 2010, 4:19 pm

Tópicos de ensinamentos 1996 - 61 - Assembléia


CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL

TÓPICOS DE ENSINAMENTOS

61ª ASSEMBLÉIA - 1996

61ª ASSEMBLÉIA - 1996 - RESUMO DE ENSINAMENTOS

SÃO PAULO – 1º A 5 DE ABRIL DE 1996

EM NOME DO SENHOR JESUS INICIARAM-SE ESTAS REUNIÕES COM ORAÇÃO.

Atencão: Somente os tópicos a seguir, assinalados com asterisco (*) deverão ser lidos nas congregações, perante a irmandade.

* 1 - SEPARAÇÃO E/OU DIVÓRCIO.

A irmandade deve ser esclarecida no sentido de que, segundo a Palavra de Deus, o matrimônio só pode ser desfeito se um dos cônjuges cair em adultério. Não sendo por esse motivo, não é lícita a separação e muito menos um novo casamento.

Aquele que se separar e casar novamente, não sendo por causa de infidelidade conjugal, cairá em pecado e não será mais considerado nosso irmão ou irmã na fé. No caso de haver adultério, a parte inocente estará livre para casar-se novamente, após o divórcio. Contudo, cada caso será considerado e julgado pelo Conselho de Anciães.

* 2 - HINOS QUE NÃO CONSTAM DE NOSSO HINÁRIO.

Têm chegado ao conhecimento do Ministério, gravações de hinos que não pertencem ao Hinário da Congregação. Sabemos que há irmãos habituados a compor tais hinos, outros a gravá-los e a distribuí -los à irmandade, que, em algumas congregações, até já os têm ensaiado.

O Conselho de Anciães, considerando o assunto, deliberou lembrar a irmandade que somos um só povo, uma só família em Cristo Jesus, pelo que não devemos nos desviar

dos ensinamentos que nos foram dados pelos primitivos servos de Deus nesta gloriosa Obra.

Assim, não deve mais a irmandade se preocupar nem em compor, nem em cantar esses hinos avulsos, pois isso poderá gerar uma confusão em nosso meio, para desviar-nos da unidade e da guia que esta Obra possui desde o princípio. Além do mais, possuímos em nosso Hinário 450 hinos, alguns dos quais quase não são chamados nos cultos. A irmandade deve dedicar-se a conhecer as melodias dos nossos hinos e suas palavras, as quais nos foram dadas por revelação de Deus.

* 3 - BATISMOS DE ENFERMOS HOSPITALIZADOS.

Em muitas localidades têm acontecido casos semelhantes: hospitalizados enfermos, passando muito mal, querem ser batizados; alguns são convertidos, outros, é a família que quer que eles sejam batizados. De qualquer forma, quem deve pedir autorização aos médicos para que o doente seja batizado é a família e não os servos de Deus. Se o médico autorizar, faz-se o batismo, para que a responsabilidade não recaia sobre a Congregação.

* 4 - ENFERMOS QUE PEDEM BATISMO.

Já há ensinamento antigo de que, quando um enfermo pede batismo, deve-se atender o mais rapidamente possível, no próprio local, em um tanque portátil. Não se deve trazer enfermos graves nos batismos gerais.

* 5 - INVASÕES DE TERRAS - ADVERTÊNCIA À IRMANDADE DE ZONAS RURAIS.

O povo de Deus deve guardar-se de envolvimentos em invasões de terras. Não se devem deixar manipular por elementos que, a pretexto de fazer justiça agrária, pretendam incitar a irmandade de zonas rurais à violência e à posse ilegítima de terras.

Quem se comprometer com isso, perderá o testemnho. O que tem que ser nosso, Deus nos dará, quando for de Sua vontade. Quanto à distribuição normal de terras, deixa-se a cargo das autoridades governamentais, que estão atentas a respeito, e atuarão no tempo certo.

* 6 - CHEQUES NAS COLETAS.

Há irmãos que procuram trocar cheques por dinheiro no caixa da coleta ou na Distribuidora de Bíblias. Isto não pode acontecer em nosso meio; deve-se proibir terminantemente a qualquer membro, sem exceção. Os irmãos que recebem coletas não podem trocar dinheiro por cheques, de quem quer que seja.

* 7 - VÉUS - NOVIDADES.

Em muitas localidades estão surgindo véus diferentes dos que as irmãs sempre usaram até agora: são véus com rendas enormes, véus especiais para organistas e até véus de cores diferentes, que não são totalmente brancos. Deve-se parar imediatamente com essas novidades e permanecer na simplicidade que sempre tivemos, desde o princípio da Obra de Deus.

* 8 - ORAÇÃO PARA AGRADECER PELOS ALIMENTOS E PEDIR AS BÊNÇÃOS.

Devemos orar para agradecer a Deus e pedir as bênçãos sobre os alimentos que vamos tomar. Os alimentos devem ser abençoados por Deus antes de os ingerirmos. Pode-se orar em torno da mesa onde estão servidos os alimentos, ou em qualquer outra dependência da casa.

Onde não temos condições de orar, fazemos uma rápida oração em nossa mente.

Os servos de Deus que estão em viagem costumam orar de manhã, apresentando a Deus todos os alimentos que irão ingerir durante o dia.

* 9 - EVITAR DIZER NA ORAÇÃO: "NÃO VIEMOS AQUI PARA OUVIR O HOMEM".

Devemos evitar dizer na oração e nos testemunhos: "Não viemos aqui para ouvir o homem". O homem que se levanta para exortar a Palavra nos cultos é um vaso tomado pelo Espírito Santo, e não fa1a de si mesmo. Deixemos de usar na oração essa expressão e outras que são novidades na Obra de Deus.

* 10 - ORAÇÃO DE AGRADECIMENTOS - NÃO DIZER QUE O CULTO VAI SER ENCERRADO EM NOME DO SENHOR JESUS.

Muitos irmãos dizem na oração de agradecimentos que o culto foi aberto Em Nome do Senhor Jesus e no mesmo nome será encerrado. Não é assim. Não se encerra o santo serviço Em Nome do Senhor Jesus, mas despede-se a irmandade com as palavras que o Senhor colocar na boca do servo.

*11 - TESTEMUNHOS - PRECAUÇÕES.

Testemunhar nos cultos é render graças a Deus, exaltá-1o e relatar as maravilhas que dEle temos recebido. Não devemos relatar sonhos, nem visões ou revelações.

Também nos testemunhos não devemos atacar quem quer que seja, nem pronunciar o nome de denominações ou credos religiosos, nem contar proezas do inimigo de nossas almas. A irmandade não deve testemunhar agradecendo pela dispensa do serviço militar. O serviço militar é um dever do cidadão.

* 12 - TESTEMUNHADOS DA GRAÇA QUE TRAZEMOS PARA ASSISTIR O CULTO - PRECAUÇÕES.

Irmãos e irmãs que trazem para assistir o culto altas personalidades, ministros de denominações religiosas e outros testemunhados, não devem comunicar isso ao servo da congregação antes do início do serviço, nem testemunhar que os trouxeram, pois tal comportamento faz com que o servo perca a franqueza de pregar a Palavra, como também faz com que aquele que nos está visitando não receba a Palavra, notando que o servo ficou sabendo da sua presença. Podemos apresentar nossos convidados ao servo após terminado o culto.

Deve-se evitar de convidar testemunhados para assistir a Santa Ceia.

* 13 - SUICÍDIO - IRMÃOS ASSASSINADOS - SANTO SERVIÇO NO FUNERAL.

Não se faz o santo serviço no funeral para quem se suicida. Faz-se uma oração para conforto da família. O servo que for atender, deixe-se guiar por Deus. Quanto a irmãos que foram assassinados, deve-se averiguar se a pessoa tinha bom testemunho.

Houve irmãos que foram mortos por assaltantes. E temiam a Deus. Certamente o Senhor permitiu que morressem dessa forma.

* 14 - NÃO FILMAR, NEM FOTOGRAFAR E NEM GRAVAR OS SANTOS SERVIÇOS.

Não devem ser filmados, nem fotografados e nem gravados os santos serviços. Quanto a estranhos à nossa fé, devemos aconselhá-los a não fazê-lo, porém, não podemos impedir.

* 15 - PECADO DE ADULTÉRIO, FORNICAÇÃO E PROSTITUIÇÃO.

A Palavra de Deus determina: Fugi da prostituição (do adultério ou da fornicação). Todo o pecado que o homem comete é fora do corpo, mas o que se prosti-

tui peca contra o seu próprio corpo. Diz a Escritura que os que tais pecados cometem ficarão de fora, não entrarão no reino dos céus. Devemos conservar brancas as nossas vestes que foram lavadas pelo Sangue do Concerto Eterno. Nossa mocidade deve, acima de tudo, andar na santidade, consagrando o seu corpo a Deus, não andando segundo o desenfreamento do mundo. Nossos jovens que vão contrair matrimônio devem, respeitosamente, aguardar o dia das núpcias para se unirem no temor de Deus.

* 16 - DOAÇÃO DE ÓRGÃOS DO CORPO HUMANO.

Somos livres para doar órgãos do nosso corpo, seja em vida, seja após o falecimento. Quanto a doar sangue, a Palavra de Deus também não proibe. Proibe ingerir o sangue ou a carne com o sangue dos animais.

* 17 - COSTUMES MUNDANOS.

O crente que quer agradar a Deus, que quer herdar a vida eterna, deve se santificar, deve se dedicar a fazer a vontade do Senhor, não se conformando com o mundo e nem com o que ele apresenta. Devemos nos apartar do mal e da aparência do mal.

Diz a Escritura Sagrada: "Todas as coisas me são licitas, mas nem todas as cousas convém" (I Cor. 10, v. 23). Todas as coisas me são lícitas mas nem todas as coisas edificam. Noutro ponto diz: "O temor do Senhor é o princípio da sabedoria".

* 18 - ORQUESTRA NAS CONGREGAÇÕES.

A maioria dos músicos em nosso meio louva a Deus, segundo o conhecimento que aprendeu nos simples livros, como a teoria musical, o Bona, o método do seu instrumento e o hinário. Nessa simplicidade Deus tem se agradado e abençoado as orquestras. Portanto, devemos permanecer assim, para continuarmos recebendo Suas bênçãos. Nossos hinos são sacros e não devem ser tocados ou cantados com ritmo alterado, passagens ou floreados.

* 19 - POLÍTICA.

Nas congregações não são admissíveis partidos de espécie alguma; cada um é livre, cumprindo o seu dever de votar, que é uma determinação da lei.

Não se deve permitir que candidatos a cargos políticos venham fazer propaganda ou visitar as casas de oração com essa finalidade.

Se algum irmão ou irmã assumir encargo político e estiver ocupando cargo ou ministério na Obra de Deus, deverá renunciar a este.

Quando alguém for convocado pela Justiça Eleitoral para trabalhar nas eleições; deverá comparecer e cumprir esse dever cívico.

* 20 - DENOMINAÇÕES.

Os servos do ministério e a irmandade, sendo abordados ou interrogados para dizer qual a posição da Congregação em questões surgidas entre as denominações, devem responder que não estão autorizados a emitir parecer sobre isso, pois nós não nos envolvemos nas questões alheias.

O ensinamento que tivemos desde o princípio é de não se falar nas congregações contra denominações religiosas, médicos, remédios, autoridades, etc.

* 21 - IRMÃOS QUE ANTECIPAM A UNIÃO ANTES DO CASAMENTO.

Irmãos que antecipam a união antes do casamento ficam sem liberdade na Congregação. Sendo músicos ou organistas, ficam sem liberdade e sem poderem tocar. Se tiverem cargo na Obra de Deus, serão destituídos.

* 22 - JOVENS QUE SE DESPEDEM NA REUNIÃO DA MOCIDADE.

Na hora dos testemunhos, concede-se a liberdade primeiramente para os jovens que vão se despedir da mocidade. Virão os moços e as moças também. Testemunham um por um e vão sentar; não há necessidade de ficar esperando o seu par. Se um dos dois não quiser testemunhar não há inconveniente algum.

Depois, concede-se a liberdade para os demais testemunharem.

ATENCÃO: OS TÓPICOS A SEGUIR SÃO SOMENTE PARA O MINISTÉRIO.

23 - HINOS NAS SANTAS CEIAS.

Os hinos serão chamados pelo Ancião que presidir a santa ceia, conforme a lista no índice do binário, até o sexto hino, que é o 394. Quando começar a distribuição, o servo que preside não precisa seguir a seqüência do índice. Poderá saltear os números.

Ao terminar cada rodada, o ancião deve dar um sinal para que a orquestra inicie a estrofe ou o coro do hino.

24 - ANDAMENTO DOS CULTOS - CANTAR O HINO E DEPOIS LER A LISTA DE BATISMOS

Logo que se encerram os testemunhos canta-se um hino e, após isso, faz-se a leitura da lista de batismos. Todos os servos que presidem os cultos devem fazer desta forma, para que haja uniformidade no andamento do serviço.

Quando houver muitos testemunhos e o horário estiver avançado, pode-se suprimir o hino e passar à leitura da lista de batismos.

Só deixamos de cantar hinos por motivo de força maior, e não por preleções que tomam o tempo do culto desnecessariamente.

25 - CELEBRAÇÃO DO BATISMO.

O Ancião que entra na água para fazer o batismo, não precisa dizer "Deus seja louvado". Quando fizer a oração, deverá colocar a mão sobre a cabeça da primeira pessoa que irá se batizada. Durante o batismo, colocará a mão sobre a cabeça de cada um que for batizando.

26 - PESSOAS QUE TENCIONAM SE BATIZAR.

- Devemos anunciar esclarecendo bem e deixar a alma se decidir, ela se deci-

de quando está convertida. Os convertidos se batizam e permanecem e os coagidos, batizam-se para agradar ao irmão ou à irmã que lhe anunciou e depois abandonam a graça de Deus.

- Há irmãos cooperadores de algumas localidades que, para haver sempre festa em sua cidade, solicitam a realização de batismo logo que uma alma começa a congregar, sem ter certeza de que esta esteja convertida.

- Outras vezes, nos serviços de batismo, os servos insistem tanto, mandam cantar muitos hinos, exortam fazendo ameaças, como que obrigando as almas a darem este passo. Isto não é conveniente.

- Nos tempos atuais os solteiros que estão no mundo, namoram e, já no namoro se relacionam intimamente; quando dizemos que os amasiados não podem ser batizados, eles não se consideram amasiados mas, sim, namorados; não sabem que estão vivendo em pecado e nós temos que esclarecê-los quanto à sua condição perante o batismo.

- Há também irmãos que, ao darem o testemunho da graça, mencionam a Obra da Piedade, dizendo que se eles se batizarem a Igreja cuidará deles; estes vêm com interesse nas coisas desta vida e não para a salvação.

- Há os que se interessam em namorar nossas irmãs e, sabendo que elas não podem se casar com estranhos à nossa fé, prontificam-se a se batizar para conseguir o seu intento. Cabe aos servos fazer essa advertência nos batismos, para que ninguém proceda desta maneira.

27 - LER E EXPLICAR APÓS O BATISMO O ARTIGO 9º DOS PONTOS DE DOUTRINA.

O artigo 9º dos Pontos de Doutrina constantes de nosso Hinário, deve ser lido nos batismos após terminado o serviço das águas. É de suma responsabilidade, pois trata das abstenções que o novo crente deve passar a observar a partir do momento em que se batizou. Portanto, devemos aguardar que retornem do vestiário em que trocaram de roupa após o batismo, para que todos ouçam e fiquemos livres de responsabilidades.

28 - BATISMO DE PRESIDIÁRIOS.

Se a direção do presidio autorizar que se leve um tanque portátil e se faça o batismo, tudo bem; mas não se deve pedir autorização para levar o preso para ser batizado na Congregação.

29 - SEPARAÇÃO NA IGREJA DE CRISTO.

Jamais devemos pensar em separação. Qualquer ponto de divergência que, porventura, surgir, será superado com a ajuda de Deus.

Somos humanos, podemos ter alguma falha em nós, ou mesmo no ministério, mas poderoso é o Senhor para colocar tudo em seu devido lugar. Temos que orar e Deus aperfeiçoará tanto nós como a Sua Obra, pois somos um só corpo e custamos o preço de sangue de Seu amado Filho.

30 - HÁBITOS NA PREGAÇÃO QUE DEVEM SER ABOLIDOS: BATER NA TRIBUNA, CORRER NO PÚLPITO, PULAR E GRITAR.

Temos sempre dado ensinamentos a esse respeito, mas há servos que insis-


tem em errar nestes pontos. Muitos batem na tribuna quando pregam. Na tribuna estão os dizeres: “Em Nome do Senhor Jesus" e não é lugar para se estar batendo. Este costume deve ser abolido, pois é um desrespeito ao Nome do Senhor. A irmandade também nota isso e não aprova.

Não é necessário bater em lugar nenhum quando se exorta a Palavra. Outros correm de um lado para outro do púlpito e dão pulos enquanto pregam. Alguns batem na perna, outros batem palmas, dando um mau aspecto. E há os que exageram no falar, gritando na pregação. Esses hábitos devem acabar.

31 - INTIMAÇÕES SOBRE RUÍDOS.

Têm chegado intimações para congregações onde o ruído do microfune e da orquestra ultrapassou o limite dos decibéis permitido. Decibel é a unidade da escala que mede a intensidade dos ruídos. Casas de diversão e templos são submetidos à medição. Após algumas advertências é aplicada a punição para os reincidentes, com o fechamento das portas. Igrejas evangélicas têm sido fechadas, por não observarem essa determinação.

As congregações devem controlar o volume do som do microfone nos testemunhos e na Palavra. Deve cessar a gritaria nos cultos e as pregações em alta voz. Também o horário para o término dos cultos deve ser rigorosamente observado, para não infringir a lei do silêncio à noite.

32 - IRMÃOS DO MINISTÉRIO QUE VIAJAM PARA OUTROS LUGARES SEM MISSÃO.

Os irmãos do ministério que viajam em visita à irmandade, quer no Brasil ou no Exterior, sem que sua viagem seja missão confirmada por Deus em oração do ministério, abstenham-se de interferir na Obra e envolver-se em responsabilidades por influência da irmandade local, pois podem causar transtornos e contradições por desconhecerem o real fundamento das coisas naquele lugar, caindo em descrédito por terem tomado esta ou aquela decisão e dito esta ou aquela palavra.

Quem viajar ao Exterior, deverá comumicar-se previamente com os irmãos aqui no Brasil que atendem aquela nação, para inteirar-se das precauções devidas.

33 - COLETAS - PRECAUÇÕES.

A coleta é bíblica. Vem mencionada no antigo e no novo testamento. Rea1izamos coletas livres, voluntárias e sigilosas entre a irmandade e, por este meio, Deus tem sempre suprido Sua Obra com o necessário para compras de terrenos, construções de casas de oração, atendimento a nossos necessitados e custeio de viagens missionárias, sem dependermos de quem quer que seja. Deve ser sempre respeitada a guia de Deus no coração de quem contribui, para cada finalidade.

A irmandade deve ser ensinada a deixar-se guiar por Deus e, quando entregar a coleta, dizer qual a finalidade a que se destina, ou seja, para a Piedade, Construções, Viagens ou necessidades da Igreja.

A precaução que devemos ter, no tocante às coletas, é não coagir a irmandade a contribuir. Não organizar listas impondo que a pessoa contribua com quantias estipuladas, nem recolher a coleta sobre a tribuna ou o púlpito, nem usar caixas de papelão para serem lançadas as ofertas, ou modalidades semelhantes, contrárias à doutrina. Os frutos devem ser dados nas mãos dos irmãos recebedores de coletas.

O Senhor Jesus nos recomendou que a oferta de cada um seja dada em oculto, dizendo: "e teu Pai, que vê em segredo, te recompensará publicamente".

34 - DEPENDÊNCIAS PARA OS COMODATÁRIOS NAS CASAS DE ORAÇÃO.

Em muitas congregações que se constroem, as casas dos comodatários são pequenas, sem conforto e sem segurança, fazendo com que muitos se mudem, depois de pouco tempo. Quando se construirem as casas de oração, deve-se atentar para que as dependências dos comodatários tenham o conforto e a segurança necessários.

35 - APRESENTAÇÃO DE PORTEIROS - CONSIDERAR PREVIAMENTE COM OS DIÁCONOS.

A apresentação de porteiros para as congregações deve ser feita com o prévio conhecimento dos irmãos diáconos.

A responsabilidade dos porteiros é grande, pois lidam diretamente com a irmandade e recebem as coletas. Portanto, não devem ser apresentados para porteiros irmãos novos na fé, nem irmãos que estejam desempregados ou em situação financeira complicada.

Para colocar porteiros o ministério local se reune, indica-os e ora para que Deus os abençoe.

Não se ora para esperar resposta.

36 - REUNIÕES MINISTERIAIS REGIONAIS - PORTARIA.

Devido ao grande crescimento da Obra de Deus em quase todas as regiões do Brasil e ao grande número de servos que comparecem às reuniões regionais, é aconselhável que sejam colocados, nas entradas, membros da Administração (ou irmãos indicados pelo ministério), para identificar aqueles que comparecem, evitando, dessa forma, que algum estranho ao ministério possa ingressar nas reuniões.

Lembramos que todos os servos autorizados a participar das reuniões possuem cartão de identificação.

37 - ALTERAÇÕES NO RELATÓRIO.

Alertamos aos servos de Deus que todas as alterações que se pretenda introduzir no Relatório, deverão ser previamente aprovadas em reunião ministerial local e, depois, comunicadas à Administração São Paulo em impresso próprio, devidamente assinado pelo (s) Ancião (ões) responsáve1(eis).

38 - CUIDADOS ESPECIAIS NAS VIAGENS DE ATENDIMENTO À OBRA DE DEUS.

Em decorrência do aumento de acidentes vitimando os servos de Deus, é recomendável que as viagens sejam efetuadas de preferência de avião ou ônibus. Entretanto, se a viagem for através de automóvel, recomenda-se observar o seguinte: 1° - Examinar as condições do veículo; 2° - Observar o limite de velocidade permitido nas estradas; 3° - Dirigir ou viajar em condições fisicas adequadas; 4° - Viajar, sempre que possível, durante o dia, e em condições climáticas


favoráveis; 5º - Não viajar com excesso de pessoas e de bagagens; 6º - Programar as viagens com tempo suficiente para a permanência e o retorno; 7º - Manter em dia seguro de vida, cobertura do INSS e seguro do veículo. (Se a viagem for para o Exterior, comunicar previamente à companhia seguradora para a cobertura adicional).

39 - APRESENTAÇÃO DE COMODATÁRIOS (MORADORES) NAS CASAS DE ORAÇÃO.

Para se apresentar e colocar comodatários (moradores) nas casas das congregações, não se ora esperando confirmação. O ministério local aponta o casal e considera o assunto; depois, ora para que Deus os abençoe e os coloca. Faz-se o contrato de comodato, como sempre tem sido feito.

40 - FICHAS PARA APRESENTAR IRMÃOS (ÃS) PARA O MINISTÉRIO.

Os Anciães só assinam a ficha se conhecerem o irmão ou irmã que está sendo apresentado.

TÓPICOS DO MINISTÉRIO DA OBRA DA PIEDADE

1 - REUNIÃO DE ENSINAMENTOS.

É conveniente que o atendimento desta reunião fique a cargo do irmão diácono que foi para essa finalidade. Se outro irmão diácono for falar, deverá tomar o devido cuidado para não repetir e nem desfazer o que já foi dito. Algumas reuniões têm sido muito prolongadas; há servos que pregam durante mais de uma hora, outros contam testemunhos e ainda insistem para que outros se levantem.

2 - REUNIÃO DE ATENDIMENTOS.

Esta reunião não deve ser realizada após o culto ou à noite; deve ser feita durante o dia. Nesta reunião não há pregação da Palavra, a fim de não ser muito prolongada, evitando assim que as irmãs cheguem tarde em suas casas.

3 - ATENDIMENTOS FEITOS PELA IRMANDADE.

Muitos irmãos, às suas expensas ou com a colaboração de outros, angariam roupas e alimentos e viajam para várias cidades do Brasil, fazendo a distribuição para a irmandade carente. Essa dedicação é uma boa coisa, mas, como a distribuição é feita indiscriminadamente, tem causado murmuração por parte da irmandade, pois algumas famílias sem necessidade são atendidas e outras que necessitam, não o são. O correto é, ao chegar à cidade, procurar o irmão diácono que atende a região e entregar o que Deus preparou, para depois serem feitos os atendimentos com a Guia de Deus.

4 - FICHA DE APRESENTAÇÃO DE CASO (PRONTUÁRIO).

O preenchimento dessa ficha deve ser o mais correto possível, devendo, num


breve relato, constar os dados necessários sobre o necessitado, sobre a situação e sobre a causa da necessidade apresentada. Nessa ficha não deve constar se tem ministério, cargo ou função na Obra de Deus. Na ficha, a fim de não haver comprometimento fisico ou moral, também não deve constar se na familia existe a1guém que é viciado, marginal, de vida irregular, etc.

5 - PAGAMENTO DE DÍVIDAS.

Não é da competência da Obra da Piedade assumir compromisso para pagar dividas com internação hospitalar, prestação de aquisição de imóvel, aluguel, compra de veículo, impostos, consumo de água e luz, aquisição de utensilios domésticos, etc., quer seja de um simples irmão ou de irmão com ministério.

6 - SALÃO PARA COSTURA.

Não deve haver salão para costura nas dependências da Congregação, mas, apenas um local onde se cortam os tecidos e se faz a distribuição para as irmãs levarem para costurar em suas casas e, também, se recebe o que foi costurado. Nas congregações onde já se encontram instalados os salões, continua o funcionamento.

7 - DIÁCONOS E PORTEIROS QUE NÃO TRABALHAM (OU DESEMPREGADOS).

Na congregação que tiver um irmão diácono ou porteiro que não trabalha (ou esteja desempregado), sem condições de sobrevivência, este não deve ficar na porta recebendo coletas, a fim de evitar murmuração por parte da irmandade, com prejuízo para o resultado das coletas.

8 - RESPEITO.

Deve haver respeito e consideração mútua entre o irmão diácono e as irmãs da Obra da Piedade. As irmãs devem ser submissas ao diácono e este, por sua vez, não deve ser autoritário, mas tratar com respeito. Todos são servos de Deus. Em tudo deve prevalecer a humildade.

Admin
Admin

Mensagens : 1049
Pontos : 2451
Data de inscrição : 24/05/2009

http://oulorivallan.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Todos os tópicos de ensinamentos da CCB 1961em diante Até 2010

Mensagem por Admin em 25th Julho 2010, 4:20 pm

Tópicos de ensinamentos 1997 - 62 - Assembléia


CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL

TÓPICOS DE ENSINAMENTOS

62ª ASSEMBLÉIA - 1997

62ª ASSEMBLÉIA -1997 - RESUMO DE ENSINAMENTOS

SÃO PAULO - 25 A 28 DE MARÇO DE 1997

EM NOME DO SENHOR JESUS INICIARAM-SE ESTAS REUNIÕES COM ORAÇÃO.

Atencão: Somente os tópicos a seguir, assinalados com aste risco (*) deverão ser lidos nas congregações, perante a irmandade.

* 1 - PRESIDÊNCIA DOS CULTOS.

Quem preside nunca desce do púlpito antes de encerrar o culto. Seja qual for o servo que levante com a Palavra: Ancião, Diácono, Cooperador ou Cooperador de Jovens e Menores. Enquanto o que levantou prega, o que preside permanece sentado na cadeira.

* 2 - SANTA CEIA - LIBERDADE PARA A RECONCILIAÇÃO.

Exortar a irmandade, tempos antes, para que se reconciliem, para evitar que haja reconciliações no dia da Santa Ceia. Todavia, a liberdade para a reconciliação, mediante a Palavra, fica livre. Quanto aos minutos concedidos para reconciliação, antes da Palavra, devem continuar.

* 3 - FALSAS PROFECIAS - TESTEMUNHOS FANTÁSTICOS - ELEMENTOS EXPLORADORES.

Falsas profecias não devem ser admitidas nunca, em hipótese alguma, por causa dos estragos que têm provocado na Obra de Deus. Falsos profetas devem ser reprimidos. Não se deve permitir, também, testemunhos fantásticos que pretendam iludir e enganar a irmandade. Os servos devem se prevenir e advertir a irmandade contra elementos exploradores que querem tirar proveito do povo de Deus.

* 4 - DECALQUES COM TEXTOS BÍBLICOS.

Muitas pessoas colocam decalques com citações de textos bilicos nos veículos, mencionando o nome do Senhor Jesus e o nome de Deus. Não devem ser usados pela nossa irmandade.

* 5 - HINOS ESPECIAIS - NÃO CHAMAR EM TODOS OS CULTOS.

Para o bom andamento dos cultos é conveniente ensinar a irmandade que os hinos especiais para abertura, oração, Palavra e encerramento não devem ser obrigatoriamente chamados em todos os cultos. Caso contrário, a irmandade se limitará a cantar, sempre, somente os 35 hinos especiais e nunca cantará os 450 hinos que existem no hinário.

Devemos deixar a irmandade livre para chamar os hinos movida pelo Espirito

Santo e não por costume, obedecendo a uma tabela de poucos hinos, como vem sucedendo.

Também a irmandade deve ser aconselhada a não chamar sempre os mesmos hinos. Há muitos hinos gloriosos que nunca são cantados.

Há hinos exclusivos para santas ceias, funerais e encerramento que só devem ser cantados nessas ocasiões.

* 6 - INTIMAÇOES E COMUNICADOS OFICIAIS - TOMAR PROVIDÊCIAS A TEMPO.

Sempre que formos intimados a comparecer perante a justiça ou perante entidades governamentais por meio de intimações e comunicados oficiais, devemos atender dentro do prazo estipulado, para evitar que um eventual processo corra à revelia, com conseqüências danosas.

Quem não tiver noção do que se deve fazer procure um servo de Deus ou algum irmão que seja mais esclarecido, para que haja orientação.

Nunca se deve deixar de atender a intimações e comunicados oficiais.

* 7 - OPERAÇÕES CIRÚRGICAS - UNÇÃO.

Não há mandamento ou ensinamento determinando que os que vão passar por cirurgia devam ser previamente ungidos. Todavia, se quem vai ser operado solicitar a unção, podemos ungir.

O pedido de unção deve partir do enfermo. Em São Tiago, capitulo 5, versos 14 a 16, vem dito: "Está alguém dentre vós doente? Chame os presbíteros da igreja, e orem sobre ele, ungindo-o com azeite em nome do Senhor". Unge-se sempre sobre a testa, embora a enfermidade possa estar em qualquer região do corpo.

Em alguns casos, quando o servo de Deus sentir, pode oferecer e efetuar a unção. Em tais ocasiões, nota-se que o enfermo aguardava a confirmação por esse oferecimento.

Quanto a ungir estranhos à nossa fé, o servo deve ser guiado por Deus e fica sob sua responsabilidade.

* 8 - FUNERAIS NAS DEPENDÊNCIAS DA CONGREGAÇÃO.

Na Convenção de 1936 ficou estabelecido: "O serviço a ser feito em funerais, deve ser julgado de acordo com o momento. Todavia, não se deve levar o corpo na Casa de Oração, pois isto tomar-se-ia um hábito e imitação de costumes mundanos, que não se fundamenta na fé apostólica e na Palavra de Deus."

Deve-se utilizar os velórios disponiveis na localidade ou outra alternativa encontrada pela família.

Esta determinação é de caráter geral, aplicando-se tanto ao ministério, quanto à irmandade.

* 9 - BATISMOS - ANCIÃO QUE PRESIDE DURANTE O SERVIÇO DAS ÁGUAS - LEITURA DO ITEM 9º DOS ARTIGOS DE FÉ.

O Ancião que preside enquanto o outro Ancião realiza o batismo não deve ficar sentado. Deve ficar de pé, pois está presidindo no lugar do outro.

Quanto à leitura do item 9° dos artigos de fé, o Ancião que preside deve reco-

mendar aos que foram batizados para não se retirarem antes de ouvir os ensinamentos concernentes a esse item, que é de suma responsabilidade para os novos batizados.

* 10 - SAUDAÇOES COM A PAZ DE DEUS.

É conveniente corrigir o hábito de muitos irmãos que ao saudarem os servos de Deus acrescentam os seguintes tratamentos: “A Paz de Deus, servo!” ou “A Paz de Deus, ungido do Senhor!” ou “A Paz de Deus, querido!”.

Deve-se dizer: “A Paz de Deus, irmão Fulano de Tal”.

* 11 - ORGANISTAS - MANGAS DOS VESTIDOS E DAS BLUSAS.

As mangas dos vestidos e blusas das organistas devem ser de meia-manga para 3/4 de manga, ou manga comprida, para tocarem nas congregações. Nunca deverão usar mangas curtas.

ATENCÃO: OS TÓPICOS A SEGUIR SÃO SOMENTE PARA O MINISTÉRIO.

12. MUDANÇAS DE SERVOS.

Toda mudança de servos de Deus, Anciães, Diáconos e Cooperadores, em caráter definitivo ou missão temporária, deve passar, primeiramente por reunião ministerial da região e, depois, obter-se a concordância dos Anciães da localidade para onde pretendem mudar -se.

Deve-se saber por que razão pretendem mudar do lugar onde estavam. Após, cada caso será examinado pelos Anciães mais velhos de São Paulo ou do Estado a que pertençam, ou na reunião geral anual. Sendo aprovada a mudança, o servo irá com ministério. Se a mudança não for aprovada, irá sem ministério. Quem muda por conveniência, interesse próprio ou motivo financeiro, também irá sem ministério.

Deve ser considerado o caso de transferência por intermédio da firma onde o servo trabalha, se a mesma partiu da empresa ou a pedido do interessado. Os servos, segundo as escrituras, são ordenados para atender as congregações às quais pertencem.

13 - REUNIÕES MINISTERIAIS E ATENDIMENTOS DA OBRA DE DEUS EM TODO O BRASIL

Servos mais antigos de outros Estados poderão presidir e atender. Os Anciães mais antigos de cada Estado podem ser designados, conforme o disposto no § 10, do art. 36, do Estatuto. As reuniões ministeriais mensais e bimensais também poderão ser atendidas por servos de outros Estados.

14 - ORAÇÃO PARA NOVOS OBREIROS.

Irmãos não confirmados poderão ser reapresentados futuramente se conservarem o bom testemunho. Não guardaremos registros da não-confirmação. Livros e fichas porventura existentes devem ser incinerados. Casos de irmãos não confir-


mados ficarão no esquecimento dos demais Anciães.

Irmãos que transportam servos e os beneficiam com favores não devem, por esse motivo, ser apresentados para o ministério. O ministério não é dado por favores nem por amizade.

15 - REUNIÕES DE CASADOS.

Tivemos conselho do irmao Louis Francescon para não fazer reuniões de casados. Se em alguma região ainda fazem, devem ser admoestados a não repetir isso.

Se algum casal necessitar de algum esclarecimento, o servo de Deus poderá dá-lo, em particular, conforme Deus o guiar.

16 - APARELHOS DE TELEVISÃO.

Quem tem ministério não deve possuir. Entretanto, temos que ter todo o cuidado nas pregações, a fim de não atacar aparelho de divulgação e cultura do Governo. Também não se deve atacar computadores, nem denominações religiosas.

Temos que advertir o povo, mas pedir a guia de Deus. “Tudo é licito, mas nem tudo me convém", disse o Apóstolo São Paulo. E, noutra parte: “Conjuro-te que pregues a Palavra e instes a tempo e fora de tempo".

Não se deve orar para nenhum ministério na Obra de Deus se a pessoa tiver televisão.

17 - ORDENAÇÕES DE NOVOS OBREIROS.

A ordenação de novos obreiros compete aos Anciães bem antigos no Ministério, e não aos servos mais antigos da região. A autorização deve partir da reunião ministerial dos servos mais antigos.

18 - PREGAÇÕES AMEAÇANDO COM A MORTE.

Há servos que são costumeiros em ameaçar com a morte, nas pregações, sobressaltando e aterrorizando a irmandade. Alguns estipulam até a data para a morte de alguém. Tais pregadores devem ser advertidos e, se não se corrigirem deverão ser afastados do Ministério.

19 - PREGADORES DE PROMESSAS.

Há servos que só pregam promessas para a irmandade. Habituam-se a proceder desta maneira e não sabem apresentar outro assunto que não seja o de prometer libertações e bênçãos. Devem procurar se corrigir e deixar que o Senhor dispense para o Seu povo tudo o que for necessário para o seu crescimento espiritual.

20 - CARTAS ANÔNIMAS.

Cartas anônimas não merecem nossa atenção. Todas as cartas devem ter o nome, a assinatura e o endereço verdadeiros de quem escreve. Cartas anônimas não merecem crédito e devem ser inutilizadas. Não se deve perder tempo em lê-las.

Cartas que vão do Paraná para São Paulo e outros Estados, se tiverem nome, assinatura e endereço devem ser remetidas de retomo ao Ministério do Paraná ou de outros Estados de onde procederem. Se forem anônimas, devem ser inutilizadas.

21 - BATISMO DE AMASIADOS - PRECAUÇÕES.

Em muitas localidades certos servos têm seguido uma orientação diferente daquela que aprendemos, desde o princípio, quanto a batizar amasiados. Quando surgir um caso desses, os Anciães mais novos, principalmente, devem consultar os Anciães mais antigos, pois não convém assumir essa responsabilidade sozinhos.

22 - ENSAIOS REGIONAIS - PREGAÇÕES NÃO PROLONGADAS - ANCIÃES, DIÁCONOS E COOPERADORES NÃO REGEREM.

Os Anciães que presidem ensaios regionais de orquestras devem ter toda a prudência para fazer uma oração curta e não fazer pregações prolongadas da Palavra. Trata-se de ensaio musical com tempo limitado de duração, onde precisam ser apresentados aos músicos diversos assuntos concernentes à parte musical e devem ser ensaiados diversos hinos. O tempo, às vezes, nem é suficiente para expor tudo o que é necessário. Portanto, a oração e as pregações devem ser curtas.

Anciães, Diáconos e Cooperadores que foram encarregados regionais, de preferência não devem reger nos ensaios. Mesmo Anciães e Cooperadores que estão presidindo cultos não convém ficar regendo os hinos.

23 - ESTUDAR MÚSICA NOS PRESÍDIOS.

Irmãos que atendem reuniões de evangelização nos presídios ensinam música para os presidiários que são batizados e têm bom testemunho. Estes podem tocar nas reuniões nos presídios, ensinar música e, quando retornarem ao convivio da sociedade poderão passar por exame e tocar nos cultos.

O mesmo não acontece com irmãos que cometem crimes, perdem o testemunho e vão para os presídios. Estes não poderão tocar nas reuniões presidiárias e nem nos cultos, quando retornarem à liberdade.

24 - ADMINISTRAÇÃO: ASSEMBLÉIA GERAL ANUAL - CONVOCAÇÕES - APRESENTAÇÃO DE ADMINISTRADORES.

Na Assembléia Geral Ordinária, realizada anualmente, não se pede ao plenário a aprovação para o parecer do Conselho Fiscal mas, sim, a aprovação das contas apresentadas referentes ao exercicio em questão, mencionando-se que os documentos ficam à disposição de qualquer membro da Congregação para verificações.

Assembléias, depois de convocadas por edital em tempo hábil, não devem ser canceladas, exceto por motivo justificável, que impeça a sua realização.

Quanto à apresentação de irmãos para a Administração e Conselho Fiscal, é prudente consultar antes os administradores locais, para saber se aquele irmão tem um minimo de conhecimento para o exercicio do cargo e se a situação dele,


perante as leis e a sociedade, não tem qualquer irregularidade.

O pedido de confirmação da irmandade, com a palavra “amém”, por ocasião da eleição de membros da Administração ou do Conselho Fiscal, é de competência do Ancião que estiver presidindo.

Os administradores devem prestar colaboração sem pretender ultrapassar a decisão do Ministério de Anciães.

25 - REUNIÕES MINISTERIAIS - LAVRATURA DE ATAS.

Devem ser lavradas atas de todas as reuniões em que o ministério toma deliberações, para que as mesmas fiquem documentadas, com a assinatura de todos os participantes.

Nas reuniões em que sejam tratados assuntos reservados, envolvendo questões pessoais, quer sejam de familias ou de irmãos de ministério, devem participar somente o ministério, os envolvidos e testemunhas.

Outrossim, quando esses assuntos reservados forem tratados, deve ser lavrada uma ata em separado, da qual conste apenas esses casos, com a assinatura de todos os participantes. Não se deve misturar, em uma mesma ata, esses assuntos e os demais casos de rotina do ministério. Essas reuniões poderão ser secretariadas pelo irmão Secretário da Administração ou por um Ancião ou Diácono que tenha condições de fazê-lo. Nem sempre é possível lavrar-se a ata na hora e colher-se as assinaturas de todos os participantes no corpo do documento. Nesses casos, colhe-se as assinaturas dos participantes em uma folha própria, a qual ficará fazendo parte integrante da ata, após sua lavratura e aprovação.

Nas reuniões em que se ore para Cooperadores, Cooperadores de Jovens e Menores, irmãs para a Obra da Piedade e Administradores, devem participar somente os Anciães e Diáconos.

26 - ATAS DE REUNIÕES MINISTERIAIS - NÃO REMETER PARA OUTRAS LOCALIDADES.

Não se deve remeter cópias de atas de reuniões ministeriais para outras localidades. São documentos reservados que não devem sair da própria congregação onde foram lavrados. O sigilo dos assuntos consignados em uma ata de reunião ministerial não pode ser violado, pois envolve responsabilidade da Congregação.

27 - COMUNIDADE DE CRENTES NA FLORESTA AMAZÔNICA QUE NÃO SE CASAM POR NÃO HAVER CARTÓRIO E NEM REGISTRAM OS FILHOS.

Se em uma aldeia ou localidade, por extrema dificuldade de locomoção ou transporte, não for possível o casal que deseja ser batizado ir até o Cartório e o Escrivão também não tiver condições de comparecer ao local, deve-se esgotar todos os recursos para celebrar o casamento, mediante a remessa de documentos ao cartório, testemunhas e procurador constituido para essa finalidade especifica ou qualquer outro meio idôneo, legalmente aceito.

De qualquer forma, o servo não deverá envolver-se pessoalmente nessa questão. Só em um caso muito especial ele poderá atuar, por determinação do Juiz competente.

Esgotados todos os recursos e não sendo possível a regularização da situação do casal, o servo poderá fazer o batismo, deixando-os nas mãos de Deus. Nesse caso, deve-se alertá-los da responsabilidade que assumiram, de viver em união e não se separarem, mantendo a fidelidade.

28 - ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA NA CELEBRAÇÃO DO CULTO: DEVE SER REALIZADA APÓS A PREGAÇÃO DA PALAVRA.

Por ocasião da celebração do culto e Assembléia Geral Ordinária devemos dar início à Assembléia após a pregação da Palavra.

O procedimento na ordem do culto deve ser o seguinte:

Abre-se o culto e Assembléia Em Nome do Senhor Jesus. Canta-se um hino e ora-se a Deus. O servo que preside ora. Após a oração canta-se outro hino. Suprimem-se os testemunhos. Passa-se à pregação da Palavra.

Terminada a Palavra o Ancião convida a Administração e o Conselho Fiscal a subir ao púlpito. O Presidente da Administração declara aberta a Assembléia dando inicio aos trabalhos.

Terminada a Assembléia os Administradores e os membros do Conselho Fiscal descem do púlpito. O Ancião que preside encerra o culto.

TÓPICOS DO MINISTÉRIO DA OBRA DA PIEDADE

1 - ENDOSSAR - AVALIZAR - AFIANÇAR - EMPRESTAR.

Estes são compromissos que os irmãos Diáconos e os demais irmãos com ministério não devem assumir, a fim de poderem ter liberdade para cumprir o ministério. Tem havido ensinamentos a este respeito. Deve-se dar o devido valor, a fim de não se envolver nestes compromissos (mesmo sendo verbais) e depois encontrar-se em situações que prejudiquem o seu ministério. No capitulo 6 de Provérbios, versos 1 ao 5, há advertência contra o servir de fiador.

2 - REGER ENSAIOS MUSICAIS - FORMAR MÚSICOS - ESCALAR ORGANISTAS ASSUMIR CONSTRUÇÕES, REFORMAS, ETC.

Os irmãos Diáconos devem dedicar-se em servir a Deus no ministério para o qual foram ordenados, evitando assumir compromissos que prejudiquem o seu ministério, salvo se houver solicitação.

3 - ATENDIMENTOS MENSAIS.

Os irmãos Diáconos devem acompanhar diligentemente os atendimentos que estão sob sua responsabilidade, verificando a justa causa dos mesmos.

4 - CESTAS BÁSICAS.

Não convém fazer-se atendimentos com cestas básicas. O atendimento deve ser feito em reunião, com a revelação do Espírito Santo, em dinheiro (não com cheques), ou compras feitas em supermercados. Os irmãos Diáconos e as irmãs da Obra da Piedade devem tomar cuidado a fim de não mudar o sistema de vida da região.

5 - ATENDIMENTOS EM CALAMIDADES.

Todo e qualquer atendimento nesses casos, quer seja em dinheiro alou roupas, deverá ser remetido para os Diáconos que atendem a região. Não se deve carregar caminhão com mantimentos e roupas e ir fazer as entregas sem ter havido reunião e sem a presença do (s) irmão (s) Diácono (s) e das irmãs da Obra Pia que atendem o local da calamidade.

6 - ATENDIMENTOS DUPLICADOS OU TRIPLICADOS.

A fim de evitar atendimentos duplicados ou triplicados em uma região, em detrimento de outras regiões necessitadas, deve haver comunicação com as localidades regionais da Obra Pia.

7 - REGIÕES CARENTES.

Deve ficar acertado qual o irmão ou irmãos Diáconos que irão atender uma determinada região carente. Outros irmãos de ministério não devem percorrer as congregações solicitando auxílio, demonstrando falta de fé e confiança para com o Senhor Nosso Deus, que poderá prover além daquilo que está faltando. Só com deliberação em reunião ministerial poder-se-á solicitar cooperação da irmandade.

Toda irmandade deve e é livre para praticar a Caridade, mas deve ser doutrinada como praticá-la, afim de não transformá-la em obra material, revelando o homem e encobrindo Cristo.

Não se deve modificar os hábitos regionais de alimentação. Também não se deve ir pelas casas solicitando doações de roupas, calçados, dinheiro, ete., mas naquilo que Deus preparar, deverá informar-se com o irmão Diácono, de como proceder, a fim de não menosprezar os irmãos do ministério da Piedade daquela região.

8 - EXIGÊNCIAS.

Os irmãos Diáconos, notando as necessidades de uma região carente (roupas, calçados, etc.), devem expor as necessidades, sem exigências, e orar a Deus com fé, pois é dEle que provêm todas as coisas.

9 - DOAÇÕES DE IMÓVEIS.

Não é de responsabilidade dos Diáconos aceitar doações de imóveis. Essa responsabilidade é de competência dos irmãos Anciães e Administradores, em reunião ministerial, para consideração.

10 - INTERNAÇÃO EM HOSPITAL.

Os irmãos Diáconos devem estar atentos com os irmãos enfermos procedentes de outras localidades que, não encontrando vaga em hospitais públicos, são internados em hospitais particulares, conseqüentemente, sobrecarregam a irmandade com coletas para saldar a conta do hospital.

11 - VIAGENS PARTICULARES.

Irmãos Diáconos e irmãs da Obra da Piedade que desejam viajar particularmente para outras localidades, deverão ter o numerário suficiente, e não angariar frutos entre a irmandade, evitando hospedar-se em casas de nossos irmãos, pois, em muitas ocasiões os mesmos não possuem condições e em outros casos serve-se de empecilho para os irmãos irem trabalhar. Não se deve permanecer muito tempo viajando, em detrimento do ministério que Deus nos confiou. Também não se deve angariar roupas ou dinheiro entre a irmandade. Viagens em missão são aquelas apresentadas em reunião ministerial e aprovadas por Deus.

12 - COLETAS E AUXÍLIOS PARA VIAGENS.

A irmandade deve ser doutrinada a cooperar também para as coletas de viagens dos servos, expondo-se os serviços divinos que os mesmos irão atender em missão na Obra.

Os irmãos Diáconos, sabedores da viagem em missão de um servo, não devem dar somente o estritamente necessário para a viagem.

13 - APRESENTAÇÃO DE IRMÃS CONFIRMADAS PARA O MINISTÉRIO DA PIEDADE.

Quando, em reunião ministerial, Deus confirmar uma irmã para o ministério da Piedade, um dos Diáconos que atende aquela localidade deverá reunir o ministério local, as demais irmãs que já exercem esse ministério e fazer a apresentação dessa irmã, expondo a ela a responsabilidade que está assumindo perante Deus, na presença de seu esposo que também deverá participar dessa reunião.

Esta irmã, entretanto, não deverá ser apresentada diante do povo.

14 - APRESENTAÇÃO DE IRMÃOS PARA PORTEIROS.

É de responsabilidade dos irmãos Diáconos a apresentação, ao ministério, de irmãos para porteiros, os quais não devem ser neófitos (novos na fé), nem estar desempregados, etc.

Admin
Admin

Mensagens : 1049
Pontos : 2451
Data de inscrição : 24/05/2009

http://oulorivallan.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Todos os tópicos de ensinamentos da CCB 1961em diante Até 2010

Mensagem por Admin em 25th Julho 2010, 4:21 pm

Tópicos de ensinamentos 1998 - 63 - Assembléia


CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL

TÓPICOS DE ENSINAMENTOS

63ª ASSEMBLÉIA - 1998

63ª ASSEMBLÉIA - 1998 - RESUMO DE ENSINAMENTOS

SÃO PAULO - 08 A 10 DE ABRIL DE 1998

EM NOME DO SENHOR JESUS INICIARAM-SE ESTAS REUNIOES COM ORAÇÃO.

Atencão: Somente os tópicos a seguir, assinalados com aste risco (*) deverão ser lidos nas congregações, perante a irmandade.

* 1 - PROFECIAS - REVELAÇÕES - ORAÇÕES.

Ultimamente tem surgido muita correria do povo atrás de profecias, revelações, orações exageradas e espírito de adivinhação que se espalhou por toda a parte, e a Palavra pregada nas congregações vem sendo posta em segundo lugar.

Muitos são enganados por falsas profecias e têm sofrido transtornos materiais e espirituais irreparáveis.

Exortamos a irmandade a voltar à simplicidade que sempre tivemos desde o princípio, de buscar a Santa Palavra para saber a vontade do Senhor, terminando com correrias à procura de outras respostas.

Os prudentes aceitarão estes conselhos e obedecerão. Os que não atenderem serão chamados pelo Ministério e exortados severamente, podendo até perder a liberdade na Igreja.

* 2 - MÚSICOS DA CONGREGAÇÃO - ORQUESTRAS SINFÔNICAS.

Os irmãos que foram chamados a esta graça e já pertenciam a qualquer corporação musical, e os que já estão nessa condição, poderão permanecer nessa função.

Os irmãos que aprenderam a música para louvar a Deus e estão tocando nas congregações, não devem ingressar em orquestras ou corporações alheias à Congregação. Estes irão se colocar debaixo de um jugo que os obrigará a tocar em lugares não licitos, como festas mundanas e cerimônias perante ídolos, falta grave diante de Deus, que lhes acarretará sérias conseqüências. Além disso, após as cerimônias poderão surgir convites para freqüentar outros ambientes que não são próprios para o crente.

O Histórico e Instruções sobre as Orquestras nas Congregações voltará a ter esse ensinamento.

Outrossim, há irmãos encarregados que organizam orquestras sinfônicas com músicos da Congregação e fazem apresentações, em vários Estados do Brasil. Delibera-se que esses irmãos deverão optar: ou ficam com a orquestra e param de tocar na Congregação, ou param definitivamente com a orquestra e continuam tocando na Congregação.

* 3 - ENSAIOS REGIONAIS - SÓ UM ENCARREGADO REGE.

Em muitos ensaios regionais um encarregado marca o atendimento mas comparecem vários regionais. Somente o que marcou o atendimento deve reger. Não deve haver revezamento na regência de ensaios regionais, a não ser por motivo de enfermidade ou força maior.

* 4 - ORGANISTAS.

As irmãs organistas revezam-se para tocar durante as rodadas da Santa Ceia, nos ensaios e durante o serviço das águas nos batismos. Nos cultos normais, não há revezamento de organistas.

* 5 - CUIDADO COM LIVROS SACROS.

Bíblias, Hinários e outros que contém ensinamentos sacros, não tendo mais condições de uso, devem ser devolvidos à Congregação e alí terão o seu destino. Havendo possibilidade, serão recuperados; caso contrário, serão incinerados (queimados) conforme ensinamento antigo.

* 6 - ORAR TODAS AS VEZES QUE FOR NECESSÁRIO COLOCAR COOPERADOR DO OFÍCIO MINISTERIAL.

Deverá ser orado sempre que for necessário colocar um Cooperador do Ofício Ministerial, mesmo que seja o próprio Cooperador de Jovens e Menores. Quando, por alguma circunstância, o Cooperador de Jovens e Menores ficar atendendo a obra, deverá ser alertado de que é em caráter provisório, até que Deus levante um Cooperador oficial.

* 7 - ASSEMBLÉIAS GERAIS ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA DURANTE A CELEBRAÇÃO DO CULTO - DEVEM SER REALIZADAS ANTES DA PREGAÇÃO DA PALAVRA - RECONSIDERAÇÃO DO TÓPICO DE 1997.

Pareceu bem aos servos de Deus reconsiderar o tópico do Resumo de Ensinamentos da Assembléia de 1997 e determinar que as Assembléias Gerais Ordinária e/ou Extraordinária voltem a ser realizadas durante o horário reservado aos testemunhos, antes da Palavra.

* 8 - CARTAS DE APRESENTAÇÃO.

Cartas de apresentação não devem ser lidas perante a irmandade. São só para o ministério.

* 9 - FAZER VOTOS - PRECAUÇÕES.

Fazer votos e pagar diante de Deus é bíblico. O que a irmandade não deve é fazer voto para pagá-lo todas as vezes que for pela primeira vez a uma congregação. O Senhor não requer isso do seu povo, basta pagar o voto uma vez, podendo o mesmo ser contado em outras ocasiões, quando Deus fizer sentir, bem como, as maravilhas, libertações e outras obras.

Quem já fez o voto para pagá-lo em todas as congregações em que for pela primeira vez, fica desobrigado desse compromisso.

* 10 - COLETAS PARA IRMÃOS QUE TESTEMUNHAM.

Não se deve fazer coletas nos cultos pelo motivo de irmãos testemunharem contando misérias, alegando pobreza da irmandade, alegando não ter condi


ções para poder construir ou atender outras necessidades. Muitos irmãos deixam abandonadas as suas regiões, os seus trabalhos, as suas famílias, e permanecem muito tempo viajando e testemunhando. Todas as necessidades da Obra de Deus devem ser apresentadas em reunião ministerial para consideração. Se Deus confirmar, então se dará ciência à irmandade. A irmandade deve ser doutrinada a não cooperar diretamente para os que assim testemunharem, mas aquilo que sentirem, devem colocar nas coletas.

* 11 - ALDEIAS INDÍGENAS

A irmandade que está tendo contato com aldeias indígenas deve saber que, pelas Instruções Normativas elaboradas pela Fundação Nacional do indio, é terminantemente proibido mudar os usos e costumes dos índios.

Aqueles que estão tendo contato com os índios deverão apenas permanecer na apresentação da Doutrina de Jesus Cristo, sem impor mandamentos. Outrossim, não devem fazer coletas e devem evitar de pedir ou receber dádivas. Só poderão adentrar nas aldeias indigenas aqueles que tiverem autorização dos irmãos anciães que atendem a região.

ATENCÃO: O TÓPICO A SEGUIR É SOMENTE PARA O MINISTÉRIO.

12 - PROFECIAS - REVELAÇÕES - ORAÇÕES.

Há servos que apoiam e muitos até se envolvem com movimentos de profecias, revelações e orações. Os que assim procederem, serão chamados em reunião no Brás ou nas reuniões regionais, nos demais Estados, onde receberão a sentença. Se houver necessidade de uma punição severa, como a perda do ministério, esta deverá ser previamente submetida ao Conselho dos irmãos Anciães mais antigos que atendem a região. Temos que ser os primeiros a dar o exemplo para a irmandade.

TÓPICOS DA OBRA DA PIEDADE E VIAGENS MISSIONARIAS

1 - COLETAS.

Deve-se permanecer nos ensinamentos que foram transmitidos há muitos anos, respeitando o Estatuto, que determina que "as ofertas e coletas são voluntárias e anônimas". Portanto, não se deve forçar a irmandade, nem estabelecer importâncias, nem fazer marcação de nomes para compromissos futuros e nem distribuir envelopes para outras coletas, além da coleta especial quadrimestral para compra de terrenos, determinada há longos anos. Também não se deve desvirtuar os frutos, mas respeitar o sentimento de cooperação da irmandade.

As coletas para construções e compra de terrenos são de responsabilidade da Administração; quanto às demais coletas, a responsabilidade é dos irmãos diáconos.

2 - COLETAS PARA IRMÃOS QUE TESTEMUNHAM.

Não se deve fazer coletas nos cultos pelo motivo de irmãos testemunharem


contando misérias, alegando pobreza da irmandade, alegando não ter condições para poder construir ou atender outras necessidades. Muitos irmãos deixam abandonadas as suas regiões, os seus trabalhos, as suas famílias, e permanecem muito tempo viajando e testemunhando. Todas as necessidades da Obra de Deus devem ser apresentadas em reunião ministerial para consideração. Se Deus confirmar, então se dará ciência à irmandade. A irmandade deve ser doutrinada a não cooperar diretamente para os que assim testemunharem, mas aquilo que sentirem, devem colocar nas coletas.

3 - VIAGENS MISSIONARIAS.

Viagens missionárias, são aquelas que nas reuniões ministeriais foram apresentadas a Deus em oração e confirmadas. Os irmãos, ao receber o envelope com a importância para as despesas, deverão conservá-lo em boa condição, pois nele devem ser relacionadas as despesas e nele devem ser colocados os comprovantes de compras de passagens, combustível, lanches, refeições; pagamento de hotéis, pedágios, etc., para comprovação perante a lei.

A região de onde o servo atende é responsável pela manutenção do mesmo nas viagens, nacionais ou internacionais.

Nas Reuniões Ministeriais Regionais, os irmãos diáconos devem mostrar a necessidade de serem feitos seguros para os servos que viajam em missão ministerial ou material, que cobrirá as eventuais despesas de socorro médico, hospitalar ou remoção.

4 - REUNIÕES DE ATENDIMENTOS.

Localidades pequenas, que não ofereçam condições para um bom atendimento, embora tendo irmão diácono local, devem ser agregadas a uma localidade maior, desde que não seja uma grande distância, pois assim serão mais irmãos diáconos para juntos considerarem os casos.

As reuniões de atendimentos devem ser realizadas durante o período diurno e jamais no período noturno. Várias considerações foram feitas a respeito de reuniões realizadas à noite e encontrou-se muitos inconvenientes. Deve-se atentar para esta obediência e não somente para a nossa comodidade.

Em cidades que têm apenas 2 ou 3 congregações, não se justifica uma reunião regional.

5 - APRESENTAÇÃO DE IRMÃOS PARA DIÁCONOS, IRMÃS PARA A OBRA DA PIEDADE, PORTEIROS E COMODATARIOS.

Os irmãos anciães e diáconos devem estar unidos na consideração para apresentação de irmãos para Diáconos, a fim de evitar que sejam apresentados irmãos neófitos, que não trabalham ou estejam com dificuldade financeira, que sejam de outras localidades, ou tenham algum problema que as impeça de exercer o cargo.

Para apresentação de irmãs para a Obra da Piedade, os irmãos Anciães e Diáconos também deverão estar unidos na consideração, a fim de evitar que sejam apresentadas irmãs sem o dom, neófitas, novas na idade, muito idosas, que tenham filhos menores que as impeçam, que sejam de outras localidades, desquitadas, que o esposo é ciumento ou não pertença a esta Fé.

Para apresentação de irmãos para porteiros ou comodatários, os irmãos anci


ães, diáconos e cooperadores também deverão estar unidos para consideração, a fim de evitar que sejam apresentados irmãos neófitos, que não trabalham embora podendo trabalhar, que estejam com dificuldade financeira, que sejam de outras localidades ou tenham algum problema que os impeçam de exercer o cargo.

6 - ESCRITURAÇÃO DA OBRA DA PIEDADE E VIAGENS.

Está sendo confeccionada a quarta edição atualizada do Manual de Escrituração da Obra da Piedade e Viagens Missionárias que será enviado para todas as localidades que, obrigatoriamente, devem fazer a escrituração.

Os irmãos diáconos são os responsáveis por todo o movimento, devendo fazer o acompanhamento diligentemente. Se o irmão diácono não tiver conhecimento para fazê-lo, deverá solicitar a cooperação de um irmão da Administração.

Todo movimento bancário deverá ser feito em conta separada, em nome da Congregação, com procuração a favor de três irmãos, se possível que sejam diáconos, levando sempre duas assinaturas, não sendo permitido o uso de cartões magnéticos, quer sejam de bancos, ou de firmas.

Toda documentação, livros, talões de cheques, ete., devem ficar na congregação, e não em casa de irmãos. Os frutos também não devem ser levados para casa, mas depositados diretamente no banco.

Periodicamente serão feitas verificações nas escritas, devendo ser apresentados os documentos, o modelo P-18, o extrato bancário, a verificação do saldo em caixa, e os livros de coletas; nessas ocasiões, deverão estar presentes os Anciães, os Diáconos e os Administradores da região.

7 - ALDEIAS INDÍGENAS.

A irmandade que está tendo contato com aldeias indígenas deve saber que, pelas Instruções Normativas elaboradas pela Fundação Nacional do Índio, é terminantemente proibido mudar os usos e costumes dos índios.

Aqueles que estão tendo contato com os índios deverão apenas permanecer na apresentação da Doutrina de Jesus Cristo, sem impor mandamentos. Outrossim, não devem fazer coletas e devem evitar de pedir ou receber dádivas. Só poderão adentrar nas aldeias indígenas aqueles que tiverem autorização dos irmãos anciães que atendem a região.

8 - PORTEIROS.

Deve-se limitar o número de irmãos porteiros numa mesma congregação, ao estritamente necessário, observando-se o número suficiente para que haja condições de revezamento entre eles.

Deve-se evitar, ao máximo, a colocação de irmãs para atender a portaria.

Admin
Admin

Mensagens : 1049
Pontos : 2451
Data de inscrição : 24/05/2009

http://oulorivallan.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Todos os tópicos de ensinamentos da CCB 1961em diante Até 2010

Mensagem por Admin em 25th Julho 2010, 4:23 pm

Tópicos de ensinamentos 1999 - 64 - Assembléia


CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL

TÓPICOS DE ENSINAMENTOS

64ª ASSEMBLÉIA - 1999

64ª ASSEMBLÉIA -1999 - RESUMO DE ENSINAMENTOS

SÃO PAULO - 31 DE MARCO A 02 DE ABRIL DE 1999

EM NOME DO SENHOR JESUS INICIARAM-SE ESTAS REUNIÕES COM ORAÇÃO

Atencão: Somente os tópicos a seguir, assinalados com aste risco (*) deverão ser lidos nas congregações, perante a irmandade.

* 1 - SANTA CEIA - AGRADECIMENTO

Alguns irmãos e irmãs, após participarem da santa ceia, ao retornar aos seus lugares ajoelham-se para agradecer a Deus e depois sentam. Não há necessidade de se agradecer individualmente, porque no final do serviço se agradecerá coletivamente.

* 2 - BUSCAR OS DONS DE DEUS

O ministério deve exortar a irmandade a buscar mais os dons de Deus e a Promessa do Espírito Santo com evidência de novas línguas. Quando Deus fizer sentir a quem estiver presidindo, na última oração a irmandade poderá ficar um pouco mais de tempo ajoelhada (não em todos os cultos, mas periodicamente), aguardando a promessa do Espírito Santo com evidência de novas línguas e os demais dons de Deus.

* 3 - RECEBIMENTO DO ESPÍRITO SANTO E BATISMO COM O DOM DE LÍNGUAS

Ao aceitarmos a fé em Cristo o Espírito Santo se manifesta em nós e, enquanto formos fiéis, permanece conosco para operar a nova vida debaixo da graça e consolar-nos até a vinda do Senhor Jesus. Quem crê já recebe o Espírito Santo, embora não tenha ainda o dom de línguas.

Nenhum crente, andando em sinceridade de coração, deve pensar que não tem o Espirito Santo, nem deve pensar que não está salvo só porque não foi batizado com o dom de linguas, que é um dos muitos dons do Espírito, pois pelo Espírito Santo uns têm ministério, outros sabedoria na palavra, outros têm a ciência, outros a fé, dom de cura, maravilhas, discernimento, outros as línguas, outros a interpretação delas (I Aos Corintios, 12, v. 5 ao 11), mas o penhor do Espírito Santo está em todos para recebermos a vida eterna, no reino de Deus.

* 4 - SERVIÇO DIVINO NO FUNERAL À NOITE

O serviço divino no funeral deverá ser iniciado mais ou menos uma hora antes do sepultamento, seja ele realizado de dia, ou seja à noite. O que deve ser anunciado, para a irmandade, é o horário da saída do enterro.

* 5 - VISITAS - CUIDADOS

É necessário usar de prudência ao se frequentar casas quando as irmãs se encontram sós, assim como não se deve viajar a sós com elas, salvo em casos muito excepcionais.

Em geral não se deve tomar qualquer confiança pessoal entre irmãos e irmãs; os irmãos devem se portar varonilmente na Igreja e nos minimos atos de sua vida.

* 6 - CARAVANAS PARA BATISMOS, REUNIÕES PARA MOCIDADE, ETC.

À vista das graves ocorrências que têm havido com caravanas para batismos, reuniões para mocidade, etc., o ministério delibera que não se façam locações de ônibus ou outros veículos para essa finalidade. Se alguém o fizer, nunca deverá mencionar o nome da Congregação em qualquer contrato, escrito ou verbal, mas deverá assumir, individualmente, toda a responsabilidade.

É vedado aos irmãos de Ministério e Administração se envolverem com caravanas ou divulgá-las entre a irmandade.

* 7 - MANDAMENTOS

No meio da irmandade vêm surgindo determinações que não se ajustam à Palavra de Deus. Uns proibem o uso da bicicleta dizendo ser uma transgressão; hoje em dia, com a condução difícil e cara é comum mesmo irmãs utilizarem a bicicleta para se locomover, o que não é condenável.

Outros obrigam crianças a se batizar ao atingir a idade de doze anos. Obrigar a batizar é uma coisa errada. É necessário sempre esperar a conversão da pessoa para que ela possa entender o que vai fazer. Muitas vezes pessoas se batizam e não são convertidas, o seu fim é o abandono da graça.

Não devemos proibir nem falar de batismos em tais casos, é necessário que venha da própria criança. Embora se diga que a criança não tem entendimento devemos deixá-la nas mãos de Deus, porque d'Ele é a obra, a Ele compete operar. Muitas vezes a criança não entende a voz de seus pais, porém, entende a voz de Deus em seu coração.

Também as saias longas ou largas não são condenáveis, o que deve ser condenado são os vestidos que mostram os contornos do corpo e as roupas feitas com tecidos transparentes.

* 8 - CERIMÔNIAS DE CASAMENTO SIMULADAS

Está se espalhando entre os noivos, no meio da irmandade, o seguinte comportamento: querendo economizar a taxa de comparecimento do juiz e escrevente ao salão da festa, casam-se no cartório, geralmente na parte da manhã. Depois, perante os convidados, na hora da festa simulam a cerimônia de casamento feita pelo Juiz e escrevente. Um irmão, acompanhado por uma irmã que se faz de escrevente, faz-se passar por juiz e lê os autos do casamento, declarando o noivo e a noiva casados.

Isto é uma atitude estranha, baseada na mentira, fazendo todos acreditarem que o juiz esteve presente. Os servos de Deus devem orientar os moços e moças, nas reuniões para a mocidade, a não agir desta maneira falsa. Somos povo da verdade e a verdade deve predominar em nossa vida. Tal procedimento deve cessar.

Outrossim, tornamos a lembrar que nas festas de casamento pode ser tocada apenas a marcha nupcial.

* 9 - TELEFONE CELULAR - DESLIGÁ-LO EM REUNIÕES MINISTERIAIS E DEMAIS SERVIÇOS DIVINOS

Irmãos que possuem telefone celular ou outros aparelhos similares, ao entrar nas congregações devem desligá-los durante os santos serviços, bem como todos os servos que freqüentam as reuniões e demais serviços sagrados.

* 10 - SAUDAÇÃO COM O ÓSCULO

A Palavra de Deus determina a saudação com o ósculo. Não devemos imitar os costumes do mundo, dando mais do que um ósculo. O ósculo deve ser dado entre irmãos (irmão com irmão) e entre irmãs (irmã com irmã).

Há casais de namorados que se beijam antes de entrar na reunião ou no culto e também ao término do mesmo.

Esses procedimentos não estão de acordo com os ensinamentos que sempre tivemos desde o princípio. São costumes mundanos que devem ser eliminados.

* 11 - ALDEIAS INDÍGENAS

Conforme tem sido amplamente divulgado pela imprensa escrita, falada, e demais meios de comunicação, a visita de pessoas não credenciadas nas aldeias indígenas, tem causado muitos transtornos, alterando hábitos e costumes, infringindo as leis de proteção ao indio. Alguns religiosos, saindo fora dos princípios de evangelização, pedem aos índios objetos de artesanato e outros mais, para beneficio próprio.

Somente a presidência da FUNAI é que pode conceder permissão para ingresso em terras indígenas no país. Embora em várias aldeias haja a Obra de Deus, todavia, a irmandade deve abster-se de fazer visitas, deixando isso a cargo dos servos já designados para essa finalidade, a fim de evitar que a Congregação venha a sofrer restrições de evangelização, como tem acontecido com algumas denominações religiosas.

Outrossim, não se pode fazer coleta em aldeias indígenas. É proibido pela FUNAI.

* 12 - QUADRO DA CONSTITUIÇÃO DA IGREJA DE DEUS

Em reunião ministerial de Anciães de todo o Brasil, deste ano, deliberou-se por aprovação unânime remover esse quadro de nossas casas de oração.

Essa resolução é tomada devido à revelação que o Senhor deu ao seu servo, irmão Louis Francescon, de que os únicos dizeres que devem constar nas casas de oração, são estes: "EM NOME DO SENHOR JESUS".

Os dizeres do quadro serão tirados, também, da contra-capa do livreto de nosso Estatuto.

ATENÇÃO: OS TÓPICOS A SEGUIR SÃO SÓ PARA O MINISTÉRIO.

13 - REUNIÕES GERAIS A PARTIR DO ANO 2000- DATAS

A partir do ano 2000 voltarão a ser realizadas as reuniões com os anciães mais antigos de todo o Brasil na segunda e terça-feira da semana da Assembléia. Outrossim, será suprimida a reunião do mês de janeiro, com os anciães mais antigos de todo o Brasil.

14 - ANCIÃO QUE PRESIDE A SANTA CEIA

O ancião que estiver presidindo a santa ceia na sua comum congregação, não deverá descer do púlpito para participar, a fim de que o serviço não fique sem presidência. Deverá participar ajoelhado, de cima do púlpito, ao final do serviço, com os dois servos que estiverem servindo (estes dois participarão em baixo, junto da mesa).

15 - SANTA CEIA - CONSIDERAÇÕES GERAIS

Não se realizam santas ceias na parte da manhã. Só à tarde ou à noite, dando-se preferência aos sábados, domingos e feriados. A santa ceia se faz com um só pão, que deve ser partido com a mão, em pedaços não muito grandes.

Quem chama os hinos é o ancião que preside. Os seis primeiros hinos devem ser chamados na ordem em que estão no indice do Hinário. Os demais, que são para as rodadas, podem ser chamados alternadamente.

O servo que vai distribuir o pão ora só pelo pão, e o que vai distribuir o cálice ora só pelo cálice. Ambos pedem que Deus abençoe o que estão apresentando. Ao servir o cálice, procurar girar e, ao término de cada rodada, limpar as bordas com o pano de uma maneira discreta.

Quem serve a santa ceia são os servos da congregação local. Se houver dois anciães, ambos servem. Se houver um só ancião, o cooperador serve junto. Se não houver ancião o cooperador serve com o diácono. Em um caso excepcional, não havendo outro servo, o cooperador de jovens e menores poderá servir.

A liberdade para as reconciliações deve ser dada antes da Palavra e não depois, perdurando essa liberdade até o fim das rodadas.

16 - CUIDADOS NA CELEBRAÇÃO DA SANTA CEIA

Há certos cuidados que devem ser observados pelos servos que vão atender as santas ceias. Quando o ancião que vai presidir chega, antes de iniciar o serviço deve primeiramente verificar se está tudo em ordem sobre a mesa: o pão, o cálice e a jarra com vinho. A jarra já deve estar com vinho dentro. O vinho deve ser vinho tinto, feito de uva.

Quanto ao pão, tem que ser um só, pois representa o corpo do Senhor Jesus.

Só depois de constatar que está tudo em ordem é que deverá ser iniciado o serviço.

Somente os de 12 anos para cima, batizados nas águas, poderão participar da santa ceia. Os menores de 12 anos não devem participar, mesmo que sejam batizados nas águas.

17 - APRESENTAÇÃO DE DIÁCONOS PARA ANCIÃES

Já há algum tempo vem se observando a facilidade com que, atualmente, estão sendo apresentados irmãos diáconos para o ministério de ancião. Isso não de-

ve ser feito. Se Deus colocou um irmão como diácono, devemos deixá-lo nesse ministério. Só num caso excepcional e, mesmo assim, tem que ser muito bem considerado antes de se levar para orar. E quem é diácono não deve ficar esperando ir para ancião, mas deve permanecer no lugar onde o Senhor o colocou e trabalhar com o dom que Deus lhe deu.

Portanto, quando for necessário apresentar algum irmão para o ministério, devemos examinar bem o dom que está nele.

18 - COMPUTADORES E INTERNET

Chegou ao conhecimento do ministério que alguns pregadores estão criticando a utilização de computadores e da Internet. Não há razão e nem conveniência de se fazer qualquer comentário a respeito. Nosso dever é pregar Jesus Cristo e não criticar coisas que muitos nem sabem exatamente o que significam. .

Outrossim, ainda há servos pregando que o homem não chegou à lua. Não podemos pregar essas coisas absurdas, que não têm qualquer fundamento. Temos que ficar na doutrina do Senhor Jesus para que a Obra de Deus não seja criticada, pois estamos sendo vigiados e observados constantemente.

19 - BATISMOS - QUANDO NINGUÉM SE APRESENTAR PARA SER BATIZADO

Tendo sido orado para a realização de batismo em determinada localidade e constatando-se que não haja ninguém para ser batizado, o ancião deve entrar na água, cumprindo sua missão. Se realmente não comparecer ninguém, cantam-se alguns hinos, podendo-se fazer alguma exortação, após, comunica-se à irmandade o ocorrido e o ancião sai da água, encerrando o serviço com uma oração de agradecimento a Deus.

Os pedidos de batismos somente deverão ser levados para orar quando houver testemunhados realmente convertidos, que queiram obedecer a esse santo mandamento.

20 - ORAÇÃO NAS ÁGUAS DO BATISMO

A oração que é feita no inicio do batismo, dentro do tanque, é com imposição da mão sobre a cabeça da primeira pessoa a ser batizada. Nunca devemos alterar alguma coisa na obra, sem que seja pela comunhão do ministério. Tenhamos cuidado para não alterar o que Deus nos ensinou através dos anciães primitivos.

21 - DISCERNIR E ACATAR O DOM DE DEUS EM CADA CONSERVO

Diversos são os dons pelo Espírito Santo. Devemos discernir qual dom está em cada conservo, isto é, qual a sua aptidão dada pelo Senhor para realizar trabalho espiritual na Obra de Deus, a fim de evitarmos por tropeços à operação dos dons, movidos por algum sentimento carnal, tal como inveja, ciúmes, ambição ou vanglória, privando assim a irmandade do beneficio que aquela dispensação de Deus produziria.

22 - HONRAR O CARGO MINISTERIAL - SIGILO

Compete sempre aos servos de Deus, anciães, diáconos e cooperadores, zelar pela honra do próprio ministério. Acima de tudo devemos ser sigilosos. O que se passa nas nossas reuniões não devemos contar a quem não pertença ao ministério. Quem manifesta e revela o que deve ser mantido em sigilo não honra o ministério de que faz parte. Mesmo os companheiros de viagem não devem ser informados de particularidades das nossas reuniões. O que é para os anciães, diáconos e cooperadores não é para os companheiros de viagem, ou outros irmãos. Muitos ficam sabendo o que não deveriam saber por culpa de quem não honra o seu ministério e o ministério dos demais conservos.

Convém, também, honrarmo-nos uns aos outros. Quando um servo cometer involuntáriamente algum equivoco na pregação e outros o alertarem quanto ao erro, permitam que ele próprio desfaça o engano perante a irmandade, na mesma ocasião ou posteriormente. Não convém que outro esclareça o engano diante do povo, pois assim procedendo estaremos desmoralizando o servo que se equivocou. A própria pessoa deve desfazer o erro perante todos. Assim procedendo, ela crescerá ainda mais no conceito de toda a irmandade.

23 - CALENDÁRIOS DE REUNIÕES MINISTERIAIS REGIONAIS E LISTA DE BATISMOS

O ministério tomou conhecimento de calendários de reuniões impressos por congregações de localidades do interior do Estado de São Paulo e de outros Estados, nos quais constam os nomes e endereços de encarregados de orquestras regionais e locais, irmãos porteiros, irmãos encarregados de serviços de manutenção, comodatários, etc. Não é necessário e nem conveniente esse procedimento. Esses calendários regionais devem limitar-se às datas e horários das reuniões. Excepcionalmente em alguma região onde haja pequeno número de servos, poderão ser colocados os nomes e telefones dos irmãos anciães, diáconos e cooperadores.

Também as listas de Batismo devem conter somente o essencial, a saber: Batismos - Santas Ceias - Reuniões da Mocidade - Ensaios Regionais - Viagens Abertura, Fechamento e Reabertura de Casas de Oração - Aumento ou mudança de dias e horários de cultos - Coletas - Reuniões.

Nas Listas de Batismo não devem ser colocados, em hipótese alguma, nomes de servos que vão em visita às congregações, nomes de irmãos ou irmãs que receberem cargo ou ministério e nem o nome de irmãos que perderem a liberdade na Congregação.

24 - CONSTRUÇÕES SUNTUOSAS E EXTRAVAGANTES

Compete aos irmãos anciães da localidade ou que atendem a região orientar aos demais irmãos, tanto da parte administrativa como do departamento de construções, para que evitem construir casas de oração com linhas cheias de ornatos, com suntuosidade ou em formato extravagante, fora dos padrões da Congregação Cristã no Brasil.

Nenhum servo ou administrador pode fazer qualquer alteração na construção contrariando o que está no projeto aprovado pela Prefeitura. Isso acarretará prejuízo ao engenheiro que assina a planta, podendo até comprometê-lo profissionalmente.

Outrossim, é suficiente que o prédio possa acomodar a irmandade. Não se de-

ve fazer casas de oração excessivamente grandes, pois isso encarece demasiadamente a construção.

Antes de se aprovar a planta da construção, deverá ser submetida à apreciação do ministério em reunião.

A lei exige que se obtenha o "HABITE-SE" antes de se abrir uma casa de oração.

25 - AVAIS DE FAVOR EM TITULOS

Muitos irmãos avalizam notas promissórias e fazem empréstimos. Outros, ocupando cargos de anciães ou cooperadores pedem a irmãos de certas posses para que lhes avalizem titulos. Os, irmãos, nada querendo negar ao ancião ou cooperador, avalizam e depois ficam em aflição se, porventura, o compromisso não for saldado no vencimento.

Os servos de Deus não podem se prevalecer do cargo que ocupam para pedir favores à irmandade. Façamos nossos negócios de conformidade com nossas possibilidades.

26 - EMPRÉSTIMO DE DINHEIRO

Nós somos servos de Deus e sabemos que o povo nos estima. Às vezes, em nossas necessidades e apertos da vida, muitos são os irmãos que nos oferecem empréstimos ou se dispõem a nos auxíliar. É necessário muito cuidado nessa parte pois, às vezes, vão se avolumando as dividas e quando a pessoa se apercebe já está em situação difícil, da qual não consegue sair.

A melhor cousa para nós é passar as provas sozinhos, deixando o povo em paz. Assim, não esperemos ajuda do homem. Peçamo-la ao Senhor.

Outrossim, os servos do ministério não devem ser fiadores de ninguém.

27 - SERVOS COM DIVIDAS

Se houver reclamações contra servos que se achem em situação de dividas insolúveis, não podendo pagá-las, deverão eles submeter-se ao conselho de anciães, quando tais casos serão julgados.

28 - BATISMOS EM PRESIDIOS

Esses batismos são geralmente autorizados pelos diretores dos presídios. Assim, não devemos colocar esses batismos nas listas, nem anunciar nas congregações, fazendo tudo com a necessária reserva, indo o ancião acompanhado do cooperador ou de mais alguns irmãos, se houver oportunidade. Nunca se deve marcar o batismo sem antes tratar com o diretor do presídio, pois ele é quem determina e autoriza o dia para realizá-lo.

29 - RESPEITO AOS SERVOS DE DEUS - CHOCARRICES

Brincadeiras e chocarrices não ficam bem para os servos de Deus, para aqueles que tem o ministério outorgado por Deus. O servo deve ser respeitado para que, quando o Senhor lhe der a Palavra, seja ela recebida pois é enviada pelo Espírito Santo. Reprimindo esses abusos cada um terá a compreensão necessária,


devendo assim, cada servo, ensinar na sua comum congregação. As brincadeiras com os servos de Deus não convém, todavia, nem por isso devemos entender que devam eles ficar sérios demais para com a irmandade.

30 - NOVIDADES APRESENTADAS NA CELEBRAÇÃO DOS CULTOS E DEMAIS SERVIÇOS SAGRADOS

Não devemos introduzir novidades ou inovações na celebração dos serviços divinos. Temos que nos manter dentro do comportamento no qual fomos ensinados desde o princípio. Sabemos que a irmandade aprecia inovações, quer ver novidades. Porém, a forma como realizamos os sagrados serviços não deve ser alterada, pois nos foi revelada por Deus, dentro da uniformidade em toda a Obra.

Quem apresentar novidades que não temos aprendido desde o começo desta Obra, será chamado em reunião ministerial para ser advertido e terá que reprovar o que fez, diante da irmandade.

É ainda do conhecimento do ministério que há anciães e cooperadores que conservam os olhos abertos na hora da oração, o que distrai e impede sentir a presença de Deus. Outros servos, que sentam nos primeiros bancos, conversam durante o culto, sendo que o povo observa e estranha esse procedimento. Os irmãos do ministério devem ser os primeiros a colocar em prática o que ensinam à irmandade.

31 - LEITURA DA PALAVRA - NÃO LER SÓ UM VERSÍCULO

É ensinamento antigo: não devemos ler só um versículo para pregar a Palavra. Convém ler um capítulo inteiro, um parágrafo ou uma certa quantidade de versos se o capitulo for longo e não tiver parágrafos.

Não podemos tirar o estímulo de a irmandade levar a Bíblia aos cultos.

32 - NOVOS OBREIROS - NEÓFITOS

A Palavra de Deus recomenda não colocar neófitos no ministério de ancião ou diácono. Neófitos são os principiantes, que têm poucos anos de batizados.

Há ressalva no referente a obras novas e colocação de cooperadores para atendê-las. Geralmente, quando uma obra é iniciada e não há irmão indicado para atender, coloca-se como atendente da obra um dos irmãos dessa localidade que creram, podendo ser um futuro cooperador, se nele se manifestar o dom de Deus.

33 - CUIDADO NA PRESIDÊNCIA DOS CULTOS

Há irmãos que não conhecemos e que, por causa do seu falar, muitas vezes enganam até o Cooperador, que logo lhes oferece a Palavra. São pessoas que trazem transtorno e até vergonha no ministério.

Quando o servo de Deus não conhece uma pessoa, deve usar de franqueza e não ir entregando, de qualquer maneira, o lugar onde Deus o colocou. Dar oportunidade ou convidar para ler a Palavra, só deve ser feito a irmãos que conhecemos, quando formos por Deus guiados a fazê-lo.

34 - BLOCOS DE CARTAS DE APRESENTAÇÃO - NOVO MODELO

Foi elaborado um novo modelo de bloco de cartas de apresentação, que está sendo distribuído para ser utilizado a partir desta data. Na primeira página encontram-se as instruções para.o seu correto preenchimento.

Os modelos antigos, porventura existentes, deverão ser inutilizados.

TÓPICOS DA OBRA DA PIEDADE E VIAGENS MISSIONARIAS

1 - CONSAGRAÇÃO A DEUS

É necessário muita consagração a Deus, para poder entender a grande responsabilidade que o diácono tem, pelo ministério importante que lhe foi confiado, devendo ser executado sob a guia de Deus, pois, na vinda do Senhor Jesus, deverá ser devolvido a Ele, grangeado.

O ministério não deve ser executado sem o devido valor, fazendo ou deixando de fazer segundo a própria vontade. Somente com muitas orações e santificação a Deus, se obtém a revelação dos segredos escondidos em Jesus Cristo. Alguns, não entendendo ou não recebendo o ministério com responsabilidade, permanecem apenas com o titulo, não servindo a Deus e deixando a irmandade murmurar.

2 - PERDA DE MINISTÉRIO

Irmãos diáconos que, por motivo de falta grave perderam a condição de exercer o ministério, não poderão ser recolocados pois, mesmo tendo conseguido se recuperar, todavia, jamais reconquistarão a confiança da irmandade.

3 - MEDIDA DISCIPLINAR

Havendo necessidade de ser aplicada medida disciplinar contra um irmão diácono ou irmã do Ministério da Piedade, primeiramente deve-se participar aos irmãos diáconos mais antigos da região, para consideração e, em seguida, juntamente aos irmãos anciães, julgarem o caso na reunião ministerial regional. Não pertence ao irmão diácono aplicar medidas; conselhos sim, pode-se dar com a guia de Deus.

4 - VIAGENS PARTICULARES

Irmãos diáconos que estiverem em viagem de caráter particular e visitarem a irmandade, quer no Brasil ou no Exterior, sem que sua viagem seja missão confirmada por Deus em oração do ministério, abstenham-se de interferir na Obra e envolver-se em responsabilidades por influência da irmandade local, pois podem causar transtornos e contradições por desconhecerem o real fundamento das coisas naquele lugar, caindo em descrédito por terem dado ou tomado alguma decisão, ou dito alguma palavra. Quem viajar ao Exterior, deverá comunicar-se primeiramente aqui no Brasil, com os irmãos que atendem aquela nação, para inteirar-se dos cuidados necessários.

5 - REUNIÕES DE ATENDIMENTOS

As reuniões de atendimentos devem sempre ser realizadas no período diurno,



e jamais à noite, devido a muitos inconvenientes como, também, não convém fazer as reuniões a apenas meia hora antes de iniciar o culto, pois o tempo não é suficiente para uma perfeita comunhão.

1 - A reunião deverá ser aberta "Em Nome do Senhor Jesus” por um dos diáconos mais velhos de ministério.

2 - Ora-se a Deus, pedindo a Sua Presença e guia nos casos que serão apresentados.

3 - Havendo necessidade, pode-se dar alguns ensinamentos.

4 - O (s) irmão (s) diácono (s) e as irmãs devem estar presentes na apresentação do (s) caso(s) da localidade a que pertencem.

5 - São as irmãs que devem apresentar os casos, com as fichas Modelo C, assinadas pelas demais irmãs e pelo (s) irmão (s) diácono (s) da localidade a que pertencem. Fichas contendo apenas uma assinatura, não poderão ser apresentadas.

6 - Não havendo mais casos a serem considerados, encerra-se a reunião, com uma oração de agradecimento a Deus.

6 - MANUAL DE ESCRITURAÇÃO

Foi concluída a elaboração da 4ª Edição do Manual de Escrituração da Obra da Piedade e Viagens Missionárias. Exemplares foram enviados para todos tomarem conhecimento e, desde o dia 10 de janeiro próximo passado irem se enquadrando, utilizando os impressos aprovados, idênticos para todos, não devendo ser elaborados outros diferentes. Em caso de dúvidas, devem consultar.

7 - IRMÃOS PARA AUXLIAR NA ESCRITURAÇÃO

Deve-se evitar, ao máximo, a colocação de irmãos alheios ao Ministério para auxiliar nos trabalhos de escrituração, pois alguns, não conseguindo manter sigilo quanto àquilo que foi feito nos atendimentos, causaram problemas. Caso não haja possibilidade de irmãos diáconos efetuarem a escrituração, então deve-se colocar irmãos idôneos tanto na Graça como na idade, devendo ser aconselhados a guardar sigilo naquilo que viram.

Admin
Admin

Mensagens : 1049
Pontos : 2451
Data de inscrição : 24/05/2009

http://oulorivallan.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Todos os tópicos de ensinamentos da CCB 1961em diante Até 2010

Mensagem por Admin em 25th Julho 2010, 4:24 pm

Tópicos de ensinamentos 2000 - 65 - Assembléia


CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL

TÓPICOS DE ENSINAMENTOS

65ª ASSEMBLÉIA - 2000

65ª ASSEMBLÉIA - 2000 - RESUMO DE ENSINAMENTOS

SÃO PAULO - 17 A 21 DE ABRIL DE 2000

EM NOME DO SENHOR JESUS INICIARAM-SE ESTAS REUNIÕES COM ORAÇÃO.

Atencão: Somente os tópicos a seguir, assinalados com aste risco (*) deverão ser lidos nas congregações, perante a irmandade.

* 1 - COMEMORACÃO DO NATAL

Não comemoramos o Natal. Não deve ser guardado porque ninguém sabe o dia do nascimento de Jesus Cristo, pois Ele não permitiu que ficasse escrito para que ninguém guarde o dia de seu nascimento.

* 2 - IRMÃOS QUE VIAJAM PARA O EXTERIOR

As cartas de apresentação não devem ir com o irmão que viaja, mas devem ser solicitadas pelo Ancião ou Cooperador da localidade para onde a pessoa foi. O pedido poderá ser feito para o Brasil por telefone ou carta e será a carta de apresentação remetida pelo correio.

* 3 - VIAGENS A NEGÓCIOS OU A PASSEIO

Irmãos que viajam a negócios ou a passeio, não devem hospedar-se em residências de irmãos e nem nas congregações. Tem havido reclamações de muitos que foram hospedados em residências de irmãos, ficando vários dias, causando transtornos e onerando as famílias. Ao final, foram embora sem ter deixado a mínima cooperação. Outros, além do que acima foi descrito, forçaram a compra de produtos sem que a família tivesse condições para adquirir.

* 4 - INTERNET

Atualmente estão sendo colocados na Internet, por pessoas que se intitulam nossos irmãos, assuntos referentes à Congregação e à irmandade. Tal procedimento não deve ser permitido.

Tudo o que o crente tem de necessidade para a sua vida, principalmente espiritual, está contido na Palavra de Deus, que o Senhor envia, todos os dias, nos santos cultos. A irmandade não deve se envolver com coisas que só trazem confusão na Obra de Deus.

* 5 - NEGÓCIOS DUVIDOSOS

Os nossos irmãos, principalmente os de ministério, devem tomar cuidado para não entrar em negócios duvidosos, que também envolvem a irmandade, pois isto poderá nos comprometer. Tudo me é licito, mas nem tudo convém e o que milita não deve se embaraçar com os negócios desta vida.

* 6 - VISITAS E CULTOS EM PRESIDIOS MASCULINOS

Irmãs não devem fazer visitas e nem participar dos cultos realizados nos presídios masculinos. Mesmo os irmãos que fazem essas visitas devem estar acertados por Deus.

* 7 - EVITAR MANIFESTAÇÕES E GLORIFICAÇÕES EM VOZ ALTA NAS ORAÇÕES E DURANTE TODO O CULTO

Vem dito na Palavra de Deus: E se alguém falar lingua estranha, faça-se isso por dois, ou quando muito três, cada um por sua vez, e haja intérprete. "Mas, se não houver intérprete, esteja calado na igreja, e fale consigo mesmo, e com Deus". (I Cor., 14:27, 28).

Em obediência a esta regra doutrinal a irmandade não deve manifestar linguas em voz alta e nem glorificar em alta voz no andamento dos cultos, principalmente quando alguém estiver orando, pois, muitas vezes nem se ouvem as palavras da oração devido às manifestações em alta voz. Isso é falta de ordem no culto. E Deus é Deus de ordem. Convém que nos mantenhamos em respeitoso silêncio.

* 8 - EVITAR ATITUDES ESTRANHAS NOS CULTOS

Há irmãos que batem palmas nos cultos, quebrando a ordem e a disciplina diante de Deus. Outros se abraçam manifestando em Iínguas após o culto, alterando a ordem em meio à irmandade. Estas manifestações devem cessar. São cousas estranhas à Obra de Deus.

* 9 - ASSUNTOS QUE NÃO DEVEM SER TESTEMUNHADOS

Aqueles que se convertem não devem testemunhar que foram drogados ou estiveram envolvidos em crimes e que Deus os libertou quando os chamou para esta graça.

* 10 - TESTEMUNHOS

Observa-se com alguma freqüência, irmãos com costume de agradecer à irmandade ou nominar algum irmão do ministério pelas orações, unção, visitas ou outro beneficio. A irmandade deve ser orientada que a liberdade é para expressar agradecimento exclusivamente a Deus, pelas operações dele recebidas.

* 11- CASAIS - COABITAREM COM ENTENDIMENTO - (Ler somente o texto; não comentar)

A Palavra de Deus, dada ao Apóstolo São Paulo, exorta: "Que cada um de vós saiba possuir o seu vaso em santificação e honra. Não na paixão de concupiscência, como os gentios, que não conhecem a Deus. (I Tessalonicenses, 4:4, 5).

Os casais, em sua união, não devem proceder conforme os costumes abomináveis daqueles que não conhecem a Deus.

* 12 - LOGOTIPO DA CONGREGAÇÃO

O logotipo da CCB está sendo usado em alguns de nossos impressos para assegurarmos a continuidade do registro da marca da Congregação Cristã no Brasil.

A irmandade não deve utilizar esse logotipo (CCB) em camisetas, bonés, adesivos para colocar em veiculas, etc.

* 13 - HINÁRIOS DA CONGREGACÃO

A irmandade deve ser aconselhada a adquirir os Hinários, que são para uso exclusivo da Congregação Cristã no Brasil, em suas comuns congregações.

Nossos Hinários não devem ser adquiridos para serem dados a pessoas estranhas à nossa fé.

* 14 - ENSAIOS REGIONAIS - REGÊNCIA

Reconsiderando o tópico da Assembléia Geral de 1998, delibera-se que, nos ensaios regionais poderão reger até três encarregados regionais.

* 15 - CASAIS DE IRMÃOS QUE SE DIVORCIAM

Com a promulgação da lei do divórcio no Brasil, muitos casos dificeis entre a irmandade foram solucionados. A lei civil prescreve os motivos pelos quals o divórcio pode ser concedido, porém, a Palavra de Deus só admite o divórcio e novo casamento no caso de adultério.

"Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem", a não ser em caso de adultério. Mesmo assim, entre a irmandade alguns não obedecem e pedem o divórcio por outros motivos como, por exemplo, incompatibilidade de gênios.

Entre nós, todo e qualquer caso, antes da iniciativa de qualquer dos cônjuges, deverá ser apresentado ao Ministério de Anciães, pois temos que permanecer no fundamento que sempre tivemos, desde o principio desta gloriosa Obra.

* 16 - NÃO CHAMAR OS SERVOS DE DEUS POR APELIDO

A irmandade não deve chamar os servos de Deus por eventuais apelidos.

Também os servos de Deus, nas reuniões e nos cultos, devem tratar-se pelo nome, sempre acrescentando o tratamento de irmão: "Irmão Fulano, irmão Beltrano", mesmo que haja entre alguns o grau de parentesco.

* 17 - ORDEM DO CULTO NO SERVIÇO EM FUNERAL

Nos serviços em funerais, deve-se cantar somente dois hinos, um no inicio e outro no encerramento. Se o horário estiver avançado, suprime-se o último hino. Já há ensinamento antigo a respeito.

ATENÇÃO: OS TÓPICOS A SEGUIR SÃO SÓ PARA O MINISTÉRIO.

18 - PREGAÇÃO DA PALAVRA - NÃO LER SOMENTE UM VERSlCULO

Tendo em vista a não observância por parte de diversos servos, volta-se ao


assunto quanto à necessidade obedecer o que ficou determinado nas Assembléias de 1982 e 1999: "Deve-se ler o capitulo todo. Se este for muito longo lê-se apenas uma parte. Mas nunca um só versículo."

19 - SERVOS QUE EXAGERAM NA PREGAÇÃO

No referente a pregações e atitudes exageradas no púlpito, fica determinado que os servos que se acham nessa situação devem ser aconselhados pelos servos mais antigos. Se persistirem, serão convocados em reunião ministerial, quando os servos Ihes farão ver sua responsabilidade e dever perante Deus e perante a irmandade. Não se deve admitir abusos.

Quem não se submeter e persistir na não-observância destes ensinamentos, poderá perder o ministério.

20 - CUIDADOS NA PRESIDÊNCIA E NA PREGAÇÃO

Já há um ensinamento antigo de que não se deve entregar o púlpito a qualquer um, principalmente se nós não conhecemos a pessoa. Em muitos lugares, se chega um irmão e testemunha, dizendo que é de outra localidade, logo lhe oferecem a liberdade da Palavra. Se chega alguém para ler a Palavra, deve-se perguntar o nome, de onde ele é e se alguém o conhece; caso contrário, ficará sentado.

O servo que está presidindo nunca deve dizer que não tem a Palavra, pois isso desanima a irmandade e abre a porta para os solícitos.

Quanto à presidência do culto, pertence a quem Deus coloca para atender aquela casa de oração. Se um Ancião vai congregar em outra congregação e sente de presidir, então é diferente. Podemos oferecer a presidência para outro servo, mas nunca forçar. As coisas de Deus são movidas pelo Espírito de Deus, não por força e nem por violência.

Também não se deve pregar contra outras denominações e crenças ou religiões e nem contra qualquer veiculo de comunicação. Devemos ensinar a irmandade a fugir daquilo que Deus não se agrada e que vem para atrapalhar a nossa vida espiritual e material. Temos que doutrinar a irmandade com amor, sem espancar e nem oprimir.

21 - PRESIDÊNCIA DOS CULTOS - TESTEMUNHOS

Devemos ter cuidado na presidência dos cultos. A Palavra de Deus diz: "Aquele que preside, presida com cuidado". Não se deve estender os testemunhos até tarde. A irmandade deve ser orientada sobre os testemunhos.

Deve-se agradecer a Deus quando o Senhor faz o milagre, porém, há certas situações que devem ser consideradas. As vezes os médicos dizem que, pela ciência, a pessoa está desenganada. Há casos em que a pessoa é ungida e dentro do próprio hospital o Senhor faz o milagre. Outras vezes a pessoa é hospitalizada para manifestar aos médicos o poder de Deus. Precisamos ter entendimento em tudo.

22 - EVITAR CULTOS BARULHENTOS

Devemos observar a lei do silêncio. O volume de som produzido pelos cultos pode ser medido e quantificado por decibéis. Ultrapassando o limite legal, a Con


gregação causadora estará sujeita a ser multada e até fechada, em caso de reincidência. Por isso temos que levar em consideração essa realidade e evitar cultos barulhentos ou que se estendam além do horário previsto.

23 - PRELEÇÕES

No atendimento dos cultos, alguns irmãos têm por costume ficar fazendo preleções diversas, tanto no inicio, como antes da oração, antes dos testemunhos, antes da Palavra, no encerramento do culto, e quase sempre desnecessárias, com efeitos prejudiciais no aproveitamento do tempo para a Palavra e dos hinos, promovendo ainda interrupção da comunhão da irmandade.

24 - BUSCAS DE DONS

Os cultos para buscas de dons deverão ser previamente considerados em reunião ministerial.

25 - CELEBRAÇÃO DO BATISMO - PRECAUÇÕES.

Ao fazer a oração dentro do tanque do batismo, o servo deve pedir as bênçãos sobre todos os que vão ser batizados.

Palavras que devem ser ditas no momento do batismo: "Irmão (ou Irmã), Em Nome de Jesus Cristo te batizo, Em Nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo. Amém".

Se, após a oração nas águas, o servo se esquecer de dizer estas palavras para o primeiro que for batizado, deverá dizê-las e submergi-lo novamente.

No ato do batismo, o Ancião deve segurar as mãos juntas da pessoa que vai ser batizada e colocar a outra mão sobre a cabeça da mesma. Na hora de submergir, a mão que está sobre a cabeça da pessoa deve ser colocada na parte posterior do pescoço da mesma, e não nas costas, para facilitar a imersão e a sua retirada das águas.

26 - TANQUES PARA BATISMOS

- Durante a realização do batismo, a água do tanque, sempre que possível, deve ser corrente, filtrada e tratada.

- Para enfermo em situação critica (doenças infecto-contagiosas, sonda no nariz ou em outras partes, vazamentos, dificuldade para locomoção até o tanque, retorno imediato para o hospital, etc.), deve ser realizado um batismo extra na congregação, fora do dia de culto ou em outro local com tanque portátil, a fim de que, após ele, outros não sejam batizados.

- Após o batismo, o tanque deverá ser lavado, desinfetado e a água trocada; também as roupas devem ser lavadas e desinfectadas.

- Tanque localizado no pátio da congregação deverá ter proteção, a fim de evitar que alguma criança caia dentro e tenha alguma conseqüência desastrosa.

- Quando o batismo for realizado em rios, riachos, córregos, lagos, lagoas, represas, etc., deve-se proceder com muito cuidado pois a água deve ser, sempre que possível, limpa, sem contaminação de esgotos ou venenos utilizáveis na agricultura.

- As leis de proteção aos mananciais e de proteção e preservação ao meio


ambiente não permitem: danificação de árvores, arbustos, gramados, represamento ou desvio do rumo das águas, desbarrancamento das margens e também não permitem que se abandone no local e nem que se lance na água resíduos de alimentos, papéis, latas, garrafas, sacos plásticos, etc.

- Se algum servo for surpreendido infringindo estas leis, além de multas, a Congregação estará sujeita a processo, pelo crime cometido contra a natureza.

27 - CARTAS DE APRESENTAÇÃO NÃO SÃO BASE PARA APRESENTAR ALGUÉM PARA O MINISTÉRIO

Irmãos que vêm de fora, de outras localidades, não devem ser apresentados para o Ministério só porque trouxeram carta de apresentação mencionando que "tem bom testemunho”.

Deve-se buscar informações sobre o testemunho de tais irmãos com o Ministério da própria localidade de onde procedem, para evitar futuras conseqüências desagradáveis e inconvenientes, sem solução.

28 - MUDANÇA EM CARGO ADMINISTRATIVO - QUANDO SE DEVE ORAR

Quando o administrador, para o qual já foi orado, tiver que mudar de cargo administrativo, não precisa de nova oração. Somente deve ser considerado, previamente, com o Ministério, em reunião. O mesmo critério se aplica aos membros do Conselho Fiscal que, eventualmente, passem a exercer cargo administrativo, e vice-versa.

29 - ADMINISTRADORES E MEMBROS DO CONSELHO FISCAL

Os irmãos Administradores e membros do Conselho Fiscal deverão ter situação regular perante o fisco, nos negócios, na familia e na irmandade. Havendo alguma dificuldade ou alteração de sua situação regular, apresentar-se espontaneamente ao Ministério, para consideração e encaminhamento, evitando-se saber por terceiros, principalmente assuntos relacionados com a Congregação.

Se algum irmão Administrador tiver pendências junto à Receita Federal, poderá causar problemas para a Congregação. Portanto, antes de se apresentar algum irmão para membro da Administração ou do Conselho Fiscal, deve-se procurar saber, de algum modo, sua situação fiscal e comercial.

Outrossim, deve-se dar especial atenção às Administrações onde não existam distribuição dos trabalhos entre todos os Administradores, concentrando-se em um ou dois irmãos, principalmente na área financeira, onde têm ocorrido fatos lamentáveis, com comportamento inadequado de algum administrador. Onde houver necessidade serão constituidos vices.

30 - EXTINÇÃO DAS REUNIÕES DE ENCARREGADOS REGIONAIS E EXAMINADORAS DE TODO O BRASIL

A partir deste ano não serão mais realizadas as reuniões de encarregados regionais e examinadoras de todo o Brasil, que ocorriam no mês de Junho, na Capital do Estado de São Paulo.

31 - NÃO UTILIZAR O TITULO MINISTERIAL

Não se deve utilizar o titulo de Ancião, Diácono ou Cooperador, para sugerir a colocação de nomes em ruas ou outros logradouros públicos.

Quanto a sugerir só os nomes, sem o titulo, não podemos impedir.

ATENÇÃO: OS TÓPICOS A SEGUIR DEVEM SER LEVADOS AO CONHECIMENTO DAS ADMINISTRAÇÕES.

32 - DOAÇÕES

As doações devem ser escrituradas em conta própria e com obediência às normas legais vigentes, quanto aos documentos de aquisição e Declaração de Doação.

Lembramos que a Congregação não fornece recibo de doações em dinheiro ou material. Outrossim, como não somos registrados no Conselho de Assistência Social, não é dedutivel do Imposto de Renda qualquer doação feita à Congregação.

TÓPICOS DA OBRA DA PIEDADE E VIAGENS MISSIONÁRIAS

* 1 - EMPRÉSTIMOS

(Somente este tópico, da Obra da Piedade, deve ser lido perante a Irmandade)

Não se pode fazer empréstimos e nem trocar cheques com as importâncias coletadas ou ofertadas para a Obra de Deus. Da mesma forma, também não se deve emprestar materiais de cozinha, vasilhames, ferramentas, camas, colchões, etc. Igualmente, não se deve permitir a utilização dos recintos da congregação para festas de casamento, ou outros eventos.

Os dormitórios e cozinhas das congregações são só para os servos que estiverem em missão e não para aqueles que vêm tratar de assuntos particulares.

2 - COLETAS

São três as coletas oficiais: para Construções, para a Obra da Piedade e para Viagens Missionárias; em muitas regiões a coleta para Manutenção é feita separadamente da Construção.

As coletas recebidas nas Reuniões de Jovens e Menores também devem ser especificadas e respeitadas as finalidades. As coletas realizadas nas Reuniões da Mocidade são destinadas diretamente para a Obra da Piedade.

Por ocasião das Reuniões Anuais de Ensinamentos, é apresentada à irmandade a necessidade de cooperação para a Coleta Especial Pró-Despesas de Assembléia e Diversos, para cooperação nas despesas necessárias na cidade onde serão realizadas as reuniões.

Coleta extra, trimestral, somente se for apresentada e aprovada em Reunião Ministerial.

As coletas são voluntárias e anônimas, não devendo a irmandade ser forçada a cooperar e nem obrigada a assumir compromissos. Não se deve aceitar doações de relógios, jóias ou outros objetos. Quem desejar desfazer-se de algum objeto, deverá vendê-lo e cooperar com dinheiro.

3 - RECEBIMENTO DE COLETAS

É atribuição dos irmãos porteiros, receber os frutos e colocar nos bolsos separados para cada finalidade, a fim de respeitar o sentimento que Deus colocou no coração da irmandade, não desvirtuando para outras finalidades as importâncias recebidas.

Ao término dos cultos, após a irmandade haver-se retirado, os irmãos porteiros, juntamente com os irmãos diáconos, dirigir-se-ão à secretaria para contagem dos frutos e registro no livro competente, agradecendo a Deus em oração. Os frutos não devem ser levados para casa; toda casa de oração deverá ter cofre, podendo ser de embutir na parede.

Aos irmãos diáconos cabe a responsabilidade de acompanhar todo o movimento, orientando os porteiros naquilo que for necessário, e estar atentos aos irmãos recebedores das ofertas, a fim de evitar que algum espertalhão se coloque junto aos mesmos e receba da irmandade, aproveitando-se da simplicidade de nossos irmãos.

Nada impede que o irmão diácono, em caso de necessidade, também receba as coletas.

4 - TRANSFERÊNCIAS DAS COLETAS PARA A OBRA DA PIEDADE E VIAGENS MISSIONÁRIAS

De acordo com o que já está estabelecido, após o encerramento das coletas, no máximo até o dia 10 do mês seguinte, a Administração deverá entregar aos irmãos diáconos o total das coletas da Obra da Piedade e Viagens Missionárias, juntando uma cópia da relação das congregações que contribuíram.A Administração não pode reter os frutos. Em algumas localidades, devido a dificuldades, estas importâncias são antecipadamente transferidas, semanalmente ou quinzenalmente.

5 - ATENDIMENTOS DA OBRA DA PIEDADE

Os atendimentos da Obra da Piedade devem ser feitos sempre em dinheiro, nos envelopes individuais modelo C-3M, e não por meio de cheques. Somente para pagamento de compras para estoque, os irmãos diáconos emitirão cheques nominativos aos fornecedores.

6 - DIÁCONOS

Os irmãos Diáconos devem estar livres no final dos cultos, para tratar algum assunto com as irmãs da Obra da Piedade, ou com o Ministério ou quando procurados por algum irmão ou irmã. Fora de suas atribuições, os irmãos Diáconos somente deverão cooperar em outros serviços (auxiliar em Batismos, Santas Ceias, Construções, etc.), quando solicitados pelos irmãos Anciães.

Irmãos Diáconos não devem ficar ausentes dos cultos, das reuniões, da comum congregação, sem ter dado ciência ao Ministério local.

7 - DIÁCONO EM MISSÃO

Sempre que for designado um irmão Diácono para atender uma Reunião de Ensinamentos da Obra da Piedade, ele será o responsável pela apresentação dos ensinamentos, cabendo aos demais respeitar e acatar o que for apresentado. No


decorrer da reunião, Deus poderá servir-se de outro irmão Diácono para apresentar alguma coisa por Deus revelada, não devendo, entretanto, repetir o que já tenha sido apresentado, não ocupar o tempo contando maravilhas e não repisar a Palavra já enviada. Alguns, levantam em seguida e ocupam muito tempo, desrespeitando o Diácono que está com a missão. Terminados os ensinamentos, o irmão Diácono passará a presidência ao irmão Ancião, para a oração de agradecimento, não devendo, após, levantar-se outros Diáconos. Estas reuniões não devem ser prolongadas.

8 - VERIFICAÇÃO DA ESCRITA DA OBRA DA PIEDADE E VIAGENS MISSIONÁRIAS

Foi uma preparação de Deus a formação dos grupos de trabalho para orientação da Escrita da Obra da Piedade e Viagens Missionárlas, todavia, há limites que devem ser respeitados. Algumas localidades têm reclamado que irmãos Anciães e também irmãos do Conselho Fiscal querem examinar a escrita e também ver a documentação. Isto não deve ser feito por estes irmãos mas, sim, pelos irmãos Diáconos que fazem parte dos grupos de trabalho. O atendimento da Obra da Piedade é sigiloso, conforme diz a Palavra de Deus e o Estatuto. Toda documentação deve ser arquivada pelos irmãos Diáconos, em arquivos apropriados, e não devem ser exibidos a ninguém, salvo para autoridades que porventura venham fiscalizar. A Administração tomará conhecimento do movimento da Obra da Piedade e Viagens Missionárias, para inclusão na contabilidade geral, através do relatório contendo os valores globais de entradas e saidas, que será entregue mensalmente até o dia 10 do mês seguinte ao vencido (art. 24 e parágrafos do Estatuto).

9 - 4ª EDICÃO DO MANUAL DE ESCRITURAÇÃO DA OBRA DA PIEDADE E VIAGENS MISSIONÁRIAS

Este manual foi elaborado em conjunto por grupos de irmãos de várias regiões do Brasil. Não devem ser feitos outros diferentes, pois este modelo é padronizado para todo o Brasil. Qualquer alteração eventualmente necessária, partirá daqui, para todas as localidades. Temos exemplares suficientes para fornecer a quem necessitar.

10 - APRESENTAÇÃO DE IRMÃS PARA A OBRA DA PIEDADE

Irmãos Anciães, Cooperadores e Diáconos devem estar em comunhão e totalmente de acordo para a apresentação de irmãs para a Obra da Piedade. Deve-se observar se a irmã tem o dom de Deus, se tem idade apropriada, o tempo de crente para ocupar esse ministério e, se tiver filhos menores, deve-se aguardar o crescimento dos mesmos, evitando-se a apresentação de viúvas novas, desquitadas ou casadas em segundas núpcias (por desquite ou divórcio).

Após a apresentação em reunião ministerial, havendo confirmação, não se deve apresentá-las à irmandade nas congregações e nem elas devem testemunhar esse fato. Todavia, far-se-á uma reunião particular, com a presença do seu esposo, do ministério local e das irmãs da Obra da Piedade daquela localidade.

11 - REUNIÕES DE ENSINAMENTOS PARA PORTEIROS

Nestas reuniões não devem ser distribuidos tópicos para os participantes.

Admin
Admin

Mensagens : 1049
Pontos : 2451
Data de inscrição : 24/05/2009

http://oulorivallan.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Todos os tópicos de ensinamentos da CCB 1961em diante Até 2010

Mensagem por Admin em 25th Julho 2010, 4:27 pm

Tópicos de ensinamentos 2001 - 66 - Assembléia


CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL

TÓPICOS DE ENSINAMENTOS

66ª ASSEMBLÉIA - 2001

66ª ASSEMBLÉIA - 2001 . RESUMO DE ENSINAMENTOS

SÃO PAULO - 9 A 13 DE ABRIL DE 2001

EM NOME DO SENHOR JESUS INICIARAM-SE ESTAS REUNIOES COM ORAÇÃO.

Atencão: Somente os tópicos a seguir, assinalados com aste risco (*) deverão ser lidos nas congregações, perante a irmandade.

* 1 - PRESIDÊNCIA DOS CULTOS - REVISÃO DO TÓPICO DE 1997

Quanto à presidência dos cultos, fica restabelecido o que constava do tópico da Assembléia de 1971, a saber:

Estando presidindo um cooperador e levantando-se um ancião ou outro cooperador para pregar, o que preside desce.

Se está presidindo um ancião e Deus revela a Palavra a um cooperador, o ancião permanece no púlpito, sentando-se na cadeira.

Se é a outro ancião que Deus revela a palavra, o ancião que preside desce do púlpito.

* 2 - ORDEM DO CULTO

Delibera-se ler a lista de batismos e diversos logo após o término dos testemunhos. Se o horário estiver avançado, lê-se apenas os batismos próximos e algum comunicado mais urgente, constantes da lista. Após essa leitura e demais anúncios, canta-se um hino. Isso predispõe mais o coração da irmandade para receber a pregação da Santa Palavra.

* 3 - ORAÇÕES NOS CULTOS

As orações devem ser dirigidas a Deus, em Nome do Senhor Jesus. A oração de agradecimento não deverá ser prolongada e nela não se deve ficar repetindo conselhos e ensinamentos que Deus já enviou pela Palavra.

As orações devem ser feitas com humildade e súplicas a Deus, quando necessário, mas não com gritos.

* 4 - ORQUESTRAS - ORGANISTAS

A meia hora que se toca nas igrejas só deve ser executada pelas organistas. A orquestra não deve tocar antes do hino do silêncio.

A meia hora é para que a irmandade esteja em silêncio e não conversando.

No hino após o encerramento do culto, a orquestra deverá tocar apenas uma estrofe e o coro.

* 5 - TESTEMUNHOS: NÃO DEVEMOS NOS REFERIR A PESSOAS QUE NÃO SÃO CRENTES COMO “SEITÁRIOS” E NEM COMO “FUTURO IRMÃO”

Nos testemunhos a irmandade não deve se referir a pessoas que não são crentes como “seitário” e nem como “futuro irmão” (pois não sabemos se Deus irá chamá-lo para esta graça). Deve-se falar “pessoa de outra crença religiosa”.

* 6 - EXPRESSÕES QUE SE TORNARAM HÁBITO NOS TESTEMUNHOS E PASSARAM A SER IMITADAS



Constantemente se ouve em quase todos os testemunhos a irmandade dizer: "Estou aqui para dizer que Deus é bom na minha vida". Tornou-se um costume, uma imitação.

Deliberou-se alertar a irmandade para que deixe essa expressão provocada pelo hábito. Devemos dar lugar a que o Espírito Santo se manifeste em nossa boca, sem que falemos por imitação.

Outra expressão que nunca mais deve ser usada é dizer, a respeito dos irmãos do ministério, revestidos dos dons de Deus, que eles são "turbinados". Isso é profanar as coisas santas de Deus.

* 7 - MÚSICOS - CARTA DE APRESENTAÇÃO

Quando mudar de localidade, se for um irmão músico deverá constar na carta de apresentação se é músico oficializado ou não, e qual o instrumento que toca na Congregação.

* 8 - ENSAIOS DE CORDAS - CESSAÇÃO

Pelo passado se faziam ensaios de cordas por causa das arcadas dos violinos. Agora, porém, os hinários de música já estão com os sinais gráficos necessários e não há mais erros nas arcadas. Dessa forma, não se justifica mais que continue havendo esse tipo de ensaio diferenciado nas congregações.

* 9 - INGRESSO NAS NOSSAS ORQUESTRAS

O Ministério da Congregação, tomando conhecimento de que diversos irmãos músicos, principalmente jovens, que tocavam em nossas orquestras e ingressaram em outras corporações musicais enfraqueceram na fé e se corromperam, não se contentando em somente servir a Deus em nossas orquestras, para cujo ingresso é suficiente relativa preparação musical, delibera que os irmãos e irmãs que quiserem ser profissionais em outras orquestras deverão escolher entre tocar em nossas orquestras ou tocar nas outras.

Aos que já estão nessa profissão e são nossos músicos não impedimos que continuem, porém, aconselhamos a que orem a Deus para que lhes prepare um outro meio de vida.

* 10 - GRAVAÇÕES DE HINOS

Alertamos a irmandade que a Congregação não autoriza, não se envolve com gravações de seus Hinos e nem com sua comercialização, e aconselha que não se faça.

* 11 - FUNERAIS - ORAÇÃO EM VELÓRIOS PÚBLICOS E HOSPITAIS

O serviço divino a ser feito em funerais deve ser julgado pelo servo que preside, com a guia de Deus, de acordo com as circunstâncias e o momento.

* 12 - SERVIÇO DIVINO NO FUNERAL - HORÁRIO

Ao comunicar à congregação a ocorrência de um funeral, a família deverá informar o horário exato da saída do enterro. O irmão do ministério que for atender, e a irmandade, procurarão sempre chegar com a necessária antecedência, para que não haja qualquer transtorno de última hora.

Falecendo alguém que não era nosso irmão, se a família pedir, poderemos fazer uma oração para conforto dos familiares. Se porventura tiverem chamado o representante de alguma crença religiosa, não oraremos para evitar entrarmos em divergência.

Não convém que a irmandade ofereça a oração quando o falecido e os familiares não sejam nossos irmãos.

* 13 - UNÇÃO: NÃO PERDOA PECADO DE MORTE - NÃO SUBSTITUI O BATISMO - (REPETIÇÃO DO TÓPICO DE 1983)

Quem perdoa pecados é Cristo e não a unção. Há pecados que a pessoa comete não estando ainda iluminada, não estando esclarecida. Vem dito em São Tiago 5:15, que “A oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados”. Mas todo o pecado feito voluntariamente gera a morte. A estes Deus os julgará.

- A unção não substitui o batismo. Disse o Senhor Jesus: "Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.”

- Ungir estranhos à fé - Depende de o servo sentir de fazê-lo. A irmandade deve ser ensinada a não oferecer a unção a pessoas de outra crença religiosa.

- Serviço divino no funeral para estranhos à fé que foram ungidos - É necessário muita guia da parte de Deus. Faz-se o serviço para quem creu e não teve tempo de ser batizado, se o Senhor fizer sentir. Também deve-se ter a prudência de consultar a família a respeito.

- Unção para a irmandade - Faz-se quando o enfermo sente de pedir, ou quando o servo de Deus sentir de fazê-la. Geralmente a unção é por ocasião de grandes males e não para pequenas enfermidades. Quanto à unção, deve ser feita pelo ancião ou pelo cooperador local. Havendo dois servos, um ora e o outro unge. Convém indagar se a pessoa está em paz com todos. O diácono também unge, na ausência do ancião e do cooperador.

- Não ungimos endemoninhados. Para estes, só oramos, se Deus nos fizer sentir

* 14 - CABELOS LONGOS E VÉU NA INTENÇÃO DE CURAR ENFERMOS

Alertamos a irmandade quanto a um desvio atual da sã doutrina que pode se transformar em idolatria, a respeito dos cabelos e véus das irmãs. O desvio é o seguinte: são atribuídos poderes de cura aos cabelos longos e aos véus das irmãs, passando-os sobre os enfermos na intenção de curá-los.

Isto nunca foi mencionado pelos apóstolos nas Sagradas Escrituras e nem aprendemos assim, desde o inicio desta Obra. É uma inovação que deve cessar. Quem cura nossas enfermidades é o Senhor, pela fé, e não os cabelos longos ou o

véu das irmãs. Devemos, entretanto, permanecer nos ensinamentos primitivos, de que é honroso para a mulher ter os cabelos crescidos.

* 15 - SANTAS CEIAS - ENFERMOS IMPOSSIBILITADOS DE PARTICIPAR

Os enfermos que estiverem impossibilitados de participar da Santa Cela deverão permanecer em paz, pois Deus não lhes imputará isso como uma falta e não deixará de estar com eles, por causa disso. Não é porque não participaram que não fazem parte do corpo de Cristo. Também não se deve levar-lhes a Santa Ceia em casa.

* 16 - FALSAS PROFECIAS - REVELAÇÕES - ORAÇÕES

Pareceu bem ao Ministério novamente pôr a irmandade a par da grave situação ocasionada pela correria atrás de profecias, revelações, orações exageradas e provocada pelo espírito de imitação dos verdadeiros dons, espírito esse que se espalhou por toda a parte.

Muitos buscam profecias para ter resposta sobre casamentos, negócios e tantos outros assuntos, com orações que se prolongam pela madrugada. A Palavra pregada nas congregações vem sendo posta em segundo lugar. Muitos dão mais valor a essas profecias do que à própria Palavra.

E está escrito: "ENGRANDECESTE A TUA PALAVRA ACIMA DE TODO O TEU NOME" (Salmo 138, verso 2).

Outros são enganados por falsas profecias e têm sofrido transtornos materiais e espirituais. Muita coisa estranha tem surgido provocando estragos irreparáveis.

A esse respeito entrou a desordem. Todos temos que parar e refletir sobre essa advertência, para beneficio da Obra, mantendo, acima de tudo, a unidade de espirito.

Exortamos a irmandade a voltar à simplicidade que sempre tivemos desde o principio, de buscar a Palavra de Deus para saber a vontade do Senhor, terminando com correrias à procura de outras respostas.

Aconselhamos a irmandade a ir para casa, após terminado o culto, meditando na Palavra. Não se reunam para orar procurando orientação por profecias e revelações.

Os prudentes aceitarão este conselho e obedecerão. Os que não atenderem serão chamados pelo Ministério e exortados severamente, podendo até perder a liberdade na Igreja.

* 17 - MODALIDADES DE COMÉRCIO ENVOLVENDO O MINISTÉRIO E A IRMANDADE

Há irmãos que, objetivando a venda de determinado produto, apresentam-se como indicados por um irmão do ministério ou de algum irmão com cargo na Obra de Deus quando, realmente, não o foram, pois os irmãos do ministério não indicam a vendedores, nem devem indicar, casas da irmandade e nem permitem o uso de seus nomes. Adquirir ou não um produto é questão pessoal, livre de qualquer vinculação, com quem quer que seja.

* 18 - COMPROMISSOS PARTICULARES - DÍVIDAS COM A IRMANDADE

A Congregação Cristã no Brasil não se responsabiliza pelos atos praticados por qualquer de seus membros, conforme consta do art. 9° do Estatuto. Outrossim, a irmandade não deve pedir aos irmãos de Ministério para serem fiadores ou avalistas, conforme consta na Palavra de Deus (Provérbios, capo 6), a fim de não deixá-los constrangidos e, conforme o caso, até comprometendo seus ministérios.

* 19 - MORADIAS PARA COMODATÁRIOS NAS CASAS DE ORAÇÃO

Não se estabelece um mandamento a esse respeito. Onde houver necessidade e possibilidade, face às dimensões da casa de oração e sua localização, poderão ser construídas dependências para o comodatário. Onde não houver necessidade ou nem condições, poderá deixar de se construir essas acomodações. Neste caso, poderá ser colocado alarme na casa de oração, construir-se muros altos e bem protegidos e fazer-se seguro contra roubo e incêndio.

* 20 - CARTAS DE APRESENTAÇÂO

Houve irmãos cooperadores do oficio ministerial que assinaram Cartas de Apresentação e inclusive pediram ao ancião que dá atendimento naquela localidade para também assinar, sem se aperceberem de que aquele irmão apresentado não havia trazido carta de apresentação, por ocasião de sua vinda àquela região.

Quem não trouxer carta de apresentação, não deverá levá-la para onde se mudar.

Quem viajar para o exterior, levará carta de apresentação. Mas não se colocará o motivo da viagem.

* 21 - AGLOMERAÇÕES EM CULTOS - REUNIÕES PARA A MOCIDADE - ABERTURAS E OUTROS SERVIÇOS DIVINOS COM GRANDE COMPARECIMENTO DA IRMANDADE

Deve ser corrigido o costume de permitir que irmãos e irmãs entrem dentro do tanque de batismos e subam ao púlpito também, aglomerando-se em ambos os lados do irmão que está presidindo. É um costume que tem se espalhado e deve cessar.

* 22 - TRAZER SAUDAÇÕES - ORIENTAÇÃO

Irmãos e irmãs procedentes de outras localidades, que não tiveram oportunidade de comunicar à irmandade de sua congregação a viagem e não trouxeram saudações, podem dizer no testemunho as seguintes palavras: “Eu vos saúdo em nome da irmandade da localidade a qual pertenço, com a Santa Paz de Deus".

COMUNICADO: A partir do dia 3 de Junho de 2001, os cultos de domingo à noite, na Capital e Grande São Paulo, serão iniciados às 18 horas e 30 minutos.

ATENCÃO: OS TÓPICOS A SEGUIR SÃO SÓ PARA O MINISTÉRIO.

23 - DURAÇÃO E ORDEM DOS CULTOS - HINOS

Já há ensinamento antigo de que os cultos, as reuniões para a mocidade e as reuniões para jovens e menores, sempre que possível, não deverão ultrapassar de uma hora e meia. Os hinos cantados nos cultos são até seis, e esse número não deverá ser ultrapassado.

Irmãos do ministério não devem cantar hino durante a pregação da Palavra.

Durante a celebração dos cultos não se deve ensaiar hinos. O ensaio deverá ser realizado antes do culto, ou em outro dia em que não haja culto.

Os irmãos que não atenderem poderão ser chamados pelo Ministério.

24 - BUSCA DE DONS

A busca de dons deverá ser presidida por um Ancião. Não deve ser anunciada nas listas de batismos e nem se deve divulgar o nome do irmão que irá atender. Anuncia-se apenas na própria congregação.

25 - FALSAS PROFECIAS - REVELAÇÕES - ORAÇÕES

Irmãos do ministério que estiverem envolvidos em orações de profecias e revelações, serão chamados pelo Ministério e aconselhados, no amor de Deus. Aqueles que não atenderem, poderão perder o ministério.

26 - HONRAR O CARGO MINISTERIAL

Os irmãos do ministério devem honrar-se, uns aos outros. Quando um irmão cometer algum erro no culto e outros o alertarem, permitam que ele próprio desfaça o engano perante a irmandade, na mesma ocasião ou posteriormente. Não convém que outro esclareça o engano diante do povo, pois assim procedendo estaremos desacreditando o irmão que se equivocou. O próprio irmão deve desfazer o erro perante todos. Assim procedendo, ele crescerá ainda mais no conceito de toda a irmandade.

27 - EVITAR DISCURSOS DE LOUVOR E BIOGRAFIA NOS FUNERAIS DE IRMÃOS DO MINISTÉRIO

Devemos evitar que, nos funerais de irmãos do Ministério, sejam feitos pronunciamentos enaltecendo as qualidades daquele que o Senhor recolheu. A obra ministerial realizada pelo irmão falecido perdurará no coração e na memória de todos nós, sem nos referirmos a isso em publicações na imprensa e em declarações na hora do funeral. O louvor e a glória pertencem a Deus, de quem procede todo o nosso bem.

28 - REUNIÕES ANUAIS PARA ENCARREGADOS REGIONAIS E LOCAIS

Fica deliberado que poderá haver reuniões para encarregados regionais e locais de orquestras nos Estados, em todo o Brasil. Onde o ministério constatar a necessidade orará e, se Deus confirmar, realizarão essas reuniões. Serão reuniões conforme a necessidade e não fixas, isto é, sem data preestabelecida.

Delibera-se, também, que nessas reuniões não devem ser compilados tópicos. O ancião que presidir considerará sobre as questões que forem suscitadas nessas reuniões. Casos de grande relevância, se surgirem, serão tratados na Assembléia Anual de Ensinamentos.

29 - REUNIÕES DE CASADOS - REPETIÇÃO DO TÓPICO DE 1965

Pelo passado, vinha-se notando que essas reuniões não davam bom resultado. Em 1964 foi consultado o nosso irmão Ancião Louis Frencescon e ele nos respondeu que essas reuniões não podiam continuar, pois estavam fora da Palavra de Deus. Houve então uma reunião de todos os Anciães do Brasil, na qual foi apresentada aquela carta do servo de Deus. Todos, unanimemente aceitaram o conselho, vindo da parte de Deus. Ficou então deliberado que, a partir daquela data não deveria mais haver reuniões de casados. O Ministério, baseado nesse ensinamento dado pelo irmão Ancião Louis Francescon e sabedor de que está havendo algumas reuniões nesse sentido, inclusive com jovens ainda não casados, delibera que as mesmas cessem imediatamente.

30 - LIBERDADE NA IGREJA

Nunca se deve anunciar perante a irmandade que determinado irmão ou irmã está sem liberdade na Igreja. Se alguém dentre a irmandade transgredir, deverá ser chamado em particular, em reunião do ministério, e lhe será tirada a liberdade nos cultos.

Compete ao ministério de anciães julgar sobre a perda de liberdade de algum irmão ou irmã na Igreja. Porém, jamais se deve tornar público, perante a irmandade, que tal irmão ou irmã está sem liberdade.

31 - COOPERADORES DE JOVENS E MENORES - REUNIÕES

Para suprir a carência de ensinamentos, os cooperadores de jovens e menores passarão a ter, doravante, duas reuniões regionais anuais. Porém, só haverá tópicos (proveniente de São Paulo) para uniformidade na doutrina, em uma delas. Na outra, com participação direta dos cooperadores de jovens e menores, serão esclarecidas dúvidas e tratados os casos que se apresentarem.

Nas reuniões que tratam de assuntos administrativos e de construções, não há inconveniente em que os cooperadores de jovens e menores participem. Nas reuniões ministeriais, porém, não devem participar.

32 - NOVOS OBREIROS

São os anciães mais antigos os mais indicados para apresentar irmãos para o Ministério. Todavia, antes de se apresentar algum irmão para o Ministério, deve-se examinar a sua vida, a sua conduta moral e profissional, a sua índole, os seus antecedentes. Não basta uma carta de apresentação dizendo tratar-se de irmão de bom testemunho. É necessário pesquisar junto ao Ministério do local de origem, saber o tempo em que está na Graça de Deus, se não é neófito ou muito novo na idade, examinar o testemunho, saber se não está embaraçado na vida material e se está livre de vícios. Deve-se examinar se ele tem luz de Deus e gravidade para encaminhar o rebanho na espiritualidade da Graça, sem entusiasmo carnal. Deve-se ver se os filhos menores (se os tiver) lhe são sujeitos e se sua esposa tem um porte cristão, na modéstia, no vestir, nos cabelos, enfim, dentro da linha ensinada pela Palavra de Deus. Outrossim, não se deve apresentar um irmão que, confessadamente, tenha inclinações políticas, pois a Congregação é uma entidade apolítica, isto é, não tem qualquer envolvimento com política. Outro cuidado a


ser tomado pelo Ministério é a respeito de irmãos envolvidos em orações de profecias.

A nossa assinatura na Ficha de Apresentação é um compromisso diante de Deus. Só se deve apresentar alguém quando realmente houver nele o dom de Deus e nunca só por companheirismo, por simpatia, por laços de família ou por qualquer outro sentimento.

Em uma reunião para apresentar novos obreiros canta-se um hino, faz-se uma oração e pede-se a Deus a revelação de uma parte da Palavra.

33 - CARGOS PARA OS QUAIS SE ORA E PARA OS QUAIS NÃO SE ORA BUSCANDO CONFIRMAÇÃO

Ora-se em reunião ministerial, buscando-se a conflrmação de Deus, para os seguintes ministérios e cargos: Anciães, Diáconos; Cooperadores do Oficio Ministerial; Cooperaclores de Jovens e Menores; Encarregados de Orquestra Regionais e Locais; Irmãs Examinadoras de Organistas; Membros da Administração (titulares, vices e auxiliares) e do Conselho Fiscal; Irmãs para a Obra da Piedade; Batismos; Santas Ceias; Reuniões para a Mocidade; Reuniões para Jovens e Menores; Viagens Missionárlas; Alteração de Dias e Horários de Cultos e das Reuniões de Jovens e Menores; Aumento (ou supressão) de Dias de Culto; Necessidade de Compra (ou Venda) de Imóvel.

Não se ora em reunião ministerial, buscando-se a confirmação de Deus, para os seguintes cargos: Comodatários (moradores em casas de oração); Irmão que auxiliam na Administração (sem fazer parte oficial dela); Auxiliares das Reuniões de Jovens e Menores; Auxiliares de Ensino Musical; porteiros.

34 - CARGOS POLÍTICOS

Aquele que exerce ministério na Congregação, caso se envolva na política ou se candidate a algum cargo político, perderá a condição de continuar no ministério e não poderá mais retornar (quer venha a ganhar ou a perder a eleição). Continuará como nosso irmão na fé, porém, não poderá influenciar a irmandade, nem fazer qualquer pronunciamento ou comentário político na Congregação, seja em orações, testemuhos ou por qualquer outra forma.

35 - PAPELETAS DE PEDIDOS DE ORACÃO E BLOCOS DE RECITATIVOS

Já há diversos anos os blocos de papeletas de pedidos de oração e de recitativos vêm sendo impressos pela Administração São Paulo, de forma simplificada e resumida. Assim, convém que todos os adquiram nas respectivas Distribuidoras, a fim de que se mantenha a uniformidade padronizada desses impressos.

36 - BATISMO PARA AMASIADOS - CONSIDERAÇÕES

Casos insolúveis, como por exemplo quando um dos cônjuges está desaparecido, ou o casal vive unido há longos anos e um deles não concorda em casar, traz-se à reunião do ministério e age-se conforme a deliberação tomada, com a guia de Deus. Casos normais deve-se aconselhar a divorciarem e casarem para depois se batizarem.

37 - VIAGENS MISSIONÁRIAS - ANCIÃES, DIÁCONOS, COOPERADORES, ADMINISTRADORES E OUTROS CARGOS

As viagens desnecessárias devem ser evitadas. Somente deverão ser atendidas aquelas que são oradas pelo Ministério, e confirmadas. Toda a documentação relativa às viagens efetuadas, deve ser verificada e conferida no ato da devolução do envelope. Os diáconos devem manter os envelopes com toda a documentação, conforme determina a legislação em vigor. As viagens devem ser atendidas com os frutos da coleta de viagens.

38 - VIAGENS PARA SOLICITAÇÃO DE AJUDA

Fica vedado, ao ministério em geral, solicitar à irmandade ou nas congregações, ajuda para as construções nas suas cidades. Na localidade em que houver necessidade, deverá o assunto passar por uma reunião ministerial da região e essa dará a deliberação.

Por conseguinte, não devem ser enviados os números das contas bancárias com a intenção de nelas serem creditadas ofertas.

Os irmãos do ministério, da igreja visitada, devem vigiar, solicitando ao visitante para não tocar nesse assunto.

39 - COMPROMISSOS PARTICULARES - DÍVIDAS COM A IRMANDADE

A Congregação Cristã no Brasil não se responsabiliza pelos atos praticados por qualquer de seus membros, conforme consta do art. 9° do Estatuto. Os irmãos de Ministério não devem pedir dinheiro emprestado à irmandade, nem pedir fianças, avais, ou apresentação para conseguir empréstimos, e nem serem fiadores ou avalistas. Alguns perderam a condição de exercer o ministério, pois não tiveram meios de cumprir seus compromissos e perderam a confiança da irmandade.

40 - IRMÃOS QUE SE ENDIVIDARAM E EXERCEM MINISTÉRIO E CARGOS NA OBRA DE DEUS

Irmãos endividados, caso não tenham condições de pagar ou liquidar a dívida que contraíram, seu ministério ou cargo poderá sofrer detrimento. Aqueles que se encontrarem nessa situação devem procurar os anciães e diáconos mais antigos no Ministério expondo sua situação, para que seu caso seja considerado pela orientação que Deus dará aos Seus servos, pois não são todos os casos iguais.

Irmãos que sempre trabalharam como empregados e são apresentados para o Ministério, não devem deixar o trabalho assalariado. Existem casos de irmãos que eram empregados e depois que passaram para o Ministério deixaram seus empregos, alegando que não podiam atender unções, funerais, etc., e ficaram em situação financeira muito difícil.

41 - COMPRA DE TERRENOS PARA A CONSTRUÇÃO DE CASAS DE ORAÇÃO

Antes que o Ministério se comprometa com a aquisição de uma propriedade, é aconselhável que a Administração examine a documentação do imóvel, e os irmãos engenheiros verifiquem se, tecnicamente ele comporta a construção de uma casa de oração, sempre atentos ao principio de que se deve orar para que Deus confirme que se faça uma compra em certa região, porém, não especificamente de determinada propriedade.

42 - IMÓVEIS QUE NÃO SÃO APROPRIADOS PARA A CONSTRUÇÃO DE CASAS DE ORAÇÃO

Imóveis que passaram para a propriedade da Congregação, provenientes de doações, legados, etc., e que não se prestam para a construção de uma casa de oração, devem ser vendidos mas, sempre tomando-se a cautela de, previamente pedir orçamentos de três empresas idôneas, que confirmem o valor médio da propriedade. Desta forma, evitaremos problemas para a Congregação e murmurações dentre a irmandade, de que alguém poderia ter se beneficiado com essa transação.

TÓPICOS DO MINISTÉRIO DA OBRA DA PIEDADE

1 - DIÁCONOS QUE PRESIDEM REUNIÕES DE ATENDIMENTO

Não devem decidir os assuntos sozinhos mas, unidos com os seus conservos, que sempre devem respeitar aquele que preside. Este, por sua vez, deverá obedecer à Palavra de Deus que diz: Quem preside, presida com cuidado. Outrossim, devem tratar os conservos e irmãs da Obra da Piedade com mansidão e humildade. Não havendo confirmação de algum caso, deverá ser marcada visita juntamente com as irmãs da Piedade.

2 - INTERNAÇÕES HOSPITALARES

Os irmãos enfermos sem recursos nas suas cidades, deverão procurar internações nas localidades próximas. Não tendo convênio médico deverão recorrer ao SUS (Sistema Único de Saúde). Nas internações o enfermo deve fazer-se acompanhar de uma pessoa responsável, bem como de toda documentação pessoal e médica do local de origem. O pagamento de despesas, se houver, não é de responsabilidade da Congregação. Devemos usar de imparcialidade, tanto com o Ministério como com a irmandade em geral. Lembramos à irmandade a necessidade de contribuir para o INSS.

3 - DESPESAS COM O FUNERAL

Caso um funeral tenha que ser atendido pela Obra da Piedade, este deverá ser o mais simples, tanto para o Ministério como para a irmandade em geral, não podendo ser feita acepção de pessoas.

4 - ATENDIMENTOS DIFERENCIADOS - CALAMIDADES

Os atendimentos deverão ser feitos de acordo com a necessidade e com imparcialidade, com a guia de Deus.

5 - REGIONAIS DE ATENDIMENTO

Os trabalhos nas Regionais de Atendimento da Obra da Piedade devem ser


feitos em conjunto. Devem ser formadas equipes de trabalho, distribuindo-se a responsabilidade das funções a cada diácono. Deve haver, também, supervisão para que tudo possa ser feito em perfeita ordem.

6 - COMPROMISSOS PARTICULARES - DÍVIDAS COM A IRMANDADE

A Congregação Cristã no Brasil não se responsabiliza pelos atos praticados por qualquer de seus membros, conforme consta do art. 9° do Estatuto. Os irmãos de Ministério não devem pedir dinheiro emprestado à irmandade, nem pedir fianças, avais, ou apresentação para conseguir empréstimos, e nem serem fiadores ou avalistas. Alguns perderam a condição de exercer o ministério, pois, não tiveram meios de cumprir seus compromissos e perderam a confiança da irmandade.

7 - IRMÃOS QUE SE ENDIVIDARAM E EXERCEM "MINISTÉRIO E CARGOS NA OBRA DE DEUS

Irmãos endividados, caso não tenham condições de pagar ou liquidar a dívida que contraíram, seu ministério ou cargo poderá, sofrer detrimento. Aqueles que se encontrarem nessa situação devem procurar os anciães e diáconos mais antigos no Ministério expondo sua situação, para que seu caso seja considerado pela orientação que Deus dará aos Seus servos, pois não são todos os casos iguais.

Irmãos que sempre trabalharam como empregados e são apresentados para o Ministério, não devem deixar o trabalho assalariado. Existem casos de irmãos que eram empregados e depois que passaram para o Ministério deixaram seus empregos alegando que não podiam atender unções, funerais, etc., e ficaram em situação financeira muito difícil.

8 - VIAGENS MISSIONÁRIAS - ANCIÃES, DIÁCONOS, COOPERADORES, ADMINISTRADORES E OUTROS CARGOS

As viagens desnecessárias devem ser evitadas. Somente deverão ser atendidas aquelas que são oradas pelo Ministério, e confirmadas. Toda a documentação relativa às viagens efetuadas deve ser verificada e conferida no ato da devolução do envelope. Os diáconos devem manter, os envelopes com toda a documentação, conforme determina a legislação em vigor. As viagens devem ser atendidas com os frutos da coleta de viagens.

9 - VIAGENS PARA SOLICITAÇÃO DE AJUDA

Fica vedado, ao ministério em geral, solicitar à irmandade ou nas congregações, ajuda para as construções nas suas cidades. Na localidade em que houver necessidade, deverá o assunto passar por uma reunião ministerial da região e essa dará a deliberação.

Por conseguinte, não devem ser enviados os números das contas bancárias com a intenção de nelas serem creditadas ofertas.

Os irmãos do ministério, da igreja visitada, devem vigiar, solicitando ao visitante para não tocar nesse assunto.






Admin
Admin

Mensagens : 1049
Pontos : 2451
Data de inscrição : 24/05/2009

http://oulorivallan.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Todos os tópicos de ensinamentos da CCB 1961em diante Até 2010

Mensagem por Admin em 25th Julho 2010, 4:28 pm

Tópicos de ensinamentos 2002 - 67 - Assembléia


CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL

TÓPICOS DE ENSINAMENTOS

67ª ASSEMBLÉIA - 2002

67ª ASSEMBLÉIA - 2002 - RESUMO DE ENSINAMENTOS

SÃO PAULO - 25 A 29 DE MARCO DE 2002

INICIARAM-SE ESTAS REUNIÕES EM NOME DO SENHOR JESUS

Atencão: Somente os tópicos a seguir, assinalados com aste risco (*) deverão ser lidos nas congregações, perante a irmandade.

* 1 - FERIADOS RELIGIOSOS - COMEMORAÇÕES

Em feriados religiosos exorta-se a irmandade a que se alimente normalmente, como nos dias comuns, sem nenhuma intenção de celebrar aquele determinado dia, como também se exorta a que não haja decorações referentes à data. Em casas da irmandade onde uma parte não é da fé, há necessidade de muita prudência. A Palavra de Deus aconselha a que fujamos da idolatria e dos seus costumes. Caso necessite melhores esclarecimentos, a irmandade aconselhe-se com os servos de Deus do ministério da Igreja.

* 2 - CASAIS DE NAMORADOS QUE SE UNEM ANTES DO CASAMENTO

Unir-se antes do casamento é considerado pecado de fornicação. Aqueles que assim procederem não deverão orar, nem testemunhar e nem chamar hinos na Igreja. Sendo músicos ou organistas, também não deverão tocar. Se tiverem algum cargo na Obra de Deus, serão destituídos.

Nossa mocidade deve, acima de tudo, andar em santidade, consagrando o seu corpo a Deus, não andando segundo o desenfreamento do mundo. Nossos jovens que vão contrair matrimônio devem, respeitosamente, aguardar o dia das núpcias para se unirem no temor de Deus.

* 3 - EXORTAR A IRMANDADE A LER A BIBLIA SAGRADA

A irmandade deve ser ensinada e incentivada a ler as Escrituras Sagradas. Há irmãos que nunca lêem a Biblia, não têm qualquer conhecimento do seu conteúdo. O apóstolo São Paulo falou a Timóteo “persiste em ler" (I Tim., cap. 4, v" 13).

* 4 - FUNERAIS - HORÁRIO - DURAÇÃO

Ao comunicar um funeral, deverá ser anunciada a hora da saída do enterro. O serviço divino no funeral não deverá ultrapassar de uma hora. Outrossim, em funerais não deverá haver orquestra e nem saudação com o ósculo, como temos sido ensinados.

Também não se deve tocar nossos Hinos em festas de casamento.

* 5 - TESTEMUNHOS - TRANSMITIR SAUDAÇÕES

Lembramos à irmandade que mora e congrega em bairros da mesma cidade que, de uma congregação para outra não é necessário trazer e levar saudações.

* 6 - CASAMENTOS - ONDE DEVE SER FEITA A ORAÇÃO

Os servos primitivos sempre fizeram a oração no lugar onde os noivos se casavam e os convidados se reuniam para comemorar, em casa ou no salão. E assim deve continuar. Se o casamento for celebrado em um cartório, ora-se depois no local para onde os noivos e convidados se dirigirem para celebrar, seja em casa ou no salão. Deve-se ensinar a irmandade a se guardar da vaidade e das apresentações mundanas quanto aos trajes e ao porte, nas festas de casamento. As irmãs deverão levar seus véus em suas bolsas. Ora-se ajoelhados.

A irmandade não deve se esquecer da moderação na alimentação e nas bebidas, para não dar mau testemunho.

* 7 - HINO DOS MÚSICOS, APÓS O ENCERRAMENTO DO CULTO

(Repetição do Tópico 16, de 1994)

Deve-se tocar só uma estrofe e o coro do Hino dos músicos, após o encerramento do culto, sem exceção.

* 8 - ATENDIMENTOS AOS NECESSITADOS DE REGIÕES CARENTES

Se Deus revelar para algum irmão a necessidade de atender alguma localidade, deverá fazê-lo sempre de forma sigilosa e com seus próprios recursos, sem o intuito de aparecer, e o Nome de Deus será glorificado.

Alguns, tendo prazer em viajar, vão de casa em casa de nossos irmãos pedindo ajuda em dinheiro, roupas, mantimentos, lotam caminhões ou caminhonetes e viajam em grupos dizendo-se em missão. Dirigem-se para a localidade, hospedam-se em casa de irmãos que nem sempre têm condições, e fazem a distribuição sem comunicar ao ministério local, menosprezando, assim, os que Deus colocou para o atendimento. Ao retornar contam nas congregações testemunhos que deixam dúvidas quanto à sua veracidade.

Não convém que a irmandade proceda dessa maneira, mas que entreguem suas ofertas e coletas, cada um em sua comum congregação. Os irmãos que desejam viajar devem hospedar-se em hotéis, evitando dar prejuízo às famílias.

Quem levar recursos para outras localidades deve procurar os diáconos dessas regiões para que estes, com a guia de Deus, efetuem as distribuições.

* 9 - JOGOS DE AZAR - EVITAR

A irmandade não deve participar e nem se envolver em jogos de azar.

*10 - DOUTRINA - ADÃO, O PRIMEIRO HOMEM

Alguns irmãos não conhecendo bem as Escrituras, entendem que antes de Adão havia homens na terra. Nós porém, que cremos e aceitamos a Bíblia Sagrada como contendo a infalível Palavra de Deus, temos que nos ater ao que está escrito. No capítulo 2, verso 4, do livro de Gênesis vem dito: “Estas são as origens dos céus e da terra, quando foram criados; no dia em que o Senhor Deus fez a terra e os céus, E toda a planta do campo que ainda não estava na terra, e toda a erva do campo que ainda não brotava; porque ainda o Senhor Deus não tinha feito chover sobre a terra, e não havia homem para lavrar a terra”.

Também está escrito que Eva foi a mãe de todos os viventes.

* 11 - TESTEMUNHOS NOS CULTOS

Alguns testemunhos se prolongam demasiadamente porque a irmandade não sabe resumir, contam o que aconteceu com muitos detalhes desnecessários, se alongam demais e quase não sobra tempo para outros testemunhos e para a Palavra. É preciso exortar a que procurem resumir, evitando detalhes que de nenhum proveito são para a irmandade e tornam os cultos cansativos.

* 12 - INSTRUMENTO "POCKET" APROVADO PARA SER INCLUIDO EM NOSSAS ORQUESTRAS

Trata-se de um instrumento que em nada difere do trompete comum (pistão), a não ser no tamanho menor. O som é idêntico e o ministério, havendo considerado, deliberou aprová-lo para uso geral em todas as nossas orquestras.

ATENCÃO: OS TÓPICOS A SEGUIR SÃO SÓ PARA O MINISTÉRIO.

13 - REUNIÕES PARA A MOCIDADE - HORÁRIO PARA TERMINAR

As reuniões para a mocidade não devem terminar tarde. Considera-se que duas horas sejam suficientes para a sua duração, com a tolerância de alguns poucos minutos, lembrando também que, em algumas localidades os cultos aos domingos são iniciados às 18 horas e 30 minutos. Os servos que não atenderem a esta orientação serão imediatamente chamados e advertidos em reunião ministerial.

14 - PREGAÇÃO NAS REUNIÕES PARA A MOCIDADE - CAUTELAS

Em algumas reuniões para a mocidade alguns anciães estão exagerando um pouco, falando o que não deve ser falado, dando mandamentos que não encontram fundamento nas Escrituras Sagradas e nem na luz de Deus. O que é de Deus só tem uma interpretação: aquela que o Espirito Santo dá à Igreja. Mas muitos interpretam à sua maneira e aí vem a tristeza e a reprovação de Deus no coração daqueles que estão ouvindo. Não podemos deixar que se espalhe entre a irmandade outra doutrina. Sobre os ombros do Senhor Jesus é que está esta Obra. Deus nos ajude a fazer a Sua vontade e nos revista da humildade e da espiritualidade, não imitando os homens que não conhecem a Deus e vivem carnalmente, procurando ser vistos nesta Obra. O tempo é mau e trabalhoso sobre a face da terra. Devemos pedir a Deus que nos socorra e nos ajude, pondo em nossas mãos as ferramentas necessárias para manter a unidade no meio da Sua Obra. E a principal ferramenta é a caridade.

15 - CELEBRAÇÃO DA REUNIÃO ANUAL DE ENSINAMENTOS

Primeiramente abre-se a reunião, canta-se um hino, faz-se a oração e se lê a Palavra. Em seguida entra-se nos assuntos para os quais foi convocada a reunião. É necessário que fiquemos todos nesta linha e nesta santa tradição.

Também nas reuniões em que se ora para novos obreiros se fazia assim pelo passado e assim deve continuar. Os mais novos no ministério devem aguardar pelos mais antigos, na apresentação e na confirmação. Quem apresenta não deve se manifestar.

16 - COMPARECIMENTO DOS DIÁCONOS NAS REUNIÕES GERAIS EM SÃO PAULO

A partir das Reuniões Gerais de Ensinamentos do próximo ano (2003), deverão vir a São Paulo somente os diáconos mais antigos de cada região ou Estado que forem convocados.

17 - IRMÃO SEM MINISTÉRIO - NÃO FREQÜENTAR REUNIÃO MINISTERIAL

Irmão sem ministério, embora se dedique a viajar com seu veículo próprio, com um servo em missão, não lhe é permitido freqüentar reuniões ministeriais e da Obra da Piedade. Alguns irmãos de ministério têm permitido a entrada de acompanhantes, dos quais alguns até chegaram a presidir culto e pregar a Palavra, o que não convém.

18 - REUNIÕES MINISTERIAIS - NÃO COMPARECEREM ENCARREGADOS REGIO NAIS DE ORQUESTRA, NEM COOPERADORES DE JOVENS E MENORES

(Repetição do Tópico 16, de 1988)

Em reuniões ministeriais anuais e regionais não devem comparecer encarregados regionais ou locais de orquestra, nem cooperadores de jovens e menores. Encarregados regionais que tiverem ensaios para marcar procurem se comunicar com os anciães que irão atender, nas suas comuns congregações.

19 - ENSAIOS REGIONAIS EM OUTRAS LOCALIDADES - PRECAUÇÕES

Irmãos anciães devem ter precauções quanto a convidar encarregados regionais para atenderem ensaios em suas localidades e Estados. A mesma prudência deve-se esperar dos encarregados regionais. Um dos objetivos é evitar o comparecimento exagerado e maciço dos irmãos músicos nas localidades onde se realizam os ensaios. Os anciães e encarregados regionais mantenham sobriedade e controle nesse assunto.

Outrossim, o encarregado regional que pretender sair de sua região para atender fora, no mesmo Estado ou em outro, deverá apresentar o assunto ao ministério local para que seja considerado e deliberado em reunião ministerial.

20 - OFICIALIZAÇÃO DE IRMÃOS MÚSICOS

Em algumas regiões o ancião, ao apresentar músicos e organistas que foram oficializados, chama-os em cima, no púlpito, faz a apresentação dos mesmos e depois faz uma oração. Isto não está correto.

Tornamos a lembrar o procedimento constante no Histórico e Instruções sobre as Orquestras nas Congregações: Nos exames deverá sempre estar presente um ancião, a fim de, após a aprovação, apresentar os cosnselhos necessários, mostrando aos músicos e organistas a responsabilidade que assumem perante Deus. Nessa mesma ocasião o ancião os apresentará a Deus em oração, ficando eles oficializados. Restará apenas serem apresentados à irmandade pelo ancião, nas suas congregações.

21 - ORAÇÃO DE AGRADECIMENTO COM FUNDO MUSICAL

Em algumas localidades, na oração de agradecimento o servo que está presidindo pede à organista que toque um hino bem suave, como um fundo musical, cuidando render mais comunhão. Aqueles que assim procedem devem cessar imediatamente, pois isto foge às santas tradições da Obra de Deus.

22 - APRESENTAÇÃO DE NOVOS OBREIROS

A apresentação de novos obreiros sempre deve ser feita pela guia de Deus. Deve haver bastante rigor na indicação e apresentação de novos obreiros, sempre por revelação de Deus. Deve-se verificar, sempre, se o irmão a ser apresentado tem realmente o dom de Deus e qual é esse dom, se da Palavra ou da Piedade.

Outrossim, a apresentação de irmãs para a Obra da Piedade e encarregados locais de orquestra, bem como a colocação de porteiros, deve sempre ser considerada previamente na comunhão entre os anciães, os diáconos e os cooperadores locais.

23 - FICHA DE APRESENTAÇÃO DE COOPERADORES

Ao se apresentar um irmão para cooperador do ofício ministerial ou de jovens e menores, deverá ser preenchida uma Ficha de Apresentação semelhante àquelas utilizadas para a apresentação de anciães e de diáconos.

24 - BANQUETES POR OCASIÃO DE ORDENAÇÕES

Há localidades em que são alugados salões e se fazem churrascada e distribuição de bebidas até para estranhos que por ali passam, por ocasião da ordenação de anciães e diáconos. Já fomos ensinados a não fazer banquetes nessas ocasiões (tópico de 1976). A Palavra de Deus diz que os presbíteros não devem ser dados ao vinho. Evitemos tudo o que possa causar escândalo ou tropeço aos irmãos e aos de fora.

25 - HINOS NAS SANTAS CEIAS

Os hinos serão chamados pelo Ancião que presidir a santa ceia, na seqüência, conforme a lista no índice do hinário, até o sexto hino, que é o 394. Quando começar a distribuição, o servo que preside não precisa seguir a seqüência do índice. Poderá alternar os números.

26 - CÔNJUGES QUE CAEM NO PECADO

Ancião, diácono, cooperador e cooperador de jovens e menores, cuja esposa cair em pecado, se quiser conviver com ela, perderá o ministério. Os demais casos, dentre a irmandade, serão julgados pelo ministério, conforme a luz de Deus.

27 - SEPARAÇÃO DE CASAIS DENTRE A IRMANDADE

A Palavra de Deus determina que o homem não separe o que Deus ajuntou. Quando ocorrer uma separação de casais dentre a irmandade, ambos ficarão sem liberdade na Igreja. Porém, se ficar evidente que um dos cônjuges não é culpado, a parte que permanecer fiel a Deus, continuará com liberdade na Igreja.

28 - USO DO VÉU PARA AS QUE PECARAM

Há irmãos do ministério que, em sua região, impedem as que pecaram de usar véu na igreja. Esse impedimento deve cessar, pois não se encontra em nenhum ponto da doutrina apostólica um ensinamento de que uma mulher, nessas condições, deixe de usar o véu na igreja. Isso discrimina, humilha e identifica a que errou. Como faríamos com um irmão que tivesse cometido um erro idêntico? Dessa maneira ela fica marcada, causando espanto até para as pessoas que visitam a igreja e a conheceram como nossa irmã na fé, as quais ficarão sabendo que ela cometeu um pecado. Assim a colocaremos em profunda tristeza e amargura e haverá o risco de que se perca totalmente, sentindo-se completamente desprezada. Temos também que nos lembrar de seus filhos e filhas, além de outros seus parentes. Não cremos que esse procedimento seja revelação de Deus.

Isto está confirmado pelo tópico n° 3, da Assembléia de 1984.

29 - BATISMO - ORAÇÃO NAS ÁGUAS

O Ancião, ao orar nas águas do batismo deve impor uma só mão sobre a cabeça de quem vai ser batizado e, com a outra segurar-lhe as mãos cruzadas. Em seguida, pronunciar as palavras do batismo e imergir a pessoa. A mão que estava imposta sobre a cabeça desloca-se para o pescoço para reerguer a pessoa das águas. Nunca se deve impor as duas mãos sobre a cabeça de quem vai ser batizado. Somente uma: ou a direita, ou a esquerda. A oração nas águas não deve ser prolongada.

Nos batismos, quem ajudar no tanque deverá deixar o ancião imergir a pessoa e somente ajudá-lo a levantá-la, se necessário.

30 - ANCIÃES RECÉM ORDENADOS

Anciães recém ordenados não devem se precipitar no atendimento de batismos, santas ceias e reuniões da mocidade. Procurem adquirir um pouco de experiência dos mais antigos e aguardar o tempo necessário, sem solicitude.

31 - CREMACÃO - SERVIÇO DIVINO EM FUNERAL

Já saiu um ensinamento, em 1981, de que não convém cremar os corpos mas, se possível, deixá-los como estão.

Se alguma família mandar cremar o corpo, não se pode dizer que eles pecaram, ou que feriram a doutrina. Não podemos deixar de fazer o servíço divino no funeral, mesmo sabendo que, depois do serviço, em vez de enterrar o corpo a família mandará cremá-lo.

Fiquemos nesse ensinamento: o serviço divino no funeral deve ser feito com o corpo presente. Quanto ao resto, deixemos nas mãos de Deus.

32 - ANÚNCIOS EM LISTAS DE BATISMOS

Nas listas de batismos não deve ser colocado o nome do ancião que vai atender as reuniões da mocidade e nem dos encarregados regionais que vão atender os ensaios regionais.

33 - TÓPICOS DAS REUNIÕES GERAIS DE ENSINAMENTOS

Em alguns locais, irmãos do ministério reúnem-se depois das reuniões gerais de ensinamentos para considerar quais os tópicos que convém e quais os que não convém ler na congregação. Alguns chegam a dizer, perante a irmandade: “Este tópico diz assim, mas eu vou fazer como Deus me faz sentir.”

Os tópicos são elaborados na comunhão do ministério de todo o Brasil e do Exterior, e nenhum deve deixar de ser lido e posto em prática, tanto aqueles que são para a irmandade como aqueles dirigidos ao ministério.

34 - LIBERDADE EXCESSIVA - COMPORTAMENTO INADEQUADO - IMPUNIDADE

Sempre se exorta para se observar um comportamento moderado, evitando exageros na presidência dos cultos e, principalmente, na pregação da Palavra. Lamentavelmente, conselhos de tanta utilidade não têm sido observados. Há anciães, cooperadores e cooperadores de jovens e menores que têm usado de liberdade excessiva e inadequada perante o povo. Pregações com exagerada eloquência e promessas que não se cumprem. Gritam, pulam, gesticulam em demasia, prometem empregos, casamentos, filhos, missão, etc. Isto tem causado transtornos aos menos avisados com embaraços no matrimônio, nos negócios e viagens desnecessárias. Para darem a impressão de super-revestidos de dons, tais irmãos deixam transparecer, diante do povo, desafios ao santo ministério mais idôneo. O conceito do ministério vem decaindo diante da irmandade que, às vezes, reclama citando que isto ocorre porque ninguém toma providências. Considerando a gravidade da situação, delibera-se que, doravante, as situações que se apresentarem serão consideradas pelos anciães mais antigos em cada região e, sendo necessário, o caso será encaminhado à reunião regional, ocasião em que os envolvidos serão severamente exortados e, dependendo da gravidade, impedidos de exercer o ministério da Palavra, por estarem dividindo o ministério e a irmandade.

35 - SINDICATOS E ASSOCIAÇÕES DE CLASSE

Irmãos de ministério não devem participar da direção de sindicatos e associações de classe.

36 - COLETAS MARCADAS E PRÉ-ANOTADAS

Tem havido muitas reclamações quanto à forma de se efetuar coletas em muitas localidades, ou seja, coletas marcadas e pré-anotadas, forçando a irmandade com listas e vales para pagamento posterior, listas de materiais de construções, listas para instrumentos musicais, etc. Os que persistirem em não atender a este conselho serão chamados pelo Ministério.

Não deve haver pressão sobre a irmandade, pois ela deve ser livre para contribuir de acordo com a vontade de Deus.

Doações voluntárias de materiais são aceitas, desde que sejam no padrão que a Congregação utiliza.

TÓPICOS DO MINISTÉRIO DA OBRA DA PIEDADE

1 - REUNIÕES DE ENSINAMENTOS DA OBRA DA PIEDADE

Nessas reuniões devem participar: anciães, cooperadores do oficio ministerial, diáconos, irmãs da Obra da Piedade e irmãs do almoxarifado da Piedade, isto é, só os irmãos que têm ministério na Obra de Deus.

O diácono que atende deve ministrar os ensinamentos necessários, procurando observar o horário da reunião, não prolongando demais os assuntos.

2 - REUNIÕES DE ENSINAMENTOS PARA PORTEIROS

Nessas reuniões devem estar presentes: anciães, cooperadores do ofício ministerial, diáconos, porteiros, operadores de som, administradores e comodatários.

A reunião é aberta Em Nome do Senhor Jesus e presidida por um ancião. Deverá cantar-se um hino, ter oração e Palavra.

Em seguida os irmãos anciães e diáconos devem ministrar os ensinamentos necessários, observando-se, também, o tempo. Após, o Senhor guiará o ancião que estiver presidindo até o encerramento.

3 - COMPARECIMENTO ÀS REUNIÕES MINISTERIAIS E REGIONAIS DA OBRA DA PIEDADE

É dever de todos os diáconos comparecer a essas reuniões ministeriais e regionais da Obra da Piedade. Devemos ser responsáveis no ministério que Deus nos tem concedido.

4 - VIAGENS MISSIONÁRIAS COM VEÍCULOS PRÓPRIOS OU DE TERCEIROS

A Congregação Cristã no Brasil não se responsabiliza por eventuais danos pessoais, bem como materiais causados nos veículos utilizados em viagens missionárias. Caso o veiculo seja utilizado para conduzir servos de Deus em missão, devem ser observados os seguintes itens:

a) Estar em bom estado de conservação (mecânica e pneus);

b) A documentação do motorista e do veiculo devem estar em ordem;

c) O veiculo deve estar segurado com cobertura total;

d) O irmão que se sentir de levar os servos de Deus na missão deverá ter disponibilidade de tempo, sem prejuízo de seus compromissos.

5 - REVISÕES PERIÓDICAS NAS REGIONAIS DA OBRA DA PIEDADE

Essas revisões estão sendo executadas nas Regionais de Atendimento, para manter -se a uniformidade dos procedimentos relativos à documentação e escrituração da Obra da Piedade, e também para estarmos de acordo com as leis vigentes.

Todos os procedimentos constam do Manual de Escrituração da Obra da Piedade, que devem ser obedecidos.

É necessário a presença de todos os diáconos da localidade por ocasião das revisões e os livros, bem como toda a documentação, devem ser colocados à disposição dos revisores.

6 - VIAGENS POR CONVITES

O atendimento das viagens missionárias pelo Caixa de Viagens, somente será autorizado quando consideradas em reunião de ministério, sendo orado e confirmadas.

Admin
Admin

Mensagens : 1049
Pontos : 2451
Data de inscrição : 24/05/2009

http://oulorivallan.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Todos os tópicos de ensinamentos da CCB 1961em diante Até 2010

Mensagem por Admin em 25th Julho 2010, 4:29 pm

Tópicos de ensinamentos 2003 - 68 - Assembléia


CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL

TÓPICOS DE ENSINAMENTOS

68ª ASSEMBLÉIA - 2003

68ª ASSEMBLÉIA - 2003 - RESUMO DE ENSINAMENTOS

SÃO PAULO - 16 A 20 DE ABRIL DE 2003

INICIARAM-SE ESTAS REUNIÕES EM NOME DO SENHOR JESUS

Atencão: Somente os tópicos a seguir, assinalados com aste risco (*) deverão ser lidos nas congregações, perante a irmandade.

* 1 - EVITAR CONVERSAÇÕES ANTES E DURANTE O CULTO

A irmandade deve ser exortada a permanecer em comunhão, mesmo quando a organista estiver tocando a meia hora, evitando as conversações antes e durante os cultos. Deve-se exortar, também, a que prestem atenção aos testemunhos e não fiquem lendo, conversando, levantando-se do lugar ou distraindo-se com qualquer outra coisa. Devemos nos lembrar que estamos na casa de Deus e na presença d'Ele.

* 2 - ASSUNTOS QUE NÃO DEVEM SER RELATADOS NOS TESTEMUNHOS

Aqueles que se convertem não devem relatar nos testemunhos que foram drogados ou estiveram envolvidos em crimes e que Deus os libertou quando os chamou para esta graça.

Outrossim, a irmandade deve ser exortada a não relatar pormenores que não são de proveito para a igreja, notadamente sobre internações, cirurgias, gestações, gravidez, parto, etc. Deve-se agradecer, com poucas palavras, a obra que Deus operou, sem entrar em pormenores.

* 3 - VIAGENS POR CONTA PRÓPRIA

Sabemos que os servos de Deus têm dons diferenciados, uns dos outros, porém, a irmandade não deve tomar a iniciativa de convidar anciães para atender cultos ou reuniões da mocidade em suas congregações. Os convites, quando aprovados em reunião, devem partir sempre do ministério.

O mesmo se aplica, também, a encarregados regionais de orquestras. Já há ensinamento (Assembléia de 1995), segundo o qual os encarregados regionais foram colocados por Deus para atender cada qual a sua região. Atendimentos a outras regiões devem passar por reunião ministerial.

* 4- VÉUS - NOVIDADES

Em muitas localidades estão surgindo véus diferentes dos que as irmãs sempre usaram até agora: são véus com rendas enormes, véus especiais para organistas e até véus de cores diferentes, que não são totalmente brancos. Em algumas localidades há véus com figuras de pássaros e outros desenhos. Deve-se parar imediatamente com essas novidades e permanecer na simplicidade que sempre tivemos, desde o princípio da Obra de Deus.

No funeral de uma irmã, não é necessário cobrir-lhe a cabeça com o véu. A Palavra de Deus manda que a mulher se cubra com o véu quando ora ou profetiza. E isto se refere aos vivos. Também não se deve colocar a Bíblia e nem o Hinário dentro do caixão.

* 5 - CHAMAR HINOS NOS CULTOS

Os servos de Deus devem orientar a irmandade no sentido de que, quem chamar um hino deverá levantar-se e mencionar o número, algarismo por algarismo.

* 6 - DROGAS E TÓXICOS - ALERTAR PAIS E MOCIDADE QUANTO À DISSEMINAÇÃO NAS ESCOLAS - PERIGO DE ACEITAR COMESTÍVEIS DE ESTRANHOS

A infiltração de drogas e tóxicos nas escolas vem aumentando. Devemos alertar jovens e crianças para que recusem toda e qualquer oferta de estranhos: bombons, balas, doces, pipocas, etc. Os disseminadores de drogas injetam-nas nesses produtos e quem os come adquire o vício. Há drogas tão fortes que basta provar uma vez para ficar viciado.

Este mal vem crescendo e tem vitimado filhos e filhas de nossos irmãos. Muitos, após se tornarem viciados, enveredam pela senda do crime. Temos que clamar a Deus que guarde nossos filhos desse terrível mal..

Este tópico deverá ser lido periodicamente nos cultos, nas reuniões da mocidade e, sempre que possível, nas reuniões de jovens e menores.

* 7 - AIDS - EXAME PRÉ-NUPCIAL

Os irmãos e irmãs jovens, principalmente os que obedeceram a Deus na juventude, devem ser aconselhados, nas reuniões para a mocidade, sobre a conveniência de se submeterem a exame pré nupcial, principalmente para prevenir-se contra os riscos de contaminação da AIDS, pois trata-se de uma enfermidade gravíssima, que pode ser contraída até mesmo acidentalmente, como por exemplo, através de uma transfusão de sangue.

* 8 - CARTAS ANÔNIMAS - RESUMO DA CONVENÇÃO DE 1936/1948

Cartas anônimas não merecem nossa atenção. Todas as cartas devem ter o nome, a assinatura e o endereço verdadeiros de quem as escreve. As anônimas não merecem crédito e devem ser inutilizadas. Não se deve perder tempo em lê-las.

ATENÇÃO: OS TÓPICOS A SEGUIR SÃO SÓ PARA O MINISTÉRIO.

9 - CASAMENTO DE IRMÃOS DO MINISTÉRIO COM IRMÃS DIVORCIADAS

Este assunto tem passado por reuniões ministeriais e têm se considerado não ser conveniente irmãos do ministério, viúvos, casarem com irmãs divorciadas.

Porém, se algum ancião, cooperador, diácono ou cooperador de jovens e menores, viúvo, quiser casar com uma irmã divorciada, deverá renunciar ao seu ministério.

Esta deliberação não afeta a condição dos servos que, com base no tópico nº 5, de 1993, vieram a casar-se em segundas núpcias, com irmãs divorciadas.

10 - SERVOS VIÚVOS QUE TORNAM A CASAR APÓS POUCOS MESES DO FALECIMENTO DA ESPOSA

Quem procede dessa forma apresenta um aspecto não bom e dá motivo para comentários entre a irmandade. O próprio bom senso indica que se deve respeitar um tempo considerável entre o falecimento da esposa e as novas núpcias, se possível, de aproximadamente um ano. Todavia, casos excepcionais serão considerados pelo ministério.

Lembramos, também, que já há ensinamento antigo (1972), no sentido de que não deve haver muita diferença de idade entre ambos.

11 - MUDANÇAS DE LOCALIDADE (Tópico nº 4, de 1993)

Toda mudança de servos de Deus, anciães, diáconos e cooperadores, em caráter definitivo ou missão temporária, deve passar, primeiramente por reunião ministerial da região e, depois, obter-se a concordância dos anciães da localidade para onde pretende mudar-se. Após, cada caso será examinado pelos anciães mais velhos. Sendo aprovada a mudança, o servo irá com ministério. Se a mudança não for aprovada, irá sem ministério. Quem muda por conveniência, interesse próprio ou motivo financeiro, também irá sem ministério.

Quem muda sem ministério não poderá levantar com a Palavra. Se for diácono, não poderá interferir na Obra da Piedade.

Deve ser considerado o caso de transferência por intermédio da firma onde o servo de Deus trabalha, se a mesma partiu da empresa ou a pedido do interessado. Os servos, segundo as Escrituras, são ordenados para atender as congregações às quais pertencem.

12 - ORDENAÇÃO DE ANCIÃO

Delibera-se que, quando se vai ordenar um ancião e já há um cooperador naquela igreja, deve se chamá-lo para ir em cima do púlpito, junto aos demais anciães e diáconos ali presentes.

13 - DENOMINAÇÕES ESTRANHAS À NOSSA FÉ - CUIDADO NAS PREGAÇÕES

Devemos ter cuidado nas pregações, jamais mencionando o nome de qualquer denominação, seja ela qual for. Se Deus der, pode-se falar em feitiçaria, como está nas escrituras, mas não relacionar isso com qualquer denominação. Temos que exortar com prudência e cuidado para não sofrermos as conseqüências da falta de entendimento. Jamais vamos aprovar a feitiçaria ou a bruxaria, mas não podemos relacionar isso com o nome de qualquer religião ou denominação. Não vamos jamais aprovar o mal, nem a idolatria e nem a feitiçaria, mas há maneiras de falar sem nos tornarmos culpados de nada.

14 - SANTA CEIA - PARTICIPAÇÃO DO MINISTÉRIO - LIBERDADE PARA RECONCILIAÇÃO

Todo o ministério local (anciães, diáconos, cooperador e cooperador de jovens e menores), deve participar na última rodada, na qual também participam os que serviram a santa ceia, ficando ajoelhados até o final da oração de agradecimento.

O ancião que preside não deve descer do púlpito para tomar a santa ceia.

Aqueles que, por motivo de enfermidade grave, têm ficado para o final, participarão após o ministério.

A liberdade para reconciliação deve ser dada antes da Palavra e continuar até a última rodada. Essa liberdade não pode ser suprimida.

15 - MINISTÉRIO - HONRAR OS MAIS ANTIGOS

Deve ser observado o fundamento que temos, desde o princípio, de que os servos mais novos sempre honrem os mais antigos, notadamente na presidência da santa ceia, em aberturas de novas casas de oração, bem como em ordenações e na apresentação de novos obreiros.

16 - NÃO MISTURAR SERVIÇOS DIVINOS

Não se deve misturar um serviço divino com outro, ou seja, reunião da mocidade com batismo, batismo ou ensaio regional com santa ceia, ou qualquer outro. Cada qual deve ser celebrado isoladamente. Outrossim, a celebração de batismo deve ser previamente aprovada em reunião ministerial regional, exceto em caso de enfermidade grave.

17 - PREGAÇÃO - HÁBITOS QUE DEVEM SER ABOLIDOS (Tópico nº 30, de 1996)

Temos sempre dado ensinamentos a esse respeito, mas há servos de Deus que insistem em errar nestes pontos. Muitos batem na tribuna quando pregam. Na tribuna estão os dizeres "Em Nome do Senhor Jesus” e não é lugar para se estar batendo. Mais grave, ainda, é bater sobre a Bíblia. Esse costume deve ser abolido, pois é um desrespeito ao Nome do Senhor. A irmandade também nota isso e não aprova.

Não é necessário bater em lugar nenhum quando se exorta a Palavra. Outros correm de um lado para outro do púlpito e dão pulos enquanto pregam. Alguns batem na perna, outros batem palmas, dando um mau aspecto. E há os que exageram no falar, gritando na pregação. Esses hábitos devem acabar.

Outrossim, há pregadores que se preocupam mais em pregar promessas e libertações do que a doutrina. Nada deve ser feito por costume mas, por revelação de Deus.

18 - EVITAR O USO EXAGERADO DA PALAVRA "EU" NAS PREGAÇÕES

Muitos pregadores utilizam, exageradamente, a palavra "eu”, dirigindo-se à irmandade, nas pregações: "eu te falo”, "eu te mando”, "eu vou te libertar", "eu que te salvei", "eu que te trouxe até aqui", "eu te darei a vida etema", e assim por


diante. Isso não causa uma boa impressão, principalmente para novos na graça ou testemunhados que estão ouvindo a Palavra pela primeira vez. Dá a impressão de que o pregador estaria deixando Deus em segundo plano. Isso não fica bem e deve ser evitado.

19- RECEBIMENTO DE COLETAS

Os irmãos porteiros, que recebem as coletas, jamais devem se recusar a receber, seja de testemunhados ou de quem quer que seja, sob a alegação de que determinada pessoa não goza de bom testemunho. Esse procedimento é contrário à vontade de Deus.

20 - IRMÃOS PORTEIROS

Havendo necessidade de irmãos para porteiros, deve-se procurar, sempre que possível, não apresentar irmãos com muita idade, que às vezes têm problemas de saúde, deficiência de audição ou de visão.

21 - NÃO CANTAR HINOS AJOELHADOS NOS CULTOS

Já temos ensinamento sobre isso. Lembramos aos irmãos que atendem os cultos que nenhum hino deve ser cantado com a irmandade ajoelhada.

22 - MARCAÇÃO DE BATISMOS, SANTAS CEIAS E REUNIÕES PARA A MOCIDADE

Os irmãos anciães devem marcar o atendimento de batismos, santas ceias e reuniões para a mocidade, somente quanto estiverem presentes nas reuniões para os quais foi orado e confirmado.

Outrossim, antes de sair para atender algum desses serviços em outra cidade, o irmão ancião deverá levar o assunto em reunião ministerial para consideração.

23 - BATISMO

Quem atender o batismo deve considerar todos os que forem batizados com igualdade. Não se deve observar que "este irmão é filho de tal pessoa", ou "este era pastor e agora é ovelha". Não se deve exaltar a quem quer que seja. A glória é de Deus.

24 - VIAGENS POR CONTA PRÓPRIA, SEM HAVER ORADO E CONFIRMADO EM REUNIÃO MINISTERIAL

Viagens em missão são aquelas para as quais é orado e confirmado em reunião ministerial. Quem viaja por conta própria, deve se abster de interferir em assuntos da Obra de Deus nos lugares por onde passar.

Quem viaja a passeio ou por assuntos particulares, não sobrecarregue a irmandade: procure hospedar-se em hotéis. Há irmãos vendedores-viajantes que se alojam em casas de irmãos ou nas congregações. Procurem entrar dentro deste ensinamento.

25 - ADAPTAÇÃO DO ESTATUTO SOCIAL ÀS DISPOSIÇÕES DO NOVO CÓDIGO CIVIL

Com a entrada em vigor do novo Código Civil Brasileiro, surgiu a necessidade de adaptar o Estatuto da Congregação Cristã no Brasil às disposições ali contidas. Entretanto, face à premência de tempo em virtude do prazo estabelecido no art. 2.031, daquele diploma legal, a reunião deliberou, por unanimidade, nos termos do disposto no art. 37 do Estatuto vigente, outorgar poderes expressos à Administração São Paulo para proceder, como se fosse esta reunião, às adaptações que se fizerem necessárias, providenciando seu ulterior registro, no órgão competente, consoante o disposto em seu art. 40.

26 - CONVENÇÃO INTERNACIONAL DAS CONGREGAÇÕES CRISTÃS

Considerando assunto já trazido em reuniões anteriores, os anciães e diáconos do Brasil e do exterior, representando as Igrejas de seus respectivos países deliberaram, por unanimidade, celebrar, uma Convenção Internacional das CONGREGAÇÕES CRISTÃS, com a finalidade de declarar internacionalmente a unidade da fé entre si, a mesma origem histórica, os mesmos princípios cristãos de salvação, a mesma forma de organização material e a mesma compreensão da Bíblia Sagrada, contendo a infalível Palavra de Deus, manifestando idêntica comunhão espiritual e explicitando nesse documento a expressão dessa unidade, para servir de referência com vistas às necessidades de regularização institucional da Igreja nos países onde ainda não tenha sido legalmente instituída e registrada.

Essa Convenção terá instrumento em separado, para colher as assinaturas de todos os representantes das Igrejas dos países onde há Congregação constituída e naqueles em que, existindo fiéis, encontra-se em fase de constituição.

TÓPICOS DO MINISTÉRIO DA OBRA DA PIEDADE

1 - REUNIÃO DE ATENDIMENTOS - UNIFORMIDADE

Essa reunião é aberta Em Nome do Senhor Jesus, com uma oração a Deus. Não se canta hino e não há exortacão da Palavra.

É presidida pelo diácono mais antigo da região ou pelo seu imediato.

Nessas reuniões deve ser observado o silêncio e a perfeita comunhão para apresentação dos casos. Caso haja irmãs que tenham assuntos para tratar com o diácono, devem chegar à reunião antes do início, ou seja, com antecedência.

As irmãs, após a apresentação dos casos e a retirada dos frutos para o atendimento, ficam livres para se retirarem. Não há necessidade de obrigar-se as irmãs a permanecerem na reunião até o seu término.

2 - CALAMIDADES - NECESSIDADES - NÍVEL BRASIL

As localidades atingidas por enchentes, secas ou outras situações de emergência, devem primeiro recorrer às Regionais de atendimentos mais próximas. Estas, não tendo condições de atender. a necessidade, devem dirigir-se à Capital do Estado. Se, na Capital não houver recursos suficientes para o atendimento, então, por carta assinada pelos diáconos e pelo ministério local, recorrer à locali-


dade que atende a região necessitada.

As cartas devem ser enviadas somente para uma região; em caso de urgência, telefonar aos diáconos mais antigos no ministério, esclarecendo a situação.

Os Estados precisam ter vida própria, a irmandade deve ser bem orientada a contribuir nas coletas, Todas as transferências para atendimentos devem ser feitas por via bancária. Os diáconos da região que recebem os recursos devem acusar o recebimento fornecendo o impresso modo C-17 devidamente assinado, bem como fornecer também as cópias das notas fiscais de compra e a relação das famílias atendidas.

3 - UNIÃO E COMUNHÃO ENTRE O MINISTÉRIO

É dever de todos os servos de Deus viver em perfeita harmonia uns com os outros. Os diáconos não devem interferir em outros ministérios, da mesma forma, servos de outros ministérios não devem envolver-se na Obra da Piedade.

Os diáconos devem honrar os anciães, todavia, quanto ao exercício do ministério, a cada um foi dado uma parte a fazer, sendo que os diáconos, conforme a Palavra de Deus (Atos 6), foram constituídos para cuidar deste importante negócio.

4 - ATUAÇÃO DOS DIÁCONOS EM OUTROS SETORES

Os diáconos devem se aplicar com mais diligência no ministério da Obra da Piedade, procurando não interferir em outras funções que não são de sua competência. Devem deixar as construções para os engenheiros e construtores, e também não interferir na Administração, para que cada um cuide de sua responsabilidade.

Caso o diácono seja construtor poderá colaborar, se for solicitado.

5 - ATENDIMENTO COM CHEQUES

Os atendimentos aos necessitados devem ser feitos em dinheiro, e não em cheques.

As irmãs da Obra da Piedade devem fazer as compras na guia de Deus e deixar alguma importância na casa do necessitado para outras despesas.

A emissão de cheques da conta da Piedade e Viagens, terá as seguintes finalidades:

- saques para reunião de atendimentos e viagens missionárias;

- pagamento de compras de mercadorias para estoque no almoxarifado, sendo que neste caso os cheques devem ser nominais ao fornecedor, cruzados e anotando-se no verso a sua finalidade.

Os talonários de cheques não devem sair das congregações e devem ser guardados em segurança. Os diáconos não podem carregar consigo os talões de cheques, bem como não se deve assinar cheques em branco com antecedência.

Os diáconos responsáveis devem estar atentos para que toda a emissão de cheques tenha provisão de fundos suficientes e também não é permitido emitir-se cheques pré-datados.

6 - CUSTEIO DE VIAGENS PELO CAIXA

Os diáconos não podem utilizar o dinheiro da coleta de viagens para atender

irmãos que solicitam o pagamento de suas despesas nas viagens que não foram oradas e confirmadas, ou autorizadas pelos anciães ou diáconos mais antigos no ministério.

As coletas de viagens não são para custear despesas de irmãos em suas cidades ou localidades, como no atendimento de cultos, santas ceias ou funerais. Nestes casos há sempre irmãos dispostos e se oferecem para conduzir o servo de Deus.

Todas as viagens missionárias devem ser apresentadas em reunião, oradas e, sendo confirmadas, devem ser transcritas no livro de atas.

7 - DIÁCONOS - VIAGENS MISSIONÁRIAS

Os diáconos novos no ministério devem, com o tempo, adquirir experiência necessária e aguardar o convite dos mais antigos para alguma missão no atendimento de reuniões ou no auxilio à escrituração.

Não devem aceitar convites e, caso tenham o prazer de viajar para alguma cidade, precisam comunicar aos diáconos mais antigos, esclarecendo o motivo da viagem. Todos devem acatar os conselhos.

Aqueles que viajam em missão devem comunicar ao ministério local e também levar a saudação da irmandade, dando ciência de sua ausência nos cultos.

8 - DESPESAS COM FUNERAIS

A Obra da Piedade não tem obrigação de custear funerais. Freqüentemente, quando falece algum irmão, os diáconos são procurados pela família para tratar do funeral. Devemos ser prontos para ajudar, pois trata-se de hora muito difícil pela perda do ente querido.

Se, dentre os familiares, alguém tiver expediente e condições para custear o funeral, deixemos que assuma a responsabilidade. Caso o diácono seja solicitado, deverá acompanhar para alguma orientação. Sendo a família necessitada e se os parentes não tiverem condições de assumir a responsabilidade, deve-se esclarecer o tipo de funeral que é custeado pela Obra da Piedade.

Se alguém se propuser a providenciar e contratar um funeral de luxo, este deverá assumir todas as despesas e não pedir que seja pago pelo caixa da piedade.

A Obra da Piedade não tem obrigação de arcar com custos elevados, quando outros contratam o serviço, bem como os diáconos não podem ser pressionados a efetuar estes pagamentos, nem mesmo pelo ministério.

Admin
Admin

Mensagens : 1049
Pontos : 2451
Data de inscrição : 24/05/2009

http://oulorivallan.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Todos os tópicos de ensinamentos da CCB 1961em diante Até 2010

Mensagem por Admin em 25th Julho 2010, 4:30 pm

Tópicos de ensinamentos 2004 - 69 - Assembléia


CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL

TÓPICOS DE ENSINAMENTOS

69ª ASSEMBLÉIA - 2004

69ª ASSEMBLÉIA - 2004 - RESUMO DE ENSINAMENTOS

SÃO PAULO - 07 A 11 DE ABRIL DE 2004

INICIARAM-SE ESTAS REUNIÕES EM NOME DO SENHOR JESUS

Atencão: Somente os tópicos a seguir, assinalados com aste risco (*) deverão ser lidos nas congregações, perante a irmandade.

* 1 - SOBRE O "AMÉM" NOS CULTOS

Os irmãos ou irmãs que orarem e testemunharem nos cultos e os que pregarem a Palavra, não devem dizer, eles mesmos, o “amém” ao encerrar a oração, o testemunho ou a pregação. Devem esperar que a irmandade confirme com o “amém”.

Se o que está presidindo, ele mesmo for ler a Palavra, não é necessário que diga, novamente, “Deus seja louvado”, antes de iniciar a leitura.

* 2 - EXPRESSÕES INADEQUADAS NOS TESTEMUNHOS

Muitos irmãos, ao testemunhar dizem: “Deus me deu a felicidade de nascer de pais crentes”; “eu nasci na graça”; outros dizem: “eu não tive a felicidade de nascer de pais crentes”. Não é necessário dizer que quando nasceu seus pais já eram crentes; isto dá a impressão de um desnível entre a irmandade; essa distinção levanta um e humilha o outro. Tudo o que possa manifestar diferença, desnível, entre a irmandade, deve ser eliminado. No evangelho de São João vem dito que Jesus “veio para o que era seu, e os seus não o receberam. Mas, a todos quantos o receberam, deu lhes o poder de serem feitos filhos de Deus; aos que crêem no seu nome; os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do varão, mas de Deus.” O Senhor Jesus derrubou a parede da separação; são todos nascidos de Deus, sejam judeus, sejam gentios; sejam de pais crentes ou não; a Graça de Deus iguala a todos.

* 3 - SANTA CEIA - RECONCILIAÇÃO

Se algum irmão ou irmã cometeu uma falta grave diante de Deus, deverá falar primeiramente com o ministério, com alguns dias de antecedência, para saber se tem condições de se levantar perante a irmandade e pedir perdão. Outrossim, não é preciso esperar o dia da santa ceia para levantar e pedir perdão.

* 4 - SINDICATOS, ASSOCIAÇÕES DE CLASSE E ASSOCIAÇÕES DE MORADORES

Aconselhamos a irmandade a não participar da direção de sindicatos, associações de classe ou associações de moradores. A Congregação não se envolve em assuntos estranhos à doutrina. Se um irmão tiver que pertencer a um sindicato, poderá fazê-lo, porém, não deverá ocupar cargos de direção, uma vez que tais


cargos são sempre partidários, gerando divergências incompatíveis com o nosso sentimento de paz.

Da mesma forma, não devemos nos envolver em movimentos de protestos ou invasão de terras, quer na área urbana, pretendendo a posse de imóveis na cidade, quer na área rural, invadindo glebas de terras. Porém, se em alguma localidade o Governo fizer distribuição de imóveis e um irmão quiser se cadastrar para receber essa doação, não há inconveniente.

* 5 - SERVIÇO DIVINO NOS FUNERAIS - ÓSCULO SANTO

O serviço divino a ser feito nos funerais deve ser julgado de acordo com o momento. Iniciamos o serviço em Nome do Senhor Jesus, cantamos um hino (desde que a familia esteja de acordo que se cante) e oramos; pregamos a Palavra, fazemos a oração de agradecimento, cantamos mais um hino e encerramos o serviço.

Nos funerais os irmãos não devem saudar-se com o ósculo santo, devido à aglomeração de pessoas estranhas à nossa fé.

Em nossos cultos, sejam regulares ou de evangelização, tenhamos prudência a respeito do ósculo santo, com as pessoas novas que estão nos visitando.

* 6 - CONVITES DE AGÊNCIAS PARA VIAGENS AO EXTERIOR

Ultimamente muitos irmãos têm sido vitimas de agências de viagens que prometem trabalho e moradia em diversos paises, mediante o pagamento de uma certa quantia. Ocorre porém que, quando chegam a essas nações estrangeiras, os irmãos não encontram emprego, são obrigados a morar em condições precaríssimas, junto com estranhos à fé e forçados a aceitar uma documentação falsificada que pode sujeitá-los até à prisão. A irmandade deve ser advertida e alertada contra esse procedimento.

* 7 - BOMBARDÕES E INSTRUMENTOS DE SOPRO NAS ORQUESTRAS

Tem-se notado ultimamente um número excessivo de instrumentos de sopro, principalmente bombardões, em muitas de nossas orquestras. Onde já existe uma quantidade suficiente, o ministério local deve vigiar para que não ingressem mais essas categorias de instrumentos.

Ainda nessas localidades deve-se, também, exortar os irmãos que tocam bombardões, bem como demais instrumentos fortes de sopro, que reduzem à metade o volume de som de cada um, quando tocarem nos santos cultos.

Outrossim, quando um irmão demonstrar interesse em aprender a música para tocar na igreja é conveniente que consulte, primeiramente, o irmão encarregado para saber qual a categoria de instrumento que a orquestra mais necessita.

ATENCÃO: OS TÓPICOS A SEGUIR SÃO SÓ PARA O MINISTÉRIO

8 - "ANCIÃO DA MÚSICA"

Os anciães, em comunhão, deliberam que não haja mais o título de "ancião da música". Os que estão atendendo a parte musical vigiem sobre ela, sem que haja um domínio e estejam unidos ao ministério local e sujeitos aos anciães mais


velhos. Tudo deve depender do parecer dos mais antigos da região.

A presidência dos ensaios regionais deve ser feita por todos os anciães e não sempre pelo mesmo.

Aos anciães, diáconos e cooperadores que foram encarregados regionais não cabe mais a parte da regência nos ensaios.

9 - QUANTIDADE DE ORGANISTAS NAS IGREJAS

O número de irmãs estipulado, há muitos anos, para compor os rodízios, é de três organistas por dia de culto. Porém, em localidades onde houver necessidade esse número poderá ser acrescido, conforme deliberação dos anciães, submetendo o assunto previamente à consideração da reunião regional.

10 - ENCARREGADOS REGIONAIS E EXAMINADORAS

Já há alguns anos foi deliberado de não se colocar mais encarregados regionais e irmãs examinadoras, a não ser em casos excepcionais. Porém, aos poucos essa deliberação foi sendo esquecida e agora frequentemente apresenta-se para orar por novos encarregados regionais e novas examinadoras.

Doravante só se orará em caso excepcional, considerado previamente entre os anciães mais velhos, inclusive para julgar se há real necessidade e se o irmão (ou irmã) está preparado, se realmente tem condições para exercer esse cargo.

11 - O SANGUE NÃO É A ALMA DO HOMEM - A ALMA DO HOMEM É A VIDA. - (Tópico 43, de 1980)

O sangue é a alma dos animais. Por isso o Espírito Santo proibiu comer sangue ou comer a carne com o sangue dos animais. Mas, quanto ao homem, sua alma não é o sangue. Sua alma é a vida que ele tem no corpo. Alma: A Palavra de Deus às vezes se refere ao espírito, às vezes à alma, às vezes à vida e às vezes ao homem. Quando Deus fez o homem o fez de barro. O homem tinha sua imagem e não vida. Era inanimado, sem respiração, sem movimento, sem raciocínio. Era como uma estátua. Porém, o Senhor soprou nas suas narinas o fôlego da vida, o espírito imortal. E então o homem foi feito alma vivente - na junção do espírito com o corpo surgiu a vida, conforme está escrito: “E FORMOU O SENHOR DEUS O HOMEM DO PÓ DA TERRA, E SOPROU EM SEUS NARIZES O FÔLEGO DA VIDA; E O HOMEM FOI FEITO ALMA VIVENTE". (Gênesis 2:7) A alma é a vida. O homem, quando pecou, perdeu a vida, pois fora criado para viver eternamente. Mas teria domínio só nas coisas da terra. Nela viveria por todo o sempre. Seu paraíso era o terreno. Não entraria nos céus. O Senhor Jesus velo para nos dar um paraíso muito melhor onde governaremos e reinaremos sobre todas as coisas, junto a Deus Pai, com Ele, Jesus Cristo. O fim da fé é a salvação da alma (a salvação da vida). Quando o espírito sai do corpo, a vida desaparece deste. Quando o homem morre, rendendo o espírito, sai-lhe a vida do corpo. O corpo volta a ser inanimado, sem movimento, sem voz, sem respiração, sem raciocínio. Decompõe-se. O sangue paralisa dentro das veias, vira uma massa. Então, a alma não é o sangue. A alma é a vida. Carne e sangue não herdarão o reino de Deus. Mas nossa alma entrará na glória eterna, pois a alma é a vida. Jesus morreu para dar-nos a vida, para salvar a vida do homem. Após Jesus padecer sobre a cruz, expirou. Desceu ao túmulo por nós. Mas ao


terceiro dia ressuscitou triunfante e glorioso e saiu do túmulo vencendo a morte. Venceu tudo por nós. E vive para todo o sempre. Amém. Pela mesma semelhança na ressurreição corporal dos mortos, o nosso espírito se unirá outra vez ao nosso corpo, o qual será transformado para ser igual ao corpo de Jesus, trazendo assim a imagem de Cristo porque só aquela imagem é eterna. Da nova junção do espírito com o corpo transformado surgirá novamente a alma do homem, que viverá eternamente, subirá para a glória dos céus. Para estar com o Senhor por todo o sempre. Por isso está escrito: "E TODO O VOSSO ESPIRITO, E ALMA, E CORPO, SEJAM PLENAMENTE CONSERVADOS IRREPREENSÍVEIS PARA A VINDA DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO". Então, cumprido será o que vem dito: "TRAGADA FOI A MORTE NA VITÓRIA". O mundo também será ressuscitado porque a morte já foi abolida. O mundo terá a vida eterna também. Mas não com gozo e glória e sim para vergonha, desprezo e sofrimento eterno no fogo que nunca se apagará. Esta é a segunda morte. Como Cristo ressuscitou por todos, também todos voltarão. Os que fizeram a vontade do Senhor e creram n'Ele, terão parte na primeira rassurreição. Mas os outros mortos não farão parte desta primeira ressurreição. Ressuscitarão depois, para o dia do juizo e serão julgados cada um segundo as suas obras.

12 - CULTOS COM TRADUÇÃO PARA DEFICIENTES AUDITIVOS

Onde houver necessidade e tenha algum irmão ou irmã em condições de fazer a tradução para deficientes auditivos, o ministério da região considerará e poderá abrir a liberdade para a realização periódica desses cultos.

Quem fizer essa tradução não deverá subir ao púlpito e nem colocar-se defronte ao mesmo, em local de multa evidência, para não tirar a comunhão da irmandade.

13 - PRESIDÊNCIA DO CULTO

Ancião que congrega em outra localidade em visita, poderá presidir os cultos, desde que lhe seja oferecida a oportunidade pelo servo local e que se sinta movido por Deus. Os servos em missão presidem os santos serviços.

Outrossim, quando o servo de Deus não conhece uma pessoa, deve usar de franqueza e não ir entregando, de qualquer maneira, o lugar onde Deus o colocou. Dar oportunidade ou convidar para ler a Palavra, só deve ser feito a irmãos que conhecemos, quando formos por Deus guiados a fazê -lo.

14 - MINISTÉRIO E ADMINISTRAÇÃO - ENTROSAMENTO

Deve haver um bom entrosamento entre o Ministério e a Administração em tudo o que concerne à parte material e administrativa da Obra de Deus. As deliberações devem ser tomadas em conjunto, nas reuniões, e não somente por um irmão. Há irmãos do ministério resolvendo tudo sozinhos, dando ordens e tomando atitudes que podem comprometer a Congregação.

Da mesma forma, nenhum administrador deve tomar medidas isoladas, sem o conhecimento e a concordância do ministério e dos demais administradores.

15 - PREGAÇÕES

Nota-se que, mesmo em batismos e santas ceias, alguns se preocupam mais


em pregar promessas e libertações, afastando-se do objetivo principal daquele santo serviço. Nos batismos deve ser mencionado e esclarecido o fundamento desse santo mandamento, conforme disse o Senhor Jesus: "Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda a criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado." Portanto, a finalidade principal do batismo é o perdão dos pecados e a salvação da alma. Depois, vêm os sinais que confirmam e acompanham os que crerem.

Nas santas ceias é necessário explicar o fundamento dessa santa celebração, conforme consta nos evangelhos: "E, quando comiam, Jesus tomou o pão, e, abençoando-o, o partiu, e o deu aos discípulos, e disse: Tomai, comei, isto é o meu corpo. E, tomando o cálice, e dando graças, deu-lho, dizendo: Bebei dele todos; Porque isto é o meu sangue, o sangue do Novo Testamento, que é derramado por muitos, para remissão dos pecados." (São Mateus, 26:26-28).

Nos funerais deve-se falar sobre a ressurreição e a esperança da vida eterna, pois há os que pregam e falam pouco sobre essa parte.

Os que pregam devem se ater àquilo que foi lido. Todas as pregações devem ser edificadas sobre o alicerce do que foi lido.

16 - BATISMOS

Anciães que atendem batismos não devem forçar as pessoas a se batizarem, com insistências ou ameaças. As pessoas deverão ser batizadas quando estiverem convertidas por Deus.

Lembramos que as palavras para batizar as pessoas devem ser: "Irmão, Em Nome de Jesus Cristo te batizo, Em Nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo".

17 - PESQUISAS SOBRE A CONGREGAÇÃO

Irmãos do ministério, da Administração, comodatários ou porteiros, recebendo formulários de pesquisa sobre a Congregação (desde que não sejam de órgãos governamentais), não deverão responder.

18 - LEITURA DOS TÓPICOS NAS CONGREGACOES

Nas congregações onde não há ancião, o cooperador poderá ler os tópicos de ensinamentos para a irmandade. Quando algum cooperador tiver dúvida ou não tiver franqueza suficiente, poderá pedir ao ancião da região para ler.

19 - CASAMENTO DE SERVOS VIÚVOS COM IRMÃS DIVORCIADAS

O Conselho de Anciães delibera que, irmãos do ministério que enviuvarem e desejarem casar com irmãs divorciadas, deverão previamente submeter o assunto à consideração do ministério da região que deliberará, segundo a guia de Deus.

20 - ESTATUTO DA CONGREGAÇÃO - REFORMA

Cada Administração deverá aguardar o envio, pela Administração São Paulo, do novo Estatuto devidamente aprovado e registrado. Após, deverá ser convocada uma Assembléia Geral Extraordinária em cada localidade, para sua ratificação e posterior registro no órgão competente.

21 - ADMINISTRAÇÕES NOVAS

Antes de se constituir uma nova Administração deverá ser considerada a sua real necessidade, levando-se em conta, principalmente, os ônus financeiros, as dificuldades burocráticas, obtenção de CNPJ, e também: a) o valor das coletas; b) o número de irmandade; c) se há irmãos aptos para constituir a Administração e o Conselho Fiscal, com situação regular perante a Receita Federal, especialmente comerciantes, oriundos de outras localidades, etc.; d) se há local apropriado para a instalação dos trabalhos administrativos, arquivo, segurança, etc.; e) a distância dos órgãos governamentais para registro de documentos e fiscalização (Cartório, Receita Federal, INSS, CREA, etc.); f) a distância da Administração descentralizadora, que deverá assessorá-la por três anos.

Deverá ser remetido à Administração São Paulo o questionário próprio, com informações da constituição da Administração, para fins de cadastro.

Enquanto não estiver consolidada a reforma estatutária não deverão ser constituídas novas Administrações.

22 - CONSELHO FISCAL - CONDIÇÕES FACE AO NOVO CÓDIGO CIVIL

Em obediência à legislação pertinente não deverão ser colocados no Conselho Fiscal irmãos que sejam parentes até o terceiro grau de Administradores (pais, filhos, netos, avós, irmãos, tios, sobrinhos, sogro, genro e cunhados).

As situações já existentes deverão ser, aos poucos e na medida do possivel, adequadas a essas exigências legais.

TÓPICOS DO MINISTÉRIO DA OBRA DA PIEDADE

1 - DOAÇÕES

As doações de bens ou mercadorias, etc. para a Obra da Piedade devem ser feitas em conformidade com as leis vigentes, pois é necessário que sejam acompanhadas com documentos que comprovem a sua origem, com notas fiscais em nome do comprador e devidamente quitadas com declaração da doação no verso, assinada pelo doador; todavia, não há necessidade dessa exigência caso as doações sejam de roupas, calçados, móveis ou outros materiais usados.

Não podemos fazer carta de pedido de doações a nenhuma entidade, porém, caso sejam feitas doações para a Obra da Piedade, podemos aceitar e emitir uma carta de agradecimento.

2 - OFERTAS E COLETAS

De acordo com a Resolução n° 877, de 18/04/2000 do Conselho Federal de Contabilidade, as receitas e despesas das entidades sem fins lucrativos devem ser segregadas, ou seja, somente podem ser utilizadas para o fim a que se destinam.

Todas as ofertas e coletas devem ser registradas nas colunas indicadas no livro de coletas. Em nenhuma hipótese deixar de registrar alguma coleta com a finalidade de quitar algum pagamento, pois esse procedimento é considerado como sonegação de receita e passível de comprometer a imunidade da Congregação.

3 - CADASTRAMENTO DAS IRMÃS DA OBRA DA PIEDADE

Em obediência a obrigações legais é necessário o cadastramento das irmãs da Obra da Piedade, tendo em vista a necessidade de suas assinaturas nos envelopes de atendimento.

4 - PORTEIROS E AUXILIARES PARA ESCRITURAÇÃO

Os Diáconos, de comum acordo com o ministério (Ancião e Cooperador), devem providenciar a colocação de porteiros e auxiliares para escrituração do livro de coletas e preenchimento do balancete em sua comum congregação e naquelas que atende. Compete ao Ministério apresentá-lo à irmandade. Os irmãos que registram as coletas e preenchem os balancetes, etc., são titulados auxiliares de escrituração.

Os Diáconos devem acompanhar o recebimento de coletas, registro, depósitos bancários que são encaminhados à Administração, conforme determina o nosso Estatuto.

5 - REUNIÃO DE ENSINAMENTOS DA OBRA DA PIEDADE

Em caso de solicitação por outra cidade para um Diácono atender a reunião de ensinamentos, aquele que Deus confirmar é responsável pelo atendimento, mesmo sendo mais novo no ministério do que o da localidade.

Após a exortação da Palavra, o Diácono mais antigo da localidade deve ser honrado levantando-se e apresentando o irmão que foi designado para atender a reunião.

Estas reuniões não devem ser prolongadas. Conforme ensinamentos anteriores deverão estar presentes o Ministério, a Administração local, as irmãs da Obra da Piedade e as que trabalham nos almoxarifados.

6 - REUNIÃO DE ATENDIMENTOS DA OBRA DA PIEDADE

Os atendimentos devem ser guiados por Deus, não pode haver atendimentos forçados, nos casos que Deus não confirmou.

Conforme ensinamentos anteriores, estas reuniões não podem ser realizadas à noite, devidos aos riscos e perigos, principalmente com relação às irmãs.

Nesta reunião é necessária comunhão e revelação de Deus, procurando evitar-se muitas perguntas às irmãs da Obra da Piedade. Caso as fichas não estejam corretamente preenchidas ou com falta de dados, procurar ensinar às irmãs a forma correta. Não é necessário que as irmãs aguardem até o término da reunião, ficando livres para se retirar.

7 - VIAGENS MISSIONÁRIAS - DIÁCONOS

Estas viagens são de responsabilidade dos Diáconos mais antigos no ministério, que deverão ser acompanhados por outro mais novo, para que possa adquirir conhecimento e experiência.

Caso não haja possibilidade do Diácono mais antigo viajar, deverá indicar outro para ir em seu lugar, apresentando em reunião ministerial para ser orado.

8 - REMESSA PARA ATENDIMENTO DE NECESSIDADES

Por exigência legal, doravante toda a localidade que receber remessa de numerário para atendimento de necessidades da região, deverá acusar o recebimento, remetendo toda documentação relativa à saída do dinheiro, tais como: relação dos atendimentos, 2ª via ou xerox das notas fiscais de compras e cópia do balancete modelo C-9, devidamente assinado pelos Diáconos.

9 - DESPESAS DE ASSEMBLÉIA E DIVERSOS

Em todas as localidades onde se realizam as reuniões gerais anuais de ensinamentos (assembléias) deve ser providenciada a coleta para o custeio de todas as despesas tais como: cozinha, manutenção onde se realizam as reuniões, e o atendimento de algumas viagens de irmãos sem recursos.

Essa coleta deverá ser feita com antecedência mínima de dois meses em toda a região cujos irmãos irão participar das reuniões, e deve ser encaminhada à Administração, que deverá contabilizar todo o dinheiro e transferi-lo aos Diáconos.

10 - RESPONSABILIDADE NO ATENDIMENTO DAS ASSEMBLÉIAS

A organização das cozinhas, as compras e eventuais atendimentos aos irmãos para o retorno de suas viagens, é de responsabilidade dos Diáconos, que deverão contabilizar todas as despesas e receitas e fornecer relatório à Administração.

Caso haja sobra de recursos proveniente dessa coleta, deve-se ajudar nas despesas das reuniões do Estado que não tem condições financeiras suficientes, ou agregar essa sobra para o atendimento das reuniões gerais do setor.

Admin
Admin

Mensagens : 1049
Pontos : 2451
Data de inscrição : 24/05/2009

http://oulorivallan.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Todos os tópicos de ensinamentos da CCB 1961em diante Até 2010

Mensagem por Admin em 25th Julho 2010, 4:32 pm

Tópicos de ensinamentos 2005 - 70 - Assembléia


CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL

TÓPICOS DE ENSINAMENTOS

70ª ASSEMBLÉIA - 2005

70ª ASSEMBLÉIA – 2005 – RESUMO DE ENSINAMENTOS

SÃO PAULO – 23 A 27 DE MARÇO DE 2005

INICIARAM-SE ESTAS REUNIÕES EM NOME DO SENHOR JESUS

Atencão: Somente os tópicos a seguir, assinalados com aste risco (*) deverão ser lidos nas congregações, perante a irmandade.

* 1 - COLETAS PARA OUTRAS FINALIDADES E PARA OUTRAS LOCALIDADES

Conforme ensinamentos anteriores, não se deve anunciar à irmandade coletas para outras finalidades a não ser as normais já determinadas (construção, obra da piedade, viagens e manutenção da casa de oração). Coletas para outras localidades deverão primeiramente ser consideradas pelo ministério em reunião regional e, caso seja aprovada, deverá ser lavrada em ata e a irmandade deverá saber o motivo e sua finalidade. A irmandade deve entregar as contribuições aos porteiros e irmãos que recebem as coletas e não à pessoa interessada, nem fazer depósitos dessas coletas em contas bancárias particulares, em nome dessa pessoa.

O resultado total deverá ser contabilizado no local e encaminhado à referida localidade por via bancária, pela Administração. A verba não deverá ser levada por mãos próprias.

* 2 - INSS - PROCEDIMENTOS

A irmandade deve ter prudência e interesse em se cadastrar junto ao INSS e recolher, mensalmente, a parcela devida para fins de futuros beneficios, como aposentadoria, auxilio doença, etc., principalmente os irmãos que trabalham por conta própria, como autônomos.

Outrossim, por ocasião da aposentadoria, procurar diretamente o INSS que dará todas as informações necessárias para o recebimento do beneficio, não sendo preciso buscar ou contratar intermediários para esse fim.

* 3 - TATUAGENS E "PIERCINGS"

A mocidade e as crianças devem ser exortados a não imitar os costumes mundanos de fazer tatuagens e nem colocar "piercings" nas orelhas, no nariz ou em qualquer outra parte do corpo.

* 4 -INCENTIVAR AS CRIANÇAS E OS JOVENS A LER E CONHECER A BÍBLIA

Nas reuniões para jovens e menores, na hora da Palavra convém o cooperador fazer a mocidade participar da leitura do capitulo que vai ser exortado; o cooperador pedirá a qualquer jovem (irmão ou irmã) que leia, em voz alta, um parágrafo ou algumas linhas. As crianças que souberem ler também poderão


participar. Como ninguém sabe quem vai ser chamado para ler, todos se sentirão no dever de trazer a Bíblia e acompanhar a leitura. Mesmo durante a pregação poderão ser feitas perguntas aos jovens e às crianças sobre o capitulo que foi lido.

* 5 - EXORTAÇÃO AOS PAIS A RESPEITO DE SEUS FILHOS - NAMOROS

Alertamos aos pais que, quando algum irmão se interessar em namorar com suas filhas, procurem se informar quem é, de quem se trata, para evitar que suas filhas caiam em um erro de que não possam mais voltar atrás.

Outrossim, há no meio da irmandade meninos e meninas adolescentes que já estão namorando. Aconselhamos os pais a vigiar sobre esse particular; nessa idade, a mente está ainda em formação e não está preparada para assumir um compromisso de tanta responsabilidade.

* 6 - ADVERTÊNCIA A IRMANDADE SOBRE VAIDADE E COSTUMES MUNDANOS

Ultimamente, vem se observando que a vaidade e os costumes mundanos estão se alastrando no meio do povo de Deus. A irmandade, em geral, tem responsabilidade perante Deus de se enquadrar na doutrina.

As irmãs devem evitar trajes exagerados. Nas festas de casamento, apresentem-se trajando roupas modestas. As santas do Senhor não devem usar pinturas, nem depilar as sobrancelhas, cortar ou tingir os cabelos, ou darem-se à exibição de jóias. Vestidos decotados, sem mangas, saias curtas ou abertas, roupas transparentes ou modelos indecorosos, não devem fazer parte dos costumes das servas de Deus.

Irmãos que tingem os cabelos e bigodes também devem entrar na disciplina.

Os jovens devem se abster de penteados e cortes de cabelo exóticos e exagerados.

* 7 - CUIDADOS ESPECIAIS NAS VIAGENS DE ATENDIMENTO NA OBRA DE DEUS

Em decorrência do aumento de acidentes vitimando os servos de Deus, é recomendável que se observe o seguinte:

1° - Examinar as condições do veiculo; 2° - Observar o limite de velocidade permitido nas estradas; 3° - Dirigir ou viajar em condições físicas adequadas; 4° - Viajar, sempre que possível, durante o dia e em condições climáticas favoráveis; 5° - Não viajar com excesso de pessoas e de bagagens; 6° - Programar as viagens com tempo suficiente para a permanência e o retorno; 7° - Manter em dia seguro de vida, cobertura do INSS e seguro do veiculo.

ATENCÃO: OS TÓPICOS A SEGUIR SÃO SÓ PARA O MINISTÉRIO.

8 - TÓPICOS DAS REUNIÔES DE COOPERADORES DE JOVENS E MENORES

Os tópicos de ensinamentos apresentados nas reuniões de cooperadores de





jovens e menores no mês de setembro, em São Paulo, estão na concordância de todos os anciães do Brasil.

9 - REUNIÕES MINISTERIAIS - SIGILO

É de rigor que se observe o estrito sigilo nas questões tratadas em reuniões, uma vez que sua propagação poderá causar indesejáveis equívocos e, quando referir-se à honra das pessoas, causar dano espiritual para a pessoa e seus familiares. Deve-se solicitar aos presentes às reuniões, também, que desliguem os aparelhos celulares.

10 - LER E EXPLICAR O ARTIGO 9° DOS PONTOS DE DOUTRINA ANTES DO BATISMO

O ministério reunido delibera que os ensinamentos a respeito do sangue, da carne sufocada, das coisas sacrificadas aos ídolos e da fornicação, devem ser lidos após a Palavra, antes do batismo. Outrossim, tais ensinamentos devem ser transmitidos periodicamente nos cultos, tanto para a irmandade como para as almas novas.

11 - IRMÃOS DO MINISTÉRIO - NÃO SUBIR AO PÚLPITO PARA TESTEMUNHAR

Os anciães mais antigos de todo o Brasil estão na comunhão de que os anciães, diáconos, cooperadores e cooperadores de jovens e menores nao devem subir ao púlpito para testemunhar. Entendemos que não deve ser feita essa distinção que não repercute bem perante a irmandade.

12 - BEBIDAS ALCOÓLICAS - FALTA DE MODERAÇÃO

Está escrito na Palavra de Deus que os comilões e beberrões não entrarão no céu. A Palavra de Deus condena a embriaguez e a glutonaria. Nas festas, sem perceber a pessoa pode exagerar. Os servos de Deus são continuamente observados. Aos filhos de Deus convém a sobriedade e a moderação. Os que exagerarem deverão ser advertidos pelo ministério.

13 - CARTAS DE APRESENTAÇÃO

Há ensinamento de que não se deve ler perante a irmandade as cartas de apresentação de irmãos vindos de outras localidades. Todavia, é necessário que o ancião ou cooperador comunique ao irmão diácono para conhecimento e eventual atendimento, em caso de necessidade.

Quando for colocada só a rubrica ou quando a assinatura for ilegível, deverá ser escrito o nome em letra de forma, abaixo da rubrica ou assinatura.

Sempre que possível, a carta deverá ser assinada por mais de um irmão do ministério.

14 - QUESTÕES MATERIAIS DA OBRA DE DEUS

Deve haver, entre o Ministério e a Administração, bom entrosamento para a


deliberação de assuntos de grande importância, principalmente a respeito de compra de terrenos, construções e reformas de casas de oração, reconhecendo, cada parte, as atribuições da outra, respeitando-se mutuamente e lembrando que nos convém conviver em santo trato e piedade.

Deve-se ter muita prudência ao se excluir um irmão da Administração. Embora a lei estabeleça a renovação da eleição da Administração a cada três anos, lembramos que os mesmos são colocados com oração, sem limite de tempo. Assim, a sua demissão ou afastamento do cargo só poderá ocorrer nos casos previstos no art. 9° do Estatuto.

Se o administrador tiver alguma carência de conhecimentos necessários ao exercício do cargo, ainda assim não deve ser afastado de qualquer maneira, mas pode-se acomodar a situação com a colocação de um vice. O mesmo se aplica aos membros do Conselho Fiscal.

15 - ATIVIDADES ECONÔMICAS - A CONGREGACÃO NÃO DEVE SE ENVOLVER

A Congregação tem como objetivo a propagação do Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo e o amor a Deus (art. 1° do Estatuto), não devendo misturar esse objetivo com atividades econômicas. Assim, os integrantes do Ministério, Administração e todos os que, por alguma forma, representem a Congregação, não devem se envolver na organização de plantações agrícolas ou reciclagem de materiais cujo fruto seja destinado à coleta. Quanto aos demais, são livres para realizar essas atividades com esse fim, desde que o façam de per si, ou mesmo que se organizem, o façam fora da estrutura da Congregação.

16 - CAIXAS DE OFERTAS

O ministério reunido, todos na mesma comunhão, delibera que fica instituída a colocação de caixas de ofertas para receber os frutos das coletas nas casas de oração.

17 - CASAMENTO CIVIL E RELIGIOSO - DISTINÇÃO

Os arts. 1515/1516 do Código Civil consagram que o casamento religioso, ou seja, aquele realizado como sacramento ou de acordo com a doutrina de determinada religião e levado a registro no cartório de registro civil, equipara-se ao casamento civil. Todavia, nossa Doutrina não consagra e nem o nosso Estatuto prevê o casamento religioso. Logo, não existe ato religioso em nosso meio a se equiparar ao civil e, por outro lado, o casamento civil tem como única autoridade celebrante o Juiz de Paz, que é investido de autoridade na forma da lei.

Em vista disto, os nossos irmãos do ministério não podem realizar casamentos, para permanecermos no ensinamento que desde o principio desta Obra temos recebido.

Para fins de batismo deve ser observado que o casamento feito em qualquer denominação religiosa, só tem efeito legal se registrado em cartório de registro civil.

TÓPICOS ADMINISTRATIVOS PARA 2005

1 - PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS E DE CONSTRUÇÃO

Os procedimentos administrativos e os de construção a cargo das Administrações deverão observar o quanto consta nos manuais técnicos, mantendo-se, assim, o padrão de procedimentos que decorre da nossa unidade de Espirito, aspecto que é causa de admiração de muitos.

2 - TRABALHO VOLUNTÁRIO

Face ao advento da Lei 9.608/98, que disciplinou o trabalho voluntário nas hipóteses de interesse comunitário, social ou cultural, a Administração São Paulo irá expedir orientação sobre os procedimentos a serem seguidos em observância dessa Lei, para todos os casos em que há trabalho voluntário na Congregação, os quais deverão ser rigorosamente observados para evitar-se que, indevidamente, se venha a reclamar com sucesso direitos trabalhistas.

3 - NOTIFICAÇÕES

Com o fim de unificar-se a postura juridica da Congregação, sempre que for recebida por qualquer Administração alguma medida judicial ou extra-judicial (notificação), dever-se-á entrar em contato com o Departamento Jurídico da Administração São Paulo, que passará as orientações a serem seguidas, caso a caso.

4 - NEGÓCIOS ENVOLVENDO A CONGREGAÇÃO

Sempre que for efetuada alguma transação, negócio ou contrato de qualquer espécie entre a Congregação e algum integrante do Ministério ou da Administração, esse ato deverá ser previamente aprovado na reunião conjunta Ministério-Administração, justificando-se em ata os motivos de sua realização, evitando-se, assim, dúvidas sobre sua correção.

5 - INFORMAÇÕES PATRIMONIAIS

Para dar cumprimento ao dever previsto no art. 6° do Estatuto e, em particular, para complementar as informações do Relatório, as Administrações deverão remeter para a Administração São Paulo as informações patrimoniais já solicitadas e até agora não atendidas pela maioria.

6 - DADOS CADASTRAIS DA CONGREGAÇÃO - NÃO FORNECER

Deve-se comunicar aos irmãos comodatários e todos os que tenham cargo ou encargo, ministerial ou não, que não se deve fornecer por telefone dados cadastrais da Congregação, próprios ou de irmãos, a qualquer titulo, mesmo de pesquisa, tendo em vista que tem havido muitos casos de subterfúgios para contratos de propaganda em listas telefônicas.

TÓPICOS DO MINISTÉRIO DA OBRA DA PIEDADE


1 - REGIONAIS DE ATENDIMENTO - COOPERAÇÃO

Há regionais de atendimento com excesso de dinheiro em caixa e outras com

grandes necessidades. Deve haver cooperação com as regionais de poucos recursos. O Diácono não deve segurar o dinheiro somente pelo prazer de tê-lo aplicado em Bancos. Deve procurar também enviar recursos para a regional de São Paulo-Central, onde todos os Estados carentes do Brasil recorrem para serem atendidos.

2 - DEMISSÃO SEM JUSTA CAUSA

Há irmão (inclusive de ministério) que, por não gostar de trabalhar como empregado, pede para ser demitido. Recebe a indenização, gasta o dinheiro, recorre ao seguro desemprego, fica em situação difícil e nessa condição quer ser atendido pela Obra da Piedade. Deve-se evitar esse procedimento e cada um procurar ser Integro, mantendo seu emprego.

3 - CONSTRUÇÃO/OBRA DA PIEDADE

De acordo com as novas normas da contabilidade, não podemos utilizar as coletas da Obra da Piedade para fazer qualquer tipo de construção para a Congregação. Outrossim, no caso de calamidade, é permitido atender a necessidade de construção para uma familia necessitada. Nesse caso o assunto deve ser considerado por dois ou três Diáconos, sendo que a compra de materiais deve ser feita com notas fiscais em nome do necessitado e anexadas à ficha de atendimento ou colocadas no envelope para arquivo ou eventual fiscalização. Nesse caso especifico não deve ser aceito cupom fiscal, pois nesse documento não consta o nome e endereço do comprador.

4 - IRMÃS DA OBRA DA PIEDADE/MUDANÇA

Caso o marido seja transferido por causa do emprego para outra cidade, a irmã da piedade não assina carta de renúncia mas, sim, somente de afastamento do ministério e, nesse caso, deve ser esclarecido o motivo, sendo que ela muda sem o ministério.

Em caso da mudança ser feita sem motivo justo e somente pelo prazer de estar em outro local, deve ser assinada carta de renúncia ao ministério. Na carta de apresentação não deve constar que a irmã que mudou pertencia ao ministério da Obra da Piedade.

5 - REUNIÃO DE ENSINAMENTOS DA OBRA DA PIEDADE

Os Diáconos mais antigos no ministério devem pedir a Deus e se esforçar para atender as reuniões de ensinamentos da Obra da Piedade em suas regiões. Os assuntos devem ser apresentados de forma objetiva e na guia de Deus. Não se devem fazer reuniões prolongadas, pois elas devem ser produtivas e não cansativas.

Admin
Admin

Mensagens : 1049
Pontos : 2451
Data de inscrição : 24/05/2009

http://oulorivallan.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Todos os tópicos de ensinamentos da CCB 1961em diante Até 2010

Mensagem por Admin em 25th Julho 2010, 4:33 pm

Tópicos de ensinamentos 2006 - 71 - Assembléia


CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL

TÓPICOS DE ENSINAMENTOS

71ª ASSEMBLÉIA - 2006

71ª ASSEMBLÉIA – 2006– RESUMO DE ENSINAMENTOS

SÃO PAULO – 12 A 16 DE ABRIL DE 2006

INICIARAM-SE ESTAS REUNIÕES EM NOME DO SENHOR JESUS

Atenção: Somente os tópicos assinalados com asterisco (*) deverão ser lidos nas congregações, perante a irmandade.

* 1 - O QUE DEVE SE ENTENDER POR "PROFECIA"

A sabedoria de Deus no livro dos Provérbios esclarece que "não havendo profecia o povo se corrompe; mas o que guarda a lei esse é bem-aventurado", Então a profecia vinda de Deus, pela Sua Palavra, tem por finalidade santificar o crente e impedi-lo de se corromper.

Ainda que a profecia prediz o futuro, ela é manifestada com o intuito de convencer o crente a se desviar do mal para obter a vida eterna.

Nossa irmandade não deve buscar a Palavra pensando só no suprimento de sua necessidade material, na libertação de seus sofrimentos espirituais ou cura de suas enfermidades físicas, ainda que por estas coisas também oramos e clamamos ao Senhor. A irmandade deve dar-se por satisfeita tendo ouvido o conselho de Deus na congregação.

Encontramos que todo o livro do Apocalipse é uma profecia, uma revelação dada por Deus a Jesus, que a deu a João, seu apóstolo, para mostrar aos servos do Senhor as coisas que iriam acontecer e para que, conhecendo o futuro (de vida eterna e de castigo eterno), se santificassem e se preparassem para terem o direito de ver a Deus e com Ele gozarem a vida e a glória eternas.

* 2 - SANTAS CEIAS – RECONCILIAÇÃO

Somos ensinados a não esperar o dia da Santa Ceia para reconciliações. Afastados que retornam e se sentem perdoados, procurem os servos de Deus nas comuns congregações, os quais analisarão o caso e os aconselharão.

* 3 - HINOS EM FESTAS DE CASAMENTO

Os hinos de louvores e súplicas a Deus são sagrados e não devem ser tocados em festas de casamentos, aniversários, confraternizações ou em qualquer outra modalidade de evento estranho aos santos cultos.

Alertamos também a irmandade que em muitas festas tem havido exageros não só no beber, no comer, no vestir e no tipo de músicas que são executadas. O estilo dessas músicas profanas desonra a doutrina e a oração que foi feita.

* 4 - LUGARES RESERVADOS NOS CULTOS

Nas casas de oração deverá haver alguns lugares reservados para portadores de deficiências, gestantes e pessoas com crianças de colo. Não havendo pessoas nessas condições, a ocupação desses lugares é livre para a irmandade.

* 5 - DEPRESSÃO - ENFERMIDADE

Existe uma enfermidade chamada “depressão” que, dentre outros, apresenta os seguintes sintomas: perda de energia e interesse, sentimentos de culpa, dificuldades de concentração, perda de apetite e pensamentos negativos. Alertamos a irmandade que se trata de enfermidade e não de algo espiritual e de origem maligna, como alguns poderão pensar.

* 6 - COLETAS

Deve-se permanecer nos ensinamentos que foram transmitidos há muitos anos, respeitando-se o Estatuto que determina que "as ofertas e coletas são voluntárias e anônimas". Portanto, não se deve forçar e pressionar a irmandade, nem estabelecer importâncias, nem fazer marcações de nomes para compromissos futuros, nem tampouco fazer coletas durante o culto indicando irmãos para cooperar. A irmandade deve ser livre para contribuir de acordo com a vontade de Deus.

ATENÇÃO: OS TÓPICOS A SEGUIR SÃO SÓ PARA O MINISTÉRIO.

7 - PREGAÇÕES FORA DA DOUTRINA .

Em algumas localidades irmãos se levantam, lêem a Palavra e exortam coisas absurdas, fora da doutrina e do sentido daquilo que leram; outros criam novidades no que falam. Os anciães. dessas localidades não devem deixar que isso ocorra sem tomar medidas; devem chamar o que agir dessa maneira, exortá-lo com amor, com cuidado, ensinar, corrigir, mas se continuar devem levá-lo à reunião. Se for preciso, é preferível que um irmão assim seja afastado do ministério para que o povo não seja prejudicado. O Senhor nos colocou para zelar pela Sua Obra e não podemos deixar essas coisas acontecer.

8 - USO DE MICROFONE DURANTE A REALIZAÇÃO DO BATISMO

Aconselha-se a todos os irmãos que fazem batismos a tomar cuidado e não pegar no microfone quando estiverem em contato com a água, pois há o risco de um choque elétrico que poderá ser fatal.

9 - ORAÇÃO PARA CONFIRMAR A REALIZAÇÃO DE SANTAS CEIAS

Por tratar-se de um mandamento da Palavra de Deus cuja celebração se repete periodicamente, delibera-se orar só mais uma vez, em cada região, para a realização das Santas Ceias. Essa oração terá validade para sempre, não necessitando repetir-se a cada ano.

10 - BUSCAR OS DONS DE DEUS

A irmandade deve ser exortada a buscar mais os dons de Deus e a Promessa do Espirito Santo com evidência de novas linguas. Quando Deus fizer sentir ao ancião que estiver presidindo, na última oração a irmandade poderá ficar um pouco mais de tempo ajoelhada (não em todos os cultos, mas periodicamente), aguardando os dons de Deus.

Na eventual necessidade de se marcar dia para a busca de dons, não se deve propagar e nem anunciar na lista de batismos.

11 - COMPARECIMENTO ÀS REUNIÕES MINISTERIAIS

O comparecimento de irmãos às reuniões ministeriais regionais deve ser o mais próximo e o de mais fácil acesso, mesmo que ele pertença a outra região ou Estado que, às vezes, é muito mais distante. Não deve haver fronteiras e nem divisas.

12 - ALTERAÇÃO DE DIAS E HORÁRIO DE CULTOS

Doravante não será mais necessário buscar confirmação para alterar os dias e horas de cultos e de reuniões para jovens e menores de determinada casa de oração, mas somente considerar na reunião ministerial regional. Qualquer alteração, entretanto, somente entrará em vigor após a publicação do próximo Relatório, ainda que seja necessário aguardar alguns meses.

13 - PRESIDÊNCIA DE REUNIÕES

Anciães e diáconos, estando na presidência de reuniões, não devem expor casos que aconteceram no meio do ministério e que possam denegri-los. A finalidade de uma reunião é sempre edificar os presentes com a luz de Deus, sem desacreditar nossos conservos.

14 - PALAVRA: AGUARDAR ATÉ A IRMANDADE LOCALIZAR O CAPITULO

O irmão que vai exortar a Palavra, ao anunciar o livro e o capitulo deverá aguardar um pouco, até que a irmandade os localize, e não começar a ler imediatamente. Devem ler com calma e de maneira compreensível.

15 - MICROFONES E ALTO-FALANTES NAS CONGREGAÇÕES

Os irmãos devem se ater ao que consta no nosso Manual Técnico, referente ao volume e intensidade do som durante os cultos. Conforme consta desse manual, existe um aparelho que controla automaticamente essa parte. Onde houver necessidade deve ser adquirido esse aparelho. Outrossim, o irmão que estiver presidindo ou pregando, deverá vigiar para que o volume de som não ultrapasse os limites estritamente necessários à audição e compreensão da irmandade.

16 - APRESENTAÇÃO DE COOPERADORES DE JOVENS E MENORES

Havendo necessidade de apresentar cooperadores de jovens e menores, os anciães devem ter bastante cautela e verificar se há no irmão a ser apresentado o dom de Deus para esse importante ministério, que irá cuidar da formação espiritual das nossas crianças e jovens.

17 - UNÇÃO

Há irmãos do ministério que, antes de encerrar o culto, anunciam para a irmandade que haverá unção e que se houver alguém presente que deseja ser ungido, que venha à frente.

Não é assim que fomos ensinados e também não se anuncia que vai haver unção. Aquele que sente de ser ungido deve vir à frente, após o culto, e falar com o ministério.

18 - ACONTECIMENTOS ISOLADOS E ESPORÁDICOS

Muitas vezes sucedem casos isolados e esporádicos na Obra de Deus, não sendo necessário traze-los para consideração e para serem inseridos em tópicos de ensinamentos. O próprio ancião da localidade deverá resolvê-lo ou recorrer ao ministério da região.

Isto se faz necessário uma vez que os tópicos de ensinamentos são distribuídos para todo o país e até mesmo para o exterior, devendo abranger apenas assuntos de grande interesse e relevância na Obra de Deus e não particularidades isoladas que podem ser corrigidas no próprio local ou na respectiva região.

19 - NÚMERO EXCESSIVO DE MÚSICOS

Quando houver um número excessivo de músicos em determinado culto, os que chegarem por último poderão tocar de pé, no corredor, ao lado da orquestra.

20 - ESCLARECIMENTO SOBRE A PALAVRA "FORNICAÇÃO" E SOBRE "COISAS SACRIFICADAS AOS ÍDOLOS"

Caso alguma pessoa, quer seja irmão já batizado ou alguém que queira se batizar, perguntar ao ancião o significado da palavra “fornicação", o servo de Deus deverá esclarecer que se trata de qualquer união carnal que se realize fora do casamento ordenado de acordo à Palavra de Deus.

Deve-se entender por "sacrificado ao ídolo" toda alimentação que foi preparada para dias de festa em homenagem ou perante as imagens que, por natureza não são deuses, chamadas ídolos pela Palavra de Deus.

21 - TRADUÇÃO SIMULTÂNEA NOS CULTOS PARA PORTADORES DE DEFICIÊNCIA AUDITIVA

Deliberou-se instituir, onde houver necessidade, o sistema de tradução simultânea nos cultos para deficientes auditivos, Toda orientação a esse respeito será transmitida e coordenada por São Paulo. Os servos de Deus que tiverem interesse poderão enviar correspondência a Congregação do Brás, em São Paulo, ou entrar em contato com o irmão Afonso Alcaraz, através dos telefones (11) 6671-1165, (11) 6941-2244 ou (11) 7205-2483, e- mail aalcarazía1terra,com.br. Os irmãos do Estado do Paraná poderão entrar em contato com o irmão Venderlim Canuto Vaz, através do telefone (41) 8415-6664, ou (41) 3329-2100.

TÓPICOS ADMINISTRATIVOS

1 - DESCENTRALIZAÇÃO ADMINISTRATIVA - NOVA ADMINISTRAÇÃO

A aprovação de descentralização com formação de nova Administração deve ser considerada nas reuniões de anciães que precedem as Reuniões Gerais de Ensinamentos, após parecer da regional administrativa, sempre observando as condições necessárias para sua efetiva implantação.

2 - DELIBERAÇÕES

As deliberações que excedam a simples gestão (oficialização, aquisição e venda de imóveis, fechamento de casas de oração, alterações patrimoniais como construções, reformas, demolições, etc.), deverão ser tomadas em reuniões ministeriais regionais onde estejam presentes o ministério espiritual e a Administração da localidade, na conformidade do art. 33 do Estatuto e seu parágrafo único. A deliberação deverá constar em Ata, na forma da lei.

3 - OFICIALIZAÇÕES

Para se oficializar os locais de culto (inclusive em imóveis cedidos ou alugados) deve-se, previamente, obter a permissão de uso do (s) proprietário (s) do imóvel (com firma reconhecida), bem como dos órgãos públicos, tendo a documentação constante no Manual Administrativo.

4 - ABERTURA DE CASA DE ORAÇÃO

Só abrir casa de oração (após construção ou reforma) com a documentação completa, isto é, Habite-se e Visto Final do Corpo de Bombeiros.

TÓPICOS DO MINISTÉRlO DA OBRA DA PIEDADE

1 - CUSTEIO DE VIAGENS MISSIONÁRIAS

O custeio das despesas de viagens missionárias, bem como o pagamento de passagens aérea ou rodoviária do viajante, é de competência da regional onde a viagem foi orada ou considerada pelo ministério da localidade.

2 - APRESENTAÇÃO DE IRMÃS PARA A OBRA DA PIEDADE

Na apresentação de irmãs para a Obra da Piedade devemos tomar certos cuidados de não apresentar irmãs solteiras, nem muito idosas, nem divorciadas, nem novas na fé, nem organistas, nem aquelas cujo esposo não é crente e nem irmãs casadas que foram mães solteiras. Observar também se a irmã é casada de acordo com as leis vigentes.

3 - DESLIGAMENTO DO MINISTÉRIO DE IRMÃS DA OBRA DA PIEDADE

O desligamento do ministério de irmãs da Obra da Piedade, quer por renúncia ou afastamento, deve ser feito por carta e apresentado primeiramente ao ancião, diácono e cooperador que atendem a igreja, para ciência e assinatura na carta. Em seguida o caso deve ser apresentado na reunião regional ministerial para consideração e, posteriormente, encaminhado à reunião dos diáconos para registro em ata.

4 - COZINHA NAS REUNIÕES REGIONAIS E ASSEMBLÉIAS

Os irmãos diáconos das localidades onde são realizadas as reuniões regionais ou reuniões gerais de ensinamentos, são os responsáveis pela administração da cozinha. Devem providenciar com antecedência as coletas para a compra dos alimentos e outros materiais, bem como atribuir responsabilidades aos irmãos que devem coordenar a distribuição dos trabalhos durante as reuniões. Nas localidades onde não houver diáconos em condições de assumir a responsabilidade operacional da cozinha, essas atribuições poderão ser transferidas à Administração.

5 - PRESENÇA DOS IRMÃOS ANCIÃES E COOPERADORES NAS REUNIÕES DE ATENDIMENTO DA OBRA DA PIEDADE

Embora não haja nenhum impedimento quanto à presença dos irmãos anciães e cooperadores nessas reuniões, é necessário salientar que as fichas de atendimento são lidas em voz alta, com o nome do necessitado e sua situação financeira, sendo que muitas vezes se faz comentário sobre a família e essas informações podem inibir o irmão ancião ou cooperador no momento da pregação da Palavra, tendo em vista que a família pode estar presente no culto.

6 - APRESENTAÇÃO A IRMANDADE DE IRMÃS DA OBRA DA PIEDADE

As irmãs que são confirmadas por Deus em oração para trabalhar na Obra da Piedade não devem ser apresentadas na Congregação. Os servos primitivos acharam por bem tomar esse cuidado a fim de não abrir a porta aos espertalhões e também não alertar os irmãos novos na graça, os quais começam com lamentações e exigências, As irmãs também não deverão ter seus nomes publicados nas listas de batismos e devem ser aconselhadas a não testemunhar dizendo que pertencem a Obra da Piedade. Apresentá-las somente nas reuniões de atendimentos e ensinamentos.

7 - RESPONSABILIDADE PELO NUMERÁRIO DA OBRA DA PIEDADE

Os balancetes e relatórios da Obra da Piedade devem ser assinados por três ou mais diáconos. Os que assinam tais documentos são responsáveis pelos valores neles contidos. Caso haja divergência entre o valor escriturado na contabilidade e o existente no caixa, evidenciando a falta de numerário, sem a devida comprovação por documentos hábeis, todos os que assinaram o balancete e relatórios serão responsabilizados, razão pela qual é necessário conferir e controlar o dinheiro de cada reunião e de forma nenhuma permitir a falta de numerário no caixa.

Admin
Admin

Mensagens : 1049
Pontos : 2451
Data de inscrição : 24/05/2009

http://oulorivallan.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Todos os tópicos de ensinamentos da CCB 1961em diante Até 2010

Mensagem por Admin em 25th Julho 2010, 4:35 pm

Tópicos de ensinamentos 2007 - 72 - Assembléia


CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL

TÓPICOS DE ENSINAMENTOS

72ª ASSEMBLÉIA - 2007

72ª ASSEMBLÉIA - 2007 - RESUMO DE ENSINAMENTOS

SÃO PAULO - 03 A 08 DE ABRIL DE 2007

INICIARAM-SE ESTAS REUNIÕES EM NOME DO SENHOR JESUS

Atenção: Somente os tópicos assinalados com asterisco (*) deverão ser lidos nas congregações, perante a irmandade.

* 1- INTERPRETAÇÃO DA FRASE BÍBLICA “MAIS IMPORTA OBEDECER A DEUS DO QUE AOS HOMENS"

O apóstolo Pedro disse a frase “Mais importa obedecer a Deus do que aos homens” dirigindo-se ao sumo sacerdote, porque ele proibia os apóstolos de falar no Nome de Jesus, da Sua doutrina, e negava sua culpa na morte dele também. Esta frase não pode ser dita insinuando a não obedecer a doutrina e ensinamentos que Deus dá, pelo Espírito Santo, aos Seus servos que Ele constituiu para vigiar sobre a Igreja.

A doutrina e os ensinamentos fazem de nós um povo diferente, especial, zeloso de boas obras.

* 2 - COMUNICAÇÕES VIA INTERNET

Está se espalhando entre a irmandade, principalmente entre os jovens, a participação em comunidades virtuais, formadas ou em formação, que se relacionam via internet. Muitos colocam suas fotos, seus dados pessoais, endereços e suas preferências. Isso poderá despertar a atenção de pessoas mal intencionadas e acarretar sérios problemas e prejuízos. Esse tipo de comunicação permite, também, fazer montagens fotográficas, que poderão colocar as pessoas em situação difícil e embaraçosa.

A irmandade (principalmente a mocidade) deve ser exortada a se guardar, não se expor, para não correr o risco de se desencaminhar.

* 3 - FESTA DO “DIA DAS BRUXAS” (HALLOWEEN)

O ministério aconselha a irmandade a que seus filhos não participem desses festejos, visto que, nessas festas as crianças trajam fantasias que fazem lembrar a feitiçaria, a qual é condenada pela Palavra de Deus, que nos ensina que os feiticeiros não entrarão no reino dos céus.

* 4 - BAIXO-TUBA E RABECÃO - REPETIÇÃO DE TÓPICO

Repetimos o ensinamento dado nas reuniões gerais dos anos de 1965 e 1970, a respeito dos instrumentos baixo-tuba, e rabecão, que continuam não podendo ingressar nas orquestras da Congregação.

* 5 - CERIMÔNIA DE CASAMENTO

Há casais de nossos irmãos que realizam o casamento civil no cartório, geralmente na parte da manhã e, à noite, fazem a encenação da cerimônia, como se o mesmo estivesse sendo realizado naquele momento.

Essa encenação, apesar de não infringir qualquer dispositivo legal, não é conveniente para nós. O servo de Deus presente explicará que o casamento já foi realizado no civil e, a seguir, fará a oração para que Deus abençoe os noivos e as famílias.

* 6 - ACERCA DO DIVÓRCIO

Os servos de Deus devem orientar a irmandade a ler o capítulo 19 do evangelho reportado por São Mateus, do verso 1 ao 12, que trata acerca do divórcio.

* 7 - RECITATIVOS E ORAÇÕES NAS RUENIÕES DE JOVENS E MENORES

É conveniente que continuem os recitativos, da maneira como vem sendo feitos, bem como a oração orientada, feita pelas crianças com a participação do auxiliar, nas reuniões de jovens e menores. Porém, em um domingo por mês não haverá recitativos, apenas o cooperador conversará com os jovens e as crianças a respeito de um capítulo que leram em suas casas, conforme indicação dele, que orará ao Senhor para discernir quais assuntos da Escritura são de conveniência à reunião. O ministério local determinará qual o domingo em que isso será feito.

Este tópico só entrará em vigor após a próxima reunião para cooperadores de jovens e menores de cada região.

* 8 - PIRÂMIDES E CORRENTES DA FELICIDADE (tópico de 1995 - repetição)

“Pirâmides” e “Correntes da Felicidade” são procedimentos que estão se alastrando, prometendo dinheiro fácil aos participantes, mas estão fora da lei. A irmandade não deve participar nem se envolver nessas coisas.

* 9 - CASAMENTOS - ONDE DEVE SER FEITA A ORAÇÃO

Os servos primitivos sempre fizeram a oração no lugar onde os noivos se casavam e os convidados se reuniam para comemorar, em casa ou no salão. E assim deve continuar. Se o casamento for celebrado em um cartório, ora-se depois no local para onde os noivos e convidados se dirigirem para celebrar, seja em casa ou no salão. Deve-se ensinar a irmandade a se guardar da vaidade e das apresentações mundanas quanto aos trajes e ao porte. As irmãs devem levar seus véus em suas bolsas. Ora-se de joelhos.

* 10 - ADVERTÊNC IA À IRMANDADE SOBRE VAIDADE E COSTUMES MUNDANOS

Ultimamente, vem se observando que a vaidade e os costumes mundanos estão se alastrando no meio do povo de Deus. A irmandade, em geral, tem responsabilidade perante Deus de se enquadrar na doutrina.

As irmãs devem evitar trajes exagerados, trajando sempre roupas modestas. As santas do Senhor não devem usar pinturas, nem depilar as sobrancelhas ou tingir os cabelos, nem darem-se à exibição de jóias. Devem ter os cabelos crescidos, conforme a Palavra. Vestidos decotados, sem mangas, saias curtas ou abertas, roupas transparentes ou modelos indecorosos, não devem fazer parte dos costumes das servas de Deus.

Irmãos que tingem os cabelos e bigodes também devem entrar na disciplina.

Os jovens devem se abster de penteados e cortes de cabelo exóticos e exagerados.

Nossa irmandade deve abster-se de tatuagens e “piercings”.

* 11 - LINGUAGEM BRASILEIRA DE SINAIS - LIBRAS

O tradutor e os portadores de necessidades especiais devem respeitar e ser submissos ao corpo ministerial da Igreja, obedecendo aos ensinamentos deliberados em Reunião Geral de ensinamentos.

Não deverá existir tradução caso não haja nenhum deficiente auditivo no culto.

Os tradutores devem ser adequadamente preparados, posicionando-se na igreja de forma discreta (não em frente à tribuna), facilitando a visibilidade pelos portadores de necessidades especiais.

* 12 - PUBLICAÇÕES NA INTERNET ATRIBUÍDAS À CONGREGAÇÃO

A Congregação Cristã no Brasil não autoriza a divulgação pública, através de meio eletrônico, de qualquer informação a seu respeito, não estando autorizado a tanto quem, através de “site” (pronuncia-se “sait”) não pertencente à Congregação, se afirme como “site” oficial. Quem o fizer, estará fazendo em nome e interesse próprio e responsabilidade pessoal. A Congregação se manifesta através de sua Administração ou do Conselho de Anciães.

A Congregação Cristã no Brasil não mantém polêmicas sobre os seus pontos de doutrina ou seu modo de organização, nem autoriza ninguém a fazê-lo em seu nome.

A Congregação Cristã no Brasil não se utiliza de nenhuma forma de propaganda de sua doutrina, nem se utiliza de qualquer meio de divulgação pública de seus princípios de fé. Quem tiver interesse espiritual de conhecer sua doutrina deverá freqüentar seus cultos em qualquer de suas igrejas.

= ATENÇÃO: OS TÓPICOS A SEGUIR SÃO SÓ PARA O MINISTÉRIO

13 - ASSENTAR-SE QUANDO DA PRESIDÊNCIA DO BATISMO

Enquanto o serviço das águas estiver sendo realizado, o servo que estiver presidindo poderá, em caso de força maior, ficar sentado.

14 - CALENDÁRIOS E AGENDAS DE REUNIÕES MINISTERIAIS REGIONAIS E LISTA DE BATIMOS

O ministério tomou conhecimento de calendários de reuniões impressos por congregações de localidades do interior do Estado de São Paulo e de outros Estados, nos quais constam os nomes e endereços de encarregados de orquestras regionais e locais, irmãos porteiros, irmãos encarregados de serviços de manutenção, comodatários, etc. Não é necessário e nem conveniente esse procedimento. Esses calendários regionais devem limitar-se às datas e horários das reuniões. Excepcionalmente, em alguma região onde haja pequeno número de servos, poderão ser colocados os nomes e telefones dos irmãos anciães, diáconos e cooperadores.

Também as Listas de Batismo devem conter somente o essencial, a saber: Batismos - Santas Ceias - Reuniões da Mocidade - Ensaios Regionais - Viagens - Abertura, Fechamento e Reabertura de Casas de Oração. Aumento ou mudança de dias e horários de cultos - Coletas - Reuniões - Novos Obreiros. As aberturas e reaberturas de casas de oração somente deverão ser anunciadas depois que as mesmas ocorrerem.

Nas Listas de Batismo não devem ser colocados, em hipótese alguma, nomes de servos que vão em visita às congregações, nem de irmãs que são confirmadas para a Obra de Piedade, nem de irmãos ou irmãs que receberem cargo, e nem o nome de irmãos que estiverem excluídos da comunhão na Congregação.

15 - CONSTRUÇÕES SUNTUOSAS E EXTRAVAGANTES

Compete aos irmãos anciães da localidade ou que atendem a região orientar aos demais irmãos, tanto da parte administrativa como do departamento de construções, para que evitem construir casas de oração com linhas cheias de ornatos, com suntuosidade ou em formato extravagante, fora dos padrões da Congregação Cristã no Brasil.

Nenhum servo ou administrador pode fazer qualquer alteração na construção contrariando o que está no projeto aprovado pela Prefeitura. Isso acarretará prejuízo ao engenheiro que assina a planta, podendo até comprometê-lo profissionalmente.

Outrossim, é suficiente que o prédio possa acomodar a irmandade. Não se deve fazer casas de oração excessivamente grandes, pois isso encarece demasiadamente a construção.

Antes de se aprovar a planta da construção, deverá ser submetida à apreciação do ministério em reunião

A lei exige que se obtenha o “HABITE-SE” antes de se abrir uma casa de oração.

16 - SERVIÇO DIVINO NOS FUNERAIS - HINO, ORAÇÃO E PALAVRA

Nos serviços divinos em funerais as orações e a Palavra não devem ser prolongadas. Quem preside deve indagar se a família consente que sejam cantados hinos (no máximo 2). Quem chama os hinos é o servo que preside. Se a família pedir, antes do serviço, para ser cantado determinado hino, atendamos. Os hinos, em serviços divinos nos funerais, devem ser cantados a voz baixa.

Jamais se deve, em um serviço divino no funeral, condenar qualquer atitude ou procedimento daquele que faleceu.

Nos funerais para quem não era batizado ou não era crente, o servo deve deixar-se guiar pelo Senhor.

17 - NÃO FAZER ACEPÇÃO DE PESSOAS - IMPARCIALIDADE

Por ocasião da apresentação de um irmão para cargo ou ministério na Obra de Deus, deve-se atentar para o dom que nele se manifesta e o seu testemunho, sem qualquer distinção quanto à condição social, nível intelectual ou qualquer outra característica.

18 - APRESENTAÇÃO DE NOVOS OBREIROS

Antes de apresentar algum irmão para o ministério, deve-se obserar se trouxe carta de apresentação das cidades de onde veio, além de uma informação precisa do ministério de onde procedeu. Essa precaução se faz necessária porque se lhe for dado cargo e ele se mudar ou voltar para a primeira cidade de onde veio, poderá causar divergência entre o ministério e murmuração da irmandade.

19 - ENCARREGADOS REGIONAIS E LOCAIS DE ORQUESTRA - FUNÇÃO

Encarregados regionais e locais de orquestra atenham-se à regência dos hinos, sem fazer exortações quanto à doutrina. A pregação da Palavra nos ensaios regionais deve ser resumida, não se prolongando.

20 - COOPERADOR IMPOSSIBILITADO DE ATENDER

Quando um cooperador do ofício ministerial estiver impossibilitado de atender os cultos, por enfermidade ou idade muito avançada, poderá ser apresentado um outro cooperador, porém, no Relatório continuará constando apenas o nome do primeiro. Nessa hipótese, o segundo cooperador receberá o cartão de identificação e poderá participar das reuniões ministeriais.

21- REUNIÕES PARA COOPERADORES DE JOVENS E MENORES

Nas regiões onde houver necessidade, serão realizadas três reuniões para cooperadores de jovens e menores, por ano, a partir de 2008.

= TÓPICOS ADMINISTRATIVOS

1 - REGIONAIS ADMINISTRATIVAS

Em virtude da grande quantidade de normas legais a que estão sujeitas as entidades religiosas, recomenda-se às Administrações que tiverem necessidade, procurar irmãos profissionais voluntários como: contabilistas, engenheiros, advogados, entre outros, para executar e orientar acerca de assuntos administrativos e técnicos.

Sendo necessário, poderão ter funcionários remunerados para as partes administrativas e de construção, registrados na Administração onde está localizada a Regional Administrativa, dando suporte às agregadas, no cumprimento de nossos procedimentos administrativos e técnicos.

O custo dessa mão de obra, eventualmente necessária, deverá ser suportado por todas as Administrações agregadas a Regional Administrativa.

Fazemos esta recomendação para que a Obra de Deus não venha a sofrer nenhum detrimento advindo de nossa omissão.

2 - INFORMÁTICA CCB - PADRONIZAÇÕES

A Comissão de Informática, constituída por servos de Deus e irmãos dessa área técnica, com o objetivo de padronizar os procedimentos a nível Brasil, emitem as seguintes determinações:

- Softwares (Programa):

Informamos a todas as administrações que, doravante, só poderão utilizar os softwares (programas) que estiverem catalogados no portal CCBInfo, a fim de haver uma padronização nos sistemas utilizados pela Congregação. Somente os programas necessários para atender à Congregação.

- Hardaware (Equipamentos):

Informamos também a todas as Administrações que utilizaremos na Congregação somente equipamentos que atenderem à configuração mínima requerida, de acordo com o divulgado no portal CCBInfo, sendo que estas máquinas deverão ser dos seguintes fabricantes: IBM, DELL, HP (equipamento de primeira linha que já vêm com software instalado). Não devemos comprar equipamentos montados por terceiros.

- Licença de programas:

Todos os equipamentos que estiverem sendo utilizados dentro do ambiente da Congregação deverão obrigatoriamente possuir as licenças de software, ficando as Administrações Regionais, e as locais, com a responsabilidade de assegurar o cumprimento desta determinação. Segundo consta no art. 35, § 1º de nosso Estatuto, os “integrantes do Ministério e da Administração responderão pelos excessos eventualmente praticados que ocasionarem danos morais ou patrimoniais a CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL, ou a terceiros.”

- Doação:

Todo e qualquer equipamento de informática que for doado à Congregação deverá estar dentro dos padrões estabelecidos pelo documento “Aceite de Doação”, publicado no portal CCBInfo.

- Responsáveis:

Solicitamos às Administrações Regionais que informem o nome dos Anciães, Diáconos e administradores responsáveis pela área de informática na sua região.

- Dúvidas:

Em caso de dúvida ou para maiores esclarecimentos, dirigir-se diretamente à Comissão de Informática em São Paulo, no endereço: comissaodeinformatica@congregacao.org.br.

= TÓPICOS DO MINISTÉRIO DA OBRA DA PIEDADE

01 - IRMÃS DA OBRA DA PIEDADE / ENSINAMENTOS

As irmãs da Obra da Piedade devem se dedicar somente no ministério que Deus lhes confiou. Não é conveniente que tenham outras atribuições, tais como cuidar de cozinha nas reuniões ministeriais, quartos de batismos, auxiliares da porta, etc. Nas reuniões de ensinamentos é necessário fazer esses esclarecimentos. Orientar algumas que ainda estão nessas funções que, por iniciativa própria, solicitem que seja colocada outra em seu lugar.

02 - COLETAS PARA A OBRA DA PIEDADE

Os diáconos de determinadas regiões carentes não devem se acomodar e somente escrever cartas pedindo ajuda às cidades com maiores recursos para o atendimento da Obra da Piedade de suas localidades. É necessário esclarecer a irmandade a respeito das necessidades da Obra de Deus. Deverão também frequentar as reuniões da mocidade e fazer explanação sobre coletas, procurando sempre ser objetivos para não tomar muito tempo.

03 - REUNIÃO DE ENSINAMENTOS

Na eventual necessidade de alguma localidade solicitar um diácono para atender a reunião de ensinamentos da Obra da Piedade, aquele que Deus confirmar será o responsável pelo atendimento. Essa solicitação deverá vir por carta assinada pelo ancião e pelo diácono, e não deve vir com indicação do nome do irmão diácono para o atendimento.

04 - APOSENTADOS POR INVALIDEZ / LEI 8.213, DE 13 DE JULHO DE 1991

Esta lei trata da aposentadoria por invalidez e, em seu artigo 45 “DETERMINA UM AUMENTO NO BENEFÍCO DA APOSENTADORIA DE 25% para todo o aposentado por invalidez que necessitar de assistência permanente de outra pessoa.” Para requerer o benefício é necessário procurar modelo do impresso a ser preenchido nas agências do INSS. Esse procedimento deve ser feito pela família do necessitado.

Admin
Admin

Mensagens : 1049
Pontos : 2451
Data de inscrição : 24/05/2009

http://oulorivallan.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Todos os tópicos de ensinamentos da CCB 1961em diante Até 2010

Mensagem por Admin em 25th Julho 2010, 4:38 pm

73ª ASSEMBLÉIA - 2008 - RESUMO DE ENSINAMENTOS


73ª ASSEMBLÉIA - 2008 - RESUMO DE ENSINAMENTOS


SÃO PAULO - 18 A 23 DE MARÇO DE 2008

INICIARAM-SE ESTAS REUNIÕES EM NOME DO SENHOR JESUS

Atenção: Somente os tópicos assinalados com asterisco (*) deverão ser lidos nas congregações, perante a irmandade.

* 01- INTRODUÇÃO EM TODOS OS HINOS
Para todos os hinos que cantamos nos cultos deverá haver introdução. Também no hino de encerramento, que às vezes cantamos só uma estrofe e o coro, deve haver introdução. Porém, sempre que possível devemos cantar o hino inteiro, pois o tempo despendido não passa de um ou dois minutos.

Nos batismos também deve haver introdução em toso os hinos cantados quando o servo de Deus está no tanque. Nessa hora deve ser cantado o hino inteiro.

Nas Santas Ceias continua como está, lembrando que nas rodadas canta-se uma estrofe inteira e, na outra rodada, o coro. O hino 395 também deve ter introdução.

* 02 - CASAMENTO - ORAÇÃO
Nos casamentos as famílias não devem chamar o ministério mencionando o nome de um ancião, nem pedir ao juiz para faze-lo. Deve ser dito, após a cerimônia, que será feita uma oração para pedir a bênção de Deus sobre os noivos.

Cortes de gravata e outras peças, nos casamentos, não é de bom testemunho na Obra de Deus.

* 03 - FESTAS DE FORMATURA
O povo de Deus não deve participar de cerimônia de idolatria e nem do baile, limitando-se a participar da colação de grau, mesmo que seja o formando. Se for feita alguma festa comemorativa entre amigos e familiares, deve-se permanecer no temor de Deus.

* 04 - TESTEMUNHOS QUE CARECEM DE FUNDAMENTO
Propaga-se atualmente entre a irmandade, na hora dos testemunhos, que irmão ou irmã tiveram contato com mendigos, maltrapilhos e malcheirosos, que teriam sido anjos e que, assim, se cumpriu a Palavra que diz que “muitos, não o sabendo, hospedaram anjos”.

Esses relatos são fantasiosos e não dignos de crédito, aos quais a irmandade não deve dar atenção e devem cessar imediatamente.

Outrossim, quando alguém socorre uma pessoa, seja nosso irmão ou não, não deve propaga-lo nos testemunhos. A Palavra de Deus diz “não saiba a tua mão esquerda o que faz a tua direita”. O socorro deve ser feito em oculto, conforme o conselho do Senhor Jesus.

* 05 - ABRAÇOS COM MANIFESTAÇÕES
A irmandade deve evitar abraços com manifestações prolongadas antes, durante, ou no final do culto. Isso causa má impressão, principalmente aos novos convertidos e aos que estiverem nos visitando.

* 06 - SAUDAÇÃO COM O ÓSCULO SANTO NOS CULTOS REGULARES E NO SERVIÇO DIVINO NOS FUNERAIS

O ósculo santo é mais adequado para a despedida. Contudo, não somos impedidos de saudar com ósculo os vizinhos de banco. O ósculo é um só e não dois ou três. As irmãs procurem colocar-se de acordo com este ensinamento. A saudação é com um aperto de mão e não com um toque no braço ou no ombro.

Em nossos cultos, sejam regulares ou de evangelização, tenhamos prudência a respeito do ósculo santo, com as pessoas novas que estão nos visitando.

Nos funerais os irmãos não devem saudar-se com o ósculo santo, devido à aglomeração de pessoas estranhas à nossa fé.

* 07 - LOTERIAS E JOGOS DE AZAR
Nossa irmandade não deve jogar na loteria e nem em outros jogos de azar.

* 08 - CARAVANAS PARA BATISMOS, REUNIÕES PARA MOCIDADE, ETC
À vista das graves ocorrências que têm havido com caravanas para batismos, reuniões para mocidade, etc., o ministério delibera que não se façam lotações de ônibus ou outros veículos para essa finalidade. Se alguém o fizer, nunca deverá mencionar o nome da Congregação em qualquer contrato, escrito ou verbal, mas deverá assumir, individualmente, toda a responsabilidade. E o Ministério aconselha que, se alguém o fizer, que não seja pesado à irmandade por onde passarem. Cada um deve viajar às suas próprias expensas e não querer se acomodar nas dependências das congregações, nas quais não devem funcionar a cozinha, nem o dormitório e nem o estacionamento.

É vedado aos irmãos de Ministério e da Administração se envolverem com caravanas ou divulga-las entre a irmandade.

Esta orientação não se aplica aos irmãos que viajam para colaborar nas construções de casas de oração em outras localidades.

* 09 - EXIGÊNCIA DE CALÇAS COMPRIDAS PARA ALUNAS EM COLÉGIOS - USO OBRIGATÓRIO EM INDÚSTRIAS
Temos que estar dentro da Palavra de Deus: “Não haverá traje de homem na mulher, e não vestirá o homem vestido de mulher”.

Todavia, há colégios que obrigam as alunas a usar uniformes com calças compridas. Também em certas indústrias é obrigatório as empregadas usarem calças compridas devido ao perigo a que se expõem trabalhando junto a máquinas em funcionamento. É necessário, também, o uso de calças compridas em certos ramos de negócio onde o estoque de mercadorias fica em prateleiras altas, obrigando as mulheres a subir em escadas.

Essas exceções devem ser levadas na devida conta.

* 10 - PENSIONISTAS DO INSS
O pensionista do INSS (viúvo ou viúva) não perde o direito à pensão que estiver recebendo, em virtude de contrair novas núpcias (art. 114, do Decreto 3.048, de 06-05-99).

Este esclarecimento ajuda os casais que, convertidos, temem regularizar sua situação matrimonial pra obedecerem ao mandamento do santo batismo.

* 11 - PEDIR A DEUS A SUA PALAVRA
Nas orações, ao invés de dizer “Senhor, manda-nos um passo da Tua Palavra”, convém dizer: “Senhor, manda-nos a Tua Palavra”, para que não se confunda a palavra “passo” com a palavra “passe”.

= ATENÇÃO: OS TÓPICOS A SEGUIR SÃO SÓ PARA O MINISTÉRIO

* 12 - TOCAR DUAS ORGANISTAS EM CADA CULTO
Onde houver necessidade e possibilidade, poderão tocar duas irmãs organistas em um mesmo culto, ou seja: uma tocará os três primeiros hinos e outra tocará os outros três. A chamada “meia hora” prosseguirá normalmente, como vem sendo feito até agora.

Este procedimento poderá ser adotado, também, nas reuniões da mocidade, batismos, etc.

Em cada regional o ministério será responsável pelas necessidades de sua respectiva região.

13 - PRESIDÊNCIA DE REUNIÕES MINISTERIAIS
Presidência de reuniões ministeriais é dom de Deus. Serão indicados pelo Conselho de Anciães, para presidir as reuniões ministeriais, irmãos, dentre os mais antigos no ministério, que tiverem o dom e a preparação de Deus para essa obra. Essa indicação é conforme estabelecido no art. 45 do Estatuto.

14 - APRESENTAÇÃO FORA DAS RESPECTIVAS REGIÕES
Irmãos para cooperador, cooperador de jovens e menores, encarregado de orquestra, administradores e irmãs da Obra da Piedade, devem ser apresentados em oração nas suas respectivas regiões. Sempre que possível convém que sejam moradores da região. Não devem ser trazidos para orar nas reuniões de São Paulo ou levados para outras regiões.

15 - REUNIÕES MINISTERIAIS PROLONGADAS
Em algumas localidades realizam-se reuniões ministeriais prolongadas, que chegam a durar até quatro horas ou mais. Muitas vezes há irmãos idosos, que têm problemas circulatórios e correm até o risco de alguma complicação (como embolia, por exemplo), por permanecer tanto tempo sentados. Seria conveniente que, depois de algum tempo (mais ou menos a metade da reunião), se fizesse um pequeno intervalo de 5 ou 10 minutos para que os irmãos pudessem se levantar, tomar um copo d’água e movimentar um pouco as pernas.

16 - SIGILO MINISTERIAL
Ninguém deve saber o que se passa no Conselho dos irmãos Anciães, nem a própria esposa. Todos os servos de Deus devem fazer atenção pois, o que é deliberado pelo Conselho de Anciães não se revela a quem quer que seja. É um grande ensinamento que evita causar rupturas e até maus propósitos. Quem semeia o mal é um mau mensageiro na presença de Deus.

17 - ANCIÃO NÃO DEVE REGER ORQUESTRA
Embora já haja ensinamento de que Ancião não deve reger orquestra, todavia alguns ainda continuam. Rogamos que todos fiquem no ensinamento, a não ser num caso de extrema necessidade.

18 - BATISMO - LER O ART. 9º DOS PONTOS DE DOUTRINA
Conforme Tópico de 2005, esse ensinamento deve ser lido depois da pregação da Palavra, antes do batismo. Não há necessidade de explicações. Ler, somente.

19 - TRATAR A IRMANDADE COM CORDIALIDADE
Nunca se deve tratar a irmandade com palavras pesadas ou ofensivas. A verdadeira doutrina que edifica é aquela que nos convence à obediência por aquilo que ouvimos e aceitamos e não aquela que impõe medos e ameaças. Dizer que “se alguém não está gostando daquilo que está ouvindo pode se retirar da igreja” é um gesto de falta de humildade e luz de Deus por parte daquele que preside, podendo provocar com isso o abatimento de alguma alma que esteja em fraqueza, ou o afastamento de alguma visita que esteja congregando.

Os servos devem ter uma linguagem sã e irrepreensível.

20 - PERGUNTAR À IRMANDADE SE CRÊ OU NÃO CRÊ NA PREGAÇÃO
Ao pregador da Palavra não é prudente perguntar à irmandade ou a um irmão ou uma irmã, isoladamente, durante a pregação: “irmão, você crê que o Senhor pode te fazer isso?”, “irmão, você crê que o Senhor está falando contigo?”, pois, em resposta à pergunta alguém da irmandade poderá dizer que não crê ou fazer algum gesto negativo, o que deixará o pregador em situação embaraçosa. Quem prega, confirmado pelo Espírito Santo, exporá a Palavra. Quanto a crer ou não crer, fica entre a pessoa e o Senhor. Procedendo assim, fecharemos as portas a algum espírito que queira perturbar o culto sagrado.
Tampouco o pregador deve perguntar à irmandade se está gostando da Palavra, para incitá-los a dar gloria.

21- EXAGEROS EM GESTICULAÇÕES E MOVIMENTOS NO PÚLPITO
Na presidência dos cultos e, principalmente, na pregação da Palavra os servos de Deus devem evitar exageros em gesticulações e movimentos no púlpito. Outrossim, a exortação da Palavra deve ser em voz audível e inteligível e não com movimentos mímicos e sem voz.

22 - PEDIR A DEUS A SUA PALAVRA
Nas orações, ao invés de dizer “Senhor, manda-nos um passo da Tua Palavra”, convém dizer: “Senhor, manda-nos a Tua Palavra”, para que não se confunda a palavra “passo” com a palavra “passe”. E o Servo de Deus que for pregar deve dizer: “Vamos ler uma parte da Palavra”.

23 - ORAÇÃO PELO PÃO E PELO CÁLICE NA SANTA CEIA
Está havendo divergência na hora de pedir a bênção sobre o Pão e o Cálice, pois alguns pedem para Deus abençoar este Pão e este Cálice que “simbolizam” ou “representam” o corpo e o sangue do Senhor Jesus. Para evitar essa divergência o Ministério está na comunhão de que se peça, na oração: “Senhor, abençoa este Pão que é a comunhão do corpo de Cristo”; “Senhor, abençoa este Cálice que é a comunhão do sangue de Cristo”.

24 - FUNDO MUSICAL
Há irmãos que presidem o culto e, ao término dele, chamam um ancião no púlpito para fazer a oração de agradecimento e pedem à irmã organista que faça um fundo musical durante aquela oração. Outros querem que se faça um fundo musical quando se fala de coletas, durante a pregação da Palavra, durante ensaios, etc. Esses costumes são contra os nossos princípios. Quem estiver presidindo estará sujeito a ser chamado à atenção na correção do ministério. O ministério de cada região deve vigiar sobre essa parte.

25 - REUNIÕES PARA A MOCIDADE NO PERÍODO DA MANHÃ
Onde houver necessidade, as reuniões para a mocidade poderão ser realizadas no período da manhã, aos domingos ou feriados.

26 - CARTAS DE APRESENTAÇÃO PARA O EXTERIOR
Os blocos de cartas de apresentação que existem atualmente serão usados só internamente, no Brasil. Para o exterior, serão confeccionados novos blocos onde constará, somente: “Fulano de Tal é nosso irmão na fé” e esses dizeres virão já impressos. Só se colocará o nome, a data e a assinatura.

27 - COMPANHEIROS DE VIAGENS
Os irmãos do ministério devem estar vigilantes quanto à escolha de companheiros de suas viagens, pois se estes não tiverem bom testemunho, servirão de tropeço e poderão denegrir a imagem do servo de Deus. (II Cor. cap. 8, v. 19). Outrossim, é recomendável que, antes de viajar, o irmão motorista examine as condições gerais do veículo, observe os limites de velocidade permitido nas estradas e tome todo o cuidado possível para evitar acidentes, a fim de que a viagem transcorra com toda segurança, tanto na ida como no retorno.

28 - MANUAL TÉCNICO E ADMINISTRATIVO - OBSERVÂNCIA
As recomendações constantes do Manual Técnico e do Manual Administrativo devem ser lidos e observados, tanto pelo Ministério como pela Administração, principalmente no que concerne às compras de terrenos, construções, reformas de casas de oração, etc., em obediência ao que dispõe o art. 33 do nosso Estatuto.

29 - PRESIDÊNCIA DO CULTO - PREGAÇÃO DA PALAVRA
É ensinamento antigo que os servos de Deus devem honrar os mais antigos no ministério no atendimento dos cultos. Na hora da Palavra, quando um ancião mais novo (ou um cooperador) estiver atendendo o culto e o ancião mais antigo daquela igreja estiver sentado no banco, o que está presidindo deverá esperar que o mais antigo se manifeste antes de oferecer a Palavra aos demais. Caso o mais antigo não tenha a revelação da Palavra, então o que está presidindo poderá oferecer a Palavra aos demais que estiverem assentados.
Ninguém, sendo mais novo, se antecipe ao mais antigo no ministério, neste particular.

= TÓPICOS ADMINISTRATIVOS

01 - RELATÓRIOS DAS ASSEMBLÉIAS GERAIS
Em algumas localidades, logo após a realização da Assembléia Geral (Ordinária ou Extraordinária), são distribuídos exemplares de tudo o que foi lido para todos os administradores, anciães, diáconos, cooperadores, cooperadores de jovens e menores, porteiros, etc. Esse procedimento não está correto. O Relatório que é lido nas Assembléias deve ficar arquivado na Secretaria da Administração. Caso algum irmão queira obter informações sobre o que foi apresentado na Assembléia, deverá dirigir-se à Administração.

02 - OFICIALIZAÇÃO DE SALAS DE ORAÇÃO, ABERTURAS E REABERTURAS DE TEMPLOS
Estes assuntos devem ser deliberados em reunião conjunta do Ministério Espiritual e a Administração, conforme consta do art. 33 do nosso Estatuto, fazendo constar em Ata, após verificar se toda a documentação pertinente está em ordem, de acordo com o que consta no Manual Técnico e Administrativo.
A não observância desse procedimento poderá acarretar as consequências previstas no § 1º do art. 35 do Estatuto da Congregação.

03 - MANDATO DA ADMINISTRAÇÃO E DO CONSELHO FISCAL
A fim de que não paire qualquer dúvida quanto à duração do mandato (tri-anual da Administração e anual do Conselho Fiscal), fica estabelecido o seguinte: o mandato do Conselho Fiscal vigorará do dia 2 de março de um ano, até o dia 1º de março do ano subseqüente. Da mesma forma o mandato da Administração vigorará do dia 2 de março do ano da apresentação e posse, até o dia 1º de março do ano em que se completar o triênio.

04 - COMUNICADOS DA ADMINISTRAÇÃO SÃO PAULO
Doravante, os Comunicados da Administração São Paulo às demais Administrações e Regionais Administrativas, contendo orientação sobre a matéria contábil, fiscal, tributária, patrimonial, de informática, etc., não serão mais enviados pelo correio mas, sim, ficarão à disposição do Portal ccbinfo.congregacao.org.br. Essa nova modalidade visa não só a economia de material (papel, evenlopes, selos, etc.) como, principalmente, agilizar e tornar mais eficiente essa comunicação.

05 - CASAS DE ORAÇÃO EM MUNICÍPIOS DIFERENTES
A Congregação é inscrita no CNPJ somente pelo endereço da sede da Administração e, quando tiver município agregado, se a Prefeitura exigir, deverá sê-lo em apenas uma casa de oração de cada município agregado. Os demais imóveis, isto é, as demais casas de oração do município sede da Administração e municípios agregados, não devem ser inscritos. Essa regra se aplica mesmo em municípios agregados por dois estados.

A seqüência de ordem das casas de oração cadastradas no CNPJ será a seguinte:
Estabelecimento sede /0001 - Endereço da casa de oração sede da Administração;
Primeira filial /0002 - Endereço de uma das casas de oração do primeiro município agregado.
Segunda filial /0003 - Endereço de uma das casas de oração do segundo município agregado.
E assim por diante.

Desta forma, o Ministério determina que os imóveis da Congregação sejam administrados pelas Administrações das respectivas localidades. O atendimento da parte espiritual não sofre qualquer modificação, mas apenas os aspectos materiais (coletas, documentação, assinatura de documentos, etc.).

06 - MANUAL TÉCNICO E ADMINISTRATIVO - OBSERVÂNCIA
As recomendações constantes do Manual Técnico e do Manual Administrativo devem ser lidas e observadas, tanto pelo Ministério como pela Administração, principalmente no que concerne às compras de terrenos, construções, reformas de casas de oração, etc., em obediência ao que dispõe o art. 33 do Estatuto.

07 - INFORMÁTICA
Conforme tópico administrativo de ensinamento da RGE de 2007, ratificamos a necessidade de que todos os equipamentos que estiverem sendo utilizados dentro do ambiente da Congregação Cristã no Brasil deverão obrigatoriamente possuir licenças de software, ficando as Administrações, regionais e locais, com a responsabilidade de assegurar o cum- primento desta determinação, com a amplitude prevista no § 1º, do art. 35, do Estatuto.

Lembramos que o pacote de software CCLinux está à disposição para ser implantado nas Administrações sem nenhum ônus, o que reforça esta determinação e dá condições de que todas as administrações se coloquem de acordo com a legislação vigente.

08 - ASSEMBLÉIA GERAL
Quem deve subir ao púlpito durante a realização da Assembléia Geral? Em algumas localidades, durante a Assembléia, estão subindo, além dos Administradores, outros irmãos que colaboram, porém, não fazem parte da Administração. O correto é que subam ao púlpito somente os componentes da Administração e do Conselho Fiscal.

09 - ABERTURA E REABERTURA DE CASA DE ORAÇÃO
Na abertura ou reabertura de casas de oração só deve subir ao púlpito um irmão Administrador ou auxiliar para ler o relatório daquela construção ou reforma. Em algumas localidades têm subido ao púlpito diversos irmãos, o que não é necessário.

JC/JS/ARP/NAC/NM/JV

= TÓPICOS DO MINISTÉRIO DA OBRA DA PIEDADE

01 - IRMÃS AUXILIARES NAS PORTAS (Repetição do tópico 12/1983)
Essas irmãs são consideradas como auxiliares. A elas compete observar o movimento do corredor externo da igreja, os sanitários, e acomodar no banco alguma visita ou irmã idosa. Não devem receber coletas e, caso seja necessário, orientar as irmãs a depositarem o que Deus prepara nas caixas colocadas nas portas das igrejas para esse fim.

02 - REUNIÃO DE ATENDIMENTOS / DESCENTRALIZAÇÃO
Com o crescimento da Obra de Deus, aumentou também o número de necessitados em todas as regionais. Os Diáconos devem verificar a necessidade de descentralizar os pontos de atendimentos, para facilitar as irmãs da Obra da Piedade, pois há localidades em que, pela grande distância, essas irmãs precisam se deslocar com bastante antecedência para frequentar as reuniões. Os atendimentos devem ser feitos pelo caixa da Regional.

Quando houver descentralização de Administrações, as coletas da Obra da Piedade devem continuar a ser entregues na regional de atendimento.

03 - MEDICAMENTOS
Os irmãos Diáconos e irmãs da Obra da Piedade devem orientar os necessitados que utilizam remédios, a se cadastrar nos Hospitais, Postos de Saúde e outros locais de atendimentos para receberem os medicamentos gratuitamente.

04 - IRMÃOS IDOSOS / ATENDIMENTOS
A Lei 10.741, de 01/10/2003, em seu art. 3º determina que é obrigação da família assegurar ao idoso o direito a alimentação, saúde, etc., portanto, para o atendimento de irmãos idosos é necessário verificar se não há filhos em condições financeiras que possam ajudar, mesmo que não sejam crentes, mostrando a eles a responsabilidade que têm para com os pais.

05 - CALAMIDADES
É de responsabilidade dos Diáconos o atendimento de irmãos necessitados em caso de calamidades com enchentes, incêndio, construção de pequenos cômodos, sendo que esses atendimentos devem ser acompanhados por dois ou mais Diáconos e apresentados antecipadamente em reunião. Quando o caso requer muita urgência, comunicar-se com os Diáconos mais antigos e promover uma reunião para deliberação e, tendo-se necessidade de adquirir materiais para tais atendimentos, é imprescindível obter documentos fiscais das compras, em nome do atendido.

Admin
Admin

Mensagens : 1049
Pontos : 2451
Data de inscrição : 24/05/2009

http://oulorivallan.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Todos os tópicos de ensinamentos da CCB 1961em diante Até 2010

Mensagem por Admin em 25th Julho 2010, 4:40 pm

74º ASSEMBLÉIA - 2009 – RESUMO DE ENSINAMENTOS


SÃO PAULO – 07 A 11 DE ABRIL DE 2009

INICISRAM-SE ESTAS REUNIÕES "EM NOME DO SENHOR JESUS”

ATENÇÃO: SOMENTE OS TÓPICOS A SEGUIR, ASSINALADOS COM (*) DEVERÃO SER LIDOS NAS CONGREGAÇÕES, PERANTE A IRMANDADE.

· *1 – CUIDADO COM AS CRIANÇAS – ALERTA A IRMANDADE

Temos que nos dirigir aos pais por causa do que está acontecendo no mundo com a sedução de crianças. O ministério deve alertar os pais a que estejam atentos, tomem cuidado como quem se aproxima de seus filhos nas escolas ou em outra locais, prometendo agrado às crianças, para seduzi-las, sempre com intenções abomináveis. Os pais devem vigiar porque esse movimento esta aumentando no mundo (ler carta em anexo)

· *2 – COMEMORAÇÃO DO NATAL

Não comemoramos o Natal. Não deve ser guardado porque ninguém sabe o dia do nascimento do Senhor Jesus, pois ele não permitiu que ficasse escrito para que ninguém guarde esse dia.

· *3 – DEPRESSÃO – ENFERMIDADE

Existe uma enfermidade chamada “depressão”. Alertamos a irmandade que se trata de enfermidade e não de algo espiritual e de origem maligna, como alguns poderão pensar.

· *4 – ORDEM NO CULTO

A irmandade é exortada a se conservar em seus lugares até o encerramento do culto. Fique em comunhão até o final para depois guardar seus livros e objetos, demonstrando, assim o devido respeito ao santo culto que esta sendo encerrado.

· *5 – INVASÕES DE TERRAS – ADVERTÊNCIA À IRMANDADE DE ZONA RURAl

O povo de Deus deve guardar-se de envolvimentos em invasões de terras. Não se devem deixar manipular por elementos que , a pretexto de fazer justiça agrária, pretendam incitar a irmandade de zonas rurais a violência e à posse ilegítima de terras.

O que tem que ser nosso, Deus nos dará, quando for sua vontade, Quanto à distribuição normal de terras deixa-se a cargo das autoridades governamentais, que estão atentas a respeito, e atenderão no tempo certo.

· *6 – SEPARAÇÃO E/OU DIVÓRCIO

A irmandade deve ser esclarecida no sentido de que, segundo a Palavra de Deus, o matrimônio só pode ser desfeito se um dos cônjuges cair em adultério. Não sendo por esse motivo, não é lícita a separação e muito menos um novo casamento.

Aquele que se separar e casar novamente, não sendo por causa de infidelidade conjugal, cairá em pecado e não poderá mais fazer uso da liberdade no culto.

No caso de haver adultério, a parte inocente estará livre para casar-se novamente após o divórcio. Contudo cada caso será considerado e julgado pelo conselho de Anciãos que, da decisão, lavrarão uma ata detalhando tudo o que foi tratado e deliberado. (ler carta a respeito de “convivência entre Marido e Mulher”)

· *7 – CASAMENTOS NA IDOLATRIA – COUSAS SACRIFICADAS AOS ÍDOLOS

Antes da cerimônia religiosa os noivos ainda não se casaram perante os Ídolos. O que se come e se bebe não nos traz contaminação. Irmãos que têm familiares que se casarão na idolatria poderão participar de um almoço antes da cerimônia.

Cousa sacrifica aos Ídolos são comidas, bebidas e artigos vendidos ou consumidos em todas as festas de idolatria. Antigamente, sacrificadas aos Ídolos eram carnes de animais levadas aos altares dos Ídolos como Júpiter, Diana, Afrotide, Marte etc. Como também nos açougues havia carnes que eram destinadas à celebração dos dias desses Ídolos (I Cor. 10:25). Também são idolatria as festas de batizado perante os Ídolos.

· *8 – CASAMENTO “POR CONTRATO”

Casamento “por contrato” não está previsto em lei e os participantes conviverão regidos por simples contrato de convivência. Não é casamento e . portanto é contrário à doutrina. Aqueles que assim procederem, a rigor legal, não estarão casado mas, apenas unidos de fato, sem a proteção legal e espiritual do casamento.

· *9–MENBROS DO MINSTÉRIO QUE MUDAM PARA OUTRAS LOCALIDADES

Irmãos anciães, diáconos e cooperadores que mudarem de sua cidade para outra localidade, estão parados em seu ministério, não podendo exercê-lo sem que o ministério da região de onde saíram e o ministério da região para onde se mudaram, decidam.

Fica a irmandade notificada, portanto, que não deve pressionar o ministério da região a respeito desses irmãos voltarem a exercer o ministério e nem forçá-los a ler palavra.

· *10 – “NARGUILÉ´” CACHIMBO DE ÁGUA PARA FUMAR

Há um aparelho chamado “Narguilè” que é uma espécie de cachimbo, cuja fumaça passa pela água, através de uma pequena tubulação, antes de chegar ao fumante. É encontrado em alguns lugares públicos tais como em certos bares, restaurantes etc. Há, também pessoas que o tem em suas casas. É fumo e, como tal, vicia. Alguns o usam para fumar drogas. A irmandade não deve fazer uso disso.

· *11 – VISITAS A ENFERMOS – PRUDÊNCIA

Visitas a enfermos não devem ser prolongadas, devem ser rápidas. A oração não deve ser prolongada nem em voz muito alta (principalmente em hospitais). Em residências, se Deus der de ter uma parte da palavra ou cantar um hino, conforme o estado do enfermo, tudo deve ser feito, com entendimento e com a guia de Deus. Grupos de visitas não abram a oração “em nome do Senhor Jesus” Oração não se abre.

· *12 – PROFECIAS

Pareceu bem ao ministério pôr a irmandade a par da grave situação ocasionada pela correria do povo atrás de profecias, revelações, orações exageradas e pelo espírito de imitação dos verdadeiros dons, espírito esse que se espalhou por toda a parte. Muitos buscam profecias para ter respostas sobre casamentos, negócios e tantos outros assuntos, com orações que se prolongam pela madrugada. A Palavra pregada nas congregações vem sendo posta em segundo lugar. Muitos dão mais valor à profecia do que à própria palavra. E este escrito “engrandecestes a tua Palavra acima de todo teu nome” (salmo 138, v2) Outros são enganados por falsas profecias e têm sofrido transtornos materiais e espirituais. Muita coisa estranha tem surgido provocando estragos irreparáveis. Entrou a desordem nesse setor. Todos temos que parar e refletir sobre essa advertência, para benefício da Obra, mantendo, acima de tudo a unidade de espírito. Exortamos a irmandade a voltar à simplicidade que sempre tivemos desde o princípio, de buscar a Santa Palavra para saber a vontade do Senhor, terminando com correrias à procura de outras respostas. Aconselhamos a irmandade a ir para casa após o terminado o culto, meditando na Palavra. Não se reúnam para orar procurando orientações por profecias e revelações. Os prudentes aceitarão e obedecerão. Os demais levarão a responsabilidade pelos prejuízos e desunião que vêm ocorrendo.

· *13 – BENÇÃO NUPCIAL

Nos casamentos, não costumamos nos referir à oração como sendo uma “bênção nupcial”. Costumamos dizer “Vamos fazer uma oração para pedir as bênçãos de Deus sobre os noivos”. Outrossim, orientamos os jovens, mostrando-lhes que a nossa doutrina recomenda, para o matrimônio que o mesmo seja realizado perante a autoridade legalmente constituída, ou seja, o juiz de paz.


= ATENÇÃO: OS TÓPICOS A SEGUIR SÃO SÓ PARA O MINISTÉRIO

· 14 – BUSCAR OS DONS DE DEUS

Não obstante os tópicos de 199, 2000, 2001 e 2008, muitos continuam não obedecendo: marcam cultos de busca de dons, chamam irmãos de fora para atender, há gritaria, barulho e manifestações estranhas a sã doutrina. Em face disso, delibera-se permanecer no seguinte ensinamento: “O ministério deve exortar a irmandade a buscar os dons de Deus e a promessa do Espírito Santo com evidência de novas línguas. Quando Deus fizer sentir ao ancião que estiver presidindo, na última oração a irmandade poderá ficar um pouco mais tempo ajoelhada (não em todos os cultos, mas periodicamente), aguardando a promessa do Espírito Santo com evidência de novas línguas e os demais dons de Deus.”

· 15 – CASAMENTO

Unir-se antes do casamento é considerado pecado de fornicação. Aqueles que assim o procederem não deverão orar, nem testemunhar e nem chamar hinos nos cultos. Sendo músico ou organista, também não deverão tocar. Se tiverem algum cargo na Obra de Deus, serão destituídos.

Alguns desses casais, depois de um certo tempo, pedem ao ministério a reconsideração de seus casos. Após alguns anos, o ministério poderá reconsiderar o assunto. Não se pode estipular o número de anos, mas exortar a que o ministério deixe guiar por Deus, acompanhe a vida dói casal e deixe passar os anos para que sintam o peso do que fizeram.

Irmãs e irmãs nessas condições não poderão ser indicados para nenhum ministério ou cargo que dependa de confirmação em oração.



· 16 – ORDEM NAS REUNIÕES MINISTERIAIS

Exorta-se aos servos de Deus a que não se preocupem em guardar bíblias e hinários quando o que está presidindo estiver falando as palavras de encerramento. Todos devem estar em comunhão com Deus para dar exemplo à irmandade.

Outrossim, foi observado nas reuniões do ministério que, terminada a exortação da Palavra muitos se levantam e se retiram, antes do encerramento da reunião.

· 17 – CASAMENTO CIVIL E RELIGIOSO – DIFERENÇA

Os arts. 1515/1516 do Código Civil consagram que o casamento religioso, ou seja, aquele realizado como sacramento ou de acordo com a doutrina de determinada religião e levado a registro no cartório de registro civil, equipara-se ao casamento civil. Todavia, nossa doutrina não consagra e nem o nosso Estatuto prevê o casamento religioso. Logo, não existe ato religioso em nosso meio a se equiparar ao civil e , por outro lado, o casamento civil tem como única autoridade celebrante o Juiz de Paz, que é investido de autoridade na forma da lei.

Em vista disto, os nosso irmãos do ministério não podem realizar casamentos, para permanecermos no ensinamento que desde o principio desta Obra temos recebido.

Para fins de batismo deve ser observado que o casamento feito em qualquer denominação religiosa, só tem efeito se registrado em cartório de registro civil.

· 18 – MEMBROS DO MINISTÉRIO QUE MUDAM PARA OUTRA LOCALIDADE

Irmãos anciães, diáconos e cooperadores que mudarem de sua cidade para outra localidade, estarão parados em seu ministério, não poderão exercê-lo sem que o ministério da região de onde saíram e o da região para onde mudaram decidam. Eles mesmos deverão acomodar-se e abster-se de ler a palavra.

Outrossim, aqueles que, depois de um certo tempo, voltarem a exercer oi ministério, deverão acomodar-se na posição que lhes couber, em face daqueles que já estão colocados.

· 19 – IDADE MÍNIMA PARA PARTICIPAR DA SANTA CEIA

Em virtude do desconhecimento que alguns manifestaram quanto a essa parte, não sabendo orientar quem perguntou, damos novamente o esclarecimento de que, mesmo que alguém tenha sido batizado nas águas e tenha recebido a Promessa, somente poderá participar da Santa Ceia a partir de 12 anos de idade.

· 20 – SERVIÇO DIVINO DE FUNERAL PARA NÃO BATIZADOS

Há casos de filhos de nosso irmãos, tementes à Deus que não chegaram a ser batizados mas que tinham bom testemunho, não se corromperam e vieram a falecer. Nestes casos, podermos fazer o serviço divino de funeral. Os servos de Deus orarão e farão a vontade de Deus, segundo a guia do Espírito Santo.

· 21 – ORDENAÇÃO DE NOVOS OBREIROS

Não convém que nas ordenações, os irmãos do ministério que subiram ao púlpito, passem pelo microfone e se apresentem, dando seu nome, ministério e localidade que atende. Essa apresentação não é necessária. O objetivo de se levantar no púlpito é para demonstrar a comunhão do ministério naquela ordenação.

· 22 – PREGAÇÃO DE PALAVRA NAS ORDENAÇÕES

Tem havido divergência a esse respeito, isto é, se devem ser pregada duas Palavras nas ordenações ou apenas uma. Geralmente, nas ordenações, Deus dá a seus servos a leitura do capítulo 3 da epístola A Timóteo ou o capítulo 1º da epístola A Tito. As duas, entretanto, a respeito das qualidades que devem ter o presbítero e o diácono, são dirigidas aos servos não à irmandade.

Quanto a pregação nas ordenações, deve ser uma só, na qual Deus dará, além dos conselhos dirigidos aos servos que vão ser ordenados, a porção dirigida à irmandade, em geral

· 23 – LOCAL E OCASIÃO DE APRESENTAÇÃO DE NOVOS OBREIROS – ANCIÃES E DIÁCONOS

O ministério delibera que as apresentações de novos Anciãos e Diáconos devem ser realizados somente por ocasião das Reuniões Gerais Anuais de ensinamentos (Assembléias), que são realizadas em cada Estado do Brasil, na cidade sede de cada Estado. Nos Estados onde são realizadas mais de uma assembléia, so se orara na reunião ou local onde for a principal do Estado. Ex. Paraná: Há assembléias em Apucarana, Curitiba e Cascavel, porém se orará apenas na principal que é Apucarana; Minas Gerais: Há assembléias em Belo Horizonte, Uberlândia, Montes Claro e Governador Valadares. Porém se orará somente em Belo Horizonte; Bahia: há assembléias em Salvador, Guananbi, Itabuna, Juazeiro e João Dourado, porém se orará na assembléia em Salvador.

Para o Estado de São Paulo não se orará na Assembléia devido ao acúmulo de reuniões, porém, se orara em um, dois ou três dias a serem previamente marcados.

Fora dessas ocasiões acima, não se orará para apresentação de novos obreiros (Ancião e Diácono)

Para Ancião e Diácono do exterior, continuará como está, orando-se nos próprios paises, nas suas respectivas reuniões gerais anuais de ensinamentos (Assembléias), porém, se houver alguma necessidade, poderá ser trazida para ser considerada em São Paulo, na reunião dos anciãos mais antigos no ministério.

· 24 – PRECAUSÃO NA APRESENTAÇÃO DE NOVOS OBREIROS

Antes de se apresentar algum irmão para o ministério, deve-se observar se trouxe carta de apresentação de todas as cidades onde morou, ou seja, desde a sua origem, além de uma informação precisa do ministério de onde procedeu. Essa precaução se faz necessária porque, se lhe for dado cargo e ele se mudar ou voltar para a 1º cidade de onde veio, poderá causar divergência entre o ministério e murmuração da irmandade.

· 25 – SUICÍDIO – IRMÃOS ASSASSINADOS – SANTO SERVIÇO DE FUNERAL

Não se faz o santo serviço no funeral para quem se suicida. Faz-se uma oração para conforto da família. O servo que for atender deixe-se guiar por Deus. Quanto a irmãos que foram assassinados, deve-se averiguar se a pessoa tinha bom testemunho. Houve irmãos que foram mortos por assaltantes, mas temiam a Deus. Certamente o Senhor permitiu que morressem dessa forma.

· 26 – EXECUÇÃO DE DELIBERAÇÕES MATERIAS

É tradição antiga na Obra de Deus que não convém aos membros do ministério se envolver. Pessoalmente, em questões matérias para que não fique prejudicado o atendimento da parte espiritual. Por isso, os artigos 33 e 36 do nosso Estatuto dispõem que as deliberações sobre questões materiais deverão ocorrer em reuniões conjunta do ministério e administração, competindo sua execução, a partir daí. A Administração, que deverá prestar contas desse trabalho ao ministério nas reuniões. O ministério (ancião, diácono e cooperadores)deverá se abster de interferir diretamente em negócios (compra e venda) e de se envolver na execução das questões materiais a cargo das administrações (projetos, construções, reformas etc...) para que o tão importante trabalho espiritual de cada um não fique prejudicado por esse envolvimento nessas questões materiais.

A interferência de membros do ministério em negócios de compra e venda de matérias da congregação, poderá comprometer sua credibilidade perante a irmandade, estando sujeito a envolvimento em questões econômicas com acusações de vantagens sempre infundadas, mas que poderiam por em dúvida a credibilidade da pregação.

· 27–COLETAS PARA OUTRA FINALIDADES E PARA OUTRAS LOCALIDADES

Conforme ensinamentos anteriores, não se deve anunciar a irmandade coletas para outras finalidades a não ser as normais já determinadas. Coletas para outras localidades deverão primeiramente ser consideras pelo ministério em reunião regional e, caso seja aprovada,,deverá se lavrada em ata e a irmandade deverá saber o motivo e sua finalidade. A irmandade deve entregar as contribuições nas congregações e não à pessoas interessadas, nem fazer depósitos dessas coletas em contas bancárias particulares, em nome dessa pessoa.

O resultado final deverá ser contabilizado no local e encaminhado à referida localidade por via bancária. Pela administração. A verba não deverá ser levada por mãos próprias.



· 28 – CULTO DE COLETA – NÃO DEVE EXISTIR

Os cultos são para louvores e súplicas a Deus, Quando houver necessidade de se falar em coletas no culto, pode-se apenas avisar a irmandade que num próximo culto, será apresentada uma necessidade. Não deve ser usado o termo “culto de Coleta”

· 29 – VIAGENS AO CONTINENTE AFRICANO

Esta reunião é de parecer que os irmãos do ministério, seja do Brasil ou de outros paises, que sentirem de viajar para a África deverão, previamente, comunicar-se e estar em comunhão do conselho de anciães que prestam atendimento naquelas nações, os quais darão a devida orientação. Se não viajarem juntos do servos que atendem a África, deverão portar carta de recomendação dos mesmos.

· 30 – PRESIDÊNCIA DO CULTO – HORA DA PALAVRA

Quem estiver presidindo, após o hino da Palavra poderá dizer “aguardemos pelo conselho da Palavra de Deus”. Não há necessidade de dizer “Deus seja louvado”. Se ele mesmo for exortar a Palavra, também não precisa dizer “Deus seja louvado”. Um servo que não estava presidindo o culto e se levantar para pregar a Palavra, este sim deve dizer “Deus seja louvado”.

Se quem, estiver presidindo for testemunhar, também não precisa dizer “Deus seja louvado”.

· 31 – LIBRAS – LINGUAGEM BRASILEIRA DE SINAIS

A tradução de LIBRAS, nos cultos da congregação Cristã no Brasil, só pode ser executada por membros da igreja que tenham realizado o curso nos termos dos ensinamentos aprovados na reunião ministerial em São Paulo e os sinais devem ser executados exatamente como aprovados nessa mesma reunião.

Aqueles que já possuem a técnica podem se submeter ao teste, devendo, para tanto, procurar os irmãos anciãos da localidade para serem encaminhados.
· 32 – ORAÇÕES E PROFECIAS

Estamos novamente às voltas com orações e profecias e a irmandade está sendo atraída por coisas estranhas que estão acontecendo. Alguns irmãos, já com anos de ministério, estão atrás disso novamente. Muitos dos que se envolveram com isso provocaram verdadeiras ruínas na Obra de Deus; Muitos foram manchados sem dever nada e outros foram justificados devendo muito. Esse espírito esta novamente tomando força. Devemos tomar cuidado, ir aos pés do Senhor para não sermos enganados por espíritos estranhos. Os envolvidos serão chamados e advertidos.

Estamos atravessando dias difíceis e o inimigo está procurando fazer de tudo para ver se consegue dispersar algumas almas. Nas igrejas se vê um pouco de falta de doutrina e muita irmandade nova não é ensinada. A maioria dos acontecimentos é com famílias novas na graça, que não tem o necessário conhecimento e aceita tudo o que ouvem, como se fosse Deus falando. Muitos desses que se dizem profetas comem, bebem, dormem em casa da irmandade, viajam às custas da irmandade.

O Senhor não engana ninguém, é três vezes Santo. É tempo de ensinar a igreja, tempo de doutrina, de ensinamento; O conselho não pode faltar na igreja. Aquele que conhece a voz do Senhor, não anda atrás do homem. Há palavras que são acaloradas, mas que não edificam a alma, para que o povo se salve. É preciso muita oração para ser revestido por Deus, para que o povo entenda conheça melhor a Obra de Deus, tenha temor de Deus para andar neste mundo como um santo homem, como uma santa mulher.

· 33 – PONTO DOUTRINAL-CONSIDERAÇÕES SOBRE AS PALAVRAS QUE SE PRONUNCIAM AO BATIZAR – Tópico de 1969

O saudoso servo de Deus irmão ancião Louis Francescon, deixou-nos esclarecidos sobre este ponto. O modo de batizar e a missão de batismo encontram-se em Mateus 28 v.19 “Portanto ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do filho e do Espírito Santo”. A palavra “ide” exprime a ordem que Jesus nos dae, conseguentemente, a missão com a qual Ele nos envia. O mandamento de batismo encontra-se em Atos dos Apóstolos 2 v. 38 “Arrependei-vos e cada um de vós seja batizado Em nome de Jesus Cristo” para perdão dos pecados. Unindo-se o que vem dito nessas duas passagens, encontramos as palavras a serem ditas no batismo:

“Irmão, Em nome de Jesus Cristo te batizo, Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo”.

· 34 – EM NOME DE JESUS OU EM NOME DO SENHOR JESUS – Tópico de 1969

A diferença no emprego destas expressão no Novo testamento “Em nome de Jesus” é frase usada na apresentação da salvação ao pecador e sempre que a expressão é dirigida a pessoa não crente, conforme podemos ver claramente nos seguintes pontos: Atos 2-2:38 – 3:6 – 4:10 e Romanos 6:3 “Em nome do Senhor Jesus” é frase usada quando a palavra se dirige aos salvos, e aos crentes conforme os capítulos Atos 8:16 – 19:5 – Colossenses 3:17 e I Aos Coríntios 5:4. O filho de Deus veio a este mundo tendo duas naturezas. A natureza “Humana” e a natureza “Divina”. Por isso ele vem chamado: verdadeiro homem e verdadeiro Deus. Como homem padeceu na cruz, para remir a humanidade. Como homem conheceu a morte e desceu ao sepulcro. Nós quando cremos em Jesus Cristo e o recebemos por fé, ao sermos batizados, na semelhança do sepultamento morremos com Cristo. Mas o Senhor Jesus venceu a morte. Esta não o pode reter. Ele ressuscitou ao terceiro dia, triunfante e glorioso. Depois da ressurreição é que Deus o fez Senhor e Cristo. E nós quando saímos das águas do batismo ressurgimos em novidade de vida, tendo em nós a vida de Cristo. Temos a natureza do homem glorificada em nós mesmos. O primeiro batismo na igreja Apostólica foi feito em nome de Jesus Cristo. E não Em nome do Senhor Jesus Cristo. Nesta reunião aprendemos doutrina que não é ponto de vista deste ou daquele, mas a Santa Verdade encontrada na Palavra de Deus.

?35 – AFASTAMENTO DE ADMINISTRADOR
Os administradores são colocados em seus cargos através de confirmação em oração, como é característica em todos os cargos administrativos da Congregação. O mandato temporal previsto no Estatuto para os administradores tem objetivos meramente legais, pois a oração a Deus não é feita com limite temporal, isto é, pelo período do primeiro mandato, mas indefinidamente. Assim, o afastamento ou eventual não recondução de administrador ao cargo administrativo deverá se verificar pelos motivos mencionados no art. 9º do Estatuto, sob pena de menosprezo da oração realizada. Quando o administrador se revelar com falta de habilidade para aquela função dever-se-á, no amor de Deus, conversar com o mesmo e deslocá-lo para outra função compatível na própria Administração.

TÓPICOS ADMINISTRATIVOS

· 1 – RESPONSÁVEIS PELAS INFORMAÇÕES PARA O RELATÓRIO ANUAL E CARTÕES DE INGRESSO

Cada administrador deverá nomear dois ou três irmãos, administradores ou colaboradores da Administração, que serão responsáveis por todas as informações referentes a alterações no Relatório (endereço, dados cadastrais, dias de culto, ministério, etc) e cartões de ingresso para acesso às reuniões. O objetivo desse trabalho é o de garantir a exatidão das informações que irmão constar no Relatório anual.

Esses irmãos terão responsabilidades de coletar, junto ao ministério e a Administração, os dados que serão encaminhados ao setor de alteração de Relatório, na Administração São Paulo, e ainda, a responsabilidade de encaminhar os cartões de ingresso aos irmãos de ministério.

Também verificarão as informações constantes no Relatório correspondente à Administração a que pertencem, evitando assim que o Relatório seja publicado com dados incorretos. As regionais devem cobrar, das Administrações agregadas, as providências necessárias ao atendimento destas instruções.

?2 – COMPRA, VENDA E REFORMA DE IMÓVEIS – APROVAÇÃO
Após deliberação em reunião de cada Administração, toda compra, venda, construção e/ou reforma deverá ser submetida a aprovação em reunião regional, com a presença do Conselho de Anciães, Diáconos e a Administração interessada (art. 33 do Estatuto)

?3 – MANUTENÇÃO PREVENTIVA PARA EVITAR ACIDENTES
Cada congregação deverá possuir um grupo de manutenção preventiva, como já orientado pela Administração São Paulo, devendo reunir-se periodicamente, com ata, para tratar da permanente conservação dos prédios, evitando ter que realizar custosas reformas que, muitas vezes, equivalem em meses, revisar os telhados e suas estruturas, bem como outros itens de segurança prevenindo-se acidentes, conforme consta do nosso Manual.

?4 – ABERTURA DE CASAS DE ORAÇÃO
Os documentos referente à abertura de casas de oração deverão ser remetidos à Administração Regional que após análise dos mesmo, comunicará ao Departamento de Patrimônio em São Paulo, através de formulário Alteração de Relatório, para constar no mesmo.

· 5 – REALATÓRIO DA ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA – O QUE DEVE CONSTAR

No Relatório da Assembléia Geral Ordinária deve constar o movimento espiritual e material da Obra de Deus no exercício anterior, ou seja, a) o total de irmãos e irmãs que foram batizados; b) o total dos que participaram da Santa Ceia; c) o total de bíblias e hinários à irmandade e seus respectivos valores; d) os novos Obreiros que o Senhor levantou, ou seja, anciãos, diáconos, cooperadores do oficio ministerial e cooperadores de jovens e menores; e) os imóveis adquiridos e/ou alienados; f) as construções entregues; g) as construções em andamento; h) as reformas entregues e as que estão em andamento; i) as oficializações de salas de oração. Deverão constar também, os balanços patrimoniais encerrado no exercício anterior, bem como o parecer do Conselho Fiscal, a composição da Administração para o triênio e a composição do Conselho fiscal, com duração de 1 (um) ano.

Não deverá constar o nome de irmãos da Obra da Piedade, nem de encarregados regionais ou locais de orquestra, nem de músicos, organistas, porteiros ou irmãos com qualquer outro cargo na congregação.

· 6 – ADMINISTRAÇÃO-CONSULTAS

As Administrações que tiverem qualquer dúvida quanto a assuntos ou procedimentos administrativos, deverão consultar as responsáveis regionais e não dirigir-se diretamente à Administração São Paulo.

TÓPICOS DO MINISTÉRIO DA OBRA DA PIEDADE

ATENÇÃO: OS TÓPICOS ASSINALADOS COM (*) DEVERÃO SER LIDOS NAS CONGREGAÇÕES, PERANTE A IRMANDADE.

?*1 – IDOSOS/INTERNAÇÃO EM ASILOS
Conforme mandamento da Palavra de Deus, e também determinação na lei do idoso, é de responsabilidade dos filhos o cuidado dos Pais que são idosos. Não é de responsabilidade do ministério dos diáconos, a não ser que a irmã ou irmão idoso não tenha família e nem meios, tendo necessidade de cuidados especiais.

?2 – VIAGENS MISSIONÁRIAS / PROCEDIMENTOS
Em todas as viagens missionárias é necessária a apresentação da autorização de viagens.

O viajante ao receber o envelope, deve conferir a importância, assinar o recibo e se possível o envelope deve ser retirado pelo próprio viajante.

Os documentos de comprovação da viagem devem ser datados do período em que ocorreu a viagem, sendo que o atendimento é por viagem não sendo permitido realizar duas viagens com um mesmo envelope. Os documentos devem ser registrado no campo relativo ao histórico sempre em ordem cronológica de data. O recibo de entrega deve ser devolvido ao irmão que viajou por ocasião da devolução do envelope de viagem.

?3 – ENTREGA DE IMPORTÂNCIAS AO NECESSITADO
Doravante toda a importância relativa ao atendimento da obra da piedade deve conter a assinatura do necessitado. As irmãs da obra da piedade continuam assinando o envelope de atendimento, bem como os Diáconos, e o necessitado deverão assinar no verso do envelope, até que seja confeccionado novo envelope como os espaços já determinados para essa finalidade.

?*4 – TABALHADOR AUTÔNOMO / SERVIÇOS DIVERSOS
Os irmãos que são trabalhadores autônomos e executam serviços diversos, devem contribuir para o INSS, pois é uma garantia para a família em caso de eventual ocorrência, como doença ou morte. Está havendo muitos casos em que o irmão trabalha nessas condições, não se cadastra no INSS e não recolhe a contribuição mensal e, vindo a falecer, em conseqüência deixa a família totalmente desamparada.

?*5 – PESSOAS PEDINTES QUE SE APRESENTAM COMO NOSSOS IRMÃOS
Está havendo muitos casos de pedintes que se apresentam como nossos irmãos, dirigem-se às residências, se dizem crentes da congregação, falam e nome de Servos de Deus, para conseguirem recursos ou algum atendimento. Alegam enfermidades, famílias passando fome, viagens e outras. Devemos estar atentos: caso não conheça a pessoa, não se deve atender nem deixar entrar na residência. Já houve casos de assaltos em casa de nosso irmãos; também não encaminhar essas pessoas ao ministério, a não ser em casos excepcionais.

Admin
Admin

Mensagens : 1049
Pontos : 2451
Data de inscrição : 24/05/2009

http://oulorivallan.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Todos os tópicos de ensinamentos da CCB 1961em diante Até 2010

Mensagem por Admin em 25th Julho 2010, 4:42 pm

Tópicos de ensinamento 2010


ApdD, procurei em alguns sites e achei algumas citações referente aos topicos de ensinamentos 2010.

Segue abaixo

75º ASSEMBLÉIA – 2010 – RESUMO DE ENSINAMENTOS

SÃO PAULO – 29 de março a 2 de abril de 2010

INICIARAM-SE ESTAS REUNIÕES “EM NOME DO SENHOR JESUS”

TÓPICO 1: EXPRESSÕES QUE NÃO DEVEM SER FALADAS

Ao agradecer a Deus nos testemunhos não se deve dizer que Deus confundiu a ciência ou a medicina.

TÓPICO 2: NÃO FILMAR ,NEM FOTOGRAFAR ,NEM GRAVAR OS SANTOS SERVIÇOS

Não dever ser filmados, nem fotografados, nem gravados os santos serviços, quanto aos estranhos a nossa fé, devemos aconselhar a não fazê-los, participando do culto devemos estar com os celulares desligados.

TÓPICO 3: HINO DE ABERTURA DO ENSAIO LOCAL

Não cantar ,ainda que no histórico musical e instrução regulamentar para as orquestras constam que deve ser cantado este hino , o ministério considerou desnecessário cantá-lo , nos ensaios regionais permanece a orientação para se cantar o hino inicial.

TÓPICO 4: PULSEIRAS COLORIDAS

Alerta a irmandade, a nova moda de pulseiras coloridas que surgiu , é completamente inconveniente para nossa mocidade e nossas crianças, é coisa perigosa devido às intenções nelas contidas, que podem deturpar os bons costumes e induzir ao mal ,os pais vigiem sobre seus filhos.

TÓPICO 5: FORMA CORRETA DE NOS DIRIGIRMOS A DEUS

Quando oramos devemos dirigir ao pai em nome do senhor Jesus , portanto vos oreis assim ,pai nosso que estas no céu ,santificado seja o teu nome , se dirige ao pai em nome do senhor Jesus , o próprio senhor Jesus disse , na verdade na verdade vos digo , tudo quanto pedirdes ao meu pai em meu nome ele vos a de dar, terminamos a oração agradecendo a Deus em nome do senhor Jesus , lembremos que o senhor Jesus também ensinou ; quando orardes não useis de vão repetições , pois muitos usam palavras em louvores a Deus com tanas repetições na oração que metade destas palavras se resumem em repetições desnecessárias

TÓPICO 6: RECONCILIAÇAO NÃO É SÓ NO DIA DA SANTA CEIA

Alguns julgam que só no dia da santa ceia é dia de reconciliação , mas devemos nos reconciliar continuamente ,pois não sabemos nem o dia da nossa partida, a finalidade da santa ceia é mantermos sempre a lembrança da morte do senhor Jesus , a nossa chamada do mundo para a graça de Deus e também nos conservar purificados de todo mal.

TÓPICO 7; INSTRUMENTOS NÃO MAIS ACEITOS EM NOSSAS ORQUESTRAS

Não serão mais aceitos em nossas orquestras os acordeons , sax baixo , sax contrabaixo , sax super baixo ou qualquer outro instrumento modificado de sua concepção original ,sax sofone mais grave que o sax barítono também não serão mais aceitos ,este tópico deve ter aplicação a partir de 02/04/2010 ,os que já estão na orquestra permanecem ,mas deverão ser aconselhados a trocar de instrumento assim que possível.

TÓPICO 8: CANTO EM OUTRAS VOZES NOS CULTOS

Lembramos a querida irmandade que desde o inicio desta obra fomos ensinados a não ter corais em nossas igrejas, isto é ,conjunto de vozes de irmãos e irmãs que cantam isoladamente ,neste ensinamento antigo permanecer , o canto dos nossos hinos devem ser entoados por igual por toda irmandade nos cultos, sem que aja grupos cantando isoladamente em vozes que não seja o soprano , pois os irmãos e irmãs que não conhecem a parte musical e os novos na graça ficam confusos sem saber qual das vozes acompanhar,quem canta deve cantar com pureza e sentimento para com Deus ,para que seu louvor seja aceito pelo senhor , se alguém deseja cantar noutra voz que não seja o soprano ,deve fazê-lo para si mesmo em voz muito baixa de modo a não desorientar quem esta sentado ao seu lado ,cantando o soprano , pois é o canto do soprano que deve prevalecer na igreja , nos nossos cultos já é suficiente o que faz a orquestra executando as quatro vozes , mantendo-nos neste procedimento para que permaneça a espiritualidade entre nós e para proveito de nossos irmãos.

TÓPICO 9: MOMENTO CERTO PARA CANTAR HINOS

A hora da liberdade para os testemunhos não é o momento adequado para cantar hinos , nos casamentos da mesma forma ,não se deve cantar nem tocar hinos pois os mesmos são sacros.

TÓPICO 10: VÉUS – NOVIDADES

Em muitas localidades estão surgindo véus diferentes dos que as irmãs sempre usaram até agora, são véus com rendas enormes, véus especiais para organistas e até véus de cores diferentes, que não são totalmente brancos, em algumas localidades a véus com figura de pássaros e outros desenhos, deve se parar com esta novidade e permanecer na simplicidade que sempre tivemos desde o inicio da obra de Deus, nos funeral de uma Irma não e necessário cobrir a cabeça com véu, a palavra de Deus manda que a mulher se cubra com o véu quando ora ou profetiza, isto é os vivos, também não se deve colocar a bíblia nem hinário dentro do caixão.

TÓPICO 11: DIVERGÊNCIA ENTRE CASAIS – A INTERFERÊNCIA DOS PAIS

No caso de divergência entre casais de nossos irmãos, a interferência dos pais de ambos deve ser sempre procurando e aconselhando a reconciliação e não a separação.

TÓPICO 12: FESTA DE 15 ANOS – EXAGEROS

Algumas de nossas jovens ao celebrar a festa de 15 anos de idade exageram e dançam a valsa, indo às vezes ate altas horas da madrugada, bailes em festas de nossa irmandade são reprovadas pela nossa doutrina.

TÓPICO 13-ADVERTÊNCIA À IRMANDADE SOBRE VAIDADE E COSTUMES DO MUNDO ATUAL

Ultimamente, vem se observando que a vaidade e os costumes do mundo atual estão se alastrando no meio do povo de Deus. A irmandade,em geral, tem responsabilidade perante Deus de se enquadrar na Doutrina.

As irmãs devem evitar trajes exagerados vestindo sempre roupas modestas. As santas do Senhor não devem usar pinturas, nem depilar as sombrancelhas ou tingir os cabelos,nem darem-se à exibição de jóias.

Devem ter os cabelos crescidos conforme a Palavra. Vestidos decotados,sem mangas, saias curtas ou abertas, roupas transparentes ou modelos indecorosos não devem fazer parte dos costumes das servas de Deus.

Irmãos que tingem os cabelos e bigodes também devem entrar na disciplina.

Os jovens devem se abster de penteados e cortes de cabelo exóticos e exagerados.

Nossa irmandade deve abster-se de tatuagens e piercings. Porém aos que estão se convertendo ao Senhor e são tatuados, nada devemos impor.Aguademos que o Senhor faça a obra em cada coração

Alem dos tópicos acima mencionados , o ministerio com a guia de Deus incluiu os topicos 18 e 41

TÓPICO 18: EMPRÉSTIMO DE DONS- NÃO USAR ESTA EXPRESSÃO

TÓPICO 41: EVITAR QUE RELATÓRIOS SEJAM ENVIADOS A ESTABELECIMENTOS PRISIONAIS

fonte destes tópicos http://www.ccbhinos.com.br/topicos-de-ensinamentos-congregacao-ccb/Topicos-de-ensinamento-2010-28

Admin
Admin

Mensagens : 1049
Pontos : 2451
Data de inscrição : 24/05/2009

http://oulorivallan.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

ata ensino

Mensagem por roniomar melo em 31st Janeiro 2016, 2:59 pm

aos ensinadores...

roniomar melo
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Todos os tópicos de ensinamentos da CCB 1961em diante Até 2010

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você pode responder aos tópicos neste fórum