NAS PEGADAS DO MESTRE JESUS
Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Setembro 2017
SegTerQuaQuiSexSabDom
    123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930 

Calendário Calendário

Quem está conectado
31 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 31 Visitantes :: 2 Motores de busca

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 473 em 30th Agosto 2014, 11:05 pm
Social bookmarking

Social bookmarking Digg  Social bookmarking Delicious  Social bookmarking Reddit  Social bookmarking Stumbleupon  Social bookmarking Slashdot  Social bookmarking Yahoo  Social bookmarking Google  Social bookmarking Blinklist  Social bookmarking Blogmarks  Social bookmarking Technorati  

Conservar e compartilhar o endereço de <a href="http://oulorivallan.forumeiros.com/">nas pegadas do mestre JESUS</a> em seu site de social bookmarking

Conservar e compartilhar o endereço de NAS PEGADAS DO MESTRE JESUS em seu site de social bookmarking

Conectar-se

Esqueci minha senha

Flux RSS


Yahoo! 
MSN 
AOL 
Netvibes 
Bloglines 


Votação
Estatísticas
Temos 4281 usuários registrados
O último usuário registrado atende pelo nome de Tiago de Paula

Os nossos membros postaram um total de 29981 mensagens em 12914 assuntos

O VÉU NA TRADIÇÃO JUDAICA

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

O VÉU NA TRADIÇÃO JUDAICA

Mensagem por Lourival soldado cristão em 8th Outubro 2011, 12:42 pm

Conhecendo o costume e tradição do uso do véu veja esta postagem .....

http://http://www.alfurqan.pt/final_images/bis3.gif

Prezados Irmãos,
Assalamu Alaikum


O VÉU NA TRADIÇÃO JUDAICA


Permitam-me que lance algumas luzes a respeito do que, no Ocidente, é considerado o maior símbolo da opressão e da sujeição feminina, ou seja, o véu ou a cabeça coberta. Será verdade que não existe nada de semelhante ao véu na tradição Judaico-Cristã? Examinemos de seguida os registos que ainda existem:

No seu livro, "As mulheres Judias na Literatura Rabínica", o Rabino Dr. Menachem M. Brayer (Professor de Literatura Bíblica na Universidade Yeshiva) refere que era hábito das mulheres Judias apresentarem-se em público com as cabeças cobertas, cobertura essa que, por vezes, cobria mesmo toda a face, deixando apenas uma abertura para um dos olhos.

O Dr. Brayer cita alguns antigos Rabinos famosos, os quais referiram o seguinte:

?Não é próprio das Filhas de Israel apresentarem-se em público com as cabeças descobertas? e ?Amaldiçoado seja o homem que permitir que o cabelo da sua esposa seja visto ...a mulher que usar o cabelo como adorno causará a pobreza?.

A lei Rabínica proíbe a recitação de benções ou de orações na presença de uma mulher casada cuja cabeça se encontre descoberta, isto porque descobrir o cabelo de uma mulher é considerado ?nudez?.

O Dr. Brayer menciona também que «Durante o período Tanático, a recusa da mulher Judia em cobrir a sua cabeça era tida como uma afronta à 'suo recato'. Devido a esta ofensa, quando a sua cabeça se encontrava descoberta, a mulher podia ser multada em quatrocentos zuzim».

O Dr. Brayer explica também que o véu da mulher Judia nem sempre foi considerado um símbolo da 'suo recato'. Por vezes, o véu simbolizava mais um estado ou uma distinção e um luxo, do que propriamente recato. O véu personificava a dignidade e a superioridade da mulher nobre. Re- presentava também a inacessibilidade da mulher enquanto posse sagrada do seu marido.

O véu representava o amor-próprio e o estatuto social da mulher. Muitas vezes, as mulheres das classes mais baixas usavam o véu para darem a impressão de que pertenciam a um estatuto social mais elevado. Devido ao facto do véu ser o símbolo da nobreza, na antiga sociedade Judaica não era permitido às prostitutas cobrirem as suas cabeças. Contudo, e de modo a parecerem respeitáveis, era frequente as prostitutas usarem um véu especial a cobrir-lhes a cabeça. As mulheres Judias da Europa continuaram a usar véus até ao século XIX, altura em que as suas vidas se confundiram mais com a cultura secular que as rodeava. As pressões externas da vida Europeia do século XIX levou a que muitas deixassem de cobrir a cabeça. Algumas mulheres Judias consideraram que seria mais conveniente substituir o véu tradicional por uma peruca. Actualmente, muitas das mulheres Judias devotas não cobrem o cabelo a não ser na sinagoga. Algumas delas, tais como as das seitas Chassídicas, continuam a usar a peruca.

oooOOOooo

O Véu na Tradição Cristã

Sabe-se bem que desde há séculos as Freiras Católicas cobrem as suas cabeças. Mas isto não é tudo. No Novo Testamento, São Paulo teceu algumas considerações deveras interessantes a respeito do véu:

«Mas toda a mulher que ora ou profetiza, tendo a cabeça descoberta, desonra a sua própria cabeça, porque é como se estivesse rapada. Portanto, se a mulher não se cobre com o véu, tosquie-se, também. Mas se, para a mulher, é coisa indecente tosquiar-se ou rapar-se, que ponha o véu. O varão, pois, não deve cobrir a cabeça, porque é a imagem e glória de Deus; mas a mulher é a glória do varão» (I Epístola de São Paulo aos Coríntios, 11:5-7).

O argumento dado por São Paulo para a utilização do véu por parte das mulheres, é o de que o véu é um sinal da autoridade do homem, o qual é a imagem e a glória de Deus, sobre a mulher, a qual foi criada a partir do homem e para o homem.

No seu famoso tratado ?Sobre o Véu das Virgens?, São Tertuliano escreveu o seguinte:

?Meninas, vós usais os vossos véus quando saem à rua, então, usai-os na Igreja; usam-nos quando se encontram entre estranhos, então, usai-os entre os vossos irmãos...?

Entre as Leis Canónicas da actual Igreja Católica, existe uma que exige que as mulheres cubram as cabeças quando estão na Igreja. Actualmente, em algumas seitas Cristãs, como por exemplo os Amish e os Manonistas, as mulheres continuam a usar o véu. A razão apresentada pelo líder religioso destas seitas para a conservação do véu, é a de que ?A cabeça coberta é sinal da sujeição da mulher ao homem e a Deus?, o que segue a mesma lógica introduzida por São Paulo no Novo Testamento.

O Véu no Islão

Com base nas provas atrás apresentadas, é óbvio que o acto de cobrir a cabeça não foi inventado pelo Islão. Contudo, o Islão apoiou este acto. O Alcorão incentiva os homens e as mulheres crentes a baixarem o olhar e a serem recatados e, em seguida, incentiva as mulheres crentes a cobrirem não apenas o cabelo, mas também o pescoço e o peito:

«Dize aos homens crentes que recatem os seus olhares e conservem seus pudores, porque isso é mais benéfico para eles; e Deus está bem inteirado de tudo quanto fazem».
«Dize às mulheres que recatem os seus olhares, conservem os seus pudores e não mostrem os seus atractivos, além dos que (normalmente) aparecem»; (Alcorão, 24: 30:31).

O Alcorão é perfeitamente claro no que respeita ao facto do véu ser essencial para o recato. Mas, porque motivo é o recato essencial? O Alcorão continua a ser claro:

?Ó Profeta! Dize às tuas esposas e filhas e às mulheres dos crentes que se envolvam e fechem nos seus mantos (quando saírem); isso é mais conveniente para que se distingam das demais e para que não sejam molestadas ...? . (Alcorão, 33: 59).

É este o ponto central, o recato é prescrito para proteger a mulher de ser molestada ou, simplesmente, o recato representa protecção.

Consequentemente, o objectivo do véu no Islão é a protecção.

O véu Islâmico, ao contrário do véu da tradição Cristã, não é um sinal da autoridade do homem sobre a mulher, assim como não é um sinal da sujeição da mulher ao homem.

O véu Islâmico, ao contrário do véu da tradição Judaica, não é um sinal de luxo e de distinção de algumas mulheres casadas pertencentes à nobreza.

O véu Islâmico é um sinal de recato, o qual tem como objectivo a protecção da mulher.

A filosofia Islâmica é a de que mais vale prevenir do que remediar. De facto, a protecção do corpo e da reputação da mulher é de tal forma importante para o Alcorão que, o homem que se atrever a acusar falsamente uma mulher de não ser casta, será severamente punido:

«E aqueles que difamarem as mulheres castas, sem apresentarem quatro testemunhas, infligí-lhes oitenta vergastadas e nunca mais aceiteis os seus testemunhos porque são depravados». (Alcorão, 24:4).

Compare esta rígida atitude Alcorânica, com o castigo extremamente lasso que é dado na Bíblia aos casos de violação:

«Quando um homem achar uma moça virgem, que não for desposada, e pegar nela, e se deitar com ela, e forem apanhados, então o homem que se deitou com ela dará ao pai da moça cinquenta siclos de prata: e, portanto a humilhou, lhe será por mulher; não a poderá despedir em todos os seus dias». (Deuteronómio, 22: 28-29).

Podemo-nos aqui interrogar sobre quem verdadeiramente é castigado. Será o homem, que se limita a pagar uma multa devido à violação que cometeu, ou será a mulher, que é obrigada a desposar o homem que a violou e a viver com ele até que ele morra? Uma outra questão que se pode colocar é a seguinte: quem é que protege mais a mulher? Será a rígida atitude Alcorânica, ou será a lassa atitude Bíblica?

Algumas pessoas, especialmente pessoas do Ocidente, tendem a ridicularizar a justificação do uso do recato para protecção da mulher.

Estas pessoas argumentam que a melhor protecção consiste na disseminação da educação, de um comportamento civilizado e do autodomínio.

A nossa resposta é a de que isso pode ser bom, mas que não é suficiente.

Se a ?civilização? fosse protecção suficiente, porque motivo as mulheres da América do Norte não se atrevem a andar sozinhas por uma rua não iluminada ? ou mesmo a atravessarem um parque de estacionamento vazio?

Se a educação é a solução, porque motivo uma respeitada universidade, como é o caso da Queen, tem um serviço de acompanhamento a casa dirigido principalmente às estudantes femininas que se encontram nos terrenos da universidade?

Se o autodomínio fosse a resposta, porque motivo existem casos de assédio sexual no local de trabalho, casos esses que são noticiados todos os dias pelos média?

Uma amostra de pessoas acusadas de assédio sexual durante os últimos anos, inclui: Oficiais da Marinha, Administradores, Professores Universitários, Senadores, Juizes do Supremo Tribunal e até o Presidente dos Estados Unidos da América!

Eu não conseguia acreditar nos meus olhos quando li as seguintes estatísticas, escritas num panfleto emitido pelo Deão do Gabinete para a Mulher da Universidade de Queen:

"No Canadá, uma mulher é atacada sexualmente a cada 6 minutos; num dado momento das suas vidas, 1 em cada 3 mulheres do Canadá será sexualmente atacada; 1 em cada 4 mulheres corre o risco de, em algum momento da sua vida, ser vítima de violação ou de tentativa de violação; 1 em cada 8 mulheres será sexualmente atacada enquanto frequenta o liceu ou a universidade e, um estudo revelou que 60% dos estudantes universitários masculinos cometeria um ataque sexual se tivessem a certeza de que não seriam apanhados". E isto está a alastrar-se a toda a Europa!

Algo se encontra essencialmente errado na sociedade em que vivemos. Torna-se absolutamente necessária uma mudança radical na cultura e no estilo de vida da sociedade, sobretudo ocidental. É gravemente necessária uma cultura do recato, do recato no vestir, no falar e nas maneiras, tanto para homens, como para mulheres. De outra forma, as sinistras estatísticas serão cada vez piores e, infelizmente, serão as mulheres a pagar o preço das mesmas. Na realidade, todos nós sofremos mas, como disse K. Gibran, ?.. para a pessoa que recebe, os golpes não são os mesmos que para a pessoa que os conta?. Consequentemente, uma sociedade, como é o caso da sociedade Francesa, que expulsa as jovens da escola devido à sua roupa recatada prejudica-se simplesmente a si mesma.

É uma das maiores ironias do nosso mundo actual, que o mesmo véu reverenciado como sinal de ?santidade?, quando usado pelas Freiras Católicas com o objectivo de mostrarem a autoridade do homem, seja insultado como sendo um sinal de ?opressão?, quando usado pelas mulheres Muçulmanas com o objectivo de se protegerem.

Por M.Yiossuf Adamgy
in seu livro "O Véu Islâmico ? Análise e Esclarecimento"
Edição de Al Furqán ? www.alfurqan.pt
http://myciw.org/forums/archive/index.php/t-498.html
avatar
Lourival soldado cristão

Mensagens : 11156
Pontos : 24610
Data de inscrição : 23/12/2009
Idade : 59
Localização : Sao paulo

http://ccbsemcensurasnaspeg.forumeiros.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum