NAS PEGADAS DO MESTRE JESUS
Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Dezembro 2017
SegTerQuaQuiSexSabDom
    123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Calendário Calendário

Quem está conectado
83 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 83 Visitantes :: 2 Motores de busca

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 473 em 30th Agosto 2014, 11:05 pm
Social bookmarking

Social bookmarking digg  Social bookmarking delicious  Social bookmarking reddit  Social bookmarking stumbleupon  Social bookmarking slashdot  Social bookmarking yahoo  Social bookmarking google  Social bookmarking blogmarks  Social bookmarking live      

Conservar e compartilhar o endereço de <a href="http://oulorivallan.forumeiros.com/">nas pegadas do mestre JESUS</a> em seu site de social bookmarking

Conservar e compartilhar o endereço de NAS PEGADAS DO MESTRE JESUS em seu site de social bookmarking

Conectar-se

Esqueci minha senha

Flux RSS


Yahoo! 
MSN 
AOL 
Netvibes 
Bloglines 


Votação
Estatísticas
Temos 4293 usuários registrados
O último usuário registrado atende pelo nome de João Celso

Os nossos membros postaram um total de 30108 mensagens em 13032 assuntos

Cerimonia do Lavar os Pés uma vez ao ano apos a Santa ceia dos Cristão.

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Cerimonia do Lavar os Pés uma vez ao ano apos a Santa ceia dos Cristão.

Mensagem por Paulino em 14th Julho 2014, 8:17 pm

LAVA PÉS E SUA BEM-AVENTURANÇA

João 13-17 “Se sabeis estas coisas, bem-aventurados sois se as fizerdes”
Bem-aventurado significa: muito feliz, ou seja, aquele que goza das riquezas celestiais.

Conforme podemos ver no Evangelho de São João, capítulo 13, versículos 1 a 20, o Senhor Jesus Cristo, com os seus discípulos estavam jantando antes do dia da Páscoa, Ele levantou-se e lavou os pés aos discípulos determinando que assim também fizessem uns aos outros. (13:4)

A ordenança do lava pés não tem sido entendida por muitos servos de Deus, e pela falta de entendimento deixam de praticá-la. (13:6)

Consequentemente, deixam de ser abençoados, ou seja, felizes.

Ao contrário do que alguém poderia entender, o ato do lava-pés é uma ordem do Senhor, e não um simples exemplo de humildade. (13:14).
Primeiramente temos que levar em conta que o Senhor Jesus Cristo e os discípulos estavam comemorando a páscoa, e isto em casa de estranhos, porque o Senhor mandou a dois dos discípulos que fossem até determinado lugar e pedissem que o dono da casa lhes mostrasse onde Ele deveria comemorar a páscoa com os demais, e foi-lhes mostrado um grande cenáculo mobiliado. (MT. 26:17 a 19)

Se o ato de lavar os pés era uma tradição, um costume da época que teria sido observado pelo Senhor Jesus, então quem deveria lavar os pés seria o dono da casa, pois estava recebendo visitantes, e não o Senhor Jesus lavar os pés de seus discípulos.

Em segundo lugar vemos que só o Senhor lavou os pés dos discípulos, e estes não lavaram o pé dele, e podemos ver que todos haviam caminhado a mesma jornada porque todos estavam juntos, à exceção dos dois discípulos que foram na frente preparar a páscoa.

Então, se todos estavam caminhando juntos não haveria necessidade do Senhor lavar os pés de ninguém, mesmo porque, além de não estarem na casa de nenhum deles, todos estava na mesma condição e tinham feito à mesma jornada.

Vemos ainda que o Senhor Jesus mandou FUGIR da tradição dos escribas e fariseus, e certa feita quando um deles cobrou dele que seus discípulos comiam sem lavar as mãos, que era também uma tradição, ensinou que nada que entra pela boca pode contaminar o corpo, mas sim o que sai da boca, demonstrando que temos que olhar as coisas ESPIRITUAIS. (Mateus 15: 1 a 20).

Assim temos a certeza que de forma alguma o Senhor Jesus estaria ensinando alguma coisa material, mas sempre teve sentido espiritual, e não para simples aparência, porque a aparência desta vida passa, mas as palavras do Senhor não passarão (Mateus 24: 35).

Durante a execução do lava-pés o Senhor Jesus, chegando a Pedro, foi por este impedido de proceder para com ele conforme fizera com os outros, tendo este apóstolo dito que jamais deixariam que o Senhor lhe lavasse os pés, ao que foi respondido pelo Senhor que: “SE EU TE NÃO LAVAR, NÃO TENS PARTE COMIGO” (João 13:Cool.

Seria uma simples tradição ou um simples ensinamento de humildade que o Senhor Jesus estava vivendo, e chegaria a ponto de condenar a não ter parte com Ele àquele que não fizesse como Ele fez?

Obviamente que não. Ali, naquele memorável dia, foi ensinada a humildade sim, mas não a de Jesus, porque Ele é o mais humilde dos homens, mas a nossa, porque Ele disse que Pedro não saberia naquele instante o que Ele fazia, mas saberia depois, podemos entender que Jesus criou essa doutrina porque os apóstolos tinham discutido entre si quem seria o maior no reino de Deus, para retirar essa discussão Ele ensinou que sendo Ele Senhor e Mestre e lavou os pés dos seus discípulos, muito mais nós devemos nos humilhar e lavar os pés uns dos outros, porque o discípulo não é maior do que o Mestre, nem o que é enviado é maior do que aquele que o envia. (João 13:16).

Entendemos que essa doutrina foi dada por Jesus antes do dia da Páscoa (… levantando-se da ceia…) (13:4), ainda não tinha sido instituída a Santa Ceia.

A doutrina da Santa Ceia também foi instituída durante o jantar da Páscoa (… enquanto comiam…) (MT 26:26).

Essas duas doutrinas, o lava pés e a santa ceia foi ensinada por Jesus Cristo na ocasião da semana da páscoa e as mesmas são doutrinas totalmente independentes uma da outra, ambas têm o seus significados espirituais. Não é porque Jesus instituiu essas duas doutrinas na semana da páscoa que ambas estão ligadas e que deve ser feita no mesmo dia, ou antes, da santa ceia como manutenção, ou depois da santa ceia como complemento, é necessário entendermos que o lava pés é uma doutrina simbólica e a santa ceia é outra doutrina simbólica, não é necessário seguir a mesma ordem, a importância do lava pés é praticar conforme Jesus mandou. João 13:14 “…vós deveis lavar os pés uns dos outros.”

Notemos que em João 13 é mostrado à doutrina do lava pés e não tem a doutrina da Santa Ceia, também em Mateus 26:17 é mostrado a celebração da Santa Ceia e não se fala em lava pés, da mesma forma em Marcos 14:12 até 26 e Lucas 22:7 a 23, também não encontramos na História da Igreja primitiva essa prática, encontramos mais tarde na Igreja católica essa prática, finalizando o apóstolo Paulo em I Cor.11: 17 a 34 dá instrução para a Igreja de Coríntios sobre a Santa Ceia e não fala do lava pés, nos dando a entender que a doutrina do lava pés é totalmente independente da Santa Ceia, sabendo que essa doutrina era praticada pela igreja primitiva e que se esses homens de Deus não falaram dessa prática porque a mesma era praticada com perfeição. ITm.5:10

1- O lava pés têm a simbologia de ser limpo (lavar significa limpar, banhando em água ou em qualquer líquido) e não de ser puro, Jesus falou em João 13:10 “Quem já se banhou não necessita de lavar se não os pés; quanto ao mais, está todo limpo…” banhar nessa passagem Ele Jesus indica o novo nascimento pelo símbolo do batismo enfatizando que somos salvo eternamente, assim que quanto ao mais tudo está limpo, a necessidade seria só na limpeza dos pés, que entendemos que na caminhada cristã nós encontraremos poeira, sujeiras, e outros procedimentos que muitas vezes nos fazem separar um do outro. “Essa doutrina se refere aos procedimentos cristãos de um discípulo para com outro, sendo procedimentos que muitas vezes venha sujar a caminhada cristã; quando Jesus falou que”..ao mais tudo está limpo…”, cremos então que no novo nascimento já somos purificados (puro significa sem impureza, límpido, sem maldade),cremos que somos salvos eternamente, o procedimento agora de limpeza simbólica é de
um irmão para com outro, por isso temos o exemplo de Jesus e nasimbologia temos os objetos como: a vestimenta de cima, a bacia, a água e a toalha, todos esse símbolos tem o seu significado que representam assim: Jesus tirando a sua veste de cima, representa que é necessário nos despojarmos de tudo com relação ao nosso irmão, vivendo uma vida de humildade para com ele; cingiu-se com a toalha representa a posição de servo para com outro irmão, a bacia simboliza a vida do cristão que tem que conter a água para a limpeza que é a Palavra de Deus; a água simboliza a Palavra de Deus em nós atuando como limpeza para a comunhão de uns para com outros e a toalha simboliza a perfeição que em Cristo nos une mais e mais.

2- A santa ceia também instituída no dia do jantar da páscoa tem a simbologia da memorização da morte de Cristo até que ele venha. ICor. 11:26; essa doutrina está simbolicamente ligada ao corpo (pão asmo que simboliza a Igreja) e vinho (que simboliza o sangue purificador de Cristo), essa doutrina é para a vida
individual e espiritual do cristão em relação ao corpo (Igreja) e ao vinho (sangue purificador de Cristo), o procedimento individual é: “…examine-se o homem a si mesmo…”,entendemos então que a doutrina da Santa Ceia é para a vida cristã individual do cristão com relação a Igreja e ao sangue que o torna puro.

O lava pés é um mandamento simbólico de Cristo com procedimentos Cristãos na caminha perante um crente e outro e a Santa Ceia é um mandamento de Cristo com procedimento individual perante a Igreja e a sua purificação.

Notemos então a profundidade e a importância do lava-pés. Se você compreende e não participa deste ato corre o risco de não ter parte com Jesus, porque se recusa a ser humilde como o Senhor Jesus, pois não permitiu que o Senhor (representado pelos nossos irmãos) lavasse os seus pés, como ensinou o Senhor Jesus: “Se eu te não lavar, não tens parte comigo” (João 13:Cool, parte com Jesus aqui significa que o que recusa não terá a sua parte de bem aventurança ou gozo de riquezas celestiais.

Veja ainda a grandiosa revelação que o Senhor nos fez a respeito do lava-pés, porque quando Pedro entendeu e disse que “não só os meus pés, mas também as mãos e a cabeça”, o Senhor disse que: “Aquele que está lavado não necessita de lavar senão os pés, pois no mais todo está limpo”. (13:9)

E acrescentou: “Ora, vós estais limpos, mas não todos”. Porque bem sabia Ele quem o havia de trair; por isso disse: “Nem todos estão limpos”. (João 13: 9 a
11). Note que quem é lavado é que é abençoado, e não quem lava. Quem está lavando os pés do irmão está representando a pessoa de Cristo, pois Ele habita em nós.

Vemos também que o Senhor Jesus não estava se referindo à limpeza propriamente dita dos pés, mas à limpeza espiritual, à obediência ao seu mandamento. Por isso nós devemos participar do lava-pés instituído pelo Senhor, para que possamos ter a bem-aventurança que Ele prometeu a todos que assim praticassem: “Se sabeis estas coisas bem aventurados sois se as fizerdes” (João13:17).

A ordenança é tão profunda que o Senhor Jesus, através do apóstolo Paulo, proíbe que a Igreja ajude até as viúvas que “não tenham lavado os pés dos santos” (I Timóteo 5: 10). Sabemos que essa ordenança é para as viúvas escritas na Igreja a ser ajudada, e que a mesma necessitava ter testemunho e um deles é que ela vivesse uma vida tão digna que teria condições de lavar os pés dos santos, podemos atribuir isso a prática de lavar os pés de santos quando eles entrassem em sua casa como também na prática junto à doutrina da Igreja.

Aprendemos assim que o Lava Pés é uma doutrina a ser praticado como mandamento do Senhor Jesus Cristo de um irmão para com o outro.

O Lavagem dos Pés é uma demonstração da humildade Cristã que simboliza:

1- É um ato de humilhação Cristã;

2- É uma forma de expressar a vontade de serem servos uns dos outros e do Senhor Jesus;

3- Realizamos a Lavagem dos Pés para obedecer ao mandamento de Senhor;

4- Realizamos a Lavagem dos Pés para seguir o exemplo do Senhor;

5- Realizamos a Lavagem dos Pés para acrescentar ao Cristianismo alegria e felicidade, Jesus disse: “Se sabeis estas coisas, bem-aventurados sois se as fizerdes” (v.17).

6- Serve de instrumento para quebrar barreiras e vencer preconceitos.

7- Serve para nivelar todos os salvos a sombra da cruz.

8- Serve para através de quem está lavando os pés dizer pelo símbolo de Jesus Cristo, que o mesmo sempre estará pronto na caminhada evangélica.

9- Aquele que é lavado será sempre bem-aventurado, ou seja, aquele que é muito feliz ou aquele que goza das riquezas celestiais.

Em suma, a palavra do Senhor é muito clara. João 13:13-14 “Vós me chamais Mestre e Senhor, e dizeis bem, porque eu o sou. Ora, se eu, Senhor e Mestre, vos lavei os pés, vós deveis também lavar os pés uns aos outros”.

Reconhecendo a bem-aventurança da doutrina do lava pés e que o significado do mesmo é diferente da santa ceia devemos praticar com toda reverencia para continuarmos a sermos felizes.

Assim sendo, participe você também do lava pés instituído pelo Senhor Jesus, porque por ele se pode confirmar a sua bem-aventurança, tendo parte com o Senhor Jesus.

Que a graça e a misericórdia do Senhor Jesus permaneçam em todos.

RONALDO CAVALHEIRO

Paulino

Mensagens : 2116
Pontos : 5854
Data de inscrição : 25/08/2010
Idade : 63
Localização : Mauá da Serra Estado do Paraná

http://www.ccapocalipse.webnode.com.pt

Voltar ao Topo Ir em baixo

POR QUE O LAVA PÉS NÃO É UMA ORDENANÇA DA IGREJA?

Mensagem por Lourival soldado cristão em 14th Julho 2014, 8:42 pm

CAP 33 - UM ESTUDO SISTEMÁTICO DE DOUTRINA BÍBLICA
POR QUE O LAVA PÉS NÃO É UMA ORDENANÇA DA IGREJA?
            Ainda que tenhamos alguns que, tendo sido criados entre certos batistas falsificados, lava pés, são inclinados a crer que o lava pés devera ser observado como uma ordenança da igreja, ocupamos espaço para mostrar isto não é verdadeiro. Damos seis razões:
I. CRISTO NÃO O INSTITUIU COMO UMA ORDENANÇA DA IGREJA
            É verdade que Cristo lavou os pés aos Seus discípulos na mesma noite em que Ele instituiu o memorial da Ceia. E é verdade que Ele mandou Seus discípulos lavarem os pés uns dos outros; mas tanto no exemplo como na ordem não há nada que indique observar se a lavagem dos pés na capacidade de igreja. É, puramente, matéria individual. Tinha que ver com o dever do hospedeiro ou hospedaria para com o hóspede.
II. AS EPÍSTOLAS DO NOVO TESTAMENTO NÃO O APRESENTAM COMO ORDENANÇA DA IGREJA
            Nessas epístolas temos amplas instruções a respeito do batismo e da Ceia do Senhor, mas nenhuma palavra sobre o lava pés como uma ordenança da igreja. Isto é prova tão certa que as igrejas do Novo Testamento não praticam o lava pés na capacidade de igrejas como um silêncio correspondente é prova que elas não reconheceram um Papa, nem adoraram imagens, nem oraram a Maria, nem confessaram os seus pecados a um sacerdote, nem praticaram a extrema unção.
III. O LAVA PÉS MODERNO NÃO É UM ATO TAL COMO O QUE CRISTO EXECUTOU
            Cristo realizou e mandou um ato de serviço, mas a lavagem dos pés de uns aos outros não é mais um ato de serviço. Todos aqueles que estão mesmo remotamente familiarizados com os costumes dos tempos quando Jesus andou por este mundo, sabem que o povo naquela época usava sandálias soltas comuns. Isto causava a lavagem dos pés muito freqüentes, necessária por causa tanto do conforto como da limpeza. Um dos primeiros deveres do hospedeiro ou da hospedeira, à chegada de um hospede, era pelo menos prover água para a lavagem dos pés, porque era muito desconfortável e desagradável sentar-se com a poeira e a areia apanhadas nos pés e nas sandálias ao palmilhar o hóspede a caminhada. Cristo mandou aos Seus seguidores fazerem mais que prover água: mandou-os lavarem atualmente os pés uns aos outros. Era para realizarem assim um ato de serviço humilde. Mas, por causa da mudança de calçado, o lava pés de uns  para com os outros hoje (salvo nos casos de enfermidade, morte, ou alguma emergência) não é mais um ato de serviço; nada mais que uma peça de formalidade desnecessária e sem sentido. Seria tido como um insulto (e justamente assim) oferecer-se alguém hoje para lavar os pés de um hóspede, pois tal implicaria que o hospede era muito desmazelado com a higiene corporal. Insistir que o mandamento de Cristo ainda está vigente literalmente, quando não há mais necessidade do ato é perder o verdadeiro sentido do Seu mandamento. É exaltar a letra à custa do espírito. Para seguirmos o espírito do mandamento de Cristo realizemos atos reais de serviço uns pelos outros.
IV. OS CRENTES DO NOVO TESTAMENTO PRATICAM O LAVA PÉS COMO UMA MATÉRIA INDIVIDUAL NO LAR
            Prova disto se acha em 1 Tim. 5:10. Este  verso dá algumas das qualificações de viúvas que eram dignas de receber auxílio material da igreja. Cada uma dessas viúvas deve "ter lavado os pés dos santos".  Agora, se a igreja em Éfeso (a que Timóteo estava ministrando ao tempo em que recebeu esta carta) tinha estado praticando o lava pés na capacidade de igreja, cada membro da igreja podia ter cumprido esta qualificação e sua menção entre as qualificações de viúvas que estavam merecendo seria, portanto, desnecessária e sem sentido. A menção do lava pés nesta conexão mostra conclusivamente como os crentes do Novo Testamento consideravam o mandamento de Cristo. Eles o consideraram como matéria individual pertencente especialmente ao lar. Estava em nível com a criação de crianças, alojamento de estrangeiros, alívio dos aflitos, etc.
V. O LAVA PÉS MODERNO NÃO MOSTRA HUMILDADE
            Não obstante tudo que temos dito, alguém pode dizer: "Sim, mas quando lavamos os pés uns dos outros, mostramos nossa humildade".  Isso traz à mente uma história pertinente. Um homem veio ao seu pastor e disse: "Pastor, creio que sois um bom homem e pregais alguns excelentes sermões; mas parece que faltais na humildade." O pastor lhe disse: "Talvez esteja eu faltando em humildade. De fato, muitas vezes sinto que o estou; mas suponho que sois homem humilde." O homem replicou:  "por certo que sou e douo-me por mostrá-lo também." Qual dos dois era mais humilde, o pastor que reconheceu sua falta ou o outro que se orgulhava e buscava exibir?  Moral: A suposta humildade vãmente exibida é uma espécie de orgulho.
VI. O LAVA PÉS MODERNO NÃO SIMBOLIZA NENHUMA VERDADE ESPIRITUAL
            Portanto, o lava pés é totalmente diverso do batismo e da Ceia do Senhor e não merece lugar como uma ordenança da igreja.
            Houve um belo significado apegado ao lava pés dos discípulos por Jesus. Ele assinalou a manutenção de nossa comunhão com Cristo a despeito da contaminação recorrente do pecado, ou a restauração dessa comunhão quando ela (nossa comunhão com Cristo; não nossa atitude legal nEle) tenha sido quebrada por deslize espiritual temporário, cuja restauração Cristo realiza por trazer-nos ao arrependimento e confissão através da obra do Espírito Santo. João 13:8-10 transmite incisivamente este belo e gracioso significado. Nestes versos há duas palavras gregas usadas para transmitirem a idéia de purificação "nipto" e "louo". A última faz referência ao banho do corpo inteiro, ao passo que a primeira se refere à lavagem de partes do corpo, tais como as mãos e pés. Quando Jesus disse a Pedro (v. Cool: "Se eu te não lavar, não tens parte comigo",  Ele empregou "nipto". E quando Ele disse (v.10): "O que esta LAVADO não precisa senão de LAVAR seus pés",  Ele empregou ambas as palavras "louo" no primeiro caso e "nipto" no segundo. Nestas duas citações Jesus assinala claramente o significado de Sua lavagem dos pés dos discípulos. Na primeira citação Jesus podia ter feito referência a nada mais fora da purificação espiritual, porque Ele não lavou literalmente os pés de muitos que com Ele tiveram parte então e Ele não lavou literalmente os pés a qualquer dos vivos que agora tem parte com Ele. Na segunda citação, então, Jesus discrimina a espécie de purificação a que Ele se referiu na primeira citação. Quando Pedro foi informado da importância da lavagem espiritual dos pés, ele mal entendeu o significado de Cristo e impulsivamente pediu um banho completo. Jesus então lhe disse que ele não precisava de um banho completo, mas apenas da lavagem dos seus pés. O banho completo (indicado por "louo")  tipificava a "lavagem da regeneração" (Tito 3:5) na qual uma "lavagem de água pela palavra" (Efe. 5:26). Enquanto a lavagem dos pés (indicada por "nipto")  tipificava a manutenção e restauração de nossa comunhão como já indicada. Vide 1 João 1:7,9. Quando Cristo disse a Pedro:  "O que faço não o sabes agora, mas sabê-lo-ás depois",  cremos que Ele quis dizer que a lavagem dos pés de Pedro tinha especial e particular referência à restauração depois de sua queda. Temos a recordação desta restauração em João 21:15-17. Isto foi o profundo sentido espiritual do lava pés dos discípulos por Cristo, tipificando a contínua purificação que recebemos de Cristo. Cristo disse: "Se eu te não lavar, não tens parte comigo." É Cristo que nos lava a todos e não nós que lavamos uns aos outros. Portanto, a lavagem recíproca dos pés não pode ter significado espiritual.
            Ao encerrar ajuntaremos o que temos dito dizendo que não há uma razão escrituristica para praticar-se o lava pés como uma ordenança da igreja, e assim não se praticou nas igrejas do Novo Testamento. É uma trêta segundo se pratica hoje, adição ao padrão divino.
 
Autor: Thomas Paul Simmons, D.Th.
Digitalização: Daniela Cristina Caetano Pereira dos Santos, 2004 
Revisão: Charity D. Gardner e Calvin G Gardner, 05/04
Fonte: www.PalavraPrudente.com.br 
avatar
Lourival soldado cristão

Mensagens : 11165
Pontos : 24633
Data de inscrição : 23/12/2009
Idade : 60
Localização : Sao paulo

http://ccbsemcensurasnaspeg.forumeiros.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum