NAS PEGADAS DO MESTRE JESUS
Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Últimos assuntos
» EDVALDO OLIVEIRA ANDA MUITO AGITADO PARTE 2
Hoje à(s) 7:14 am por Jahyr

» EXPLICANDO O OCULTISMO PARTE 8
Ontem à(s) 11:00 am por Jahyr

» EXPLICANDO O OCULTISMO PARTE 7
Ontem à(s) 10:52 am por Jahyr

» EXPLICANDO O OCULTISMO PARTE 6
15th Novembro 2017, 4:15 pm por Jahyr

» EXPLICANDO O OCULTISMO PARTE 5
15th Novembro 2017, 4:04 pm por Jahyr

» EXPLICANDO O OCULTISMO PARTE 4
9th Novembro 2017, 7:42 pm por Jahyr

» EXPLICANDO O OCULTISMO PARTE 3
9th Novembro 2017, 7:38 pm por Jahyr

» EXPLICANDO O OCULTISMO PARTE 2
9th Novembro 2017, 7:31 pm por Jahyr

» MAS É MUITA ENGANAÇÃO POR FAVOR ME AJUDA AI
9th Novembro 2017, 7:38 am por Jahyr

Novembro 2017
SegTerQuaQuiSexSabDom
  12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930   

Calendário Calendário

Quem está conectado
60 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 60 Visitantes :: 2 Motores de busca

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 473 em 30th Agosto 2014, 11:05 pm
Social bookmarking

Social bookmarking Digg  Social bookmarking Delicious  Social bookmarking Reddit  Social bookmarking Stumbleupon  Social bookmarking Slashdot  Social bookmarking Yahoo  Social bookmarking Google  Social bookmarking Blinklist  Social bookmarking Blogmarks  Social bookmarking Technorati  

Conservar e compartilhar o endereço de <a href="http://oulorivallan.forumeiros.com/">nas pegadas do mestre JESUS</a> em seu site de social bookmarking

Conservar e compartilhar o endereço de NAS PEGADAS DO MESTRE JESUS em seu site de social bookmarking

Conectar-se

Esqueci minha senha

Flux RSS


Yahoo! 
MSN 
AOL 
Netvibes 
Bloglines 


Votação
Estatísticas
Temos 4293 usuários registrados
O último usuário registrado atende pelo nome de João Celso

Os nossos membros postaram um total de 30095 mensagens em 13024 assuntos

O véu e as sandices

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

O véu e as sandices

Mensagem por Jahyr em 30th Julho 2014, 7:19 pm

minha esposa foi proibida de orar por um infermo porque estava sem o véu
  BRASIL2011 em Qua Jan 25, 2012 4:36 pm




irmãos eu e
 minha esposa fomos fazer uma visita. a uma criatura que estava doente mas só que também tinha la um irmão muito antigo na fé. só que a criatura pediu a oração aquele irmão antigo na fé e na idade, abriu a oração e proibiu a minha esposa orar porque ela estava sem o véu, foi o maior constragimento minha esposa teve que ficar sentada no sofá até terminar a oração, segundo ele a mulher tem que estar com a cabeça coberta com o véu, e seria uma falta de respeito orar sem o véu. sera que esse irmão agil certo irmãos?



ooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo



Soldado CCB em Qua Jan 25, 2012 4:42 pm

Irmão na minha opinião ele não agiu certo, é nessas horas que o cabelo crescido da mulher aparece em lugar de véu como Paulo bem ensinou. Se tua esposa não tava preparada com o véu mas necesitava orar Deus não iria tomar isso como uma desobediência. Infelismente a ainda irmãos em nosso meio com excesso de zelo e com isso costuma trazer muito constrangimento.


oooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo



BRASIL2011 em Qua Jan 25, 2012 4:54 pm

pois é soldado, eu sei que durante esses 37 anos na graça, nunca passei tanta vergonha só não deixei o ambiente por causa do infermo, mas a minha esposa por causa dessa vergonha ficou doente de cama, faltou bom censo o irmão não acha?


oooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo


 Soldado CCB em Qua Jan 25, 2012 5:08 pm
BRASIL2011 escreveu:pois é soldado, eu sei que durante esses 37 anos na graça, nunca passei tanta vergonha só não deixei o ambiente por causa do infermo, mas a minha esposa por causa dessa vergonha ficou doente de cama, faltou bom censo o irmão não acha?

Sem dúvida alguma irmão faltou bom censo e digo mais faltou a guia de Deus, principalmente estando na casa de um testemunhado. Lamentável.



oooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo




BRASIL2011 em Qua Jan 25, 2012 5:21 pm
soldado. porque que muitos estão fora da graça, por causa da falta de direção de muitos que se agarra no seu tempo de caminho e pensa que é o dono da verdade.que não é o meu caso né soldado, somos o mais pequeno da nossa comum mas almejamos a vida eterna.





oooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo


 Soldado CCB em Qua Jan 25, 2012 5:41 pm

BRASIL2011 escreveu:soldado. porque que muitos estão fora da graça, por causa da falta de direção de muitos que se agarra no seu tempo de caminho e pensa que é o dono da verdade.que não é o meu caso né soldado, somos o mais pequeno da nossa comum mas almejamos a vida eterna.

Caro, muitos estão fora da graça porque não deram ouvido as advertencias de vigilância que certamente foram enviadas pela sã Palavra antes da pessoa pecar, amaram os prazeres carnais mais do que a graça, a trocaram por um prato de guisado ou seja por um minuto de prazer, outros colocam a culpa neste ou naquele irmão, mas o certo é que ninguém que coloca a mão no arado e olha para trás é ápto para o reino do céu, não existe desculpa. Quanto a nós vigiemos e oremos sem sessar, lembramos da Palavra que diz " Aquele pois que cuida estar em pé, olhe não caia." ( I Cor. 10:12 ).





oooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo


"Ekklésia Christiana" em Qua Jan 25, 2012 5:47 pm


Saudações cristãs,

Amados...



Daí a necessária prudência e discernimento quanto ao adequado manejo de um mesmo princípio, sob distintas circunstâncias.

Tratava-se, pois, de uma eventualidade, algo excepcional ou imprevisto. Os cabelos longos (conforme já mencionado) suprir-lhe-iam a ausência do véu, mantilha, chapéu ou similares*.

Ademais, segundo orientação amplamente difundida, qualquer tecido em tonalidade clara (preferivelmente branca) substitui ao véu convencional em sua finalidade primeira: cobrir-se.


_______________________________
* vide Rosina Balsano e conservas contemporâneas.

Atenciosamente,

"Em Caridade"

Irmão Ednelson


oooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo


Soldado CCB em Qua Jan 25, 2012



Irmão Ednelson é verdade esqueci de lembrar o irmão autor do tópico sobre que podia perfeitamente a irmã ter emprestado um tecido claro e cobrir-se, fica aqui a lembrança já ouvi vários anciãe antigos exortanto sobre esa parte que em uma necessidade onde não está com o véu um tecido discreto e claro serve perfeitamente.



oooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo




Sergio Teixeira em Qui Jan 26, 2012 11:50 am

Os irmãos me perdoem, mas noto em tudo isso a presença do maligno.
O Senhor Jesus fez de tudo para tirar-nos do jugo do literalismo e das doutrinas engessadas (e para tanto deu a sua própria vida), mas certas pessoas interpretam como bem lhes parece e ponto final.

Depois do fato acontecido, resta-nos apenas lamentar e clamar ao Senhor para que console nossas almas.

A irmã deveria ter-se lembrado de carregar consigo o véu, pois isso é notório em nossa doutrina. 
Porém, por algum motivo qualquer, não estava com ele naquela ocasião.

Muitas vezes esse negócio de "alegar antiguidade na Graça" corresponde exatamente a "pleitear os primeiros lugares nas sinagogas", ou seja, incorre-se no mesmo erro.
A nenhum de nós foi dada ou pelo menos sugerida a tarefa de constranger a este ou aquele, a esta ou aquela, mas sim, quando estivermos rigorosamente debaixo da guia do Espírito Santo de Deus, esclarecer que tal coisa deve ser feita desta ou daquela maneira, segundo a Doutrina. 
Não estando sob a Guia, que fiquemos calados, que é a melhor coisa a fazer.

Observando o acontecido, percebo que, mesmo se ela eventualmente se cobrisse com um pano branco e não apenas "claro" (uma toalha limpa, por exemplo), mesmo assim aquele irmão iria dar seu "pitaco" em sentido contrário, atribuindo de si próprio a ela o mesmo "erro".

Só nos resta lamentar que tais coisas ainda aconteçam em nosso meio.
Em tempo: A Explicação do irmão Ednelson está perfeita.

Que Deus nos abençoe a todos.



oooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo



 Luiz Flavio N. Facci em Qui Jan 26, 2012 1:46 pm

A Paz de DEUS esteja em nossos corações.

BRASIL2011 escreveu:irmãos eu e minha esposa fomos fazer uma visita. a uma criatura que estava doente mas só que também tinha la um irmão muito antigo na fé. só que a criatura pediu a oração aquele irmão antigo na fé e na idade, abriu a oração e proibiu a minha esposa orar porque ela estava sem o véu, foi o maior constragimento minha esposa teve que ficar sentada no sofá até terminar a oração, segundo ele a mulher tem que estar com a cabeça coberta com o véu, e seria uma falta de respeito orar sem o véu. sera que esse irmão agil certo irmãos?
Acho que o Irmão que presidiu a oração agiu errado, mas para entender melhor, antes de outras opiniões (achismos meus), eu pergunto:

"Proibiu de orar" - significa "proibiu de participar da oração" ou "proibiu de orar alto, representando o grupo " ?

Se o Irmão Brasil se dignar em me responder essa pergunta, depois poderei acrescentar outras opiniões (achismos meus).

DEUS nos abençoe.



oooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo



Ekklésia Christiana" em Qui Jan 26, 2012 3:31 pm


Saudações cristãs,

Irmão Luiz Flávio, prezado...



Provalmente (segundo o relato*) tenha-lhe sido vetada a co-participação em oração (restrição integral).

Já presenciei algo parecido e tão descabido quanto. 

Lamentável....



__________________________________
* "... minha esposa teve que ficar sentada no sofá até terminar a oração..."




Atenciosasmente,

"Em Caridade"

Irmão Ednelson


oooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo

Luiz Flavio N. Facci em Qui Jan 26, 2012 5:04 pm

A Paz de DEUS esteja conosco e com nossas famílias.

"Ekklésia Christiana" escreveu:
 Saudações cristãs, Irmão Luiz Flávio, prezado...
Provalmente (segundo o relato*) tenha-lhe sido vetada a co-participação em oração (restrição integral).
Já presenciei algo parecido e tão descabido quanto. Lamentável....
* "... minha esposa teve que ficar sentada no sofá até terminar a oração..."

Que DEUS o continue abençoando, familiarmente e na administração deste Forum, também pela presteza da resposta de que eu precisava.

As razões por que fiz a pergunta é porque sempre há a possibilidade de:

1) Você estar certo na probabilidade que aventou (vetada a co-participação da Irmã).
2) A Irmã só ter sido proibida de orar "pelo grupo" e, impedida disso,ter decidido por si própria sentar-se por mágoa, tristeza, revolta.

Nas duas hipóteses, realmente o Irmão que presidiu a oração terá cometido um tremendo de um erro.

Observe-se que foi um erro pessoal, e não um erro da doutrina da nossa Igreja.
Isso pode acontecer com Irmãos novos na fé (e antigos também) que se entusiasmam tanto com a perfeição da doutrina da Congregação Cristã que, ocasionalmente, abraçam uma espécie de legalismo, esquecendo-se do maior fundamento, que é o Amor.
O Irmão é mau? Não. Foi pura falta de entendimento, por excesso de zelo. Mas que foi errado foi.

Isso aconteceu comigo há muitos anos, logo que fui batizado. Queria porque queria levar minha filhinha de menos de dois anos para a igreja, vestida de vestidinho, no maior tempo gelado. Louvado seja DEUS, que fui brecado pela minha esposa.

Sou um mau pai? Não. Foi pura falta de entendimento, por excesso de zelo. Mas que eu ia fazer uma coisa errada, ia.

O que resta fazer? Irmãos longe do Irmão Brasil e esposa, pedirem a DEUS que tire deles qualquer mágoa, qualquer tristeza pelo acontecido, e dando-lhes força para perdoar o Irmão que errou.

O Irmão Brasil, como cabeça da família, procurar mostrar à sua esposa que erros acontecem, que não deixe nela estagnada a mágoa, a tristeza, que procure perdoar o Irmão que errou.

Se alguém conhece e tem intimidade com o Irmão que errou, quem sabe poderá conversar com ele, tentar fazê-lo entender, com amor, bondade e prudência, que as coisas não são bem do jeito que ele fez?

Outro achismo meu: Quando a Palavra de DEUS determina que as mulheres orem ou profetizem cobrindo a cabeça com véu o véu "seja" (aspas porque é achismo meu) é apenas uma especificação para reforço, para que não se pensasse que serviria um chapéu, as mãos, etc. Porém o mais importante não é o véu, em si, mas a cobertura da cabeça. 
Então, um pano branco sobre a cabeça serve; um pano de qualquer coisa sobre a cabeça, serve. Até um tapete. Mas isso quando não for possível usar véu.

Sei lá! Eu penso assim.

DEUS nos abençoe.



oooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo




Sergio Teixeira em Qui Jan 26, 2012 5:16 pm

De qualquer forma, e a meu ver, nossa doutrina primaz é aquela que recebemos através da Palavra, e que nos incita a orar e vigiar sem cessar, e não qualquer outra que nos impeça - sob qualquer alegação ou pretexto - de fazê-lo.
Isso seria portanto doutrina farisaica, com a qual a Congregação, por simples questão de princípios, não concordaria.

Não devemos prejulgar, nem impedir de orar. 
Se o servo que está presidindo sentir que a oração não está sendo feita sob a necessária guia do Espírito Santo, deverá simplesmente "orar por cima", e depois, se o Espírito Santo assim o determinar, deverá chamar à atenção da irmã para a necessidade de sempre usar o véu.
As Escrituras narram muitas e muitas exceções que foram devidamente aceitas por Deus, portanto não existe nenhuma receita de bolo a seguir, nenhuma doutrina engessada a prevalecer sobre os ensinamentos que recebemos do Santo Filho.
"Chamar à atenção" significa orientar, ensinar, edificar, dar bom exemplo, e não "puxar o tapete" de ninguém.
Não existe "puxação de tapete" ou delação no verdadeiro Cristianismo.
O que temos de fazer é nos esforçarmos para não exercer julgamento nem colocarmos sobre nossos irmãos um jugo que não venha da parte de Deus.

Contudo, não podemos aceitar a exceção como prática comum.
A irmã deveria sim ter levado o seu véu, que é um utensílio indispensável às nossas varoas.
Porém o fato de a irmã orar sem o véu seria assunto para ser analisado pelo Ministério, que naturalmente iria orientar a irmã no que fosse necessário, para que diminuísse a possibilidade de haver uma segunda vez, já que tudo no nosso meio tem de ser feito de forma ordeira.
Nem o Ministério tem a prerrogativa de "cair de chicote" em cima de ninguém, pois todos sabemos que com o mesmo rigor com que julgarmos, também seremos julgados.

Além do que, em se tratando de uma "visita", há que prevalecer o bom senso sobre as demais coisas.
Afinal, estamos visitando ou deixando transparecer uma dissidência entre nós?
O que pode parecer a quem está sendo visitado?
Se saudamos a um doméstico com a Paz de Deus, temos de tê-la em nós mesmos para isso, para que tal Paz chegue também ao visitado como uma dádiva. dos céus. 
Quando "a paz de deus" é oca, desprovida de conteúdo espiritual, não faz obra alguma.

Então, o que fomos fazer na tal visita? Levantar a alma abatida, ou levar-lhe mais combatimento?
Ora, levar combatimento não é obra de Deus, nem exercida em Seu Santo nome, porém é nitidamente obra do "outro"... 

Fique aqui avisado pela enésima vez que o ato de constrangir é CRIME (*), e pode colocar o nome da Congregação em má situação, não apenas perante a lei (**), mas também pelo péssimo testemunho. A meu ver, esta é a pior parte.
Fica também veementemente recomendado para que as irmãs procurem não se esquecer de seus véus.


(*) Tem gente que até hoje parece não acreditar que constrangimento seja "crime" e acham que estamos exagerando ao usar essa palavra. A gente diz que é crime e parece que ouvimos um "ooooh!!!!" de espanto.
Porém é crime mesmo ( C-R-I-M-E, com todas as letras), inclusive dá cadeia e sujeita o transgressor a pagar indenizações, etc.

(**) Contudo, a Congregação não é responsavel pelas atitudes individuais de seus membros, e nesse caso os transgressores eventualmente arcariam sozinhos com as consequências.

É uma pena. Estas são apenas mais palavras ao vento. Amanhã ou depois teremos mais um "iluminado" puxando o tapete de alguém, e dizendo que "deus mandou".



oooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo

BRASIL2011 em Qui Jan 26, 2012 5:51 pm

irmão luiz paz de DEUS,
SÓ PARA COMPLEMENTAR, O IRMÃO NÃO DEIXOU A MINHA ESPOSA SE AJOELHAR, E FALOU ASSIM IRMÃ FICA SENTADA AI NO SOFÁ PORQUE A IRMÃ ESTA FORA DA DOUTRINA, E ABRIU A HORAÇÃO



oooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo



izaias em Qui Jan 26, 2012 6:39 pm


[justify]Pois é; aconteceu aqui na minha “região”; ouvi dizer que “certo irmão”; um “irmão” fez isso ou aquilo.
Existe muitos “achismos” em nosso meio; muitos colocam certas coisas apenas para ver o circo pegar fogo.
Não é assim? 
Tendo ocorrido o caso deve-se dar nomes aos “bois”.
Se realmente este “irmão” mandou a esposa (nossa irmã) ficar; calada, “pois estava fora da doutrina”; ainda por cima da presença do esposo, deveria ser corrigido severamente, nem no culto pode existir tal ato. Ora, meus caros é ter muito sangue de “barata” nas veias. O casal em pauta deveria ter se retirado e deixar o “santo” sozinho na oração. Se ele teve coragem para dizer tal asneira na frente de um testemunhado que se vire então.
É por isso que alguns “valentes” fazem e acontecem por ai e acham que estão certos.
A única doutrina que devemos acatar é aquela que está alicerçada na Bíblia Sagrada, jamais alguém pode dar ensinamento a quem quer que seja não tendo base na palavra.
Existem certos anciães e outros velhos de caminho que se acham os “sacerdotes espirituais”; precisamos fazê-los entender qual o verdadeiro ensino.
Não estou articulando a alguém para ser rebelde, apenas observo os ensinamentos.
Vejamos o que está escrito na Bíblia Sagrada:
I Coríntios 11 (13) - Julgai entre vós mesmos: é decente que a mulher ore a DEUS descoberta?
(14) - Ou não vos ensina a mesma natureza que é desonra para o homem ter cabelo crescido?
(15) - Mas ter a mulher cabelo crescido lhe é honroso, porque o cabelo lhe foi dado em lugar de véu.
I Pedro 3 (7) - Igualmente vós, maridos, coabitai com elas com entendimento, dando honra à mulher, como vaso mais fraco; como sendo vós os seus coerdeiros da graça da vida; para que não sejam impedidas as vossas orações.



oooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo



Luiz Flavio N. Facci em Qui Jan 26, 2012 8:28 pm

Que a Paz de DEUS esteja sempre em nossos corações.
BRASIL2011 escreveu:irmão luiz paz de DEUS,
SÓ PARA COMPLEMENTAR, O IRMÃO NÃO DEIXOU A MINHA ESPOSA SE AJOELHAR, E FALOU ASSIM IRMÃ FICA SENTADA AI NO SOFÁ PORQUE A IRMÃ ESTA FORA DA DOUTRINA, E ABRIU A HORAÇÃO
[size]
Meu DEUS do céu, Irmão Brasil.
Que coisa horrorosa, Irmão.
O Irmão que presidiu perdeu toda e qualquer noção do tempo e do espaço.
Do respeito, do amor, da bondade, da educação, da consideração, de tudo, enfim.

Agora, vamos analisar o acontecido sob dois aspectos (tudo achismo meu, portanto quem quiser parar de ler aqui, é bom parar mesmo):

1º) Aspecto carnal - como eu, o Luiz Flavio teria agido: não sei. Ruim do jeito que sou, poderia ter virado a mesa, causado a maior confusão. Ido embora com a minha esposa e deixando o santo sozinho (vide post acima, do Irmão Izaias). Provavelmente é o que eu teria feito. Não por mim, mas por minha esposa. Acho até que todos ficariam do meu lado, me dando razão.

2º) Aspecto espiritual cristão - Atenção, Irmãos Foristas: cuidado pra não pensarem que eu estou me metendo a santo, ou a bonzinho, ou a melhor que ninguém.
Mas afinal não estamos aqui para falarmos? Então deixem-me falar.
Do jeito que o Irmão Brasil e sua esposa agiram foi a coisa mais linda do mundo.
Olhem só: o Irmão que presidiu sujou, e sujou de um modo estúpido.
Mas o Irmãos ofendidos, com sua própria atitude, limparam grande parte da sujeira.
Atitude cristã de amor, pelo enfermo, pela Obra de DEUS.
Louvado seja DEUS. Que DEUS os abençoe, a nós todos.
......................................................................................................

Tão ofendidos foi o Irmão e sua esposa que fica difícil até eu continuar a falar, mas vou fazê-lo.
Mas atenção, Irmãos: não estou querendo me fazer melhor do que ninguém, e não tenho a menor garantia de que agiria do jeito que vou falar.

Perdoar uma pequena ofensa é fácil. Perdoar o pavor que o Irmão que presidiu fez com o Irmão Brasil e sua esposa passarem é dificílimo.
Por duas coisas eu "torço" (peço a DEUS): a primeira é que os Irmãos terrivelmente ofendidos venham a obter forças de DEUS para o completo perdão ao Irmão ofensor; segunda, que o Irmão sofensor já tenha crescido na doutrina cristã, tenha se arrependido e esteja à procura dos Irmãos ofendidos para pedir-lhes perdão.

Não estou dizendo que eu perdoaria, que sou bacana, etc. 
Impossível? DEUS Todo Poderoso o sabe. 
Estou dizendo como acho deve ser (mais um achismo, portanto não liguem muito para o que estou falando).

Vou contar um fato, que nem gosto muito de contar para que não seja motivo de escândalo:
Pouquíssimo tempo depois que me batizei, o Irmão que pregava, disse, olhando diretamente para mim e ainda apontou o dedo: "Você é um adúltero, e os adúlteros não têm lugar aqui na Congregação dos Santos".

Que tristeza, que revolta, que vergonha, que desespero na minha vida.
Pensei na hora em me levantar e sair empurrando o Irmão, dando-lhe umas boas e merecidas porradas (naquele tempo eu era um pouco brabo).
Mas me contive, embora envergonhado e desesperado. Que fazer, meu DEUS?

Passou-se o tempo e vim depois a saber que o Irmão vinha de uma Igreja dessas ... bem, os Irmãos sabem ... que saem dando profetadas adoidado.
Não digo para me gloriar, mas a verdade é que pouco depois fiquei muito amigo desse Irmão e de sua família, e ... (meu DEUS, me perdoe se vou falar demais, se eu não tinha o direito de contar) cheguei a ajudá-lo algumas vezes no sustento de sua família, porque ele era muito pobre e tinha alguma necessidade.

DEUS me perdoe se falei demais, e os Irmãos também me perdoem.
Não estou contando para me aparecer, mas porque é verdade, e talvez - quem sabe? - sirva até de alguma coisa neste Forum.

Passados alguns anos, esse Irmão foi destituído do Ministério por ter se endividado demais, e ter tomado algumas atitudes não muito convenientes a um Servo de DEUS.

DEUS já o levou para o descanso do SENHOR JESUS. 
Enquanto ele viveu, fomos muito amigos.[/size]

oooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo

Nas pegadas do Mestre em Sex Jan 27, 2012 9:29 am

izaias escreveu:
[justify]Pois é; aconteceu aqui na minha “região”; ouvi dizer que “certo irmão”; um “irmão” fez isso ou aquilo.
Existe muitos “achismos” em nosso meio; muitos colocam certas coisas apenas para ver o circo pegar fogo.
Não é assim? 
Tendo ocorrido o caso deve-se dar nomes aos “bois”.
Se realmente este “irmão” mandou a esposa (nossa irmã) ficar; calada, “pois estava fora da doutrina”; ainda por cima da presença do esposo, deveria ser corrigido severamente, nem no culto pode existir tal ato. Ora, meus caros é ter muito sangue de “barata” nas veias. O casal em pauta deveria ter se retirado e deixar o “santo” sozinho na oração. Se ele teve coragem para dizer tal asneira na frente de um testemunhado que se vire então.
É por isso que alguns “valentes” fazem e acontecem por ai e acham que estão certos.
A única doutrina que devemos acatar é aquela que está alicerçada na Bíblia Sagrada, jamais alguém pode dar ensinamento a quem quer que seja não tendo base na palavra.
Existem certos anciães e outros velhos de caminho que se acham os “sacerdotes espirituais”; precisamos fazê-los entender qual o verdadeiro ensino.
Não estou articulando a alguém para ser rebelde, apenas observo os ensinamentos.
Vejamos o que está escrito na Bíblia Sagrada:
I Coríntios 11 (13) - Julgai entre vós mesmos: é decente que a mulher ore a DEUS descoberta?
(14) - Ou não vos ensina a mesma natureza que é desonra para o homem ter cabelo crescido?
(15) - Mas ter a mulher cabelo crescido lhe é honroso, porque o cabelo lhe foi dado em lugar de véu.
I Pedro 3 (7) - Igualmente vós, maridos, coabitai com elas com entendimento, dando honra à mulher, como vaso mais fraco; como sendo vós os seus coerdeiros da graça da vida; para que não sejam impedidas as vossas orações.


A paz de Deus a todos !!

Impressionante os relatos aqui, não só do Isaias .....mas em todas as respostas ,o formalismo do uso do véu ,estar preparada para diversas situações ,sobre o estar preparado ... isso é muito relativo como já foi falado por outro, temos o dever orar sem cessar ,o orar para mim é falar com Deus ,neste caso foi negado o direito da irmã falar com Deus ,isso é lamentável ,uma coisa é o culto de adoração e louvor ali o momento é especial estamos a cumprir um exigência e formalidade local e especifica cristã ,como relata o apóstolo a onde especifica bem claro como a mulher deve estar sobre as orientações apostólica ,outra coisa é a situação improvisada ,digamos que em uma situação contraria as reuniões Cristãs ,como foi o caso desta visita ali não se tratava de uma oração a igreja e sim um pedido de oração de uma pessoa que não fazia parte do meio da irmandade como membra da denominação , isso pode ocorrer no trabalho ,ou pode ocorrer em um momento de uma tragédia por exemplo existe uma variedade de situações ,a oração do homem e da mulher não fica limitado só as reuniões cristãs , no caso de reuniões pré estabelecidas ,como é os cultos ,a severidade da advertência do mais velho se faz até que compreensivo,mas foi bom o Brasil ter se contido ,e ele fala-se duramente com o santo irmão ,acabaria dando um testemunho terrível ,teve um equilíbrio Cristão, devido ao estranho a fé ,mas quer saber de uma coisa essas pessoas que se julgam velhos na Fé ,com tempos longos na igreja etc etc etc ,sugiro que leiam a passagem do profeta velho ,quem sabe não está herdando o sarcedócio do profeta velho ,e guiando outros para morte ??


oooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo


 Sergio Teixeira em Sex Jan 27, 2012 9:43 am

Enxergo também outro aspecto, que muitos se recusam a aceitar: O do bom ou mau testemunho que nossas atitudes podem eventualmente transmitir diante de terceiros.
As pessoas à nossa volta nos observam e nos julgam o tempo todo, e nem sempre com a necessária justiça.
Vou contar para os irmãos um fato ocorrido comigo há poucos meses atrás:
Nós ajudamos no atendimento a uma reunião de evangelização em um órgão da Prefeitura que dá assistência social a moradores de rua (antigamente isso se chamava de "recuperação de mendigos").
Pois veio um daqueles internos mais novos reclamar comigo contenciosamente, "perguntando" por que nossas irmãs se julgavam melhores que as demais pessoas...
E ele continuou argumentando que nossas irmãs não sentavam nos lugares onde eles se sentavam, sem antes forrar o banco com um papel.
E na verdade isso acontecia!
Acontece que de alguns meses para cá o lugar passou a ter nova administração, e o que anteriormente era um verdadeiro chiqueiro se transformou em um lugar decente, que resgata às pessoas ali abrigadas um pouco de dignidade.
Nossas irmãs estavam ainda usando de um costume antigo - de mais de 20 anos - onde o chão era sujo, os bancos eram imundos, o cheiro era insuportável. E com o início das obras, ainda havia muita poeira, e elas continuavam forrando os bancos.
Aquela crítica no entanto acabou sendo construtiva (embora não fosse essa a intenção), porque o Senhor me deu as palavras necessárias para responder àquele interno e calar convenientemente a sua contenda, bem como serviu de subsídio para nos policiarmos no sentido de procurarmos não mais dar falsas impressões a nosso respeito.
Vejam o que um simples "forrar de banco" pode produzir...
Portanto, temos de vigiar em todo o tempo, senão estaremos dando mais combustível ainda para os contenciosos.


oooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo

Soldado CCB em Sex Jan 27, 2012 2:08 pm

Queridos, até aqui todos ( inclusive eu ) tem de uma maneira ou de outra criticado a atitude deste servo de Deus que "proibiu" a irmã de orar, mas vejam e se esse servo agiu sem a menor intenção de querer ofender o casal e digo mais e se ele agiu pensando que esta seria a maneira correta numa situação como esta. Sendo assim este servo não errou num sentido de dolo pois fez com boa intenção pensando estar honrando os ensinamentos em seu extremo zelo.

Portanto creio que o autor do tópico deveria na época conversar com o ancião responsável por esse servo, a fim de aconselha-lo com amor a que seja mais tolerante e explicar o que realmente recomenda os ensinamentos a respeito, para que futuramente não venha ocorrer algo semelhante tão desagradavel.


oooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo


Sergio Teixeira em Sex Jan 27, 2012 9:52 pm

"Ter boa intenção" não significa "estar na guia". 
Todo afoito é bem-intencionado, no final das contas, mas não deixa de ser afoito.

E "ser antigo na Graça" não implica em status, mas sim em responsabilidades maiores.
Portanto um "antigo na Graça" não pode ser dar ao luxo de cometer deslises dessa monta.

O que está em jogo não é o simples "status", mas sim o bem-estar das Almas do povo de Deus, o bom testemunho do povo da Congregação, o bom nome da Congregação, o bom testemunho da obra que ao menos se diga Cristã. 
Deus em momento algum concedeu a nenhum de nós o poder de fiscalizar e/ou criticar os demais.

O que aprendemos na Congregação? Que a Palavra nos julga diariamente, não é assim? por isso a recebemos diariamente, fresquinha e vinda dos céus.
Por que então entendemos as coisas de forma diferente, segundo a nossa própria intelectualidade?
Esta não é uma Oba para intelectuais, mas para pessoas de coração puro e sincero na presença de Deus.

Tenhamos cuidado: O que supomos ser "zelo" para com o formalismo pode jogar nossos irmãozinhos para fora deste Caminho Santo.
E como fica a nossa responsabilidade? Sim, porque nenhum de nossos atos é em vão.
Para cada um deles teremos um galardão correspondente.
E ai de nós se por nossa causa algum dos pequeninos não puder entrar no Reino da Glória. Isso certamente terá o seu preço justo.

Ambos os personagens erraram, cada um de sua forma, e o mal já está feito.
Agora nos resta policiarmos nossos atos para não incorrermos nós mesmos nesse tipo de coisas.

Se aprendermos alguma coisa com tudo isso, a Obra terá lucrado de certa forma. 
Mas se não aprendermos, e ainda perseverarmos em nos manter na literalidade das coisas escritas, esse tipo de erro irá se repetir indefinidamente. 
Seremos nós mesmos como que modernos "escribas" e "fariseus", como que "doutores da Graça"..

oooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo

Luiz Flavio N. Facci em Sab Jan 28, 2012 5:53 pm

A Paz de DEUS esteja sempre em nossos coração.
(por edição)
Soldado CCB escreveu:Queridos, até aqui todos ( inclusive eu ) tem de uma maneira ou de outra criticado a atitude deste servo de Deus que "proibiu" a irmã de orar, mas vejam e se esse servo agiu sem a menor intenção de querer ofender o casal e digo mais e se ele agiu pensando que esta seria a maneira correta numa situação como esta. Sendo assim este servo não errou num sentido de dolo pois fez com boa intenção pensando estar honrando os ensinamentos em seu extremo zelo. Portanto creio que o autor do tópico deveria na época conversar com o ancião responsável por esse servo, a fim de aconselha-lo com amor a que seja mais tolerante e explicar o que realmente recomenda os ensinamentos a respeito, para que futuramente não venha ocorrer algo semelhante tão desagradavel.

Sergio Teixeira escreveu:"Ter boa intenção" não significa "estar na guia". Todo afoito é bem-intencionado, no final das contas, mas não deixa de ser afoito.E "ser antigo na Graça" não implica em status, mas sim em responsabilidades maiores.
Portanto um "antigo na Graça" não pode ser dar ao luxo de cometer deslises dessa monta. O que está em jogo não é o simples "status", mas sim o bem-estar das Almas do povo de Deus, o bom testemunho do povo da Congregação, o bom nome da Congregação, o bom testemunho da obra que ao menos se diga Cristã. Deus em momento algum concedeu a nenhum de nós o poder de fiscalizare/ou criticar os demais. O que aprendemos na Congregação? Que a Palavra nos julga diariamente, não é assim? por isso a recebemos diariamente, fresquinha e vinda dos céus.
Por que então entendemos as coisas de forma diferente, segundo a nossa própria intelectualidade? Esta não é uma Oba para intelectuais, mas para pessoas de coração puro e sincero na presença de Deus. Tenhamos cuidado: O que supomos ser "zelo" para com o formalismo pode jogar nossos irmãozinhos para fora deste Caminho Santo. E como fica a nossa responsabilidade? Sim, porquenenhum de nossos atos é em vão.
Para cada um deles teremos um galardão correspondente. E ai de nós se por nossa causa algum dos pequeninos não puder entrar no Reino da Glória. Isso certamente terá o seu preço justo. Ambos os personagens erraram, cada um de sua forma, e o mal já está feito.
Agora nos resta policiarmos nossos atos para não incorrermos nós mesmos nesse tipo de coisas. Se aprendermos alguma coisa com tudo isso, a Obra terá lucrado de certa forma. Mas se não aprendermos, e ainda perseverarmos em nos manter na literalidade das coisas escritas, esse tipo de erro irá se repetir indefinidamente. Seremos nós mesmos como que modernos "escribas" e "fariseus", como que "doutores da Graça"...
[size]
A meu ver, duas ótimas mensagens.

Por iiiiiiiiiiiiisssso ... vou falar uma coisa que me passou pela cabeça desde que li pela primeira vez o título do Tópico: "minha esposa foi proibida de orar por um infermo porque estava sem o véu.

O título deveria ter sido, mais ou menos: "Um Irmão pode proibir uma Irmã orar porque está sem o véu?"
E aí contaria o caso, mas como se fosse só uma hipótese.
Se tivesse feito assim, quando colocamos nossas opiniões, não estaríamos machucando ninguém. Seria apenas um assunto hipotético.

Do jeito que foi feito, eu acabei ofendendo o Irmão que presidiu, com as minhas palavras. Ele errou, eu errei.
Fica aqui a minha sugestão: temos de ser prudentes até com os títulos do tópico e o modo como colocamos os fatos acontecidos.

Mais um achismo meu.[/size]

oooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo


Sergio Teixeira em Sab Jan 28, 2012 11:21 pm

Houve no caso um agravante, pois segundo o relato, o tal irmão teria literalmente impedido a irmã - deselegantemente - de sequerparticipar da oração.
Isso não tem precedentes na obra cristã.
Devemos ter cuidado para que não venhamos a colocar sobre nossos irmãos um jugo mais rígido ou pesado que aquele que provém do próprio Deus.


oooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo
Mourão em Qui Out 24, 2013 3:20 pm

E a rigor - me corrijam se o Espírito Santo revelar aos irmãos que estou errado em minha afirmação - ninguém pode impedir ninguém de orar, ninguém pode servir de obstáculo para que alguém alcance ao Deus-Pai.
A ninguém foi dada tal autoridade, nem a cooperadores, diáconos ou mesmo aos anciães mais antigos, quanto menos a irmãos sem ministério.
Mas se em nome do Cristo buscarmos de Deus sabedoria, Ele a concederá.
Ora, será que já não sabemos disso?


* Existe porém ensinamento não formal (não fazem parte do Estatuto) no sentido de que irmãos ou irmãs que estejam sem liberdade não podem orar pela igreja, pedir hinos etc. durante os cultos.


oooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo


Aldo em Sab Out 26, 2013 7:45 pm

Saudações em Cristo.

Mas que dilema hem irmão Brasil!; mas que dilema o irmão enfrentou!. É!, tem muita gente passando na frente na Obra de Deus!. Outros já vão chegando tipo assim!. "Deus me mandou falar isto"; "Deus me mandou falar aquilo!." Cuidado!; Cuidado estes tais!. neste caminho é nós atrás e o Senhor Jesus Cristo na frente!. 

Com relação a este episódio tão deselegante sem nenhuma ética Cristã por parte de quem cometeu o agravo ofendendo o irmão mas a sua esposa; Se fosse no meu caso em particular eu faria da seguinte maneira: Eu juntamente com a minha esposa ao chegar nesta casa para fazer a visita, no momento que a pessoa sentiu o desejo de pedir oração e a minha esposa esqueceu o véu em casa; como tudo neste caminho é feito no nome do Senhor Jesus; ficaria no caso de ao irmão que já estava na casa abrir a oração, ou eu mesmo abrir a oração e todos nós orarmos juntos. O fato de minha esposa ter esquecido o véu em casa não impediriam de ajoelhar-se na presença de Deus; uma vez que tratava-se de uma eventualidade, um caso de exceção!. E tem mais amados e se o Senhor desce a oração para ela naquela momento?; iríamos proibir?. De quem é esta Obra? de Deus?, ou do Homem?; o Espirito Santo tem que ter livre curso dentro da igreja como também dentro dos corações daqueles que fazem sua vontade em espirito em verdade?; ou não tem que ter?. Outra coisa que eu estava esquecendo de acrescentar aqui, o irmão tinha toda autoridade de naquele momento corrigir este irmão antigo de crente dizendo o seguinte. irmão estamos aqui numa necessidade e a Obra é de Deus!; vamos deixar que o Espírito santo de Deus tome conta de tudo aqui hoje!; Deus tanto poderá neste dia, dar oração para mim; como para o irmão; como também para ela!; para ela sim!, pois numa situação especial os cabelos foram dados no lugar do véu!, e tem mais!, se naquele momento ele se irasse ou se retirasse do local, então que ficasse a responsabilidade nele!, nele! O irmão juntamente com a sua esposa faria a parte que Deus mandou os irmãos fazerem naquela casa. Afinal os irmãos não foram lá para contarem 02 x 01 ou tomar um cafezinho e falar de negócios ou coisas fúteis, foram para fazerem a vontade de Deus.

É necessário que a irmandade no geral tenha mais interatividade concernente aos Tópicos de ensinamentos lidos na igrejas; pois tem irmãos que somente pegam no hinário e na Bíblia somente nos dias de irem para a igreja; não estou dizendo que é o caso do irmão Brasil; e mais ainda!, na leitura destes tópicos procurarem entender como lidarem quanto aos  "casos especiais"; digo, numa eventualidade!, numa exceção como foi este caso do irmão Brasil!. Não seguir a risca colocando o "radicalismo" na frente!. Perfeito amados é só Jesus Cristo!; estamos ainda caminhando para a perfeição.

Concluindo!.

Minha opinião particular. Irmão Brasil!, não deixe de levar este caso ao Ministério!; isto é horrível no meio de um povo que diz tersabedoria, discernimento; e não parece apresentar sabedoria nem conhecimento.
[size]
Usar o púlpito dentro da igreja para dizer para toda a irmandade congregada que este povo é sábio meus amados é "Dizer" e se"Contradizer" Pensem nisto!.

oooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo

 Mourão em Seg Out 28, 2013 8:06 pm

Não estou sugerindo que se faça a mesma coisa que eu faria, pois no meu caso tenho mais facilidade de acesso aos membros do Ministério que a maioria dos irmãos se permite ter: 

Em geral quando ocorrem tais discrepâncias, vou pedir aconselhamento a um ancião distante, que não tenha nada a ver com as comuns dos irmãos envolvidos.

Por que procedo assim? 

Porque se eu for recorrer ao "meu" ancião, ou a algum outro que tenha ascendência sobre os irmãos envolvidos, poderá dar a impressão de que estou "entregando" o(s) irmão(s), e não buscando conselho.

Há também um outro aspecto a considerar: 
A presidência não pode nem deve ser dividida. 
Se um irmão está presidindo, e se tiver de ser admoestado, deverá isso ser feito ordeiramente, e após o término do serviço (oração, visita, etc.).
Acho que não existe ensinamento para isso, mas é o que eu faria, e não deixaria o caso passar em branco.
Diz a Palavra: "Admoestai-vos uns aos outros com amor".[/size]
[/justify]
[/justify]
avatar
Jahyr

Mensagens : 1252
Pontos : 2604
Data de inscrição : 10/07/2010
Idade : 77
Localização : São Paulo

http://ambotezai-jahyr.blogspot.com.br/2007/02/enfrentei-nas-com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum